sábado, 20 de outubro de 2012

QUAL É O FOCO?

      Dentro da nossa Caixa existe uma cachoeira de evasões da qual poucos se dão conta mas tem enorme influência em todas as nossas aposentadorias.
      Um fundo de pensão deveria ser utilizado apenas para o seu fim específico: o pagamento de benefícios. Lamentavelmente os últimos governos que tivemos não têm essa concepção. Apropriando-se da nossa Previ, olhada cada vez mais com cobiça pelo governo, até mesmo pela sua capacidade de recursos nada desprezíveis, desviam ardilosamente grande parte de seus recursos que poderiam e deveriam melhorar os valor das aposentadorias. Vamos a eles:
a) Pagamento de alta comissão ao BB, através
    da subsidiária BB-DTVM (Distribuidora de Tí-
    tulos e Valores Mobiliários do BB) que sim-
    plesmente para "administrar" nossas ações,
    em 2011, nos cobrou quase 40 milhões de 
    reais! A própria Previ poderia fazer esse tra-
    balho através da Diretoria de Investimentos.
b)Investimentos "podres" exigidos pelo Gover-
    no, como o projeto TAV, a Usina Belos Montes
    e na infraestrutura aeroportuária para a Copa
    do mundo.
c)Pagamentos quadrimestrais à PREVIC, cria-
   ção política do governo Lula, cuja proposta 
   inicial era defender-nos, mas, na prática es-
   tá defendendo o patrocinador BB.
d)A participação em outras empresas gerando
    cargos altamente remunerados aos apani-
    guados políticos dos ocupantes, caso da Va-
    le do Rio Doce, onde o governo através da 
    Previ conseguiu até mudar o presidente.
e)A escandalosa Resolução 26 cujos valores
    já transferidos ao BB poderiam sozinhos re-
    solver todos os problemas judiciais da Pre-
    vi, além da solução para as pensionistas.
      O nosso foco maior deveria ser a batalha pela melhoria dos benefícios. Está bem claro na Lei Complementar 109/2001, artigo 20. Necessidades prementes fazem muitos mudar o foco para um segmento do problema, como se ele fosse o X da questão. O Empréstimo Simples vai sair na primeira dezena de novembro. Creio que melhorado, senão seria somente continuação do existente. Mas que fique bem claro. Vivemos dos contracheques. Eles é que devem ser melhorados, muito mais do que o valor do ES.

52 comentários:

Anônimo disse...

Ary vc teve essa informação do ES melhorado em novembro de que fonte?é confiável?Abçs.

Medeiros disse...

Estou de pleno acordo, Ari. Muito bem focado. Não podemos cair na armadilha deles que nos distraem colocando o bode na sala exatamente quando estamos conseguindo alcançar alguns objetivos básicos para nós participantes. O ES é importante mas mais relevante ainda são os nossos benefícios e a administração dos investimentos da Previ que garantem o pagamento dos mesmos. Parabéns. Como vai a mão ?

Jorge Teixeira - Araruama (RJ) disse...

Colega Ari Zanella,
O empréstimo simples, em razão da política de contenção dos benefícios implantada pelo governo federal e seguida à risca pelos dirigentes da Previ, vem se transformando, ano após ano, na tábua de salvação para todos os que se encontram em dificuldades financeiras. Não adianta criticar os assistidos quando sabemos que a origem dos problemas está na política traçada pelo governo de plantão, que coloca o seu olho gordo e tunga os recursos fabulosos e sagrados que deveriam pertencer unicamente aos associados do “PB-1”. Outros fatores também importantes são as características bastante heterogêneas dos diversos grupos de associados existentes nessa mesma EFPC. É uma autêntica colcha de retalhos trazendo em seu bojo as mais variadas iniquidades que um plano de previdência privada poderia abrigar. Poucos ganham muito e muitos ganham pouco. A grande maioria contribuiu, juntando-se o período de vida laboral com o tempo de aposentadoria, por mais de trinta anos. Alguns hoje ainda na ativa irão se aposentar, com 30/30 avos ou mais, sem terem vertido valores para o plano nem ao menos por 30 anos. Uma pequena parcela selecionada foi beneficiada com uma aberração denominada de renda certa. Dentre outros, aí estão alguns dos mais variados exemplos da nossa triste e injusta realidade. Nunca é demais lembrar, principalmente para os que hoje estão aposentados e recebem benefícios incompatíveis com a grandeza do alardeado maior fundo de pensão da América Latina, que a melhoria nas aposentadorias está diretamente atrelada à necessidade de o “PB-1” obter rentabilidade suficiente no exercício. Só assim poderá haver formação de reserva especial para revisão do plano. Em razão de outra aberração vigente, referidos recursos terão que ser divididos igualmente com o patrocinador, enquanto que possíveis reflexos do PLP-161/2012 e outras medidas em curso não surtirem os efeitos que todos desejamos. À vista do exposto conclui-se que, infelizmente, não é tão fácil assim termos qualquer tipo de melhoria nas nossas aposentadorias.

Ari Zanella disse...

