terça-feira, 24 de outubro de 2017

SENHOR PRESIDENTE,

       CARTA ABERTA AO PRESIDENTE DA PREVI, GUEITIRO MATSUO GENSO.

As críticas ao ES se restringem maciçamente sobre o prazo de 120 meses julgado insuficiente e inadequado para a reposição do empréstimo. As demais condições operacionais aplicáveis à linha de crédito são aceitas sem reservas dignas de nota. 
Por se tratar de procedimento inseparável da boa técnica bancária, as instituições financeiras têm por norma precípua e lapidar, a prática contumaz e arraigada de analisar sempre a capacidade de pagamento como fator preponderante para o deferimento dos empréstimos e financiamentos, ou seja, a renda do tomador, para estabelecer prestações de valores razoáveis e mais baixos que caibam com facilidade no orçamento (fluxo de caixa) do peticionário, tudo, obviamente, não só para viabilizar o retorno do capital mutuado, mas, também, para a integral satisfação da clientela, de sorte a preservar a segurança do negócio e a necessária pulverização do risco futuro e, sobretudo, para evitar a indesejada inadimplência, preocupação que cerca todos os pontos ora listados e se reverbera pelo mercado, menos no reduto imperial da Diretoria de Seguridade da PREVI, dona absoluta da verdade.
Diretoria de Seguridade essa que, na contramão do mercado, faz exatamente o oposto, despreza variável importante como o fluxo de caixa e ignora as ponderações dos tomadores que postulam maior prazo (240 meses) para suavizar e baixar o valor das parcelas mensais com o objetivo de obter menor impacto no orçamento doméstico.
Alheia e insensível ao desejado, não autoriza nenhuma ampliação que extrapole os atuais 120 meses, o que resulta em prestações de valores elevados, consistindo tal medida do capitalismo selvagem, em uma armadilha cavilosa para quem tomar o crédito, na medida em que terá nível de comprometimento maior sobre o líquido dos benefícios, aspecto concreto de efeito fulminante e nocivo que evidentemente reduz o poder de compra pelo enxugamento nas finanças e o torna eterno dependente do Fundo de Pensão.
Dotadas de expertise e poder de negociação, as outras entidades creditícias captam no mercado o dinheiro para emprestar e, por isso mesmo, buscam fidelizar e encantar seus clientes com tratamento mercadológico diferenciado e se dedicam a satisfazer as necessidades destes ao máximo possível, observada a máxima do ganha x ganha, isto é, o negócio tem que ser bom para as duas partes (investidor e tomador).
Na PREVI, tal metodologia comercial de ganhos para os dois lados seria bem-vinda, contudo falta sensibilidade a Diretoria de Seguridade para atualizar métodos de tratar bem os associados, a atual política é anacrônica e ultrapassada, já que os tomadores dos empréstimos estão ligados visceralmente a ela, em um caminho sem volta, como se tivessem comprados passagem apenas de ida. Impotentes e sem forças para reagir ao status quo são obrigados a aceitar o que vem forçado de cima para baixo, ordens ditadas pela Diretoria de Seguridade. Parece uma escolinha, onde só manda o professor de plantão.
Por obrigação, o Diretor repassa para os associados o próprio dinheiro que lhes pertence, sempre com as restrições de praxe cada vez mais agudas, não tendo, portanto, trabalho algum de fazer captação no mercado. A despeito disso, ao invés de melhorar a qualidade de vida deles, os faz sangrar e fabrica empecilhos técnicos para dificultar o crédito, conforme se comprova pela recente mudança no cálculo da MC.
Só para contextualizar, nessa “brilhante manobra” misturou óleo com água, ao adicionar a segregada margem de 70%, antes exclusiva para financiamentos imobiliários, operações de investimentos e de rito diferente, inclusive pela garantia real, hipotecária, à margem de 30% (capital de giro) que é o teto legal para empréstimos consignados, gerando a fórmula mágica, resultado desastroso que veio para contingenciar o grau de endividamento, segundo alega a Diretoria dessa miscelânea diabólica, cujos efeitos deletérios, para variar, são prejudiciais aos direitos e conquistas dos associados.
 Na realidade, o ES é um produto quebra galho, paliativo, que não satisfaz as necessidades dos associados em termos do exíguo prazo para pagamento e como não há as revisões solicitadas neste particular, às críticas recorrentes vão se repetir enquanto uma solução lúcida não for tomada, pois, efetivamente, é um caso típico de relação negocial mal resolvida, tanto que ao longo dos anos, a Diretoria de Seguridade tem abusado do direito de prestar esclarecimentos adicionais aos tomadores, sem lograr êxito.
Amontoam-se os fracassos colhidos nas inúmeras tentativas frustradas de demonstrar o alcance dos benefícios embutidos nessa linha de crédito, tida como uma panaceia ou o “Santo Graal” para a sobrevivência dos associados devedores que, por sua vez, refutam a maioria das falsas regalias alardeadas pela Diretoria de Seguridade, em notória antinomia nas regras do ES.
O Diretor de Seguridade sabe sobejamente que o ponto de estrangulamento e a raiz da insatisfação do Corpo Social estão, sem dúvida, no curto prazo (máximo de 120 meses) para a reposição do ES, cunha técnica irracional e responsável direta pela elevação no valor das prestações mensais e que aprofunda a penúria dos devedores, porém, recalcitrante ao extremo, não aceita defender, junto a Diretoria Executiva e no Conselho Deliberativo, a ampliação do prazo do ES para 240 meses, solução ideal que pacificaria os ânimos e colocaria termo nessas antigas reivindicações que se prolongam eternamente por intransigência insana e exagerada, perto da qual, justificar como “excesso de zelo” seria mero eufemismo.
Em, 13.10.17, a Diretoria de Seguridade, numa prova cabal de que nem mesmo ela está convencida acerca das suas explanações anteriores que volta ao assunto e traz a lume novos esclarecimentos sobre o funcionamento do ES, em inequívoca tentativa de explicar o inexplicável, porque na verdade, o produto não satisfaz às necessidades dos tomadores, nem tanto pelo valor do limite de crédito, mas, sobretudo, pela exiguidade do prazo de reposição, consoante tem sido exaustivamente postulado por aqueles que entregam o sangue para saldar a dívida nas normas desumanas e inflexíveis em vigor.
Enfim, bastaria elevar o prazo de pagamento do ES para algo entre 200 e 240 meses para solucionar esse antigo impasse que, a rigor, assemelha-se a uma queda-de-braço, uma demonstração de força imbecil e despropositada, sem respaldo técnico, resquícios de ranço arbitrário de regimes ditatoriais, onde quer fazer prevalecer pela lei do mais forte, a vontade isolada, visão administrativa estreita e tacanha da Diretoria de Seguridade que, pela força do cargo, acabou sufocando e sepultando reivindicação justa e plausível de grande contingente de associados, por sinal, dono do dinheiro emprestado.
É lamentável a incapacidade para administrar conflitos banais, onde a tônica é a falta de bom senso. Realmente configura atitude irracional um Diretor tentar alijar de utilizar os benefícios dos recursos amealhados para as aposentadorias, durante a vida laboral, pelos verdadeiros proprietários do Fundo de Pensão. O ES é apenas um mecanismo legal para isso, um empréstimo que será quitado. Aqui não existem benesses explícitas e nem veladas. O associado em sã consciência não se presta a sordidez de vender dificuldades para obter facilidades.
Unicamente o que se pede é simplesmente prazo maior para possibilitar prestações mensais menores e ter alguma reserva de oxigênio para respirar, especialmente neste momento de tempestades torrenciais, com crise política, econômica, ética, de confiança e não temos Reservas Especiais (superávits) para cobrir o astronômico déficit acumulado até setembro/17 (vide publicações da PREVI) superior a R$ 7 bilhões, afora o fato de que teríamos de possuir superávits acima de R$ 30 bilhões para respaldar a Reserva de Contingência de 25% sobre a Reserva Matemática para pensar em uma revisão no PB-1 e em melhorias nos benefícios, ou seja, o nosso futuro não é promissor. Estamos no mato sem cachorro. Se serrarmos o galho em que estamos sentados, teremos no chão, à nossa espera, o tigre de bengala (Diretoria de Seguridade). 
Relativamente aos RISCOS, pinçamos parte do que a própria Diretoria de Seguridade publicou no site da PREVI, reproduzido abaixo, para nosso juízo de valor:
(...) “Uma vez que as prestações das Operações com Participantes são cobradas em consignação na folha de pagamentos do Banco ou na folha de benefícios de aposentados e pensionistas, o risco é baixo.
Cabe notar que risco baixo não é o mesmo que risco zero. As Operações com Participantes também possuem algum nível de incerteza, ainda que pequeno. Os dois principais fatores de risco são inadimplência e morte. O primeiro caso pode ocorrer se a capacidade de pagamento de quem contratou o empréstimo ou financiamento ficar comprometida, como no caso de uma redução na remuneração. O segundo significa que a dívida não será paga pelo contratante no caso de seu falecimento antes do fim do prazo da operação.
Por causa desses riscos e por se tratar também de um segmento de investimento do patrimônio dos planos, a PREVI deve ser cautelosa na concessão de crédito, pois tem o dever de buscar o equilíbrio entre o serviço prestado aos associados e a necessidade de garantir o retorno. Hoje, cerca de metade dos participantes não são mutuários, ou seja, não possuem operações vigentes com a PREVI. Garantir o pagamento dos empréstimos – e a rentabilidade da operação – é, portanto, uma forma de assegurar que o patrimônio dos planos seja bem utilizado em benefício de todos, mutuários e não-mutuários.
Uma das medidas que a PREVI precisa adotar para proteger o patrimônio de todos os participantes é não ampliar indefinidamente limites e prazos para o Empréstimo Simples, para garantir que todos os mutuários possam pagar seus empréstimos. Pela mesma razão, o prazo de concessão foi escalonado de acordo com a idade dos associados, justamente para reduzir o risco dos empréstimos aos participantes mais idosos e não sobrecarregar o FQM” (sic).
Em contraponto, a explanação elencada no site é dinheiro jogado fora, desperdício de tempo útil e equivale a chover no molhado, conquanto um Diretor de Seguridade de entidade de grande porte e complexa, como é a PREVI, não deveria se prestar a nos repassar informações muito óbvias  – “de que risco baixo não é risco zero”—  como se fossemos relativamente incapazes e de baixo nível cultural.
Essa notícia estapafúrdia e sem nenhum efeito prático, efetivamente, configura segredo de polichinelo.  Tal impropério ofende a nossa inteligência, pois se trata de uma infantilidade e ingenuidade risível que chega a ser bizarro. No mínimo a intenção foi de nos situar entre o limiar que vai de crianças a velhos senis, seres ignorantes e incapazes de distinguir a gritante diferença entre alhos e bugalhos. Meu caro Diretor, risco zero não existe em nenhum negócio e tampouco em operações de crédito.
No caso do ES, o risco é desprezível, sendo baixíssimo o grau de incerteza de não se efetivar a quitação, consoante foi bem dito por essa Diretoria, mesmo porque o seguro FQM assegura a liquidez dos empréstimos mesmo na eventualidade de morte dos devedores.  Portanto, não procede a argumentação de que a Caixa não deseja sobrecarregar o FQM com a liquidação dos empréstimos dos mais idosos, uma vez que eles pagam prêmio de seguro bem maior, em face da idade avançada, para constituição do FQM que, em última análise, é o garantidor “in totum” da liquidez dos contratos.
Cabe realçar que o ES, como patrimônio investido, obrigatoriamente, é, tranquilamente, a menor das preocupações da Diretoria, porquanto o capital emprestado está muito aquém da meta de 15% autorizada pela Resolução 3792 do CMN, de sorte que é assaz subutilizado e o saldo devedor das Operações com Participantes e Assistidos, que englobam o ES e a Carim, é da ordem de R$ 5 bilhões e, o aspecto mais importante, sem inadimplência e liquidação assegurada pelo FQM.
De outra parte, não se deve perseguir formigas (ES) e fazer vistas grossas com elefantes, caso da centralização de aplicações financeiras em única empresa, em valores superiores a R$ 25 bilhões, como foi à compra de ações da Vale S.A, via Litel, em Rendas Variáveis, negócios de risco elevado, sem falar que em ações do BB a PREVI detém quase R$ 8 bilhões, cujo risco é baixo, contudo, a rentabilidade é igualmente baixa e poderiam estar mais bem alocados em outras empresas de ganhos superiores.
Tudo na vida precisa ter um norte bem definido e limitações técnicas adequadas. Não estamos pedindo a ampliação indefinida de prazo e limite para o ES. Se autorizado, o prazo de 240 meses, este poderá ficar como marco definitivo, em termos de prazo final e os Limites de Crédito, como sempre, a critério dessa Diretoria. Assim, o céu nunca será o limite para efeito de concessão de empréstimos simples, dado que a existência de MC é condição “sine qua non” para limitar os valores dos créditos a serem deferidos.
O que causa espécie e salta aos olhos, é que a PREVI atua nas suas aplicações financeiras com terceiros, em títulos públicos e outros ativos com horizonte temporal de 20 a 30 anos, em clara política estratégia e tática negocial de longo prazo e somente nas Operações com os Participantes e Assistidos é que a Diretoria de Seguridade vê riscos em prazos mais alongados, inobstante o fato dessas transações que deveriam ser especiais, por serem os patrões dos executores das transações financeiras, e pelo visto não o são, terem a liquidação assegurada pelos débitos consignados em folha de pagamento e a garantia do FQM em caso de morte dos devedores, o que, por si só, esvaziaria essa preocupação rasa e sem procedência.

