quarta-feira, 20 de novembro de 2019

AS DÚVIDAS NA CASSI E O FIASCO NAS ELEIÇÕES DA ANABB

A fim de tomar conhecimento para tomada de decisão a respeito da nova proposta para a CASSI, deparei-me com algumas dúvidas que gostaria se  possível esclarecer , e /ou A quem fosse indicado para tirar tais dúvidas, por não ter sido inserido na referida proposta o que segue:
 
a) O patrocinador deverá continuar com a contribuição normal de 4,5% e os aposentados e pensionistas deverão contribuir com 4% e mais 2% para a esposa e/ou companheira, e
 
b) Os funcionários da ativa irão contribuir com 4% e mais 1% para a esposa e/ou companheira.
 
Por ai já tem uma discrepância de contribuição entre aposentados e da ativa mas a dúvida persistente é se depois que os funcionários da ativa vieram a se aposentar, irão continuar  contribuindo com 1% para as esposas e/ou companheira, ou passarão a recolher também os 2%?
Esses valores a longo prazo, irão se refletir em muito no caixa da Cassi.
 
(Observações do Gilberto, de Capão da Canoa)
 
   Dúvidas que as alterações estatutárias suscitam, antes mesmo de serem votadas.
 
      Mas o dantesco ficou por conta da anulação da eleições da ANABB por erros de votação! O caso que veio à tona numa auditoria. Casos de votação em duplicidade, envelopes com internet...Só lendo no site da maior associação do nosso ramo. Deprimente!
 
 

21 comentários:

WILSON LUIZ disse...


CASSI & PREVI

Na consulta sobre a CASSI, voto SIM, não estamos mais na idade de “pagar para ver”. Confiar na justiça, como defendem alguns, é inócuo, a comunicação de eventual sentença favorável, na grande maioria dos casos, teria que ser entregue no jazigo dos beneficiários, alguns sepultados como indigentes, devido aos gastos excessivos com saúde, por não contarem mais com a CASSI (menos no meu caso, pretendo ser cremado).

Nem tudo é notícia ruim, o demonstrativo de resultados da PREVI informa que, em setembro, houve um superávit de R$ 703 milhões, elevando o acumulado para R$ 4.23 bilhões; se a carruagem da economia andar sem solavancos até 31 de dezembro, teremos garantido um 2020 sem aumento de contribuição.

sss disse...

Começo a acreditar que esse elemento que se intitula soupreviplano1 é um infiltrado. O meliante é totalmente do contra. Um verdadeiro C Â N C E R.

Unknown disse...

Amigos,
Vou votar sim, mas antevejo que está precisando passar um pente fino na Cassi.
Os salários, principalmente os da diretoria, são bem altos, padrão BB. Ora, os salários do Banco não devem servir de base para os salários da Cassi.
Precisamos também cortar custos pois, se não for feito, daqui a 2 anos estaremos discutindo Cassi novamente.
E o descredenciamento generalizado? Precisa ser visto.
Mas ninguém fala nada. Apenas sobre ANS e a necessidade de novos recursos.
Assim até eu, né?
Quero ver se essa diretoria é capaz de implantar um projeto austero, com contenção de custos.
Aí vai ser possível acreditar em um futuro para a Cassi. Mantendo o modelo atual, dificilmente a Cassi aguenta mais de 2 anos.
Mas,, nos moldes de hoje é fácil administrar a Cassi. Se houver déficit é só pedir que aumentamos noss contribuição. Como disse, assim é fácil administrar
Celio.

Blog do Ed disse...

Na política, na disputa pelo poder de comando de uma sociedade, o caráter da pessoa se revela!
Edgardo Amorim Rego

Anônimo disse...

INFORMATIVO ABRAPREV PARA A CASSI: VOTO “SIM” OU VOTO “NÃO”?

A responsabilidade pelos déficits da CASSI é exclusivamente do Banco do Brasil. No intuito de repartir essa responsabilidade com os associados, o Banco coloca em votação, pela terceira vez consecutiva, sua proposta de alteração estatutária que transforma o Plano de Benefício Definido em Plano de Contribuição Definida.
Isso porque, vigorando o Plano de Contribuição Definida, as mensalidades podem ser majoradas para cobrir eventuais deficiências financeiras, situação que inviabilizará a manutenção do plano por parte de milhares de associados.

