BANNER

Acesse aqui!
atendimento@anaplab.com.br
Joinville/SC: (47) 3026-3937
S.J. Pinhais/PR: (41) 3035-2095

segunda-feira, 3 de dezembro de 2018

DEVOLUÇÕES DA CESTA E CERTEZAS

    O meu grande colega Gilberto, gaúcho de quatro costados, me relata um entrevero que trava com o nosso fundo de pensão por conta da devolução da malfadada cesta alimentação. Disse que foi obrigado a recorrer à Ouvidoria porque a PREVI insistia em lhe cobrar juros nas parcelas de devolução da cesta, embora, a decisão judicial contivesse esta ressalva de não cobrança de juros. Depois de várias reclamatórias ao fundo, finalmente agora, com a intervenção da Ouvidoria, a questão vai se normalizar. Esta devolução deveria ser simples: Devolve o que foi pago, nas mesmas condições recebidas e ponto final.
      Das deduções do Rossi fica a certeza de que a cobrança de contribuições normais é ilegal. Está se utilizando subterfúgios não previstos no regulamento para angariar recursos preventivos tanto do associado quanto do patrocinador. O que é estatutário são as contribuições extraordinárias que ocorrem quando há déficit e houver necessidade de equilíbrio do plano onde todos são chamados a recompor. As explanações detalhadas estão na postagem anterior. Se não leu, por favor, leia.
      Desta dedução atrela-se a imediata desconsideração dos valores cobrados das contribuições pessoais para auferir margem consignável no empréstimo simples. E o ES tem que mudar para novos parâmetros já! Duzentos mil de limite e duzentos e quarenta meses de prazo. Sem mais nem menos. Cumpra-se.
O BOM SENSO TERIA SIDO UTILIZADO SE FOSSE CONCEDIDO, LÁ ATRÁS, O BENEFÍCIO PECUNIÁRIO PARA TODOS. PARA OS MENOS AQUINHOADOS SERIA UMA JUSTIÇA SOCIAL.

52 comentários:

Anônimo disse...


ARY,
Bom dia!

"...Para que a coisa não fique só ao nível de blog e que a denúncia não caia no esquecimento e se torne palavras lançadas ao vento, sugiro encaminhá-la para a PREVIC, para a Presidência da PREVI e para o setor jurídico que presta serviços ao Ari, com vistas a aprofundar estudos, com base nos subsídios técnicos e jurídicos, aqui reunidos, para ajuizar ação contra a cobrança contribuição dos aposentados...."

Reproduzindo o acima efetuado na postagem anterior pelo Dr. João Rossi e alinhando-me integralmente com o seu entendimento e aconselhamento, penso salvo melhor juízo que o departamento jurídico da ANAPLAB poderia iniciar de forma "urgente" os procedimentos para ajuizar contra a PREVI uma AÇÃO CIVIL PÚBLICA ou outra, solicitando tutela antecipada de urgência para a suspensão imediata dos descontos das contribuições mensais dos jubilados com a consequente devolução corrigida do que foi descontado acima das 360 contribuições, haja vista que na Previdência Pública - (INSS) inexiste tais descontos, tendo em vista os argumentos convincentes do seu excelente arrazoado.
Aguardando!
Abs.

Anônimo disse...

Prof Ari. Bem dito "CUMPRA-SE".
É o que venho comentando em algumas oportunidades, inclusive aqui neste precioso espaço que temos.
Precisamos deixar de "pedir" , de "implorar", como meros contribuintes sujeitos ao beneplácito de algum diretor de plantão. Agem como se fossem os donos exclusivos do fundo e nós os minoritários na mais ínfima das escalas .
Precisamos fazer ver que somos todos associados em igual importancia. Não é porque uns foram agraciados com AP maior ou titulados com algum cargo no fundo que tem mais direitos. Já chega o alto salário e o bônus.
De futuro, devemos ser mais incisivos.
Por oportuno, PLP 268.

Anônimo disse...

Carta encaminhada ao Globo sobre privatização da BB DTVM

Senhor Editor,

Na leitura de hoje de O Globo, deparei-me com a notícia de possível privatização da BBDTVM, subsidiária do Banco do Brasil, pela futura gestão do então indicado para Ministro da Fazenda, o Sr. Paulo Guedes. Outras noticias sobre o mesmo tema, abrangendo outros segmentos da Instituição, também têm sido alentadas pela imprensa.

