sábado, 21 de março de 2020

A MORTE EM TEMPO DE PANDEMIA


Amigo(a)s.
            A crise por que passamos, ao meu ver, é grave e sem precedentes. Tudo cabe ser avaliado, com realismo. É o que faço, no texto abaixo, que levo à apreciação de vocês. Abraço cordial. Aristophanes.
A MORTE EM TEMPO DE PANDEMIA
Aristophanes Pereira
         Todos nós, desde a concepção biológica, estamos marcados para morrer. Na verdade, a vida é a sala de espera da morte, com variadas arquiteturas e decorações.
         Adquirimos a percepção da morte, desde a mais primitiva agressão sensitiva que nos toque. Primeiro, sob a forma de reações puramente animais. Depois, pelas sensações defensivas de medos e impulsos, até alcançarmos a madura compreensão e o convívio com uma serena certeza da morte que, em situações críticas, alguns agoniados antecipam.
         São variadas as trajetórias, até a chegada ao ponto final, na permanente maratona de tantos competidores, que se revezam, em contínuas gerações. Percorrem trajetos alongados, caminhos com obstáculos retardatários, mas sem ultrapassar um tempo que a Natureza administra. O grande conforto é saber que não existem privilegiados, apenas raros longevos, que ficam um pouco adiante da grande maioria, ceifada em tempos de menor duração.
         O indecifrável mistério cósmico da vida e da morte, desde tempos imemoriais, produziu medos, perplexidades, dúvidas e convicções, por ignorarmos de onde viemos, e acalentarmos, pela fé, a esperança de um destino renovado, porém obscuro. Esse mistério, trabalhado por espertos xamãs e sacerdotes, autodesignados mensageiros divinos, produzem, em corpos carentes, o conforto da vida eterna, atraente habitat de almas premiadas e virtuosas. Para outros, agnósticos, contentam-se com a solução de um fim definitivo.
           Mantemos uma estreita familiaridade com a inevitável ocorrência da morte, e cultivamos um relacionamento pacífico e compreensivo com a malvada “Senhora da Foice.” Rotineiramente, ela age sem alarde: Ataca um coração debilitado, trava os freios do veículo, entope um pulmão enferrujado, ou derruba um avião. Na mortandade das guerras e dos desastres naturais, esconde-se nas estatísticas insensíveis. São fatalidades que aceitamos conformados, compreensivos e, muitas vezes, coniventes.
         Entretanto, quando a “velha senhora” quebra a regra da “morte natural”, e começa a matar, sem motivo pessoal e indiscriminadamente, qual terrorista ensandecido, espalha o pânico, o inconformismo e o desespero. Como já fez inúmeras outras vezes, aproveita a fraca memória, a imprevidência e a escassa solidariedade dos humanos. Agora, sua ceifadeira é um sádico e recorrente vírus da China, para maltratar e destruir homens, mulheres e crianças e suas construções econômicas e sociais.
         Estamos pagando um preço incomensurável e assistindo, em tempo real, com alcance planetário, um desastre impensável e sem precedentes, na forma e consequências. Vamos reconstruir, chorando a ausência de numerosos entes queridos, e seremos vitoriosos se a reconstrução melhorar, também, o Homo Sapiens.
Jaboatão dos Guararapes(PE), 20/3/20

12 comentários:

João Bedran disse...

Viva a vida. Mas, não espere a morte chegar!

Blog do Ed disse...

















Texto realista, escrito com beleza e clarividência.
Edgardo









Unknown disse...

A Previ podia não descontar o adiantamento do 13.

21 de março de 2020 22:07"

NÃO PODE SER DA FORMA QUE VOCÊ SUGERE.

EM ABRIL, A PREVI ADIANTA O 13. = 50% DO SB e DESCONTA O ADIANTAMENTO.
- não há descontos de IRRF, etc. sobre 50% do 13.

...

VOCÊ SOLICITA NOVO ADIANTAMENTO que será menor PORQUE
EM NOVEMBRO PAGA O 13.E DESCONTA:
- IRRF, CASSI, CONTRIBUIÇÃO EXTRA PREVI?(que vergonha);
- ADIANTAMENTO...


PODERIA:
- ELEVAR O ES PARA 180=190.000,00; e
- SUSPENDER 2 ou 3 PARCELAS DO ES.

NÃO FAZ PORQUE NÃO QUER - O ES REMUNERA O PB1 MAIS DO QUE RENDA FIXA.

Fernando Lamas disse...

