sexta-feira, 16 de setembro de 2016

PROPOSTA À DIRETORIA EXECUTIVA DA PREVI

À ESPECIAL ATENÇÃO DA DIRETORIA EXECUTIVA DA PREVI

PROPOSTA: 210 MESES DE PRAZO PARA REPOSIÇÃO DO ES

Em 01/09/16 a Diretoria de Seguridade repetiu, pela enésima vez, explicações para informar que o prazo de reposição do ES não pode ser superior a 120 meses. Essa é uma matéria controversa, insepulta e que sempre vem à tona porque nunca foi pacificada.
É imperioso enfatizar que a questão do prazo é o principal ponto de discórdia, da parte do Corpo Social, em relação a essa linha de crédito, isto porque existem margens operacionais e espaço técnico viável para enquadrar a dilatação do prazo para 210 meses.
Não é preciso uma análise acurada dos fatos para se concluir que os argumentos repetidos pela Diretoria de Seguridade não têm nexo causal, são frágeis, vazios, inconsistentes e sem fundamentação lógica e racional, inclusive a própria autora está cônscia disso, tanto que a todo o momento retorna ao assunto para justificar o injustificável, obviamente, sem sucesso.
Abro parênteses para o que disse a Diretoria Executiva: ”Existe risco no ES? Sim, existe um pequeno risco de inadimplência, por se assemelhar a um empréstimo consignado, e risco natural de morte do participante, principalmente em relação às faixas etárias mais elevadas”.
Justamente por não haver inadimplência no ES é que a credora (Diseg), em posição confortável, não tem motivos para elevar o prazo de reposição. Ganharia o quê? Por isso encara a proposta dos associados de aumentar o tempo de reposição como um despautério e pouco lhe interessa saber se num arrocho extremo, à base da exaustão e quase a custo de entregar o próprio sangue que os devedores estão honrando o ES.
É razoável e lícito que todo devedor que se sinta oprimido pelo seu credor tenha o direito de buscar fórmula que amplie o prazo de pagamento e baixe os valores das prestações mensais, notadamente quando a fonte do dinheiro emprestado foi constituída a partir da contribuição deste. Essa linha de crédito está à disposição dos associados e se vale dela quem deseja e precisa. Portanto, não há que se falar que aqueles que não tomam o empréstimo são prejudicados.
Nessa discussão técnica, cabe a seguinte analogia: É fácil levar um cavalo até à beira rio, mas o difícil é obrigá-lo a beber. Em sentido parecido, os participantes e assistidos levaram, através do voto, o Marcel para a Diretoria de Seguridade, todavia, não podem forçá-lo a defender as suas propostas, principalmente aquela que objetiva aumentar o prazo do ES para 210 meses, porque após a posse os eleitos se julgam donos dos mandatos, somem, não prestam contas, cospem nos pratos que comeram, julgam-se senhores das suas ações e ignoram as necessidades orçamentárias dos seus eleitores.
Sem alternativa, os 210 meses solicitados para reposição do ES é a única saída para mitigar a crise financeira que aflige os aposentados, por longo período, e sem perspectivas de reversão, porquanto inexiste, no momento, Reserva Especial (superávit) para revisão do plano e o horizonte futuro é negro e desanimador no que tange à obtenção de novas sobras técnicas suficientes para cobrir os 25% da Reserva de Contingência e excesso para constituição da RE.
Nós estamos cansados de saber que os eleitos não têm autonomia para autorizar nenhuma melhoria nos benefícios dos associados, entrementes, para votar contra as nossas reivindicações, negá-las, travá-las e fazer coro os interesses do patrocinador, para isso eles têm autoridade de sobra.
Em tese, o que se espera de cada eleito, por dever ético, é o cumprimento regulamentar da sua missão institucional de representar bem os eleitores e lutar pelos seus direitos e conquistas, mas, infelizmente, na prática ocorre o inverso. Na maioria das vezes os eleitos pulam o balcão para o lado do patrocinador na busca de cargos nos Conselhos de Administração das empresas participadas e ganhos adicionais, pois a saco da ambição não tem fundo.
Um exemplo de desleixo e menosprezo aos legítimos pleitos dos associados está consubstanciado na decisão desleal da Diseg de não defender e tampouco de submeter à concessão do prazo de 210 meses para quitação do ES ao colegiado da Diretoria Executiva, isto porque esse diretor é contrário ao deferimento dessa substantiva proposta, de forte impacto financeiro nos proventos dos 55.072 mutuários do ES (posição de junho/16).
Insensível e de costas para os ativos e aposentados, sem se preocupar com a melhoria da qualidade de vida destes, o diretor age como aquele pai negligente e irresponsável que joga fora a criança junto com a água do banho.
Contextualizando o caso no âmbito da PREVI, pelo seu turno, esse citado diretor assiste passivamente os legítimos donos do fundo de pensão sucumbir sob os efeitos deletérios da espiral inflacionária massacrante da conjuntura econômica mundial adversa e os joga à sanha dos agiotas financeiros do capitalismo selvagem, quando poderia ajudar na solução parcial do problema se levasse à apreciação da Diretoria Executiva, o pedido de elevação do prazo do ES para 210 meses.
Pelo bem ou pelo mal e inobstante seja duvidosa e questionável, a defesa da Diretoria Executiva de eleger a conjuntura externa como única culpada pelo déficit técnico de R$ 16.1 bilhões em 2015, foi aceita pelo Conselho Fiscal e Auditoria Independente.
É evidente que fatores negativos estruturais e erros de gestão, como a tática negocial suicida e equivocada de investir e concentrar cerca de R$ 25 bilhões apenas em uma empresa (Vale S.A), em cabal inobservância da pluralidade que é fundamental para pulverizar riscos e evitar perdas, no segmento Renda Variável, de alta volatilidade e gigantesco risco operacional, transação que sozinha acabou respondendo pela parcela de R$ 7.5 bilhões do déficit de R$ 16 bilhões.
Então, por que no vácuo desta linha de saída escapista, a mesma conjuntura não serve para explicar que é a causadora da ruína financeira dos associados, agravada ainda mais pela descabida e intransigente decisão de manter o prazo de 120 meses para o ES, o qual é patentemente insuficiente, conquanto fixasse prestações de valores elevados e reduz o já minguado poder de compra de quem é devedor do empréstimo.
Dentro da antítese de que para conseguir a “Paz”, é preciso fazer a “Guerra”, do mesmo modo, para reduzir o valor das parcelas do ES, a um patamar que caiba confortavelmente dentro do orçamento, no bolso, é necessário elevar matematicamente o prazo de pagamento para 210 meses, senão a equação não fecha.
Isto ocorrendo, essa medida justa e providencial resultará em um desafogo financeiro significativo no montante dos benefícios auferidos da PREVI, hoje, tão sacrificado com os gastos estratosféricos em remédios, de uso contínuo, que sobem frequentemente em decorrência da elevada inflação real do mercado.
Claro que aqui não estamos nos referindo ao irreal e manipulado IPCA. Pontualmente foi lembrado o item remédios por esse representar grande peso nos desembolsos, sem esquecer que os demais, obrigatórios e inadiáveis, estão pela hora da morte.
O FINIMOB e o ES são duas linhas de crédito vinculadas ao guarda-chuva do segmento “Operações com Participantes e Assistidos”, lastreadas com recursos dos próprios tomadores e se diferenciam uma da outra, pelo prazo e finalidade, onde a primeira é específica para compra de imóvel e prazo máximo de 420 meses e na segunda o uso do dinheiro liberado é livre e se destina ao suprimento do caixa do tomador, no prazo de reposição em 120 meses. Ambas propiciam rentabilidade que bate a meta atuarial e têm liquidez garantida, dado que o FQM contratado garante a quitação de cada contrato em caso de morte do devedor.
A Diretoria Executiva para negar um prazo adequado para o ES tem dito o seguinte (vide site):
[...] “O que pode acontecer se a PREVI elevar demasiadamente o prazo de pagamento do ES? Aumentar ainda mais o prazo significaria trazer risco de insolvência para o Fundo de Quitação por Morte ou, para que isso não ocorra, seria preciso incrementar a taxa a tal ponto que tornaria a operação inviável”.