Caro amigo Medeiros,

Muito me honra sua participação por aqui pela admiração e respeito que lhe tenho. Se falar com o Marcel, não esqueça de exigir a antecipação do mês de reajuste para janeiro.
Quanto à mão segue rigorosamente o cronograma de cura estabelecido pelo médico gaúcho Valdir Steglish, torcedor do Internacional. Até agora, com ótima recuperação.
Muito obrigado, e tenha uma ótima participação no 33º Congresso da ABRAPP.

Ari Zanella disse...

Caro Jorge Teixeira,

Pois é, pinçei um quadro do que deveria ser, nada obstante, todos sabemos das dificuldades de mudar o status quo. Não é mesmo, Rossi?

Anônimo disse...

Senhores, os senhores sabem o que é a ABRAPP?
Sabem do que se tratará nesse congresso da ABRAPP?
Vamos acordar e cair na real!

Ari Zanella disse...

Ao anônimo espertinho acima (12:09)

Entre no site da Abrapp e julgue você mesmo se o Congresso é ou não importante. Eis apenas um trecho do portal
www.abrapp.org.br

33º Congresso: Raio X do sistema
Com o objetivo de traçar um quadro amplo das questões estruturais que enfrentamos, de forma a melhor conhecermos as bases atuais e o que esperamos para o futuro, a ABRAPP realizou a pesquisa Raio X do Sistema de Previdência Complementar Brasileiro e vai agora apresentar os seus resultados em uma sessão especial do 33º Congresso Brasileiro dos Fundos de Pensão. Será no próximo dia 24, primeiro dia do evento, às 15 horas.

Anônimo disse...

Prezado Ari e demais Colegas.

Esses congressos como esse da ABRAPP vai se tornar mais comum de agora em diante,pelo fato do Governo Criar o fundo de pensão para os seus novos funcionários públicos.

Regime diferente menos atrativo,já existe algumas comparações em que os servidores vão ter que contribuir mais para ter os mesmos rendimentos que os atuais servidores.

Imagino que quando o total dos participantes entraram no Banco do Brasil S/A, imaginaram ter rendimentos suficientes para uma velhice tranquila quando aportaram seus recursos na Previ,mas o fato é que as muitas mudanças de estatuto mudaram ao longo da história de mais de 100 anos salários para baixo.

Hoje não importa se privado ou público,os bancarios são insatisfeitos com seus ganhos e rendimentos,usam os bancos para outros cargos outros concursos e quem paga o pato é a população que tem atendimento de péssima qualidade.

A choradeira é geral a grande maioria dos funcis da ativa estão na mesma situação que a nossa,vivem na corda bamba dos empréstimos.

Acorda Marcel,libera logo o ES MELHORADO.

Rosalina de Souza
pensionista

Mais 20 dias de espera, 20 dias de sofrimento até o dia 10/11/2012.

Anônimo disse...

Muitos ficam implorando pelo ES, como que mendigos e esquecem que são donos do maior fundo de pensão do país.
Esquecem que seus salários poderiam ser melhorados; é só uma questão de justiça.
O fato é que a justiça dos homens se esqueceu de nós.

Anônimo disse...

O Marcos é um talento que não deve ser desperdiçado, por comentários negativos.
Lembremos que ele está do nosso lado.
Com certeza seus textos é leitura diária de todos, senão não saberiam o que ele posta; não é mesmo?
Na minha opinião ele perderia muito tempo por ficar moderando comentários.
Esse tempo deve ser usado para acordar a muitos e nos instruir; com isso já estaríamos agradecidos.
Obrigada, sr. Marcos.

Anônimo disse...

Qual será o foco?

Eu, sinceramente, acredito que o foco deste encontro estará voltado aos interesses do governo e do(s) patrocinador(s). Discutirão um meio de legalizar os repasses da fortuna do PB1 para que o governo consiga realizar suas obras faraônicas. Já estão previstas as construções de 21 novas linhas de trens para passageiros, nos próximos. Para isso será necessário a participação de grandes patrocínios e, adivinhem quem será escolhido(a)para tal?

Os presentes na reunião estarão apenas assistindo mais um descaso de seus representantes no que diz respeito às melhorias nos proventos do aposentados.

A todo o ano o número de aposentados e pensonistas diminui muito e a fortuna do Plano 1 cresce mais. O que fazer com tanto dinheiro se não concedem melhorias para nós? Resta, então, distribuir o excedente aos demais interessados, segundo eles.

QUEREMOS MELHORIAS URGENTE! O EMPRÉSTIMO SIMPLES NOS AFUNDA AINDA MAIS.

Ari Zanella disse...

Anônimo 13:31

A postagem, está claro, não se refere ao Congresso da Abrapp. Mas é importante a participação do Medeiros, como faz todos os anos, porque a Abrapp congrega todos os fundos de pensão. Então é interessante e útil saber o que pensa a Abrapp. Importante também, o alargamento de horizontes que se tem nos bastidores do Congresso, quer pelo contato com ilustres palestrantes quer pelas informações e contatos futuros que o participante adquire. Por isso, a importante presença de um formador de opinião do nosso lado, caso do Dr. Medeiros.

Ari Zanella disse...

Renê Sanda é o atual Diretor de Investimentos da Previ.

