BANNER

Acesse aqui!
atendimento@anaplab.com.br
Joinville/SC: (47) 3026-3937
S.J. Pinhais/PR: (41) 3035-2095

quarta-feira, 28 de novembro de 2018

SUPREMO TRIBUNAL LIBERAL

     Está marcada para esta quarta-feira a votação no STF sobre um tal indulto de Natal gestado pelo atual Conde Drácula do planalto. E nesse indulto se libera geral, qualquer crime sem importar o tamanho, desde que não houve "vítimas" teriam 80% de perdão das penas perdoadas. Ou seja, se o Lula, condenado a doze anos, já tivesse cumprido 20% da pena (2,4 anos) estaria livre da sua cela (ops!...Não é cela, é sala!). Tal decreto de Temer, que é de dezembro de 2017 mas que foi barrado por dois ministros do STF (Carmen Lúcia e Luís Roberto Barroso) foi agora ampliado e sendo analisado pelo plenário do STF. Nesta condição estariam fora da prisão Eduardo Cunha, por exemplo. É um duro golpe na Lava a Jato.
       Antes de ontem o Drácula sancionou o aumento do pessoal da toga, e hoje pode ser recompensado pelos beneficiários. É o governo que agoniza nos seus últimos gestos de golpe ao povo brasileiro, em conluio com quem deveria nos proteger, o STF. Últimas rodadas do "toma-lá-dá-cá".
       Dias Tofolli já liberou da Papuda o sr. José Dirceu, sem motivos aparentes. Dizem que o ministro teme uma delação de Dirceu. Temos cinco ministros, pelo menos, que não inspiram confiança ao povo brasileiro: Tofolli, Lewandoski, Marco Aurélio, Gilmar e Facchin. Ano que vem o congresso deve aprovar o fim da idade de 75 anos para ministro do STF. Tem que ser assim, ninguém vai aguentar um Tofolli por mais 25 anos!
      O que nos conforta é que esse governo corrupto está na UTI. Dia primeiro de janeiro esse malfeitor vai ser defenestrado de uma vez por todas. PMDB, PSDB e demais partidos de esquerda precisam ser jogados de um precipício, sem mais função num país livre, democrático onde a ordem é manter a ORDEM e o PROGRESSO.


49 comentários:

Blog do Ed disse...

Quero ordem progresso e democracia, embora esta não preste, porém nada ainda se inventou de melhor, como disse Churchill.
Edgardo Amorim Rego

João Rossi Neto disse...


PREVI - Reajuste dos benefícios (O INPC nos prejudica) - Solicitação encaminhada pelo Movimento SEMENTE DA UNIÃO as nossas entidades representativas em 21/11/2018.

Sobre essa narrativa, à moda de um Embargo de Declaração para esclarecer pontos obscuros, a meu juízo de valor, teci os comentários abaixo, sem a pretensão de esgotar a pauta. Quem quiser, pode, inclusive, fazer o contraditório ou adicionar novos esclarecimentos para enriquecer a minha abordagem. E iniciei, assim:

Antes de tudo, é preciso entender bem o que se vai pedir e arrolar argumentos e razões convincentes para alicerçar o deferimento de uma reivindicação bem detalhada, justa, correta e merecida.

Neste contexto, há um erro crasso na propositura, porquanto nós não temos, em janeiro de cada ano, "reajuste" nos benefícios e sim "reposição" da inflação acumulada para, em tese, recompor o valor de compra, o que é outra coisa bem diferente.

O que é Reajuste? Respondo, reajuste é uma negociação que compreenderia o INPC ou outro índice econômico qualquer, mais "x" de ganho de produtividade, por exemplo, hipoteticamente, claro, seria um INPC de 5%, medido pelo IBGE e previsto em lei + 2% de ganho real de produtividade, este negociado com o patrão.

No nosso caso, com a Diretoria Executiva da PREVI, a qual não vai fazer negociações nesse sentido, dado que o Regulamento do Fundo veda e também porque vai alegar que para conceder melhoria nos benefícios, é preciso ter superávits em excesso, além da Reserva de Contingência, na chamada Reserva Especial, ou seja, existe essa trava técnica.