Esse é outro posicionamento infeliz da Diseg, tendo em vista que o ES funciona com plena normalidade há décadas, sob a égide das regras atuais do FQM e não houve a ocorrência de situação alarmante de desequilíbrio. Com efeito, se é operacionalizado com 120 meses de prazo, com sucesso, não é elevando para 210 meses que o sistema vai se desmoronar abruptamente.

Uma prova disso é o FINIMOB que é pactuado com o prazo de até 420 meses, mais do que o triplo do ES, e o FQM nunca foi insuficiente para quitar os saldos devedores nos casos de morte dos devedores. Só falta invocar a hipótese absurda e bizarra de admitir que o fenômeno da natureza (morte) atinge mais os devedores do ES do que os mutuários do FINIMOB.

Em pequena escala, o ES é liquidado em cash, mas o grosso, as milhares de operações são quitadas antecipadamente mediante renovações (empréstimos mata-mata), casos em que os prêmios do seguro FQM pagos sobre esses negócios e não utilizados, perdem o objeto primitivo, transformando-se em receitas líquidas para o fundo, pois, como não houve óbitos dos devedores, é óbvio que o FQM não foi acionado.

Neste contexto, considerando somente os empréstimos liquidados nos últimos vinte anos via de renovações, fica difícil dimensionar o volume dos prêmios de seguro do FQM vertidos e que ficaram à deriva, sem utilização, dado que as liquidações foram antecipadas e sem a morte dos devedores. Onde está contabilizada essa fantástica massa de dinheiro do FQM?

Doutra parte, toda vez que morre um associado, automaticamente a PREVI fica isenta do pagamento dos benefícios futuros do falecido, algumas vezes pelo valor total, quando ele não possui dependente e parcial, com a redução para 60% se existir pensionista.

Assim, vamos admitir o pior cenário que seria a PREVI complementar o saldo do FQM para liquidar eventual ES deste devedor morto, caso em que haveria uma compensação financeira, basicamente um encontro de contas, e com poucos meses de economia, o benefício não mais desembolsado devido à morte do associado, seria mais que suficiente para repor o FQM contabilizado em despesas.
  
Por todo o exposto, pedimos a elevação simples do prazo de reposição do ES para 210 meses, em caráter excepcional ou que se crie uma linha de crédito especial para o saneamento do saldo devedor do ES, com encargos financeiros prefixados de no máximo, 1,35% ao mês, com a liquidez garantida pelo FQM e sem garantias reais, de sorte que se acolherem a segunda sugestão não precisarão mexer no intocável e sagrado prazo do ES.

João Rossi Neto  


77 comentários:

Anônimo disse...

Como é que fica a grande associação agora? Os figura faziam tudo que a petralhada mandava. Mudou governo e agora os petralhas são oposição. Será que eles são igual mulher da vida? Vai com qualquer um? Pq não coloca logo uma placa amarela e azul naquela bost...?
Tudo isso com o máximo de respeito possível

Anônimo disse...

Professor Ari,

Coitado do candidato dos comunas aqui na capital. Por ordem de cima, obrigaram o molusco a aparecer na propaganda dele. Dizem à boca miúda que não queria de jeito nenhum, mas os esquerdistas tem que ser unidos pela questão ideológica de um não entregar o outro no regime propinocrata.

Anônimo disse...

Alguma coisa tem de ser feita. Ja paguei 22 parcelas e o saldo continua o mesmo. O que mais quero é sair desta situação. Pago 2,156,00, não posso pegar novo emprestimo e o saldo devedor nao cai.

Anônimo disse...

a PREVI eh do BB, os assistidos sao soh um detalhe!

Anônimo disse...

Chegamos a uma outra conclusão, além do ES.
Chegamos a conclusão de que o sistema de escolha de administradores na PREVI, nos é desfavorável apesar das promessas dos candidatos.
É constatado a mudança de lado do balcão.
Se olharmos todo o passado da Previ, veremos que em nosso interesse pouco se fez. Pagar nossos proventos é obrigação, é o mínimo que devem fazer mercê dos altos salários que recebem.

Antonia disse...

Só dará certo, se for com encargos pré-fixados, caso contrário, a cada ano a prestação é reajustada e logo logo o valor estará nas alturas e o prazo também. Seria o caso daqueles que quisessem fazer uma negociação prá não renovar mais e conservar a mesma parcela até o final.

Anônimo disse...

Emérito Professor ZANELLA:


O caso do ES será enviado para "estudos" (caso não seja sorrateiramente arquivado). O aumento de 1% para "socorrer" a CASSI e um outro índice qualquer para cobrir o "rombo" da PREVI, virão "voando" sem nenhuma contrapartida que nós beneficie.

Rosalina de Souza disse...

Caro Colega Ari Zanella e Demais Colegas do blog,

Nosso Colega João Rossi Neto, mais uma vez, com muita clareza envia nota a Diretoria Executiva da Previ, para lhes mostrar um caminho que pode resolver de vez a história e o final do Empréstimo Simples.

Sabemos que o Diretor Marcel J. Barros é contra o aumento além dos 120 meses, em 15/09 efetivou o aumento do limite para 160 mil, mas a grande maioria dos tomadores não pode ter acesso, porque a margem negativa os impede de renovar a operação.

Os atuais encargos, e a inflação fora do centro da meta, tem feito com que o saldo devedor não tenha feito as prestações pagas ser sentida no valor final, mesmo após 24 parcelas pagas ou até mais nada muda em relação ao montante.

A saída tem que ser por via administrativa, como o BB já propôs reescalonamento de débitos no passado, a Previ caso a caso, pode sim rever esses ajustes e fazer a composição, até mesmo com termo de confissão de dívidas, e sem direito de questionamentos futuros via judicial, com expressa anuência do tomador.

Mas quando o assunto é resolver os problemas, nunca se tem respaldo dos eleitos, esta proposta, pode e deve ser lançada pelos ELEITOS DA CHAPA 3, até mesmo como forma de pressão ao Presidente da Previ e o Diretor Marcel.

Esse deve ser o papel da Cecília, do Carvalho e do Dr Medeiros, pelo menos fazer com que a Proposta seja de fato AVALIADA.

Para isto, basta vontade politica, e que se estudo a viabilidade do que foi tão bem proposto neste POST.

