quarta-feira, 30 de setembro de 2020

CÓDIGO DE BARRAS

     Pelo início da numeração do código de barras sabe-se a origem ou a certidão de onde o produto foi feito. A tabela pode ser visualizada neste link:

https://pt.wikipedia.org/wiki/Lista_de_c%C3%B3digos_de_pa%C3%ADs_GS1  

     Os três primeiros dígitos dos produtos brasileiros são 789 ou 790. Conforme o link acima, os produtos "made in China" começam com 690 a 699, embora nos rótulos muitos distribuidores não escrevem devido à desconfiança dos consumidores, especialmente em produtos alimentícios. É um direito de todos saber, porém, os governos com seus departamentos comerciais nem sempre educam no sentido do pleno acesso ao conhecimento.  

Um comentário:

Aristophanes disse...

O dileto e dedicado amigo Ari Zanella me chamou a atenção para um comentário do, também, blogueiro e colega amigo Adai Rosembak, na postagem O BLEFE DO CORONA VIRUS, de 15/9/20. Agradeço, porque não tinha visto. Ele disse:
“Caro Aristophanes Pereira,

Concordo plenamente com você que a difusão do Covid 19 começou na Província de Wuhan, na China.
Mas é preciso considerar que o local de onde partiu a propagação do vírus foi um mercado a animais silvestres vivos em que as condições sanitárias e de higiene eram péssimas ou não existiam.
O governo chinês eliminou à época cerca de 35.000 desses mercados e hoje deve ter eliminado muito mais.
Outra informação importante é que esses mercados e outras formas de alimentação surgiram durante os grandes períodos de fome causadas pelas potências estrangeiras e que mataram muitos milhões de chineses. E esse tipo de mercado e outras práticas não são exclusivas da China mas de todos os países de origem chinesa no Sul da China.
Será que esses países tomaram as mesmas medidas cautelares da China?
O fato de ser um país de disciplina comunista facilitou a tomada de medidas duras e radicais para eliminar o vírus 19 na China.
Será que a Índia vai ser a próxima vítima de um vírus? A Índia é um país em que a falta geral de higiene em todas as áreas de convivência humana é um caso assustador. O que falta fazer para tirar a Índia dessa condição apavorante?
Abraços
Adaí Rosembak
01/10/2020 01:58”

RESPONDO:
Prezado Adai.
Apesar da complexidade e mistérios do milenar mundo chinês, sem dúvida a nova China é uma nação que se esforça, na compreensão, equacionamento e solução dos seus problemas. E, também, na caminhada, para seus objetivos globais de supremacia.
Creio – mas não testemunharei – que, no desenrolar deste formidável Século XXI, se desenhará uma nova geopolitica planetária, com traços que separarão, com mais nitidez, o mundo ocidental do mundo asiático, tendo o Oriente Médio no caminho, com suas milenares querelas intestinas e as riquezas do petróleo, em desvalorização estratégica. Se o Ocidente não "tomar juízo", com uma América do discurso “America First”, e uma Europa pretensiosa, separatista e permanentemente assustada pelo imperialismo armado da Rússia, aposto mais no mundo asiático. Ah!, mas tem o pêndulo da India.
Sim, a India, com suas culturas e religiosidades milenares tem marcante expressão, potencializada pela crescente população jovem, mas fustigada por suas contradições étnicas e vizinhanças. Conheci a India, há mais de 40 anos, de onde saí assombrado com o que ví e sentí.
Quanto aos vírus, que sempre existirão, na cola dos humanos, é assunto para os infectologistas e políticos oportunistas. Abraço. Aristophanes.