quarta-feira, 22 de julho de 2020

SÓ NOTÍCIA BOA

SÓ NOTICIA BOA
Aristophanes Pereira
          De uns tempos pra cá, conheci um site, casualmente, do qual passei a receber frequentes notificações de notícias atuais e interessantes. É o SONOTICIABOA, em www.sonoticiaboa.com.br  São noticias nacionais e internacionais, objetivas, de comprovadas fontes e, obviamente, como diz o nome, só veicula notícia boa. É um verdadeiro antídoto para o noticiário seletivamente pessimista de grande parte da mídia. Faz bem à cabeça atormentada pelo clima doentio da Covid19 e por outros desprazeres do dia-a-dia.

         Inspirado por esse mensageiro de boas notícias, comecei, eu mesmo, a semana – na 2ª Feira, dia 20, que nos trás, mensalmente, um momento de passageira alegria – anotando um conjunto animador de boas notícias, sobre as quais discorro a seguir:

         Preliminarmente, destaco: Com o clima mais ameno do noticiário produzido pelos ventos, usualmente, tempestuosos do planalto brasiliano, o Brasil está mais calmo, encaminhando seus afazeres, sem maiores zoeiras e grandes conflitos. As “gripezinhas” e as ‘quedas domésticas’, certamente, contribuíram para isso. A Bolsa, termômetro sensível e claudicante retornou ao patamar dos confortáveis 100.000 pontos(Olha aí, Previ!).

Segundo: Conforme notícia já apontada pelo colega Celso Bernardes(Blog, 17:28, 19/20) está no radar a edição, a qualquer momento, de uma Medida Provisória, de efeito imediato, que entre outros mandamentos, permitirá o aumento de, aproximadamente, 5% na Margem Consignável, que passaria dos atuais 30 para 35%, beneficiando, apenas aposentados e pensionistas do INSS. Isto, adicionado à bondade do Governo, que isentou o IOF até outubro, para tais empréstimos(consignados), poderá ser um bom e oportuno suspiro para aquelas duas categorias. A Previ, no âmbito do Convênio Prisma, com foco no  Plano1, certamente, regulamentará a matéria, no que respeita ao seu ES-Rotativo. Cruzem os dedos!

Terceiro: As previsões indicam valiosas conquistas medico-cientificas, que apontam – inclusive com notória participação do Brasil – a breve produção, em massa, de pelo menos três vacinas,  de já comprovada prevenção da Covid19, e que dentro de alguns meses poderão estar  disponíveis, para aplicação imunizante de grandes populações. Entrementes, já são festejados alguns medicamentos que diminuem sensivelmente os sintomas e a letalidade da Covid19, com alívio para doentes e para a estrutura de serviços de saúde hospitalar.

Quarto e último(e de leitura chata): Os prognósticos para o resultado da eleição na Previ, já traçam, neste 9º dia de votação, com base nos números divulgados até agora(9ª prévia), uma linha, que aponta tendências possíveis, prevendo-se uma disputa de final apertado, na concorrência das duas chapas.

         Não tendo compromissos compulsórios, desfrutando a ociosidade da definitiva aposentadoria, por idade e opção, e robustecida pela reclusão do Corona vírus, ousei e arrisquei fazer algumas estimativas, relativamente ao atual processo de eleições na Previ, declaradamente  viciadas pela minha simpatia maior pela Chapa 2. Vejamos:

