BANNER

Acesse aqui!
atendimento@anaplab.com.br
Joinville/SC: (47) 3026-3937
S.J. Pinhais/PR: (41) 3035-2095

quinta-feira, 14 de dezembro de 2017

ROUBOS DE LONGA DATA

NO ROUBO VELHO E NO ROUBO NOVO, O LADRÃO É O MESMO (BB). OS DOIS ROMBOS JUNTOS TOTALIZAM A BAGATELA DE R$ 18.5 (R$ 11 BI EM 1997 E R$ 7.5 BI EM 2010).

       Quando o assunto interessa ao BB, a Diretoria Executiva da PREVI faz o “diabo” para satisfazer os seus propósitos e as suas ordens, considerando a sua forte influência sobre o fundo. Lá atrás, com a instituição da Lei 6.435, em 1977, foi proibido o Sistema de Repartição Simples, por não ser regime financeiro aconselhável, mas o banco desobedeceu à lei e continuou a fazê-lo com a conivência da PREVI, em detrimento dos funcionários do pré-67.
         Depois, em 2010, veio a cereja do bolo, quando a Diretoria implantou a Resolução 26/2008 em flagrante afronta e desobediência a LC 109/2001, essa interpretação ilegal e imoral, inclinada nitidamente para favorecer o patrocinador-BB, acarretou aos associados o bilionário prejuízo de R$ 7.5 bilhões que todos conhecem à exaustão. Esta, porém, não foi a primeira vez que o BB, por meios fraudulentos, nos roubou. Em 1997 isso já havia acontecido com a apropriação indevida dos R$ 11 bilhões dos superávits da época. Os dois roubos juntos totalizam R$ 18.5 bilhões.
      Para dissipar as suspeitas de que a Caixa não seria prejudicada com a Reforma do Estatuto e com o Acerto Financeiro que resultou no nebuloso contrato de 1997, entre BB e PREVI, por meio do qual a nossa Caixa assumiu, graciosamente, o pagamento da Reserva Matemática dos aposentados admitidos antes de 14/04/67 (cerca de 30.000 pessoas), que passou a ser chamado de grupo pré-67, a Diretoria divulgava repetidamente sobre o desempenho financeiro da Caixa, sobre os investimentos em grandes empresas e sobre outros aspectos patrimoniais.
      Para iludir o Corpo Social a aprovar a Reforma do Estatuto, concederam descontos nos saldos devedores da Carteira Imobiliária e liberaram um empréstimo individual simples, para que, numa lógica imediata e simples, se dissipasse qualquer suspeita, pois, tendo o Banco interesse em subtrair financeiramente da Previ, não seria lógico que estivesse apoiando descontos que atingiam cerca de R$ 800 milhões, nem a liberação de empréstimos a todos os funcionários. Ora, mas o objetivo dessas ações era demonstrar potencial e folga financeira da Caixa, para dar ideia de que ela não seria afetada com o Acordo pretendido. O que na verdade era uma falácia e tomamos um prejuízo de R$ 11 bilhões.
      No período de 1967 a 1997, a Caixa de Pecúlio, por manobra do BB, já havia se transformado em Caixa de Previdência (isto ocorreu em 1967) e passou a ser responsável pelo pagamento dos complementos dos aposentados admitidos depois de 15/04/67 (90.000 pessoas), o grupo pós-67 e tal negociação tirou essas despesas de aposentadorias do balanço do banco.  
Como naqueles 30 anos (de 67 a 97) a PREVI só teve arrecadação de contribuições, as obrigações atuariais deste grupo (Reserva Matemática) necessárias para honrar esses compromissos foi estimada em R$ 11 bilhões e o total de reservas capitalizadas foi de R$ 22 bilhões, ou seja, o dobro. Portanto, havia R$ 11 bilhões de superávits para serem distribuídos.
       Por coincidência ou não, o BB necessitava de exatos R$ 11 bilhões para cobrir a reserva matemática do grupo pré-67, da sua responsabilidade, e foi neste momento que deu o bote e abocanhou os ditos R$ 11 bilhões de superávits para cobrir tais despesas. A lei permitia a utilização dos superávits para redução das contribuições dos participantes e patrocinador BB, observadas a proporção contributiva.
O BB por verter contribuições equivalentes ao dobro do funcionário, na base de 2 x 1, logicamente tinha direito a 2/3 dos superávits e os participantes a 1/3. Mas, acabou ficando com tudo e resolveu o problema pendente da reserva matemática do seu grupo (pré-67) sem desembolsar um centavo.
     Para resumir a conversa, o BB conseguiu aprovar a Reforma do Estatuto e fechar o Acordo Financeiro com a PREVI, tudo aprovado pelos dirigentes eleitos e pelo Corpo Social, através de consulta (votação).
      Na época do anúncio do projeto de Reforma do Estatuto e Acordo Financeiro pelo banco, em 1996, havia eleições para a Diretoria da PREVI e a Chapa 4 (Construindo o Futuro) alertou sobre tal pretensão do BB, dizendo que se eleita estaria atenta à questão. Mas após ser eleita, alegando que isso traria perspectivas futuras, tanto para o pessoal da ativa, quanto para os aposentados, e para o próprio patrocinador, passou a apoiar uma proposta de Acordo com o banco.
Os membros dessa Chapa 4, que se autodenominou de “Construindo o Futuro”, talvez o nome mais adequado para qualificá-la fosse “Construindo o Desastre”, que de uma forma ou de outra, apoiaram a doação dos superávits ao BB, são os seguintes: Arlindo Magno de Oliveira; Vitor Paulo Camargo Gonçalves; Paulo Assunção de Souza; Fernando dos Santos Ferreira; Jose Ricardo Sasseron; Celene Carvalho de Jesus; Eugemar Taipinas; Paulo Ribeiro Cordeiro; Fernando Luiz Delgado de Miranda.
Afora os citados, havia outros funcionários, que já estavam na Previ, eleitos para o período 1994 a 1998, e que também defenderam o Acordo com o banco: Antônio Cortizas Nogueirol; Humberto Eudes Vieira Diniz; Francisco Teixeira Nobre e Emerson Máximo Pereira.
     De resto, ficou comprovado que o BB ofereceu uma espécie de “propina”, doping financeiro, para os funcionários votarem a favor da Reforma do Estatuto e do Acordo Financeiro, inclusive concederam, ao arrepio das normas, descontos nos saldos devedores da Carteira Imobiliária de cerca de R$ 800 milhões e liberaram um empréstimo individual simples. 
       Hoje, não há interesse para o BB, de fazer uso do portfólio da Caixa como moeda de troca, porque falta superávit do fundo para aumentar os seus lucros e na ausência de vantajosas oportunidades de enriquecimento fácil, certamente o banco não irá autorizar a Diretoria Executiva a montar o seu pontual balcão de negócios do fisiologismo previdencial, do toma-lá-dá-cá, para obter vantagens financeiras para o patrão-BB.
Será que os Diretores e Conselheiros indicados para a PREVI, em estágio de vigília permanente, espiões de quatro costados, obediência cega, pacto de silêncio, sectarismo extremo à moda dos soldados islâmicos, poderia configurar, de alguma maneira, formação de quadrilha, face aos desvios de conduta aqui relatados? Penso que não chegariam a tanto, mas que parece, isso parece!