Ora, difícil fazer tais anúncios sem sequer saber o que são e o que significam estas instituições para o próprio governo. Paulo Guedes, e assim o trato, porquanto ainda não empossado ministro, evidentemente não se debruçou sobre estes casos, e seus prepostos indicados não tem a menor ideia do que estão a tratar. O BB após a capitalização de 1995 foi orientado a sobre viver sem recursos do Tesouro e a ser competitivo entre seus pares. E nessa orientação criou um dos maiores conglomerados bancários brasileiros, sem deixar de atender a sua função de banco público, consubstanciada basicamente na oferta do crédito rural e no desenvolvimento do país, via abertura de agencias bancarias em locais não atendidos pela rede privada e como agente de políticas públicas. Portanto, criou suas subsidiarias de cartões, de gestão de ativos, enveredou pelas sociedades na área de seguros, de capitalização e outras atividades, todas exitosas. Com raras exceções, esta instituição bicentenária não é a líder de todos os mercados onde atua. E mais, não é sustentada pelo Tesouro. Seu custeio de pessoal e seus investimentos são providos pelas receitas advindas de seus negócios. É agente financeiro de fundos e programas de governo, cobrando tarifas compatíveis com as exercidas em mercado, sem qualquer favoritismo.

Essa política liberal ampla, geral e irrestrita que o futuro governo apregoa chega a ser irresponsável. Não se privatiza por privatizar. Se privatiza com um direcionamento definido, estudado e claro para a população. Por enquanto não se vê seriedade no tratamento do tema. Apregoa-se que foram criados inúmeros cargos com altos salários para privilegiar a casta política anterior. Errado. Podem ter tido proveito, mas a estrutura de cargos e salários do BB começou a mudar em 2001, fruto da necessidade de reposição de salários, congelados desde 1995 e como forma de retenção dos bons técnicos. Todo o corpo de diretores é por força estatutária composta de funcionários da casa, assim como os cargos de Vice-Presidentes e Presidente, com exceção de duas posições que podem ser ocupadas por terceiros, fruto da gestão Dilma, que precisou acomodar aliados.

Agora, se a idéia é ampliar a concentração dos bancos privados e deixar para o BB as tarefas menos "rentáveis, será um grande retrocesso para o próprio governo, o maior beneficiado pelos polpudos dividendos gerados.

Em 1999 representei o BB no COMIF Comitê das Instituições Financeiras Federais, instituído no âmbito da Fazenda, para discutir a sobreposição de funções dos bancos públicos federais - BNB, BASA, CEF, BB. Não houve uma segunda reunião. E acho que antes de se falar em privatização, este é o ponto que deve ser revisto. Sobreposição que gera concorrência predatória entre os agentes , agravada pelo fato da CEF ter começado a ingressar em mercados altamente competitivos sem talvez estar preparada para tanto, tornando-se um possível centro de custos, já que, contrariamente ao BB, é uma empresa 100% pública.

Exerci minhas funções no BB por quase 35 anos, Participei da reestruturação de 1995, onde um novo banco começou, fui Superintendente Executivo de Governo, Diretor Executivo da BB DTVM, onde atuei por 6 anos e do Fundo de Pensão dos Funcionários do Banco do Brasil. Sei e conheço o que falo.

Nélio Henriques Lima

Rua Barão da Torre 533/202 Ipanema

Tel. 22087616

Abraços
Nélio Lima

Anônimo disse...

Emérito Professor ZANELLA:


Essa PREVI é um "eterno" "Pomo da Discórdia". Causou uma rusga (que espero, não seja profunda), entre dois de nossos maiores Titãs. Ambos têm razão e respeito de todos nós e, não custa nada que o ESPÍRITO DE NATAL prevaleça e eles voltem a DAR AS MÃOS, como gentis amigos que sempre foram.

Ari Zanella disse...

17:03

Assim também espero.Paz meus amigos...Paz, Paz, Paz...E que os anjos digam Amém!!!

Anônimo disse...

Caro Professor não seria o caso do nosso Dr Medeiros abraçar esta causa da postagem do Dr Rossi e entrar com uma ação judicial para que a PREVI, após o resultado final de 2018, suspenda as contribuições extraordinárias? É assunto afeto ao dia a dia dele e o Dr Rossi poderia municiá-lo com dados e normas do regulamento da PREVI. Acho que chegou o momento de darmos um basta e confrontar a atual diretoria da PREVI quanto a que se cumpra o que está no regulamento e nas leis que tratam da matéria. E concordo com o que muitos aqui já disseram que tinhamos que conseguir leva até o Bolsonaro como nos tratam na PREVI. E, para finalizar, não aguento mais ver postagens de pessoas que até nem postavam por aqui antes e agora aparecem para defender o BB ou suas subsidiárias de eventual privatização. Pedro.

Anônimo disse...

Prezados,

Ouvi dizer que os dirigentes recebem os Bônus, ou seja lá o nome que derem, inclusive sobre essa arrecadação, após os 360, imoral.
Se é sobre os resultados acredito ser verdade...

Blog do Ed disse...