QUESTÃO DE ESCOLHA!
Saudações cordiais a todos.
Caro Professor Ari, a vida interior, bem nutrida, afasta temer a morte física. Ainda, nesta geração QUE É IRREPETÍVEL, o Altíssimo, perfeito como é, permite-nos escolhas. Fechados os olhos, aqui, porém, abrir-se-ão, para a REALIDADE DEFINITIVA: vê-Lo, conhecê-Lo, amá-Lo e adorà-Lo, por inteiro. Mas, na realidade, já aqui, QUASE é possível viver essa glória, não fossem os obstáculos(Pecados!) que criamos, entre nós e o Pai-Eterno. Como é possível? Basta fazer como os "espertos sacerdotes" e todo um povo, uma Nação de incontáveis pessoas que abriram-se e aceitaram a verdade divina. De outro modo: FORAM DÓCEIS, como Abraão, à revelação salvadora da Escritura Sagrada. É uma questão de escolha e docilidade, aqui, até o último suspiro, nesta geração. Grato por tudo, Professor e que vivas tu e os demais colegas, na PAZ E NO BEM!

"O que os olhos não viram, os ouvidos não ouviram E O CORAÇÃO DO HOMEM NÃO PERCEBEU, foi isso que Deus preparou, PARA AQUELES QUE O AMAM."
1Coríntios 2

Paulo disse...

Preparem-se, vai ser a maior depressão do capitalismo desde a crise de 1930!Primeiro veio a peste, depois virá a crise econômica, os Estados nacionais entrarão em guerra, somente tolos não enxergam isso!

Paulo disse...

Empresários avaliam que a crise desencadeada pela disseminação do novo coronavírus provocará grande impacto no sistema de saúde brasileiro, mas os estragos na economia real serão muito mais profundos, com possibilidade de gerar um caos social no País. Eles pedem ações de grande impacto por parte da União.

O presidente da XP Investimentos, Guilherme Benchimol, disse que vê um risco de crescimento do desemprego para mais de 40 milhões de brasileiros em decorrência da pandemia do Covid-19. “É um número assustador”, disse hoje, 22, em uma live com outros empresários.

ctv-9hc-benchimol
Guilherme Benchimol, presidente da XP Investimentos, estima desemprego de 40 milhões de pessoas Foto: Tasso Marcelo/Agência Estado

“Eu vi hoje uma entrevista do presidente regional do Fed de St. Louis, James Bullard (banco central norte-americano), dizendo que a taxa de desemprego irá subir de 3% para mais de 30% nos Estados Unidos por causa da crise”, afirmou. “No Brasil, onde há mais de 10 milhões de desempregados, acredito que o impacto será muito maior”, disse.

Benchimol defendeu a criação de um plano Marshall - pacote de reconstrução da Europa depois da Segunda Guerra Mundial. “O que temos até agora de estímulos é uma gota no oceano. Tem de ser um plano de verdade, os números são assustadores, o buraco é muito mais embaixo”, disse. Na semana passada, a equipe econômica liberou um pacote R$ 147 bilhões em estímulos à economia, com mais R$ 55 bilhões anunciados neste domingo pelo Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) para ajuda às empresas e pessoas físicas.

Numa transmissão de duas horas pela internet, promovida pela XP Investimentos na qual participaram o presidente da CSN, Benjamin Steinbruch, o presidente da Eletrobrás, Wilson Ferreira Júnior, o presidente da Stone, André Street, o fundador da MRV, Rubens Menin, Benchimol cobrou medidas mais robustas do governo federal para evitar o alta do desemprego e do caos social no país. “O risco é aumento de pessoas passando fome e no número de assassinatos nos próximos meses.”

Steinbruch, Street e Menin também veem risco de paralisia da economia, principalmente das pequenas e médias empresas. "É preciso apoiar o comércio local. A cabeleireira, o dono de bar, o pequeno empreendedor já estão sentindo os impactos da crise", afirmou Menin, acionista da MRV, principal construtora do Minha Casa Minha Vida.

De forma geral, os empresários esperam uma mobilização nacional com ajuda do governo e do Congresso para que estimule medidas contraciclícas. "Sou liberal, mas é preciso medidas de apoio à economia", disse Street, da empresa de meios de pagamentos. Steinbruch espera que o governo amplie o prazo para pagamento de impostos e que já conversa com fornecedores para manter as atividades em funcionamento.

