segunda-feira, 11 de julho de 2016

EXPLICAÇÃO DA DIRETORA CECÍLIA GARCEZ

     A respeito da postagem "Diretoria de Planejamento" de 07.07.2016 recebo o comentário da diretora de Administração da PREVI, Cecília Garcez, a qual reproduzo aqui nesta postagem, dando vez ao contraditório, já que na postagem do dia sete eu punha a notícia veiculada pelo Sindicado dos Bancários de São Paulo sobre a eventual transferência do ES e do Empréstimo Imobiliário para o BB administrar. O comentário da colega Cecília está postado na postagem que antecede a presente.

Cecilia Garcez deixou um novo comentário sobre a sua postagem "A SENHA QUE FALTAVA":
 
Caro colega Ari,
 
Eu gostaria de me manifestar sobre matéria que saiu no seu blog sobre o ES, dando a entender que eu apresentei proposta para passar a administração do ES e EI para o BB. Gostaria de ressaltar que jamais houve esse tipo de discussão na Previ e que eu jamais apresentei proposta para que isso acontecesse.
A gestão das operações com os associados é feita pela Diretoria de Seguridade. Se existe qualquer discussão a respeito, posso garantir que não é na Diretoria de Administração, área a qual estou Diretora.
Para ser aprovada proposta dessa natureza, seria necessária a aprovação na Diretoria Executiva e também no Conselho Deliberativo.
O que está sendo discutido na minha área é a modernização do sistema de Seguridade, justamente para dar um melhor atendimento aos associados, considerando que os sistemas que atendem aos associados são muito antigos e isso dificulta as manutenções, tornando-as custosas e demoradas.
CECÍLIA GARCEZ - DIRETORA DE ADMINISTRAÇÃO DA PREVI  (2014 - 2018)

15 comentários:

Fernando Lamas disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Anônimo disse...

Ibovespa superando pela primeira vez pontuação de 12 de maio (53.241), data da abertura do processo de impeachment de Dilma no Senado.

Ari Zanella disse...

Caríssimo irmão em Cristo e amigo Fernando,

Não querendo defender a Cecília - mas já defendendo - é preciso muito cuidado ao expressar-se neste ambiente em que tudo o que dizemos pode transformar-se contra nós mesmos. Se estivéssemos na Câmara diríamos falta de decoro, portanto, neste caso, quanto mais sucinto e objetivo formos, melhor. Eu mesmo já sinto na pele o desagrado que provoco com minhas manifestações, não à PREVI em si, senão a postulantes de cargos. Logo eu que nada custo pecuniariamente ao nosso fundo de pensão. Aqui cai muito bem o pensamento de Martin Luther King: "Para criar inimigos não é necessário declarar guerra, basta dizer o que pensa."

Anônimo disse...

Bom dia Professor Ari,

Precisamos é utilizar de ficções, metáforas, ironias, para fazer as críticas sem dar margem aos processos. Muita criatividade! Exemplo: Existe um diretor de um fundo de pensão de um país europeu que acha que velhinhos são trambiqueiros. Calar nunca! Não creio que alguém entre com o processo dizendo: - Fui eu que chamei os velhinhos de trambiqueiros e isso fez referência a mim

"O que me preocupa não é nem o grito dos corruptos, dos violentos, dos desonestos, dos sem caráter, dos sem ética... O que me preocupa é o silêncio dos bons".

Também foi dito por Martin Luther King

Anônimo disse...

Leio, assiduamente, seu blog e nesses últimos 6 meses vi ,apenas, uns 10 comentários sobre a alteração da margem do financiamento imobiliário da PREVI, que passou de 70% para 30%, no início do ano,e, eu assim como outros, se viram na impossibilidade de adquirir imóvel, por falta de margem.
Passados esses meses, fico refletindo sobre quais são os interesses da PREVI, senão, vejamos:
A PREVI anunciou essas mudanças em 25/01/2016, no seu site:
¨"A forma de cálculo da margem consignável para empréstimos e financiamentos utilizada pelas entidades de previdência complementar foi alterada pela Lei 13183, de 4/11/15. A nova margem terá o valor equivalente a 30% da remuneração disponível, que corresponde à diferença entre a renda bruta e as consignações obrigatórias.
As operações de empréstimos e .....
A PREVI está promovendo ajustes nos sistemas para adequação `a referida Lei. A implantação será gradativa, de forma a evitar alterações abruptas para os participantes."
Rapidamente, em fevereiro, aPREVI adotou para a Carim, essa nova metodologia,, o que diminuiu drasticamente nossa margem, passando de 70% para 30%., prejudicando os que, ainda, estavam interessados e até convocados para utilizar o financiamento.
Quanto ao ES, que segundo ela, seria o cálculo igual ao da CARIM, ela ainda não alterou. Será por que?
Lendo, com cuidado, a alteraçao do cálculo da margem, veremos que
existe diferença.
ANTES: (30% renda bruta) menos consignações.
NOVA METODOLOGIA: 30% (renda bruta menos consignações.
Se a PREVI utilizasse a nova metodologia para ES (que ela se acha obrigada a fazer, pelA lEI 13183), a nossa margem para ES aumentaria.
AÍ VEM A PERGUNTA:
- Para prejudicar os associados ela (PREVI) age ràpidamente e, para beneficiar, ela deixa de agir???????