Caros amigos,
Nnada tenho contra o colega Rossi. Permanecerei aqui, como sempre fui conhecido, proferindo minhas opiniões, até com timidez. Perguntem aos colegas que me ouviram falar em público. Vocês leiam o que foi escrito. Julguem quem provocou e foi descortês. Procurei contestar de forma impessoal e até contratitando diretamente o querido e emérito diretor Aristophanes. Interessante que o Ari leve esse argumento do Rossi ao jurídico de sua associação. Estou curioso por saber a opinião dele.
Edgardo

Anônimo disse...

Prezados colegas, em especial, neste momento, aos Srs. Edgardo e Dr. Rossi.
Estamos atravessando um mar revolto, é um momento de grandes dificuldades,por isso temos que remar juntos, unir nossas forças e se utilizar de grande sabedoria e estudo das leis, estatutos etc... O trabalho do Dr. Rossi é esplendoroso, embora sua cultura e conhecimentos jurídicos sejam indiscutível, tenho certeza que demanda tempo e dedicação.O Sr. Edgardo pela sua vivência, conhecimentos e participação ativa nesse blog nos deixam orgulhosos de termos colegas desta extirpe. O Sr. Aristophanes nos traz a cada inserção, comentários consisos e consistente pela sua grande experiência e sabedoria. E tudo isto, nos leva à uma esperança que possamos ter dias melhores com e com nossos direitos recuperados.
Vamos neste momento especial que é final de mais uma jornada em vesoerv de Natal, nos unirmos e irmanarmo-nos dando e recebendo perdão para vencermos mais esta batalha.

Anônimo disse...

NB. Escusas: véspera

Ari Zanella disse...

Já está sendo estudada pelo nosso departamento jurídico se cabe ou não ação judicial neste caso. Em toda ação judicial é preciso agir com extrema cautela.

Anônimo disse...

Ao Colega anônimo das 17:43hs

Não são contribuições extraordinárias, são as contribuições normais mesmo!!!


Claro que com a devida cautela e em sendo possível, há que se mover uma AÇÃO contra a Previ, com tutela antecipada de urgência para a devida suspensão das contribuições normais de todos os jubilados e ao mesmo tempo em que deve ser solicitada a devolução de todas as contribuições acima das 360, com as devidas correções dos valores.
O nosso BENEFÍCIO MENSAL está sofrendo redução devido ao desconto destas contribuições e todos estamos passando batidos dia após dia, até mesmo porque ignora-se o direito! Então por isto tem-se esta máxima:

DORMIENTIBUS NON SUCCURRIT JUS!
(O DIREITO NÃO SOCORRE AOS QUE DORMEM!)

COM A DEVIDA CAUTELA, VAMOS AGILIZAR!!!
VAMOS TOMAR PROVIDÊNCIAS URGENTES!!!

Ed e Rossi, todos precisamos de vocês dois.
Vamos todos somar e olhar o conjunto para o benefício de todos os jubilados.
Quebra-se um graveto mas não se quebra um feixe!
Grande abraço a todos!

João Rossi Neto disse...


Caro Ari, foi ótima a sua ideia de encerrar a repercussão do post anterior e começar outro, porém, a estratégia amenizou, mas não surtiu o efeito integral desejado, qual seja, o de por termo à pendenga.

Prometo que da minha parte vou encerrar a discussão, sendo essa a minha última manifestação sobre o assunto, porque não posso deixar passar em branco a insinuação que o Edgardo fez em 3/12, às 15:04,

Edgardo,

Vou desculpá-lo por mais esse atrevimento e pela tentativa de nova ofensa gratuita, sorrateira, subliminar, doidivanas, covarde e maldosa, de desejar doença para o próximo, coisa que só poderia sair de uma cabeça senil e cérebro enferrujado como o seu, caso de perda total, que nem a psiquiatria investigativa de fenômenos esdrúxulos aceitaria para estudos, por se tratar de investimento sem retorno.

A sua demência é tão profunda que a fala já é desconexa, sem sentido e certamente está “mijando” (peço desculpas pelo termo chulo) no que é seu, ou seja, nas botinas.

Por ser concernente ao seu caso, tome cuidado com a esquizofrenia, doença sem cura que surge de forma súbita.

Peça aos parentes e amigos que fiquem atentos ao aparecimento dos seguintes sintomas:

Delírios, alucinações, pensamento desorganizado, alterações do comportamento, com surtos psicóticos, agressividade, agitação e risco de suicídio; falta de atenção e concentração, alterações na memória, surdez, ilusões, comportamento antissocial e perda de motivação.

A sua conduta recalcitrante denota que você é um potencial detentor de vários desses distúrbios.

Tem cobra peçonhenta que, mesmo com a cabeça decepada, nos estertores, ela ainda morde e injeta veneno, instinto maligno semelhante ao seu.