       Assim sendo, sem expectativa do ganho fácil para o banco, a Diretoria Executiva fechou as portas e nega qualquer tipo de alteração no ES, seja no limite de crédito ou na ampliação do prazo de amortização para 240 meses, melhoria de sua alçada exclusiva, conforme reza o artigo 4º, §2º, do Regulamento da Carteira de Empréstimos Simples. Essa é uma antiga reivindicação dos tomadores para reduzir o valor das prestações mensais.

(Texto enviado por nosso dileto colaborador JOÃO ROSSI NETO, aposentado do BB, residente em Goiânia-GO)


42 comentários:

Anônimo disse...

Pois é! Lembro-me bem daquela época em que foi proposta a alteração do estatuto e do acordo financeiro com o BB. Meu Deus! Quem se opunha era tachado de burro, ignorante etc. Nas "audiências de convencimento" era proibido criticar. Concederam benefícios para os mais antigos (aposentadoria ao atingir 50 anos de idade etc). Além disso: o BB pagava ônibus para que o pessoal do interior pudesse assistir palestras de convencimento. Um escândalo.
E depois o Sasseron sempre dizia: o estatuto foi aprovado por ampla maioria ...
Tristeza é o que eu sinto.

sss disse...

Esse babado vai dar pano pras mangas. Defunto desenterrado sempre revela a verdade. Essa revelação dá muito material para que as Associações dos aposentados formulem enredos à Justica em busca de reparação,ou não?
O Sr. João Rossi, dessa vez, colocou pra f...

Josué PARANÁ disse...

Caberia ações na justiça para a reparação desses danos? Não teria já os direitos prescritos? Eu sei que o mal não prevalecerá mas a injustiça caminha anos e anos sufocando os legítimos donos de todo esse dinheiro. Com a palavra, quem entende.

Anônimo disse...

Curiosidade de saber o quanto estes valores estariam hoje corrigidos e /ou em aplicações no nosso Fundo. Se alguém pudesse calcular, seria interessante.

Anônimo disse...

