terça-feira, 10 de outubro de 2017

PARADIGMA CINQUENTENÁRIO

   A PREVI nasceu em 1967, em plena ditadura militar, com funcionários do BB que eram modelos de funcionalismo público. Com o crescimento de seu ativo, sempre despertou (e ainda desperta) a cobiça de muitos pelo seu vultoso capital que pode ser um dos pilares do desenvolvimento nacional.
      Na década de 70, vivíamos a euforia do "milagre brasileiro", com o super ministro Antonio Delfim Neto cujo crescimento anual chegou ao pico de 10%. O Banco do Brasil detinha a chamada "Conta Movimento" do governo federal que chegou ao seu termo quase no final da década de 80 (considerada a década perdida). Em 1984, com a morte de Tancredo Neves, assumiu a presidência o incompetente José Sarney se autoproclamando da "Nova República", sendo ele mesmo pertencente ao "velho" quadro político nacional, da velha Arena. Em 1990 assumiu Collor de Melo e logo depois o primeiro "impeachment" da história do Brasil. Veio Itamar Franco (vice de Collor) até 1994. Então assumiu Fernando Henrique Cardoso, eleito no rastro de plano Real de quem fora o gestor como ministro da Fazenda de Itamar Franco. O "reizinho" ficou até 2002. Foi no seu governo que houve privatizações aos montes, foi numa delas que a PREVI entrou na Cia Vale do Rio Doce, com forte participação (mais de 30%) e foi pela Vale que tivemos os maiores superávites de nossa história. Hoje ela é o nosso calvário. Logo em 2002 entrou o "Lulinha paz e amor" no dizer de FHC. Foi com Lula que tivemos grandes superávites, o primeiro, em 2006, manchado em sua distribuição pelo injusto "Renda Certa" que premiou poucos privilegiados. Em 2010, novo superávit, mais robusto que o primeiro. Desta vez foi o governo Lula que meteu os pés pelas mãos ao criar através do apoio de parlamentares partidários (PT) dos quais destacamos o funcionário do BB Paulo Bernardo, marido da senadora Gleisi Hoffmann, que era ministro do governo Lula. O senador José Barroso Pimentel (PT-CE) da base sindicalista (esse o nosso principal carrasco!), dos deputados federais lastreados pela CUT provenientes do chamado sindicalismo bancário (SP); todos se uniram para criar a Resolução CNPC 26 que deu ao patrocinador medate do superávite. Felizmente, agora, essa maldita resolução foi totalmente extinta pela Justiça Federal, já com sentença vitoriosa na 2ª instância. Vai subir à terceira e última instância!!!
      Para concluir, a nossa PREVI foi e continua sendo cobiçada por políticos inescrupulosos, que criaram a PREVIC (cabide de emprego) para a PREVI pagar a Tafic, maior taxa entre os fundos, a resolução acima referida, e as nomeações do nosso patrocinador em nosso fundo, numa estrutura de alto custo para o nosso fundo. Será que num futuro breve iremos nos libertar destas algemas?

58 comentários:

Anônimo disse...

Colega,

Já identifica rengo sentado, cego dormindo e já viu santo de óculos?
Estamos fartos de ver decisões de última instancia reverter DIREITOS adquiridos.
Cesta alimentação... dizendo que pode prejudicar a saúde do fundo?
Positivar ganhos imorais, ilegais e absurdos dos renda certa, dos estatutários e não dá em nada, só ferra os mais humildes.
BONUS COM PREJUÍZO?
Se eu ainda estiver vivo quero testemunhar, que a Previ não coopera em nada com os seus aposentados, que foram obrigados via contrato em participar do plano em 1967.
Hoje o Banco do Brasil massacra seus aposentados que dedicaram uma vida em prol do crescimento do maior banco da América Latina, de outros tempos.
Cansado!



Anônimo disse...

Privatize o Banco do Brasil, libere a Previ para ser dirigida por gestores independentes, de preferência, do próprio corpo dos "participantes".

Josué
PARANÁ

Adaí Rosembak disse...

Caro Ari Zanela,

Muito bem detalhado e esclarecedor o seu relato.
Fica sua pergunta: Será que nos libertaremos dessas algemas?

Abração

Adaí Rosembak

joao trindade disse...