Mas, não, com visão turva, embaçada, equivocada e na base do achismo, sem fundamentos legais, vem esposando essa linha de conduta separatista, onde o joio somos nós, os associados, e tem colocado freios de arrumação para vedar exclusivamente os nossos empréstimos de longo prazo, como se fossemos indesejáveis para esse tipo de negócio, tomadores desclassificados, golpistas, aventureiros, caloteiros e trambiqueiros mal pagadores, injúria que afronta a honorabilidade e denigre a nossa história gloriosa, como ex-funcionários de carreira do BB e hoje aposentados, erro terrível que precisa ser corrigido na esfera amistosa e por iniciativa da Diretoria Executiva, uma vez que o ônus da prova cabe a quem acusa.

(João Rossi Neto - Aposentado de Goiânia-GO)

Para ASSINAR A PETIÇÃO DOS 25% clique AQUI.

106 comentários:

Ari Zanella disse...

Gueitiro Genso foi diretor de Empréstimos (Diemp) no Banco do Brasil, conforme mostrado na foto do texto.

Anônimo disse...

Qual o horizonte temporal do investimento da Invepar no GRU aeroporto de Guarulhos ? Foi investimento de baixo risco ou sem risco ?

Édulo Santana disse...

Argumentação extremamente elucidativa e lógica. O sr. João Rossi Neto soube abordar todas as elucubrações que desvendam as dificuldades de se facilitar a vida do próximo, no caso, milhares de funcionários aposentados que conseguiram, após décadas e décadas, formar este patrimônio comum que se chama PREVI. "A César o que é de Cesar" bradam as vozes que se sentem extremamente prejudicadas pelos que ora administram o capital formado por todos, com sangue suor e lágrimas. Parem com picuinhas e pequenezes, gestores transitórios de nossas poupanças e autorizem logo a extensão do prazo de ES, lembrando que tudo que se planta hoje, certamente será colhido amanhã.

Anônimo disse...

Colegas,
Muito bem dito.

Sugiro pedir licença ao Rossi e todos, mas todos mesmo, mandar uma cópia destas para a Previ.
O que vocês acham?
É permitido?
Com a palavra o sr. Ary.
Abs.

Adaí Rosembak disse...