O CNPC acaba de editar medida criando o COMITE DE AUDITORIA, independente e externo. Votos contrários Anapar , Abrapp e os patrocinadores dos fundos.
Alguns dos nomes citados neste post chapa 4 estavam presentes como integrantes dos contrários.
De outras vezes se manifestaram contrários ao PLP 268 que introduzirá mudanças nas administrações dos fundos de pensão, se aprovado no Congresso brasileiro.
Citada chapa nos remete a lembrança de outra chapa , a chamada chapa 3.
Como nas mudanças e acordos relatados, quando o Banco "recompensou" suas aprovações , o mesmo ocorreu em 2010. Para se ter " um pássaro na mão antes que dois voando " a reversão de valores , os 7,5 bi foi referendada.
Não resta dúvida de que em futuras votações (de interesse do Banco), a maioria vai aprovar. Vejam o SIM vencendo nas votações CASSI de 1997, 2007 e agora em 2017 com o 1% extra.

caos e ordem disse...

Preparem-se para uma medida judicial para retirar do blog esse texto que chama o BB de ladrão. ´E sempre assim, ao envés de melhorar o sistema e reparar os erros (devolvam o que é nosso), mandam retirar o sofá. Sou José Citeli do blog CAOS E ORDEM.

Anônimo disse...

Colegas,

Participei de uma dessas reuniões e fiquei escandalizado quando me disseram que era bom entregar 11 Bilhões ao BB, lá naquela época, Façam o calculo de quanto seria nos dias de hoje.
E tem mais...
Sindicalistas, segundo o que corria à boca-pequena, para votarem no BB teriam a presidência e diretorias no Previ, que depois seriam barrados por um voto de minerva.
Quanta coisa foi dita de lá prá cá que assusta, pelo menos a mim um velho, NÃO TRAMBIQUEIRO, que só quer uma vida digna e respeito.


Anônimo disse...

O Sasseron enganou, ludibriou e traiu os participantes do Plano 1 ao se empenhar pela aprovação do acordo em 2010.

Anônimo disse...

Entregaram a fortuna, sacanearam os pós 97 e tudo perfeitamente dentro da democracia.
Se fosse em Cuba ou Venezuela seria uma medida ditatorial, mas como estamos num Estado Democrático de Direito foi feito de maneira supostamente "limpa"


6 tão é de sacanagem

Anônimo disse...

$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$


PLP 268 JÁ PARA TRANSFORMAR EM SUPER PREVIDÊNCIA




$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$

Anônimo disse...

POR QUE O HODIERNO CAPITALISMO É UMA ESPÉCIE DO GÊNERO CONSPIRAÇÃO?

-Simplesmente porque tal mercado é apenas uma pirâmide financeira. Ademais, toda pirâmide financeira têm um tempo de vida limitado, como a seguir iremos observar.

Trader anônimo

P.S.: naturalmente, os textos que publicamos ontem é apenas uma pequena parte das observações que registramos e que sustentam que O HODIERNO CAPITALISMO É UMA ESPÉCIE DO GÊNERO CONSPIRAÇÃO. Voltaremos ao tema, tão logo seja possível. Ademais, o mercado bursátil brasileiro está muito estranho hoje!

Anônimo disse...

Não só o citado se empenhou para o "acordo".
Os que tem se manifestado contra mudanças no sistema de administração dos fundos, em particular no caso a Previ, são "os mesmos de sempre" e mais alguns novatos estreantes. Aguardem eleições de 2018 Previ. Lá estarão.

Anônimo disse...

Isto é a verdade , nada mais que a verdade , pura verdade, e aí temos que recuperar está fábula de dinheiro que é do fundo. Com a palavra as Entidades e Associações.

Humberto Stumpf disse...

Não foi a primeira vez, e tomara que seja a última, que Sasseron e companheiros agem de forma contrária aos interesses dos aposentados BB. Tá mais do que na hora de deletar esses nomes nas próximas eleições. Chega de trairagem não é mesmo Arnaldo?

Humberto disse...

Não foi a primeira vez, e tomara que seja a última, que Sasseron e companheiros agem de forma contrária aos interesses dos aposentados BB. Tá mais do que na hora de deletar esses nomes nas próximas eleições. Chega de trairagem não é mesmo Arnaldo?

Anônimo disse...

Nos comentários anteriores, onde lemos: POR QUE O HODIERNO CAPITALISMO É UMA ESPÉCIE [...], devemos ler: POR QUE O HODIERNO CAPITALISMO bursátil É UMA ESPÉCIE [...]

Trader anônimo

João Rossi Neto disse...

Caro Ari e colegas,

Comentários que se fizeram necessários para elucidar ainda mais o texto publicado acima.