  • Os números básicos são 198.093 votantes qualificados como ATIVOS(90.277), APOSENTADOS(83.984), PENSIONISTAS(22.580) e OUTROS(1252), A votação é opcional, distribuída por três canais de votação(SISBB-WEB-TAA).
  • A apuração, na primeira parcial de 13/7 indicou um elevado percentual de votantes, pelo SISBB(61,6%), que são, nitidamente da ATIVA, integrantes do Plano Previ-FUTURO. De outra parte 38,3% votaram pelos TAA e WEB(Internet:PC, Tablet e Ceulular), e que passarei a identificar como APO’s(*).
  • Esses tão distintos resultados têm como elemento fundamental, no meu entender, a divisão dos votantes em dois grupos decisórios: (1) PESSOAL DA ATIVA (SISBB=90.277) e (2) APO’s(WEB e TAA=107.816). Outro dado importante é a correta presunção de que os ATIVOS são fortemente adesistas da Chapa 1, enquanto a maiorias dos APO’s aderem à Chapa 2. Por isso, um olhar analítico sobre esses números e essa distinção de simpatias mostra, claramente, que o general vencedor dessa guerra chama-se  Abstenção.
  • Assim, com essas considerações, demonstramos a aritmética de 3 cenários previsíveis,  com números arredondados, na elaboração, com recursos do MS-Excel, conforme QUADRO abaixo, onde os dados fixos são afetados por   variáveis(abstenção, opções dos votantes e votos nulos e brancos) a saber:
ELEIÇÕES PREVI - SIMULAÇAO DA VOTAÇÃO 
(VIDE QUADRO ABAIXO)

          As estimativas no QUADRO trabalham, apenas, com três hipótese extremas, com resultados que dão vitórias robustas às Chapas 1 e 2, nos cenários construídos, respectivamente, com as variáveis das colunas V-1 e V-III. A hipótese de um resultado final apertado, que denominei PAU A PAU, está montado com as variáveis da coluna V-II. Infinitas simulações poderiam se elaboradas, entretanto, sem maior interesse.
         Os três cenários mostrados – a esta altura do campeonato, ainda no limiar do 10º dia de votação(22/7), faltando 6 para o encerramento(27/7) – podem servir para orientar os esforços dos contendores, no fortalecimentos das variáveis mais decisivas e passiveis de mudanças. No caso da Chapa 2, diminuir a abstenção costumeira <25 b=""> e angariar votos no terreiro inimigo <13 b="" divirtam-se="">

(*) Cumpre ressaltar que existem pequenas e irrelevante diferenças entre dados divulgados pela própria Previ.
Jaboatão dos Guararapes(PE),21/07/20




REPRODUÇÃO DO QUADRO ELABORADO PELO ARISTOPHANES DEVIDO A NÃO ABRIR EM ALGUNS NAVEGADORES.

41 comentários:

Ari Zanella disse...

Embora o disparo de emails de determinada chapa seja frequente, não podemos fazer ligação com veículos externos de apoio. Não temos a necessária prova.

Blog do Ed disse...

Estimado Mestre e amigo Ari Zanella
Concordo, mas acho estranho que receba no meu e-mail uma mensagem recorrente da Chapa 1 que começa assim PREVI... Abro pensando tratar-se de alguma mensagem da PREVI. Não é. É uma propaganda da Chapa 1... Acho isso um engodo... se for proposital para iludir o destinatário...
Edgardo Amorim Rego

Blog do Ed disse...

Estimado Mestre e amigo Ari Zanella
Acabo de assistir a um vídeo, onde o jornalista Alexandre Garcia informa que conceituada e centenária associação médica norte -americana declara que esse medicamento hidroxicloroquina, adotado pelo Presidente Bolsonaro, é eficaz para o tratamento do Covid-19. E agora, como é que ficam os detratores nacionais e internacionais do Presidente? O Presidente Bolsonaro é tão forte e decisivo para o Brasil, que é necessária a adesão da força política desonesta internacional para combatê-lo? O Brasil não pode quebrar os grilhões que o prendem ao atraso? O seu progresso contraria o interesse de outras nações?
Edgardo Amorim Rego

jair mario bork disse...

O Jornalista Alexandre Garcia, para mim, não é digno de crédito. Dias atrás ele divulgou uma pesquisa afirmando que em 2019, no primeiro semestre, morreram mais pessoas no Brasil do que no mesmo período em 2020. Dias depois, ele reconheceu que havia se enganado, mas o estrago já estava feito. Quem garante que logo logo ele venha a público dizendo que essa tal centenária associação médica norte-americana se enganou? A propósito, essa tal hidroxicloroquina parece que não funcionou para o Bolsonaro, pois mesmo após 15 dias, ele ainda não está curado.

