segunda-feira, 4 de setembro de 2017

ESTRUTURAL OU CONJUNTURAL?

    Nos momentos de crise, ondas altas ou simples marolas, PIB em baixa, bolsa em alta vem à tona a clássica pergunta se o problema é estrutural ou conjuntural.
     Bem, a fim de entender o assunto, vamos dizendo que é conjuntural quando pequenos ajustes, feitos preventivamente, geralmente pontuais, tendem a normalizar o ponto fora da curva (inesperado). Podemos classificar de conjunturais aquelas "marolinhas" que o ex-colega disse da crise de 2008. O risco é que se as correções não forem bem sucedidas poderá descambar para questões estruturais.
     No Brasil, é clássico o nó estrutural do excesso de impostos; o intrincado gasto público do legislativo em Brasília - e por extensão - das câmaras estaduais e municipais.
      Para resolver tais assuntos estruturais é necessário muita decisão política, posto que obviamente vai se criar animosidade com todos aqueles dependentes de cargos especialmente criados para agradar quem vota os projetos do executivo.
      Levando o assunto à nossa governança corporativa, eu pergunto aos nobres leitores se a nossa gestão estagnada em resultados pouco expressivos, com o déficit se mantendo na ordem de 14 bilhões, é conjuntural ou estrutural?
A bolsa já está quase no seu recorde histórico de 73 mil pontos e mesmo assim não se nota otimismo em nossos investimentos bursáteis, simplesmente porque estruturalmente temos "participações" na Vale, na Invepar etc. Ou seja, temos empresas controladas das quais dependemos muito de seus balanços ou como se diz "de valores de mercado" para valorizar ou não nossos investimentos. A BR-Foods, por exemplo, amarga dois exercícios de rentabilidade negativa. Costão de Sauípe nem se fala.
      Eu na diretoria de Investimentos sugeriria uma carteira de ações pão quente, de compra e venda de posições diárias. Compras de hoje Itaú, Petrobras, JBS; amanhã Vale, BB e Bradesco...Semana que vem vende as que renderam bem, compra outras com possibilidade de crescer. Basta consultar analistas especializados...Qualquer milhão ganho é bem-vindo.
      Digam nos comentários se nossos problemas são apenas conjunturais.Não sou o dono da verdade.

21 comentários:

Anônimo disse...

Me perdoem se estiver errado. Tenho a desconfiança de que toda essa armação contábil é apenas ficção. Dinheiro que é bom, acho que não existe mais. Talvez por esse motivo o pessoal do Mourisco não libera nada, não facilita nada.
Mas, como escrevi logo acima, é apenas desconfiança, tomara Deus que seja apenas incompetência da parte deles.

Josué
PARANÁ

Divany Silveira disse...



MESTRE, MESTRE, O PB-1 PARECE TELHADO DE POBRE : SÓ VAZAMENTOS !!

E eu pergunto aos universitários e até mesmo para o grupo do Mobral
que está lutando, enquanto nossas entidades patronais não voltaram
das férias, ou melhor, das férias prêmio ou, quem sabe, abandona -
ram o barco lotado de velhos, mas velhos com V (maiúsculo) que não
chora fácil, exceto se a CASSI continuar pagando remédio genérico
pelo preço de importado. Se foi erro alguém deve estar rindo de
nós, mas se foi "know How ' tipo lava-jato, vai dar ressaca,pois o
remédio está amargo. Mestre, eu gosto de brincar, mas tem hora que
não há clima,veja.grande Mestre, que o BB, como os latifundiáarios
fazem com os pequenos, se apossou de nosso BET e agora a CASSI que
não posso provar, mas parece que bebeu sonífero, pagou melhoral co-
mo se fosse "aquele" produto que revigora o homem com mais de 40.
Mas,isto será apurado, mas quando sera ? Quando será ?












joão maria lima bedran Bedran disse...

Educacional!

lula disse...

Prezado Ari e demais colegas,

A respeito da divisão do superavit, li no blog da Rosalina a sentença - assim por cima - mas, fiquei surpreso com um parágrafo 2 na página 552 daquele documento o seguinte: escreveu o Juiz " não foito a PREVIC qualquer pedido expresso de reversão de valores também ao patrocinador, de qualquer "auditoria prévia, independente e específica" que pudesse instruir tal pedido". Pelo que se depreende do texto o BB não pediu a reversão; a PREVI fez por conta própria. Será que é isso mesmo? Aí não tem cabimento.

Anônimo disse...

Qual destes conceitos está tipificado em nosso contexto?

A - ESTRUTURAL -FATORES INTERNOS VULNERÁVEIS ÀS INGERÊNCIAS "EXTERNAS"
B - CONJUNTURAL-FATORES ECONÔMICOS EXTERNOS
C - NDA

Anônimo disse...

$$$$



Acredito piamente que se o pessoal da Empiricus assumisse a comandância da aeronave chegaríamos a lugares paradisíacos. Entretanto, existem muitos interesses difusos que impedem que tenhamos uma Valia numa metragem maior. Compreende cabeça dura?





$$$$

Anônimo disse...