Mas voltando ao tema, como pelo Regulamento da PREVI temos direito somente ao INPC limpo, no osso, isso se chama REPOSIÇÃO DE INFLAÇÃO. Foi dito aqui que o Fundo de Pensão, balancete de 30.09.18, está equilibrado, isto é outra inverdade, posto que a PREVI está superavitária em R$ 6.611 bilhões.

Após cobrir o déficit acumulado dos anos anteriores, ficou ainda com um superávit acumulado de R$ 2.316 bilhões para ser incorporado nos balancetes e balanços futuros, resultado financeiro atualizado, uma vez que agora os ativos da Vale S.A, adquiridos através da Litel, estão precificados a valor econômico e aglutinados no Ativo Total.

Um fundo está equilibrado, quando não existe nem déficit ou superávit e as suas receitas e despesas estão em pé de igualdade.

Como a EFPC-PREVI é uma sociedade civil, sem fins lucrativos, ela persegue a meta do equilíbrio do plano de benefícios nº 1, não admitindo déficits e a lei tolera apenas os superávits suficientes para cobrir a Reserva de Contingência.

(Continua na Parte II)

João Rossi Neto disse...

(Parte II)

Em caso de sobrar superávits da RC esses vão constituir a Reserva Especial para revisão do PB-1 e melhoria dos benefícios (artigo 20 da LC 109/2001), na forma de benefícios especiais temporários (artigo 24 da Res. 26/2008).

A distorção de déficits é corrigida pelo seu equacionamento pelos participantes, assistidos e patrocinador, contudo, felizmente nunca tivemos que pagar contribuições extraordinárias para isso. O superávit (Reserva Especial), como já dito, é eliminado pela revisão obrigatória do plano 1, após 3 exercícios consecutivos de sobras.

Isto posto, acho, não é de hoje, que o INPC não repõe o poder de compra e os nossos benefícios estão achatados e defasados. A inflação real que corrige os preços dos produtos do mercado, como é o caso dos remédios de uso contínuo e inadiáveis, ultrapassa de longe o INPC, que não é o índice adequado para o nosso perfil.

Há bastante tempo estamos com os nossos proventos praticamente congelados, e sequer estamos conseguindo sobras para recompor Margem Consignável para contratar ES.

Apesar do bom desempenho das Bolsas de Valores (acima dos 85.000 pontos), onde a PREVI tem uma grossa fatia dos seus recursos aplicados no segmento de Rendas Variáveis (em torno de R$ 75 bilhões), dificilmente teremos futuros superávits para cobrir uma Reserva de Contingência-RC de quase R$ 40 bilhões, o que nos alija, mesmo que no longo de prazo, de uma nova revisão do plano 1 pela ausência de Reserva Especial.

A Diretoria Executiva tem o discurso na ponta da língua de que não fará melhorias nos benefícios sem Reserva Especial e isso é um obstáculo intransponível. A duras penas, temos R$ 6.611 bilhões de superávits, onde iríamos arranjar mais uns R$ 34 bilhões somente para cobrir a RC de 25% sobre a Reserva Matemática-RM.

Sabido que para constituir a Reserva Especial e ter direito a revisão do plano 1, teríamos que fabricar superávits além dos R$ 34 bilhões, o que seria uma tarefa quase impossível e utópica. Esta posição contábil desfavorável sinaliza que estamos no mato sem cachorro.

Em face de tudo isso, será que adiantaria a simples troca do INPC? Pelo IPCA seria mudar cebola de lugar, ou seja, trocar seis por meia dúzia.

Penso que neste momento de graves dificuldades financeiras, o razoável seria a suspensão, por três anos, ou extinção da discutível e inaceitável contribuição de 4,8% dos assistidos, pela Diretoria Executiva, até como forma de compensar os 2% de aumento que iremos pagar para ajudar a cobrir rombos da CASSI, nesta negociação que está sendo gestada junto com o patrocinador BB.

Anônimo disse...

Carta pedindo reajuste. Concordo com o sr. Rossi. Que reajuste ? Temos é reposição de inflação. Aliás, já tivemos outro índice o IGPM balizando o "reajuste". Também pedimos a substituição.
A carta é dirigida a nossas Associações. Depois pedem aos associados dessas entidades para as contatem na mesma direção.
O movimento , a meu ver, está querendo marcar terreno. Primeiro foi a campanha do SIM, o apoio nas eleições Cassi e agora ao se dirigir às associações parece sinalizar que ditas entidades estão alheias.
Mais produtivo seria solicitar a interrupção da cobrança das contribuições, os 4,8% e rever os atuais 5% a.a. de meta.