Caros João Rossi Neto e Ari Zanella,

Li tudo com muita atenção e vou repetir o que já disse antes.
Os devedores do ES estão em uma armadilha: os débitos das prestações são feitos em conta corrente. Não têm como fugir.
Quem empresta tem risco zero.
É uma armadilha sem saída.
Enquanto a PREVI como um todo não entender que, em grande parte dos casos, o ES não pode e não deve ser encarado como um empréstimo ou um financiamento dado a uma pessoa jurídica ou mesmo física que possa ter rendimentos extras ou maiores lucros em seus negócios, nada disso vai mudar. Pelo contrário só vai continuar arrasando as vidas dos tomadores do ES.
Alguns são oportunistas e aproveitadores? Sim. Não precisam do ES e o tomam para fazer aplicações em negócios pessoais que rendam muito mais do que se paga de emolumentos e juros.
Mas outros estão com vidas destroçadas e só o ES não vai os ajudar.
Muito certamente vai piorar seus problemas.
É preciso enxergar que os rendimentos reais dos funcionários do BB tiveram seus rendimentos achatados por uma série de planos governamentais que nos foram enfiados goela abaixo.
Tem a Resolução 26, um roubo perpetrado contra os associados da PREVI, que afetou a vida de todos nós e que foi arquitetado por um "colega do PT, que hoje é senador da República.
Isso tudo precisa ser considerado com mais sensibilidade por dirigentes da PREVI.
Não podemos deixar que o desespero levem colegas ao suicídio ou a uma loucura na vida.
Em grandes grupos americanos existem programas especiais de ajuda a funcionários que passam por problemas pessoais sérios.
É como em nossa família. Um filho é muito estudioso e, certamente, se nenhum imprevisto surgir em sua vida, terá uma vida feliz e vitoriosa. Outro filho, por mais que se tente ajudar, parece que existe uma força maligna, uma falha de personalidade, um desvio genético, ou qualquer problema com essa profundidade que o impede de ser uma pessoa ajustada e feliz. Esses são merecedores de uma atenção maior.
Talvez esteja sendo irrealista ou sonhador, mas essa é a visão que tenho dessa situação.
Acabei de ler sobre o buraco de R$ 64 bilhões da OI. O governo fala em dar uma "ajudazinha". Mas e o pobre barnabé que não recebe o salário do governo? E os que não recebem nada do AERUS? E os do Postalis? E etc, etc, etc ?
A PREVI tem de criar um grupo especializado para dar um atendimento excepcional a colegas desesperados que estão pendurados no ES. É preciso enxergar esse assunto de outra forma. Essas pessoas têm problemas excepcionais que também foram justamente causados por governos ineptos, desonestos, irrealistas, desumanos e demagogos.
Se os dirigentes PREVI não tiverem consciência e uma visão mais realista e sensível para resolver esse problema de forma mais humanizada e justa, é melhor acabar com o ES.
Essa é a minha opinião. Se estou sendo irrealista é a visão de cada um.

Adaí Rosembak

sss disse...

O que me deixa mais indignado é que se amanhã houvesse eleição para diretor de seguridade da Previ, e o Marcel estivesse candidato, certamente se reelegeria, pois, certamente, muitos aposentados votariam nele, e tantos outros nem votariam, os mesmos que vivem a reclamar por melhorias. Os demais fazem o que? Enxugam gelo.
Esse apelo feito pelo Sr. João Rossi ao presidente da Previ é mais uma tentativa para ajudar tantos colegas que estão, assim como eu, numa situação financeira das piores. Obrigado Sr. João Rossi por mais essa iniciativa. Que logre os efeitos por todos desejados.

Humberto Stumpf disse...

Esse colega JOÃO ROSSE NETO é o Diretor que estamos precisando na Previ. Muita clarividência, realismo e raciocínio lógico em suas explanações no blog nos fazem lembrar que ainda existem colegas que realmente honraram o velho BB quando na Ativa e continuam a demonstrar seu conhecimento profundo e inquestionável sobre as situações atuais, angustiantes e asfixiantes que atingem Boa parte de colegas menos favorecidos em termos de questões financeiras. Assim, caro colega JOÃO ROSSI NETO, continue a nos trazer seus conhecimentos imensos e esclarecimentos precisos e confiáveis sobre estas questões relativas à outrora NOSSA PREVI, hoje dirigida, em alguns cargos, por pessoas que não merecem ser chamadas de COLEGAS. MAIS uma vez meu muito obrigado e já estamos em campanha para o teu nome nas eleições Previ 2018

ALBANO disse...

Não concordo quando se diz que "As demais condições operacionais aplicáveis à linha de crédito são aceitas sem reservas dignas de nota", já que as condições de pagamento (capitalização de juros)são péssimas,e a meu ver, embora leigo, ilegais (http://www.stf.jus.br/portal/jurisprudencia/menuSumarioSumulas.asp?sumula=2017) que diz "É constitucional o art. 5º da Medida Provisória 2.170-36/2001 ('Nas operações realizadas pelas instituições integrantes do Sistema Financeiro Nacional, é admissível a capitalização de juros com periodicidade inferior a um ano')". PERIODICIDADE INFERIOR A UM ANO, portanto não se aplicaria ao Empréstimo Simples cujo prazo é de ATÉ 120 meses.

antonia disse...

A respeito das eleições, quem nos garante que se entrar outro diretor de Seguridade não fará a mesma coisa??? Estamos vivendo essa realidade com a chapa 3 que elegemos, que nem se manisfestam mais.Ficam calados pra não perder a boquinha de 50 mil todo mês no bolso.

Carlos - Rio Pardo(RS) disse...

Parabéns ao Sr. João Rossi Neto - Fico perplexo com a tamanha perfeição do texto. Explanação sem comentários. Aumento de salário em janeiro praticamente será quase nulo, então não nos resta muita coisa. Que ao menos viesse uma suspensão para dar um alívio temporário.
Abr a todos.
Carlos - Rio Pardo (RS)

Cade Araujo disse...

Parabenizo pelo texto e a coesão dos argumentos. Registro o meu agradecimento a ti João Rossi Neto, haja vista que tendo em vista as dificuldades de reinserção no mercado de trabalho, os aposentados, em geral, não dispõe de outra "ajuda" para suprir as suas necessidades financeiras, fora do orçamento mensal.
Em tempo, digo que não há nenhum demérito em contrair um empréstimo. Faz parte de uma "saúde financeira" bem administrada. O fato de estarmos aposentados, não deixamos de sonhar e de viver, ou seja, temos necessidades financeiras adicionais. De modo que caso venha a ser alongado o prazo, este ato se converteria em benefícios proporcionados aos associados sem causar nenhum dano ao patrimônio da PREVI.
Cadé

Anônimo disse...

O Sr. João Rossi Neto não é apenas um simples Colega, Ele é o Colega, O Amigo, Parabéns em se preocupar com os demais colegas, com a situação por que estamos passando. Isso nos dá um orgulho danado de ter sido Funcionários do BB e ter colegas da extirpe do Sr. JÕAO ROSSI NETO, Palmas e Parabéns pela argumentação correta e inequívoca

Fernando Lamas disse...

Saudações cordiais.

SERÁ VERDADE?
Caro Professor Ari e demais colegas, precisei beliscar-me, para confirmar a realidade dessa leitura. Será Verdade? Não, somente, pela qualidade redacional e, sobretudo, repito, sobretudo, TÉCNICA. Não foi retórico, "ardiloso", mas TÉCNICO, T É C N I C O, o que, realmente, importa.
Meu Senhor!! Meu Senhor!!
Pensei fosse um sonho. Uma mensagem angelical, a confirmar: "Confia! Confia!". Aliás, acredite quem quiser, o Altíssimo não está mudo. Certamente, eu creio e sem adulação ao Dr. Rossi, Ele participou dessa postagem, "angelical". Dr. Rossi, Deus lhe pague.
Grato por tudo e PAZ E BEM!

"Escutai..., aprendei(Autoridades). Prestai ouvidos, vós que dominais as multidões e vos gloriais do grande número dos vossos povos. PORQUE É DO SENHOR QUE PROVÉM O VOSSO DOMÍNIO, É DO ALTÍSSIMO VOSSO PODER. Ele examinará vossas obras e sondará vossos propósitos" Sabedoria 6,1-3

Anônimo disse...

Perfeito em todo argumento. Descreveu todo pensamento dos funcis, em especial dessa nossa turma que carregou o Banco e a Previ nos lombos por essas terras dos Brasis. Eu mesmo, trabalhei desde os rincões e sertões nordestinos até à Direção Geral na Capital Federal. Parabéns João Rossi. Você é um grande exemplo de inteligencia, capacidade e luta.
Deus te bendiga.

Anônimo disse...

O ES não tem risco porque é debitado diretamente na folha de pagamento. Os débitos feitos na conta corrente sempre têm risco e por isso têm juros maiores. O ES não tem nem pode ter caráter assistencial porque é um direito de todos.

Anônimo disse...

ANÔNIMO 07:14

Muito ajuda quem não atrapalha.

Abraço

Unknown disse...

Senhor Presidente da Previ è hora de dizer para nos AQUE VEIO e PARA QUE VEIO !

Sugeriria que Vossa Excelência convidasse o Senhor João Rossi para ministrar e transmitir um pouco dos seus ricos conhecimentos aos seus Diretores e Consultores.

Senhor Presidente a vossa MISSÃO também É ENXERGAR, VER E SENTIR o desempenho Radical e Intransigente do Diretor de Seguridade, conforme foi mencionado em Carta dirigida à Vossa Senhoria pelo nosso colega João Rossi.

Paulo Roberto

Anônimo disse...

Emérito Professor ZANELLA:


Não sei que "efeito" surtirão os escritos do Dr. JOÃO ROSSI. mas uma coisa é certa, eu nunca vou esquecê-los, e os coloco ao lado das "FILÍPICAS", do grego Demóstenes, das "CATLINÁRIAS", do romano Cícero, dos "LUSÍADAS", de Camões e de outros personagens de igual quilate, como um daqueles momentos de grandeza e genialidade do homem.