Boa tarde, prof. Ari,

Enquanto Deus não desistir de nós (parece que muitos de nós já desistimos D'Ele) há esperança.
Aliás, hoje, só vivemos de esperança.

Anônimo disse...

Podemos nos libertar de alguma das algemas, propondo alterar o Estatuto ou também o Regulamento do Plano de Benefícios. Conforme o artigo 13, V e VI do mencionado Estatuto, com "apenas" 1% do total de participantes e assistidos, isso é possível de ser realizado.

Anônimo disse...

É preciso fazer "as contas". Já se ensaia (resolução Previc) a possibilidade da Retirada de Patrocinio por parte de patrocinadoras de fundos de pensão.
E então ? Ganharíamos ou perderíamos ? Perderíamos a parcela de contribuição da Patrocinadora. Ganharíamos com a redução dos custos de seus indicados, dos custos com a administração de valores e com o "meio a meio" nos lucros.
Deixaríamos de ser uma subsidiária algemada.

Anônimo disse...

Professor Ari,
Parabéns pela postagem (contou a história da Previ que já foi nossa).
SUGESTÃO PARA A PREVI:
CRIAR UM SISTEMA DE ACOMPANHAMENTO PARA QUANTIFICAR AS ABERTURAS DE MATÉRIAS PARA LEITURA NO SITE DA PREVI, PELOS ASSOCIADOS.
Exemplificando:
Matéria “Governança como eixo central da credibilidade”, apura-se a data da postagem para iniciar o acompanhamento dos acessos para leitura.
Acho que, como sou otimista, chegarão a um percentual próximo a 1%.

Anônimo disse...

Caro Professor Ari Zanella.
Nosso reajuste em janeiro será ínfimo , coisa de 2 % como se projeta.
Muito bem. Isso não chega perto da inflação real, a inflação dos aposentados e pensionistas. Uma sugestão que poderia ser levada aos administradores da Previ é a suspensão das parcelas do ES em novembro, dezembro e janeiro.
Antes no ano anterior foi negada porque se alegava que os saldos devedores continuariam aumentando e sem amortização, seria prejudicial ao fundo e aos devedores .
Mas, nesse exercicio maravilhoso de bolsa em alta e de INPC em baixa , até negativo ( irreal ), os saldos devedores dos ES serão impactados só pelo juros de 5% a.a. e o FQPM . Aliás esses 5% a.a. já está para ser revisto.
Não haverá aumento de saldo devedor que não seja administrável.
O que acha o Professor Ari ? Seria uma sugestão a ser encaminhada aos CEOs ?

Anônimo disse...

Basta cortar as tetinhas para emergirem as boquinhas:
Imaginem se privatizarem as Estatais? Como ficarão os feudos políticos?


http://epoca.globo.com/politica/expresso/noticia/2017/10/psd-cobra-explicacoes-da-previc-sobre-intervencao-no-postalis.html



KKKKKKKKKKKKKKKKKKK

Anônimo disse...


A economia vai bem, inflação em baixa, bolsa em alta, fim do desemprego, queda no preço do Gás de cozinha,do combustível, do plano de saúde,da conta de luz, etc., enfim, bons indicadores econômicos. Estão plagiando o João Plenário e o Justo Veríssimo: querem que pobre se exploda e que o povo que se lasque.

http://www.blogdogarotinho.com.br/

O ministro da Saúde, Ricardo Barros (PP) recebeu doações eleitorais de planos de saúde. Desde que assumiu o ministério já deu várias declarações controvertidas sobre o setor, sempre ficando do lado das empresas que administram planos e seguros de saúde. Agora a ANS autorizar aumento dos planos acima de 13%, o mesmo índice do reajuste do ano passado, quando a inflação não chegou nem perto da metade desse índice é inaceitável. Esse é o governo Temer.

Anônimo disse...

Colegas,

Tudo o que o BB quer é que comecemos uma movimentação pela saída dele.
O BB tem compromisso contratual vitalício com os contratados a partir de 1967.
Fomos obrigados a aderir, então PAGUEM ATÉ A MORTE.
SEM ESSA DE DEIXAR DE SER PATROCINADOR.
ENTRAREI NA JUSTIÇA EXIGINDO MEUS DIREITOS, NEM QUE SEJAM RECONHECIDOS PÓS MORTE.
Não admito em hipótese alguma a retirada do patrocinador, FEZ PAGA!
Infelizmente estamos vivendo em um país de mal intencionados.
Estou com RAIVA...