Paulo disse...

Acredito que o INPC não chegará a 4% em 2018, uma vergonha, enquanto o IGPD-I beira os 10%!

Anônimo disse...

Ambos fabricados mas para nós sempre o menor.

João Rossi Neto disse...

Caro Ari,

Tenho pequena divergência, em relação aos Ministros vermelhos do STF, aqui citados por você e explico o porquê.

A princípio, eu excluiria o Gilmar Mendes que no Governo Lula, principalmente, era um tipo de "Lobo Solitário" do PSDB, pela ligação estreita que dizem que ele tem com o Aécio Neves. A esse propósito, áudios dos dois circulam nas redes sociais, não sei se são autênticos.

Depois do Lula, o Gilmar Mendes, mudou de atitude e no Governo da Dilma, engrossou a turma dos togados vermelhos e pretos e passou a defender os seus interesses, com a escancarada aliança entre o pessoal do triunvirato: Tófolli, Gilmar e Lewandowski da 2ª Turma.

Nessa trincheira seletiva, por convergência de ideias semelhantes, os três eram imbatíveis e faziam o que queriam, como se donos fossem, do STF, até o Tófolli ser guindado a Presidência da Corte e substituído pela Ministra Carmém Lúcia.

Ali, os três, como advogados do diabo e defensores do programa "Cadeia de Portas Abertas", soltavam todos os corruptos e criminosos que as instâncias inferiores prendiam, do tipo do reincidente José Dirceu (réu no Mensalão e Petrolão, concomitantemente),condenado na 2ª instância pelo TRF-4.

A ousadia e desrespeito à ordem constitucional são tão grandes, que para libertar o presidiário Zé Dirceu, atropelaram o Entendimento de nov./16, aprovado por maioria de votos no plenário do STF, como se esse fosse um jornal velho de embrulhar peixe na feira.

Esse aludido Entendimento Superior do pleno do Supremo determinava que os condenados em 2ª instância, aguardassem presos, os seus recursos em instâncias superiores (STJ e STF), mas os três pisotearam essa decisão plenária e mandaram o cacique petista, José Dirceu, para a prisão domiciliar indevidamente, como se ele fosse um réu primário e tivesse bons antecedentes.

Essa regalia, na verdade, tem segundas intenções e nunca foi para beneficiar o velho e safado Dirceu, que a rigor, por eles, poderia apodrecer na cadeia, e sim para pavimentar o caminho para à soltura do Lula.

Esse pessoal é maquiavélico e profissional em manobras jurídicas que dão aparência de legalidade, também porque não bestas de colocar a cabeça na guilhotina para salvar a pele de ninguém, nem que seja para o seu ídolo Lula. Eles comem o mingau pelas beiradas para não causar convulsão social.

Parece que a formatação no Supremo, estruturada pelo PT, continua hegemônica e os guardiões da sobrevivência ideológica petista na Corte é a seguinte: O comandante Tófolli, Gilmar Mendes, Lewandowisk, Marco Aurélio, Fachin e Rosa Weber, isto é, deu 6 a 5, já que ao todo são 11 Ministros.

Betania Lucena disse...

Meu povo , aposentados, o nosso presidemte eleito , e um presidente do povo ,ele tem as redes sociais abertas para que possamos falar diretamente com ele.
A farra do Pt acabou ,vamos lutar em favor de nossos direitos , de tudo que o PT sucumbiu , a Volta do IGPDI, do reajuste no mes de junho , do nosso superavite ete,ete .

JOSE ADMIR DE PAULA DE PAULA disse...

Juízes do STF conquistaram reajuste de 16 por cento com a alegativa de terem sofrido perdas inflacionarias. Perai, quer dizer que so o salario deles foi corroido pela inflaçao? E o nosso?

Anônimo disse...

O irônico de tudo isso é que quando o guloso estava para quebrar foi "autorizado" o repasse de 11.bilhões, hoje uns 40 bilhões, depois + 7.5 bilhões, depois cancelaram o BET aí passaram a cobrar a contribuição de 4,8 , agora mais 2% para a Cassi..e por aí vai. A impressão que se tem é que não mandamos no nossos recursos, e parece que não gostam de nós. Somos um estorvo ou algo parecido.
Agora que de está em dificuldade financeira, até porque as últimas correções foram pifeas, sem correção na tabela de IR. É sem ajuda da nossa Entidade é uma barbarie.