A perda de direitos que está sendo proposta pelo Patrocinador-Empregador, em troca de adiantamento de receitas futuras e de outras compensações financeiras momentâneas, resolve o problema temporariamente.

Em 2021, senão antes, os déficits financeiros da CASSI voltarão a ocorrer e os usuários que não suportarem a elevação das mensalidades certamente irão engrossar a fila do SUS. É exatamente isso que vai ocorrer, considerando que não existe e não existirá plano mais em conta no mercado que ofereça os mesmos benefícios sem a contrapartida do Banco.

Para evitar o colapso da assistência à saúde, ao tempo que se objetiva assegurar a qualidade dos serviços prestados pela CASSI, a ABRAPREV disponibilizará, até final de janeiro ano de 2020, duas ações judiciais contendo pedido liminar para assegurar a não interrupção dos serviços.

Uma ação coletiva contra o patrocinador, na justiça comum, para que este assuma os déficits da CASSI a fim de garantir a perenidade da entidade, assim como a manutenção da qualidade dos serviços prestados. E, cumulativamente, uma reclamatória trabalhista individual para obrigar o Banco a custear a assistência à saúde, nos mesmos termos assumidos no contrato de trabalho/estatuto original, podendo ser protocolada por funcionários da ativa, aposentados e pensionistas, sem exceção.

Importante esclarecer que, se aprovado o “SIM”, a ação coletiva se torna inviável e enfraquece a tese jurídica da reclamação trabalhista. Justamente por isso, a ABRAPREV, com absoluta convicção, orienta o voto “NÃO”, POR SER A ÚNICA OPÇÃO VIÁVEL AO ASSOCIADO!

Não haverá custo para a ação coletiva, bastando que o interessado se associe até janeiro de 2020. A mensalidade é de apenas dez reais por mês, cobrada em boleto semestral de R$ 60,00 (sessenta reais). Para a reclamação trabalhista individual será cobrado uma mensalidade adicional de R$ 10,00 reais, também em boleto semestral, devida após o protocolo da ação. (Clique aqui para saber mais e para associar-se)
Para mais informações ligue (61) 3322 5434, 3326 1199, consulte o nosso site:
www.abraprev.org.br, ou dirija-se à ABRAPREV no endereço abaixo.

Brasília, 18 de novembro de 2019.

FAUSTO DE LIMA PEIXOTO- Presidente


Anônimo disse...

Em se tratando de ANABB, qual a surpresa...??? Ou será que já não lembram mais do passado dessa associação, envolvendo escândalos com seguradoras e outras coisitas mais. Já há tempo tô fora, essa, graças a Deus, não me representa mais.

gasampa disse...

Votei sim. Paz e Saúde a todos.

Anônimo disse...

CASSI - nessa proposta de alteração consta o artigo 86 mencionando o seguinte:

"Art. 86. Em caso de extinção da CASSI, o patrimônio remanescente
será transferido para o Banco do Brasil S.A., que deve aplicá-lo na
assistência a seus funcionários da ativa e/ou aposentados, bem como
aos beneficiários pensionistas que, na ocasião, estejam contribuindo
conforme previsto no Art. 14, através de destinação à entidade de
fins não econômicos."

Por esse dispositivo, entende-se que, caso ocorra o fim da CASSI, o BB DEVE APLICAR o saldo do patrimônio (se houver). na assistência dos seus associados.

Felipe Osório da Silveira disse...

Voltando a falar de ES, gostaria de saber se alguém ja fez a RENEGOCIAÇÃO de algum emprestimo e se depois dessa renegociação conseguiu contratar emprestimo novo? Olhei nos pedidos de renegociação que só pode contratar emprestimo novo depois de quitar o renegociado.

Anônimo disse...

Para mim é uma situação conflitante essa da Cassi, mas parece que a entidade está sendo oportinista nessa orientaçao para angariar associados, sabendo que estamos aflitos e com medo de perdermos definitivamente nosso plano de saúde. Votei SIM para não arriscar parar no SUS de imediato. Dqui a 2 anos veremos o que acontece, já que a privatização do BB , parece-me já decretada..