Anônimo disse...

Quanto colegas "atravessaram o rio" sem ver seus direitos regatados e ainda deixando suas esposas em situação temerosa. Não existe ressonância no nosso grito. Não existe coração do lado de lá para os do lado de cá. Entre eles de lá, a festa é farta. Repartem valores que mais parecem prêmios de loteria.
A exorbitação da soberba e ganância pode ser o pavio que acenderá a dinamite que nos abrirá uma saída. Como disse o grande descobridor de Bangu, Cabral: " eu acho que exageramos "

Steve Shendo Lhesado

Titi Maravilha disse...

Ação IR Previ tem decisão favorável em segunda instância, tá lá no site.

Anônimo disse...

Grande Professor Ari, acho a proposta do colega anônimo das 16;34 hs muito viável, e deverá ser bem recebida pela Previ, o negócio é solicitarmos também ao dr. Medeiros. Quem sabe o Professor nos ajuda na reinvidicação !!!

Anônimo disse...

Titi maravilha 19:05..
Qual site consta essa decisao do IR previ?

Anônimo disse...

PROFESSOR ARI,

DEVEMOS ACEITAR TUDO O QUE O PESSOAL DA DIRETORIA NOS DISSER PARA JUSTIFICAR A NÃO REGULARIZAÇÃO DO ES 180 X 180 E TAMBÉM PARA JUSTIFICAR A NÃO ATUALIZAÇÃO DOS VALORES DE NOSSOS BENEFÍCIOS, DESDE QUE ELES NÃO DISTRIBUAM BONOS MILIONÁRIOS ENTRE ELES, ESTE ANO, COMO FORMA DE RECOMPENSA POR BOM DESEMPENHO.
COMO VAZEM TODO ANO. SE ISSO FIZEREM, VOU PROTESTAR.

Anônimo disse...

Os canhotos da classe alta estão todos picando as mulas do país. O que estranha é que, ao contrário do que pregam, estão indo para Miami no EUA. Terra do imperialista Tio Sam. Por que não Cuba? Ou talvez Venezuela? Que tal China?
No fundo eu acredito numa atração freudiana pelo tal do Trump...

Defendem o desarmamento da população e se mudam para o país mais armado do mundo.
Defendem ideias "progressistas" e se mudam para onde o partido mais conservador ganhou as eleições.
Uma daputada ptralha chegou a desfaçatez de propor desarmar a polícia

Mouro e Mourão, por favor ...

jairo antonio mora disse...

no site da ANABB

Titi Maravilha disse...

No site da ANABB.

José Roberto Eiras Henriques disse...

A retirada de patrocínio dos fundos de pensão já é uma realidade, vejam a resolução CNPC nr.11,de 13 de maio de 2013. A iniciativa pode partir tanto do patrocinador quanto do próprio fundo.

Anônimo disse...

Interessante o debate sobre liberdade de expressão. O que se depreende é que existe um grupo de esquerda, com seu patrulhamento ideológico, quem determina o que pode e o que não pode. O que é arte e o que não é.
Esquerda é assim: ou é do jeito deles ou é paredão

Anônimo disse...

O patrocinador poderá se retirar do fundo, porém antes deve carrear todos os recursos previstos -- da parte patronal -- para assegurar o pagamento até o último benefício previsto.

Privatização já!!!

Anônimo disse...

Resolução n.11 CNPC 13/05/2013.
Não adianta nem ir à Justiça.
O patrocinador que quiser se retirar, p.ex., em razão de privatização caso seja uma estatal, vai cumprir com as obrigações com participantes e assistidos.
Outro dado : nosso (?) fundo hoje já é administrado por participantes, indicados ou eleitos. Mas, na realidade se diz que quem manda é o patrocinador.

ricardo o.c. albuquerque disse...

Sr. Ari Zanella.
Ontem, enter 08,00 09,00, enviei um comentário sobre palavras deselegantes de um ANÔNIMO, sobre funcionários que trabalhavam no BB nos anos 60 e 70. Pergunto: meu cometário, não publicado, foi censurado. interroga.ricardo o.c.de albuquerque

Anônimo disse...