Saudações Cordiais,

Rosalina de Souza

Anônimo disse...


Prof.

Em que pese o brilho do comentário do João Rossi Neto, fiz uma simulação na Tabela Price, que dá os seguintes números:

210 meses de prazo, R$ 160.000,00 (atual limite ES), taxa de 1,35% a.m.
teremos uma prestação de R$ 2.297,49 fixa.

120 meses de prazo, R$ 160.000,00 (atual limite ES), INPC + 5% a.a. (encargos Previ) teremos uma prestação de R$ 2.338,65 (valor que pode ser simulado no site da Previ).

Diferença R$ 41,16, aumento do prazo em 90 meses!

Por outro lado, A SUSPENSÃO DAS PARCELAS, nos próximos 6 meses, dá um alívio imediato, rápido, independe de MC, decisão da Diretoria Executiva, etc.etc.

Podemos também reivindicar que o débito e o crédito do ES 13.em novembro/16, sejam feitos no mesmo dia da folha de pagamento (21.11.2016). A Previ não descartou totalmente essa possibilidade em resposta a minha sugestão no "fale conosco".

São coisas simples ao nosso alcance, lembrando que em 2015 foram suspensas as parcelas dezembro/15, janeiro e fevereiro/16.


Abraços

Anônimo disse...

Professor Ari,

Poderia fazer o obséquio de entrar em contato com o Dr. Medeiros? Não está atualizando o blog. Está tudo bem com ele? De repente pode ser por conta da troletada que o Inter levou encaminhando o mesmo para Segundona.
Deve ser igual ao Divany! Toda vez que o Fluzão perde fica de cama, mas só um cadin

Minerin do Quejin

divvany Silveira-s.Lgoas disse...



DOUTOR, NÓS ´´E VÉIO E FRACO,NÃO TEMO ILUSÃO NENHUMA, TOMARAM
O QUE era NOSSO, ONTEM NÓS ERA DONO, HOJE PEDINTE,VAMO PÕ FOGO
NO QUE ERA NOSSO ?

Mestre, nos anos 70 eu trabalhava lá no norte de Goiás e alguns
fazendeiros invadiram terras de pequenos proprietários e estes
sentindo que iam perder a ação,desabafaram mais ou menos da forma
acima. Respeitadas as diferenças, há,contudo ,uma verdade no nosso
caso: a indiferença com a proposta.Esta indiferença, este orgulho
é que faz brotar ervas daninhas iguais ao PT, que estamos acabando
de enterrar. Chega ser cansativo o desfile de lamentações diárias
neste local de lamúrias, e vão passando os das e nada de nada.Como
nos velhos tempos, a corte não fala com a plebe.Porque ? Por que a
corte não fala com a plebe, enquanto não cair ou enquanto não acon
tecer uma desgraça.desgraça ? sim, desgraça !! Os bancos e escri
tórios de cobrança estão chamando os mutuários para fazer acôrdo,
pela televisão,e até carros de som, mas a corte não dialoga com
plebe, até o dia que houver uma ação de âmbito nacional e conseguir
uma moratória ou coisa parecida, ação esta que pode ser lapidada
pelo próprio PT que não perde chance de ganhar UM MILHÃO de novos
adeptos.culpa de quem ? adivinhem ?



´-



Anônimo disse...


Prof.

Para não gerar dúvida:

R$ 160.000,00 em 120 parcelas com juros de 1,35% a;m:

valor da parcela R$ 2.700,19 (Previ R$2.338,65)

Abraços

Anônimo disse...

Taxa de juros prefixada (pré-fixada? - linguinha feda..) - prestações fixas, acho que é a solução mais plausível, uma vez que não adianta aumentar o prazo para até n... parcelas. Encargos pós-fixados, aí entendido aqueles que envolvem indexadores, não são totalmente amortizados nas prestações pagas (PRICE OU SAC) e, quanto maior for o número de parcelas, mais serão capitalizados. Esse processo,principalmente, em período inflacionário, provoca o aumento do saldo devedor, corrói a MC e o líquido do contracheque. Fiz um CDC funci 90 meses, PRICE, taxa 1,2% am (alta), no início, o impacto das prestações foi meio salgado, agora, passados alguns anos, o efeito inflacionário, ao contrário do que acontece com o ES, depreciou (grosso modo) o impacto da prestação. Os gestores da PREVI, analistas de risco de crédito "que são", sabem que o ES é auto- liquidável, mas, ao que parece, querem manter a cilada: taxinha de jrs. de apenas 5%aa , mesmo indexador da aposenta, etc.

Anônimo disse...

Caro Ari,
Caro Ari
Como alternativa para resolver a questão da Margem Consignável negativa, fato que impossibilita a renovação do Empréstimo Simples, é a alteração do percentual de 30% para 40%, prerrogativa prevista na Lei 10.820/2003, Art. 2º, §2º, quando impactada pelas consignações voluntárias (Contribuições para PREVI, CASSI, etc.).
2. Nesse sentido, enviei correspondência para a Diretoria de Seguridade, através do “Fale Conosco”, citando inclusive procedimento já adotado pela Funcef relativamente aos seus associados, cópia transcrita abaixo:

Senhor(a) FILOMENO JOSE LINARD COSTA

A PREVI confirma o recebimento da mensagem abaixo.
Aguarde nosso retorno em breve.

Gerência de Atendimento
PREVI

Esta mensagem é automática e seu retorno não é monitorado.
_________________________________________________________

Data: 16/9/2016
Tipo: Sugestão

Mensagem: Ilmº Sr. Marcel Barros
DD. Diretor de Seguridade

Em aditamento à sugestão por mim encaminhada à essa Diretoria de Seguridade em 15.09.2016, registro que a Funcef já vem adotando a margem consignável de 40%, conforme Clipping AssPreviSite de 16.09.2016 abaixo transcrito, o que reforça a tese por mim defendida através da sugestão supramencionada e que espero seja aceita por essa PREVI, beneficiando milhares de aposentados e pensionistas que se encontram impossibilitados de renovar o Empréstimo Simples ante à metodologia de cálculo atualmente em vigor:
Assunto:
Previdência: Clipping AssPreviSite de 16 de Setembro de 2016
Para:
filoedenna@oi.com.br
Funcef: Margem consignável no contracheque
Saiba como o cálculo é feito
Todos os participantes ativos e assistidos têm margem consignável, aquele percentual máximo de remuneração mensal que pode ser comprometido para pagamento de prestações de empréstimos, mensalidades de associações, sindicatos, entre outros.
Mas você sabe como ela é calculada? No contracheque do ativo, a margem consignável é calculada pela CAIXA. Se ele tiver alguma dúvida, deve entrar em contato diretamente com a área gestão de pessoas da CAIXA, responsável pela folha de pagamento.
No caso de assistidos, a margem consignável é de 40% do valor da renda mensal. Considera-se renda mensal a soma do benefício da FUNCEF mais o benefício INSS, isso se estiver dentro do convênio. Se o benefício do INSS for pago fora do convênio, a margem é de 40% apenas sobre o benefício da FUNCEF.
Para calcular a margem consignável dos assistidos, são efetuados os descontos obrigatórios, ou seja, dos salários ou benefícios são subtraídos imposto de renda, pensão alimentícia, taxa administrativa de contribuição FUNCEF, entre outros.
Sobre o valor que sobrar, aplica-se o percentual de 40%, encontrando-se assim a margem consignável bruta. Em cima desse valor, subtrai-se, ainda, os descontos voluntários, que são: empréstimos, mensalidade do plano de saúde, de associações, sindicatos etc. Assim, encontramos o valor da margem consignável para o empréstimo FUNCEF. (Funcef/AssPreviSite)
Atenciosamente,
Filomeno José Linard Costa - Apos. Matr. 3.288.840-6
3. Acreditando no bom senso do Sr. Marcel, atual Diretor de Seguridade, espero que a metodologia de Cálculo para apuração da Margem Consignável seja alterada, em especial quanto ao percentual utilizado, passando dos 30% para 40%, procedimento esse que, se aprovado, virá beneficiar os milhares de aposentados e pensionistas atualmente sem acesso ao Empréstimo Simples.
Filomeno José Linard Costa – Após. Matr. 3.288.840-6

Ari Zanella disse...

