terça-feira, 26 de março de 2013

O FALSO JURAMENTO

Digníssima Sra. Dilma Rousseff, como Presidente da República, V. Excia é de fato e de direito a Maior Mandatária, escolhida através dos votos de milhões de brasileiros que acreditaram nas suas propostas de que iria conduzir com pulso firme e honestidade os destinos de nosso País e, em pouco tempo, nos trai levianamente para dar sequência ao projeto do seu partido (PT) de se manter no poder a qualquer preço. Isso configura a máxima: “O Poder pelo Poder”.

E aí vale tudo: Mensalão para compra de governabilidade, loteamento de cargos, repasse de dinheiro para emendas, a compra das consciências de parlamentares e tem político que vende até a alma se for preciso em troca do vil metal. Em resumo, Presidente Dilma, no seu governo prima a promiscuidade de caráter e funciona o balcão de negócios: “Toma lá, dá cá”.

Ao contrário do prometido, nos primeiros meses de seu governo grassou a corrupção desenfreada e ao invés de investigar e punir os responsáveis por atos ilícitos e desvios de condutas, especialmente os meliantes de luxo incrustados em cargos proeminentes (Ministros) do Alto Escalão das hostes governamentais, esses eram induzidos a pedir demissão e sem devolver os recursos públicos espoliados, saiam ilesos para desfrutar o produto dos roubos em paraísos fiscais e em ilhas do Caribe. E que férias à custa da viúva!

Punição generosa da mesma espécie vem ocorrendo com frequência no Poder Judiciário quando o CNJ recomenda aos Magistrados infratores para requererem aposentadorias, à guisa de castigo merecido, passando esses para o ócio altamente remunerados e sem quaisquer restrições na vida funcional. A contemporização é inigualável! Os desonestos adoram esse tipo de reprimenda!

Na realidade, o Juramento Oficial de V. Excia, no ato da posse, é uma balela: “Prometo manter, defender e cumprir a Constituição, observar as leis, promover o bem geral do povo brasileiro, sustentar a união, a integridade e a independência do Brasil”. Houve a mínima intenção de cumprir esse compromisso? É claro, que não.

Ilustre Presidente Dilma Rousseff, como pode V. Excia, do topo da sua vasta inteligência, afirmar que respeita, defende e cumpre a Constituição Federal se são os órgãos subalternos do seu Governo que afrontam a Carta Magna e atropelam as leis federais à revelia do ordenamento jurídico.

Como exemplo prático, líquido, certo e cristalino dos atos jurídicos arbitrários e ilegais perpetrados pelos seus sequazes, restou comprovado que a Resolução 26/2008, editada pelo ex-CGPC, atual CNPC, vinculado do MPS, fez inovações no artigo 20 da Lei Complementar 109/2001, oportunidade em que concedeu 50% dos superávits dos Fundos de Pensão para os patrocinadores. Somente no caso da nossa PREVI, em 24/11/2010, o Banco do Brasil levou indevidamente a bilionária fortuna de R$7.5 bilhões para o seu cofre, numa canetada do CNPN-MPS que criou a Resolução 26/2008.

Obviamente, prevalecendo a razão, a justiça e coerência, nunca que uma Resolução Administrativa inferior poderá derrogar os efeitos de uma Lei Complementar Federal superior, Presidente Dilma Rousseff, como ocorreu no caso concreto ora noticiado, do qual V. Excia conhece os mínimos detalhes, mas não determinou à anulação da Resolução? Estamos à mingua de providências? Pode ser que a poderosa Presidente observe as leis, todavia, somente “observa”, porque respeito a elas é algo inexistente que salta aos olhos, com a leniência dessa Presidência.

Presidente Dilma existe um despacho do Ministro Celso de Mello, do STF, de 21/03/2012, entranhado nos autos da ADI-4644, no qual o nobre Ministro realça das irregularidades da Resolução 26/2008 e, em especial, tece comentários sobre a sua ILEGALIDADE, documento que está à disposição de quem quiser no site do STF. Qual o motivo que leva V.Excia a compactuar com o ato ilícito orientado pela Resolução 26/2008 e lesivo aos aposentados do BB que recebem os seus benefícios da PREVI?

Todo péssimo negócio de interesse do seu Governo, onde a iniciativa privada refuga a parceria, como é o caso do TAV-Trem Bala, V. Excia de forma ditatorial, arbitrária e sem respaldo legal, determina verbalmente por intermédio dos patrocinadores que os Fundos de Pensões, mormente os estatais arrisquem o dinheiro dos associados nesses empreendimentos de baixa rentabilidade e de retorno incerto, parecendo que V.Excia é dona das EFPCs, inobstante ser ponto pacífico que são entidades privadas e sem vínculo direto com o Governo.

Isso beira às raias da irresponsabilidade e não é correto e honesto fazer loucuras administrativas e financeiras com os recursos alheios, dos aposentados. Existe alguma explicação plausível para essas atitudes divorciadas dos ditames regulamentares de qualquer boa Governança Corporativa?

Presidente Dilma Rousseff, V.Excia é detentora legítima do poder e da caneta, portanto, não sangre ou deixe que membros do seu Governo dilapidem os nossos recursos usando de artifícios jurídicos com aparência de normalidade, mas que sabidamente são imorais. Determine que cessem os desfalques e que a Resolução 26/2008 seja anulada e que a Lei Complementar 108/2001 seja revisada, buscando implantar uma Gestão Paritária verdadeira e equânime, onde os associados e patrocinadores decidam as questões pertinentes aos Fundos de Pensão por maioria simples de votos, eliminando o prejudicial Voto de Qualidade existente no Conselho Deliberativo das EFPCs..