Emérito Professor ZANELLA:


Grande perigo (dada sua inutilidade) de privatização corre a Caixa Econômica Federal, tendo em vista que todos os aspectos jurídicos e financeiros já estão estudados e concluídos, dispondo o presidente do Banco Central. outro "celerado" a serviço desse "execrável" governo, quer pegar o dinheiro da privatização e "jogá-lo por inteiro" no caixa do Tesouro Nacional, a fim de que o seu "mefistofélico" senhor, possa comprar todo o Congresso Nacional, do porteiro até seu dirigente mor.

Anônimo disse...

A gente que entrou no BB nos anos 60, ia para cidadezinhas sem telefone, sem cinema - pouca luz - sem TV - pouca água e ainda enfrentava a ciumeira da rapaziada local. Trabalhávamos de camisa social e gravata e ainda ainda assim eramos felizes.

Ari Zanella disse...

Caro Ricardo, (comentário 09:01)

Não publiquei devido ter excluído o comentário em questão, a fim de evitar polêmicas desnecessárias.

Lucia Siza disse...

TITI MARAVILHA.ESSA não achei a decisão IR previ no site da Anabe

Anônimo disse...

Sabem por que se trabalhava bastante nos anos 60 ?
Porque não havia Whatsapp , Facebook, Instagram nem celular.

Anônimo disse...

Como já disseram os colegas consta no site Anabb: Ação IR Previ tem decisão favorável em segunda instância. Mas em 04.09 entraram dois recursos (Especial e Extraordinário) conforme consta no site TRF1

Anônimo disse...

Colega das ll:29
Lembro-me bem, em inícios da década de 60 do século passado, um colega da Agência de São Luís, capital do do Maranhão, partindo feliz, com a família, para tomar posse como gerente instalador de uma agência no interior do Estado, e retornando a São Luís, uns dois anos depois, triste, com a palidez da morte estampada no rosto, acometido de malária...
Edgardo Amorim Rego

Anônimo disse...

TCU bloqueia bens de Dilma e Palocci por prejuízo de US$580 mi com Pasadena
Por unanimidade, os ministros do Tribunal de Contas da União determinam a indisponibilidade dos bens dos conselheiros de administração da Petrobras à época da compra da refinaria


O Tribunal de Contas da União (TCU) responsabilizou os membros do Conselho de Administração da Petrobras em 2006 por prejuízos de US$ 580 milhões com a compra superfaturada da Refinaria de Pasadena, no Texas (EUA). Foram citados a ex-presidente Dilma Rousseff, o ex-ministro Antônio Palocci e o ex-presidente da estatal José Sérgio Gabrielli, Cláudio Haddad, Fabio Colletti Barbosa e Gleuber Vieira, todos conselheiros na época.
Por unanimidade, os ministros da Corte determinaram a imediata indisponibilidade dos bens dos seis envolvidos e a devolução dos valores cobrados a mais pela refinaria. Os citados terão que encaminhar uma lista dos bens, resguardados os necessários para subsistências.

A diretoria da Petrobras já foi julgada em um outro processo. Em 30 de agosto, o TCU condenou José Sérgio Gabrielli e o ex-diretor internacional da companhia Nestor Cerveró a ressarcir US$ 79 milhões por danos ao erário na compra da refinaria de Pasadena. A Corte impôs, a cada um, multa de R$ 10 milhões.
Contudo, o TCU decidiu fazer um processo apartado para avaliar a responsabilidade do conselho de administração à época e, nesta quarta-feira, determinou que os conselheiros também tiveram participação na negociação total da refinaria.
O caso

A polêmica começou em 2006, quando a Petrobras pagou US$ 360 milhões por metade da refinaria de Pasadena, adquirida um ano antes pela empresa belga Astra Oil por US$ 42,5 milhões. Em dezembro de 2007, a estatal e a Astra firmaram uma carta de intenções, na qual a petroleira brasileira se comprometia a comprar o restante da refinaria por US$ 788 milhões. O documento foi assinado por Cerveró. Em 2008, o conselho de administração negou ter dado aval e o caso foi parar na Justiça.