Ari Zanella disse...

Com efeito o amigo Rossi (nos falamos amiúde ao telefone) nos presta esse grande serviço, não por causa própria, já que possui uma vida financeira estabilizada, mas o faz para dar sua valiosa contribuição em auxílio de muitos colegas em extrema dificuldades. Funciona como uma espécie de advogado virtual. (Na verdade Rossi é formado em Direito).

Anônimo disse...

O Rossi é incompreendido muitas vezes porque o seu nível de conhecimento está muito acima da maioria.

Anônimo disse...

Colega Ari Zanella, por favor envie os parabéns ao colega Gerente João Rossi, maneja como poucos a colocação das palavras. Bela carta, tomara Deus que, pelo menos algumas frases tenham como endereço o coração do presidente Gueitiro, e a partir daí, o mesmo seja usado por Deus para permitir o alívio geral entre os milhares de nossos colegas em situação difícil. Que Deus te abençoe, abençoe também o colega João Rossi e toda comunidade PB 1.

Josué
PARANÁ

Anônimo disse...

Já são dois presos no banco do brasil por corrupção

Anônimo disse...

PALAVRAS ENTENDIDAS SÓ AQUELAS ORIUNDAS DA CHEFIA

Como gostaria de deter todo conhecimento e capacidade para direcionar esses escritos fabulosos para o fragilizado Presidente da República. Explicaria o cenário de influência das milhares de famílias que dependem da boa vontade desses executivos forjados com martelo ferradura.
Um escrito detalhado das críticas externadas para seu governo oriundas do Olimpo, faria pessoas insensíveis chamarem urubu de: "vem cá minha loira"

É a velha máxima "dus pikenus bedecendo us grandis


Bobeatus sure enrabatus est

Anônimo disse...

MARAVILHOSO!!! O Sr.Rossi disse absolutamente tudo de maneira inteligente, técnica e humana, assim q a diretoria devia ver procurando achar soluções boas para todos. A grande maioria dos associados está em situação financeira crítica, precisamos q se encontrem soluções imediatamente.
Agora se tem associados q não precisam e tomam o empréstimo para aplicar como bem lhes aprouver...poupem-me!se isso é motivo para não se liberar o ES de maneira mais justa, porque de qualquer forma não haverá prejuízo para a Previ.


Anônimo disse...

A Previ criar um grupo para dar assistencia aos devedores ?
Mas, ela já tem ( ou tinha ) um grupo de especialistas que viviam dando conselhos pelo site.
Anonimo das 11/05. Obrigado.

Anônimo disse...

Caro Professor Ari,

Leio sempre com atenção os apelos à insensível PREVI e seus dirigentes, Porém, infelizmente, não posso valer-me do referido empréstimo. Tenho um processo judicial contra a PREVI (Imobiliário), que me impede de contratar tal " BENEFÍCIO". Mas explico: após pagar pontualmente 22 anos - isso mesmo 22 anos -, do meu empréstimo imobiliário em folha de pagamento, a PREVI me apresentou um saldo devedor de R$ 124.000,00 - isso mesmo, um saldo devedor de R$ 124.000,00 e mais 10 (DEZ) anos, ou seja 120 meses de contrato. Sentindo-me injustiçado, fui buscar meus direitos na justiça. Tal procedimento, facultou a PREVI em bloquear meu LIMITE. Sinto-me injustiçado. É um registro de desabafo ( Nem Empréstimo Simples nem 13o. salário). Nada ... nada ... Esta é a a nossa PREVI !

Anônimo disse...

Copiado do blog do Sr. Medeiros: A CASSI está nas redes sociais com destaque ultimamente.

Há notícia de que estaria com um rombo de 150 milhões.

Há notícia de que estaria em cogitação novo aumento para os associados.

Há notícia de que assumiu o novo presidente, ex conselheiro deliberativo.

Há notícia de que os eleitos estariam sendo ameaçados de penalização por participarem de eventos largando informações negativas sobre a CASSI.

Há notícias sobre nuvens negras rondando nosso plano de saúde.

A AFABB RS realizou há poucos dias, na segunda feira passada, uma reunião cujo palestrante foi Fernando Amaral, que focalizou o projeto da CGPAR que pretende introduzir alterações nas regras que disciplinam os planos de pensão. Algumas delas são prejudiciais aos nossos interesses.





A palestra teve nosso auditório lotado. Cerca de 130 pessoas estavam presentes. A foto dá uma ideia. A maioria de aposentados e pensionistas.

Eu começo a ficar preocupado. Acho que estão querendo mexer em nossos direitos, que são verdadeiramente direitos adquiridos e pétreos. Querem passar por cima como um trator.

Quando a diretoria do banco, em especial o diretor vice presidente Luiz Oswaldo, que atualmente, pasmem, é o presidente do conselho deliberativo da ANABB, quis alijar os aposentados da CASSI, declarando que só tinham direito ao plano de saúde o pessoal da ativa, entrei com um protesto judicial que teve boa aceitação e causou impacto positivo. Pararam de falar que os aposentados não tinham direito à CASSI.

Agora, com tantas ameaças à CASSI, creio que está na hora de um novo protesto defensivo. Estou estudando a matéria e breve informarei a respeito para os interessados. Vou fazer o protesto para mim e para os associados da AFABB RS. Mas haverá possibilidade para quem quiser participar. Aguardem, portanto.

E´ mais uma contribuição minha à coletividade Banco do Brasil. Estamos, nesta altura da vida, precisando dormir mais tranquilos, sem ameaças nem nuvens negras rondando os nossos sonhos.

Vamos que vamos.

Postado por Medeiros às 15:15

Anônimo disse...

A situação do anon 15.41 comprova o que a maioria já sabe: os empréstimos da Previ, Cooperforte, Alphacash e outros nunca foram benefícios pois quem tirou fez porque não estava tendo renda suficiente e passou a ter mais da metade da renda descontada para pagar os empréstimos afundando completamente.E não dá para escapar pois é impossível liquidar.

Anônimo disse...


O Dr. Rossi sempre lutando por nós. Aplausos para ele.

Mas aproveito para informar que doravante nada farão no Mourisco além de brecar tudo o que interessa para os assistidos do Plano 1. Eles estão e sempre estarão lá no Palácio de Cristal para estudar e planejar os meios de deixar para o patrãozinho querido a grande fortuna, que equivale a muitos milhares de bitcoins.

Anônimo disse...

Emprestimos Simples eu ja entendi, gostaria de saber sobre a viabilidade do aumento de 25% nos salarios como propõe o abaixo assinado. Quais são as normas que a Previ precisa seguir para cumprir isso na conta dos associados?

Anônimo disse...

Se alguem puder me ajudar, agradeço.
Faz 3 dias que quero acessar o auto-atendimento da PREVI, mas quando vou ao campo identificação de matrícula e senha, na hora de clicar ok a tecla flechinha permanece, não aparecendo a mãozinha, para efetivar o acesso. Please help.

Anônimo disse...

O ES é muito importante, mas o aumento real é fundamental. Como esta o abaixo assinado? Existe possibilidade de ser atendido em Janeiro? O Sr. Rossi ja fez os calculos necessarios para cobrarmos a Previ sobre a implantação?

Anônimo disse...

Terrorismo dos neoliberais:
http://www.valor.com.br/politica/5167380/sem-reforma-da-previdencia-governo-cortara-o-abono-diz-meirelles

Anônimo disse...

Estimado Prof. Ari,
Tem quatro dias que recebi os proventos e já não tenho quase nada...
Já posso renovar o ES-B mas tenho receio que a Previ não libere a carência ao aumentar o limite do ES.

Anônimo disse...

Já chegamos a quantas assinaturas? Estou convencendo as pessoas, mas algumas me perguntam sobre a viabilidade

Ari Zanella disse...

1.455 ASSINATURAS.

Coloquei de novo o LINK ao final desta postagem.

https://www.change.org/p/presidente-gueitiro-matsuo-genso-previ-reajuste-extra-25-a-todos-os-associados-por-perdas-ocorridas-ao-longo-dos-anos

Anônimo disse...

Mestre, qual a previsão de protocolar na Previ?

Anônimo disse...

Caro anônimo de 20:38,
Até hoje a PREVI sempre liberou a carência. Seria muita falta de sorte ela não liberar este ano. Você só terá prejuízo no IOF.Boa sorte.

Anônimo disse...

Se acontecer o aumento de 25% com o abaixo assinado , não aumenta a margem para tomar o ES?

Anônimo disse...