Recebido da REDE-SOS:


Sindicato move ação contra diretor do BB por prejuízo ao erário

O Sindicato entrou com ação civil pública na Justiça do DF contra o Banco do Brasil por omissão e contra o diretor de Risco, Renê Sanda, por dano ao erário. O objetivo é obter o ressarcimento ao BB de meio milhão de reais, com juros e correção monetária, pagos como indenizações em três ações trabalhistas.

Ficou comprovado na Justiça do Trabalho que o diretor descomissionou três empregados em 2007 por eles terem pleiteado judicialmente a redução da jornada de 8 para 6 horas, adequando-se ao tempo legal de trabalho diário dos bancários. Três dias depois da medida, Renê Sanda promoveu reunião com cerca de uma centena de empregados, quando justificou os três descomissionamentos como forma de retaliação para evitar “risco de contaminação”, intimidando e desestimulando novas ações trabalhistas.

Na sentença dando ganho de causa aos três descomissionados, o juiz do Trabalho entendeu que, ao ficar patente a perda de função em virtude de terem os três empregados ajuizado ação trabalhista, o fato gerou “inegável dano moral”, ferindo dois princípios constitucionais, o de amplo acesso à Justiça e o de cidadania.

A conduta retaliadora do diretor Renê Sanda, além de ter "conteúdo injusto, imoral e antiético", acarretou dispêndio de mais de R$ 500 mil em indenizações. O Sindicato argumenta que, apesar da sentença a favor dos empregados, o Banco do Brasil permanece omisso por não ter proposto ação de regresso contra o causador das indenizações para obter ressarcimento dos valores. “A omissão causa dano ao Erário e aos próprios empregados. Com efeito, estimula que outros prepostos pratiquem atos semelhantes em represália contra empregados que ingressam na Justiça”, expõe a assessoria jurídica do Sindicato na ação civil.

Além de prejudicar a União, principal acionista do banco, pelo prejuízo financeiro, as indenizações afetaram os resultados da instituição financeira e, em consequência, a distribuição de PLR aos trabalhadores.

“Exigimos que o BB promova ação de regresso contra o diretor Renê Sanda e que este seja obrigado a ressarcir o BB em valores corrigidos”, frisa o diretor do Sindicato Eduardo Araújo. “Em todos os casos em que o banco foi condenado por dano moral praticado por qualquer dos seus gestores, moveremos o mesmo tipo de ação, porque consideramos injusto o fruto de todos os funcionários sair pelo ralo por causa da atitude desses dirigentes. Que eles paguem com o seu patrimônio pessoal, e não com o da categoria”.

elaine disse...

Caro Prof. Ari,

Concordo em gênero, numero e grau!

Leio todos os textos e os comentários, de seu blog, do Dr. Medeiros e do Marcos Cordeiro.
Já havia me pronunciado a respeito da necessidade de se focar nos assuntos que realmente tem extrema importância dentro da nossa PREVI.
Não fui bem entendida, e recebi mensagens um pouco agressivas!
Entendo perfeitamente, que os casos de aperto financeiro, deixam qualquer pessoa sem rumo, perdidos e não conseguem enxergar mais nada além de tentar resolver de forma imediata a questão.Já passei por isso!
Fico a imaginar que o ES, está sendo um tipo de "venda nos olhos".
Enquanto nos preocupamos se vai aumentar o limite e o prazo, para sanar momentaneamente nossas finanças, não enxergamos que estamos nessa situação, justamente por todas as mudanças que vem ocorrendo no decorrer dos anos,em doses homeopáticas.

Muito bom seu texto.
Muito Obrigada!




Cláudio Roberto Almeida disse...



Prof.

O foco no momento é o ES.

Prof. tem razão quando fala em melhoria dos benefícios.
A melhoria dos benefícios decorre, na atual concepção dos fundos de pensão, do superávit. Sem superávit não tem melhoria de benefícios.

A suspensão das contribuições foi feita em decorrência do superávit, assim como o renda certa e atualmente o BET.

Já tivemos melhoria de benefícios e teremos outras através de futuros superávits.

Não fossem os superávits estaríamos contribuindo e não estaríamos recebendo o BET.

Pode imaginar?

Mas........

Tudo tem um mas. De repente, surgiu um "sócio" no superávit, através da resolução 26. Sócio com direito a 50%.

Os benefícios devem ser melhorados no próximo superávit (2012), que vai acontecer.

E com um sócio tão poderoso, interessado no superávit tanto quanto nós, a demora na distribuição será menor, os órgãos do governo vão decidir mais rápido, etc.

Como vê, tudo tem um lado positivo.

Mas, melhora de benefícios só com o superávit. Esta é a legislação atual e é o que a Previ vai cumprir.

Medidas pontuais, como antecipação do BET atual, reajuste em janeiro, também podem ser implementadas.

Abraços

Anônimo disse...

Calma Professor Ari.Quero dizer que a associação ABRAPP não se preocupará com os problemas dos participantes mas, sim, com os fundos em si.
Os maiores fundos -Previ, Petros, Funcef etc - são usados e monitorados pelo governo ou não?
Seo congresso fosse da ANAPAR, poderiam os participantes/assistidos terem seus interesses discutidos ou não?
Os comentários que são colocados nos blogs tem sido no sentido de se encaminhar solicitações tipo ES, incorporação do Bet, rejustes em janeiro, etc.
Não é bem esse o foco ou é?
No mais, não quis ser o "espertinho". Desculpe se assim transpareceu.