WILSON LUIZ disse...


MAIS UMA IDEIA DE JERICO

Está em estudo medida que permite seja feito novo financiamento dando em garantia imóvel, mesmo que já financiado, e o valor de mercado supere o saldo devedor.

Como exemplo, funcionaria assim: o valor de mercado do imóvel é R$ 500 mil, o saldo devedor do financiamento R$ 250 mil. O valor a ser financiado seria 90% do valor de mercado do imóvel, (R$ 450 mil), deste valor é deduzido o saldo devedor(R$ 250 mil), o valor a ser refinanciado seria R$ 200 mil.

Pela minha experiência de vários períodos de aperto financeiro, acho que é hara-kiri financeiro, só deve esta linha de crédito ser utilizada em caso de extremíssima necessidade; a consequência do inadimplemento não é, apenas, ser incluído no SPC, a execução e retomada de imóvel é das ações mais céleres do judiciário.

O governo anterior criou o empréstimo consignado, que teve muitos danos colaterais, como superendividamento, fraudes, tomada do crédito para terceiros, como filhos, genros, cunhados e agregados, a escala dos problemas deste novo crédito imobiliário poderia ser muito maior.

A eclosão da crise financeira mundial de 2008 teve como causa principal o estouro da bolha imobiliária nos Estados Unidos, causado por este tipo de financiamento.

Pela minha sofrida experiência, digo que mais endividamento nunca foi solução para problemas financeiros, o essencial é união familiar, sacrifício e disciplina.

Autoria de meu amigo, agora "anônimo ainda ex-endividado"

Blog do Ed disse...

Digno colega Jair Mano Bork.
Respeito o seu conceito sobre o jornalista Alexandre Garcia, embora dele não comungue. Mas, acabo e ler uma entrevista com um infectologista de São Paulo, afirmando que CLINICAMENTE Bolsonaro está curado. Os testes só revelam que existem resíduos do vírus, mas não mais a infecção. Diz até mais, que esse terceiro teste era desnecessário.
Edgardo Amorim Rego

Paulo César Fernandes disse...

Caro Mestre, no início de Junho fui infectado pelo Covid 19, usei, por prescrição médica, a hidrocloroquina e a Ivetmectina para amenizar a infecção. O período de infecção é de cerca de duas semanas, com ou sem Cloriquina. No meu caso, fui revascularizado em fevereiro de 2005, as consequências da infecção foram maiores que os incômodos da infecção. Fui diagnosticado e estou em tratamento para Insuficiência Cardíaca, nas estou hoje melhor do que estava há 15 dias atrás. Um ponto muito importante: a Cassi me tem sido de total apoio. No mais, meu Caro, a fé em Deus e a esperança de vida , ao lado dos meus familiares e amigos em um Brasil melhor. Estou torcendo por isso, com a chapa 2 vencendo na Previ e o Presidente sendo reeleito em 2022. Abraços.

Cadé disse...

Mestres, amigos indispensáveis, o artigo do mestre Aristophanes é sensacional. A indicação do site sonoticiaboa é um verdadeiro antidoto para os males que ora experimentamos, em nossas vidas. Parabéns mestre! Fiquei encantado, como se diz em espanhol. Deus abençoe a sua inteligência e juventude acumulada.
Professor Cadé, ou melhor o dedicado aluno Cadé.

rafa disse...

RISCO BRASIL E O PATRIMÔNIO E LIQUIDEZ DA PREVI

Caro Mestre Aristophanes, gostaria de uma análise e sugestão abalizada, como sempre, sobre os riscos eventuais de falta de um "hedge" dos ativos da Previ numa economia forte, como USA ou união européia.

Considera que tenha algum risco de "derretimento" ou apropriação por parte do governo das reservas da Previ?

Luiz disse...

Rafa, envia ao Paulo Guedes, sugestão de apropriacao das reservas da previ, assim seremos felizes, não é mesmo?

Aristophanes disse...

