sexta-feira, 10 de janeiro de 2014

CÁLCULO DA MARGEM CONSIGNÁVEL

     O gerente de atendimento da Previ sr. Luiz Santos repassou-me sobre o cálculo da famosa MC que deixa tanta gente sem tomar o empréstimo simples. Eis a resposta:

"No momento as Verbas para cálculo da margem consignável no Espelho são:

Verbas de Proventos: P210, P220, P260, P300, P302, P308, P380, P390, P400, P420, P420, P460 e P478

Consignações que impactam a Margem de 30%

Verbas: C402, C403, C404, C405, C406, C408, C414, C418, C424, C428, C451, C531, C542, C547, C560, C561, C568, C587, C588, C750, C765, C766, C800, C815, C820, C825

Consignações que impactam a Margem de 70%

Verbas: C402, C403, C404, C405, C406, C408, C414, C417, C418, C424, C428, C451, C531, C542, C547, C560, C561, C562, C563, C565, C566, C567, C568, C587, C588, C750, C765, C766, C800, C815, C820, C825, e as verbas de Pensão Alimentícia e verbas de Imposto de Renda.

Permanecemos à disposição.

LUIZ SANTOS
Gerente de Atendimento
PREVI

     Obrigado ao Luiz pela resposta. Veio no mesmo dia do pedido. Nem tudo na PREVI é muito devagar.
     Sobre a nomenclatura das verbas acima, sei apenas de algumas. Por exemplo:
P300 - Benefício PREVI
P400 - Benefício INSS
C800 - PREVI Cont. pessoal mensal (retornou!)
C820 - CASSI Cont. pessoal mensal
     Façam seus cálculos, todavia, pelo andar da carruagem, a MC de janeiro deve ser menor do que a de dezembro.
     Por fim, quero de todo o meu coração agradecer a todo(a) novo(a) associado(a) da ANAPLAB que fizeram suas adesões nesta última semana. Como é gratificante ter um trabalho reconhecido! Em meu nome, em nome do colega Gilvan, da Jane, da Lázara, da Leopoldina, da Lindalva, da Elisabeth, da Rosalina, da Ana Maria, do Rogério Luiz Carvalho, do José Sérgio, o nosso mais profundo agradecimento  em   nome  desta    maravilhosa Equipe ANAPLAB.

36 comentários:

Anônimo disse...

Vamos ver o quanto melhorou meu benefício, com o reajuste de agora:

3.680,00 x 5,56% = 204,60

3.680,00 + 204,60 = 3.884,60

3.884,60 x (-)25% = (-)971,15

3.884,50 - 971,15 = 2.913,35 proventos após o reajuste.

REDUZIU MUITO!!!!!!

Como explicar isso para aqueles que dependem de meus proventos? Ano a ano estamos sendo achatados pelo rolo compressor da inflação calculada por baixo. Onde vamos parar?

Anônimo disse...

Faltou informar a verba C 4 (aquela que explode os proventos).

Anônimo disse...

Caro Ary, tomei mais um susto hoje, quando li no Blog do Medeiros o que a Isa fala da reunião. Quem são os funcionários que recebem o tal Benefício Mínimo, que era 70 por cento da Parcela Previ e agora vai cair para 40 por cento, segundo o que está na postagem? Entrei no Banco em 1987 e me aposentei por invalidez em 2004. Será que sou um desses?

HELENO PINTO NOBRE disse...


EU JÁ ESTOU SEM MARGEM CONSIGNÁVEL . E O QUE ADIANTA TER MARGEM CONSIGNÁVEL SE NÃO TEMOS "MUNIÇÃO" PARA PAGAR O QUE NOS COMPROMETEMOS ?????

A CHAVE ESTARIA NO AUMENTO DO PRAZO . NEM PRECISA AUMENTAR LIMITES

A MÁ ADMINISTRAÇÃO NOS DERRUBA . EU PRORROGUEI OS 03 MESES ( APENAS 03 MESES ; DEVERIA SER NO MÍNIMO 006 MESES ) COM POSSIBILIDADE DE AO MENOS ATÉ UM ANO .
A INSENSIBILIDADE É DEMAIS .!