( Texto de João Rossi Neto )

58 comentários:

Anônimo disse...

Bravo! Colega João Rossi - Vc disse tudo no seu belo texto. Vc é corajoso e defende a nossa previ da forma como deve ser defendida. Agradeço pela sua volta ao campo de luta.

Anônimo disse...

Ao Rossi,

O caminho, para defender o PB1, não é por aí!.

Um colega disse que o Rossi é bravo. Mas, repito, o caminho para defender o PB1 não é o caminho da força mas o caminho da inteligência.

Bater na autoridade do Executivo, simplesmente por bater, é atrair mais a IRA dos que buscam dilapidar o patrimônio da PREVI.

Rossi, você sabe, não basta "jogar" para a platéia! O "jogo" político é mais em cima.

Todos nós já sabemos o que você disse. Reverberar "esses coisas" é chover no molhado.

Vamos pensar juntos. Temos que ter coerência de idéias e força política. Fora o dueto, infelizmente, tudo ficará mais difícil.

Você é o Cara. Mas o caminho é outro.

Um abraço de james.


Anônimo disse...


Excelente texto. O colega João Rossi voltou melhor do que antes.

Anônimo disse...

Entre 1995 e 2002, o Brasil quebrou tres vezes, mas nossa fraca memória não se lembra disso, principalmente porque a imprensa, as pertencentes a oligarquias, não estampou essa tragédia em suas manchetes como fazem hoje com o governo petista, por mais fantasiosa que seja a noticia., como o apagao do começo do ano, que as chuvas apagaram. A presidenta não vai se preocupar com essa carta, até porque não deveria ser dirigida a ela e sim ao senado ou a camara federal. Garanto que teria melhores resultados, pois o PT tem menos de 90 deputados e 12 senadores, portanto, mesmo que a Dilma concorde em mudar a lei seus votos serão insuficientes pra isso. Outra alternativa seria encaminhá-la ao Joaquim Barbosa e quem sabe, num dia em que sua coluna estiver querendo arrancar-se de suas costas, ele não se apiede de nós.

Anônimo disse...

Mais uma vez o extraordinário Sr.João Rossi nos brinda com essa joia de texto.Pura realidade!

Ari Zanella disse...

O caminho é exatamente este: cobrar da presidente. De nada adianta cobrar de deputados e senadores, eles estão nas mãos da presidência. Nunca dantes na história deste país um presidente teve tamanha maioria de apoio tanto no Senado quanto na Câmara. Se a Da. Dilma quiser ela aprova e desaprova qualquer coisa. É muita insensatez de quem defende o PT não enxergando os desmandos escancarados.Em nosso caso da Previ, quem tem que ser cobrada é unicamente a presidência da república. E o caminho é a internet, meu caro James. Os outros caminhos estão todos obstruídos pela blindagem.
Existe, ainda, a Lei do Idoso, flagrantemente desrespeitada pelo governo que a criou. Tão desrespeitada quanto a LC 109/2001.

Anônimo disse...

Realmente um belo texto.Será que chegara aos ouvidos da nossa Presidente?ao contrario ficaremos no zero a zero. SUGIRO:, Mais antes pergunto ao relator do texto:Autoriza todos os participantes do PB1 a extrair copias, e espalhar por todos os lugares onde possa ser visto por toda sociedade?Acredito que surtirá um grande efeito.E ai sim logo chegaria aos brilhantes ouvidos da nossa presidente.POSTES NAS RUAS NÃO FALTARÃO PARA COLAR ESSA MATÉRIA.EU MESMO ESPALHARIA MAIS DE MILLLLLLL.quem gostou da idéia se manifeste. é só imprimir. só vamos gastar tintas da nossa impressora.

Anônimo disse...

Acesse http://www.youtube.com/watch?v=FMOQFp3Nu3w&feature=youtu.be e assista a uma entrevista interessante do Sr. Amaral da Anabb, fornecida ao blog Olhar de Coruja. São mais ou menos trinta e nove minutos
contendo, inclusive, relato sobre a posição da entidade no que concerne ao projeto do TAV-trem de alta velocidade ou simplesmente trem bala.

WILSON LUIZ disse...

Sobre a matéria "sinal amarelo para os fundos de pensão", seria urgente que os fundos de pensão, mais os funcionários ainda na ativa, se unissem para lutar contra investimento obrigatório no trem-bala.
Acredito que as entidades representativas de fundos tão poderosos como PREVI, PETROS E FUNCEF teriam grandes chances de ter sucesso, ingressando com mandado de segurança com pedido de liminar para que sejam evitados prejuízos que podem provocar desequilíbrio patrimonial e colocar em risco o pagamento de benefícios.

Segundo a Lei Federal brasileira nº 12.016, de 07 de Agosto de 2009, já no seu art. 1.º informa que "Conceder-se-á mandado de segurança para proteger direito líquido e certo, não amparado por habeas corpus ou habeas data, sempre que, ilegalmente ou com abuso de poder, qualquer pessoa física ou jurídica sofrer violação ou houver justo receio de sofrê-la por parte de autoridade, seja de que categoria for e sejam quais forem as funções que exerça".



Conforme art. 5º,inciso LXX da Constituição Federal, pode ser impetrado por:

a) partido político com representação no Congresso Nacional;

b) organização sindical, entidade de classe ou associação legalmente constituída e em funcionamento há pelo menos um ano, em defesa dos interesses de seus membros ou associados.

Anônimo disse...