Prezado Rafa- 23/07/2020 13:52 - (e demais colegas)

Fazer essas perguntas, dirigidas a mim, deixando de lado a opinião do “Trader Anônimo” – especialista versado, com vasta literatura sobre acontecimentos hodiernos do mercado de capitais – pode parecer uma grosseria, em relação a tão abalizado analista.
Metido, aceito a provocação, e tentarei dar uma “opinião”. Uma “análise”, evito. Careceria de muito conhecimento e competência, que não tenho. Começo invertendo, para maior clareza, a ordem de suas duas perguntas: Primeiro, a segunda, e segundo, a primeira. Vejamos:

PARTE I
“Considera que tenha algum risco de "derretimento" ou apropriação por parte do governo das reservas da Previ?”

Padecemos, no Brasil, de uma grave crise de insegurança jurídica, mormente depois da 8ª Constituição(1988) que, ainda jovem, já recebeu mais de 100 emendas, fora as trombadas diárias. Para não ir muito atrás, no tempo, basta ver, nos dias de hoje, os conflitos de atribuições e competências, gerados por uma legislação emaranhada e pelas cabeças tontas de tantos juízes, magistrados e ministros de tribunais superiores.
Em meio a essa judicialização esculhambada, agravada pela pandemia da Covid19, cujas consequências vão se desdobrar, ainda há o juízo(ou falta dele) dos que querem aproveitar, para “passar boiadas”. Por conta desse cenário, qualquer atividade está sujeita a “derretimento”, inclusive os nossos ativos/reservas da Previ.
Felizmente, em todas relações humanas, como na Física, conforme pontificou o sábio Newton, “a toda ação se opõe uma reação igual e contrária”. Acrescento que essa lei se exerce com mais vigor dentro do Estado Democrático de Direito.
Cabe recordar que a Previ tem contrapesos de defesa, arrimados em uma cultura secular e na proteção do seu patrocinador, o Banco do Brasil, que suga, mas não deixa outros sugarem. Vejo diretrizes de mudança na Previ, que hoje já se divide em três componentes: a Previ-Plano1, a Previ-Futuro e a infante Previ-Família. Isso fortalece e protege a entidade, no todo, mas no que respeita aos assistidos, participantes e pensionistas do rico Plano1, em extinção, representa uma duvidosa perda de poder de governança de seus genuínos membros. Ressalto, finalmente, que a possível privatização do Banco do Brasil exigirá a formatação de um cuidadoso processo de venda, relativamente à defesa dos legítimos interesses da Previ. Mas isso e outra história...
(CONTINUA)

Aristophanes disse...

PARTE Ii
“Uma análise e sugestão sobre os riscos eventuais de falta de um "hedge" dos ativos da Previ numa economia forte, como USA ou união européia.”

A PREVI, bem sabemos, é uma Investidora de grande porte, no mercado brasileiro de capitais, acumulando uma experiência centenária, com ativos que alcançam cerca de R$200 bilhões(a Bolsa está melhorando) e, como EFPC(ENTIDADE FECHADA DE PREVIDÊNCIA COMPLEMENTAR), carrega a obrigação de pagar, pontualmente, benefícios mensais da ordem de R$ 1 bilhão, ou, aproximadamente, R$12 bilhões no ano, a cerca de 110.000 aposentados e pensionistas, egressos de seu patrocinador, o Banco do Brasil. Essa simbiose com o BB lhe confere uma singular expertise, nas operações que pratica no mercado de capitais.
Lembro, só para efeitos didáticos, que HEDGE(CERCA, em Inglês) é um mecanismo que serve para proteger(ou cercar com segurança) operações financeiras que podem ficar sujeitas a ataques depreciativos, ou passiveis de constantes variações de preço.
Não há mistério, portanto, na prática dessas operações. Entretanto, não tenho informações sobre os procedimentos da Previ, direta ou indiretamente(CTVM’s e DTVM’s), na prática do Hedge, e em qual volume, nos mercados nacional e estrangeiros. Sei da competência, zelos e conservadorismo dos operadores(Diretorias de Planejamento e de Investimentos), em associação com o Banco do Brasil, mas não estimo quantitativos. Uma aba(INVESTIMENTOS), na “home page” do site da Previ, mostra farta orientação de governança, políticas de investimento, gestão de risco, etc., que vale a pena consultar. Por outro lado, quando observamos os números das aplicações do nosso Fundo, em INVESTIMENTOS NO EXTERIOR, verificamos que eles são modestíssimos. Por fim, lembro que, nesse capitulo, a Previ até aceita PROPOSTAS, COM SUGESTÕES DE INVESTIMENTO.
É o que me ocorre dizer, em relação ao pedido, parando aqui, para não alongar assunto tão árido. Cordialmente, Aristophanes.