HPN; MATRIC. 3984740-3; AQUI LIGADÃO .!!!

Carlos - Rio Pardo(RS) disse...

Ao anonimo das 21:04hs. Verifica no site da previ, teu contracheque de maio de 2006. Verifique se tem atrasados retroativos a dezembro de 2005.....Desde lá o beneficio minimo aumentou,,,agora volta a 40% da PP - R$ 996,21( que em setembro desse ano deve estar em 2.490,53). Será um caos..........

Anônimo disse...

Então, entraram e vão sair não cumprindo as promessas feitas, não é mesmo Previ?Mas os seus contra cheques vcs puderam aumentar, não é verdade? Continuem comendo camarão, lagosta, file mignhon enqto os trouxas pagam para voces.
Pessoal, temos que ter a feveirada , marçada e alem de tudo partir para a JUSTIÇA.Chega de sermos ROUBBADOS! Chegaaaaaaaaaaaaaaaaaaa

Anônimo disse...

Ari, a noticia do fim do BET e volta das contribuições já chegou via internet. Ocorre que muitos aposentados são idosos e não usam internet. Assim, o caos ocorrerá mesmo no dia 20, quando do lançamento do crédito. E o que fica é que precisamos ser mais cuidadosos em nossas análises. O BET tal qual como foi aprovado (por nós) era uma verdadeira bomba relógio, e agora explodiu. Ninguém questionou a sua perenidade, achávamos que os supervits seriam eternos. Da ganância do BB e da nossa ingenuidade foi criada a situação atual. E essa situação de alguns colegas que voltam a receber 40% da PP com redução de 45% é o absurdo dos absurdos. Não sei como fomos tão ingênuos. O BB já foi o celeiro intelectual do Pais. Hoje será que nos tornamos velhos "gagá", facilmente manipuláveis? Celio

Cláudio Almeida disse...



Prof.

Solicitei à Previ que antecipe o 13.º de abril de 2014 (metade do complemento Previ) para janeiro/14.

1. A suspensão do ES não cobre totalmente a perda do BET e a volta das contribuições.

2. Muitos participantes não utilizam o ES (até por falta de margem) mas estão sofrendo igualmente a perda do BET e a volta das contribuições.

O Presidente da Previ (veja site da Anabb) se colocou receptivamente para suspensão do ES por 6 meses e a outras sugestões que minimizem as dificuldades causadas com o fim do BET e volta das contribuições.

As medidas paliativas serão sempre OPCIONAIS.

Os números divulgados na reunião sobre o fim do BET, indicam que a reserva de contingência já está abaixo de 25%, isto é, está em 21%.

O balanço de 31.12.2013 trará uma reserva de contingência de 21%, logo ela pode ser inferior a 25%.

O "fale conosco" aguarda sugestões.


Abraços

Carlos-Rio Pardo(RS) disse...

Sr. Ari - Por favor me de uma luz. A verba BET, como já dizia o nome, era um Benefício Especial Temporário, ou seja, provisório e previsto que fosse encerrado. Mas me diga o que sabes sobre a verba P300 (Previ Beneficio). A minha P300 é R$ 1.322,02(até dezembro eu ganhava mais BET de 421,35). O total dava 1.743,37, que é 70% da PP atual (2.490,53).
Agora sei que o BET não tem mais,,,,mas e a verba P300 que era 1.322,02 pode ser decrescida para 996,21 (40% da pp de 2.490,53)?????
Pode o salário ser reduzido?????
Não teria que então essa diferença dos 40% para os 70%, estar sendo paga como sendo uma espécie de BET, ou seja, os 30% em outra verba, a qual nem incidiria na margem consignável de 30%, pela lógica, já que seria um complemento transitório??????????
Se o Sr.souber algo,,,agradeceria um auxílio.
Obrigado e abr.

Anônimo disse...