Isto posto, e a retirada do patrocinador?
Seria benéfica? Seria maléfica?
Considerando Tangará, Sauipe, Aeroportos, Trem Bala, e o que o mais vier de "investimentos excelentes", metade do patrimonio não estaria de bom tamanho?
Imagimem então o total do patrimonio!

Anônimo disse...

POR FAVOR PROFESSOR,

ENTRE EM CONTATO COM A ASSESSORIA DA MARINA PARA SONDÁ-LA VIA ANAPLAB.
SE O PT ESTÁ ONDE ESTÁ, MUITO SE DEVE AO BANCO DO BRASIL
QUEM SABE ELA ENTRA NUMA DE TOMAR NOSSAS DORES PARA ATRAIR A SIMPATIA À SUA REDE. ACHO QUE AÍ SIM O PT ACUSARIA O GOLPE NO "FIGO"

João Rossi Neto disse...

Colega James,

Dizer que estou usando o caminho da força é uma inverdade e exagero da sua parte. Veja que são os poderosos, os artífices da truculência, que empregam esse expediente ao fabricar documentos jurídicos espúrios, colocando-os em vigor no ato das suas publicações, os quais solapam os nossos recursos sem a menor consideração com a origem e destinação do dinheiro amealhado, roubando descaradamente os idosos.
Em direito o ônus da prova cabe a quem acusa, mas no caso vertente, os papéis se invertem e nós, pobres aposentados, inocentes, temos que refutar no Judiciário, sempre manipulado pelo Poder Executivo e provar que estão usurpando as leis e criando canais artificiais para drenar a poupança destinada ao pagamento das aposentadorias, no nosso caso, aportadas na PREVI, contudo, isso é uma luta desigual e acabamos derrotados.
Sobre chover no molhado, é outra asneira, porque o assunto realmente é recorrente e não vamos fabricar ou forjar argumentos para mostrar os nossos direitos, já que a prova sempre foi e será a ILEGALIDADE da Resolução 26/2008 e ninguém vai reinventar a roda.
A verdade é uma só: Estamos sendo roubados ao longo de vários anos e aqueles que se sentirem ofendidos, dentro do Governo, com a exposição que faço das irregularidades por eles cometidas que venham para o contraditório.
Acho que devemos dizer sim, sempre, o nome dos responsáveis. De que adianta afirmar que o Governo é nosso adversário, no sentido generalizado, vago e sem apontar o dono dos bois. Doravante sempre nominarei aquele que nos agride e nos rouba. Os puxa-sacos que levem o meu texto para o destino onde se alojam os malfeitores que pretendo atingir que vou ficar agradecido.
Em resumo, estou apenas usando o sagrado direito de espernear, valendo-me dos meios ao meu alcance e, sobretudo, falando a verdade. Quem quiser que me conteste. A nossa arma é a voz, a palavra e a liberdade de pensamento é assegurada na CF/88, artigo 5º e tudo que faço é dentro da lei e do Estado Democrático de Direito. Você tem o direito de pensar o que quiser, pois cada cabeça é uma sentença.

Anônimo disse...


Professor Ari, publique se você achar que é um simples contraponto não uma contestação.

Caro Rossi,
Como já disse: Você é o Cara.

Gostei mais do segundo texto do que do primeiro. Logicamente, após limpar alguns impropérios.

O caminho é tortuoso. É como escalar uma grande montanha. Há pedras por todos os lados. Umas são firmes; outras mostram-se firmes mas são falsas.

Quando tinha, por volta de 10 anos de banco, já dizia a colegas: A Previ não é nossa!.

Os desmandos, os desvios vêm de longa data.

Você tem razão. A história é escrita pelo lado dos “vencedores".

Bater por bater não vai a lugar nenhum. Temos que ser mais inteligente.

Que caminho devemos seguir. Há vários: O Político. O judiciário. A imprensa, etc.

Temos forças para mudar o quadro?

Te digo: o patrocinador nos dividiu lá atrás. Não há uniformidade no PB1. Uma minoria, mas minoria mesmo, dita as normas, as estratégias de como dilapidar os velhinhos.

A divisão é tão grande que o patrocinador não tem trabalho para levar o que quer. Há associações, muitas até, para nos defender e confundir. Todas com seus capitães cheios de egos.

E o Governo/BB/PT emprega a lógica militar: dividir para governar e ganhar os ativos da Previ. Afinal, os velhinhos não reagem.

Repito. Você tem razão.

Mas fica a pergunta: Temos forças política para mudar o quadro?

Um abraço de James.

Anônimo disse...

Prezado Ari,
É confortador saber que o nosso Joao esta de volta.Disse tudo o que eu gostaria de dizer,mas não tenho coragem.Ele está usando o legitimo direito de expressar seu pensamento. Precisamos de mais vozes contundentes como a do Joao, especialmente daqueles que estão à frente da ANABB (que fatura à nossa custa $3.175.000,00); da FAABB, da AAFBB, etc.Essas entidades não podem ficar caladas,enquanto o nosso patrimônio fica exposto a ameaças.Se nós não gritarmos, quem o fará...?

Anônimo disse...

Prezado Ari,
Bato palmas e tiro o meu chapéu para o Rossi.O seu texto tem que ser disseminado, no minimo, junto aos colegas que estão em sono profundo.Precisamos,tambem, agregar outros fundos de pensao -Petros, Funcef, Valia, postalis etc - que sofrem o mesmo assedio do governo, porque juntos seremos MUITO MAIS FORTES.Há pouco tempo o jurista Wladimir Martinez estimava que havia mais ou menos 5 MILHOES de participantes em todos os fundos de pensao, no pais, entre ativos e aposentados.Já pensaram que força poderemos ter, inclusive politicamente, se unirmos um cabedal tão grande de pessoas...?
Sem falar nos seus dependentes e parentes mais chegados...

