quarta-feira, 22 de janeiro de 2020

A VIDA PROSSEGUE...NÃO PODEMOS DESANIMAR

     Todas as manifestações de solidariedade recebidas fizeram-me recobrar o bom ânimo; agradeço-lhes do fundo do meu coração. Por mais angustiante que a situação se nos apresenta, não podemos afastar de nós este cálice sem que o bebamos. Deus nos dá a cruz que somos capazes de carregar, e não há nenhuma possibilidade de seguir a Jesus sem trilhar o caminho do Calvário. E a vida continua.
      Estamos mudando o foco das matérias do blog, incluindo mais nossa vida espiritual, o que não impede que assuntos de nosso quotidiano como PREVI/CASSI corram em paralelo. Inclusive, lembrei-me de um assunto sobre o melhor dia para se verificar o montante que podemos levantar no ES. Há pelo menos uns dois meses tenho percebido que o valor maior a ser tomado aparece assim que a folha é processada, de dez a cinco dias antes do dia 20. Neste caso o débito da primeira parcela ocorre no mês seguinte (dia da próxima folha). Se você aguardar para fazer após o dia 25 ou 26 com o respectivo crédito para os primeiros dias do mês seguinte, pegará um valor menor, no entanto, será compensado pela não cobrança da parcela no mês em que houver o crédito.

      Agora um assunto que na minha ótica está cada vez mais real e presente em nossa volta. O vídeo de Débora G. Barbosa, uma 'Youtuber' que reside em Londres, nos alerta para o que está acontecendo no mundo, numa velocidade que somos incapazes de nos acautelar ou nos defender de suas armadilhas (que nos afasta definitivamente de Deus).
Não se pode dar certeza de nada. Mas pode-se perceber claramente os sinais perceptíveis por aqueles que têm percepção dos estragos que as novas tecnologias estão fazendo no mundo. Satanás é muito esperto, está só esperando o momento certo para agir. Existe uma elite mundial (a mesma que anseia dominar as nações por um único governo mundial). A ONU encabeça essa ideia de governo único, moeda única, gênero único etc. com a única ideia de dominar os incautos e prendê-los para o domínio da besta. Não foi à toa que Jesus nos precaveu: "Entrai pela porta estreita porque larga e espaçosa é a porta que conduz à perdição. São muitos os que entram por ela. Quão estreita e apertada é a porta que conduz à vida, são poucos os que a encontram!" (Mt 7:13-14).

domingo, 19 de janeiro de 2020

UMA GUINADA DE CENTO E OITENTA GRAUS

    Minha vida se transformou completamente. A doença de minha esposa me deixou atônito, sem vontade para mais nada, com exceção de somente procurar fazer a vontade de Deus. Somente por essa razão sinto-me na obrigação de prosseguir na caminhada, no dizer do apóstolo Paulo "combater o bom combate, guardar a fé." Nesse mundo nada mais atrai, não sinto mais desejo material algum. Vou seguindo vivendo com toda a minha fé em nosso Salvador Jesus Cristo, na preciosa estrada do amor ao próximo, edificando o nosso tesouro no céu.
     Peço gentilmente aos meus caros leitores que compreendam a delicada situação pela qual atravesso, sem perspectivas de melhoras de meu cônjuge, uma das razões de minha vida. Sei que os colegas irão compreender a minha situação. Ela sofre mas eu sofro mais ainda por nada poder fazer para melhorar seu estado físico.
       Quanto mais busco conforto na Palavra do Senhor, lendo-a continuamente, mais sou edificado e convencido que os tempos estão mais próximos do que podemos imaginar. Muita gente não gosta desse assunto, procura esquivá-lo mas não podemos tapar o sol que nos indica os sinais alarmantes. Vejam o que um colega no YouTube postou sobre um assunto de novas tecnologias da Samsung (5G e Inteligência artificial). Chama a atenção como pensam os jovens europeus hoje, lembrando a passagem em que Jesus observa: "Quando eu voltar, porventura encontrarei fé na terra?".

Tal postagem está nesse link:

Olá Débora, eu moro em Portugal desde pequeno, estou no 1° ano na área de humanas, a quantidade de informações erradas que é passada é imensa, nas aulas de história os professores debocham de Deus e culpam a igreja por todos os males da idade média, nas aulas de português os professores falam de feminismo e culpam os rapazes de todos os males de hoje e na filosofia, também com deboche a Deus, usam de argumentos ateus para debochar da fé dos outros, não me arrependo de ter escolhido está área, era a que eu queria mesmo, porém quando você consegue entender que querem te controlar, as aulas ficam bem maçantes.