Genésio Guimarães - Uberlândia/MG disse...

Prezados Diretor Aristophanes, Mestre Ari e demais Colegas,

Se o "Trader Anônimo" não se importar...

SMJ, a atual legislação e os estatutos e regulamentos de cada um dos planos de benefícios administrados pela Previ, já oferecem garantias razoáveis ao pagamento de nossas aposentadorias e pensões enquanto vida tivermos.

E, nesse sentido, considero que os ativos garantidores dos planos Previ-PB1, Previ-Futuro, CAPEC e o novel Previ-Família são, razoavelmente, suficientes para honrar os compromissos assumidos perante seus participantes e assistidos. Se não houver roubalheiras, chegamos lá.

Muita segurança custa caro ao patrocinador, aos participantes e aos assistidos. E segurança total é um mito, não existe aqui na terrinha e/ou em qualquer outro país.

A atual legislação permite, porém não exige, a contratação de garantias extras pelas EFPC, a não ser em casos especiais e por determinação da PREVIC. Vejam o que reza a LC 109/2001, sobre uma possível contratação de operações de resseguro pelas EFPC, a exemplo da Previ, e que visam dar maior segurança ao pagamento de nossos benefícios de aposentadoria e pensões:

LC 109/2001:

“Art. 11. Para assegurar compromissos assumidos junto aos participantes e assistidos de planos de benefícios, as entidades de previdência complementar poderão contratar operações de resseguro, por iniciativa própria ou por determinação do órgão regulador e fiscalizador, observados o regulamento do respectivo plano e demais disposições legais e regulamentares.
Parágrafo único. Fica facultada às entidades fechadas a garantia referida no caput por meio de fundo de solvência, a ser instituído na forma da lei.”
Pesquisei (na internet) sobre esse assunto e não encontrei nenhuma EFPC que tenha contratado operações de resseguro ou constituído fundo de solvência que oferecem maior segurança aos beneficiários da previdência complementar.

E será que no Brasil existe seguradora, ou grupo de seguradoras, com coragem lastro suficiente para garantir os riscos financeiros de ativos da ordem de R$ 200.000.000,000,00 (duzentos bilhões de reais) da Previ? E o risco financeiro das outras EFPC?

E o INSS pós corona vai continuar honrando fielmente seus compromissos?

E como ficam os Colegas da ativa que ainda estão contribuindo para a Previ e o INSS na esperança de uma a velhice digna?

Ora, deixamos pra lá as incertezas, pois com ou sem pandemia (ela vai passar!) e outras pendengas considero-me um ser privilegiado de um certo dia ter tomado posse no BB e ser obrigado a inscrever-me na Previ.

Abraço fraternal para todos.


Luiz disse...

Banco do Brasil discrimina funcionários na testagem do novo coronavírus23 de julho de 202016:18Banco do Brasil

Enquanto que altos executivos passam por testes, o mesmo não acontece com funcionários que atendem ao público

Testes do novo coronavírus estão sendo aplicados de forma diferenciada no Banco do Brasil, de acordo com denúncias do Sindicato dos Bancários de Brasília. Altos executivos da instituição recebem testagens periódicas, enquanto que o banco dificulta testes para os funcionários da linha de frente, que atendem o público nas agências, de acordo com a denúncia.