Os técnicos do TCU, inicialmente, avaliaram que o conselho de administração da estatal, presidido por Dilma, não teria deliberado sobre a aquisição dos 50% restantes de Pasadena. Contudo, na reunião desta quarta-feira, o TCU julgou que o conselho é responsável pelas duas operações, portanto, por 100% da compra superfaturada da refinaria, que resultou em US$ 580 milhões de prejuízos para a Petrobras.

Fonte:http://www.correiobraziliense.com.br/app/noticia/economia/2017/10/11/internas_economia,632992/tcu-bloqueia-bens-de-dilma-e-palocci-por-prejuizo-de-us-580-mi-com-pas.shtml

DINHEIRO DE PINGA

Anônimo disse...

ANABB
Ação IR Previ tem decisão favorável em segunda instância

A ANABB solicita aos associados que encaminharam autorização de representatividade o envio do kit de adesão com os documentos necessários à liquidação de sentença e execução

Em 10.10.2017 às 17:23 Compartilhe:

A Ação Coletiva de IR Previ ajuizada pela ANABB foi julgada em segunda instância pelo Tribunal Regional Federal da 1ª Região (TRF1), que confirmou decisão favorável aos associados. Tendo em vista o avançar do processo, a ANABB solicita a todos os associados que enviaram autorização de representatividade para participar da ação, e ainda não remeteram a documentação completa, que adotem essa providência para que a Associação possa agilizar as medidas, visando à futura execução do julgado. A documentação será utilizada para habilitação dos associados na fase de liquidação, quando serão definidos os valores individuais objeto de restituição, oportunidade em que o processo será preparado para os atos executórios.

Documentos a serem encaminhados à ANABB, que constam no kit de adesão:

Procuração preenchida, datada e assinada com firma reconhecida em cartório.
Cópia do CPF e da Carteira de Identidade.
Cópia de contracheque de aposentadoria da Previ – qualquer um, a partir de janeiro de 1996, ou cópia de documento que comprove o início do benefício de aposentadoria da Previ.
Autorização para requerer informações junto ao Banco do Brasil e à Previ, caso necessário, para instrução do processo.
Contrato de prestação de serviços advocatícios.
Autorização para débito das despesas administrativas e operacionais, no valor de R$ 300,00.







Situação atual: O processo teve liminar deferida, determinando que a Previ efetuasse o depósito judicial de 1/3 do IR incidente sobre a complementação de aposentadoria, iniciado em setembro/2012.

A ação obteve julgamento favorável em primeira instância e foi remetida ao TRF1 para reanálise da decisão. Em outubro/2014, o TRF1 determinou a juntada de autorizações de representatividade dos associados da ANABB que desejavam participar da ação coletiva IR PREVI, conforme entendimento firmado pelo STF.

As autorizações recebidas dos associados foram juntadas ao processo e, no mérito, o TRF 1ª Região também já se manifestou favoravelmente aos autores. A Fazenda Nacional ainda busca levar o processo aos tribunais superiores (STJ e STF) na tentativa de limitar a abrangência da ação aos associados residentes no Distrito Federal, quando o Tribunal já reconheceu a abrangência Nacional da ação.

Anônimo disse...

Tudo combinado, para não tirar a moral do Supremo, promoveram esse teatro, cujo desdobramento já sabemos: impunidade.
http://veja.abril.com.br/politica/ao-vivo-stf-decide-sobre-afastamento-de-parlamentares/

Anônimo disse...

Ação IR Previ
...e os que não encaminharam à Anabb a procuração de representatividade?

Anônimo disse...

Corrigindo conentário àcima: autorização

Anônimo disse...

Anônimos 11/10/2017 01:37 e 11/10/2017 00:56- Podem ser mais específicos, mencionando o art, inciso ou alínea que respaldam as suas assertiva. Pelo que me consta, no caso da retirada do patrocinador, até o saldo devedor do ES deverá ser liquidado mediante encontro de contas. Olha o signatário da RS que dispõe sobe a retirada do patrocinador: RESOLUÇÃO CNPC Nº
11, DE 13 DE MAIO DE 2013
GARIBALDI ALVES FILHO

Caro Prof., tendo em vista os rumores, seria proativa uma abordagem da hermenêutica, digo, das sutilezas da RS supra. Uma simples olhadela deu para inferir que "a cama está armada" para os velhinhos trambiqueiros.

Anônimo disse...