Anônimo disse...

A Previ sempre terá superávit, senão não estaria investindo.
Só não aumentão os nossos salários, e não dão o ES 180\180 porque não
querem. Como se explica os altos salários dos dirigentes? Como se explica
a compra da mansão do Sasseron e Cia? O betinho, pode sim, permanecer independente
da bolsa.
As coitadas da pensionistas merecem os 80% no minimo, e essa gente que
lá dentro estão, só pensam no próprio umbigo.
Sem essa que a Previ não pode. Quando esses dirigentes morrerem
as mulheres deles, ou maridos, terão uma excelente pensão, enquanto
nós Ó... e sem creminho. Aposentado x pensionistas é lixo.

180 x 180 Já!! A PREVI É NOSSA!! VAMOS COBRAR!!

João Rossi Neto disse...

Grande Cláudio Roberto Almeida, 20/10 -15:50,

Você fez análise objetiva e correta. No momento a única saída para mitigar as dificuldades financeiras dos associados da PREVI é o ES, porque o seu efeito é imediato. O empréstimo simples na dose solicitada é uma operação simples, rápida e da alçada exclusiva do Conselho Deliberativo.

Na realidade, o ES é a água que o andarilho sedento de sede, perdido no deserto precisa para se salvar. A solução é paliativa, sim, mas no curto prazo não existe outro remédio mais eficaz.

Até julho/12, segundo demonstração contábil divulgada no site da nossa Caixa, a Provisão Matemática apurada foi R$101.218.430 mil e a rigor, conforme artigo 20 da LC 109/2001, iria gerar uma Reserva de Contingência de R$ 25.304.607 mil (25% x 101.218.430), no entanto, como o Superávit técnico foi de apenas R$ 23.091.079 mil, este valor logicamente foi inferior para cobrir a Reserva de Contingência no percentual de 25% e o colchão de liquidez ficou reduzido a 22,81%, ou seja, absorveu totalmente o superávit técnico e ficou abaixo do parâmetro fixado.

Em conclusão, a Reserva Especial para revisão do plano, posição de julho/12, é “zero” e como o IBOVESPA não conseguiu ainda se consolidar acima dos 60.000 pontos e estamos na vizinhança do encerramento do exercício de 2012, pois, hoje já são 20 de out/12, é muito provável que não teremos superávits nos três últimos anos para cogitar uma nova revisão no plano de benefícios.

Não é vão que o BB, com visão de futuro e informações privilegiadas, em conluio com o CNPC costura o Projeto de Resolução para Retirada de Patrocínio que, se aprovado na forma em que está redigido, deixa aprovada a possibilidade para meter a mão na Reserva de Contingência, na hora que quiser, visto que a fonte geradora de superávits secou.

Anônimo disse...

Prezado Ari,
Pelo menos apos a criação dos diversos blogs de colegas aposentados, pudemos fazer uma espe´cie de raio-x da situação nossa enquanto assistidos pela Previ.A alienação dos colegas, a falta de interesse do que acontecia ao nosso fundo de pensao fizeram con que eles deitassem e rolassem em cima do que é nosso. Por isso que veio a res. 026.Por isso que o site da Previ nem parece que nos existimos. Por isso que os membros do Conselho Fiscal que têm o voto de minerva a nosso favor agem como se não conhecesem essa realidade e não se impõem e aceitam tudo o que a Previ/patrocinador querem. Estavamos órfaos.Só agora é que estamos nos despertando para esse estado de coisas que nos é desfavorável. Não devemos implorar pelo ES. Devemos EXIGIR.

Anônimo disse...

Tudo bem, Ari?Infelizmente não entendo, tecnicamente, do assuntos "reservas" - principalmente sobre seu uso para REAJUSTE de benefícios.
Mas me lembro de ter perguntado ao Marcel, quando de sua rápidíssima passagem por Assis(SP), se não poderia a PREVI, com suas projeções sobre resultados, ter concedido, em junho/2012, um reajuste de - por exemplo - 14,68% ao invés de 4,68%. Argumentei que seria a única forma de irmos recuperando as perdas e manter o Plano equilibrado, sem a geração de "superavits".
Marcel respondeu que não era possível conceder reajuste com base em projeções (o que considerei um absurdo), mas somente depois do resultado realizado. Contra-argumentei que que, neste caso, os reajustes fora do índice oficial
seriam sempre BET (temporários), em função da resolução 26.
Marcel concordou e fechou a questão, arrematando "-Por isto é que precisamos apoiar o PL do Berzoini, que vai derrubar a resolução 26".