O presidente do Sindicato dos Bancários de Brasília, Kleytton Morais, exige que todos os trabalhadores bancários, inclusive os terceirizados, tenham direito ao teste. “O banco dificulta a implementação da testagem dos trabalhadores que atuam na linha de frente, que se expõem ao risco de contaminação pelo novo coronavírus, mas oferece, segundo as denúncias, testagem periódicas a altos executivos da sede administrativa, no Edifício da 201 Norte, em Brasília”, afirmou o dirigente.

A diferença nas testagens entre os funcionários do banco é considerada um absurdo pela presidente da Confederação Nacional dos Trabalhadores do Ramo Financeiro (Contraf-CUT), Juvandia Moreira. “Vamos cobrar do Banco do Brasil isonomia de tratamento. Não admitimos que o banco valorize e proteja os executivos e deixe os trabalhadores que se arriscam na linha de frente todos os dias sem a política dos testes”, disse Juvandia.

 

Morte

 

A testagem precária no Banco do Brasil pode ter provocado sua primeira vítima fatal. Um trabalhador terceirizado, garçom que atuava junto à presidência do BB, morreu após ter contraído o vírus. Denúncias recolhidas pelo Sindicato dos Bancários dão conta de que executivos em distintas áreas do BB, como governo, tecnologia e secretaria executiva, vice–presidentes, diretores e, inclusive, um assessor especial da presidência do banco testaram positivo para Covid–19.

Também causou pânico entre os funcionários do banco o comunicado em que se determina que o “funcionário com autodeclaração de coabitação (com pessoas que fazem parte de grupos de risco da Covid-19) passa a se enquadrar nas formas de trabalho disponíveis, como os demais funcionários do banco que não pertençam ao grupo de risco”. Esses funcionários devem retornar ao trabalho presencial no próximo dia 27.

Outra crítica à direção do banco, feita pelo Sindicato dos Bancários de Brasília, é referente ao que foi considerada como uma postura irresponsável, materializada na conduta pública que o presidente do banco, entre outras, adota ao desprezar o uso de máscara. A postura se manifestou em reuniões ministeriais do governo Bolsonaro e de trabalho dentro das dependências do BB. Para o sindicato, trata-se de um comportamento ideológico e irresponsável que acaba incentivando outros altos executivos a seguirem a mesma linha, pondo em risco a vida e saúde de todos.
Sempre
Sempre foi a postura do Banco, diárias diferenciadas, nos sedes em Brasília, água mineral para o Ed. da Presidência, nos demais, torneira, chefes de ap elevados, tinha um em determinado departamento, que fumava na sala de reuniões diante de todos os subalternos.

Luiz disse...

Mensagem de 24/07 as 15:44 hs foi copiada da anabb até o final da mensagem risco a vida é saúde de todos.

Paulo disse...

https://ultimosegundo.ig.com.br/colunas/esplanada/2020-07-24/consorcio-de-grandes-bancos-esta-de-olho-na-previ-e-bb-dtvm.html

Moreira

Aristophanes disse...

Já chegamos ao 12º dia de votação, faltando 3 para o término do certame. Na última prévia apurada pela Previ(hoje-24/7) o que se vê é um grande desinteresse pela eleição, com expressivos índices de abstenção. Nos dois grupos que, significativamente, mais se distinguem, vemos que votaram pelo SISBB 54,2%, do total dos que já votaram, enquanto no grupo da Internet(WEB+TAA) votaram, respectivamente, 32,7% + 13,1%, totalizando 45,8%. A abstenção total é de 50,2%.

Recordando que nos dois grupos, SISBB e Internet as preferencias fluem, respectivamente, para a Chapa 1, no SISBB, e Chapa 2, na INTERNET, é de se estimar que a situação da Chapa 2 não é animadora. Torço pelo contrário!

