sexta-feira, 1 de setembro de 2017

ENQUANTO O AUMENTO NO LIMITE NÃO CHEGA

    Há um bom tempo existem dois tipos de empréstimo simples: O ES-A 160 Plano1 e o ES-B 160 Plano1. Pois bem. Ambos estão sujeitos ao mesmo limite, 160 mil em vigor. Neste ano, até novembro, a nossa bondosa diretoria de Seguridade, deverá aumentar esse limite para 165 mil ou 170 mil, dependendo do bom humor do fundo.
    Nada obstante, se hoje você tiver alguma margem disponível e concomitantemente tiver pago seis prestações ou mais, poderá tranquilamente renovar o seu empréstimo em qualquer das modalidades (A ou B). Assim, quando houver a manifestação da benevolência da diretoria de Seguridade, a ser estampada no sítio da PREVI em manchete do tipo "ES - Aumento de limite no Plano 1", você terá condições de realizar outra operação, na modalidade em que não renovou anteriormente. Por óbvio, tal operação somente se concretizará se o caro colega tiver seis ou mais parcelas pagas na modalidade e, principalmente, se tiver margem consignável.
     Eu tenho ambas as modalidades. Renovei agora a modalidade "B" num valor de pouco mais de 5.500,00, deixando meu limite utilizado em 160 mil. Assim que sair o novo limite, renovarei a modalidade "A" até o valor que a minha margem remanescente (84,00) permitir.
     Era isso, meus colegas. Espero ter sido útil a quem desconhecia as duas modalidades. Se existir mais dúvidas a respeito, podemos dirimi-las nos comentários. Bom final de semana a todos os colegas e que o bom Pai Celeste nos proteja a cada um em particular!
  

29 comentários:

joao trindade disse...

Boa noite, emérito prof. Ari,
De vez em sempre o dileto amigo nos brinda com notícias que nos fazem renovar esperanças em dias futuros menos ruins.
God bless you and your family !

Anônimo disse...

Professor, boa noite e uma pergunta: o CDC do BB continuará sendo mais vantajoso do que o ES, mesmo com a ampliaçào do prazo?
Obrigada.

Anônimo disse...

caros amigos, tem 1 porém a meu ver, fazer nas 2 modalidades claro que é uma possibilidade, mas anteriormente eu havia verificado que neste caso a soma das 2 prestações ficará 1 pouco maior que se for feito apenas 1 empréstimo, espero estar errado, mas se não estiver, bom sábado para todos e, "vamos que vamos !!!"

Anônimo disse...


http://www.diariodopoder.com.br/coluna.php?i=57676044612

Conversa mole
A pelegada ligada aos bancários espalha que o governo vai privatizar o Banco do Brasil. E chama de “desmonte” a reestruturação destinada a reduzir custos e privilégios e a melhorar a eficiência do BB. Tudo lorota.

Anônimo disse...

Bom dia amigo, Ari!

Ari Zanella disse...

Colega das 23:46

O CDC do Banco do Brasil é mais rápido, fácil de operacionalizar, admite liquidação progressiva etc, porém NÃO É mais vantajoso (em termos de juros baixo) do que o ES. No ES a correção é pós-fixada (5% ao ano de juros + INPC + FQM) que dá mais ou menos 1% ao mês. A menor taxa do CDC do BB é 1,45% ao mês.

Anônimo disse...

E o pagamento de 12 parcelas do BET, hein?

Tão esperando chegar a Copa da Rússia ?

A coisa está russa para our side .

Anônimo disse...


AMIGO 01/09/2017 23:46, QUE AMPLIAÇÃO DE PRAZO VOCÊ SE REFERE?

Blog do Ed disse...

Atentem bem para o que disse esta autoridade judiciária brasileira: "O presidente do Tribunal de Justiça de São Paulo, desembargador Paulo Dimas, teve de entrar no debate: “O juiz não é justiceiro, ele tem que se ater a letra da lei..." Então, cumpram-se os artigos 19 e 21 da LC 109 /01 no tocante ao destino dos recursos da Reserva Especial (reversão de valores ao Patrocinador).
Edgardo Amorim Rego

Anônimo disse...