Prezado Seu Ed,

Depois de chegar a conclusão pessoal, que a esquerda (pelo menos no Brasil) diz defender trabalhadores contra o capital só para ter eleitores, fico em dúvida com relação a real situação da previdência no Brasil. Deficitária? Se a imensa maioria recebe salário mínimo, e ano após ano a arrecadação tributária bate recordes como esse fato se dá?
Peço desculpas pela minha incapacidade de expor as ideias com clareza, mas gostaria de ter uma opinião definitiva sobre isso. O funcionalismo público é pago com os mesmos recursos que o empregado da iniciativa privada? Ele recolheu para isso? Previdência social engloba pagamento de benefícios, atendimento do SUS, etc? A lógica exposta pela chamada direita, de que a população envelhecendo com consequente aumento do pagamento de benefícios, exige um aumento na arrecadação para compensar. Daí eu lhe pergunto: Os que se aposentaram não contribuíram para isso? Onde está a verdade nessa questão?
Se puder fazer a fineza de explicar a um ex colega de empresa, que mesmo sexagenário, pensa em voltar para academia afim cursar Direito devido às condições a que foi forjado, lhe serei grato.

Abraços fraterno

César

Anônimo disse...

Fachin nega pedido de Lula para impedir uso de grampos do petista na Lava Jato
Por iG São Paulo | 11/10/2017 16:44 - Atualizada às 11/10/2017 16:48
Fonte: Último Segundo - iG @ http://ultimosegundo.ig.com.br/politica/2017-10-11/lula.html

O SAPO SIFU

Anônimo disse...

Sumissão ao parlamento. Foi isso o que decidiu Cármen. Vergonha!!!'
O colunista Ricardo Noblat avaliou a decisão do STF, com voto de minerva dado pela presidente Carmen Lucia, como uma "vergonha": "Com todo o respeito, passaram a mão na bunda do Supremo Tribunal Federal". O colunista explicou: "Sumissão ao parlamento. Foi isso o que decidiu Cármen. Vergonha!!!". E lamentou: "O Supremo Tribunal Federal se apequenou. Não foi a primeira vez. Foi a mais grave até aqui. Sabe-se lá amanhã...".
http://www.gazetasocial.com/…/com-todo-o-respeito-passaram-…
😥

Anônimo disse...

Não entendi nada , previ com 50 anos? No site da Previ diz que tem 113 anos. Quem está mentindo ? Esse blog ou a Previ

Anônimo disse...

Senhores,


Assisti a quase todos os votos dos Ministros do STF.

Não é possível escutar, nem ver, o ilustríssimo Ministro doutor Gilmar Mendes, bem como M.Lewandowski e M.Toffoli.

Me passou uma ótima impressão o Doutor Barroso.

Brilhante o Ministro Celso Mello, que no final salvou em parte a triste decisão da Doutora Carmem.

Quanto ao mérito, como sou leigo, mas não ingênuo, me pareceu SALVO MELHOR JUÍZO, que incrementaram os ingredientes de uma GIGANTE PIZZA, para não submeter ao crivo da Lei os corruptos pegos com a mão na bufunfa, em malas , sacolas, mochilas...

Salvaram aqueles que como o senador confirmaram ter pedido o "cascaio" e sentenciado "vamos escolher um portador que a gente possa mandar MATAR".

Se isso não é crime o que resta para o MIÚDO, como bem falou o Doutor Barroso, "pune-se o miúdo e se protege o graúdo".

Até mais...








Anônimo disse...

Eis a consolidação do meu comentário de 11/10/2017 20:22 (antes da votação)

http://domtotal.com/noticia/1198018/2017/10/para-stf-congresso-precisa-dar-aval-para-afastar-parlamentar/

Anônimo disse...


A PREVI é secular e o anônimo tem razão.

Criada em 1904, a PREVI instituiu a seguridade social no País antes mesmo da criação do INSS. Passado mais de um século, a PREVI é uma instituição sólida que, procurando antecipar-se sempre às mudanças e necessidades de seus participantes, é reconhecida como referência em planos de previdência complementar.

Anônimo disse...

STF deveria passar a chamar PTF (Pequeno Tribunal Federal) e abolir o nome Suprema Corte. Muita pompa muitas excelências para lá e para cá para tão pouco

Anônimo disse...

.....................O FILIPÃO TINHA RAZÃO....................................