Anônimo disse...

Gerente do BB é suspeito de furto de R$ 2 milhões de cofres - InfoMoney
Veja mais em: http://www.infomoney.com.br/minhas-financas/noticia/5296692/gerente-suspeito-furto-milhoes-cofres


Anônimo disse...

O batom na cueca do deputado José Guimarães

Delator entrega aos investigadores as cópias dos cheques usados para pagar propina ao parlamentar petista que traficou influência no Banco do Nordeste


Quando prenderam o ex-vereador petista Alexandre Romano, no ano passado, os investigadores da Operação Lava Jato chegaram ao topo de um intrincado esquema de corrupção disseminado em diferentes áreas do governo federal. Como um autêntico lobista, Romano usava a proximidade com integrantes da cúpula do PT para abrir caminhos na burocracia estatal a empresários dispostos a pagar generosas "comissões" por contratos e privilégios na máquina pública.
O negócio era bom para os empresários, que não precisavam lidar diretamente com os corruptos nas repartições públicas para defender seus interesses. Era bom para os políticos corruptos, que não precisavam lidar diretamente com os empresários corruptores para receber seus pixulecos. A mágica toda era feita pelo "consultor". Investido nesse papel, Romano fazia propina virar dinheiro limpo, disfarçado a partir de contratos fajutos de consultoria jurídica. O ex-vereador recebia o dinheiro, tirava sua parte, e repassava o restante aos "padrinhos" políticos - um deles o deputado petista José Guimarães. As provas dessa relação criminosa começaram a aparecer.
Líder do governo da presidente Dilma Rousseff na Câmara, o petista José Guimarães também lucrou bastante ajudando os corruptos. Para desgraça de Guimarães e de seus colegas petistas que se locupletaram do dinheiro público, Romano, logo depois de preso, fechou um acordo de delação premiada. Uma das suas qualidades, agora se sabe, era a organização. Romano guardava notas fiscais, minutas de contratos e até cópias dos cheques que repassava aos corruptos a título de propina.

Fonte:http://veja.abril.com.br/noticia/brasil/o-batom-na-cueca-do-deputado-jose-guimaraes

Anônimo disse...

Cachoeira e Cavendish são soltos sem tornozeleirasMesmo sem equipamento, desembargadora do TRF decidiu que eles podem cumprir a prisão domiciliar sob o monitoramento de agentes da Polícia Federal

O contraventor Carlinhos Cachoeira, o diretor da empreiteira Delta, Fernando Cavendish, e os empresários Adir Assad, Marcelo Abbud e Cláudio Abreu deixaram o presídio Bangu 8, na Zona Oeste do Rio de Janeiro, por volta das 4 horas desta segunda-feira sem tornozeleira eletrônica. Presos na Operação Saqueador, deflagrada em 30 de junho, eles agora vão cumprir prisão domiciliar.
Apesar de já haver desde 1º de julho uma decisão judicial que convertia a prisão preventiva em domiciliar, eles continuaram presos porque as tornozeleiras eletrônicas estavam em falta no Rio de Janeiro por falta de pagamento do Estado ao fornecedor. Na última sexta-feira, o Superior Tribunal de justiça (STJ) atendeu a um pedido de habeas corpus impetrado pela defesa dos alvos da Saqueador e mandou soltá-los, mantendo a condição do uso das tornozeleiras. Como o equipamento continuava indisponível, a desembargadora Nizete Carvalho, do Tribunal Regional Federal da 2ª Região, concordou em liberá-los sob o monitoramento de agentes da Polícia Federal.
O grupo foi acusado pelo Ministério Público Federal de ter desviado cerca de 370 milhões de reais de contratos da empreiteira Delta com o poder público e de, posteriormente, ter lavado o dinheiro roubado por meio de dezoito empresas de fachada criadas por Cachoeira, Assad e Marcelo Abbud. Os destinatários finais das propinas, conforme os investigadores, eram agentes públicos, inclusive políticos, e campanhas eleitorais.

