domingo, 24 de abril de 2016

VAMOS CONSEGUIR ACHAR A SAÍDA?

   A semana entrante vai iniciar o processo de afastamento do cargo da atual inquilina do Palácio do Planalto. Tal fato é líquido e certo, segundo a opinião da maioria dos senadores, cuja fase necessita apenas de maioria simples (41 senadores). Só não existe (por enquanto) a maioria de dois terços (54 senadores) para o afastamento definitivo. Porém, o afastamento por 180 dias para o julgamento, será, por si só, o fator preponderante para quem vai decidir posto que neste período, pelo conjunto da obra, as chamadas pedaladas fiscais ficarão para o motivo menos relevante, sem deixar de ser um crime praticado.
    Afastada a presidenta, tudo pode acontecer. Se o atual vice conseguir cortar substancialmente os gastos públicos e reativar a economia no curto prazo - tarefa nada fácil em virtude do estado crítico das contas públicas - poderá ter uma espécie de sobrevida; caso contrário, o judiciário (TSE) poderá anular as eleições de 2014 (já tem provas suficientes do uso de propinas do Petrolão na campanha) e convocar novas eleições presidenciais para outubro/2016.
  Portanto, nem com bola de cristal é possível desvendar uma saída deste labirinto em que nos encontramos. Na Inglaterra eles diriam : "God save the queen" (Deus salve a rainha). Por aqui, "só Jesus na causa" como diz o adágio popular.
 

15 comentários:

Anônimo disse...

Favor trocar meu comentário de 24/04 às 14:50 pelo abaixo, onde o texto foi retificado:

Definitivamente a saída começa com a escolha de um Ministro da Fazenda que seja respeitado no meio econômico, tenha amplo respaldo do vice-presidente Michel Temer e que o governo promova redução drástica em seus gastos. Não existe qualquer alternativa sem o sacrifício do Estado Brasileiro e de todos os brasileiros.

rafael campagnoli disse...

Para mim, o início passa pelo FIM DO VOTO DIRETO; vestibular para candidatos a qualquer cargo eletivo; fim do voto de legenda; redução do "salário" de vereadores, prefeitos, secretários, deputados estaduais, federais, senadores ... Fim das contribuições de campanha; regulamentar propaganda eleitoral da Globo e outras mídias; Eliminação de ajuda de custo, carro, motoristas, etc. Fim ou redução pela metade de IR de aposentados e pensionistas, aumento das deduções do IR, elevação da idade de dependente para até 32 anos etc. Fim do desconto de IR na fonte de funcionários da ativa e aposentados. Convocação de assembleia nacional constituinte, eleições gerais e fim da reeleição em todos os níveis. Se não for assim, o povo deve sair às ruas e dar início à verdadeira REVOLUÇÃO. Enquanto choramos, eles - suas excelências - nos mandam comer "brioches". Não dá para por remendo novo em roupa velha!

divany Silveira disse...



'' NÃO HÁ NADA A TEMER'

Mestre, ainda bem que o colega campagnolli não e po-
litico senão nós perderíamos um colaborador que, é
bem verdade, tem idéias modernas . A propósito, al -
guns anos atrás,quando Itamar Franco, de virada, ga-
nhou o governo de Minas, eu vi o Prefeito de Sete La-
goas perguntando ao deputado, lider da oposição,como
seria a convivência dele ,Itamar, com a oposição, ao
que o interrogado respondeu : Prefeito, quem não abra-
çou Itamar ainda, tá na fila para fazê-lo !!! O mesmo,
vai acontecer com Temer,que é um homem culto, experie-
te, agregador e sem horario para receber adesão, pois a
fila esta igual a de banco no início do mês. Por outro
lado, a ficha dos politcos está mais suja que a de
Lula e Cunha e todos vão ajudar,pois não são bobos.
fala-se, a´´boca pequena, que o dr. Moro teria dito ao
Lula para ele 'baixar a bola' senão ele pode chamar +
gente da família; entendeu Mestre?
P.S, Mestre,como seu blog é lido na baxada fluminense
peço licença para um recado aao seu leitor, muito
simpático, que eu sou FOGÃO desde 1910.OK ?


s

Anônimo disse...