Em sinal de grandeza, admita com humildade os seus erros e penitencie.Errar é humano e todos nós somos falhos. Para que se aquiete e pare com essa lamúria e aflição sem fim, vou dizer que você é que está certo em tudo que escreveu. Se iludir a própria consciência o satisfaz, então está feito. Estamos combinados agora.Não queria ficar sossegado, como pediu, por que está chafurdando tudo de novo?




Aristophanes disse...

Prezados colegas e amigos.
Entrei no assunto, opinei e, involuntariamente, fui arrastado para o campo de batalha, entre dois aguerridos gigantes lutadores. Tomei partido e fui agraciado por um deles, com compreensão. O outro me poupou, por antigos méritos e por alianças pretéritas, respeitosas e inabaláveis.
Depois, revendo os estragos incruentos, apenas me convenci de que, “em casa que falta pão todos brigam sem razão”.
Por credenciais de que desfruto, em ambos os lados, e por um mínimo de acatamento, que possa merecer, de cada parte, peço PAZ INCONDICIONAL, PARA A UNIÃO CONSTRUTIVA. Ou vai prevalecer a conclusão melancólica do Pregador, no Eclesiastes(1.2) ?!

Pétrea disse...

Pois é
Se o judiciário merece reparação de seu salário, nós também merecemos. Inclusive nossa cesta alimentação q nos foi tirada depois de uma reunião secreta entre juízes e agentes do governo Lula. Lembram-se?
Já havia jurisprudência de mais de 30 anos e mesmo assim, mudaram. Prejudicando ainda mais os aposentados.
Ueé! Nosso plano não está bem consolidado como eles pregam?Precisam da nossa fatia do bolo? Cesta alimentação e bets?

Anônimo disse...



Nao acredito que voce escreveu o que escreveu Joao rossi. Nao posso acreditar.

Claudia do rio

João Rossi Neto disse...

Caro Ari e colegas,

CONTRIBUIÇÃO DE APOSENTADOS

Por alguma razão forte, que nós não sabemos, a Diretoria Executiva, como boa samaritana, acertou em cheio na medida e em 01.04.2006, autorizou a redução da contribuição dos aposentados, de 8% para 4,8%, o que equivale a um desconto de 40%, o que foi um alívio na carga tributária. Não deixa de ser uma evidência incontestável de que ela era exorbitante.

É lógico que isso foi feito depois de longos estudos, onde deve ter prevalecido a tese de que a contribuição dos assistidos é dispensável. Nem mesmo na concessão das regalias, a Diretoria Executiva abre o jogo para esclarecer os motivos que deram vazão ao benefício, deixando a desejar no antigo problema da transparência.

Depois de quase treze anos após o fato relevante trazido a lume, por que não tomar a iniciativa agora e fazer de ofício, a extinção da cobrança da contribuição dos aposentados e zerar os 4,8% em vigor?

A oportunidade é ímpar e oportuna, dado que o fundo de pensão
está com superávit robusto e não carece desse aporte adicional da contribuição para ajudar a cobrir gastos de custeio. Demais disso, a dita contribuição não constitui nenhum tipo de reserva para os assistidos. Louve-se a isenção das pensionistas em relação a essa obrigação financeira.

Anônimo disse...

Que loucura essa briga

Anônimo disse...

PROFESSOR,
VENHO SUGERIR-LHE UM CESSAR-FOGO. NÃO PUBLIQUE MAIS NADA OFENSIVO DE NENHUM DOS LADOS. AGRADEÇO SE ACATAR A MINHA SUGESTÃO.

Anônimo disse...

Prof. permita-me repetir a pergunta que já fizerm aqui aqu: Para que mesmo criaram mais duas modalidades no ES? Teria sido pa humilhar aida mais o aposentado que esta atolado em dividas? Aho que sim. Tentei fazer um novo empréstimo e me apareceu a intimação que so podia fazer no valor de R$ 0,75 (setenta e cinco centavos) . Isso é ou não é deboche?

marcelino maus disse...

Ao Senhor Edgardo:

"Estou aqui a mando do Ministro Delfim Neto, para integrar a missão brasileira que está no Japão..."

Aproveitando seu honorável trânsito nos anais do poder, gostaria que V.Sa. indagasse ao famigerado DELFIM:
- onde estão os R$5 trilhões(*) de Reservas de Contribuições da PREVIDÊNCIA PRIVADA-INSS;
- por que o DÉFICIT DA PREVIDÊNCIA OFICIAL (FUNCIS FEDERAIS) engoliu essas reservas;
- por que o déficit da Previdência depende da arrecadação mensal (DEVERIAM CONSUMIR AS RESERVAS);

E, o principal: os Benefícios de Aposentadoria do INSS e GOVERNO deveriam ser pagos com RESERVAS MATEMÁTICAS como no caso da PREVI, se há déficit, REDUZA-SE o Benefício, lembrando que as Aposentadorias dos CONTRIBUIENTES do INSS não geram DÉFICIT.
- A ASSISTÊNCIA SOCIAL e os APOSENTADOS FEDERAIS é que desequilibram a Balança.