O nobre Dr. Medeiros está decidindo sobre cirurgia ou não de seu caso na próstata. Ficou uma semana sem atualizar, normal. Mas já está com novo post há um dia. Muita saúde ao ímpar guerreiro dos pampas!

rafa disse...

onde estão a Cecília e o Carvalho para, pelo menos, serem solidários com o nosso choro eterno? Votamos neles, fizemos campanha para eles ... Porque não levam em mãos as nossas demandas aos respectivos diretores , conselheiros ou ao próprio presidente da Previ? O que está acontecendo?

Anônimo disse...

Sempre muito claro e inteligente os textos do Rossi, não consigo entender o porque da ditetoria da Previ não acatar a sugestão do Sr.Rossi que com certeza entende muito mais q eles da economia e finanças da Previ assim como tem muito mais zelo pelos colegas aposentados e pela propria Previ.
É lamentável q o.Sr Marcel não nos atenda por birra, porque não existe motivo técnico q inviabilize a dilatação do prazo do ES para 210 meses.
É chegar ao extremo da insensibilidade, saber q 12.000 aposentados e pensionistas precisam desse socorro para sobreviver e um diretor q deveria se preocupar com os menos favorecidos q imploram um maneira de amenizar a angustiante situação de endividados e esse diretor nos ignora.
Numa época em q todas as instituições financeiras propõem acordos aumentando os prazos para pagamentos.também

Anônimo disse...

Carta de "concursado" em resposta ao ex-presidente Lula viraliza na internet


Confira:

"Já que falou de mim, concursado, sinto-me no direito de responder:

Senhor Ex-presidente, por mais ladrão que seja, sou concursado, com muito orgulho!

Para chegar lá, estudei, me dediquei, fiz uma prova tensa no concurso com o maior índice de candidatos/vaga daquele ano.

Após isso, passei 3 anos por um estágio probatório, para então, definitivamente, me efetivar no cargo. Na minha prova não adiantava eu mentir, nem tentar desqualificar meu concorrente. Tentar iludir o aplicador da prova com promessas de políticas sociais de nada adiantariam. Apontar para o colega do meu lado fazendo prova e alegar que ele mentia nas respostas e que ele iria acabar com o bolsa família, caso fosse aprovado, de nada serviria.

Não usei verba desviada de nenhuma empresa estatal para financiar a taxa de inscrição do concurso que fiz. O salário que recebo não me permite comprar sítios ou triplex. Não disponho de imunidade parlamentar, não disponho de auxílio moradia, nem paletó. Não sou financiado por empresas privadas e bancos.

Ser político é muito fácil. Dispensa estudo (vide o senhor). Dispensa atestado de bons antecedentes (vide o senhor). Dispensa conduta ilibada no exercício da função (vide o senhor). Para eleger-se, bastam mentiras bem contadas, projetos que iludam o povo, uma barba bem feita e um marqueteiro de primeira (vide o senhor).

Acusações, falsas ou não, contra o candidato opositor também são válidas. Aí, de 4 em 4 anos, vai pra rua pedir voto, equipado de obras superfaturadas, desvios de verbas e patrocínio de empresários e banqueiros, que doam dinheiro sem nenhum interesse.

Pão e circo funcionam desde a Grécia antiga, não é agora que vai falhar!

E finalizo lançando um desafio para o senhor. Nada complexo, nada difícil, eu consegui, o senhor mesmo julga ser fácil:

PASSE NUM CONCURSO!"

Fonte:http://ultimosegundo.ig.com.br/politica/2016-09-17/lula-carta-concursado.html


TOMA BESTA!!!

Anônimo disse...

A permanecer o sistema de atualização do saldo devedor do ES da PREVI e aumentar o prazo de 120 para 210 meses, é o mesmo que dizer que a dívida só cessará quando fecharmos os olhos para este mundo. Quem morrer antes pagará menos, quem morrer mais tarde pagará mais. Deus nos ajude. Tenho um empréstimo de 130.000,00 com prazo de 96 meses. Já paguei 29 prestações (mais de 60 mil reais pagos) e o saldo devedor baixou míseros R$ 19.500,00. Isto é, ao final do prazo, na repactuação, deverei ter mais uns 90 meses para pagar aí seguramente atingirá os 210 meses.

Anônimo disse...

Como explicaram alguns colegas aumenta-se o prazo e o valor da parcela reduz muito pouco. Além disso o problema dos endividados não é só o ES mas Cooperforte, Alpha Cash e outros.Para tornar os descontos suportáveis e legais somente com a ação 30%.

Ubirandi Tavares de Albuquerque disse...

A PREVI alardeou que fez melhoras no ES sem alterar o prazo e a margem consignável. Pois bem, agora está na hora de divulgar o número de associados que conseguiu tomar os Rs-160 mil

Anônimo disse...


Alguém poderia reproduzir aqui as promessas feitas pelo Zeca durante a campanha?
Ou será que já foram esquecidas?
Se antes era ruim com Marcel, imagine com o reforço que ele conseguiu na vitória do Zeca. Estamos fritos!

Anônimo disse...

As prestações do ES sistema atual no caso 2338,65, mantida a correção pela inflação hoje 10% no segundo ano já "bateu" a prestação fixa.
A chapa 3 com a batida em retirada estratégica do diretor do planejamento que deu ao Banco mais uma cadeira, não ficou capenga. ?
A PREVI facilitaria para muitos o imbróglio da margem consignável de 30%. Abriria MC se aplicasse o disposto na lei 13183 de 04.11.2015, que disciplinou a forma de calculo desta referida MC.
A PREVI já aplica o sistema para o financiamento CARIM. Por que não aplica para o ES ? Falta o que ?
A Previ já abordou o assunto em 25.01.2016 no site aba Noticias.

Anônimo disse...