Bem lembrado anônimo das 23:27, aumentando o salário terá mais margem consignável, logo teremos mais margem para o ES, o abaixo assinado atende aos 2 propósitos , ES e aumento de salário.

Anônimo disse...

CONTRIBUIÇÃO PARA A CASSI
É calculada sobre o total recebido pelo aposentado, inclusive o INSS.
Acontece que vários colegas não recebem o INSS juntamente com o benefício PREVI, pois podem se beneficiar dos empréstimos consignados.
Todavia, a CASsI tem que ser informada por todos sobre este recebimento separado, pois ele está sujeito à contribuição ao plano.
Segundo normas, o contribuinte pode ser desligado do plano se não informar à Cassi que recebe o INSS, separadamente.
Está havendo uma evasão de rendas muito grande.
Vamos todos informar à CASSI, que poderá até parcelar os atrasados.


Anônimo disse...

Perfeito o texto do Rossi !! Não tenho simpatia por algumas posições dele (políticas) mas, quando se trata de assuntos da PREVI, Rossi é simplesmente GENIAL !! E, pelo visto, nem é em benefício próprio, uma vez que aparenta estar bem financeiramente. Ex-gerente geral. De coração, embora não acredite no sucesso da solicitação do aumento de PRAZO (quem conhece Marcel pessoalmente sabe de sua insensibilidade e, principalmente, de sua BIRRA - bem ao estilo dos sindicalistas dos anos 90..rs), quero AGRADECER pelo texto postado, de altíssima qualidade e passível de ser compreendido até mesmo pelos "iluminados" da PREVI. Compreendido ! Infelizmente, ter a sugestão acatada já é outra coisa.

Nascimento.

sss disse...

Impressionante! Algo sendo feito em benefício do camarada e ele querendo saber, antes, qual a viabilidade. Assina, criatura, se não te fizer bem, mal, também, não te fará. A não ser que não esteja precisando.

Anônimo disse...

Mesmo que não esteja precisando, assine para ajudar a quem precisa. Seja solidário!

Anônimo disse...

Colegas,

Nós amanhã?
Sem Cassi , Sem Previ?

Aposentados da Caixa protestam
Data: 25/10/2017
Veículo: CORREIO BRAZILIENSE - DF
Editoria: ECONOMIA
Página: A08
Assunto principal: BANCO DO BRASIL, PREVI
Tamanho
da fonte A - A +
Veja a página da matéria
Formato A4: PDF WEB
Funcionários aposentados da Caixa Econômica Federal protestaram, ontem, em Brasília, contra os descontos que estão sendo feitos no benefício para cobrir o rombo do plano de previdência complementar da instituição financeira, administrado pela Fundação dos Economiários Federais (Funcef). Reunidas em frente à sede do banco, do fundo e do Ministério da Justiça, cerca de 300 pessoas, que vieram de várias partes do país, pediram mudanças na legislação para evitar que a conta seja repassada ao servidor.
Ouvido pelo Ministério Público, o grupo tem reunião marcada para hoje com o diretor-geral da Polícia Federal, Leandro Daiello, e deve ser ouvido também na Procuradoria-Geral da União, segundo organizadores. "Representamos centenas de trabalhadores que estão passando dificuldade para colocar o pão na mesa e comprar remédios. Trabalhamos mais de 30 anos na Caixa e estamos revoltados com o valor exorbitante que está sendo descontado do nosso rendimento para cobrir rombos", contou Gigi Reis, uma das organizadoras do movimento.

Hoje, a fundação tem deficit de R$ 22 bilhões, mas o valor pode aumentar devido a decisões da Justiça do Trabalho e chegar a R$ 30 bilhões, de acordo com a Associação Nacional Independente dos Participantes e Assistidos da Funcef (Anipa). O rombo acumulado até junho de 2017 totalizava R$ 13,2 bilhões. Os beneficiários de dois dos quatro planos disponíveis estão arcando com um desconto de quase 11% sobre a aposentadoria.

Em maio deste ano, a Justiça Federal do Distrito Federal aceitou uma denúncia do Ministério Público Federal (MPF) contra ex-diretores da Funcef, o ex-tesoureiro do PT João Vaccari Neto e sócios da construtora Engevix. A denúncia é fruto da Operação Greenfield, que investiga desvios nos quatro principais fundos de pensão do país (Funcef; Petros, da Petrobras; Previ, do Banco do Brasil; e Postalis, dos Correios). Segundo as investigações, as fraudes podem somar mais de R$ 8 bilhões. A Funcef não quis se manifestar-se.

Anônimo disse...

Sr. Trader Anônimo,


InfoTrade: Vale entre a cruz e a espada e uma recomendação de compra para as ações do BB
Data: 25/10/2017 06:44
Veículo: INFO MONEY
Editoria: MERCADOS
Assunto principal: BANCO DO BRASIL
Tamanho
da fonte A - A +
Veja a matéria no site de origem
SÃO PAULO, 25 de outubro de 2017 (quarta-feira)
No InfoTrade de hoje, destaque para as ações da Vale (VALE3), que definem seu futuro diante do topo cravado em R$ 33,78. No Gráfico do Dia , uma recomendação de compra para os papéis do Banco do Brasil (BBAS3).

Confira as análises:

O analista responsável é Rafael Ribeiro (CNPI-T EM-946), com supervisão de Thiago Salomão (CNPI-P EM-1399).

Anônimo disse...

[...] De outra parte, não se deve perseguir formigas (ES) e fazer vistas grossas com elefantes, caso da centralização de aplicações financeiras em única empresa, em valores superiores a R$ 25 bilhões, como foi à compra de ações da Vale S.A, via Litel, em Rendas Variáveis, negócios de risco elevado, sem falar que em ações do BB a PREVI detém quase R$ 8 bilhões, cujo risco é baixo, contudo, a rentabilidade é igualmente baixa e poderiam estar mais bem alocados em outras empresas de ganhos superiores.

- Ademais, são títulos sem SUBSTÂNCIA...

Trader anônimo

João Rossi Neto disse...

Caro Ari e colegas,
Parte I - continua na II.
NEM TUDO É O QUE PARECE. GENERALIZAR É PERIGOSO PORQUE ALARGA O SENTIDO NO LATO SENSU

Antes de tudo e para que paire dúvidas sobre o termo “política” – aqui aplicado no sentido genérico pelo Nascimento—, quero esclarecer a todos que não tenho preferência e nem sou filiado a nenhum partido político; Não peço voto para candidatos, não defendo esse ou aquele político que cometa delitos, de lesa pátria ou não, e sou radicalmente contra o uso do cargo para o enriquecimento ilícito, sobretudo através de atos subterrâneos de natureza ilícita que visem à erosão e desvios dos recursos públicos para finalidades espúrias. Em suma, sou contra a formação de organizações criminosas voltadas para o roubo e para a prática de todo tipo de malfeito, por menor que ele seja.

Neste contexto, acho que o Lula, Dilma, Temer, Aécio Neves, Renan Calheiros, Sarney, Maluf, Collor, Cunha, Zé Dirceu, João Vaccari, Paulo Bernardo e Gleisi, Cerveró, Renato Duque, etc., alguns condenados e presos, outros réus e investigados que, após o processo legal e o direito a ampla defesa, se restar culpados, devam, sim, mofar na cadeia pelos seus crimes.

A lei existe para todos, ninguém está acima dela (caput do artigo 5º da CF/88) e doa a quem doer, senão o Democrático Estado de Direito deteriora e a sociedade, sem regras e normas de conduta, entra em parafuso, caso em que a democracia viraria anarquia.

Cidadão simples, empresário, político, empreiteiro e o resto, todos têm o sagrado direito de ir e vir e o livre arbítrio de escolher entre o caminho do bem e do mal. Se optar pelo segundo e tortuoso trilho do mal, então que pague pelos seus crimes, independente de ter sido ex-presidente ou função importante que o valha. Se fosse de outra forma, poderíamos rasgar a Constituição.

Por isso mesmo, além do meu escárnio contra as mazelas acima alinhadas, sou contra também o foro privilegiado e o relaxamento de prisão previsto na Carta Magna. Reputo-a CF/88 branda, neste particular, e a entendo como um cheque em branco a IMPUNIDADE (grifo meu) porque favorece a “indústria dos recursos evasivos e procrastinatórios para ganhar tempo para réus ricos”, pois possibilita que o culpado, réu confesso, preso em flagrante delito, após homicídio bárbaro, crime hediondo, etc., responda o processo em liberdade em face da regalia legal da enxurrada de recursos frívolos e somente seja preso após o julgamento de recurso derradeiro na última instância (STF).

João Rossi Neto disse...