(*) R$5 trilhões para mais de 50.000.000 de contribuientes (2 s.m.) , equivalem com folga aos R$150 bi da PREVI para 100.000 contribuintes.

Então vejamos:

PARTICIPANTES INSS x PREVI = S.M. = BASE SALARIAL MENSAL:

a) 50.000.000 x 1.800,00 x 2 = 180.000.000.000,00 (base mensal: 2 s.m.+cota patronal).

b) 150.000(**) x 9.000,00 x 3(***) = 4.050.000.000,00 (base do BPB1 mensal + 2 cotas patronais).

OBS:
para segurança da comparação utilizo dados superavaliados no item “b”:
- ** universo atual e pregresso dos carnados e desencarnados da PREVI.
- *** TRES cotas, considerando a 3ª. paga (ou não) pelo BB.

RESERVAS PREVI:
150.000.000.000,00 / 4.050.000.000,00 x 180.000.000.000,00 = R$6.666.000.000.000,00;

RESERVAS DO INSS:
R$6.666.666.000.000,00 = seis trilhões... deveria ter boa parte guardada.

VEJAM O INSS em NÚMEROS:
https://www.anasps.org.br/grandes-numeros-da-previdencia-social-9/


Por isso afirmo: Os Marajás do Governo Federal, o DELFIM e o SIMONSEN comeram a grana do INSS, achatando salários da “FAZER O BOLO CRESCER” .

https://g1.globo.com/economia/noticia/previdencia-perdeu-11-milhao-de-contribuintes-em-2017-aponta-ibge.ghtml

E o boi põe a culpa na piranha (Geisel).

https://www1.folha.uol.com.br/poder/2014/04/1436007-quem-quebrou-o-brasil-foi-o-geisel-aforma-delfim.shtml

Anônimo disse...

Prof Ari Zanella bom dia.tem que cessar é esse anônimo das 23:01,deve ser um infiltrado do lado do diretor de seguridade.

João Rossi Neto disse...


Caro Edgardo,

Acho que os colegas têm razão. Essa nossa discussão áspera foi além da conta. Eu também não tenho nada contra você, sei da sua luta e da sua dedicação à causa, certamente por tempo superior a minha, tenho informações sobre a sua honestidade, competência, lealdade e lhe peço sinceras desculpas.

Retiro tudo o que disse, ao tempo em que vou esquecer o que falou a meu respeito. Não me interessa saber, quem começou o quê.Entre nós têm que reinar a paz, o respeito, a cordialidade, a boa convivência e guardar as nossas energias para assuntos mais importantes. Penso que ambos erramos e temos o direito de nos arrepender e começar tudo do zero novamente, apagando esse lamentável episódio das nossas mentes.

Anônimo disse...

Totalmente desnecessário, agressivo e ofensivo o comentário das 21:01horas, de 03.12.18, enviado por um dos melhores articulistas que aqui posta os seus comentários.

Cade Araujo disse...

Amigo Ari, o momento é de unirmos forças e não dividi-las. A paz, a harmonia e a prudência deve ser as nossas companheiras neste momento. Seria oportuno fazermos pressão para que os administradores da previ estabeleça os parâmetros de 200 x 240 meses para o ES. Haja vista que com a criação dos novos empréstimos (C e D), até os ajustes no sistema seria mais rápido. Com isso teríamos um final de ano mais digno. Pois, todos nós ainda temos nossos sonhos.

Deus abençoe a todos nós

Cadé

Anônimo disse...

Caro Sr.Doutor Rossi,

Tenho respeito pelo Sr., mas por favor, peço encarecidamente que use as palavras com altivez, pois determinados termos podem evidenciar um ranço... que penso não seja de sua erudita formação.

Admiro o Caro Doutor, mas estou chocado com termos agressivos, sem a necessidade de serem escritos, se pensados sejam.

EDGARDO, meu eterno Guru, por favor, encerra por favor esse dialogo...

Minhas Respeitosas e Cordiais Saudações, AOS DOIS

Ghost Writer

Francisco Jose Lima disse...

Lamentável, a utilização deste espaço, para acusações e ofensas pessoais, em contraposição ao debate das idéias!

Anônimo disse...

Concordo.Nao publique a troca de farpas.

Anônimo disse...

A diretoria do Fundo deve ter conhecimento da situação dos aposentados:
1) os índices de inflação são manipulados e não espelham a realidade do custo de vida. Nos ultimoú 5 anos a inflação está a mais de 50%,
2) A tabela do IR nunca mais foi corrigida
3) Contribuição extra à Cassi,
)Aumento dos juros
4) O combustível quase dobro de preço,
5) Alimentação nos últimos 5 anos aumentou muitos itens 40 a 100%.
É a nossa correção de salário foi muito abaixo disso tudo.
Vamos a campanha de 240 meses e 200.000do ES.
A Previ só tem a ganhar, e qual justificativa para não ter esta consideraçao

Paulo disse...