Se condenado, pena mínima de Lula deve chegar a 35 anos de prisão
Ex-presidente tem sete acusações de corrupção passiva e 64 de lavagem de dinheiro. Ele ainda teria de devolver R$ 87,6 milhões à Petrobras, por danos

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e o ex-presidente da empreiteira OAS Léo Pinheiro estão sujeitos a penas de mais de 30 anos de cadeia caso o juiz da Operação Lava-Jato no Paraná, Sérgio Moro, atenda exatamente a todos os pedidos de condenação feitos pelo Ministério Público no caso do triplex. Levantamento do Correio, com base na denúncia, na legislação e na experiência de juízes, procuradores e professores de direito penal consultados, aponta que os dois serão os mais afetados por uma eventual condenação do magistrado.
ara Lula, a pena mínima seria de 35 anos e 4 meses de cadeia, mais multa, além de pagamento de R$ 87,6 milhões por danos causados, valores destinados à Petrobras. Ele foi acusado de sete atos de corrupção passiva qualificada e majorada e 64 de lavagem de dinheiro. Em caso de condenação às penas máximas, o que é raro, segundo fontes ouvidas pelo jornal, a punição subiria para até 125 anos, 9 meses e 10 dias.

Para o empreiteiro e ex-presidente da OAS, Léo Pinheiro, a pena mínima seria de 40 anos e 8 meses de cadeia, mais multa e pagamento de ressarcimento de danos de R$ 58 milhões à Petrobras — montante que deveria quitar conjuntamente com o ex-diretor da construtora Agenor Franklin de Medeiros. Léo foi denunciado por nove atos de corrupção ativa e 64 de lavagem de dinheiro. Se for punido no grau máximo da lei, as penas subiriam para 221 anos, 9 meses e 10 dias de cadeia. A esposa do ex-presidente, Marisa Letícia Lula da Silva, está sujeita a penas de 12 a 50 anos de prisão. O amigo e presidente do Instituto Lula, Paulo Okamoto, de 4 a 27 anos. A denúncia atinge mais três funcionários da OAS: Paulo Gordilho, Fábio Yonamine e Roberto Moreira.
O juiz Sérgio Moro deve receber ou rejeitar a denúncia na semana que vem, depois serão marcados depoimentos de testemunhas e réus. A seguir, a acusação e a defesa escrevem as alegações finais. O magistrado dará sua sentença, absolvendo ou condenando os réus. No segundo caso, ele deve considerar uma série de fatores, explica coordenador do curso de direito da Fundação Getúlio Vargas (FGV) no Rio de Janeiro, Thiago Bottino.

Fonte:http://www.correiobraziliense.com.br/app/noticia/politica/2016/09/17/internas_polbraeco,549141/se-condenado-pena-minima-de-lula-deve-chegar-a-35-anos-de-prisao.shtml

FALTARÁ LENÇOS NA PRAÇA - AS ZELITES FABRICANTES DE LENÇOS VÃO SE DAR BEM. NUNCA ANTES NA HISTÓRIA DESSE PAÍS UM EX PRESIDENTE CONSUMIU TANTO LENÇO

Fernando Lamas disse...

SOLIDARIEDADE
Caro Professor Ari e demais colegas, saudações cordiais. Mais uma luminosa produção do colega, Dr. Rossi. Não fala como um aventureiro, um desequilibrado, um sonhador, um impostor ou usurpador. Por isso, esta sua matéria não teme confrontar as explicações da Previ. Eu não escreveria uma letra dessa histórica matéria e a apoio, não porque serei beneficiado, caso ela seja recebida, pela Previ. Eu apoio mais esta sólida matéria, porque é difícil entender as alegações da Previ, de que atingiu o limite de possibilidades de manobras, quanto ao ES. Mesmo considerando o tumulto todo, no país, como aceitar a inflexibilidade da Previ, sólida, felizmente, de mãos vazias e sem alternativas, para atender, arrisco afirmar, os que mais precisam, os que atingiram ou quase, o estrangulamento, o asfixiamento financeiro. Doutor Medeiros, Doutor Rossi, Ari, Aristophanes, entre outros ilustres, apoiam mais prazo, para o ES. São todos irresponsáveis, aventureiros, inconsequentes, incendiários???
Todos esses ilustres e a plebe não pregamos aventuras, perdão de dívida, juros irreais, para baixo... Pregamos, unicamente, condições melhores, cabíveis, sensatas, humanas, pois, aquele que pode, omitir-se, diante do corre perigo é falta que clama aos céu.(1Samuel 9,16)
Dr. Rossi, muito obrigado, por mais essa sua iniciativa; por gastar o seu tempo, unicamente, para promover o bem alheio, aliás, neste caso, de milhares e milhares de alheios. Justamente, o senhor que, arrisco afirmar, novamente, não usa créditos da Previ, felizmente, reflexo de uma carreira séria, honrada, enfim, vitoriosa. Creio que estimulou-o a escrever o dever de consciência, baseado no senso de justiça, não, somente, de quem ostenta um Diploma na parede, mas do cidadão solidário e consciente de que o ser humano, mesmo o que errou, não merece qualquer o espezinhamento. Não podia omitir-lhe essa minha gratidão e a envio direto ao seu coração, pois sei que o senhor, certamente, filtra bem o que lhe excita a vaidade, o ufanismo, pois isso tudo é passageiro e dificulta a amizade com Deus.
Caro Professor Ari, essa oportuníssima matéria só foi publicada, porque existe o Blog do Ari Zanella, entre outros da comunidade.
Ao senhor, igualmente, a minha mais profunda gratidão, por gastar muito do seu tempo, com a manutenção deste rico espaço.

Grato por tudo e PAZ E BEM!

"O pobre não ficará esquecido, para sempre e a esperança dos aflitos, jamais, se perderá."Salmo 9,19

Anônimo disse...

O que mais aprecio na querida e amada Previ, é que quando fazemos um questionamento eles citam um monte norma, estatuto, lei, reserva matemática e o caraca a quatro.
Quando é para explicar os SEM TETO, todo o arcabouço de explicações normativas se resume ao inexplicável.
A teoria da formação da poupança com as contribuições vai pro beleléu.
Sobre o ES não tem nem o que comentar. Emprestam o dinheiro que ajuntamos cobrando juros escorchantes e ainda fazem mimimi para melhorar as condições.
Nestas horas sinto saudades do Campo Verde, Greenfield, onde nasci. Terra boa! Terra de esperança! Terra de justiça

Anônimo disse...

@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@


http://veja.abril.com.br/tveja/veja-bem/as-provas-do-cinismo-de-lula/

@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@

Anônimo disse...

IRRETOCÁVEL COMO SEMPRE O TEXTO DO SEU ROSSI. SÓ SUBSTITUIRIA O SEMOVENTE DE CAVALO PARA MULA.

Anônimo disse...


Quanto recebe um diretor aposentado do BB? Quanto recebe um Diretor de Planejamento da Previ?

Se somar os dois, fica em quanto o total de seus proventos?

Súplica do dia: "Tenha pena sr. diretor de nós coitados aposentados, que temos o fundo de pensão mais rico do Brasil e vivemos na pendura!!!!!"

Anônimo disse...

Já li varias manifestações, artigos, sugestões e outros assuntos enviados pelo Dr.Rossi.Alguns deles enviados à PREVI e ficaram no aguardo de respostas até hoje. Ai vêm aqueles engravatadinhos despreocupados, dizer apenas que a matéria será apreciada e fica só nisso.

Anônimo disse...