Já postei algo parecido, mas não deu "ibope". Se o BET foi extinto, a única solução, para amenizar a perda, seria aumentar o PRAZO do E.S. para 240 meses, com a opção de incluir também o FINIMOB. Só assim a redução do valor das prestações poderia compensar, em parte, as perdas com o fim do BET e a volta das contribuições.
8.675.451-3 - Nascimento

Anônimo disse...

Caros Ary e outros colegas internautas, bom dia e muita saúde!
Mas, uma vez que nós , aposentados, fomos massacrados pela tirânica e cruel extinção do BET em nossos parcos orçamentos domésticos, medida desumanamente imposta pela "intocável" e "sábia" Diretoria da PREVI, hoje, depois da tempestade de malefícios, veio-me uma indagação: Como é que o tal Henrique Pizzollato(ex-diretor da PREVI) está se mantendo lá por onde está sumido, desaparecido escondido, foragido da Justiça? Quem está custeando o breakfast,o hotel,o almoço e os hot-dogs e outras necessidades diárias desse moço que está sendo procurado pela Interpol? Será que ele virou FAQUIR?? (Kékékéké!!!).
Bom final de semana pra vcs.Williams Silva-Matr.9.843.050-5

Anônimo disse...

E a COOPERFORTE, não vai fazer nada para melhor os empréstimos dos associados? Os DELEGADOS só lembram da gente na hora de pedir votos...

Ari Zanella disse...

Meu caro Carlos,

É isto mesmo. Na distribuição do superávit em 2010 foi acordado que o Benefício mínimo passasse de 40% para 70% da Parcela Previ.
E segundo declaração do Dan Conrado na reunião com Da. Isa, ele não pode abrir nenhuma exceção. Isso quer dizer que voltará aos 40% da PP o benefício mínimo. É mais uma descarga elétrica para matar mais associados.

Anônimo disse...

Professor Ari Zanella, prepare-se para uma verdadeira enxurrada de comentários a partir do dia 20, quando do 'crédito' da fopag. Ex-colegas que nunca imaginaram que seriam enganados pela 'mamãe previ', o serão, e procurarão respostas através dos blogs, aí sim vão interessar para o que está acontecendo em nosso meio.
É também uma grande oportunidade de agregar novos associados para a Anaplab.
Josué Jorge Jr
Castro PR
Obs: Aquele ícone para renovação do ES continua fechado, vamos ver para a semana. Um abraço,

Carlos-Rio Pardo(RS) disse...

É,,,,desgraça pouca é bobagem e nada está tão ruim que não possa piorar. Primeiro o fim do BET.
Segundo a volta das contribuições.
Terceiro (que a Previ ESQUECEU de divulgar - talvez porque somente 10.000 pessoas estejam nessa situação, sendo 5.750 pensionistas e 4.250 aposentados por invalidez - que o beneficio minimo volta a ser os 40% da PP.
Mas ainda bem que não tiraram as tres coisas no mesmo mes...............
E ainda acham que 3 meses de suspensão do ES será um alivio.
Tem que suspender até ter uma nova distribuição de Superavit......
Beneficio minimo menos de R$ 996,00 quase igual ao teto de R$ 45.000,00.
Encerrando Sr.Ari,,,,agora....já estamos na M..............mesmo,,,,só resta o presidente da Previ autorizar os 6 meses de suspensão...Bem que podiam ter dado logo,,,,assim talvez poupassem uns infartos,,,avc,,,,depressões.....
abr,

Ari Zanella disse...

Estou sendo visto neste momento em Moscou, na Rússia. Não é para qualquer blog.

Anônimo disse...

Istambul! Moscou! Simi Valley! Marcel?

Anônimo disse...

Caro Ari,

A culpada disso tudo é a Previ, sempre primaram pela falta de informação.
Isso é desorganização, não se pode administrar um fundo de pensão assim, tem-se que ter regras definidas e não paliativas como tem sido por anos, quem entra no meio do jogo se perde e fica sem entender, e pior, impossivel.
Daqui prá frente chega disso, dinheirinho cá e lá, e depois tira. Tudo tem que ser definitivo se não é possível deixem como está.