Anônimo disse...

Algum colega sabe informar se a CASSI vai disponibilizar prévia (%)do número de votantes?

Felipe Osório da Silveira disse...

Voltando a falar de ES, gostaria de saber se alguém ja fez a RENEGOCIAÇÃO de algum emprestimo e se depois dessa renegociação conseguiu contratar emprestimo novo? Olhei nos pedidos de renegociação que só pode contratar emprestimo novo depois de quitar o renegociado.

Anônimo disse...

Votei SIM para a proposta de alteração do estatuto da CASSI, por que dependo de sua assistência para manter a minha saúde, e embora tenha de pagar a mais por isso, o custo ainda é bem menor do que o de um plano privado.

Anônimo disse...

Já repararam que, ao se falar de superávit na PREVI, o alívio é de que possivelmente não teremos contribuição extra no próximo ano?
Ou seja, Distribuição de Superávit virou coisa do passado. Reverter os lucros em nosso favor não é mais a meta da PREVI. A partir de agora ficaremos mesmo muito felizes em não ter que pagar contribuição extra.
Mas que boa notícia, não é mesmo?.....

Soupreviplano1 disse...

Professor,

Só voto SIM se a Previ me devolver o BET que me retirou antes do tempo. Porém, se houver algum colega se incomodando com a minha posição, posso mudar de opinião sim, Claro! É só ir ao banco mais próximo e depositar mais ou menos 10 mil reais na minha conta, que imediatamente mudarei o meu voto em favor da BB/Previ. Simples assim.
Mas advirto: Só mudo de opinião quando os dez mil estiverem na minha conta.

Abraço.

Anônimo disse...

Colega Wilson,

A situação real da PREVI é deficitária e não é bem essa como você desenhou. Na verdade houve um superávit de R$ 803 milhões no mês de setembro/19, no entanto, como o fundo vinha carregando um déficit acumulado até agosto de R$ 2.994 bilhões, esse resultado positivo reduziu tal déficit acumulado até 30/09/19, para R$ 2.292 bilhões.

Quanto ao SUPERÁVIT ACUMULADO de 2018, de R$ 4.232 bilhões, posição estática, esta é uma informação basicamente gerencial, porquanto o resultado financeiro de 2018 já virou pó e o que tem peso contábil é o déficit do exercício em curso, que até setembro/19, é de R$ 2.292 bilhões.

Anônimo disse...

Sim Felipe a renegociação nada mais é do que quitar a anterior e receber o novo valor simultaneamente e depois de 6 meses podes novamente renovar e ou renegociar outro.

sss disse...

Esse cara é fake, pode incluí-lo

sss disse...

Que ninguém siga a orientação da abraprev de votar no NÃO. Naturalmente cada um é responsavel pelos seus atos, mas, neste momento, infelizmente, não parece viável, a ninguém, o voto NÃO.
Salvo engano, não me lembro de outras manifestaçoes dessa abraprev e essa em cima da hora, contrária aos interesses da maioria, parece muito temerária, cujo fim parece, também, tão somente de angariar associados.

Soupreviplano1 disse...

Meus amigos,
Gosto de acompanhar o blog do nobre e distinto colega Ari porque é um espaço democrático, muito democrático. Nele se lê de tudo, desde o mais sofisticado e sensato comentário a mais grosseira e atrevida consideração.
Exemplo de comentário grosseiro e atrevido: Classificar como MELIANTE quem insiste protestando contra a suspensão do BET, e também quem é a favor do NÃO, na na consulta da Cassi.
Sinceramente, comentário dessa ordem só pode advir de alguém esclerosado, que conquistou o direito de se aposentar justamente por ser portador dessa doença, esclerose múltipla do cérebro, ou por insanidade mental mesmo.

Obrigado

sss disse...

Nossa, que auto defesa mais ponderada. A sensatez entra e sai em qualquer lugar sem causar alarde. Um Homem sensato vale por dois, e até por dez, ainda que ele seja "esclerosado".