Caro Ari e colegas,
Parte II - Final

A idade criminal de menores é outro assunto polêmico e complexo, mas que precisa ser enfrentado para disciplinar e coibir a onda de crimes que cresce a cada dia, inclusive no seio do crime organizado em que maiores infratores usam os menores como bodes expiatórios para os seus delitos.
A recente interpretação dada pelo Supremo, ainda pendente de definição final, de prender após o julgamento na 2ª instância foi um avanço que a sociedade aplaudiu. Em outros países não existe o foro por prerrogativa de função e nem a postergação da prisão e a liberdade provisória, dado que essa é feita sem delongas e delinquente aguarda preso o julgamento único da primeira instância.
Como a corrupção endêmica que foi estruturada no País pelo PT, PP e PMDB é uma doença sorrateira que dilapida de forma desenfreada e quase incontrolável o patrimônio do erário e prejudica os três pilares basilares para o povo, como a Saúde, Educação e Segurança, às vezes desfio algumas diatribes sobre as irregularidades, porque fico indignado com tudo que faz mal ao Brasil, como foi à quebradeira que o PT patrocinou, com impacto gigantesco e maior visibilidade sobre a Petrobras, eis que a deixou em frangalhos sobre o prisma econômico-financeiro.
Penso, no entanto, que tais críticas não são manifestações políticas e sim gritos de desabafo contra os maus e inescrupulosos gestores públicos e privados. Quem sabe poderá servir de alerta nas futuras eleições, em que pese o povo seja péssimo de memória e de acreditar que todo político é ladrão e acaba aceitando o discurso velho e surrado do que rouba mais faz e que todos sabem que é.
Aliás, a propósito de que o povo brasileiro não sabe votar, os americanos, onde o voto não é obrigatório e acho que esse regime livre de votar, do qual sou adepto, deveria ser adotado no Brasil, porque gostamos de copiar os gringos nas coisas boas, deram prova cabal de que também não sabem votar ao eleger o Donald Trump como presidente, cidadão inconsequente, desequilibrado emocionalmente, sem o verniz necessário para a liturgia do cargo mais importante do mundo. Essa criatura singular é o diabo em pessoa.

Titi Maravilha disse...

Em particular acho que essa luta seria para suspender 03 parcelas do ES, talvez a Previ aceitasse, não quero ser pessimista, e sendo quanto a esse aumento, vamos orar pra dá certo.

Anônimo disse...

Tem continha pra gente pagar: de fazendeiros caloteiros e devastadores do meio ambiente, enfim, das hienas.
http://politica.estadao.com.br/noticias/geral,custo-de-denuncias-contra-temer-alcanca-r-32-1-bi,70002059125

Para uns, trabalho escravo, para outros...
http://politica.estadao.com.br/blogs/coluna-do-estadao/supremo-muda-feriado-do-judiciario-de-sabado-para-sexta/

Será que nem o General da Banda vai intervir?

Anônimo disse...

URGENTE!URGENTE!!! O PRESIDENTE TEMER SUBIU NO TELHADO!!!

Anônimo disse...

Anonimo 08:00

Sobre contribuições a Cassi, a referência é a todos os aposentados, inclusive os que o Banco, na marra, aposentou antes do tempo através dos famigerados planos de aposentadoria antecipada?

Abraço

divany silveira disse...



GENTE AMIGA , ACHO QUE NUNCA FALEI TÁO SÉRIO QUANTO HOJE !!!!!

Mestre, não sei quantos candidatos podem ser lançados representando os
associados Nas próxímas eleições para PREVI, eu sabia, mas deu um
branco e peço que me esclareça ,por favor. Mas suponhamos que seja um
ou dois,então teremos de nos organizar sob a coordenação sua e de quem
você convocar,Mestre, nós vamos varrer este estado de Minas levando a
todos aquele texto que diz : mo primeiro dia eles arrancaram uma flor:
no segundo dia mataram o cão estimado e assim estão fazendo conosco,
destruindo nossa auto estima e nos levando mais cedo ou para Conferên-
cia de São Vicente ou para cemitério onde os frouxos que não lutam a-
cabam indo mais cedo ceifados pela doença.Mestre, sua visão do grupo é
infinatamente melhor que a minha, você sabe que tem uma pleiade ^de ho-
mens , como poucos governantes tiveram,sobretudo nos quesitos morais
e intelectuais e , Mestre, todos têm admiração e repeito por você ,
inclusive ,vou ser indiscreto, os dois mais velhos frequentadores do
Blog, ambos possuidores de vasta cultura e experiência, sem contar
a presença marcante de João Rossi ,digna de um homem público de visão,
que vmm marcando com sua presença forte as reivindicações tão justas.
Mestre, na sua serenidade ,Deus sabe que merecemos !!!É só lutar !!


convocar

Anônimo disse...

Colega da 11:10
Essa notícia é um alerta para nós da PREVI. É um escárnio ter Patrocinador, e esse o próprio Estado, e exigir a reposição do recurso desfalcado, da parte do ASSISTIDO, isto é, reduzindo seu BENEfÍCIO!...
Edgardo Amorim Rego

Anônimo disse...

$$$$$



Pela dignidade, pela integridade e aumento do meu patrimônio meu voto é $IM





$$$$$

Carlos - Rio Pardo(RS) disse...

Concordo com a comentário de Titi Maravilha, penso que poderia ser dado uma ênfase no pedido para suspensão do ES por 3 meses. Poderia ser dado essa opção já que agora não teria a desculpa de que nesse período o saldo devedor do ES aumentaria muito, pois os índices do INPC andam lá embaixo.
Abr a todos.
Carlos - Rio Pardo(RS)

Anônimo disse...

NUNCA FALAMOS TÃO SÉRIO

Professor Eu e o Divany estamos aqui para recla-
mar das regras da Copa Sul americana. É que não
conseguimos escalar nossa arbitragem para o pri-
meiro FLAXFLU, e por isso o Flamerdo saiu na fren-
te. Isso é um absurdo. Onde vamos parar? Se fosse
na época antiga uma tragédia dessa jamais aconte-
ceria. Um "operador" resolveria fácil...


Ass. os tricolores Eu e Divany

Anônimo disse...

Caro(a)s Colegas,


Em reunião da administração da PREVI, realizada aqui em Goiânia no último dia 19.10, após algumas perguntas sobre o ES, o Diretor Marcel declarou que não há previsão de suspensão das consignações do empréstimo simples este ano. O assunto sequer entrou na pauta da Diretoria da Previ.

Édulo Santana disse...


Contra a proposto que prevê aumento nos planos de saúde para idosos. Assine no site Change.Org, no link abaixo:

www.change.org/p/contra-a-proposta-que-prevê-reajustes-dos-planos-de-saúde-para-idosos?recruiter=50220520&utm_campaign=signature_receipt&utm_medium=facebook&utm_source=share_petition

Anônimo disse...

Sem querer colocar agua fria, mas nunca vai acontecer isso da PREVI aumentar as pensões e aposentadorias do plano 1 em 25%. Vamos parar de sonhar que essa Diretoria faça um milagre, o que pode acontecer seria no maximo suspender as prestações por um periodo de 2 meses.

Anônimo disse...

Professor Ari,

O Brasil está numa situação tão delicada, que a votação de ontem deveria ser um divisor de águas doce das amargas.
O sim deveria significar venalidade e o não honestidade.
PTralhas e seus subalternos votaram não demonstrando que tá tudo podre...

Ari Zanella disse...

Anônimo das 02:10

Certa vez um reclamante se queixou ao juiz que não havia lhe dado o que queria. O juiz lhe disse: "Isso não estava na petição. Seu advogado não pediu." Ora, nós não temos mais sindicatos para reivindicar por nós. Pedimos o "máximo" para ganhar o mínimo. Se não vier 25%, o que vier é ganho. Tudo fica registrado no blog para, em casos futuros, não haja alegação da PREVI de que nós "nunca pedimos nada."
É melhor ser otimista do que um pessimista inveterado. Os argumentos do Rossi são irrefutáveis. Nós vamos conseguir se soubermos escolher o próximo presidente. Lembre-se que o presidente escolhe o ministro da Fazenda que tem ascendência sobre a direção do BB. Não devemos escolher ninguém do PMDB, PT, PSDB e partidos alinhados.
Pense nisso, meu caro, e vá buscar sua gota d'água para apagar o incêndio.

Anônimo disse...

Até agora, apesar de pedir encarecidamente, de lutar para conseguir assinaturas, ninguém conseguiu mostrar em que normativos/regulamentação deveria exigir da Previ os 25% de aumento. Talvez seja por isso a pifia quantidade de adesões. Precisamos de argumentos tecnicos para conseguir mais assinaturas, quando me perguntam se não é mais um abaixo assinado vazio, fico sem argumentos, Mestre, alguem pode ajudar a esclarecer?