Anônimo disse...


Interrupção da contribuição de 4,8%, significa, que o Banco do Brasil deixara de contribuir com 4,8% para a PREVI.

O Anonimo das 9:33h disfarçadamente utiliza arqumentos para favorecer os interesses do Banco do Brasil SA

Anônimo disse...

Emérito Professor ZANELLA:


A Folha Corrida do NOSFERATU, está prenhe de "registros criminais", cada um pior do que o outro, culminando com esse presente (para o STF) de grego (para o povão). Talvez ainda acrescente em seu governo enlameado, o Indulto de Natal.

Blog do Ed disse...

Colega Betania Lucena, como a colega fala bem. A colega é parente do falecido Coronel Engenheiro Lucena, do glorioso exército brasileiro, ex-seminarista da Escola Apostólica de Baturité?
Edgardo

Anônimo disse...

Você sabia que tem uns 7 a 8 mil aposentados do BB que só contribuem para a Cassi sobre o seu complemento da Previ, sem pagar nada sobre o benefício do INSS? Pior, ainda ajudam o banco a não pagar as suas contribuições patronais de 4,5% sobre o benefício da previdência pública, pois se não tem como cobrar do associado, não é possível cobrar do banco.
Isto acontece com aqueles que se aposentam diretamente pelo INSS, sem acessar o Convênio Prisma, que a Previ mantém com o INSS. Nestes casos, a Previ paga o complemento via folha de pagamento e o aposentado recebe o valor da previdência pública diretamente em sua conta, seja no BB ou em outro banco.
A maneira mais fácil de regularizar esta situação é pedir à Previ para incluir o benefício INSS na folha de pagamento.
Estes milhõezinhos mensais poderiam ajudar a resolver o problema financeiro da Cassi, não acham?
Talvez alguns destes colegas se achem o suprassumo da honestidade.

Fernando Lamas disse...

Saudações cordiais a todos.

CORREÇÃO
Caro Professor Ari, com a sua licença e com muito respeito, peço que o estimado colega anterior(18:55 h) aceite a minha correção, pois contribui, sim, para a Cassi, os que recebemos o Benefício do Inss, excluído da FOPAG/Previ. Mais depoimentos podem comprova o que afirmo.
Grato e PAZ E BEM!
"Disse Jesus: 'É permanecendo firmes(Na fé) que ireis ganhar a vida."
Lucas 21,19

Anônimo disse...

Não entendi o que o anônimo das 9hs:33 quiz dizer, tudo muito enrolado.

Anônimo disse...

O anônimo das 18;55 esta mal informado. Não recebo o Inss pela fopag/Previ e sou descontado a parcela da Cassi no dia 20. Portanto, vá se informar antes de falar besteira.

César

Anônimo disse...

SOBRE:

"Você sabia que tem uns 7 a 8 mil aposentados do BB que só contribuem para a Cassi sobre o seu complemento da Previ, sem pagar nada sobre o benefício do INSS?"

- me aposentei pelo INSS em 2010;
- nunca incluí esse benefício na Fopag Previ;

MAS a verba - "B823 BASE CASSI" é a SOMA DE PROVENTOS BRUTOS "PREVI+INSS"

*****

"Interrupção da contribuição de 4,8%, significa, que o Banco do Brasil deixara de contribuir com 4,8% para a PREVI.
O Anonimo das 9:33h disfarçadamente utiliza argumentos para favorecer os interesses do Banco do Brasil SA.
28/11/2018 13:19"

É preciso salientar que essa contribuição EXTRA de 4,8% do BB não deve=OU PODE NÃO estar sendo recolhida mes-a-mes - acho que fica por conta da Reserva Especial dos 7,5bi do BET.

- resumindo, nós perdemos 12 parcelas do BET, pagamos o pato com mais 4,8%, enquanto o BB paga os 4,8% com o nosso BET (os outros 50% do BET).


SOBRE TEXTOS PROLIXOS, penso que se deve ao resumo exagerado das idéias (como as acima).


M A S como disse o BONNER:

FICA A DICA:
- se beber não dirija, muito menos REDIJA.
- não bebi nada, ainda.
- vou beber muito, se o FLORMINENSE ganhar hoje (acho que vou passar sede).
- vou beber todas dia 02 se a CHAPE ficar na "A" - morram os bambis de SP.