Claro que eu conhecia muito superficialmente os assuntos - resolução 26, reajustes, reservas, superavits - e não dispunha de dados numéricos mais concretos, para confrontar mais duramente o Marcel.
O ideal, numa reunião informal como aquela - oportunidade rara -, seria a presença de um João Rossi Neto , Dr. Medeiros, etc., por exemplo. Mas a reunião foi marcada de última hora, e nem pude tentar contatos ou divulgar.
Mas o que estou divulgando - já o fiz anteriormente - serve para dar um leve panorama de como se raciocina na PREVI.
Na minha opinião, nada impediria que em Janeiro/2013 a PREVI anunciasse, por exemplo, um reajuste de - digamos - 8% mais uma incorporação de 20%, DESDE que as projeções (que êles devem ter para vários anos) indicassem o equilíbrio do Plano, com ,consequentemente, dinheiro suficiente para tal reajuste.
Mas, pelo que entendi, não se
escapa da tal resolução, que determina o "temporário".
Gostaria, se possível, que o João Rossi Neto desse sua opinião.

Abraço a todos.

8.675.451-3 - ROBERTO NASCIMENTO

Anônimo disse...

Prezado Prof° Ari,
Seria possível, você na qualidade de Vice Presidente da AAPPREVI tentar um contato pessoal com o repórter Lúcio de Castro da ESPN (aquele que desmascarou o Ricardo da CBF) juntamente com a Lena do RJ? A idéia seria mostrar como o bilionário fundo de pensão é utilizado pelos interesses político-eleitoreiros do governo, enquanto pensionistas (principalmente) estão morrendo à míngua. Seria uma ótima maneira de jogar no ventilador e acabar de uma vez com essa estorinha de marajás inventada pello collorido llarápio.

Ari Zanella disse...

Anônimo das 19:22,

Todas as decisões da Aapprevi passam pelo CONAD - Conselho de Administração, composto por três pessoas. Se não houver consenso, resultado negativo.
Penso que sua sugestão poderia ser acatada por uma associação de maior porte, do tipo da Afabb-RJ do Gilberto Santiago ou até mesmo a Faabb.
Entretanto, convém notar, que no caso Ricardo Teixeira, havia interesse da ESPN na transmissão de jogos patrocinados pela CBF, daí a atuação do repórter em comum acordo com a emissora.
Nosso caso é político, envolvendo um governo que tem alto índice de aprovação. É muito difícil alguém da imprensa, que depende de concessões do Ministério das Comunicações (Paulo Bernardo) querer envolver-se neste vespeiro.

João Rossi Neto. disse...

Roberto Nascimento, 20/12, 18:39,

Enquanto a Resolução 26/2008 estiver em vigor, qualquer utilização da Reserva Especial para melhoria dos benefícios se dará sob a forma de benefício temporário, conforme foi determinado no seu artigo 24.
Sou contra tal dispositivo, sendo uma condição com o intuito único de nos prejudicar, sendo desnecessária, visto que no caso de eventual déficit no Fundo de Pensão, nós seremos convocados para equacioná-lo, observados os critérios definidos nos artigos, 28a 30.

Anônimo disse...


Mestre Ari, lendo seu último post fiquei a imaginar sobre a relação incestuosa entre a dupla Governo/Banco do Brasil e a virgem ( ? ) PREVI. Paralelamente a isto a gente vê nos romances de muitos autores nacionais as figuras do gigolô e também do cafetão. É certo que ambos vivem do trabalho suado das meninas, cada um a seu modo, Sendo o nobre colega culto e experiente (não me refiro à boemia, pois falam que o Professor é Evangélico) poderia me dizer e aos seus milhares de leitores quem no caso acima poderia se enquadrar como Gigolô ou Cafetão da Previ ? Pode crer que é um trabalho sociológico que daria boa monografia para estudantes.!! Atenciosamente, Divany Silveira - Sete Lagoas-MG

Anônimo disse...

Caro Divany,
Considero a Dupla Governo/BB o Grande Cafetão, no entanto temos vários gigolôs vivendo a custa da nossa virgem(??) PREVI, dentre eles a PREVIC(pagamos p/sermos massacrados), a ABRAP(Grupo de Advogados que estão lá para não deixar a PREVI pagar o que nos deve), os próprios Dirigentes da PREVI e ocupantes dos Conselhos das Participadas(recebendo salários e mordomias milionárias, de costas para nós), e tem também os grandes empresários(???) que volta e meia são beneficiados c/uma ajudinha do governo, por meio da nossa grana(Daniel Dantas, Os Jereissates, os Andrades Gutierrez,Bancoop,Gregório Preciado, OAS,Camargo Correa,WTorre, Odebrecht, Mendes Junior,CR Almeida, Queiroz Galvão,e o mais novo queridinho do Governo/PREVI, Eike Batista).E quantos outros que desconhecemos?

Anônimo disse...

Caro Ari,

Está no site do Cláudio Humberto, bronca de um leitor:

20/10/2012 | 05:58
Vetos Código Florestal e aposentados

Deputado Ronaldo Caiado só agora vossa excelência diz que o governo federal está usurpando e afrontando o Congresso com os vetos de Dilma ao Código Florestal, há muito mais, há muito tempo o Governo vem afrontando o Congresso vetando projetos aprovados principalmente com os aumentos igual ao salário mínimo e nossas perdas com os aposentados Deputados, existe mais de 200 vetos há mais de deis anos engavetados para serem colocados em votação.