Ademar disse...

Fiquei muito feliz com a volta do João Rossi.
Parabens, seus textos são maravilhosos

Anônimo disse...

Colega João Rossi, obrigado pelo seu retorno ao blog do Prof. Ari, você escreveu o que está engasgado na minha garganta, e que não consigo escrever. Valeu, abraços Paz e saúde. Rogério Carvalho. Pelotas.RS.

sss disse...

Essa carta pode ser disponibilizada para amplo conhecimentos nas Redes Sociais? Obrigado.

Ari Zanella disse...

Caro SSS,

Em conversa com o amigo Rossi no ano passado, ele me dizia que não se opunha a que seus artigos fossem replicados. Acredito que ocorra a mesma coisa com o presente artigo.
Eu até gosto quando outros meios divulgam o que é publicado aqui no blog. Sempre é legal citar a fonte. Obrigado por nos acompanhar.

Anônimo disse...

Há uma semana, o governo da China inaugurou a ponte da baía de Jiaodhou, que liga o porto de Qingdao à ilha de Huangdao. Construído em quatro anos, o colosso sobre o mar tem 42 quilômetros de extensão e custou o equivalente a R$2,4 bilhões.

Há uma semana, o DNIT escolheu o projeto da nova ponte do Guaíba, em Ponte Alegre , uma das mais vistosas promessas da candidata Dilma Rousseff. Confiado ao Ministério dos Transportes, o colosso sobre o rio deverá ficar pronto em quatro anos. Com 2,9 quilômetros de extensão, vai engolir R$ 1,16 bilhões.

Intrigado, o matemático gaúcho Gilberto Flach resolveu estabelecer algumas comparações entre a ponte do Guaíba e a chinesa. Na edição desta segunda-feira, o jornal Zero Hora publicou o espantoso confronto numérico resumido no quadro abaixo:

CHINESA GUAÍBA
Extensão 42km 2,9km
Custo total 2,4bi 1,16bi
Custo/km 57mi 400mi
Tempo cons 4 anos 4 anos
Tempo de
construção/km 35dias 503dias

Os números informam que, se o Guaíba ficasse na China, a obra seria concluída em 102 dias, ao preço de R$ 170 milhões. Se a baía de Jiadhou ficasse no Brasil, a ponte não teria prazo para terminar e seria calculada em trilhões. Como o Ministério dos Transportes está arrendado ao PR, financiado por propinas, barganhas e permutas ilegais, o País do Carnaval abrigaria o partido mais rico do mundo.

Corruptos existem nos dois países, mas só o Brasil institucionalizou a impunidade. Se tentasse fazer na China uma ponte como a do Guaíba, Alfredo Nascimento daria graças aos deuses se o castigo se limitasse à demissão.

Dia 19/07/11, o Tribunal chinês sentenciou a execução de dois prefeitos que estavam envolvidos em desvio de verba pública.

(Adotada esta prática no Brasil, teríamos que eleger um Congresso por ano)

Anônimo disse...

...........colegas, temos presidente???????????????

Anônimo disse...

QUEM TEM FACEBOOK? SE O SR JOÃO ROSSI PERMITIR VAMOS DIVULGAR E PEDIR PARA OS AMIGOS QUE COMPARTILHEM
QUEM NÃO TEM ENVIARIA VIA EMAIL.
O QUE VCS ACHAM?
ESTAMOS CANSADOS DE SOFRER, SERMOS ENGANADOS,HUMILHADOS....

Anônimo disse...


Não gostei da última resposta (ou seja a resposta da quinta pergunta) de Leopoldina feita ao sr. Amaral.
Achei tendenciosa (para o lado do governo).
Até quem não entende de economia, vê que entrar nessa de trem bala é uma furada.
Irão gastar nosso fundo de pensão sem fazer ajuste no benefício.
Será uma sangria de dinheiro, igual a obra da transposição do rio são francisco; ainda corre o risco de nunca ser terminada.
A ANABB mostra assim, a quem defende.
Não se iludam.

Anônimo disse...

Leiam,abaixo, matéria publicada no jornal "O Globo":

Nova lei coloca cuidadores de idosos em situação delicada

Nice de Paula, O Globo

A mudança nas regras do trabalho doméstico vão atingir em cheio os idosos do país. O alerta é da presidente dos Sindicato dos Empregadores Domésticos do Estado de São Paulo, Margareth Galvão Carbinato, para quem as medidas vão ter um impacto mais forte para as famílias que contratam cuidadores.

— Esses profissionais já tinham o salário mais alto para poder ficar à noite e, agora, sobre esses valores vão incidir horas extras, adicional noturno. Isso cria uma realidade terrível. Idoso neste país não tem direito a nada. Já cortaram as aposentadorias, criaram o fator previdenciário e agora vão ter que ficar sem seus acompanhantes — diz.

Anônimo disse...

ALÔ ALÔ PESSOAL DE BRASÍLIA,

Dia 5 de ABRIL haverá apresentação do fantástico circo da Previ no CCBB. A hora é agora, caso contrário em pouco tempo não haverá mais dia 20

FIM DO BET, TREM BALA, SUPERÁVIT, serão algumas atrações feitas ao "respeitável público".

Anônimo disse...