Meus amigos, Edgardo e Rossi, o pedido de desculpas de ambas as partes é um gesto nobre de humildade.Lendo aqui fiquei muito feliz que ambos retrocederam e reconciliaram.Nada levamos nessa vida, tudo é vaidade, somos um sopro.Só levaremos o bem que fizermos quando comparecermos perante o nosso Criador para prestarmos conta de nossas ações, nessa altura do campeonato, o melhor que podemos fazer é amar o nosso próximo como nós mesmos, revermos nossas atitudes e pedimos perdão.Pois, como homens somos falhos, por mais conhecimento e inteligência que temos somos finitos, limitados>Gosto muito dos dois colegas, sempre leio atento os comentários e publicações de cada um.E torço que nada abale essa união nesse Blog, quem semeia a divisão e a discórdia é o adversário das nossas almas, mas aqui estamos com Cristo, nosso Salvador, por isso mais uma vez, parabéns aos colegas por terem reatado e se desculpado mutuamente!O cair é do homem, mas o levantar é de Deus!

Anônimo disse...

Palmas pra Sr.Edgardo e Dr. Rossi, estou feliz novamente. Palmas ide. Idem

Anônimo disse...

Concordo com os colegas acima que pediram para que ofensas não sejam publicadas pois só trazem prejuízos.

Édulo disse...


Publicado hoje no Estadão. Não seria uma oportunidade para nossos sábios articulistas colocarem suas informações|:
"A Controladoria-Geral da União lança nesta terça-feira, 4, a robô Cida, que receberá denúncias, sugestões, solicitações, reclamações ou pedidos de simplificação pelo Facebook. O nome vem de Chartbot Interativo de Atendimento Cidadão.

Segundo a CGU, a ferramenta vai utilizar inteligência artifical para simular um ser humano no diálogo com usuários. Após receber a solicitação, a Cida irá vasculhar o banco de dados da pasta para fornecer a resposta adequada.

Cida também será capaz de auxiliar o usuário no protocolo de manifestações no Sistema de Ouvidorias do Poder Executivo Federal.

NOTÍCIAS RELACIONADAS

Anônimo disse...

Colegas,

Vejam a postura de duas pessoas inteligentes que chegam a um denominador comum ou seja ensarilhar as "armas" e partir para a frutífera exposição de idéias e opiniões, manifestações sinceras de mentes pensantes.

Respeitosas e Cordiais Saudações

Ghost Writer

Blog do Ed disse...

Adorado Ghost Writer
Conhecendo o temperamento do Dr. Rossi, porque estudei Psicologia e fui ótimo estudante dessa ciência recebi o que infelizmente aguardava. Redargui dizendo que já fizera o meu diagnóstico do temperamento dele. E outra vez recebi, como aguardada, outra cuva de impropérios. Infelizmente os participantes do blog me estão colocando como um incontrolável deseducado interlocutor. Lamento e não aceito.
Não é assim que sou conhecido. Nada tenho de que me arreper nem de que me desculparr.
Edgardo

Anônimo disse...

O blog passou um momento difícil; entretanto, prevaleceu o bom senso dos amigos Dr. Edgardo e Dr. Rossi. Logo, todos ganhamos..

Trader anônimo

Ari Zanella disse...

Dileto amigo Edgardo,

Pela primeira vez deixo de publicar um comentário seu endereçado ao ao Ghost Writer. Desejo que o assunto se apague e penso que foi um gesto de grandeza o pedido de desculpas do amigo Rossi (06:18). Muito grato pela sua compreensão. Tudo vai ficar bem. A tempestade já passou.

Anônimo disse...

Ufa

Anônimo disse...

Prof Ari, permita-me indagar aqui neste seu precioso espaço, o segunte: Para que mesmo a Previ criou mais duas modalidades, C e D, para o ES? Seria para debochar dos a posentados devedores que estão atolados até o pescoço em dividas e que não tem margem para contratar? Acho que sim. Pois fiz um simulação e o sistema só dispos R$ 0,75 (setenta e cinco centavos) como limite.
mai

Anônimo disse...

Mais uma vez os números confirmam a governança fortalecida da Previ. O resultado positivo do Plano 1 em 2018 é de R$ 14,48 bilhões. O superávit acumulado, somado ao resultado final do exercício de 2017, é R$ 10,190 bilhões. A rentabilidade de janeiro até outubro do Plano 1 foi de 17,96%,

Pra quem, porquê, pra onde ... sei lá ... Pra passar raiva e nos continuarmos contribuindo para o patrocinador.

Anônimo disse...