Cláudio Roberto Almeida disse...


Prof.

A única diferença entre meu pensamento e o do João Rossi Neto é que pelo fato de eu ser otimista acredito ainda no superávit de 2012
(31.12.2012).

No momento, os números dão inteira razão a ele.

Mas, a coisa começa a clarear.

As discussões em torno da Res. 26 e Retirada do Patrocinador se desenvolvem paralelamente aos nossos comentários e poderão nos levar a outros caminhos.

Sem superávit o BB vai querer a reserva de contigência para se socorrer? Tudo é possível. Fiquemos atentos, ainda que seja só para entender.

E para entender contamos com João Rossi Neto.

Após o ES, podemos pedir incorporação do Bet e reajuste em janeiro.

Abraços

Ari Zanella disse...

O prezado Anônimo das 02:30 clarificou muito bem seu pensamento, do que ele acha que a Abrapp significa. É por aí. Recebo de anônimos mensagens contundentes, com termos pesados, contra eventual participação no Congresso anual da Abrapp. O anônimo das 02:30 é a prova que se pode dizer o que se pensa, elegantemente. Parabéns...
E a propósito: CR Almeida, citada por você, seria o nosso grande Carlos Roberto Almeida? kkkkkk

Cláudio Roberto Almeida disse...



Prof.

Desculpe-me voltar, mas preciso fazer uma correção.

No último comentário falei em incorporação do BET, o que não acredito.

Acredito na antecipação do BET, que pode ser concedida pela Previc mediante pedido da Diretoria Executiva.

Abraços

Ari Zanella disse...

No meu comentário de ontem, 19:39, cometi um grave equívoco ao dizer que o CONAD - Conselho de Administração da AAPPREVI era composto por três pessoas.
A bem da verdade, e já me penitenciando pelo lamentável equívoco, RETIFICO a informação errada:
O Conselho de Administração da AAPPREVI é composto por 04 (QUATRO) PESSOAS, a saber:

-MARCOS CORDEIRO DE ANDRADE - Presidente Administrativo.
-ARI ZANELLA - Vice-Presidente Administrativo.
-JOSÉ GILVAN PEREIRA REBOUÇAS - Vice-Presidente Financeiro.
-MARIA ELIZABETH GONÇALVES CHAGAS - Vice-Presidente Para Assuntos Previdenciários.

Assim, peço, mais vez mil desculpas pelo Ato Falho, prometendo, numa próxima vez, tomar todo o cuidado possível para não mais cometê-lo.
Ao nobre presidente administrativo, sr. Marcos Cordeiro de Andrade, minha alta estima e minha profunda admiração.

Anônimo disse...

Congresso da ABRAPP- as tais "questões estruturais que enfrentamos" e a pesquiza Raio X do sistema(sic) que será apresentada no congresso tem mais a ser contra relacionamento com participantes - ações judiciais e reclamos que para favorecimento.
Para se defender. Não para atender reclamos tipo melhorias nos contra-cheques e pensões.
Na relação capital / trabalho a ABRAPP é o Sindicato Patronal, é o que me parece(fazendo analogia).
Caso seja outro o objetivo da ABRAPP e seu congresso, peço ao Sr.Prof Ari ou a quem tiver opinião diversa da apresentada que, por obséquio,comente.
Não creio que haverá no ambiente do Congresso espaço para discussão ou pleitear ES.,BET, reajuste ou o que for de nosso interesse.

Anônimo disse...

Grande Prof. Ari, em relação ao comentário do anônimo de 20.10 às 13:16 hs, com referencia ao Sr. Marcos Cordeiro, acho que blog e ninguem está deixando de lado o Sr. Marcos, pois sabemos da honestidade e competência do mesmo.Mas o que eu acho que está acontecendo, que muitas vezes este Sr., está atingindo com os seus posts o Dr. Medeiros e até o Prof. Ari, e, não estou entendendo o porque disso tudo. A comprovação é o post de hoje do Sr. Marcos, e outros anteriores. Pergunto, o que está acontecendo mesmo ? Quando de
fato iremos nos unir em torno da defesa de aposentados e pensionistas ? Pensem bem senhores.

Ari Zanella disse...

O PROFESSOR FAZENDO LAMBANÇA

No meu comentário de ontem às 12h06min feito ao caro Jorge Teixeira, acabei cometendo outra gafe contra a língua portuguesa. Usei o verbo PINÇAR na primeira pessoa do singular do pretérito perfeito com Ç (pinçei) o que é um erro gravíssimo de ortografia. A forma CORRETA é PINCEI. A fim de restabelecer a correção, conjugo todas as pessoas deste tempo verbal, ao tempo em que recomendo a quem tiver qualquer dúvida em conjugar verbos, que acesse o site www.conjugador.com.br
Nele, basta digitar o verbo de sua escolha no INFINITIVO (terminação R) e surgirão todos os MODOS e TEMPOS deste verbo.

eu pincei
tu pinçaste
ele pinçou
nós pinçamos
vós pinçastes
eles pinçaram

Como se nota, apenas o PINCEI e SEM CEDILHA; os demais são TODOS COM CEDILHA.
Portanto, "todo cuidado ainda é pouco" ao lidar com a rica língua
portuguesa.