AB






Anônimo disse...


Sendo os numeros confirmados, dos associados,(7.000 ou 8.000), que não contribuem para a CASSI sobre os valores de beneficios recebido do INSS. Estes, conforme estabelecido no Estatuto da CASSI, poderão perder a condição de Associados.

Fica um pergunta: quem definiu este numero?
Foi a CASSi ou a PREVI?
A origem da informação foi o proprio INSS?
Como surgiu este numero?

Pr.guima disse...

-Professor Ari, li um comentário de um "Anônimo das 18:55" que não gostei, pois acho pouco provável, ou sem fundamento (caso confirmado seria muito grave). Colei só primeira frase do comentário: Palavras do Anônimo: "Você sabia que tem uns 7 a 8 mil aposentados do BB que só contribuem para a Cassi sobre o seu complemento da Previ, sem pagar nada sobre o benefício do INSS?" Eu, por exemplo, aposentei-me pelo INSS bem antes do sair do Banco (aposentado PREVI) e não usei o convênio Prisma ( eu mesmo fiz meu processo de INSS por conta), recebo o valor do meu INSS direto (fora da folha PREVI), mas no entanto, o valor relativo ao INSS, entra na base de cálculo para contribuição de minha verba para a CASSI.
-Na sua opinião, será que seria realmente possível estar acontecendo tal situação, já que a pessoa nem mesmo se identifica, e talvez por isto mesmo não devemos dar crédito e ou importância.
Guimarães

Anônimo disse...


As contribuições, 4,8% do(a) Associado(a) mais 4,8% da PREVI, resultam no acrescimo

mensal de 9,6%, do valor do beneficio, na reserva matematica do aposentado(a).

Anônimo disse...

Essa história que 7/8 mil não pagam a Cassi por que recebem o Inss por fora carece de fundamento. Favor apresentar a fonte. Cheira notícia plantada.

Pr.guima disse...

-Professor Ari, em complemente a minha postagem de alguns minutos atrás (relativo ao comentário do anônimo das 18:55), já li várias manifestações. Realmente deve ser notícia sem fundamento algum, pois, nem a fonte foi citada.
Guimarães

Anônimo disse...


Estes numeros foram divulgados em um grupo do facebook. "BB - ASSOCIADOS da PREVI e CASSI".

O nome do autor do texto e Jose Ricardo Sasseron

João Rossi Neto disse...

Colegas,

Segundo informações da PREVI, as contribuições patronais do BB e outras obrigações financeiras junto ao nosso fundo de pensão, estão sendo pagas com os R$ 7.5 bilhões, correspondentes a cota de 50% que lhe coube na partilha, de modo que do seu Caixa não sai 1 centavo para fazer face a esses compromissos. O saldo remanescente desse dinheiro fica depositado, em nome do BB, em um Fundo Previdencial específico e dele a PREVI retira os valores necessários para quitar os débitos pendentes de cada mês.

Se porventura fosse extinta a contribuição de 4,8% dos aposentados, por consequência, o BB também ficaria livre da sua contribuição patronal de 4,8% que paga para os assistidos. Agora, as duas contribuições somadas, no total de 9,6%, ajudam no pagamento do custeio do plano 1 e não constituem Reserva Matemática para ninguém.

antonia disse...

Qdo privatozarem o BB, será que esse valor não será sacado imediatamente e não haverá garantia de contrapartida nenhuma, nem pra Previ e nem pra Cassi.Tivemos casos de Bancos estaduais que foram privatizados e os aposentados esquecidos. Ex. O Bandepe.

antonia disse...

Digo, privatizarem.

Anônimo disse...

Natal pra mim não existe, liso, sem dinheiro e devendo. Agora mais duas modalidades do ES, C e D, pra que? Cadê a margem?
A previ gosta é de humilhar os véi.

Anônimo disse...

*Valor Econômico*
*Previ amplia superávit no ano para R$ 14,5 bi com impulso de ações de Vale, BB e Petrobras*
A Previ, fundo de pensão dos funcionários do Banco do Brasil, viu o superávit do Plano 1, de benefício definido, mais do que dobrar entre setembro e outubro deste ano. O plano é o maior e mais maduro da fundação, e concentra as principais participações acionárias, que impulsionaram os ganhos no período.