Em resposta ao aumento do número de desempregados no País, o presidente da Caixa Econômica Federal, Pedro Guimarães, afirmou que mais de 20 a 30 milhões de brasileiros serão impactados com as medidas atuais. “Provavelmente vai se precisar de mais e vamos ajudar. Já estamos postergando os pagamentos, reduzindo a taxas de juros”, disse. “Isso nos preocupa e um plano está sendo liderado pelo ministro da Economia, Paulo Guedes.”

Fernando Lamas disse...

NÃO TENHAM MEDO. EU ESTOU COM VOCÊS! (Isaías 43,5)
Caro Professor Ari e demais colegas, saudações cordiais. Discordo, parcialmente, estimado colega Paulo. De fato, até os mais experientes estão impressionados. Mas, colegas, mesmo em meio a muitos sofrimentos atuais, a humanidade evoluiu, as ciências todas evoluiram, as ciências econômicas aprenderam muito das crises passadas. Os governos das nações estão mais civilizados. Acredito que as nacões saberão conduzir bem essa nova crise até um fim rápido, para, depois, arrumar os incontáveis estragos. Para quem crê em Deus, vale lembrar que o Senhor está no meio de nós(Leiam Sofonias 3,14-20). Grato Professor e segue um esperançoso PAZ E BEM!

"(Na tempestade no mar)Os discípulos se aproximaram e acordaram: 'Senhor, salva-nos, porque estamos afundando!' Jesus respondeu: 'Por que estais com medo, homens de popuca fé?'. Jesus levantou-se, ameaçou os ventos e o mar E TUDO FICOU CALMO." Mateus 8,23-27

lourival josé do carmo rezende disse...

Bolsonaro suspende salários do trabalhador por 4 meses facilitando a vida do empregador. É o fim do mundo. Votei neste cara e me arrependi. Pimenta nos olhos dos outros é refresco. Queria ver ele ganhando míséria e ter seu salário suspenso. Logo logo vai ter invasão a Supermercados e no comércio em geral e o índice de crimes vai aumentar tudo por conta deste Governo.
Lourival

Lúcia disse...

Por favor! Alguém pode me tirar uma dúvida? O crédito de renovação do ES Previ entrou dia 20 de março junto com a prestação do ES anterior. Está certo? Essa prestação é devida? Ou deveria ser devolvida.

Agradeço

Cadé disse...

Caríssimo amigo Ari, como estão os teus problemas sem casa. Tua esposa tem reagido? Sempre lembro de vocês em minhas orações. Gostaria de saber se há alguma novidade em relação a suspensão do convênio INSS x PREVI, prevista para acontecer em junho.
Em tempo, considerando que o BC aumentou o encaixe financeiro dos bancos, via redução do depósito compulsório e a flexibilização de outras medidas (multiplicadores financeiros), que geram moedas fiduciárias e aumentam a liquidez dos bancos, e por extensão dos demais agentes econômicos. Diante deste cenário, há condições para que a PREVI conceda algum beneficio financeiro. Por exemplo, a antecipação do 13º da verba do INSS, em abril, suspensão por 3 meses das prestações do ES, alongamento do prazo de concessão, etc.
Por fim, é preciso que estejamos atentos a tudo isso. Porém, só adiantará se continuarmos "vivos". Portanto, nestes dias de "tempestades", devemos nos lembrar que o no Criador é também o criador do céu e da terra. Vamos evitar que fiquemos contaminados com tantas notícias sobre o covi-19. Hoje a mídia só trata deste tema, e as outras pragas foram dizimadas (dengue, h1n1, zika etc.). É claro que o isolamento social proporcionará, no mínimo, um ar melhor para se respirar. Haja vista, que ocorrerá a redução da nossa contaminação. Mas, como será que os nossos organismos reagiram depois? Além do mais, somos um país em que prevalece a desigualdades de rendas, e como ficam aqueles que não dispõe de sabão e nem de água encanada para lavar as mãos? Como ficar em casa morando em uma área pequena, que sequer comportar todos os membros da família? Fiquemos com Deus
Cadé

Ari Zanella disse...

Prezado amigo Cadê,

Sem novidades no tratamento da estimada esposa. Vai ser muito difícil reverter o quadro. Somente um milagre.
Quanto ao convênio INSS X PREVI penso que nas atuais circunstâncias será prorrogado até o final do ano. Tomara! Obrigado pelas orações. Tudo de bom! Glória ao nosso Deus bondoso e misericordioso!

Luiz disse...

O INSS vai antecipar o 13 50% em abril e 50% em maio, acredito que a previ vai creditar as antecipações, os benefícios nos pertence.