Obrigado a quem me corrigiu.

Anônimo disse...

Caro Ari,

Sou a anônima das 2:30 hs, Obrigada por suas palavras!

Veja a notícia q encontrei s/a Construtora CR Almeida, fundada p/Cecílio do Rêgo Almeida, de Curitiba.

Monotrilho Norte/Centro - AM
Status da obra:
Vermelho

De acordo com a Matriz de Responsabilidades, obra deveria ter começado em novembro de 2011

O monotrilho terá duas linhas: Norte-Centro e Leste-Centro. O primeiro terá sete estações, incluindo uma em frente à Arena Amazônia, e sairá do bairro Cidade Nova, o mais populoso de Manaus. A segunda linha terá 12 estações.

Obra foi licitada em março de 2011. No entanto, por conta de irregularidades no edital e falhas nos projetos básicos, TCU e CGU pediam a realização de um novo processo licitatório.

O governo manteve a licitação antiga e assinou o contrato em janeiro de 2012. As obras estão previstas para o segundo semestre.

Custo: R$ 1,554 bilhão
Contrato: público (estado do Amazonas)
Construtora: Consórcio Monotrilho Manaus (CR Almeida, Mendes Júnior e Scomi)

Quanto ao "pinçei" eu percebi, mas sabe q fiz foi rir. É sinal de q você também é humano.

ABRAPP = NEPOTISMO = DANÇA DE CADEIRAS( Unidos contra nós)
Deixo aqui as perguntas:
Quanto recebe o advogado e ex-secretário da antiga SPC, ADACIR REIS por cada palestra proferida nos eventos sobre Previdência Complementar?? e a tal da Educação Previdênciária? Quem ninistra e quanto ganha??? e quem paga??

Anônimo disse...

Seu Ari, quem nessas alturas do campeonato está se importando com erros de português. Cumpadi esquece isso. O nosso verbo é o presente.

Eu preciso- rsrs
Tu precisas-
Eles precisam- rsrs
Vós precisam- rsrs
Nós precisamos do ES 180 X 180!!!

ACORDA MARCEL!! NOVEMBRO EU JÁ MORRI!!

Anônimo disse...

Prof.Ari
Peço uma informação.A margem consignável para efeito de ES é os 30% informado no holerite ou o valor inserido no campo próprio no site da PREVI que por sinal é bem maior que no contra.cheque



m

Ari Zanella disse...

Querida Anônima 17:58

Parabéns por seu interesse e conhecimento. Devemos procurar saber quem é quem neste jogo sujo que fazem com nós, aposentados e pensionistas da Previ. Não sei se você é da região norte, mas, felicitações por conhecer os projetos inacabados neste estado, considerado o "pulmão do mundo".

Eu conheço daqui de Santa Catarina, da minha cidade Joinville, sede da Indústria de Fundição Tupy S.A. que esteve mal das pernas, mas, hoje, administrada pela Previ e pelo Bradesco que injetaram capital, vai muito bem, gerida pelo sr. Luiz Tarquínio Ferro (ex-dirigente da Previ). A Tupy produz blocos de motores para a indústria automobilística e componentes para auto peças.

Amanhã, às 15h, será anunciada no Palácio do Planalto pela presidente Dilma, juntamente com a diretoria da B.M.W alemã, a primeira fábrica da BMW na América Latina. A pequena Araquari, município contíguo a Joinville, estrategicamente situada próxima ao maior porto natural do sul do Brasil, deverá ser a sede da montadora alemã, que viu no município de Joinville um polo de alto desenvolvimento tecnológico, com mão-de-obra altamente qualificada. O investimento inicial da BMW será de 1 bilhão de reais (infelizmente, sem parceria com a Previ). Acredita-se em 1.500 empregos imediatos e 10.000 empregos com outras empresas fornecedoras que serão atraídas para o entorno. A BMW produzirá aqui três modelos de sua linha que custarão ao consumidor até 40% menos.

Ari Zanella disse...

Anônimo das 18:39

Não sei direito quais as verbas que incidem sobre a margem consignável. Aliás, temos duas margens, vale aquela que for menor.
Tenho ES de 110 mil, pago pensão alimentícia de 30%, e mesmo assim, veja a minha margem no contracheque de setembro/12:

MC 30% = 51,55
MC 70% = 498,97

A Previ me disse que essa de 70% somente é válida para eu tomar o empréstimo imobiliário.

Anônimo disse...

Recebo 3.400 liquidos e tenho que pagar via débito em conta 2150reais.Pago aluguel de 900reais sobrando 350 reais para as despesas básicas.Nao dá nem para a alimentaçao.Como fazer para nao pagar os 2.150 reais de CDC ao BB já que o valor ê aprovisionado.Nao fazem acordo.Jâ paguei 16 prestacoes dos 96 meses.Alguém
me dá uma uma dica por favor.

Anônimo disse...

Prezado Professor Ari e demais colegas, boa noite.

Pela minha prática, nas renovações do ES, até agora, a prestação que vale(MC)é a que aparece no site da PREVI, no dia da operação.

Grato.
PAZ E BEM!