Gente decente e sofrida se a Resolução 26/2008 que serviu de instrumento torpe para o rombo ardiloso de R$ 7.5 bilhões que incidiu sobre os superávits e que pelo artigo 20 da LC 109/2001 seriam destinados e carreados para a melhoria de nossos benefícios, fosse documento jurídico isento, sério, honesto, sem engenhosidade e malícia, o MPF não teria entrado com a ACP. Onde tem fumaça tem fogo. As fartas ilegalidades contidas no texto da resolução levaram o Juiz do feito a prolatar sentença desfavorável a PREVIC.

Nós, associados, não podemos tapar o sol com a peneira, ficar de joelhos, de chapéu debaixo do braço e dizer sim senhor para os poderosos arbitrários e de ousadia ilimitada que, reconhecidamente, são artífices desalmados dos golpes e das maquinações cavilosas para lesar o fundo de pensão que garante o nosso sustento e da nossa família.

Dinheiro não nasce em árvores, não aceita desaforo e não é fonte inesgotável de moedas. Um furo aqui e outro acolá, um dia acaba e quem vai meter a mão no bolso ou no cofre para pagar os benefícios em dia.

Para não irmos, amanhã, para a sarjeta, como foram vários outros fundos, temos o dever de denunciar sim os esquemas sub-reptícios e todo tipo de tramas subterrâneas insidiosas inventadas para drenar e subtrair o nosso patrimônio.

Como se não bastasse o sagrado direito moral de espernear, temos assegurada pela Constituição Federal, no artigo 5º, inciso IV, a livre manifestação do pensamento, desde que não seja do anonimato.

Algumas pessoas, ocultas pela negritude das trevas, ameaçam-nos do anonimato, possivelmente em nome de terceiros, quiçá seus patrões, querendo nos amordaçar e nos calar como se estivéssemos inventando calúnias, difamação e injúria. A verdade que culminou com o episódio da Reforma do Estatuto e do Acordo Financeiro está escancarada, há bastante tempo, de forma minuciosa no google, pelos autores primitivos.

Na realidade, em relação a esse rosário e cipoal de fatos e informações da conturbada e promíscua relação do BB com a PREVI, simplesmente ressuscitamos o assunto através de um flash back, um revive e da bring back to life. As verdades continuam do mesmo tamanho das que foram publicadas no passado (google) pela UNAMIBB, FAABB, Ruy Brito e outros, sem aduzir uma vírgula a guisa de ineditismo. Quem quiser revisitar e rebuscar o tempo ido para tirar satisfação com eles que o faça. Cada cabeça, uma sentença.

Como camuflar que em 1997, o BB transferiu para a PREVI o seu compromisso de custeio do grupo pré-67, cuja reserva matemática era de R$ 11 bilhões, e numa esdrúxula inversão de papéis foi à credora (PREVI) que pagou com os seus recursos, a dívida do devedor (BB).

Outro fato que causou estranheza foi o Acordo do banco, formalizado em 24/12/97, ter sido homologado em despacho as pressas da mesma data pela SPC, tudo para que o negócio fosse sacramentado antes do balanço da nossa Caixa, para evitar que os superávits fossem destinados aos associados.

De acordo com o Dec. Lei 606, os superávits teriam que ser usados para reduzir contribuições e melhoria dos benefícios, no entanto, foram utilizados irregularmente para quitação da Reserva Matemática, que é despesa de custeio.

Anônimo disse...

Para quem tem açoes contra a Previ em andamento na justiça do trabalho e ganhou,uma boa noticia:a divida serah atualizada monetariamente pelo ipca-e e nao mais a tr. Isso significa que, com a mora de 1% am, os reajustes regulares do plano e o ipca, vc poderah receber um valor de ateh 40% a mais do que ao que teria a receber na semana passada. Por outro lado,significa que a insistencia da Previ em ficar protelando a liquidaçao das açoes por tempo indefinido, atraves de todos os recursos possiveis,levarah, em um futuro nao muito longe, a afetar gravemente as finanças do Plano. Alguem que ja foi vitorioso, porexemplo, na incorporaçao de horas extras poderia falar sobre o montante recebido, sem cifras se preferir, para que possamos aprofundar a questao. So eu tenho duas em andamento, com transito julgado ha dois anos, se arrastando na fase de execuçao, o montante crescendo exorbitantemente, e nada da Previ tentar pelo menos conciliar. E agora com o Ipca, uma merreca de he e gratif de cx pode ultrapassar o milhao.

Divany Silveira disse...



COLEGAS, ALGO ME DIZ QUE A 25ª HORA ESTA PRÓXIMA; É O PRINCIPIO DO FIM !!