FATO RELEVANTE:
O Estado de S.Paulo
24 de julho de 2020 | 18h55
BRASÍLIA – O presidente do Banco do Brasil, Rubem Novaes, entrou carta de renúncia ao presidente Jair Bolsonaro e ao ministro da Economia, Paulo Guedes. A informação foi divulgada em fato relevante.
“Em conformidade com o § 4º do art. 157 da Lei nº 6.404, de 15 de dezembro de 1976, e com a Instrução CVM nº 358, de 03 de janeiro de 2002, o Banco do Brasil (BB) comunica que o Sr. Rubem de Freitas Novaes entregou ao Exmo. Sr. Presidente da República, Jair Messias Bolsonaro e ao Exmo. Ministro da Economia, Paulo Roberto Nunes Guedes, pedido de renúncia ao cargo de presidente do BB, com efeitos a partir de agosto, em data a ser definida e oportunamente comunicada ao mercado, entendendo que a Companhia precisa de renovação para enfrentar os momentos futuros de muitas inovações no sistema bancário”, diz o comunicado”

WILSON LUIZ disse...


EFEITO RETARDADO
O presidente do BB, Rubem Novaes, pediu demissão, deve deixar o cargo em agosto. Para mim, era crônica de uma demissão anunciada desde a fatídica reunião ministerial de 22 de abril, quando Novaes defendeu o Banco de uma colocação preconceituosa do ministro Guedes. O próprio ministro da fazenda está virando um ex-posto Ipiranga, não consegue apresentar um caminho para o Brasil encaminhar uma saída econômica pós pandemia, até o combalido PSDB o está zoando, chamando-o de “ministro da semana que vem”. Já não existem mais super-ministros na administração Bolsonaro.

Blog do Ed disse...

Será que a solução do atraso do Brasil é a privatização do Banco do Brasil? Custa-me acreditar.
Edgardo Amorim Rego

rafa disse...

Caro mestre Aristophones, ficamos deveras agradecidos com a deferência de suas sugestões adredemente substantivas.

A lembrança do Genésio ( art 11 da LC 109) é também interessante.

Não sei se o tal Fundo Soberano serviria para isso, ou as Reservas em dolar que o país dispunha em torno de US$350 bilhões pudessem ser utilizadas em última análise ...

O que sabemos é que o futuro só a Deus pertence!

Unknown disse...

...

SIGLAS PARA ENTERRAR:

PT PSDB PCC

https://faccaopcc1533primeirocomandodacapital.org/2020/06/05/pcc-pt-psdb-quem-e-o-pai-da-crianca/

Unknown disse...

BOM DIA.


Todo dia vem e-mail da chapa 1.


Em todos acessos ao TAA vem a opção de votar.


Mesmo depois de ter votado no primeiro dia.


Por que a Chapa 2 não envia?


SERÁ OBRA DO ALEXANDRE?


Ari Zanella disse...

Mensagem recebida de Ítalo Lazzarotto Júnior:

"Prezados apoiadores, bravos guerreiros e guerreiras que serão responsáveis pelo início das mudanças na PREVI. Hoje é domingo, dia de ligar para os amigos que não falamos a tempos.... Colocar o papo em dia e pedir apoio ao nosso projeto de Gestão, da chapa 2 MAIS UNIÃO!! Está será uma eleição inesquecível.... Muito trabalho e depois a vitória!!"

Petra disse...

Consórcio de grandes bancos está de olho na PREVI e BB DTVM
Por Blog Esplanada
Por Leandro Mazzini 24/07/2020 14:15:14

Home iG › Último Segundo › Colunas › Coluna Esplanada
Privatização do BB e carteira de investimentos estão na mira de instituições

Banco do Brasil
Foto: Agência Brasil
Banco do Brasil
Um consórcio de bancões privados está de olho na privatização do Banco do Brasil. Querem a BB DTVM, que administra mais de trilhão de reais em ativos – e no pacote a PREVI, o fundo bilionário dos funcionários, que investe em diferentes setores.

Luiz disse...

Vão passar o rodo com gosto de gás e a negociata do BTG Pactual, O Rubens Novaes já tirou o time, deve ter um destino incerto, tadinho de nós

Blog do Ed disse...

Não é hoje o último dia de votação para a diretoria da PREVI? Quando se saberá o resultado?
Edgardo Amorim Rego

Paulo César Fernandes disse...

Inacreditável, eles venceram outra vez!

antonia disse...