A saída da PREVI para nós é esticar o prazo do ES senão para 180 meses, pelo menos para 160 meses. Ai deve sobrar algum coisinha para a nossa manutenção. Caso contrário só um quebra-quebra" no Mourisco.

divany silveira disse...



COLEGAS, NÃO SEI QUASE NADA, MAS DESCONFIO DEMAIS !!!!

Mestre, reserva moral do PB-1. e chagásico,não pela contaminação do
barbeiro, mas tem o coração dilatado pelas lutas a favor dos seguido-
res!!! Mestre, minha cultura é prima carnal do Mobral, e não estou
brincando quando digo isto,pois lá no início foi programa de escola
rural,mas Deus colocou gente muito boa no meu caminho e ,interessante,
Mestre, eu notei que essas pessoas seriam úteis para meu futuro e me
encostei nelas. Vou te fazer uma confidência, tudo que você escreve eu
leio duas vezes,pra ter certeza que eu assimilei, há um outro amigo
nosso que você, devagar, trouxe para este cantinho político que é uma
cabeça igual a de Baltazar do Corintians, com uma particularidade ,
O Cabecinha de Ouro a usava para marcar Gools e este Golden Head que
admiro, Sir Edgardo Amorim, usa para nos clarear o caminho que temos de
percorrer. Mestre, isto posto, quero levantar uma questão : das coisas
que ainda funcionam e que funcionam porque os políticos não meteram as
duas mãos, porque impressões digitais a gente já nota, é o Banco Bra-
sil, que sustenta muitos programas do governo, tem um quadro bem trei -
nado e produtivo MESTRE, se a atividade não é lucrativa, qual razão de os
homens do governo terem tantos interesses em algo que é patrimonio da So-
ciedade. O BB está à venda, por qual razão ? Mestre, bom domingo, dê
um abraço em sua família que já vi é sua fortaleza e inspiração.Prometo
não atormentá-lo mais hoje,porque é humano e precisa de Rest (pra não per
der o costume !!)Bom domingo,velho amigo.

joão maria lima bedran Bedran disse...

Nos perderemos entre monstros
Da nossa própria criação
Serão noites inteiras
Talvez por medo da escuridão
Ficaremos acordados
Imaginando alguma solução
Pra que esse nosso egoísmo
Não destrua o nosso coração
Será que nada vai acontecer? (Legião Urbana)

rafa disse...

O comentário do anônimo das 10;09 não é desprovido de fundamento. Quando era gerente geral do BB "apanhava" demais dos colegas da atividade meio ( comissionados encastelados nas superintendências regionais, cesec, cedip, eqesp, controladoria e compliance etc ... Na minha época 40% de comissionados nível 6/8 dormia nos palácios ... A maioria já aposentados pelo INSS, recebendo por fora o INSS, mais o FGTS, vale alimentação, transporte e PLR.
Queriam nem morrer ...
Quase tive um AVC na época da IPO do BB em 2010!!!
A reestruturação é sem sombra de dúvida salutar!
O "bicho " pega mesmo é nas agências!
E agora, com a informática, nem tanto assim.
Nosso tempo de bancário já se foi ...

Anônimo disse...

Só tem uma coisa: Quem tem um empréstimo simples perto do limite máximo, seja A ou B - digamos A, e RENOVAR no MESMA modalidade, no final do mês, para CRÉDITO no PRIMEIRO dia útil do mês seguinte (digamos fazer a renovação de um E. S.- A no dia 29/11/17 para CRÉDITO no dia 04.12.17), NÃO PAGARÁ a prestação em 20.12.2017. Nestes tempos bicudos, 2.000 a mais(no caso de valor total próximo de 160 mil) faz uma boa diferença !

Nascimento.

Anônimo disse...