Fonte:http://veja.abril.com.br/noticia/brasil/cachoeira-e-cavendish-sao-soltos-sem-tornozeleira

Carlos - Rio Pardo - RS disse...

Sr. Ari - Gostaria de agradecer imensamente pelo retorno me dado por e-mail, referente a solicitação de dúvidas que tenho quanto as revisões das aposentadorias por invalidez, imposta pelo governo.
O Sr. Gilvan prontamente me esclareceu várias dúvidas e inclusive retornou com mais um e-mail com novidades do assunto em questão, me tranquilizando.
Um abraço e obrigado a ANAPLAB.
Carlos
Rio Pardo-RS

Anônimo disse...

http://www.valor.com.br/empresas/4629885/aeroporto-se-livra-de-punicoes-por-atraso-em-outorga

Dentre elas, a INVEPAR, concessionária do aeroporto de Guarulhos-SP . Se não tem dinheiro em caixa para pagar a outorga, imaginem o lucro que está dando o investimento de mais de 360% de ágio sobre o lance mínimo.

Anônimo disse...

Prof Ari, quero desvincular meu INSS, Como fica a cobrança do IR? O INSS e a Previ cobram separados?

Canilo - jundiai disse...

Carlos, mostre a resposta do SRE Gilvan, temos interesse sobre esse assunto.

Anônimo disse...

Professor Ari,

Será que ajuda no processo da cesta alimentação aposentados por invalidez?




TRT/RJ LANÇA NO PORTAL PÁGINA DE PRIORIZAÇÃO DO 1º GRAU
Data Publicação: 08/07/2016 02:58 -
A partir desta sexta-feira (8/7), o Portal do Tribunal Regional do Trabalho da 1ª Região (TRT/RJ) disponibiliza uma nova página: Priorização do 1º Grau. O lançamento foi realizado no Salão Nobre do Prédio-Sede, com a presença da presidente do TRT/RJ, desembargadora Maria das Graças Cabral Viegas Paranhos, dos integrantes do Comitê Regional para Gestão e Implantação da Política Nacional de Atenção Prioritária ao Primeiro Grau de Jurisdição, entre outros magistrados e servidores.

Fonte:http://www.trt1.jus.br/web/guest/materia-completa?nID=43677360

Anônimo disse...

Isso, Carlos! Por favor,
repasse as informações que obteve sobre a revisão das aposentadorias por invalidez.

Grato

Carlos - Rio Pardo - RS disse...





Ao Sr. CANILO - JUNDIAÍ, cfe. comentário de 11.07.16, as 19:39hs, descrevo as 2 respostas, cfe.abaixo: Um abraço,Carlos-Rio Pardo(RS)


1. A MP 739/2016 ainda vai ser submetida à apreciação do congresso. Caso ela seja aprovada sem alterações, não quer dizer que todas as aposentadorias concedidas por invalidez serão canceladas.
A previsão de que estas perícias sejam concluídas é de até 02 anos. Sinceramente não acredito que O INSS dê conta de revisar. A revisão vai se iniciar por quem ainda está recebendo o auxílio doença há mais de dois anos. Só nesta categoria são 840 mil benefícios. Aposentados por invalidez são 3 milhões de benefícios.
Até que chegue o dia da sua perícia, dependerá da avaliação da doença que o acometeu, novos laudos médicos, direito de contestar judicialmente, etc.

2. Segundo informações veiculadas no site da COBAP - CONFEDERAÇÃO BRASILEIRA DE APOSENTADOS, PENSIONISTAS E IDOSOS (http://www.cobap.org.br/noticia/58278/nova-mp-ataca-aposentadoria-por-invalidez-) o governo pretende revisar as aposentadorias por invalidez que foram negadas a princípio pelo INSS na esfera administrativa e depois contestadas na justiça, com sentenças favoráveis.
Pelo que se entende, as aposentadorias concedidas administrativamente não serão alvo das perícias, pelo menos temporariamente.


Atenciosamente.
Gilvan Rebouças
Vice-Presidente Financeiro