Crise! Pra quem?

http://www.diariodopoder.com.br/coluna.php?i=57708694950
Ex-líder do PT é o senador que custa mais caro
Humberto Costa (PT-PE) é um senador atuante, mas é aquele que custou mais caro ao contribuinte, este ano: R$ 675,4 mil apenas entre janeiro e agosto. Em segundo lugar nos gastos está Randolfe Rodrigues (Rede-AP), com R$ 652,7 mil auferidos entre salários, cota parlamentar e a rubrica “outros gastos”. Os dois são seguidos de perto por outro senador petista, José Pimentel (CE), que levou R$ 627,4 mil.

Luis-BH disse...

Prof. Ari,
Agora é estrutural. Era conjuntural. Durante anos a gente avisou a Previ, a Previ foi inclusive notificada pelos reguladores de previdência e pouco fez. Não ajustou a renda variável à legislação.
Concordo 100% com as ações "pão quente". Nada de se prender a participações engessadas. Mas existem outros interesses...

Anônimo disse...

Prof.Ari,
Parabéns pelo blog.Aqui todos podem expor seu ponto de vista.Podemos discordar dos seus comentários e o Sr. dos nossos.Muito bom.

Anônimo disse...

Sr. Ari
Alguém na Previ poderia ver o tal documento que manda repassar os 50% do superávit para o BB.
Quem sabe o colega Dr. Medeiros poderia nos prestar tais informações.

Anônimo disse...

Isso mereceria cadeia num país sério ...

José Roberto Eiras Henriques disse...

Ari,
Do jeito que está andando nossa economia e a previsão de mais uma denúncia contra o presidente da República, garimpar ações quentes para investir será uma tarefa hercúlea. A insegurança política é um entrave grandioso para nossa economia. Isso virou biruta de aeroporto, gira de acordo com vento indicando sua direção mas não nos dá garantia de que o caminho escolhido será o mais seguro.

Anônimo disse...

Valor Econômico expõe conexão suspeita entre Gilmar Mendes e políticos denunciados de MT

Fonte:http://www.olhardireto.com.br/juridico/noticias/exibir.asp?id=36684&noticia=valor-economico-expoe-conexao-suspeita-entre-gilmar-mendes-e-politicos-denunciados-de-mt

INTERVENÇÃO MILITAR JÁ!!!!!

Anônimo disse...

Se a caixa não fosse preta meu extrato não estaria no branco!!!



6 tão é de sacanagem





* politicamente correto bambu no lombo do preto e do branco

Anônimo disse...

E o golpe do Janot, que sonhava ser governador ou senador em Minas Gerais, desandou. Com medo de ser desmascarado pela próxima procuradora, resolveu entregar o enredo agora.Com isso a tal segunda denúncia contra Temer vai valer quase nada. Pior, a delação da JBS poderá vir a ser anulada. Conclusão: Temer fica até dezembro de 2018 e repassa a faixa presidencial para o próximo presidente, que eu espero que seja o Jair Messias Bolsonaro.

Paulo César Fernandes

Henrique Augusto disse...

Desde ontem recebi mensagem via whatsapp,com o seguinte teor. O Banco do Brasil não se dispõe mais a pagar pelos pós laborais, junto a CASSI.Que verdade há nisso?

Anônimo disse...

No Facebook, Grupo Previ e Cassi são nossas, numa petição à Previ feita por colegas,é informado que o déficit em 30/06/2017 passou para 15.600 bilhões.

Anônimo disse...

O pão do pobre sempre cai com a manteiga pra baixo. O TRF1 julgou improcedente a ação individual IR 1/3 Previ, movida pela ANABB, e ainda condenou os autores ao pagamento de sucumbência aos advogados da União.

Anônimo disse...

Só resta concluir que realmente não existe ninguém confiável nessa história toda.Políticos, judiciário, MP todos agem por interesse próprio.

Anônimo disse...

$$$$$





Depois de anos de escravidão a uma única companhia de telefonia fixa, chegou na minha região a fibra ótica. Com a manterei o mesmo número de telefone.
Já pensou se existisse essa possibilidade de portabilidade para a Valia? Não ficaria ninguém nem para apagar a luz






$$$$$

Anônimo disse...

Eis o texto que está sendo repassado via Face e outros canais - desconheço a origem e deixo a publicação a critério do Prof. Ary:
BB quer deixar de ter compromisso com CASSI em relacao a aposentados, agora batizados de pos laborais:
Para os vinculados ao Banco do Brasil: Houve uma reclassificação. No bb não existem mais aposentados. E sim os pos - laborais. Com isso, o bb fara um plebiscito sobre a Cassi. A jogada é não mais pagar o plano para os pos-laborais, deixando-os entregues a própria sorte. Por favor, quem conhece aposentado, pensionista do bb, diga para q se informem e participem do tal plebiscito. Se deixar apenas pelo pessoal da ativa estamos todos ferrados. E somos maioria . É fácil barrar isso. Basta mobilizar.
O negócio é sério, tanto para nós quanto para a Cassi...mobilizar é preciso.