Mestre e demais cristãos espoliados. Estamos chegando a um ponto que não
dá para aceitar a ocupação do nosso espaço que foi conquistado com o suor
diuturno do nosso esforço e conosco ocorre o mesmo que a gente vê acon -
tecer no mundo; isto é, uns poucos granfinos com uma linguagem de falso
brilhante acobertados por uma cúpula cujo conceito anda mais baixo que
nosso saldo do Cheque-Ouro se aboletou em cargos de comando e fiéis à-
queles principios de ´ditadores medíocres que pululam pela américa do
Sul : "primeiro os meus, Mateus " se esquecem que tudo na vida tem prin
cípio,meio e FIM e o último ítem deste ditado está chegando ao fim ,
Graças a Deus e tomara , tomara mesmo,que seja de forma civilizada.

Anônimo disse...

A quem interessar possa:

https://complemento.veja.abril.com.br/economia/calculadora-indenizacao-poupanca/

https://www.jurisway.org.br/v2/Calculo_Expurgos_Poupanca2.asp

Anônimo disse...

Já surtiu efeito desejado. Portanto, a mensagem subliminar sai de cena.

Anônimo disse...

Mestre, acabei de ler no site da Previ, não tera contribuições adicional em 2018?

Anônimo disse...


A despeito da elucubração dos mais gabaritados experts no ramo, é importante que seja ressaltada a abissal diferença entre competência X subserviência.
É aquela coisa de não confundir o tratado de Tordesilhas com tarado atrás das ilhas


Era isso

gasampa2012 disse...

Está no site Antagonista:


Procuradoria recomenda que a Caixa troque seus vice-presidentes
Brasil 15.12.17 20:08

O MPF em Brasília recomendou à Caixa Econômica Federal que troque todos os seus vice-presidentes e que contrate novos por “processos seletivos impessoais”, diz Fausto Macedo.

“A existência de diversas figuras proeminentes na administração da CEF em casos investigados e/ou alvos de investigações (…) comprometem a isenção dos agentes, a acessibilidade de informações necessárias à apuração interna e externa pelos órgãos de controle e a confiabilidade nas operações firmadas e em estágio de contratação”, diz a recomendação do MPF.

A Procuradoria pediu que a Caixa leve em consideração nas contratações as irregularidades descobertas pelas operações Greenfield, Patmos, Sépsis e Cui Bono.


Ari Zanella disse...

Caro colega das 18:45

Sim. Não haverá contribuições EXTRAS que seriam necessárias caso o percentual que excedesse a um outro permitido de DÉFICIT se concretizasse. Eles dizem que é notícia alvissareira, para mim não é. Ano passado fomos salvos pela venda de um ativo importante de energia em SP. Este ano, com a bolsa batendo recordes históricos, estes INCOMPETENTES alardeiam que o rendimento do plano "bateu longe" a meta atuarial (Meta: 6,46 Rendimento do Plano 10,46) até 30.11
Não considero isso uma "grande" vantagem, tendo em conta que os níveis da bolsa subiram demais. Porém, nota-se autoelogio de dirigentes, como a nos dizer: "Veja bem, somos craques, merecemos os bônus".

Por outro lado, contam vantagem que a PREVI foi "menos ruim" se comparada aos 3 maiores fundos nacionais. Claro! Com FUNCEF, POSTALIS E PETROS arrombados pelo governos Lula/Dilma ficou fácil demais.

Por que não miram o Fundo Valia que até hoje paga superávit???

João Rossi Neto disse...

Caros colegas,

Por tudo que já fez, faz e vai fazer, o amigo Ari Zanella é o homem certo para a Diretoria de Seguridade e eu estou cem por cento com ele nessa empreitada rumo a PREVI, no processo eleitoral de 2018 que se avizinha.

Na realidade, enquanto a LC 108/2001 não for alterada, o patrocinador-BB, por força desse Diploma Legal, vai continuar mandando sozinho no fundo de pensão, queiramos ou não. Diante disso, nenhum Diretor eleito, ainda que queira, coisa difícil de acontecer, terá autonomia para aprovar medidas para nos favorecer.

No máximo, o que o dirigente eleito pode prometer é luta. Ouvir os associados e pelo menos levar as suas propostas para o plenário da Diretoria Executiva. Ser honesto e fiel à causa, sem se deixar corromper pelas miragens financeiras das empresas participadas. Antes, durante e depois, eu nunca pensei em me candidatar a cargos na PREVI e agora muito menos.

Acredito piamente no Ari e precisamos, todos, apoiar e eleger o Ari para a Diretoria de Seguridade, pois somente assim teremos transparência, Diretor confiável,boa vontade e bons olhos com as pretensões do Corpo Social.

Anônimo disse...

Trabalhava em Brasília quando a associação mencionada pelo homônimo de 19:32 foi inventada. O principal articulador trabalhava na presidência. Os sinicalista, no início, viam-na como ameaça. Hoje lambuzam-se na defensora "dos alemão"que é bancada pelas vítimas

Tô véi pra incardi...

WILSON LUIZ disse...

SEM CONTRIBUIÇÃO EXTRA EM 2018

Abaixo, parte da publicação no site da PREVI sobre o assunto.