Anônimo disse...

Professor, pelo que eu li um dia aqui no blog, o Sr. João Rossi também é especialista em contabilização e balanços da Previ, o que de fato gostaria de saber, até para ter mais confiança em cobrar da Previ é onde e como seria contabilizado o possivel aumento, e com base em quais normativos poderiamos cobrar da Previ o descumprimento, caso não seja atendido, só isso. É pedir demais? Não bata nas pessoas que estão querendo ter argumentos para ajudar conseguindo mais assinaturas, por favor

Anônimo disse...

Emérito Professor ZANELLA:


Eu tenho tanta fé que a PREVI vai "acatar" o pedido de aumento de 25%, que gastarei, durante 1 (um) ano, essa minha parte "exclusivamente" com "causas sociais", mesmo que a minha porta, os credores estejam "sôfregos", por cada vez mais dinheiro.

Anônimo disse...

Nos ultimos tempo nenhuma noticia que nos agrede.
Previ esta nos massacrando aos poucos é resoltante essa situaçao.
Tem comentarios que o diretor falou que nao ha nada relativk ao ES, porque ele nao fala logo isso no site da previ?

Anônimo disse...

Colegas de Curitiba e região,

Vejam esta notícia do Sindicato:

25/10/2017
BB: Admitidos até agosto de 1992 devem procurar o Sindicato
Decisão judicial reconhece natureza salarial do auxílio alimentação para admitidos até 31/08/1992

O Sindicato dos Bancários de Curitiba e região conquistou ação judicial que dá direito à incorporação do auxílio alimentação na remuneração para ter efeitos em férias, 13º salários, FGTS e demais verbas salariais. A decisão judicial contempla empregados da ativa e aposentados do Banco do Brasil lotados em Curitiba e região e admitidos até 31 de agosto de 1992.

O BB é o responsável por apresentar o nome dos beneficiados pela decisão judicial para ter acesso aos valores retroativos, mas o Sindicato convoca a todos para preenchimento de cadastro, para que possa conferir os nomes apresentados pelo banco.

Se você é lotado em Curitiba e região e foi admitido até 31 de agosto de 1992, preencha o formulário acessando aqui e avise seus colegas na mesma situação:

http://www.bancariosdecuritiba.org.br/noticias-interna/9/bb/28716/bb-admitidos-ate-agosto-de-1992-devem-procurar-o-sindicato

Anônimo disse...

Amigo Edgardo,

A situação pode ser grave uma vez que nunca saberemos a verdade, a não ser que a Constituição seja soberana e haja TRANSPARENCIA.
Quanto à verdade, vindo de autoridades, estamos longe, muito longe de desfrutá-la.
Abração 11.10

Anônimo disse...

Funcionários da ativa e aposentados do BB de Curitiba ganham na justiça o direito de incorporar o auxílio alimentação em seus proventos:

http://www.bancariosdecuritiba.org.br/noticias-interna/9/bb/28716/bb-admitidos-ate-agosto-de-1992-devem-procurar-o-sindicato

Anônimo disse...

Professor Ari Zanella, meus parabéns. Matou a pau em seu comentário de 26/10/17, 09:45 hs. Senão tivermos pelo menos uma gota de fé naquilo que pedimos, então pra que continuar vivo, mais fácil deitar de uma vez. Valeu professor!!!!!!

Josué
PARANÁ

Enio Bebba disse...

REPUBLICAÇÃO


Sr. Ari,

Por essas e muitas outras razões que espero com afã quitar meu ES e NUNCA MAIS pedi-lo, pois imagino que deste mato não sairá nenhum coelho!!! E acaba com minha dor de cabeça. Ruim que ainda tenho 71 prestações a vencer...

Grande abraço...

sss disse...

Dona Rosalina, os atuais gestores da Previ são apenas homens de recado do BB, bem sabemos. Qualquer prerrogativa, negativa, atitude ínfima é determinação do BB. O BB se julga dono absoluto da Previ. Presidente, diretor de seguridade,e outros, nada representam, pois não têm voz ativa, e sabem que se descumprirem as determinações do maioral perderão o cargo.
Sem querer abusar da boa vontade do Ilustríssimo João Rossi Neto seria de suma importância que ele elaborasse e remetesse à presidência do BB, ou a quem de direito, carta nos moldes da que foi enviada à previ, pois talvez surta melhor efeito. Ressalvando, os moldes ficam a critério do redator e de seus auxiliares, caso existam.
Manoel Sales.

Anônimo disse...

No balancete da Anaplab tem registro de aluguel, energia eletrica e despesas de manutenção, a associação tem sede?

rafa disse...

REFIS ES PREVI
Colegas, o que acham de pleitear junto ao presidente da Previ um alongamento nos moldes que o Temer deu para os devedores contumazes da Fazenda?
A Previ não está debaixo do organograma do Min Fazenda???
No caso do ES PREVI nem haveria necessidade de PERDOAR ATÉ 90% das multas e juros etc. Era só ALONGAR O PRAZO ...

Anônimo disse...

Alo anon- 11:92

Trabalhei em ag. metrop. de Curitiba e me aposentei em 94. Agora moro bem distante da capital. Como posso verificar se fui abençoado?

Ari Zanella disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Anônimo disse...

Prezados,
Infelizmente existem alguns poucos ex-colegas , que se não tem assunto, informação, idéia para ajudar a nossa causa, sugeriria que melhor seria ficar quieto.
O blog é justamente para nós trocarmos idéias, sugestões, a fim de podermos almejar os nossos direitos.
Vamos valorizar mais este tempo aqui, é importante para todos.
Picuinhas se resolve em casa.
Desculpe-me a sinceridade.
Abraço.

Anônimo disse...

Esse é o Fessô que eu elegi !! O mesmo que teve a dignidade de se deseleger.

Tomou papudo? Volta para sua praia seu cabra da peste!! Vc mesmo 14:35!! Não te chamo de burro, pq burro não tem chifre

Retomando ao que interessa, essa última década e meia me fez me conhecer mais. Descobri que não tenho nadica de nada de esquerda. Descobri que os que doutrinaram os estudantes atacando os militares não passam de parasitas que detestam trabalhar. Sobrevivem de roubar, enganar, mentir. Descobri que a tal democracia só é salutar para quem está bem colocado na pirâmide social. Aos demais, sequer têm certeza se seu voto foi computado corretamente, quanto mais falar em representatividade. O Judiciário é uma incógnita. A cesta alimentação valia e agora não vale mais. De repente, voltou a valer para uns poucos. Daqui a pouco cortam novamente.
Resumindo: não sentiria falta nem de parlamentares e nem de magistrados. Acho que deveria ter seguido a carreira militar. Os valores que lá são ensinados parecem mais com as orientações que meus pais me deram e que repassei aos meus filhos.

Já não sei se sou patriota ou nacionalista

Anônimo disse...

Gostei ideia do Rafa de REFIS

Carlos - Rio Pardo(RS) disse...

Reunião do CD da Previ - Sr. Ari, estou errado ou tem/teve reunião do CD dia 25 e dia 26.10.17?
Abr a todos

VALDEVINO disse...

Indivíduo das 14,35 hs.
Não vou chamá-lo de colega porque nem ao menos teve a coragem de se identificar.
Se gosta de enfrentar homem, aqui vai.
RESPEITE O SR. ARI!
VOCÊ NEM SABE A RENDA DA ANAPLAB!
VOCÊ NEM SABE A QUANTIDADE DE SÓCIOS DA ANAPLAB!
VOCÊ NEM SABE O QUANTO O ARI E SEUS COMPANHEIROS NOS AJUDAM POR TELEFONE E E-MAIL!
VOCÊ NÃO SABE QUE O SR. ARI FOI O ÚNICO A RENUNCIAR AO CARGO DE CONSELHEIRO DA PREVI!
BASTA,
PORTANTO,
VAI AQUI O MEU NOME, ESPERO VOCÊ ONDE QUISER.
VALDEVINO ALVES SOBRINHO

Ari Zanella disse...

Removi o meu comentário das 17:07 que se referia ao anônimo das 14:35

Vou explicar direito ao colega: Toda entidade de cunho jurídico é obrigada a ter uma sede física no município onde está localizada, a fim de obter os ALVARÁS necessários ao seu funcionamento como associação, ainda que seja uma ONG. Então, a ANAPLAB não é diferente. Paga aluguel de uma sala de 20 m2 pelo valor da região, já que a localização é central. Se qualquer dia quiser nos fazer uma visita, estaremos prontos a recebê-lo com todo o carinho.
A resposta áspera foi em função de que o assunto não deve ser tratado aqui no blog. Temos correios corporativos para esse fim. Entendi a sua pergunta como uma provocação e portanto respondi daquele modo. Não te apoquentes não. Muitos ainda irão me atirar pedras. Portanto, devo permanecer sereno e tranquilo como convém a um genuíno discípulo de Cristo.