Caro Ari,

Para conhecimento dos frequentadores desse blog, posto correspondência por mim encaminhada à Diretoria Executiva da PREVI, nesta data:
Senhor(a) FILOMENO JOSE LINARD COSTA

A PREVI confirma o recebimento da mensagem abaixo.
Aguarde nosso retorno em breve.

Gerência de Atendimento
PREVI

Esta mensagem é automática e seu retorno não é monitorado.

__________________________________________________________

Data: 18/9/2016
Tipo: Sugestão

Mensagem: À Diretoria Executiva da PREVI
Prezados Srs. Diretores,

Diante da exposição feita pelo colega João Rossi Neto, em proposta encaminhada a essa Diretoria, solicitando a elevação simples do prazo de reposição do Empréstimo Simples para 210 meses ou a criação de linha de crédito especial para saneamento do saldo devedor do ES, com encargos financeiros prefixados de, no máximo, 1,35% a.m. e ante as explicações do Diretor de Seguridade, Sr. Marcel Barros, para justificar a sua não concordância com o prazo de reposição superior a 120 meses, peço vênia para apresentar sugestão, por sinal já feita por mim à Diretoria de Seguridade, através do “Fale Conosco”, no sentido de considerar o percentual de 40% para o cálculo da Margem Consignável, de acordo com o previsto na Lei 10.820, Art. 2º, §2° - II que prevê a elevação do percentual para 40% quando computadas as consignações voluntárias, o que já vem sendo feito por outras entidades de previdência privada, a exemplo da Funcef (Vide Clipping AssPreviSite de 16.09.2016).
2 Acontece que a Diretoria de Seguridade teima em não alterar a metodologia ora adotada para cálculo da Margem Consignável, sob a justificativa, sem nexo causal e frágil, de preservar o grau de endividamento dos mutuários.
3. Sem acesso ao Empréstimo Simples, com os benefícios bastante corroídos pela inflação galopante que ora enfrentam e com a perspectiva de aumento das consignações em favor da PREVI e CASSI previsto para o ano que se avizinha, além do alto grau de endividamento, causado, em parte, pela própria política adotada pela PREVI, como a suspensão prematura do BET e a Metodologia adotada para cálculo da Margem Consignável, os aposentados e pensionistas desse Fundo de Pensão chegaram ao fundo do poço, com dívidas vencidas e sem suporte financeiro para soluciona-las.
4. Por todo o exposto, espero que a sugestão ora feita mereça aprovação por parte dessa Diretoria, com a urgência que o caso requer, o que propiciará o retorno de acesso ao Empréstimo Simples de elevada parte dos 55.072 (posição de junho/2016), hoje excluídos por falta de Margem consignável, minorando, assim, a situação financeira dos aposentados e pensionistas, que poderão renegociar as dívidas junto a Bancos e instituições financeiras.

Atenciosamente,
Filomeno José Linard Costa – Após. Matr. 3.288.840-6


Matrícula: 3288840
Nome: FILOMENO JOSE LINARD COSTA
E-mail: filoedenna@oi.com.br

Anônimo disse...

Obrigada Sr. Rossi pelo pedido/sugestão que fez a Previ, rogo a DEUS que sejas ouvido por um coração bondoso e pare pra pensar na situação de milhares de colegas, inclusive eu, que estamos a beira de um infarto por não mais conseguirmos pagar nossas contas e colocar comida na mesa. Obrigada mais uma vez.

Anônimo disse...

...................LAMENTO DE UM OTÁRIO..................................

Semelhante a milhares de colegas de profissão, nasci de família muito humilde. Ao ser aprovado no concurso do banco a famosa feijoada da mamãe foi feita para toda a família comemorar o esforço do filho da viúva. Até aqui nada demais que transforme a história em matéria do fantástico.
Na posse, coloquei a roupa de domingo, "filha única", e cheio de receio me dirigi rumo ao sonho de grande parte dos brasileiros da época, acreditando piamente que era uma empresa séria. Me deram trocentos documentos para assinar que o fiz sem titubear. Ler para quê? Seria até uma afronta para aquele funcionário com aparência de lorde com um bigode que parecia de um barão.
Comecei a trabalhar e com tempo fui percebendo que o dia a dia não era tão paradisíaco a exceção do dia 20. Dinheiro demais. Com a gratificação semestral junto com umas economias logo comprei um carrinho. Mas no desempenho do serviço as coisas eram meio estranhas. Toda carne de pescoço era passada para o novato, que calado encarava todos os desafios. Quanto mais repassavam, mais eu fazia. Isso acabou me tornando aquele funcionário que não tinha direito de escolher as férias, que quando retornava das mesmas nos piores meses, todo o serviço que não precisava ser concluído diariamente estava lá me esperando. A pilha! Nunca tive argumento para debater com colegas do mesmo nível, imaginem então com superiores? Assim foi até o dia da aposentadoria. Ah! Ia esquecendo! Fui comissionado porque ninguém queria assumir uma agência denorex que acabou sobrando.
Aposentei e hoje percebo que depois de 40 anos de contribuições para previdência não fiz um bom negócio. Joguei meu dinheiro onde não sei ao certo se me pertence mais. É utilizado para qualquer coisa que os senhores e senhoras imaginarem, menos para o meu bem estar.
Será que começo a fazer greve agora depois de velho? Só se for de fome


Bleinroth disse...

O mais difícil nessa idade é a decepção com pessoas que poderiam nos defender. Sr. Carvalho e Dona Cecília, onde vocês se esconderam? E o que fizeram pelos aposentados até agora?

Anônimo disse...

Se o pedido do colega Dr.João Rossi não sensibilizar os dirigentes da Previ só teremos uma alternativa. Acampar em frente ao BB em Brasilia e fazer greve de fome. Já estão falando até em devolver o que recebemos do BET. Só não falaram em devolver o RENDA CERTA recebidos pelos sortudos colegas.

Anônimo disse...

Após Greenfield, WTorre toma empréstimo de 1 bilhão para construção de terminal

O empresário Walter Torre, conduzido coercitivamente na Operação Greenfield, conseguiu a liberação de 1 bilhão de reais para a construção de um terminal de grãos e líquidos no Maranhão. Detalhe: sem juros.
O Papai Noel foi o Ministério da Integração.

Fonte:http://veja.abril.com.br/blog/radar-on-line/negocios-2/apos-greenfield-wtorre-toma-emprestimo-de-1-bilhao-para-construcao-de-terminal/


6 tão é de sacanagem

Anônimo disse...

Devolução do BET? O BB vai devolver os 7,5bi?

Anônimo disse...

Professor Ari,

Não haveria condições da Previ nos cobrar essa mesma taxa de juros que foi cobrada da WTorre?
Se a vossa pessoa ainda fosse conselheiro poderia sugerir isso na reunião e caso não aceitassem o Professor os ameaçaria com a renúncia. Iriam ajoelhar para impedir em função da admiração que nutrem pelo trabalho desenvolvido no blog e Anaplab. Confere?

Anônimo disse...

DEVOLUÇÃO DO BET É O BODE NA SALA NUNCA ANTES VISTO NA HISTÓRIA DESSE NEGÓCIO. GREENFIELD...
NÃO SEI NÃO, MAS ACHO QUE SEI LÁ. E QUANTO MAIS PRINCIPALMENTE

Fernando Lamas disse...