"Bons resultados do Plano 1 evitam contribuições extraordinárias.
Desempenho dos investimentos até novembro de 2017 cobriu a parte do déficit técnico de 2016 que deveria ser equacionado.
O ano termina com uma boa notícia para os associados do Plano 1. O bom desempenho da carteira de investimentos entre janeiro e novembro de 2017 gerou um resultado líquido positivo de R$ 5,7 bilhões. O valor é suficiente para cobrir o déficit técnico acumulado a ser equacionado, apurado em 31/12/2016, no valor de R$ 1,4 bilhão, sem a necessidade de contribuições extraordinárias, assim como já tinha acontecido em 2016".

Estava reservando o fabuloso reajuste de 1,99%(chute) a ser concedido mês que vem para fazer face a aumento de contribuição, agora posso analisar a oferta do clube de benefícios para comprar BMW com desconto.

Ari Zanella disse...

Muito sensibilizado agradeço do fundo do meu coração a manifestação cordial do amigo Rossi. Para a Seguridade eu toparia, entretanto, esta diretoria (Seguridade) terá eleição somente em 2020. Lembremo-nos que o Marcel foi reeleito ano passado, daí somente daqui a mais 3 anos.
Neste próximo ano as cadeiras em disputa serão: Planejamento (DIPLA) ex-Décio, ex-Zeca, agora num mandato tampão e Administração (atual Cecília Garcez). Em 2018 sai a chapa 3 da qual este blogueiro participava.
Mas este assunto deve sim tomar nossas atenções desde agora, as eleições serão em abril e precisamos formar uma chapa independente. Até aceito qualquer cargo em conselhos, para a diretoria ainda não. Temos nomes de excelente expressão eleitoral como o diretor Aristophanes, o Edgardo Amorim, o Nereu Lagos, o Dr. Medeiros, a Leopoldina Correa, o Wilson Luiz, etc. Bom seria a diversificação geográfica, do tipo um catalisador de votos de São Paulo, outro do Paraná, um do Nordeste, Brasilia e por aí vai.

NIVALDO ELIAS DOS SANTOS disse...

Prezado Sr. Ari Zanella,
Lendo e relendo a postagem do Sr. Joao Rossi Neto no dia 15/12/2017, fico entre confiante e desalentado.
Explico: quando da eleicao em que tivemos a chamada "Chapa 3", eu que moro em Sao Paulo, percorri nada mais que 11 agencias, como cabo eleitoral espontaneo daquele pessoal, pois tinha-os como os redentores da Previ. Porem, tao logo a chapa 3 tomou posse, nao demorou nada para que seus integrantes comecassem a divulgar que a situacao era dificil e que todos estavam com as maos e bocas amarradas pelas "forcas do lado de la" e que nada podiam fazer de efetivo para aliviar nossos anseios (dos aposentados, fique aqui claro).
Bom, pareceu-me que a boa situacao financeira a que essas pessoas passaram a ter, fez com que perdessem o interesse de olhar para a nossa situacao de eternos pedintes desesperados. Para se verem livres de nossos questionamentos, houve quem colocasse o seu blog "em manutencao perene", outros nem publicavam ou respondiam aas nossas questoes.
Se de fato, as eleicoes na Previ sao somente "Pro-Forma", usadas para uma demonstracao de uma Democracia simbolica, fica sempre a seguinte questao em minha mente: "Para que batalhar por colegas para que sejam eleitos e venham a ocupar cargos que deveriam nos representar "de fato" , se a unica coisa positiva que daih virah eh que esses colegas passarao a ter um otimo novo emprego bem remunerado, mas nada poderao fazer por nos associados, tendo em vista que a ditadura imposta na Previ pelo Banco do Brasil eh muito forte e intransponivel?
Pediria muito que o Senhor nao me levasse a mal pela minha franqueza, que de maneira nenhuma pretendo que seja desrespeitosa, mas eu me sinto muito desanimado com tudo que vem ocorrendo na Previ e com seus dirigentes que parece-me "de fato" sao os donos do Fundo.
Tenho 2 colegas aposentados, que estao passando necessidades serias para SOBREVIVER. Sei a historia dos dois e de suas familias e posso dar minha palavra que nao sao "velhinhos tranbiqueiros". Sao pessoas que deram o sangue pelo Banco do Brasil, trabalhavam mais de 12 horas por dia e em muitos fins de semana graciosamente e hoje sao "pedintes" e "dependentes" do Emprestimo Simples.
Encurtando, fica aqui a minha pergunta humilde, respeitosa e sobretudo sincera: Havendo a possibilidade de o Senhor se candidatar aa Diretoria de Seguridade da Previ e se elegendo, o Senhor terah condicoes reais e palpaveis de fazer algo "de fato" que possa a vir a ajudar milhares de colegas idosos e desesperados como esses meus dois amigos e vizinhos acima mencionados? O algoz Sr. Marcel que ha tanto tempo ocupa essa posicao, tem o poder de fato para fazer algo como melhorias no ES e nao o faz somente por ser o "Sr.Marcel"?
Por favor, o Senhor acha que na mesma posicao nao se esquecerah desses irmaos que estao remando em canoas furadas, no final de suas vidas, depois de terem feito e vivido tanto em prol do Banco do Brasil?
Por favor, mais uma vez, diga algumas palavras para me tirar dessa confusao mental em que me encontro.
Abracos, bom Natal e Prospero Ano Novo.