Fernando Lamas (Aposentado)
Valinhos(SP)

"O que nos resta dizer?
Se Deus está a nosso favor, quem estará contra nós?"
Romanos 8,31.

Anônimo disse...

Margeem consignável: Vale a do site,para efeito do ES.
Ilustro: Margem no holerite=409,69
Margem no site=602,68
Diferença=192,99
Valor da Capec=192,99 que a Previ não considera incidir/afetar a margem.Para confirmação dirija-se ao Fale conosco da Previ ou "melhor perguntar no Posto Ipiranga".

Anônimo disse...

Não pergunte "Como fazer para não pagar os 2.150 reais de CDC..."
Pergunte de uma forma que o credor veja intenção de PAGAR. Pergunte assim:Como fazer para pagar de uma forma suportável pelo meu orçamento.Negocie.Aceite o conselho se quizer, pois se conselho fosse bom, não seria dado.

Anônimo disse...


Espero sinceramente que o reajuste do ES saia rapidamente.Que venham logo os 180X180 tão desejados por todos.Mas que imediatamente depois, todos voltem ao foco principal da nossa luta.Que a meu ver, é a melhoria dos nossos benefícios.Acabar com a colcha de retalhos que virou o PB1.Acabar com as diferenças injustas e injustificáveis que foram criadas, fruto das sucessivas alterações no nosso plano de previdência.
Temos que achar forças pra lutar. Deixar de lado o refrâo:"Oh céus, Oh dor! Oh judiação...!" levantar a cabeça e partir pra briga. Que sabemos, não vai ser de igual pra igual. Mas se juntos focarmos em um só ponto, vital para as nossas necessidades, quem sabe não acontece conosco o mesmo que aconteceu no embate entre Davi e Golias.

Anônimo disse...

Já que a Previ liberou a verba C750(Previ Contr. para Capec) para ajudar compor margem consignável, poderia também liberar a verba C820 (Cassi Contr. Pessoal), irá favorecer um monte de colegas que hoje tem pouca ou não tem margem para contratação/renovação.
Será que os técnicos da Previ fariam esse favor para nós?
Josué Jorge Jr
Castro PR

Anônimo disse...

A PREVI vive em campanha para angariar novos associados para a CAPEC, daí...

Anônimo disse...

Interessante. Vejo no site da ANAPAR-Associação Nacional dos Participantes dos Fundos de Pensão-que em 23.10.2012 será realizado o VII Encontro de Dirigentes Eleitos, em São Paulo. O Objetivo é debater com os conselheiros e diretores eleitos pelos participantes perspectivas dos fundos de pensão no novo cenário economico brasileiro e mundial.Vão discutir a taxa Selic em novo patamar, a queda na rentabilidade dos ativos de renda fixa, o aumento dos investimentos em infra-estrutura, investimentos imobiliários e um novo cenário para as aplicações dos fundos. Do lado do passivo previdenciário, a redução das taxas de juros e o aumento da longevidade também vão ser discutidos.Talvez mais interessante para nós participantes que o encontro da ABRAPP.Melhor ver o site da Anapar e se alguem se interessar em participar tem instruçoes como se inscrever.S.M.J.

Anônimo disse...

QUANDO VAI SAIR O EMPR. SIMPLES?
R: MELHOR PERGUNTAR NO POSTO IPIRANGA.

Anônimo disse...

47 a 2 hehe!!
Parabéns!!!

Vamos ver se aprende.

Anônimo disse...

www.conjugador.com.br

Esperimentem colocar o vergo CHOVER para ser conjugado....

Ari Zanella disse...

Há uma "falha" no sistema do CONJUGADOR (Só Português) ao não reconhecer os verbos que são fenômenos da natureza (chover, nevar, gear,etc)
---------------------------------
Eis uma resposta dada no "Yahoo Respostas" sobre o verbo chover:

---------------------------------
´Chover´ é um verbo?

06 de novembro de 2007


Melhor resposta - Escolhida pelo autor da pergunta
Sim...

Só não se esqueça que é um verbo impessoal (ou seja, não dá pra conjugar!), que indica um fenômeno da natureza...

Frases iniciadas com verbos que fazem referência à fenômenos da natureza são classificadas como "orações sem sujeitos."

A não ser que estejam trabalhando com um sentido figurado, como: "Choveram papeizinhos coloridos sobre os soldados que desfilavam..." Sujeito simples, claro!!

Abraços!!

Sucesso!!

Anônimo disse...

Anonimo das 19:02. Retire seu pagamento do BB via orpag, solicitada a Previ.Se demorar, desvincule o INSS e receba em outro Banco.Sua conta ficará sempre provisionada. E eu nunca ouvi ninguem falar do BB ter ido à justiça para receber, porque é credito salário, que pode ser igual somente a 30% do seu salario. Esta é a garantia dele.E atrasado, alguem vai querer negociar, é claro...O ideal é a reestruturação de dividas, em 120 meses, taxa de 1%. O que exceder, eles dividem sem juros. Pelo menos, segundo a campanha salarial anterior, para os da ativa era assim. Ou você entra na justiça, com uma ação revisional.

Anônimo disse...

Ao anonimo das 6.24.Grato pela informacao..