quinta-feira, 31 de outubro de 2019

CASSI, AGORA VAI?

Mensagem do presidente

Colegas,

A partir de hoje a Caixa de Assistência passa a divulgar os itens que compõem a proposta de recuperação da Instituição que será votada pelos associados. Uma proposta discutida com as entidades representativas dos associados, validada pela governança da CASSI, com a anuência do Banco do Brasil, que representa a entrada imediata no caixa, em dezembro de 2019, de R$ 1,06 bilhões, sendo:
  • R$ 588,1 milhões de contribuição por dependentes e taxa de administração pagas pelo patrocinador retroativas a janeiro de 2019;
  • R$ 24,9 milhões de contribuição por dependentes paga pelos associados, referente a dezembro de 2019;
  • e R$ 450,9 milhões pagos pelo patrocinador referente à liquidação antecipada das obrigações do BB com o Grupo de Dependentes Indiretos.
A proposta que irá à consulta traz também avanços significativos em relação à proposta aprovada em maio de 2019 pela maioria dos votantes (55,4 mil pessoas), mas que não atingiu o quórum de dois terços para ser implementada. Entre eles:
  • exclusão do piso mínimo de R$ 50 reais por dependente, beneficiando mais de 40 mil associados;
  • retroatividade a janeiro de 2019 para as contribuições por dependentes apenas para o patrocinador, sem onerar associados que pagarão a partir de dezembro de 2019;
  • manutenção da redação vigente de artigos sensíveis aos participantes, como o Artigo 83;
  • restrição do voto de decisão do presidente a assuntos estritamente administrativos para o funcionamento do dia a dia da CASSI;
  • ampliação do prazo para os candidatos a diretor e conselheiro comprovarem a experiência exigida, passando a valer agora a data da posse e não mais da candidatura;
  • manutenção das atuais diretorias de eleitos, adicionando a responsabilidade e funções de risco populacional.
Além dos novos recursos que entram no caixa da CASSI em dezembro, a aprovação da proposta traz, de maneira permanente, ingresso de valores importantes para a Caixa de Assistência, uma vez que fica definida a contribuição por dependentes, tanto por parte do patrocinador quanto por parte dos associados. Lembrando que esses valores não têm destinação específica e serão utilizados para prestar assistência a quem precisa. A única contribuição que ficará limitada à 2021, será a taxa de administração cobrada do patrocinador, no período de janeiro de 2019 a dezembro de 2021, uma conquista importante que contribui para a recomposição do caixa da CASSI.

Importante destacar que a votação, a ser realizada entre os 
dias 18 e 28 de novembro, acontece no momento mais delicado da história da CASSI. Isso porque, por determinação da ANS, a Caixa de Assistência tem até o dia 22 de novembro para elaborar um programa de saneamento que reverta todos indicadores em desconformidade que originaram a direção fiscal, e que representavam no balanço de agosto:
Tal programa deverá conter medidas factíveis e que estejam devidamente explicadas e evidenciadas em projeções que demonstrem, mês a mês, como ocorrerá a recuperação. Além disso, é preciso lembrar que termina em dezembro o Memorando de Entendimentos, o que representa R$ 50 milhões em média a menos no caixa da Instituição a partir de janeiro de 2020.

Diante do cenário apresentado, a aprovação da proposta é a alternativa viável para a CASSI continuar cumprindo sua missão de assegurar assistência às 400 mil vidas que hoje dependem do Plano de Associados.

Assim, convido a todos que acessem o hotsite #futuroagora (www.cassi.com.br/futuroagora), um espaço exclusivo com todas as informações para o entendimento da proposta. No app ou site da CASSI será possível também verificar a simulação da sua contribuição atual e de quanto seria com a aprovação da proposta. Se ainda restar alguma dúvida, procurem esclarecimentos nos canais oficiais da CASSI ou via email para propostacassi@cassi.com.br.

Somente com o apoio de cada um de vocês, associados, será possível vencer esse desafio e dar sequência ao trabalho de recuperação das finanças e de melhoria do modelo de assistência à saúde.

Atenciosamente,

Dênis Corrêa
Presidente da CASSI

20 comentários:

Ari Zanella disse...

Gostei da proposta. Não podemos desperdiçar mais essa chance. Vamos votar maciçamente no SIM. Amém?

Adaí Rosembak disse...

Caro Ari Zanella,

Também gostei da proposta. Até que enfim vai acabar esse blá-blá-blá sem fim na rede sobre esse assunto.
Não existe solução perfeita.
Mas essa foi a melhor até agora.
Também vou reproduzir essa nota em meu blog.

Abração

Adaí Rosembak

Trader anônimo disse...

‪Trader anônimo‬ disse...

Prezado Genésio,

Por meio dos números acima calculamos que a posição em ações BB ON do fundo Previ em agosto / 2019 é de aprox. 45 % em relação a 31/12/2015. Temos motivos para aplaudir tal política! Entretanto, receamos que no caso da Vale a política não foi a mesma...



Trader anônimo

31 de outubro de 2019 13:22

(Blog do Medeiros)

Cadé disse...