Esse nosso colega Nascimento é o cara!!! O Fessô foi que me ensinou essa manha de colocar o pedido num mês e o crédito no seguinte. Um mês sem cobrança do ES é uma grana danada.



O grande problema Nascimento, como um camarada ganhando 50 mil vai entender isso? Como entender que dilatação faria uma enorme diferença para a imensa maioria dos tomadores?


Como disse o grande Filósofo e craque de futebol Romário: Tem gente que calada é um poeta


$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$

Anônimo disse...

O saldo devedor do empréstimo é atualizado com base nos critérios e encargos contratados proporcionalmente ao período utilizado.
Correção: parcela relativa à correção monetária do saldo devedor calculada proporcionalmente ao período utilizado.
Juros: parcela relativa aos juros calculada com base no saldo devedor atualizado pela correção monetária e proporcional ao período utilizado.
FQM: parcela relativa ao fundo de quitação por morte calculada com base no saldo devedor atualizado pela correção monetária e proporcional ao período utilizado.
FL: parcela relativa ao fundo de quitação por liquidez calculada com base no saldo devedor atualizado pela correção monetária e proporcional ao período utilizado.
Valor: Somatório de correção, juros, FQM e FL ou o valor do próprio evento.
Saldo: saldo devedor contábil.
Considerando dia 20 como dia útil temos que :
1) A atualização do dia 20 é realizada de 1º a 20 e tem como base o saldo devedor do período anterior abatidos os juros, FQM e FL não pagos.
2) A atualização do último dia do mês é realizada do dia 21 ao último dia do mês e tem como base o saldo devedor do período anterior abatidos os juros, FQM e FL não pagos.
3) No caso de amortizações esporádicas, a atualização é realizada do dia subsequente ao período anterior até a data a amortização e tem como base o saldo do período anterior abatidos os juros,
FQM e FL não pagos.



EU QUERO MEU BET ORRA

Anônimo disse...

Enquanto se espera as migalhas provenientes do reajuste do ES, penso muito sobre este momento que estamos vivendo, que nada mais é do que o reflexo pela ausência de boa parte dos associados nas eleições recentes da PREVI. O alto índice de abstenção do ultimo pleito, aliados à divisão interna de egos inflados que fragmentou as chapas em várias correntes, permitiu que o Sr. Marcel Barros fosse reconduzido à Diretoria de Seguridade.
Então não podemos ficar de todo a reclamar, pois somos nós os grandes responsáveis pela situação que hoje vivemos.
Criamos e alimentamos o mito de que o pessoal da ativa acaba sempre decidindo as eleições. E eles, sabemos, são teleguiados pelo patrocinador e pelos sindicatos.
Mas não é bem assim. Se olharmos mais atentamente ao resultado da eleição de 2016, veremos que as abstenções foram quatro vezes maior do que o total de votos recebidos pela chapa vencedora. E que, se apenas duas das chapas da oposição se juntassem, venceria com folga de mais de 5 mil votos a chapa da situação.
Portanto, não foi bem o pessoal da ativa que decidiu a eleição, como muitos apregoam.
Se não mudarmos a nossa postura, não sairemos dessa situação tão cedo. Seja qual for a eleição, vamos perder mais pela nossa omissão e comodismo do que pela força dos nossos oponentes.
E estaremos aqui, de pires na mão, a mendigar as migalhas de uma pífia renovação dos limites do ES, das parcelas restantes do BET que nunca serão pagas, e a lamentar e responsabilizar Governo, Patrocinador e Sindicatos, pela nossas agruras.

Pensem nisso.

Cláudio

Anonimo disse...

Obrigada pela luz, professor, não havia pensado nessa possibilidade. Terei uma noite mais tranquila! Deus o abençoe!

Anônimo disse...

Emérito Professor ZANELLA:


Fazia tempo que eu não via uma "análise" tão "lúcida" e "atual" da nossa amarga situação. consequência de nossas "seguidas omissões", como a formulada pelo Sr. Claudio (em 02/09/2017, às 19:30 hs.).