Anônimo disse...

No site da Previ já está disponibilizado como calcular o valor das contribuições.
Rápido, não ?
Também esclarece que o Banco volta a contribuir.
SÓ QUE COM RECURSOS CONTABILIZADOS ORIUNDOS DO BET (7,5 BI).ISTO É 50% DO SUPERÁVIT DISTRIBUIDO EM 2010.
Mas, nós não recebemos todo o valor distribuído, pois foram só 4,6 bi, não é mesmo?
Se não recebemos o total, o banco não teria que devolver o valor correspondente ao que deixamos de receber?
Não era meio a meio?
Só queria entender!!!

Anônimo disse...

Prezado Ari,
Acho que pela primeira vez na historia,vamos ficar SEM REAJUSTE, na pratica.Se entra por um lado, sai pelo outro. É uma situação sui generis e merece a atenção de nossos juristas,porque isso é um contrasenso.

Anônimo disse...

Enquanto nós amargamos essa redução drástica do beneficio de aposentadoria mensal, O Paulo Assunção, eleito por nós, defende aquela excrescência, criada pelo Patrocinador, para implementação do teto de R$ 45.000,00 para os Diretores.
Que decepção. Ao invés de defender nossos direitos, pensa apenas em si. Vergonha!!!

Anônimo disse...

A guerra fria voltou aqui no blog.

João Rossi Neto disse...

Caro Ari,

Tivemos um final em uma novela da Globo em que o bandido foge em um avião e lá do alto, num gesto sarcástico e tradicional, dá uma banana para o Brasil.

Não foi filmado e nem precisava ser documentado, mas o que o Pizzolato fez foi o mesmo. Se está na Itália, na Espanha e em outros países da Europa ou mesmo aqui na América do Sul, pouco importa, o que interessa comentar, é que a Justiça como sempre foi lenta, negligenciou e deu tempo ou tempo para que o bandido batesse asas, prevalecendo a IMPUNIDADE e a teoria de que, em muitos casos, o CRIME COMPENSA.

O Supremo Tribunal ficou com cara de tacho porque quis, o próprio PT, com antecedência, anunciou que o Pizzolato não tinha estrutura psicológica para enfrentar a cadeia, e deu no que deu.

A Suprema Corte, entenda-se Ministro Joaquim Barbosa, ficou desmoralizada e o episódio serviu para provar que a simples entrega da 1ª via do passaporte não é suficiente para vetar fugas de meliantes para o exterior.

Está evidente que o PT patrocinou essa fuga com vistas a afastar este arquivo vivo, pois caso ele fosse engaiolado era grande a possibilidade de delatar o Chefe Maior do esquema criminoso (Mensalão) que continua leve, livre e solto e fazendo campanha política para eleger a Dilma.

Como o povo que não recebe a Bolsa Família é ingênuo, ao acreditar na ladainha recorrente!

O pior de tudo é que este cidadão usa e abusa dos malfeitos e não é punido. Foi ele o pai da Resolução 26/2008 e exatamente no seu Governo o BB meteu a mão nos nossos R$7.5 bilhões depositados na PREVI, daí a conclusão de que cultura não tem nada a ver com INTELIGÊNCIA, visto que foi um cara iletrado que arquitetou este golpe.

Blog do Ed disse...

Célio amigo
Alguns de nós, a minoria, recusou todas essas benesses. Eu fui um deles, porque achei que não estava entendendo nada. Agora, também não estou entendendo nada.
Edgardo Amorim Rego

Anônimo disse...

Nós aposentados estamos divididos em várias castas; marajás, remediados e vassalos.
Eu ingressei no banco após 1980 e fui aposentado por invalidez não tenho nem a garantia de benefício mínimo de 40% da PP, meu benefício sem o BET volta a ser de R$ 814,00.
Hoje, por enquanto, recebo com tutela antecipada(que está para ser cassada) a cesta alimentação no valor de R$ 397,00, enquanto existem assistidos que a recebem em definitivo e outros que não vão receber nunca.
Assim vão nos quebrando, moendo e descartando.
Abraços.