Escolhi a moleza ao invés de trabalhar duro. 6 malárias, difteria, dengue, etc. Certa vez um doutor disse que meu exame de fezes parecia um livro de biologia. Antes de embarcar para essa aventura selvagem ainda ouvi a piada: Quem faz carreira no mato é veado (gente, por favor, o animal).
Se eu enveredasse pelos caminhos sindicais, quem sabe? Poderia chegar até a diretor de alguma coisa, mas escolhi a moleza do bando do brasil.

Conclusão? ALEMANHA 7 X 1 BRASIL


O Filipão deveria tentar a área de seguridade - lá a incompetência vira déficit, joga a conta para outro e ainda é bonificado

Anônimo disse...

Qual é o valor da comissão da ANAPLAB para divulgar essa noticia de ganho da ação IR e também quanto a associação do senhor Ari etá recebendo para orientar os associados da Anabb sobre documentação a providenciar e valor a depositar na conta dela, da ANABB? Quando estava na ativa, noticia desse tipo vindo da Anabb, ouvia muitas vezes. E fazia tudo isso que ela recomendava. E até hoje nada recebi. Acho que o senhor deveria esclarecer melhor essa matéria. E dizer porque está noticiando assunto de outra associação.
Um abraço.

Ari Zanella disse...

15:54

O site da ANAPLAB não faz nenhuma divulgação de ações de terceiros. O assunto foi divulgado somente aqui no blog, POR COMENTÁRIOS FEITOS pelos leitores. De minha parte, não comentei o assunto.

Anônimo disse...

Uma instituição que tira a legitimidade de suas "próprias" decisões:


http://veja.abril.com.br/blog/radar/deltan-dallagnol-parlamentares-sob-suprema-protecao/

Anônimo disse...

Joesley relata lobby de Suzano e Votorantim no BNDES e fundos
Economia 12.10.17 17:46

No trecho final do depoimento complementar de Joesley Batista à PGR, obtido por O Antagonista, ele narra o processo de criação da Eldorado Celulose.

O empresário revela que, pela primeira vez, enfrentou resistências no BNDES e nos fundos de pensão, apesar das constantes gestões de Guido Mantega e Luciano Coutinho.

Joesley sugere que os problemas enfrentados decorreram de forte lobby dos grupos Suzano e Votorantim, inclusive no corpo técnico do banco e na diretoria dos fundos.

Pelo visto, o Ministério Público Federal tem muito a investigar.

Fonte:www.oantagonista.com/brasil/joesley-relata-lobby-de-suzano-e-votorantim-no-bndes-e-fundos/

A GOVERNANÇA NÃO PERMITIRIA

Anônimo disse...

Joesley: Mantega e Coutinho também abriram as portas dos fundos de pensão para a JBS

Joesley Batista também contou à PGR, em depoimento complementar obtido por O Antagonista, que Luciano Coutinho e Guido Mantega também lhe abriram as portas dos fundos de pensão.

Joesley queria R$ 1 bilhão do BNDES para comprar os frigoríficos National Beef, Smithfield Beef e Tasman.

Ao conversar com Coutinho sobre o plano, o então presidente do BNDES lhe disse que a quantia era elevada, mas poderia coordenar conversas junto a alguns fundos de pensão estatais.

Coutinho colocou diretores do próprio banco para fazer a ponte com Petros, Funcef, Previ e Valia. O BNDES entraria com 50% e os fundos com os outros 50%.

Os diretores do BNDES até viajaram com Joesley. O dinheiro do BNDES e dos fundos foi liberado mesmo sem a aprovação do negócio pelo DOJ americano.

Joesley pagou 4% de propina a Victor Sandri, o operador de Mantega, a partir da conta Valdarco para as offshores Lirium e Orquidea.

Como o DOJ acabou vetando, o BNDES deveria ter exercido cláusula de PUT option para que Joesley devolvesse o dinheiro investido. Mas não foi necessário, como contou o empresário à PGR.

“Eu liguei diretamente para ao superintendente da área de mercados de capitais do BNDES, Caio Melo.” O empresário alegou que o dinheiro teria de ser pago pela holding J&F que não estava operacional e, portanto, não tinha como pagar.