Anônimo disse...

Temos tido dificuldades em administrar nosso orçamento.
Os especialistas da PREVI, aqueles conselheiros financeiros, não têm aparecido lá pelo site ou revista Previ.

Anônimo disse...

O comentário das 19.30 citou bem a ausência dos associados nas nossas eleições. Mas a inércia é geral. Tivemos no início do ano o absurdo que foi a manobra da Previ e dos terceiros para não cumprir a lei dos consignados.Fizeram uma reunião para decidir retirar os débitos que extrapolavam a margem dos contracheques e os terceiros passaram a cobrar por fora como se nunca tivessem sido consignados.Deveria ocorrer uma união daqueles (que são muitos) que estão envolvidos e principalmente das associações. Para que serve associação mesmo?????

Anônimo disse...

Pessoal,

Quando é que essa diretoria vai voltar a nos pagar o BET, benefício que ela nos prometeu pagar integralmente mas nos tirou antes do tempo? Ano que vem tem eleições, que nova promessa estarão nos preparando?

Abraço

Anônimo disse...

Ao Anônimo 16:51,

Você tocou numa ferida aberta, nossa arma legal contra todo tipo de mentira e incompetência: nosso VOTO.

Caro Mestre Ari, é numa hora dessa que você pode fazer a diferença, oriente a seta, vamos votar corretamente e as coisas vão se ajeitar. Confiamos em você, não nos deixe sem rumo.

Ubirandi Tavares de Albuquerque disse...

Gostaria de um esclarecimento maior sobre as renovações A e B acima citadas, se possível, pois, as desconheço.

Anônimo disse...

Professor, por que a Previ nos trata assim?

Ari Zanella disse...

Prezado Ubirandi,

Quando você faz o primeiro ES (ou já mantem um de longa data) ele ASSUME como se fosse ES-A Plano 1. Caso você entre no AUTOATENDIMENTO da PREVI e queira renová-lo terá que assinalá-lo para a devida renovação.

Mas, existe também o ES-B Plano 1 que foi feito para, em caso de você ainda não ter pago as seis parcelas da carência do "A", fazê-lo sem problemas.

OBS: OS DOIS UTILIZAM O MESMO LIMITE (caso você tem utilizado no "A" 100 mil, SÓ PODE UTILIZAR 60 MIL NO "B".

Mais esclarecimentos a PREVI fornece no Fale Conosco ou no 0800.

Anônimo disse...

Rs. Acho que fui indevidamente ironizado (se bem que ando com a percepção MUITO em baixa, ultimamente). Obviamente NÃO SOU o cara, me aposentei por invalidez (heart) no Posto Efetivo, com 26 anos de Banco e, segundo alguns , entrei pela "porta dos fundos", uma vez que fui selecionado para o cargo de Menor Estagiário em 1974, por ter as melhores notas de um grupo de 20 colegas de escola e por ser expansivo e falante. Fui comissionado em cargos de nível médio por alguns 10 ou 12 anos, também, mas a "Glande Virada" me tirou a comissão. Nunca mais fui reconduzido. Mas tenho a esperança de que pelo menos UM colega possa se beneficiar da informação (embora óbvia) que forneci,e, na renovação do precioso e cada vez mais inevitável Empréstimo Simples, possa, pelo menos por um mês, se livrar da prestação e ficar mais folgado.
Acho que seria MUITO interessante encontrar pessoalmente alguns dos sabichões, ironizadores e etc. que vemos por aqui. Com certeza, seria uma experiência inesquecível. Aquela mesma turma de sempre das Agências...rs.

Nascimento.

Cade Araujo disse...

Caso seja autorizado alguns de nós poderemos fazer um carinho para os filhos e os netos, já que o dia das crianças está próximo. É pouco. Não é a forma adequada, mas em época de vaca magra qualquer melhora é bem vinda.
Cadé

Ubirandi Tavares de Albuquerque disse...

Obrigado pelo esclarecimento. Grande abraço.