Ari Zanella disse...

Amigo Carlos,

Segundo o Medeiros a reunião do CD seria hoje ou amanhã mas não seria tratado assunto referente ao ES, infelizmente...

-------------------------------------------------

Até o momento 1.565 assinaturas no pedido ao Gueitiro. Com esse número, a hora que for entregue ao presidente pela Change.br não haverá muito impacto. Imaginem que com 20 mil já causa pouco impacto que dirá 1.500! Mamma mia!

divany silveira disse...

.



WALDEVINO, SE TIVÉSSEMOS 100 COLEGAS IGUAIS A VOCÊ NÓS PODERÍAMOS

IR Á BRASÍLIA BATER UM PAPO COM OS SOBAS QUE NOS CHEFIAM !!!!!!

Você , Waldevino, talvez sem querer, fez uma advertência ao quadro

que frequenta o BLOG, diante disto vou colocar minha contribuição

como débito em conta, para evitar atrasos ou esquecimento e convido

os colegas que acharem razoável minha adesão que façam o mesmo.

Você, Waldevino, se esqueceu uma coisa, a saber : com o conhecimen-

to cultural que o Mestre tem ele poderia estar num escritório de

grande empresa,trabalhando 06 horas e ganhando em dolares. No en -

tanto ,além de doar-se ainda tem de aguentar coisas,etc e tal.!!!
.





Anônimo disse...




Por isso reunir 1/2 dúzia na porta do Olimpo é difícil

Anônimo disse...

Prof. Ari,
Não sei bem de que forma sao feitas pesquisas de intenções de votos, só sei que dificilmente os dados são questionados. Em vez de informar 1.500 assinaturas, por que não 15 mil? Qualquer questionamento sobre a sua veracidade; questionamentos relativos aos resultados financeiros(milhares, milhões, bilhões, negativo, positivo) que a diretoria está a todo momento a nos fornecer, poderão ser utilizados como réplica.

Abraço.

Anônimo disse...

E aqueles dos outros Estados não vão ganhar, não?!
Só Curitiba? Mestre Ari Zanella Kid, ANAPLAB nos outros Sindicatos. Queremos também!!!
REFIS NA CARIM - ES e tudo que temos direito. BOTA POCANDO PROFESSOR. Os veinhos do BB vão agradecer. JESUS é Grande!!!

Anônimo disse...

Minha alça de mira agora estará direcionada ao Poder Judiciário. Nunca imaginei na minha síndrome de Poliana que houvesse sujeira lá. Sou um idiota. Aprendi a não mentir e a respeitar as instituições e vovó dizia que "o bom julgador por si julga os outros".
Acho que a vovó estava errada. Era uma mulher decente e decência é uma característica da maioria da população brasileira que se vê refém dessa corja tratada de excelência

Anônimo disse...

Senhor Zanella,

Fui acompanhar parentes ao cartório eleitoral é caí na besteira de perguntar quando a urna eletrônica seria abolida.
Rapaz!! Ô serventuário virou no capeta...
Sinistro, muito sinistro

Anônimo disse...

Prezados !!!
É claro que a quantidade é importante, mas...a qualidade é muito mais importante, e ai me refiro ao texto do DR. João Rossi Neto, um senhor escriba, uma competência Admirável, e isso, por si só tenho certeza de que seremos atendidos em nossa pretensão. Jesus está conosco e contigo também.

Anônimo disse...

Quando sera entregue a abaixo assinado para a Previ analisar, precisamos entregar a tempo de estar na folha de pagamento de Janeiro

Anônimo disse...

Apenas alguns comentários. O que sabemos sobre fundos de pensão? Quais jurisprudências já foram criadas por pleitos de usuários de fundos de pensão? Temos advogados pertinentes? Se somos os donos do fundo por que só pedimos e não exigimos? Se não etamos satisfeitos por que não mudamos a diretoria ? Não existem regras ? Onde estão os documentos de criação deste fundo ? O que diz?

Anônimo disse...

Como perguntar não ofende, pq os aposentados da CEF serão recebidos aqui em Brasília até pelo Papa e nós não?

Anônimo disse...

Mestre, na sua visão se não conseguiremos o maximo (25%), qual a expectativa de aumento adicional que o Mestre acha que temos condições de conseguir?

Ari Zanella disse...

16:46

Quando dermos por encerrado o abaixo-assinado. Creio que até fim de novembro.

17:39

Na minha opinião sincera nada, apenas o INPC de 2017. Então por que o abaixo-assinado? Para sensibilizar a PREVI. Aqui é pertinente o que disse o Anônimo das 16:58: É hora de exigir, não de pedir.

Anônimo disse...

Mestre,concordo plenamente que não devemos pedir e sim exigir, mas para exigir, alguém precisa mostrar com fatos e dados, com base no balanco da Previ, como podemos exigir deles, e o texto do João Rossi não tem isso

Anônimo disse...

Não pode ser, se não acreditamos , porque gerarmos expectativa em milhares de associados? Isso não se faz. Se nem quem propõe acredita

Ari Zanella disse...

Estou sendo realista, meu caro! Claro que torço para estar errado! Você pede, pede, pede e nunca é atendido...Desde o início ninguém, nem eu nem o Rossi quisemos dar certeza de nada; expectativa de atendimento não significa o atendimento em si. Se assim fosse, tudo na vida bastava pedir. Hão de convir comigo que foram poucas assinaturas (1.600 - 2% do corpo social).

Anônimo disse...

2018 novas eleições na PREVI. No mesmo modelo de administração.
Enquanto o corpo social não voltar a participar de consultas e decisões, teremos que nos sujeitar a dirigentes que se acham o suprasumo da capacidade. E, além disso, se acham os unicos donos do fundo e o resto, ora o resto...
Quem nunca comeu melado, quando come se lambuza.
A culpa em parte é também do terno e gravata.
PLP 268.

Anônimo disse...

Alguém sabe se alguma petição do João Rossi foi atendida pela Previ ou pelo Judiciário?

Luis-BH disse...

Professor,
Nada além do INPC? Mas assim complica as cervejinhas e os vinhos no fim de ano...

Anônimo disse...

Logo no início de sua gestão o presidente Gueitiro até ensaiou uma aproximação com os participantes do Plano 1. Mas durou muito pouco tempo e logo se afastou de vez. O chefe BB deve ter lhe dado um baita puxão de orelha por querer se aproximar dos humildes necessitados.

Anônimo disse...

JOGAR PARA TORCIDA NÃO ESTÁ LEVANDO A LUGAR ALUM

Nossa torcida de 1.500 pessoas vão ao delírio com as belas palavras escritas no blog. É semelhante aquele jogador Enganilson que cisca para lá e pra cá, pedala, faz uma embaixadinha e gol que é bom nada. Quantos anos existe este blog? Se fosse possível mensurar o que escrevemos aqui em termos de resultado seria próximo dos 0.05 %. Quando a contundência é maior vem a notificação. Lembram da mais valia? Talvez a ação 30% tenha sido a que incomodou mais.
Ações judiciais, ajudas pela Anaplab, comunicados de dias melhores para solicitação de empréstimos, desabafos, denúncias sempre nos esclarecem e ajudam a tomarmos decisões individuais. Agora sensibilizar os algozes o resultado tem sido zero.
Se eu sei fazer melhor? Não. Porém isso não me de avaliar que precisamos de
que necessitamos mudar nossa postura. MPF, PF e Militares são os únicos em que acredito somado a uns 4 juízes e ponto

Anônimo disse...

Ary, por favor, me diga como retirar meu nome das assinaturas, posto que, depois que fiz isso, fiquei a participar de um monte de lixo que definitivamente não me interessa. Obrigado.

fhbncvhnfcv disse...

pERFEITO, CLARO, LOGICO O POST DE JOAO ROSSI E ADAI. PARABENS . DFISSERAM TUDO O QUE PENSAM E SENTEM OS PARTICIPANTES DA PREVI E EM ESPECIAL OS TOMADORES DO ES. PAGAMOS , PAGAMOS E O SALDO DEVEDORO NUNCA BAIXA. QUE CALCULOS SAO ESSES? SEI DE JUROS E JUROS COMPOSTOS E CORREÇÃO MONETARIA MAS EH PRECISO REAVALIAR... NAO PODE CONTINUAR DESSA FORMA...