FONTE:https://www.oantagonista.com/brasil/joesley-mantega-e-coutinho-tambem-abriram-portas-dos-fundos-de-pensao-para-jbs/

ESTAMOS BATENDO NA PORTA ERRADA PARA AUMENTAR PREÇO E PRAZO

Ari Zanella disse...

A um anônimo endemoniado,

Que só hoje me encheu os tubos com três intervenções irônicas e lacônicas.
Quem é inteligente sabe que foi a partir de 1967 que a PREVI criou seus estatutos.
_______________________________________________

1966

O IAPB, Instituto de Aposentadoria e Pensão dos Bancários, é extinto e surge o Instituto Nacional da Previdência Social, o INPS, que une diversos institutos previdenciários.

1967

A Caixa de Previdência foi autorizada a receber como sócios todos os funcionários que até então eram vinculados unicamente ao antigo IAPB. A antiga Caixa da Previdência desaparecia, dando lugar à CAPRE, que buscava adaptar-se ao novo ambiente institucional da previdência do país. O novo fundo torna-se então a entidade complementadora de benefícios de aposentadoria e pensões de funcionários do Banco do Brasil.

Fonte: http://www.previ.com.br/a-previ/nossa-historia/

Anônimo disse...

Prof. seu comentario/resposta . " A antiga Caixa da Previdencia desaparecia dando lugar à CAPRE..."
Não seria a CAPRE dando lugar à PREVI.
Anonimo angelical.

divany Silveira disse...



Mestre , confesso que sou quem mais brinca neste espaço e pretendo vi-
giar de agora em diante minha conduta neste espaço para evitar mal en-
tendidos, diante do seu temperamento e índole educados. Vou direto ao
assunto : causou-me espécie a forma como o signatário da mensagem de
l5,54,hoje, cobrou explicações de uma notícia que apareceu nesta blog,
cuja orígem é de outro noticioso. Como se notícia fosse bem penhorável
que pertencesse a um dono.Achei draconiano o leitor pedir explicações
mais detalhadas e querer saber se há pagamento pelo serviço da divulga-
ção do assunto. Não tenho educação refinada para certos eventos, mesmo
porque parte da minha vida estudantil foi em escolas rurais, embora ve-
nha desdobrando esforços para chegar perto dos meus amigos que me hospe-
daram aqui para meu gáudio, com o beneplácito do Mestre Ari. Outra coisa
que a educação exige é dizer o nome para quem se dirige querendo deta -
lhes , pois não se deve dar informações a quem não se identifica.Descul-
pe minha intervenção mas acho que na sua boa fé não notou.!!!!.

Anônimo disse...

Fessô,

Na boa !!! Né por eu estar na minha presença não, mas me acho um excelente conselheiro de blogueiros.
Já que o blog é seu, não dê palco para esses babacas não. Vai por mim que é uma boa.
C é gente boa !!! Sangue bão !!! Do bem !!! Do lado direito !!! Muito desses prepostos de "alguém", tem como missão bagunçar os nossos resquícios de resistência, que Graças ao Bom Deus, um deles está nas mãos de alguém que ama a Ele e ao próximo.
Vossa Senhoria tem sido um instrumento de Deus para nos orientar e dar algum alento.
Continue assim Professor. Ninguém ataca pedra em árvore que não dá frutos

Fique em paz

Ari Zanella disse...

23:15

Essa parte foi transcrita do site da PREVI. Não foi eu quem disse...

Anônimo disse...

Colegas,

Escrevo como anônimo.
Se um dia for atacar algum Colega ou pessoa vou me identificar.
O Anônimo demonizado certamente não tem coragem, suspeito, não é colhudo, o suficiente para se identificar e enfrentar o Caro Professor Ari, pela verdade.
Não sou advogado do Sr. Zanella, mas me importo com aqueles que são injustiçados, por um anônimo.
Caro Anônimo , seja mais autentico quando for acusar.

Anônimo disse...

Colega a quem me referi com palavra chula,

Desculpa, pois incorri no mesmo erro quando qualifiquei por suspeita e não me identifiquei.
Me penitencio e não mais me manifestarei, pelo simples fato de não poder me identificar, por medida de proteção, uma vez que já fui perseguido e obrigado em pagar dolorosamente por erro que não cometi.

Minhas humildes desculpas.

Anônimo arrependido no seu caso.