João Rossi Neto é incrível, conhecedor da nossa causa, ninguem melhor para nos representar, prá que tantas associações? se temos o Rossi, imagine ele a cabeça , nós o corpo, completando o pensamento do colega James das 19;24 temos que partir para os tres caminhos, o político, o jurídico e a imprensa e devemos começar nos filiando em massa junto com funcef e petrus ao partido dos aposentados.

Anônimo disse...

Não, temos presidenta.

Anônimo disse...

Prezado Ari,
O colerga das 23:57 está coberto de razao, na comparação e comentarios que faz sobre as duas pontes ada China e a do Guaiba.Agora, se fosse num pais serio, as autoridades competentes iriam investigar por que a diferença é tão grande.Mas nós estamos no Brasil, onde a impunidade está institucionalizada. A exemplo dos assistidos da Previ, nós os brasileiros estamos apáticos e como que anestesiados.

Anônimo disse...

Prezado Ari,
Parabéns ao bravo Joao Rossi.É tudo o que eu gostari de dizer.Agora, somente com a uniao dos grandes fundos de pensao do Brasil teriamos força politica suficiente para tentarmos mudar alguma coisa.Quanto à publicação de materia na Istoé DINHEIRO,não sei se daria resultado.Por exemplo:todos os granes veiculos de comunicação nacionais, notadamente revistas semanais e jornais de grande circulação falaram sobre o que o governo está fazendo com a Petrobrás...O que aconteceu até agora...? Nada...nadica de nada. TEMOS QUE NOS UNIR.Como disse o colega lá em cima, eles nos dividiram para governar.

Anônimo disse...

"O Presidente atual ressaltou que não existe nenhum estudo que demonstre que o investimento não é viável e que a mídia tem explorado esse tema de forma negativa. Falou também alguma coisa em solicitar informações à Previ sobre o tema".

Essa é a posição do Presidente da Anabb sobre o trem burla segundo o site da ex- diretora Cecília.

De duas uma: Ou ele tem certeza que daqui a 40 anos estará inteirão para usufruir o pseudo retorno do veloz trem; ou, já tem o retorno desse investimento garantido agora. Como? ...

Anônimo disse...

Só para comentar: realmente é uma grande diferença na construção das duas pontes. Mas, sempre que comparamos preços da China e do Brasil, nos "esquecemos" que trabalhadores chineses costumam ganhar U$ 30 (R$ 60,00) POR MÊS. Este é o mesmo motivo pelo qual existem camisas chinesas vendidas em camelôs de São Paulo por R$ 5,00. Chegam para o atacadista a R$ 1 ou 2 a unidade.
Sabemos que no Brasil existe um desvio de dinheiro colossal e inaceitável em qualquer obra pública, até numa simples calçada feita por uma prefeitura.
Mas comparações exigem a exibição de TODOS os dados, para evitar noticias tendenciosas.

Anônimo disse...

Direto do blog da Cecília Garcez: Esta semana houve reunião do Conselho Deliberativo da Anabb. Todos os assuntos pautados diziam respeito à gestão da entidade, não houve nenhuma discussão em relação às questões que interessam aos associados.
ACORDA ANABB

Anônimo disse...

Reforçando o comentário das 12:40 hs.,me permita caro Professor Ari, sugerir a leitura do post da Dona Cécilia, sobre a reunião da Anabb e outros assuntos correlatos.(data de hoje)

WILSON LUIZ disse...

Resultados de 2012 estão no site da PREVI

júnior machado disse...

Boa tarde,Prof Ari ontem passei um e-mail para Dr Medeiros falando da arrecadação que foi uma vergonha,mas continuaremos,e pedi para ele que os seus seguidores passassem e-mails para Celso Rusomanno,CQC,e outra pergunta o Sr consegui passar e-mail para o Celso,pois tenho assistido quase todos os programas dele e 100% resolvido,Homem alem de ser carne de pescoço conhece os direitos dos cidadões,á passei um e-mail tambem para Drª Cecilia pedindo para seus seguidores entrar em contato com os devidos programas e falei tambem sobre youtube,um forte abraço e um otimo feriado feliz pascõa,a todos que acompanham este blog

Anônimo disse...

Ao anônimo das 13:01 hs.

Concordo plenamente que temos que exibir dados comparativos; então vamos lá:

carga tributária

na China 10% a 12%
no Brasil 40 %

ticket de trem

na China R$ 0,68
no Brasil R$ 3,20

Gasto diário com alimentação

Na China, em torno de R$ 13,00
No Brasil, em torno de R$ 30,00

Sem contar que a China possui uma infraestrutura muito superior a do Brasil. Lá, a pavimentação das estradas é excelente e não há cobrança de pedágios; não há cobrança de IPTU, IPVA, etc...

Não quero criar polêmica. Afinal, mesmo com todas as mazelas, prefiro viver no Brasil, pois temos a liberdade, coisa que não tem preço.

Anônimo disse...


Vamos pipocar com doações para o texto na revista, senão... será tarde!

Anônimo disse...




Agora a boa notícia. O Ministério Público Federal do distrito Federal (MPF-DF) ajuizou duas ações civis públicas contra a Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) e a União, para corrigir irregularidades no edital do trem de alta velocidade (TAV ou Trem Bala). O pedido de liminar do MPF/DF visa prevenir prejuízo às empresas proponentes. Se o Ministério Público está preocupado com o prejuízo aos cofres públicos, como nós, aposentados e pensionistas da PREVI não ficaremos arrepiados em ver que o Governo insiste que a PREVI se lance nesse novo Sauípe? A FAABB já está de posse das duas petições iniciais do MPF e também estuda como corroborar a inconveniência da PREVI usar nosso patrimônio em projetos que só interessam ao governo. Ao mesmo tempo, sugerimos que os setores organizados do funcionalismo (sindicatos, associações) já se mobilizem, juntem-se a nós, para essa que será mais uma verdadeira guerra em defesa de nossos interesses.