sábado, 11 de janeiro de 2020

DA COMPLEXA NATUREZA HUMANA


CAMELOS E COALAS
Aristophanes Pereira
       A natureza humana é muito curiosa, pra expressar o mínimo. Interpretá-la é tarefa complexa e inconclusa. Há séculos é o que tentam fazer filósofos, sacerdotes, feiticeiros e, no âmbito da ciência, psicólogos e, também, psiquiatras. Pelas mesmas razões, paradoxalmente, uns confortam coalas, enquanto outros assassinam camelos.
        Dias atrás, na sequência de um ambiente há muito saturado de inquietações belicosas, entre Estados Unidos e Irã – além de outros atores coadjuvantes – a morte calculada de um importante comandante de exércitos iranianos e milícias iraquianas, abalou o mundo. O cara, sobre cujo generalato há controvérsias, tinha uma importância geopolítica enorme e carregava, na sua folha corrida, crimes numerosos e terríveis, no entender do lado que o eliminou, e feitos gloriosos e patrióticos, no ajuizamento de outros, compatriotas e simpatizantes.
       Isso, como bem sabemos, ocasionou muitas e graves “desacomodações” mundo afora, alimentando preparativos guerreiros de vingança, ameaças de desproporcionais revides e esforços de apaziguamento. Falou-se, até, numa III Guerra Mundial!
       Nos dias enlutados do enterro do herói nacional, com o caixão sendo carregado de um canto para outro, por ardorosos devotos, um acidente brutal ceifa a vida de 56 pessoas, no estouro da multidão de milhões. O noticiário foi breve, sem maior repercussão, sequer identificando homens, mulheres e crianças. Anônimos que morreram pisoteados, sem glória.
       Pouco tempo depois – algumas horas – um avião, em voo pacífico comercial, aparentemente seguro e confiável, interrompe, abruptamente, a sua trajetória, pouco depois da decolagem do aeroporto de Teerã, e mergulha, inexplicavelmente, para o solo, com 176 pessoas que se estraçalharam, também sem glória.
       O caso, ainda em andamento, está crescendo de significado. Não por causa daquelas mortes, propriamente ditas. Sabe-se, vagamente, que são homens, mulheres e crianças – na maioria canadenses e ucranianos – além da chamada “tripulação”.
       O pavoroso acidente está tomando aspectos espantosos porque autoridades militares iranianas, que antes negavam a possibilidade de o avião ter sido derrubado por seus misseis, agora admitem, em nota divulgada, que o dito cujo “assumiu a posição de voo e a atitude de um alvo inimigo”, ao se aproximar de uma base da Guarda Revolucionária. “Nessas circunstâncias, por causa de erro humano”, o avião “ficou sob fogo”, afirmaram.
       A nota, que constrói uma narrativa tardia, inverossímil e quase cômica, se não fosse sobre um acidente tão monstruoso, diz ainda, em tom de conforto, que “a pessoa” responsável por derrubar o avião será responsabilizada e que o “erro” não se repetirá.
       O caso vai dar muito o que falar. Os dois acidentes que o destino engendrou, a partir da morte do pranteado e estratégico herói iraniano, enfraquecem as razões do aguerrido Irã, com peso negativo. 
       Espero que as menosprezadas mortes daqueles 232 verdadeiros mártires, pisoteados e estraçalhados, sirvam de patamar para uma negociação de paz, pelo reconhecimento dos erros absurdos e estúpidos de cada parte beligerante, a partir das decisões geradas nos bunkers dos senhores da guerra.

Jaboatão dos Guararapes(PE),11/01/2020


 Fonte das imagens: Google

sexta-feira, 10 de janeiro de 2020

QUATRO QUARENTA E OITO

     O INPC acumulado em 2019 resultou no reajuste anual de nossos vencimentos em 4,48%, além das expectativas geradas alguns meses atrás. Os índices verificados em novembro e principalmente dezembro (1,22%) foram fundamentais para tal acréscimo, nada obstante, para o governo a inflação oficial tenha permanecido dentro da meta.
       É preciso antes de tudo considerar que com a correção do salário mínimo gera uma expectativa de aumento geral no custo de vida. Tem sido assim historicamente. Muito por isso, o chamado "reajuste" nada mais é do que uma atualização monetária de uma corrosão inflacionária que já nos fez perder o poder de compra.
      Mesmo anualmente realizada essa reposição não deixa de ter seus efeitos benéficos, pois pior seria não existir essa correção. Se a inflação, no entanto, se mantiver domada sem qualquer artifício, a lei de mercado controla o nosso poder aquisitivo, lembrando a tradicional lei da oferta e procura.

sábado, 4 de janeiro de 2020

À ESPERA DO MILAGRE (por José Aristophanes Pereira)

O MILAGRE DA CONCÓRDIA
Aristophanes Pereira
              Os episódios atuais dessa alongada guerra, entre Estados Unidos da América e Irã, e suas ramificações, são estarrecedores e preocupantes. Tanto quanto consigo entender o pouco que se informa e denuncia sobre as intenções e o aparelhamento bélico de cada lado – sob as vistas de espectadores mundiais ansiosos – defrontamo-nos com uma horrorosa máquina de destruição e uma insidiosa rede de terror.
         De um lado(EUA), uma tecnologia ofensiva letal, operada a milhares de quilômetros, capaz de identificar, monitorar, sobrevoar com drones, atacar e destruir – com foguetes de precisão milimétrica de lasers –  os alvos detectados, mesmo que sejam diminutos e móveis. Do outro lado(IRÃ), um exercito dito “revolucionário”, com hierarquia e treinamento especializados em ações terroristas, com infiltrações secretas, por meio de "unidade destinada a levar adiante missões não convencionais, onde isso seja necessário, implicando qualquer tipo de apoio".
         O resultado real está ai, claramente visível, entrando em nossas casas, pelas imagens da TV e celulares, da mesma forma que poderia ser um míssil explodindo ao nosso redor, ou um desvairado terrorista se explodindo conosco, na estação do metrô.
         O Aiatolá iraniano anuncia “vingança severa”, enquanto Trump justifica-se, dizendo que seu propósito foi “evitar uma guerra”. Entre a ameaça e o cinismo, o certo é que o mundo, guiado pelo mesmo Deus de três grandes religiões, está perplexo e debruçado na beirada de um abismo imprevisível.
          Começamos 2020 menos crédulos nos destinos da humanidade. Resta-nos a esperança no Milagre da Concórdia.

Jaboatão dos Guararapes(PE), 4/1/2020.
Paz e Concordia-Quadro de Pedro Americo-1902