Anônimo disse...

Foi comentado que por diversas vezes a PREVI reavalia seus ativos. Sobre esse ponto o Presidente da PREVI afirmou que “a postura da PREVI na avaliação dos ativos (Vale, Neoenergia e Invepar) que, pelas normas contábeis, é feita por valor econômico.” Segundo Dan Conrado, “Existem sugestões para reavaliarmos todos os ativos de forma arrojada. Mas, se fizéssemos isso, estaríamos agindo de forma oportunista e colocando o patrimônio do fundo em risco. A gestão da PREVI não vai tomar qualquer medida para inflar o valor dos ativos. Nós somos conservadores, como um fundo de pensão deve ser. Não vamos mudar nossos critérios de avaliação para melhorar os resultados”.

- A declaração acima mais parece conversa fiada pra boi dormir Senão, vejamos:

1- Inicialmente, vale lembrar que PAPEL ACEITA TUDO....

2- A cotação atual de títulos como a Vale é INFINITAMENTE superior ao seu valor, pois como anteriormente observamos “o valor de um bem líquido, que detém um indivíduo depende do comportamento dos outros titulares. Se os outros titulares, por qualquer motivo, não mais querem o bem líquido, seu valor vai cair a ZERO e o indivíduo considerado pode ir à ruina sem nada ter feito.”*

* http://digamo.free.fr/empirval.pdf(pag. 310) - Tradução livre

3- Ora, seria oportuno relembrarmos algo que aprendemos na matemática ginasial, vale dizer, o resultado da divisão de qualquer numero por ZERO é INFINITO.....

4- Portanto, ousamos discordar totalmente do pensamento expresso do Presidente do Previ. A nosso ver, “colocar o patrimônio do fundo em risco”, seria entre outras atitudes, aquela de permanecer inerte e posicionado em ações da Vale e da Petrobras, mormente frente a uma tendência irreversível de BAIXA...

O que é péssimo para os associados do Previ, com certeza não é bom para a sociedade como um todo...

Anônimo disse...

As pessoas de bem que sejam influentes ou anônimas sem importância como eu, precisamos fazer alguma coisa de concreto.
Alcançaram o nível mais elevado de maldade que um ser humano pode atingir.
Mesmo não estando dentro dessa média mentirosa divulgada pela previ, de 6 mil reais, chego quase lá e a situação está muito difícil. Cada mês o cinto é apertado mais um buraco cortando até na farmácia e mesmo assim está dificílimo.
Agora me coloco no lugar dos que terão seus benefícios reduzidos em 45 %. Como conseguirão sobreviver? Isso quase chega a ser sentença de morte. E pior, eles sequer podem pagar o ônibus para protestarem onde quer que seja.
QUE ALGUÉM TOME A INICIATIVA E ASSIM COMO NA NOVEMBRADA ME ALISTAREI.
FICAR ASSINANDO ATRÁS DE UM COMPUTADOR E NÃO IR A LUTA É MESMO QUE NADA

Anônimo disse...

Caros Ferrados Aposentados do Plano Previ 1,

Essa gente está escondendo algo muito grave.
Que são incompetentes já tivemos a prova.
A prova está em que quando separaram a verba BET, era só aplicar em poupança que não teriam tido déficit, tal qual bolsa de v..
O BB esperto logo lançou em contabilidade independente da tal bolsa de v...
Convenhamos que um portão, um burro e o dito... parecem se equivaler, SMJ.
Tudo parece vingança e sujeira programada, ou não?

Anônimo disse...