Prof Ari, na eleição Previ, quem voce irá apoiar?

joao trindade disse...

Bom dia, prof. Ari e colegas,

Acho difícil pela falta de políticos comprometidos com o país, cuja tradição de acertos, conchavos e outros artifícios políticos nos levaram ao estado atual de coisas. Há todo um iceberg para ser mostrado. Andamos celeremente para o pricipício.
Gostaria muitíssimo de estar redondamente enganado mas, do alto de meus 70 anos, náo creio que verei um país que possamos chamar de meu (nosso).
L A M E N T A V E L M E N T E

Anônimo disse...

Tudo bem , Ari? Será que, com a eleição do Diretor de Seguridade, poderemos ter novidades sobre a dilação de prazo do Empréstimo Simples? Sei que muitos acham que é só endividamento, etc., mas acredito que muitos sonham com essa alternativa. Eu estou precisando muito. E também teríamos que reverter a decisão que enquadrou o Empréstimo Imobiliário na Margem de 30%. Embora seja descontado em filha, o Empréstimo Imobiliário NÃO é consignado, tendo em vista que o imóvel adquirido é garantia real da operação, sob hipoteca. Abraço.

Nascimento.

Anônimo disse...

Profissional
O cinema americano terá q se readaptar. Assisti um filme q os caras reviram o mundo para dar um golpe de 100 milhões.
Para nós brasileiros, depois do petrolão, essas cifras viraram dinheiro de pinga

Anônimo disse...

Estou percebendo que a Previ vai passar despercebida pelo momento do Brasil. Acho que o foco necessário é a nossa Previ.

Ari Zanella disse...

Caro amigo Nascimento,

O amigo Rossi nos brindou com um belo e substancioso trabalho ( de 09 laudas ) o qual a ANAPLAB está enviando hoje para o presidente Gueitiro (via postal AR) que após a leitura e concordância deve repassar à Diretoria de Seguridade.

Já conhecemos a posição do diretor Marcel sobre o assunto. Caso ele não venha permitir o alongamento do prazo, temos quase certeza absoluta que o próximo diretor de Seguridade o fará.

Anônimo disse...

9 laudas? Se não leem uma página daquilo que vem dos "assistidos", imagina 9 ...

Anônimo disse...

Saindo um pouco do tema da postagem: E CONTINUAM AS PETIÇÕES DA ANABB NO PROCESSO 1/3 IR - Ação Coletiva. Deste jeito este processo só vai ir adiante daqui uns 20 anos. Temos que analisar uma possibilidade jurídica de sairmos da ação e continuá-la de forma individual ou grupal fora da ANABB.

Anônimo disse...

Não quero aqui agourar e dar uma de urubu, mas é bem possível que com o apoio dos sindicalistas e da ANABB o atual Diretor de Seguridade seja reeleito.
E daí nossas esperanças para os próximos 4 anos irão por água abaixo.
Em contraposição, também é possível que Temer ao trocar o presidente do BB, resulte na mudança do atual presidente da PREVI -- que ao tomar posse afirmou nada entender de previdência complementar. Então o atual Diretor de Seguridade com certeza deixará de ter o necessário apoio para manter sua infeliz diretriz.

Anônimo disse...

Como disse o anon 14.21 não dá para entender a ação 1/3 IR da Anabb. Precisamos verificar de quem são as petições que ficam aparecendo e impedindo que o processo vá para conclusão. Tudo indica que são da própria Anabb.

Anônimo disse...

Colegas,

A Anabb tem tudo a ver com um ZERO Á ESQUERDA EM AÇÕES JUDICIAIS.

Henrique Augusto disse...

"Vamos conseguir achar a saída?" Não, não vamos. Triste e envergonhado é como me sinto. E o pior: Com quase tudo, quase todos