Professor Ari, acredito que se trata de uma boa proposta. Porém, concomitantemente, com implementação das novas regras, é imprescindível uma mudança de comportamento dos nossos associados. Afinal! Todos nós somos responsável pela "saúde" financeira da CASSI. Por fim, devemos incentivar aos "acomodados" a votarem. Deus nos proteja, hoje e sempre.
Cadé

Adairton Campêlo disse...

VAMOS JUNTOS PELO SIM! é A MELHOR PROPOSTA APRESENTADA E NÃO PODEMOS DEMORAR MAIS! SIM! SIM!

mauricioviviani@uol.com.br disse...

Proposta Cassi, aumento da contribuição, sim, alteração do estatuto por menor que seja, NÃO. Meu voto será NÃO, de novo.

Maurício Viviani
7.060.360-X

Unknown disse...

Ari e amigos,
Também gostei da proposta.
Agora, como seu blog é visto por muitos, um problema grave da Cassi é o descredenciamento.
Ha uma falta generalizada de médicos credenciados..
Isso nos obriga a ir nos prontos socorro dos hospitais ou ligar para a Cassi solicitando a garantia de atendimento, ficando um longo tempo no telefone.
Ambos os casos oneram os custos da Cassi.
É preciso resolver isto também. O problema financeiro causou muitos problemas operacionais. Outro senão é o 0800 da Cassi. Haja paciência.
Celio

Miro disse...

Surpreendeu-me! Esperava o pior! Votarei SIM novamente. Que os votos de protestos se transformem em votos de consenso. Não questiono as reinvindicações, mas cada coisa no seu tempo e no seu contexto.

Ivan Rezende da Silva disse...

quem recebe 7 mil vai pagar 280 para ele e 140 para o cônjuge....420 no total. E ainda podem receber medicamentos, talvez com custos superiores ao que pagam. E olha que é a grande maioria.

antonia disse...

Finalmente um luz no fim do túnel. Vamos votar SIM.

Paulo disse...

Se eu morasse, nos EUA, Canadá, Reino Unido jamais apoiaria tal medida, confiaria na celeridade da justiça, nos juízes eleitos ou concursados, na limitação do trâmite a duas instâncias, em uma justiça justa e órgãos fiscalizadores capazes, sem indicados políticos e inertes, ávidos apenas com os pomposos salários.Vou de, sim, porque moro nesse paiseco, de povo que gosta de carnaval e bebedeira.Não, senhores, eu não passo panos!Não sou isentão!Meu voto é sim, porque a situação da CASSI a depender dos lobos vorazes que o comandam, ela irá à bancarrota e u sucumbirei juntamente!

mauricioviviani@uol.com.br disse...

Já observaram as duas últimas linhas das "Outras Medidas". Quando partirmos, a viúva ou viúvo, arcará com a parte do BB tbm? E, não tem nada sobre cooparticipação, e aí?

Maurício Viviani

sss disse...

Você está no seu direito, mas espero que seja minoria, e arrasadora.

Unknown disse...

Votar cegamente não...

Soupreviplano1 disse...

A proposta é boa, mas poderia ser melhor se previsse o afastamento de toda a atual diretoria, com a realização imediata de novas eleições.

Abraço

Unknown disse...

Claro que temos que votar sim.
Mas sei de enes médicos e clinicas que já deixarem a Cassi de lado.
Tá muito difícil achar um médico que atenta por esse plano. As vezes me obrigo a ir a um médico particular.

Paulo disse...

Nunca vi o Guloso fazer nada benéfico para aposentados, a exceção do Renda Certa.
Acho que o SIM leva por conta do terrorismo espalhado.
Ótimo caminho para a privatização, que a meu juízo é inevitável.
Espero que respeitem as opiniões com cordialidade.

Miro disse...

Acho que a vitória do Não culminará com a liquidação da CASSI. A privatização do BB, o fim da PREVI e da CASSI não fogem da máxima de que tudo tem início, meio e fim, inclusive as nossas vidas, que já estão no terceiro estágio. Assim, vamos procrastinando as etapas desse processo que, em nosso contexto e considerando a nossa faixa etária, o voto pela aprovação das alterações estatutárias, apesar de desvantajosas, dará um pouco mais de sobrevida à CASSI, e por conseguinte, assistência à saúde mais digna do que a do SUS, talvez até a transição de muitos para o outro plano.

rubens goulart disse...

Colegas aposentados e pensionistas, vamos atentar, desta vez o voto do SIM, senão a Cassi tera problemas de continuidade, vamos viralizar, colegas, é o futuro de nosso plano de Saúde, mesmo não sendo aquela situação que quewríamos. Tudo de bom a todos e vamos refletir muito sobre o voto do SIM...

Unknown disse...

Sinto falta de um parecer de advogado independente, para decidir. Não sei por qual razão a ANABB não nos oferece uma avaliação seria e o dependente para decidirmos com mais convicção. Chega de "especialistas" dando pitacos e querendo "fazer a cabeça" nossa, sabe-se lá com quais intençoes.