Caro anônimo 11/01/14 15:01

Você, meu colega, não é "um anônimo sem importância", mas um ser humano que deve ter dedicado boa parte de sua vida em dar lucro para o patrão. E, simultaneamente, confiar sua poupança a um fundo patrocinado por esse mesmo patrão. Infelizmente, após dado o sangue e o melhor de nossas forças e produtividade, tanto o patrocinador como a diretoria do fundo volta-se contra nos, que somos os verdadeiros donos do patrimônio. E, mesmo somente atrás de um computador -- muitos estão impossibilitados física e financeiramente de participar de movimentos externos --, ainda resta essa possibilidade de envidarmos esforços reclamando de nossos direitos. Pelo andar da carruagem acredito que somente obteremos resposta positiva no judiciário. Talvez eu mesmo não consiga ver o final de tudo isso -- três infartos e pendurado por um quarto, mas com certeza meus herdeiros o verão. E por isso continuo reclamando atrás de um computador, mas também como sócio da ANAPLAB em cuja diretoria confio plenamente.
Infelizmente também anônimo por razões diversas.

Anônimo disse...

Carlos - Rio Pardo (RS) e Prof. Ari - Sobre a questão do Benefício Mínimo, o Carlos, gentilmente, em um de seus comentários, me disse para ver se eu tive, no meu contracheque de maio/2006, ajustes de atrasados retroativos a dezembro/2005 e, dessa colocação dele, entendi que seu tivesse esses ajustes, então eu estaria dentre os "premiados" que vão ter o benefício reduzido para 40% da PP.
Como eu tenho esses ajustes naquele contracheque, surtei.
Aí encontrei uma matéria na revista Previ de nº 114, de maio/2006, que fala sobre a redução que ocorreu no valor da Parcela Previ na ocasião, fala que 21.603 participantes tiveram seus benefícios revisados e que o Benefício Mínimo mudava então de 20% da antiga Parcela Previ para 40% da nova Parecela Previ.
Então fui olhar os regulamentos do Plano no site da Previ e pude confirmar que no Regulamento de 17/05/2004 (anterior), Capítulo IX, Seção I, Art. 28, constava que:

§ ÚNICO - O Complemento de Aposentadoria por Invalidez não poderá ser inferior, na data de seu início, a 20% (vinte por cento) do SRB do participante e nem a 20% (vinte por cento) da PP.

Já no regulamento seguinte, de 04/05/2006 (após essa mudança na Parcela Previ, que o Carlos citou), no Capítulo X, Seção I, Art. 36, constava que:

Parágrafo único - O Complemento de Aposentadoria por Invalidez não poderá ser inferior, na data de seu início, a 40% (quarenta por cento) do SRB do participante e nem a 40% (quarenta por cento) da PP.

Ou seja, aí houve uma alteração de 20 para 40 por cento, por conta da redução do valor da Parcela Previ, e não de 40 para 70 por cento.

Hoje continua do mesmo jeito. No regulamento atual, de 22/04/2013, Capítulo X, Art. 36. consta:

Parágrafo único - O Complemento de Aposentadoria por Invalidez não poderá ser inferior, na data de seu início, a 40% (quarenta por cento) do SRB do participante e nem a 40% (quarenta por cento) da PP.

Então, tudo isso está me levando a crer que essas mudanças que ocorreram em 2006, geraram uma revisão dos benefícios para alguns, como foi meu caso, mas não teve nada de elevação do Benefício Mínimo para 70% da PP.
E com o resto tudo que tenho lido, estou entendendo que, anos depois, quando houve o acordo do que fazer com superávit, foram acordados o pagamento do BET, a manutenção da suspensão das contribuições e o aumento do Benefício Mínimo para 70% da PP, isso tudo sim, temporários e a partir de um acordo.

Olhei meus contracheques por ocasião das distribuições de superávits e, em nenhuma delas, houve alteração da minha verba P300, ou seja, meu benefício, nessas ocasiões dos superávits, nunca subiram nessa proporção de 30% (70% - 40%) da Parcela Previ.

Tambem me lembrei que em 2006 recebi a comunicação da Previ que meu Benefício havia sido revisado, inclusive veio uma planilha com uma memória de cálculo desde quando me aposentei, em janeiro de 2004.

Assim, humildimente, estou achando que esses ajustes que tive em maio/2006, retroativos a dezembro/2005 não têm nada a ver com o que vai acontecer agora com valor do Benefício Mínimo. Acho que vai ter essa redução desse Benefício Mínimo para quem tenha tido essa elevação de 40 para 70 por cento da PP quando foi destinado o superávit, que ora estão nos tomando.

