domingo, 24 de dezembro de 2017

VIVAS AO ETERNO DIRETOR!

Mesmo no recesso, o blog abre espaço ao querido Dr. José Aristophanes Pereira. 
Na cirurgia bem sucedida, desejamos um Feliz e Santo Natal!

Prezados amigo(a)s. Mesmo correndo o risco de inconveniente repetição, compartilho com Vocês texto, abaixo, que postei no FB, inclusive o ANEXO. (Foto abaixo):

          “Devagar, devagarinho, desde ontem, começou a pintar uma disposiçãozinha pra bater no teclado do meu PC, e reabrir as janelas do mundo.
          Estou em casa, depois de uma internação hospitalar, de 11 a 19/12. Foram três etapas de distintas cirurgias, mas complementares. O objetivo maior era colocar uma endoprotese(tubo plástico, com molas expansíveis-“stent”), em longo trecho da Aorta Torácica descendente, para conter dois aneurismas, que tinham ultrapassado o diâmetro de tolerância(6,00 cm). O tormento da dúvida era conviver com essa mortal  “bomba sem relógio”, ou enfrentar os riscos de uma reparação, por via da colocação da endoprotese protetora, mediante uma intervenção planejada, minimamente invasiva.
          Infelizmente, no meu caso, a coisa não seria tão simples. Além dos riscos naturais de uma intervenção desse porte –     avaliação das relações custo-benefício, idade(86) avançada e outras intercorrências –  o seguro ajustamento e a perfeita ancoragem do tubo-stent iria, necessariamente, obstruir, na parte superior da Aorta(Arco), o fluxo sanguíneo, em duas artérias importantes: a Carótida esquerda(sangue para o cérebro)  e a Subclávia esquerda(sangue para o braço esquerdo).
Solução(dia 12/12):  Uma primeira cirurgia aberta(incisão de 6,00cm. no lado direito do  pescoço) para revascularização, trazendo o fluxo sanguíneo, por meio de uma ponte(by-pass),  da Carótida direita para Carótida esquerda. Em seguida, mediante nova incisão(8,00cm), à altura da Clavícula esquerda, outra ponte, da Carótida esquerda para a Subclávia esquerda. Pronto! Seis horas depois, estava na UTI, com sucesso e monitorado por todos os lados.
          Dia 15, volto à sala de cirurgia para leve intervenção, mas incômoda, com anestesia local, objetivando uma punção lombar(extração de liquor), com a finalidade de prevenir ocorrências neurológicas, quando da realização da endoprotese.
          Finalmente, estava preparado para o grande dia 16/12. Não vou me alongar. Foi feita a TEVAR(Thoracic Endovascalur Aorta Repair) ou Reparo Endovascular da Aorta Torácica), como já expliquei acima. Estou de Aorta nova, reforçada, com garantia de pelo menos  10 anos,  dada pelo fabricante.
Os primeiros 30 dias de convalescença reclamam cuidados e atenções especiais, o que estou recebendo.
          Reconhecimento e Gratidão são atitudes que não podem ser guardadas, ou postergadas,  e definham no Silêncio. Adquirem vigor e autenticidade, quando espalhados aos quatro cantos. Por isso estou aqui, agora, reconhecendo e agradecendo. Às matriarcas Auridete e Maria Inês, na representação dos Palitot-Pereira e dos Cotrim-Pereira, com nossas 2 frondosas árvores de 34 ramos vicejantes. À companheira e amiga Andréa, exuberante no zelo pessoal e cuidados protocolares, antes, durante e depois. Aos numerosos familiares presentes e distantes e aos amigos sabedores,  que trouxeram conforto e confiança. Às preces e orações, poderosos coadjuvantes para fortalecer a fé cósmica interior, ainda que silenciosa e carente de devoção.
          Tavez o leitor amigo julgue que estou sofrendo um delírio panglossiano pós operatório. Não! Não é otimismo irrealista, pois tudo se passou longe do alcance da 1ª Lei de Murphy.
          Embarcadas no ambiente primeiro mundista do fantástico Real Hospital Português, as equipes médicas   tinham que cumprir rigorosos protocolos. Agradeço, também,  por terem ultrapassado os limites, com particular menção aos especialistas do ANGIORAD, Drs.Carlos Abaht, Douglas Cavalcanti, Fernando Prado e João Paulo. Adiciono, na pessoa do Dr. Emmanuel,  uma palavra de profundo reconhecimento ao suporte imprescindível da CASSI, que tanto zelo merece da comunidade de funcionários do BB, antigos e novos.
          Por fim, uma informação. Não sei ficar parado. Curioso e provocado pelos singulares aspectos da doença aneurismática – notadamente o escondido e insidioso aneurisma na Aorta Torácica, que matara  minha mãe, repentinamente, no começo da década de 80, mostrando traços genéticos – aproveitei o tempo, nos últimos meses, para recolher informações e repassar estudos sobre a matéria. Como disse,  na “Apresentação” do livrinho que resultou desse trabalho, “cuidei de ficar dentro dos limites de minha capacidade interpretativa dos fatos médicos relacionados com o fenômeno do aneurisma, de forma a comunicar, com atualidade, sem invencionices e sem sensacionalismo. Tive redobrado zelo, no trato e retransmissão do que recolhi, em informes, artigos e referências de variadas fontes. O livro está pronto para publicação, sob o  título ”ANEURISMA – O discreto matador-Ele pode estar dentro de Você”. Digo, ainda, que “ele foi escrito por um leigo em assuntos médicos, e dirigido, também, a leigos. Serve para todas as idades e gêneros, mas poderá se identificar melhor com adultos de meia idade e idosos mais maduros. 
          Quem chegou até aqui, vai ver que desejo a todo(a)s um  alegre Natal e um Novo Ano repleto de conquistas proveitosas, inclusive para nosso querido Brasil.

Cordialmente, Aristophanes Pereira


5 comentários:

Blog do Ed disse...

Estimado Diretor Aristophanes
Estava aguardando notícias suas. Elas vieram, vastas, lindas numa linguagem de exímio cultor do idioma luso. Estamos, os amigos todos, com o Natal mais lindo a que poderíamos aspirar. Você está bem, rejuvenescido e feliz! Muitos anos de vida, mais que esses dez aí citados. Está chegando o chip da imortalidade! Um abraço fraterno bem apertado
Edgardo Amorim Rego

divany silveira disse...




Caro amigo Aristophanes,

Torcemos para sua recuperação e sabemos que o amigo está bem, mas,Mestre
Não precisa esnobar os mais novos , lendo sem usar óculos. Quando eu ti-
ve a inspiração de chamá-lo Aroeira do Sertão foi a premonição de que
o sertnejo é forte. Agora, Mestre, descanse um pouco e nada de correr na
praia como eu já denunciei um tempo atrás. Feliz Natal, parabéns para a
família que foi competente e ,sem dúvida, cuidadosa.
-









Anônimo disse...



PARABENS SR; ARISTOPHANES - Que Deus lhe conserve sempre forte e saudável. Satisfação ao ver o senhor bem recuperado. Feliz Natal e Próspero Ano novo.

REVAIR ANTONIO BORGES GOMES disse...

Estimas melhoras.Feliz Natal

Anônimo disse...

Golaço do time da banda não estragada da laranja.

Prenúncio de um 2018 cheio de boas surpresas


Ô Diretor Aristóphanes, até na sua cirurgia consegue uma tese de pós doutorado?

Saúde e muita paz para o Diretor farol que guia essa embarcação que muitos tentam fazê-la sossobrar