LUZ!!
Caro Professor Ari e demais colegas, saudações cordiais.
É preciso melhorar os canais de conversação, com a Previ. No caso desta brilhante matéria do colega, Dr. Rossi, sugiro, por aqui, para a Professora Cecília, titular da Dirad, SE ACOLHÊ-LA, que interceda, apresentando-a, em mãos, ao Presidente e ao titular da Diseg. Um representante nosso tem trânsito livre, independentemente da sua função específica, concordam? O importante é insistir na comunicação, na conversação.
Grato por tudo e tenham todos uma ótima e abençoada semana.

"Disse Jesus: 'Ninguém acende uma lâmpada, para cobri-la com uma vasilha." Lucas 8,16-18

Anônimo disse...

O sr. Bleinroth (comentário feito em 18.09.16, às 16:47 h) tem
toda razão: onde estão os eleitos da Chapa 3, especialmente a diretoria Cecília. Dêem uma olhada no blog dela.

Anônimo disse...

Gostaria de começar desejando a todos colegas uma excelente semana, em especial ao Colega das 7 X 1 Lagoas, o GRANDE TRICOLOR DIVANY. Em tempo, gostaria de parabenizá-lo pela vitória do "pó de arroz" em plena Arena do Grêmio.
Agora peço licença para comer um pão de queijo com um cafezin


Minerin do Quejin

Anônimo disse...

Sr. Ari, caro Sr. João e colegas,


Se olharmos a situação em que o país foi deixado pelos defensores do povo, ou "povo", chegaremos também às entidades por eles comandadas.
Descalabro administrativo, sem a devida punição.
Administração temerária, quando ficaram super aplicados em ações de uma mesma empresa, entrega de 7.5 bilhões ao patrocinador infringindo lei complementar.
Desprezo para com os contribuintes do plano de aposentadoria mais rico do país.
Neste momento a riqueza do plano se esvai em aplicações "sauipianas", dentre outras.
Recebimentos estratosféricos dos estatutários, bônus com monumental prejuízo, outros.
Que mais dizer colegas?

Esperar pelo pior?



Anônimo disse...

Pêsames ao Dr. Medeiros pela perda do seu irmão

Anônimo disse...

Será que poderiamos dar mais atenção as necessidades do novo governo temer? Já detectaram as aposentadorias precoces e altissimas do Bendini e do Abreu. Já estão de olho nos " conselheiros" de sempre, sindicalistas é claro, como o Odali. Sempre os mesmos nas boquinhas. Será que não podemos ajudar ?

Cláudio Augusto Falco disse...

OS MARAJÁS DO BB

Brasil 19.09.16 12:19

Os ex-presidentes do BB Alexandre Abreu e Aldemir Bendine aposentaram-se pela Previ com apenas 50 anos de idade, passando a receber aposentadorias superiores a R$ 60 mil por mês.
Eles também sacaram somas milionárias do PAET (Programa de Alternativas para Executivos em Transição) e ainda pressionam Paulo Caffarelli, o atual presidente do BB, a nomeá-los para comandos de empresas em que o banco tem participação acionária.

http://www.oantagonista.com/posts/os-marajas-do-bb

Carlos - Rio Pardo(RS) disse...

Gostaria de parabenizar o Sr. João Rossi Neto, por ser mais um defensor em prol de melhorias para nós, aposentados, com ênfase maior aos mais necessitados, tomadores do ES que assim como eu, enfrentam problemas com renovação e aumento desenfreado do saldo devedor. Agradeço, pois cada vez que leio um manifesto como esse, minhas esperanças, apesar de remotas, se renovam por melhorias no famoso, mas hoje, triste, ES. Obrigado.
Carlos - Rio Pardo(RS)

Ari Zanella disse...

É isso aí, Carlos. É bom elogiar quem sem necessidade se dedica com altruísmo aos menos favorecidos! O Rossi merece nosso aplauso!

Ao Anônimo das 12:58

De fato o governo Temer já demonstrou que não age igual a ex-presidente Dilma. Está mais que na hora de apoiá-lo e de combater àqueles que pregam o "Fora Temer".

Anônimo disse...

O velho ditado popular: quem cala consente. Sem atitudes, nós só ficamos na indignação. Para fiscalizar esses absurdos, a PREVI paga mais de 6 mi ano à PREVIC, a título de TAFIC.

Anônimo disse...


Aproveitando carona no assunto comentado pelo Claudio (12:19),deveria ser proibido assumir cargo importante na Previ todo o indivíduo que tem participação na diretoria e no conselho de qualquer outra empresa, inclusive no BB, Cassi e associações com mais de 90 mil associados. É necessário acabar urgente com a dança das cadeiras, pois o objetivo principal desses "colegas" candidatos, é obter status elevado e acumular verdadeiras fortunas com nosso fundo de pensão, enquanto nós ficamos a ver navios.




Anônimo disse...

Taí uma coisa que ninguém pensou. O candidato Zeca obteve 28.348 votos e foi eleito. Não obteve 50% (cinquenta por cento) dos votos. Portanto deveria haver 2º turno na votação da Previ. O que acham dessa idéia, uma vez que somos mais de 200 mil pessoas, entre aposentados, pensionistas e ativos.

Anônimo disse...

COITADA DE VALDIRENE! ESTÃO ATACANDO O AMIGO QUE TANTO FEZ PELA "MOÇA" QUANDO ERA PRESIDENTE DE BANCO

Anônimo disse...

Vocês acham que se perguntar no fale conosco pq não ganho 10% do salário deles, eles dirão que é por não ter contribuído para isso? Eles contribuíram?

Anônimo disse...

Dileto Mestre,
Empreste-nos sua sapiência explicando o PAET. Ao bater o olho pensei que fosse PATETA...

ADEMAR disse...

Gostaria que alguem me informasse, com certeza, na modalidade renegociação do ES, se for feito no inicio do mês, se o debito da prestação ocorrerá no mesmo mês da formalização a negociação ou no mes seguinte como ocorre com a contratação do ES normal.


Ademar

Anônimo disse...


Quanto o Zeca vai juntar mensalmente entre a aposentadoria como diretor do BB + a diretoria da Previ, mais verbas extras para diárias, viagens, etc.....

Anônimo disse...

O que tem em comum o ex presidente hoje aposentado e o atual diretor de planejamento também aposentado ?

Anônimo disse...


Obrigado pela informação mestre Ari. Isso matou minha curiosidade. O Zeca realmente é um felizardo. Poderá saborear boas picanhas com vinho importado. Não é por acaso que sapateava, esperneava e reclamava tanto durante o debate organizado pela Anabb. Vamos aguardar e ver se fará um trabalho também em prol dos aposentados e pensionistas. Acho difícil, mas deveria acontecer.
(22:30)

sss disse...

Enquanto isso o meu salário bruto é de R$ 1.144 e alguns centavos. É bonito isso?

Anônimo disse...

Colega Ari,
Será que, já que a Previc nada resolve, não cabe uma denuncia ao MPF ( ou à Policia Federal) para que investigue o descumprimento de normas dos Fundos, tais como Pagamento de bonus( empresa sem fins lucrativos) e aposentadorias polpudas( sem formação de reservas)?
Se a ideia for descabida, por favor desconsidere.

Anônimo disse...