Isa Musa de Noronha

Anônimo disse...

Uma Notícia Ruim.



Por ocasião da homenagem que a PREVI prestou aos aposentados no último dia 2 de janeiro, seu presidente, Dan Conrado falou ligeiramente da possibilidade de redução da taxa de Reserva de Contingência de 25% para 15%.

O que significa isso? Compreendendo o que é a Reserva de Contingência podemos inferir os riscos dessa redução. Sabemos que RESERVA MATEMÁTICA é o valor que o Plano necessita para atender aos compromissos futuros. Tal Reserva dimensiona o quanto que hoje a PREVI necessita para cobrir o pagamento de aposentadorias e pensões até o último participante. Sabemos também que tudo o que ultrapassa o valor da Reserva matemática é considerado superávit, só que nem todo superávit é livre, leve e solto para ser distribuído. Parte considerável dele obrigatoriamente deve ser preservado como um colchão de segurança para cobrir riscos. Trata-se da Reserva de Contingência. A Lei hoje determina que a Reserva de Contingencia corresponda até 25% da Reserva Matemática. A própria PREVI escreve na Revista edição 169, o mês de março que “o volume de benefícios concedidos pelo Plano 1 crescerá fortemente nos próximos na os. Isso obriga a Previ a manter uma Reserva Matemática muito maior para cobrir suas obrigações futuras. Por tabela, o nível da Reserva de Contingência sobe na mesma proporção. Desse modo é preciso gear um volume de superávit muito mais alto para superar o limite de 25% da Reserva Matemática”

Soa estranho, então, a opinião do Presidente Dan Conrado quando fala em redução da Reserva de Contingência para 15% . Ora, se a tendência de redução da taxa de juros tornará mais difícil a obtenção de superávits não deveriam os gestores cautelosos proteger a Reserva de Contingência? Esta sugestão de redução da taxa de reserva de contingência, a exemplo do ocorreu com resolução 26/2008, possibilitará ao Banco se beneficiar ainda mais da Reserva Especial, considerando que, segundo o BASILÉIA III, não vai mais reconhecer ativos excedentes da PREVI no resultado. Seria uma compensação.




Opinião qualquer um pode ter, e o Presidente da Previ tem direito à sua, mas eis que curiosamente damos de frente com o PLP 236/2012, de autoriza do Deputado petista Ricardo Berzoíni, propondo a alteração do art. 20 da Lei Complementar nº 109, de 29 de maio de 2001, passaria a vigorar com a seguinte redação: “Art. 20. O resultado superavitário dos planos de benefícios das entidades fechadas, ao final do exercício, satisfeitas as exigências regulamentares relativas aos mencionados planos, será destinado à constituição de reserva de contingência, para garantia de benefícios, até o limite de quinze por cento do valor das reservas matemáticas. Protocolado em fins de dezembro, esse Projeto de Lei nos permiti inferir que a opinião do Presidente da PREVI faz parte de um acordo com o deputado do Partido do Governo. Tudo muito arranjado, muito tramado, não é? E Berzoini ainda justifica seu projeto afirmando um cenário que só ele e os arautos do Governo enxergam: “Ocorre que o dispositivo foi votado no ano de 2001, em um cenário macroeconômico de taxa elevada de juros e endividamento, intensa volatilidade nas cotações dos ativos financeiros, mercado de valores debilitado por crises internacionais relativamente recentes e iminência de alternância política. Desse modo, o quadro da época justificava a fixação de uma parcela mais conservadora, para composição da reserva de contingência. No entanto, a regra de se destinar à reserva de contingência o equivalente a um quarto das reservas matemáticas revela-se demasiadamente exagerado para o contexto atual. Nosso País mantém taxa reduzida de juros, controle da dívida pública e instrumentos eficazes de controle dos ativos, além de transparência dos passivos atuariais. O aperfeiçoamento dos mercados e as medidas tomadas pelo governo na última década permitem a adoção de uma margem menor do que a atual."

( continua a seguir )

Anônimo disse...

( Continuação )

Tal visão superestimada, exageradamente otimista, nos dá a entender que o Deputado Berzoini não lê jornais sobre as crises internacionais.
Fundos de Pensão, mesmo os poderosos como a PREVI enfrentam desafios cotidianos. O desafio agora é atuar de forma apropriada e sem comprometer a sustentabilidade do plano no futuro. Na América do Norte e na Europa Ocidental durante a década de 90, empregadores, empregados e seus sindicatos, governos e outros intervenientes quiseram grandes fatias do bolo. Não que a melhoria de benefícios, a redução de contribuições ou mesmo retiradas de ativos superavitários fossem erradas. Mas a escala com que foram feitas foi irresponsável. Elas também foram baseadas na falsa premissa de que os bons tempos continuariam para sempre, e que mais superávits seriam gerados no futuro. Esses fundos de pensão têm agora déficits substanciais, e sua existência está ameaçada.

O perigoso Projeto de Lei do Berzoini (236/2012), já tramita na Câmara e na Comissão de Seguridade Social e Família, tendo sido Designada Relatora, a Dep. Erika Kokay (PT-DF). Ontem mesmo, dia 26, o Vice-Presidente da ANABB, Fernando Amaral, e sua assessoria parlamentar já estiveram com a Deputada Kokay mostrando os inconvenientes desse Projeto de Lei. A todos nós cabe acompanhar e fazer pressão sobre os Deputados para que abortem essa ideia. Naturalmente também a FAABB já se mobiliza para mostrar aos parlamentares a gravidade do que está sendo proposto.