O resultado no mês passado foi positivo em R$ 7,874 bilhões, o melhor do ano. Assim, ampliou o superávit acumulado em 2018 de R$ 6,61 bilhões em setembro para R$ 14,485 bilhões.

Responsável por 50% da carteira do plano, correspondentes a R$ 90,2 bilhões, a renda variável teve ganhos de 9% em outubro e 29% no acumulado do ano. Somente as participações de Vale, Banco do Brasil e Petrobras adicionaram, no mês, quase R$ 5 bilhões aos resultados do plano de benefício definido, que tem valor de mercado avaliado em R$ 181 bilhões.

Até agosto, o Plano 1 tinha um déficit acumulado de R$ 9,9 bilhões. Com a nova metodologia de contabilização das ações da Vale e uma recuperação dos mercados, o cenário se inverteu a partir de setembro. Antes, a avaliação de Litel - veículo de investimentos em que detém a fatia em ações da mineradora, junto com outras fundações - era feita anualmente pelo valor econômico. Agora, a precificação se dá a cada mês, determinada a partir de uma média ponderada das cotações do trimestre anterior ao último dia útil do mês corrente. Em outubro, a fatia da Previ na Vale somava R$ 45,478 bilhões.

A renda fixa, quase 41% da carteira, subiu 2,35% no mês e 9,41% no acumulado do ano. Em outubro, o único recuo foi dos investimentos no exterior, que tiveram perdas de 14,22%, mas a representatividade da carteira é pequena, de 0,08% do total, ou R$ 139 milhões.

Como um todo, o Plano 1 teve ganho anual de 18%, enquanto o Previ Futuro somou 11,84%. A meta atuarial do período foi de 7,84%. No segundo plano, que tem valor de mercado de R$ 14 bilhões, a renda variável subiu 15,58% e a renda fixa, 10,42% em outubro.

Jorge Teixeira - Araruama (RJ) disse...

Informa a Previ no site que “Mais uma vez os números confirmam a governança fortalecida da Previ. O resultado positivo do Plano 1 em 2018 é de R$ 14,48 bilhões. O superávit acumulado, somado ao resultado final do exercício de 2017, é R$ 10,190 bilhões. A rentabilidade de janeiro até outubro do Plano 1 foi de 17,96% e a do Previ Futuro foi de 11,84%. Ambas estão acima da meta atuarial, que é de 7,84%”. No último dia útil de outubro o ibovespa fechou aos 87.421 pontos. Ontem, 28.11, esse mesmo ibovespa fechou com 89.251 pontos. Continuo imaginando que, permanecendo esse movimento de subida da bolsa, fecharemos o ano de 2018 com um resultado do PB-1 bastante significativo. Diz a Previ que “ao final do exercício de 2018 será realizada a troca da Tábua de Mortalidade dos planos de benefícios. A revisão do instrumento já foi aprovada pelo Conselho Deliberativo da Previ”.

Anônimo disse...

O proximo comentario será desenhado.
O texto sera ilustrado com figurinhas, facilitando quem tem dificuldade ou dislexia.
AEIOU.
Se o Banco for privatizado ou retirar seu patrocinio, a Previ estará garantida até o ultimo dos moicanos. O patrocinador que sai deve depositar no fundo contribuição no montante suficiente até sua liquidação . Calculo atuarial.
Resolução CNPC/Previ que regulamenta o assunto .
Reserva matemática de aposentados ? Que uootimo !
Tá claro ou ainda enrolado ?

Anônimo disse...

Caro professor vou tentar ajudar e não atrapalhar. Lembro-me bem que lá pelos anos 2007 e 2008 a CASSI e o BB reforçavam toda hora que quem estava na ativa e aposentado pelo INSS tinha que informar ao BB e a CASSI esta condição para que pudesse ser descontada a contribuição para a CASSI sobre o valor da aposentadoria. Quem não fizesse isto estaria sujeito as penalidades previstas. Agora na condição de aposentado, também, pela PREVI independente de transitar na folha ou não o valor do INSS desconheço apesar de que como a PREVI sabe o valor da aposentadoria do INSS de quem é aposentado e não transita na fopag dela? Talvez lá pelos anos 2007 e 2008 o INSS não informava e agora o faz. Pedro.

Anônimo disse...