Chapa 1 venceu, como previsto.

Unknown disse...

E de goleada!

Aristophanes disse...

Infelizmente, comprovou-se o perfil estimado no Cenario I. Abstencao e desinteresse.Bola pra frente e boa sorte aos novos dirigentes

WILSON LUIZ disse...

10% É MAIS QUE 90%

Conforme previsto pelo Dr. Medeiros, a chapa 1, da situação e defensora dos interesses dos participantes do PREVI Futuro, venceu a eleição.

A PREVI deve ser a única “empresa*” do mundo em que “acionistas**” que representam 10% do “capital***” têm mais poder decisório que os detentores dos outros 90%.

Urgente se torna a divisão desta mega-empresa em duas, com administrações independentes.

*nosso fundo
**assistidos
***patrimônio

WILSON LUIZ disse...


MAIS IDEIAS DE JERICO

O governo está estudando permitir aos participantes de fundos de pensão que estão no regime de “contribuição definida”(PREVI Futuro), ainda não aposentados, efetuar saques do seu saldo individual, em situações específicas; estes fundos se tornariam um FGTSão.

De início, pode parecer tentador, é um troco a mais no orçamento, mas temos que lembrar de passados PDVs., dos que aderiram, quantos se deram bem? Na minha memória, conheço um em várias dezenas. Há que se pensar se compensa comprometer o futuro por uma pequena vantagem imediata.

Escrito por meu amigo ANÔNIMO AINDA EX-ENDIVIDADO

antonia disse...

A maioria votante foi do Previ futuro e como tenho um filho dessa categoria, ele falou que o pessoal prioriza os investimentos com seriedade de nossos recursos, que proporcionarão solidez do nosso patrimônio e continuidade do pagamento de nossos benefícios. Já os aposentados pensam mais em ES.

Paulo César Fernandes disse...

Caro Mestre, é frustrante constatar que ,mais uma vez, a parte mais interessada foi exatamente a que se omitiu. Por isso, 90% vai ter que continuar a se submeter a 10%.

Paulo César Fernandes disse...

É melhor ter olhos para ler isso do que ser cego.

Luiz disse...

Sou do plano 1, porém, concordo plenamente com os comentários de 28/07 das 07.15 hs

Blog do Ed disse...

Wilson Luís
Como você sabe, a Paicologia constata que o ímpeto natural é pela preferência pelo bem presente em relação ao bem futuro. E economistas colocaram esse fenômeno entre os fatos incontroversos de base de suas teorias. E esse fenômeno, crê-se, é uma das principais razões do fracasso econômico brasileiro: "o eterno país do futuro".
Edgardo Amorim Rego

Unknown disse...

...
BB e PREVI iludem os "laborais", utilizam seu voto para VENCER ILEGITIMAMENTE o Pleito para gerir o PB1 que não é deles.

... Paulo.

Os petralhas do PSDB PT PSOL Globo mandaram os velhos ficarem em casa.

Saiba que bem mais de 50% deles não acessa o site Previ no CEL.

Tudo programado para manter os Marajás SEM TETO.

E como ficou a TAC-PREVIC?

Será que o GM e AM estão engavetando?

E A ANABB... caladinha.

Queremos nossas 12 parcelas do BET - Contrato quebrado.

E OS 7,5 Bi do BB atambém.


Paulo César Fernandes disse...

Meu Caro, o gosto dessa derrota é insuportavelmente amargo. Além do que você comenta, e eu concordo integralmente, ainda nos aparece, coerente com o mesmo lenga lenga de 4 anos atrás, essa história de que só pensamos em Empréstimo Simples. Nos podemos pensar e esperar tudo , temos o direito por termos contribuído por décadas para isso.

Unknown disse...

Perfeita a colocação do seu filho!

Odilardo Carneiro disse...

Prezado Ary Zannela e demais coelgas,

Alguém pode explicar:

https://blogs.correiobraziliense.com.br/vicente/direcao-do-banco-do-brasil-sofre-derrota-na-previ-com-vitoria-da-chapa-1/