Bolsa de valores em DEZ/2013 : 51.507 pontos.

Bolsa de valores agora 04/dez/2018 : 89.957.

De lá pra cá Valorização cerca de 75,00%. DEZ/2013, último mês do BET e recomeço da cobrança para manutenção do PLANO e BÔNUS para a DIRETORIA de R$ 500.000,00 por semestre. Revoltante. Temos que ir ao Rio. Se convocado irei ao Rio e à sede da PREVI. Temos de reagir já.


Anônimo disse...

Temos que exigir um percentual em Janeiro além do INPC.Nada de ÉS.

Anônimo disse...

Prezado das 15.50
Se derem algum aumento + 5% além do INPC , descontado Cassi, Previ, IR e etc... Vai aumentar muito pouco (Apesar de ser bom), mas não vai resolver. A susoensus do ES e o aumento das parcelas para 240 meses e 200 mil se faz necessário para sairmos do sufoco.

divany silveira disse...



Mestre Ari, pode ficar calmo que não piso na
bola, embora tenha vindo do clube e lido,com o
coração possivelmente lesionado por "babeiro",
mas quando o coração do ferido é aguerrido a
doença não prospera ,Graças a Deus.Os antigos
falavam que se o barbeiro não derrubar a ví-
tima há possibilidade de o cérebro receber
a porção terapeutica do veneno que dará, e as
pesquisas confirmam, uma modificação de quali
dade no seu dia-a-dia. Resumindo, há 30 anos que sai da zona da Sudene e meu cérebro conti-
nua no ritmo de Ipojucan-Ex-Vasco_ de nossa
turma só Aristophanes e Ed Amorim devem saber
quem foi o vascaino. O pior e´que meu cérebro
não atua igual Ipojucan que, como disse, era lento, mas exibia qualidades que encantavam os
fãs enquanto meu cérebro não dá problemas,ex -
ceto quando me estendo numa discussão,como a-
gora , que a censura começa a incomodar.Mas,a-
migos, eu queria abordar o questão que envol -
veu três colegas do mais alto quilate e que
por "N" razões trouxe preocupação ao nosso
quadro que conta com poucos defensores com
qualidade e ,confesso, pensamos o fim de ter-
mos sucesso QUE URGE.só numa negociação tra-
balhada por gente do mais alto gabarito do
nível dos envolvidos no affair que poderão ser
úteis dada à complexidade do assunto e a
ausência de espírito público e cristão dos
contendores que representam o parceiro. No
mais,amigos, quando estamos num ambiente hos-
til e neste grupo nosso não tem "coroinhas"
que acham que jesus resolve tudo, mas o que
predomina é a fé e a luta pessoal e ferrenha
de quem acha que merece.Bom descanso ! Divany






Anônimo disse...

Colegas,

OS 500.000,00 SÃO RETIRADOS DE ONDE?

É caixa único ou em contabilidade financeira de rubrica carimbada, isto para aquilo ou aquilo para aqueloutro?

PERGUNTAR NÃO OFENDE.

Penso que a Constituição Brasileira reza que em tudo deve existir TRANSPARÊNCIA e explicação plausível para cada centavo que sai ou entra para uma Instituição de aposentadorias/Fundos em geral.

Se estou errado, mal informado, por favor me esclareçam, ponham holofotes nos números( às vezes pode me falhar a vista e a acuidade, por idoso), indicando a que rubrica/despesas se destina a gratificação, que me parece se dá por antecipação.

Antecipo desculpas se não consigo separar coisas de cousas.

Respeitosas e Cordiais Saudações

Ghost Writer


Anônimo disse...



Apenas para a consideração de todos. Voces tem ideia da significância do trabalho herculeo do Edgardo a nosso favor durante todos esses
anos ?
Voces se dão conta da grandiosidade das análises do Joao Rossi ?
Pois é. mas astros, asteroides, estrelas se chocam nos ceus. por que nao na terra? É vida que segue. E nós sempre unidos. Aí Zanella. Força.

Claudia do Rio

João Rossi Neto disse...

Caro Ari e colegas,

CONTRIBUIÇÃO NA APOSENTADORIA

Revista PREVI - Edição 195 - Outubro/2017

Sou aposentado pelo Banco do Brasil desde janeiro de 2017. Está correta a cobrança de contribuição mensal para o Plano 1 a partir do momento em que o associado começa a usufruir do plano de previdência?
enviada por: Saulo Coutinho de Sousa, Belo Horizonte (MG)