Isa Musa de Noronha

Anônimo disse...

Prezados colegas,
Para se ver o grau de profissionalismo e maturidade dos gestores da Previ, basta ler uma pequena manchete que está na capa da revista previ que recebi hoje: "Superavits mais dificeis". E quem falou aos dignissimos que um fundo de pensao existe para gerar superavits???? O resultado tem que ser de EQUILIBRIO,isto é, nem deficit nem superavit,mas EQUILIBRIO. São essas pessoas que estao gerindo o nosso Plano 1. Quanto à redução da reserva de contingência de 25% para 15% será outro suicidio. Agora entendo por que o Berzoini quer mexer na LC 109.../ DEVEMOS lutar para que a condução dos destinos da Previ volte para as nossas mãos ou estaremos num mato sem cachorro. É melhor agir enquanto há tempo...

Anônimo disse...

Ao anônimo das l5:57 h.: Também não tenho interesse em criar polêmica.
Mas faltou: renda per capita, salário mínimo, média salarial. As estradas de lá devem ser muito boas, afinal, quase todo mundo anda de bicicleta.
Não se engane, amigo. A China é uma merda. Não que o Brasil seja, NO MOMENTO, uma maravilha.
Mas mil vezes Brasil.
Abraço.

Anônimo disse...

Para o Rossi, bentornato, tiro o chapéu agradeço e reafirmo minha eterna gratidão pela sua ajuda autêntica e inestimável.

Ao professor Zanella meu respeito pela luta e pela providencial intervenção das 15h44.

Por último, de se lamentar apenas a cegueira de alguns que insistem em defender o indefensável, em vez de voltarem para suas origens = anabb.

júnior machado disse...

Olhe,Prof Ari o que minha Mãe mandou para seu Dam Conrado "Sr Dam Conrado estamos de olho aberto,pois achamos muito estranho o Sr querer reduzir de 25% para 15% a mesma alteração do art 20 da lei complementar 109 ,que o Deputado do PT Ricardo Berzoíni que emplantar 236/2012,o que vcs estão fazendo com a Previ ela e nossa,e se o Sr continuar compaquituando com o PT,já avizamos estamos preparados para enfrentalos,tão verdade que não obtenho resposta de vcs as perguntas que eu fiz ão SR e o Sr Marcel,estamos de olho e só olhar os blogs do Prof Ari,Dr Medeiros"

júnior machado disse...

Olhem a resposta do,Fale com á Presidenta á minha Mãe

"Prezado Senhor,

Em resposta a suas mensagens endereçadas à Presidenta Dilma Rousseff, informamos que o assunto foi encaminhado ao Ministério da Previdência Social e ao Banco do Brasil para análise e eventuais providências.

Caso julgue necessário obter informações sobre o tratamento do assunto, recomendamos-lhe escrever aos setores pertinentes.

Cordialmente,

Claudio Soares Rocha

Diretoria de Documentação Histórica

Gabinete Pessoal da Presidenta da República "

Anônimo disse...

O Amaral já foi Garef no bb e Presidente do sinicato dos bancários do rio. A Ërica é oriunda da cef e foi presidenta do sinicato dos bancários de brasília. Ambos petistas.
Ceis acham mesmo que eles vão jogar contra o chefe?
Ceis acham que eles mudaram seus pensamentos com relação ao projeto petista TÁ TUDO DOMINADO?
Em sã consciência, alguém tem dúvidas que a exemplo daquela adin feita errada de propósito, todos são capítulos da mesma novela?
Uns travestidos de defensores, outros com a verdadeira cara de monstro, jogam pra torcida desinformada e desmobilizada que assiste a tudo inerte.
Eles estão querendo até calar a imprensa.
E aíh Ari? Vai de robalo ou lambari?
Aqui como aih, tem pt pra encardi
Imagina que essa praga tem até no Piauí
Tem no norte tem no sul tem no sertão do cariri
Vou parar que chefe tá chegando e ele veio de sindicato pra ser AP-02
Fui

Anônimo disse...

Prezados colegas,
A redução do percentual da reserva de contingência de 25% para 15% está na contramão da lógica e da inteligência. O nosso nivel de aplicação em renda variável (açoes) é altissimo, em torno de 61%, ou seja risco alto, reserva de contingência alta.Mas reserva de contingência BAIXA e risco ALTO qualquer um imbecil vai ver que é uma receita letal para os nossos interesses...Vamos pressionar a ANABB e a FAABB para que lutem contra essa excrescencia...

Anônimo disse...

Se a ANABB É nossa origem, então porque nos traiu sem dar soluções á muitos processos?
Esse negócio de mudança de endereço dos associados sem comunicar; não colou; como é o caso do meu marido.
Processos com 20 anos de paradeira, ora bolas...

júnior machado disse...

Prof Ari,ão me ver criaram esta lei das empregadas domesticas e de cuidadores de idosos,só beneficiaram os empregados e os pagadores vão continuar com os impostos de 12% e o correto seria 4%,pois em 2014 temos eleição para Presidente,e a Dilma quer e ganha os votos dos menos favorecidos de cultura,falo aqui sem preconceito porque esta lei logo agora é estranho,e temos que abrir os olhos com o Sr Dam e Sr Marcel,pelo que esta correndo na internet estão, com paquitos com o PT,pois se continuar do jeito que esta os associados podem exigir novas eleições na Previ?