Pezao no xilindró...a fila e grande.

Anônimo disse...

Jornal Estado de SP de hoje:Bancada evangélica abre guerra contra Bolsonaro por cargos
Começou.....

marcelino maus disse...

STF, ouvi agora...

Min.Barroso - ferrenho defensor do voto para VETAR o Indulto do VAMPIRO.

Deus nos livre desse INDULTO!!!

SÓ PRÁ RIR UM POUCO....

Barroso: "Na Europa, o indulto é medida penitenciária para esvaziar as prisões"

Aí vem a piada:IN
TEMER: "EU ME INDULTO e INDULTO MEUS AMIGOS para evitar a superlotação na PAPUDA"

KKK


Blog do Ed disse...

Estimado colega das 10:20
O colega entende que reserva integral de determinado dia é garantia robusta e confiável para toda a vida? Olhe, o que está acontecendo com Petros, Caixa, e Postalis e aconteceu com os aeroviários da Varig...
Edgardo

Anônimo disse...

Bem, conforme declaração do Bolsonaro que consta no jornal Folha de São Paulo, privatização do BB e da CEF não estão no radar da próxima gestão.

marcelino maus disse...

"Diz a Previ que “ao final do exercício de 2018 será realizada a troca da Tábua de Mortalidade dos planos de benefícios. A revisão do instrumento já foi aprovada pelo Conselho Deliberativo da Previ”.
29/11/2018 10:19"

Por que anônimo... ?

Estou entendendo que a PREVI aponta suposto SUPERAVIT que nos beneficiaria com a SUSPENSAO das contribuições extraordinárias, MAS NOS RETIRA O PIRES, alterando a tábua que vai "POSTERGAR NOSSA MORTE" e abocanhar GORDA FATIA do Superávit aventado, NOS FERRANDO NOVAMENTE!

STF agora ... FACHIN PARECE ENROLADO para VALIDAR o INDULTO do VAMPIRA...

Precisa retribuir a nomeação???????????


marcelino maus disse...

Anônimo marcelino maus disse...
"Resolução CNPC/Previ que regulamenta o assunto .
Reserva matemática de aposentados ? Que uootimo !
Tá claro ou ainda enrolado ?
29/11/2018 10:20"

Nhonho anônimo, mais do que uma das "resoluções" usurparam BILHÕES do PB1.

Só podes ser um súdito deles, por essa arrogância.

O BLÁ-BLÁ-BLÁ da PREVI é fumaça para encobrir os 113 BI que os petralhas desviaram dos Fundos das Estatais . . . imagine quanto roubaram no ECT, CEF, PETEROUBRAS, ETC.

Ari Zanella disse...

Blog muda hoje de postagem (à meia noite) tendo em conta que lamentavelmente o maldito indulto foi aprovado, provando por A + B a quem serve aquela Casa. Mamma Mia!!!

Anônimo disse...



Vai aumentar a tábua de mortalidade, mais uma forma de tirar dinheiro da geração de idosos e colocar para futuras gerações. Mestre o Sr concorda ?

Ari Zanella disse...

Não concordo. É mais uma da atual diretoria de Seguridade. Mamma Mia!

Anônimo disse...

Meu Deus, quer dizer que o superávit vai ser usado para tábua de mortalidade quando poderia ser usado para beneficiar os idosos ?

Anônimo disse...

Essa história da tábua de mortalidade merece uma postagem

Anônimo disse...

E eles fazem o que bem entende, e nós só balançamos a cabeça aprovando, isso vai até quando meu Deus!!!o que faremos mestre Ari Zanella?

Nanci Yasuhara disse...

Tá falando bobagem, quer semear a discórdia.

Nanci Yasuhara disse...

Não existe isso. O cara tá inventando ou esta mal informado. É o meu caso e contribui sobre o total INSS e Previ. Vocês acham que iriam deixar passar um disparate desse?

Anônimo disse...

Não é tábua de mortalidade, e sim tábua de extermínio.

Anônimo disse...

Embora o placar do indulto que está sendo julgado no STF não esteja fechado ainda, é quase certo a sua aprovação. Daí que o Ministro Luiz Fux pediu vistas para adiar mais esse tapa na cara dos brasileiros.
E ficou bem claro agora porque Michel Temer sancionou o reajuste salarial dos ministros. O famoso toma-lá-dá-cá.