Resposta da PREVI
Saulo, a contribuição mensal é cobrada dos participantes aposentados de acordo com o artigo 68 do Regulamento do Plano de Benefícios 1, que reproduzimos: “As contribuições mensais e anuais devidas pelos participantes em gozo de benefício de complemento de aposentadoria, a partir de 01.04.2006, corresponderão a 4,8% (quatro vírgula oito por cento) dos respectivos salários de participação”.
O salário de participação dos participantes aposentados corresponde ao valor do complemento de aposentadoria, assim consideradas também as verbas de ônus do Banco do Brasil. O participante aposentado também contribui para o plano porque, à época da estruturação do plano de benefícios, o plano de custeio estabelecido apresentou níveis contributivos muito altos para os funcionários e para o Banco.
Se as contribuições do funcionário e do Banco ficassem limitadas ao período da vida ativa, os valores das mensalidades seriam impraticáveis. A solução foi diluir o valor a ser pago pelos participantes e Banco também no período do recebimento da aposentadoria. Com isso, um valor que deveria ser pago em 30 anos seria desembolsado por um período maior. Como consequência, os desembolsos mensais ficaram menores, o que viabilizou a estruturação do Plano.

DIGO EU:

Pareceu-me oportuno trazer à tona, a pergunta do colega Saulo, de BH, onde a própria PREVI confessa que a contribuição dos assistidos é “normatizada” apenas no Regulamento do Plano de Benefícios 1. Se tivesse outra legislação qualquer, neste particular, ela prontamente teria apontado, como fundamento jurídico que lhe seria favorável para justificar a cobrança dos 4,8%, sob a égide de algum Diploma Legal incontestável.
Ficou muito claro também que a PREVI tomou essa providência de diluir e suavizar a contribuição do tempo de ativa para aliviar o ônus das contribuições patronais do BB, como forma de desafogar e desonerar o banco de desembolsos maiores, sem levar em conta que os funcionários ativos, na época, tinham gastos menores e plenas condições financeiras para honrar a contribuição normal que iria constituir a Reserva Matemática.
Caso tudo isso seja verdade, foi um desastre total transferir obrigações financeiras para o período pós-laboral, com a estipulação da contribuição para os velhinhos, visto que, um momento que deveria ser de descanso e de tranquilidade, se transformou em um verdadeiro inferno, pelos benefícios defasados e insuficientes para arcar com débitos alheios a nossa vontade e diligência. Isto acarretou um gap (degrau) muito grande entre receitas e despesas, resultando em default (insolvência) para os aposentados, já as despesas são muito superiores às receitas.
O pior de tudo, é que esse acordo, somente agora desnudado, entendimento, negociata, ou sei lá o que, ficou na informalidade, no caráter verbal, no fio de bigode, sem registro nos anais da PREVI, história surreal, fantasiosa e mirabolante, difícil de acreditar. Por tudo isso, para compensar os estragos feitos anos a fio, urge, para ontem, a extinção da contribuição dos aposentados, sem olvidar que tudo isso aqui relatado, no mínimo, caracteriza flagrante gestão temerária, para não dizer fraudulenta. Oh, gente de bem, não é correto os justos e inocentes (assistidos) serem penalizados no lugar de gestores pecadores

Anônimo disse...

A suspensão

Ari Zanella disse...

Amigo Rossi,

Vou repassar mais esta prova contundente ao nosso advogado. Grato por mais essa contribuição.

antonia disse...

Concordo com o colega das 15:50, sou a favor de acabar com as contribuições para a previ e melhorar o nosso reajuste, ES não.

Unknown disse...

Bom. Dia Sr. ARI! já se sabe nosso aumento em janeiro de quanto vai ser?

Everton disse...

“Um renovo sairá do tronco de Jessé, e um rebento brotará de suas raízes e sobre ele repousará o Espírito do Senhor.” (Is 11:1-2)
Deus quis, desde Adão e Eva que a família crescesse abençoada e santificada e, nesse amor infinito e misericordioso por cada ser humano quis que o seu Filho, Nosso Senhor Jesus Cristo, nascesse em uma família cumprindo a sua sublime missão salvífica. Deus formou a Sagrada Família com Jesus, Maria e José para que seja para nós modelo inspiração e esteio.
A Sagrada Família teve tantos ou mais problemas do que as nossas famílias enfrentam nos dias de hoje. Precisou fugir para o Egito, passou pela aflição da perda de Jesus, que ficou no templo e tantas outras dificuldades, mas jamais duvidaram da presença de Deus e do mistério que a fé exigiu deles.
Esse é o exemplo vivo e permanente que a Sagrada Família deixa para nós, que não desanimemos jamais, mesmo que haja muitas dificuldades no nosso dia-a-dia, pois o Senhor glorifica o pai nos filhos e aquele que respeita e honra os pais encontrará alegria nos filhos e em suas orações. (Eclo 3,1-8)
Que as nossas famílias sejam como um Sagrada Família, tronco de Jessé, sempre regrada pelo Espírito Santo e com certeza brotará de nossas raízes frutos bons.
Feliz Natal a todos vocês meus irmãos e minhas irmãs.
Everton Pereira