Estou entendendo também, que se eu estiver certo, eu não sou dos que recebem o Benefício Mínimo.

Para suas considerações.

Em tempo: Deus, ajude que eu esteja certo, ou então, tô lascado de vez.

João Rossi Neto disse...

Colega Célio,

Sem desmerecer o seu comentário, quero manifestar que a coisa não é bem assim e não houve ingenuidade alguma.

Ocorre que a Resolução 26/2008 determinou que 50% dos superávits pertenciam ao BB(artigo 15) e no seu artigo 19 inseriu a exigência de que a utilização da reserva especial para melhoria dos benefícios deveria se dar sob a forma de "benefício temporário", a ser pago enquanto houvesse recursos específicos destinados a esse fim.

Demais disso, a PREVIC informou que se a Resolução 26/2008 não fosse aplicada, obrigatoriamente, na destinação da reserva especial acumulada até 2009, ela não aprovaria a negociação feita entre BB, PREVI e entidades representativas.

Assim sendo, era pegar ou largar.

Aquela história alegada por desinformados de que houve doação através do plebiscito realizado pela PREVI, é pura balela, porquanto quem aprovou a reversão de valores e a concessão aos patrocinadores das EFPCs foi a Resolução 26/2008 (vide artigo 15).

Deste modo, culpar as entidades representativas por esse ato é ignorância e injustiça.

Quem está apertado financeiramente agarra-se a qualquer boia de salvação, mesmo em irrisória vantagem como essa suspensão, recém aprovada, por três meses, da cobrança das prestações do ES, o que dirá então se poderia negar o recebimento de 20% (BET) pelo prazo de cinco anos.

Anônimo disse...

A culpa ou ingenuidade ou omissão foi sim de quem assinou o acordo.
Se a resolução 26 é ilegal, devia ter sido contestada no nascedouro ou no acordo, sendo recusada.
Se não existe a tal consulta ao corpo social, por que foi exigido o "referendo" de participantes e assistidos?
Quando elegeram uma chapa por promessas, como a perenidade do Bet, não teria sido ingenuidade?

Anônimo disse...

Professor
Gostaria de saber se estes investimentos na NEOENERGIA e INVEPAR tem garantia de remuneração adequada
Abraços

Tadeu Luis Valentim disse...

Prezado professor,

A Anaplab, a exemplo de outras associacoes, nao pretende impetrar uma acao civil publica contra a resolucao CGPC 26 futuramente, tendo em vista que os beneficios, caso ocorram, so contemplam os socios de cada entidade?

Ari Zanella disse...

Meu caro Tadeu,

Há controvérsia se a entrada não foi muito tardia. O prazo para se entrar com ação civil pública seria de até 5 anos. Então a criação da Resolução 26 deu-se em 29.09.2008 e teríamos prazo até 29.09.2013. O ingresso deu-se em dezembro de 2013. Oxalá seja acatada pela justiça!

Por outro lado, uma vez favorável a ação e derrubada a Resolução 26, TODOS OS FUNDOS de pensão não poderão mais reverter valores ao patrocinador. Portanto, todos os associados da PREVI serão beneficiados. Fique tranquilo.

Anônimo disse...

Relativamente à criação da linha de crédito FORTE-72 e à elevação dos linites de crédito pela COOPERFORTE,
a medida não beneficiou a totalidade dos aposentados e pensionistas, em razão do teto estabelecido pela entidade, dentre os quais eu me incluo. Para que a medida beneficie a todos, é necessário que a diretoria da Cooperativa eleve o teto para pelo menos R$ 70.000;00. Para isso, solicito a gentileza de contatar a entidade sugerindo que estudo seja feito nesse sentido, o que, se aprovado, socorrerá aqueles que, prejudicados pelas medidas tonadas pela PREVI, estão necessitando de recursos para pagar matrículas, material escolar, IPVA, IPTU, etc.
Grato pela interferência dessa entidade, desde já agradeço.
Filomeno (Matr. 3288840-6