Se o zeca ganha + ou - 100 mil, imagina um Orleans de Bragança e Bourbon

Anônimo disse...

Emérito Professor ZANELLA:


Quem "ganha" cem mil ou mais é "imortal"?

Anônimo disse...

Ex-presidente da Andrade Gutierrez diz q doou dinheiro de propina desviada de Belo Monte para a campanha de Dilma em 2014

Anônimo disse...

FINALMENTE UMA NOTÍCIA BOA

Já está sendo preparado um Projeto de Lei para modificar o nome da Cidade 7 Lagoas para 7 X 1 Lagoas. A alemoada do sul do país será convidada para representar a seleção alemã no dia do evento. Não existe motivo para continuar com o nome atual sendo que só vi uma lagoa. E outra razão é homenagear a aula de futebol espetacular oferecida, que quase chegou a ser tão perfeita quanto aquelas ministradas pelo Fluzão do Divany

Minerin do Quejin

Anônimo disse...

Mesmo após impeachment, União mantém despesa milionária com equipe de Dilma
Por iG São Paulo | 20/09/2016 05:30
Fonte: Último Segundo - iG @ http://ultimosegundo.ig.com.br/politica/2016-09-20/impeachment-uniao-equipe-dilma.html



6 tão é de sacanagem

Anônimo disse...

Colega 9.33,


É isso aí.

Tem que ver também coleguinhas eleitos, que recebem a dita fortuna.

Se não for verdade o que escrevi acima, me informem, com provas.

Escrevi o que ouvi e sobre o que li em posts anteriores.

Recebem sem ter contribuído, retiram os aportes sobre o dinheiro retido dos 7.5 bilhões da res. 26, que eles mesmos oportunizaram em benefício próprio, SMJ.

E vamos que vamos...

Anônimo disse...

Emérito Professor ZANELLA:


Nesses tempos em que a "Ética" sumiu, mesmo assim, a melhor coisa do mundo é ser honesto, mesmo as vezes sendo tachado de otário e romântico, mas em compensação nenhuma Lava-jato, Acrônimo, Greenfield e outras me metem medo, a única que tenho medo é "Operação Parente Pidão".

Anônimo disse...

Colega de 13:42,

Concordo totalmente com você. Parece que vosmecê tá bem de grana, então não dá para me emprestar um qualquer com a mesma taxa de juros conseguida pela WTorre?

Anônimo disse...

Caro Prof. Ari,

É evidente que nenhum diretor necessita de tomar o ES. Eles já usufruem de muitas e rechonchudas verbas para se preocuparem com melhorias no ES. Se, por acaso, o contraírem, liquidam-no pouquíssimos meses depois, com pequena alteração do saldo devedor.
Quanto a nós, infeliz e lamentavelmente, estamos na mais alta penúria, acorrentados como semi-escravos. Tenho, inclusive, uma forte impressão de que pelas normas vigentes (correção do saldo devedor) o ES atualmente está pagando parcela significativa dos salários e, de quebra, ainda funciona como um seguro contra possíveis operações mal sucedidas, como as que já conhecemos da renda variável.

Divany silveira-S Lagoas-mg disse...



" MESTRE ARI; I NEED YOUR HELP NOW "

Mestre Ari Zanela, há tempos eu soube que no sul do Brasil havia
um capuchinho afugentando espíritos que não têm "fé-de-ofício'
boa para entrar no céu e vivem atormentando filhos de Deuus ,
principalmente os mais virtuosos(segundo a crença).No meu caso,
vide comentários em 19/9,lo,48 h e 20/09,ll,l0h. caso você consi-
ga e tenha despesa com velas, sal grosso ou desinfetante,estou
pronto a ressarcir os gastos. A razão que me levou a procurá-lo
é devido ao seu espírito cristão.Pensei também no Fernando Lamas,
mas o espirito que povoa este blog é "boar spirit" '

Anônimo disse...

O SAPO APEDEUTA JÁ TÁ NO TELHADO

Anônimo disse...

Pergunta Socrática, Mestre Ari??? Todas as mais vorazes instituições financeiras desse país da marmelada abrem negociações aos pobres coitados dos inadimplentes!!! Fato. Qual a razão dessa miséria de Previ não facilitar a vida de quem quer honrar seus compromissos de uma maneira mais suave para não morrer de fome. Quero renegociar CARIM no Finimob e ES. E os grandões dos altíssimos salários não facilitam nada para nós que construímos essa joça. Cadê meu BET??? Cadê a suspensão da contribuição? Tenho umas 420 contribuições pagas. E nada de bom para nós associados. Vou denunciar na ONU. Absurdo, somos uns aposentados pacatos demais.Abram logo negociações distintas para cada caso. Ninguém merece diretores sem direção, a não ser para o NORTE delessss!

Anônimo disse...

Colega das 19:31, concordo permanente com vc, para nós a Previ não resolve nada, não apresentam uma única possibilidade de acertarmos nossas minguadas finanças, estamos jogados, abandomados, desprotegidos e nos tratam como inimigos, só denunciando essa Previ para algum órgão nacional ou internacional para alguém nos socorrer

Anônimo disse...

Liga não Divany. Eu também torço pelo Flu e sofro bulling

Anônimo disse...

Ary,

Por favor, responda:
É possível levar este caso do empréstimo simples da Previ ao Ministério Público Federal? ou ao Presidente da República? Já que ficamos amassando barro e não se resolve coisa nenhuma!
Se sim, por quê os que podem, não o fazem? Mas fazer(executar, agir, tomar providência),como gesto concreto.
Afinal de quem é a Previ?
Senadores como Ana Amélia e Paulo Bauer não poderiam nos ajudar?
Sinceramente, com o devido respeito, já estou cansado e enojado com nossa situação de miséria, a respeito deste empréstimo simples, amassando barro todo dia sem nada resolver, quando alguns puxa-sacos ficam na janela debochando e rindo de nossas dificuldades.
É uma situação insuportável: conversa... conversa... conversa e conversa e nada se resolve.
Será que sempre vai ser assim?
Estou passando uma vida de dificuldade financeira tremenda e não aguento mais ver diretor MAMANDO altíssimos salários + isto + aquilo e um diretor contra nós (todos sabem).
Será que não dá para levar ao Presidente da República o nome deste personagem para ser uma das limpezas da Previ????????????? Tirá-lo das gordas tetas??
Por favor aguardo seu retorno e muito obrigado.
Abs.

Anônimo disse...

Ary,

Acabo de efetuar um comentário, onde trata-se de levar à Presidência da República....
Por esquecimento deixei de efetuar um registro importantíssimo:

Nosso caro João Rossi, não gosto de confete, mas tiro o chapéu para este colega que conhece profundamente as mazelas de nosso Fundo de pensão, mas tenho a mais absoluta certeza de que a resposta da Previ à sua carta, infelizmente será aquela já conhecida: Caro associado: esta pretensão não é possível por...(um punhado de abobrinhas)..... O patrocinador tem...(um punhado de abobrinhas). etc...etc...etc..
Querem apostar????
Vamos aguardar e torço para queimar minha língua!
Abs.

Anônimo disse...

Pensava que o DIVANY fosse torcedor do FOGÃO GLORIOSO.

Zé Severiano.

Botafoguense since 1948 .