gasampa2012 disse...

http://economia.estadao.com.br/noticias/mercados,para-evitar-fraudes-fundos-de-pensao-terao-regras-similares-as-de-bancos,70002121983

João Rossi Neto disse...


Caro Ari e colegas,

O INPC acumulado de janeiro a novembro/17 totalizou 1,79%. O meu instinto visionário me permitiu antever que o Governo temer vai nos presentear em dezembro, com um INPC negativo, justamente para deixar arredondar em 2%, a reposição da inflação, senão iríamos transformar em farelo a Previdência Oficial (INSS) que está em frangalhos financeiramente falando. Em sendo deflacionário esse indexador de dezembro, haverá um desconto, no achismo, de -0,19% e efetivos 1,60% de "reajuste" em jan/18. Seria uma injustiça dar os méritos dessa engenharia financeira apenas para o "temer", por isso os aposentados parabenizam o IBGE pela elaboração magistral dos cálculos.

Ari Zanella disse...

Prezado colega Nivaldo,

Suas colocações foram ótimas. De fato, as mordomias e boa remuneração extraordinária entorpecem a maioria dos que ocupam tais cargos, aliado aos bônus de participação em empresas participadas.
Por tal, não me apresento nestas condições. Mas no que se refere à diretoria de Seguridade, ela de fato tem uma autonomia em relação às demais. As regras do ES são internas, de alçada da própria diretoria de Seguridade. Se o Marcel quisesse podia implantar a maioria das proposições dos associados sem qualquer problema. Eu te asseguro que fosse eu implantaria sem medo algum. Todas as alegações dele são frágeis. Diante do bem coletivo, agir com proatividade é essencial. Em conversas em seu gabinete (Marcel) quando lá estive eu sentia muita desinformação da parte dele. Para responder a um questionamento meu, ele ligou internamente a um assessor chamado Manoel Jorge (Major), hoje aposentado.
Então, sinto-me à vontade para ajudar os aposentados. O dinheiro não mais me compra. E se não for possível ajudar os donos do fundo, renuncio, mas tenho certeza que isto não será necessário.
Forte abraço, amigão.

caos e ordem disse...

Oi Arizão, vai mesmo ser candidato a Diretor de Seguridade? Quero começar a campanha já. Sou José Citeli do blog Caos e ordem

NIVALDO ELIAS DOS SANTOS disse...

Que coisa boa poder conversar com pessoas que respeitam nossos sentimentos, nossos medos, nossas esperanças e nossa desinformação. Muito obrigado Sr. Ari Zanella.

Humberto Stumpf disse...

Prezado Ari e colegas:

Aqui no sul do país, tem uma música do folclore regionalista gaúcho, com seu linguajar popularesco, que diz:
"Não podemos se entregar pros homens, de jeito nenhum amigo e companheiro,
Não tá morto quem luta e quem peleia,
Pois lutar e a marca do guerreiro"

Assim, será que vamos nos entregar pros homens novamente?
Mas de jeito nenhum, colegas e companheiros.

Então, vamos nos UNIR em torno de uma chapa forte, com a participação do Ari Zanella e outros nomes de colegas que, além do aprofundado saber dos meandros da Previ, estejam dispostos a realmente defender os oprimidos colegas aposentados/pensionistas da Previ.

Urge formar essa chapa de imediato, eis que as inscrições já se iniciam em fevereiro 2018, e nesta época de final/início de ano, acontece ao natural uma desmobilização dos grupos, em vista de férias, viagens, etc.

Os do outro lado contam com essa desmobilização de parte dos aposentados, e creio que eles já estejam com sua chapa pronta, aguardando apena o momento apropriado para iniciar sua campanha, enquanto nós ainda nem abrimos discussão em torno de nomes que poderiam formar essa chapa forte e unida.

Assim, Ari e colegas, detonem o início desse movimento, mesmo que de forma silenciosa, pois não podemos ficar esperando a banda passar, pois, pelo pouco que sei, apenas o autor dessa música recebe direitos autorais enquanto a banda passa.