Anônimo disse...

Prof., uma ajuda por favor. Desculpe se não entendi. Antes nos blogs, se não me falha a idosa memoria, alguem defendia a proposta do nobre deputado e colega Berzoini.Agora pelo que leio, na realidade ela é nociva a nossos interesses.A inflação já está de volta e o governo parece ter esgotado suas medidas pontuais de estimulo a economia. E, para combater a inflação logo logo irá aumentar os juros. Consequentemente tudo como dantes no quartel do Manteg oops do Abrantes. Aí porque reduzir a reserva para 15% ?
Insisto na pergunta, com devida vênia: Pediram apoio ao projeto do preocupado deputado? Ou estou enganado? Saudações, paciente Professor.

Anônimo disse...

No balanco da Previ, vejam a pagina 65 e 66 e principalmente isto:2.8.2. Observamos que 2012 é o terceiro ano de
constituição de Reserva Especial. Contudo, ressaltamos
que, preliminarmente à revisão do plano de benefícios,
devem ser considerados os itens dispostos no artigo 4º da
Resolução CGPC 26, de 29/09/2006, como, por exemplo,
os novos parâmetros técnico-atuariais recém-aprovados
pelo Conselho Nacional de Previdência Complementar
– CNPC, estabelecidos na Resolução CGPC 18, de
28/03/2006.

Ari Zanella disse...

Anônimo 19:08

Sua preocupação é pertinente. Mas pelo que sei o apoio pedido era para a proposta do deputado Rogério Correia (PT-SE) - se não me falha a memória. Mas ouvi também apoio em algum lugar ao projeto do Berzoini.
Agora, se a Faabb da Isa Musa diz que não é bom...eu fico com a Isa Musa.

Anônimo disse...



Mestre, falar que o texto do João Rossi está muito bom ´é chover no molhado. Por isto não vou fazê-lo para não parecer que é lobby. O que eu gostaria Mestre é que você, Rossi, Edgardo, Valentin, e outros "cobras" pensassem na possibilidade de fazermos um trabalho, na época certa , em favor de um candidato a presidência que estiver bem nas pesquisas, com o fim de obtermos apoio para nossa causa. Alguém pode dizer que isto não é ético, eu até concordo, mas quem está afogando não tem ética e quer é um corpo próximo para agarrar. Não sei qual o contingente dos associados da Previ, mas sei que se somarmos todos os assistidos , mais familiares, vizinhos, empregados,amigos próximos teremos um universo de mais de 1 000 000 00 de pessoas. Pergunto : qual candidato não se interessaria pelo assunto ? E tem mais : não nos custaria nada ! só o trabalho ao pé do ouvido ( do Oiapoque ao Chui). Finalizando, parabéns ao Rossi e ao Blog pela postagem acima. Cordialmente, Divany Silveira-Sete Lagoas- MG

Juarez Barbosa disse...

Prezados Ari e colegas,

Perfeito o comentário do colega anônimo das 16:44 hs.

"A quantidade de recursos alocados na Reserva de Contingência é diretamente proporcional a quantidade de recursos aplicados em renda variável".

Isto é: quanto maiores as aplicações em renda variável, maiores devem ser as reservas de contingenciamento para estes riscos.

As reservas de contingência devem permanecer nos atuais níveis e alocadas em aplicações de renda progressiva e irem sendo reduzidas na medida direta da redução de investimentos em renda variável.

Salvo melhor juízo.

Um fraterno abraço a todos.

júnior machado disse...

"Boa noite, ão Sr Dan e Sr Marcel,novamente não queria estar aqui pertubando vcs,mas ate hoje nao me responderam sobre as promessas feitas pelos Srs,em quem eu votei e estou muito chateada,pois ficaram de elevar as pensões a 100% e o realiamento dos salarios,á permanencia BET e entre outra coisas,eu lhe peso em nome de todos os aposentados e pensionistas,olhem mais por nós,e não deixem que outras pessoas acabem e tomem com a Previ,e pelo amor de DEUS,cumpram com que vcs nós prometeram,pois esta escrito na revista especial das eleições da Previ,não existe falta de tempo existe falta de interesse,porque quando a gente quer mesmo,a madrugada vira dia,quarta feira vira sábado e um momento vira oportunidade,e lhe desejo um otimo feriado a todos da Previ,uma felez pascoa a vcs,e que DEUS os ilumine a nosso favor muito obrigada"

Anônimo disse...

É, para mim não é nenhuma surpresa quando no fim do ano e em plena véspera de Natal a Previ anunciar a suspensão do Bet.
Ai, Professor Ari, Salve-se quem puder...

Daniel Pereira

dalila disse...

Não desanimem com as contribuições para a matéria paga. Acho que muitos estão esperando a antecipação do decimo terceiro ( 20/4).
A minha colaboração sera feita no dia 5 de abril.

Dalila

Anônimo disse...

Li que militares da reserva divulgaram nota de repúdio à comissão da verdade porque, nos bastidores através de uma RESOLUÇÃO, alguém mudou o texto da Lei e estão enquadrando apenas servidores do governo daquela época, ao invés de também outros sem tais vínculos como era previsto.

Qualquer semelhança com a famigerada RESOLUÇÃO 26, não é mera coincidência. Há alguma orquestradação nisso tudo.

E dizer que hoje tem uma porção que se diz traídos em seus ideais!

O cenaráio está muito parecido com o que antecedeu o famoso suicídio de agosto de 1954. Será que a História se repete, mesmo?