Após formalizado a chapa e feita divulgação entre os colegas, creio ser necessária contribuição financeira para alavancar a campanha, pois os gastos não são poucos, então sugiro seja criado um comitê de arrecadação de fundos para suprir essas despesas. Dentro de minhas possibilidades, estarei contribuindo assim que dado início ao processo, pois parafraseando aquela mensagem publicitária de determinado cartão de crédito: "Tirar aquela turma de lá, não tem preço".

Favor informar como me tornar associado da Anaplab, pois quero prestar minha colaboração a essa entidade que tanto labuta em prol dos associados.

Um abraço.

Humberto Stumpf

Ari Zanella disse...

Grande amigo José Citeli ( do Blog Caos e Ordem )

O meu candidato seria o João Rossi Neto. Ele não quer mas será o meu "ministro da Casa Civil" sem cargo (kkkkk). Mas a eleição é para 2020. Até lá muita água vai correr no rio em direção ao mar. Você, caro José, eu já conheço e sei de sua integridade. Gente boníssima! Alegra-me conhecer o Nivaldo Elias (surpresa agradável). Que bom fazer amigos, como isso reconforta o coração! Se sair candidato quero ir pessoalmente visitá-los em São Paulo. Não se ganha eleição sem gastar a sola do sapato. Que Deus, Pai de todos nós, nos proteja e nos guarde, amém!

Ari Zanella disse...

Amigo Humberto, muito bem dito!

Não podemos nos esconder. A luta é renhida. Apoio todo nome de consenso, que agrega os aposentados e pensionistas. Eu pessoalmente gostaria de ver o doutor Medeiros como diretor da PREVI. Uma pessoa aglutinadora e muito inteligente. Vou ligar pra ele e fazer o convite. Por mim o processo já está deflagrado! Vamos que vamos!

(Quinta me ligou de Minas a pensionista CLÁUDIA MÁRCIA SANTANA, dando-nos irrestrito apoio nos moldes do que fez o Humberto logo acima. Cláudia é muito querida, filha de um "grandão" do BB já falecido, sua mãe também já falecida. Restou a Cláudia, solteira, que herdou a pensão. Ela apoiou o Humberto, o Divany e todos colocou-se à disposição para nos ajudar no que for preciso.)

Humberto Stumpf disse...

Prezado Ari, então já podes contar com meu apoio incondicional. Gostaria que retransmitisse ao Medeiros o meu comentário acima postado. Contigo e com o Medeiros CANDIDATOS em 2018 Não tem quem segure essa chapa. A proposito, já estou em campanha.

divany silveira disse...



O SENHOR É MEU PASTOR E NADA ME FALTARÁ NA LUTAM PARA COLOCAR UM BOM DIRETOR NA PREVI !!!!


INESGOTAVEL MESTRE ARI, acho que o Rossi que se expôs bastante no sentido de cobrar dos
dirigentes os nossos direitoe e até com vistas a despertar a atenção do grupo para a ne-
cessidade de estarmos vigilantes para defender nossos interesses e,porque não dizer ,
nossa sobrevivência pois há muita gente na PREVI que não merece confiança. Assim.creio
que o Rossi está fazendo o que toda pessoa ética faria,ou seja, dando a entender que
não fez para angariar o cargo, mas por vocação e fidelidade ao grupo. Acho mestre, que
os notáveis do PB-1 deveriam convence-lo a a se candidatar,pois ninguém nega que ele
tem competência, experiência, e garra para pegar no pé daqueles granfinos da PREVI .
Quero que saibam que não me incluo no rol de amigos do Rossi mas longe de mim negar que
ele é o homem da vez . Seria o caso de alguns colegas, com lugar certo na mesa das de -
cisões, levantasse esta questão com o João Rossi. Por outro lado, também batalharei
como se lutasse pra minha família, o que na prática não deixa de ser, com toda força
para a eleição do meu caro, e como é caro, Ari Zanella que é uma pessoa diferenciada
e que terá todo o meu apoio e meu empenho pra o que for preciso,apenas tenho receio que
sua ausência do Blog é prejuizo para nossa causa, dada a dedicação que o Mestre dedica.
Espero ser compreendido. Bom domingo !!!












divany silveira disse...



Adendo aO meU comentário de minutos atrás !!!

Não deixei de pensar que dada a grandeza dos problemas que nossos diretores terão de
enfrentar , acho aconselhável pessoa com idade não avançada, em vista da intensidade
dos problemas a serem tratados, dada a grandeza da PREVI .

DIVANY SILVEIRA

Ari Zanella disse...

Prezado Professor Ari Zanella;

É com grande satisfação que comunico a conclusão da cirurgia do meu pai com total sucesso. Ele lhe agradece as valiosas atenções, bem como, abraça todos os colegas do blog.
Cordialmente,

A filha Marianne