domingo, 4 de março de 2012

NO TERMO DA VIAGEM

        Neste período de quaresma, de jejum e abstinência, vamos lembrar das últimas horas do apóstolo Paulo, o maior propagador do evangelho de Jesus Cristo.
        Pelos meados do ano 67 correu a segunda fase do processo contra Paulo. Novamente comparece o "prisioneiro do Cristo" perante o tribunal de César para ouvir sua sentença de morte. Face a face Paulo e Nero: o melhor e o pior homem do século. A virtude em algemas e o vício sobre o trono... Paulo ouve a sentença fatal com serenidade, tão realista quanto o Mestre no Getsêmane. Sabe que a morte é o último inimigo a ser vencido. "Pai, se é possível, afaste de mim este cálice, sem que eu o beba. Contudo, não se faça a minha, mas, sim a Tua vontade."
        Numa daquelas manhãs, acompanhado por algozes imperiais, é conduzido um ancião de corpo franzino, cabelo cor de neve, vestes em andrajos...Solitários, vislumbram à direita o vale do rio Tibre, do lado oposto, a Via Appia, por onde, seis anos antes, chegara Paulo a Roma pela primeira vez. Param defronte onde hoje se ergue o alvo Convento Tre Fontane (Três Fontes). Foi aqui, neste imenso silêncio sepulcral, aberto para a vastidão do mar; foi aqui que, sem a presença de um amigo sequer, caiu a cabeça de Paulo de Tarso sob o golpe da gládio romano...Foi aqui que o indômito bandeirante do Evangelho plantou a última bandeira do seu Senhor e Mestre, ruborizada com o sangue do seu coração...
        Assim morrem os heróis...Cidadão romano, só lhe convinha morrer a fio de espada. Apóstolo de Cristo, só lhe convinha morrer mártir. Nenhuma outra espécie de morte teria sido tão digna de Paulo como esta...Sozinho...Sem uma lágrima de amigo...Sem um gemido de mulher ou filho...Sem um carinho de mãe ou irmã...Sem uma alma que lhe recebesse o último olhar...Sem um coração que acompanhasse as derradeiras pulsações do seu coração...
        Ele só...com Deus...

4 comentários:

Anônimo disse...

Parabéns! Parabéns!

Mas quem seria o apóstolo Paulo nos dias de hoje?

Abraço.

Anônimo disse...

Existem muitas pessoas que se comparam com o apóstolo Paulo, nos dias de hoje.
São pessoas empenhadas a fazer o mesmo trabalho que ele fazia, sem se empenhar em assuntos do mundo: como política, guerras, nacionalismo gerando discriminação de raça, festanças e muito mais.
Inclusive na época de hitler, muitas delas se negaram a participar na saudação à ele, e também na guerra; por causa disso foram mortas em campos de concentração, eram identificadas com um triângulo roxo em seus uniformes de prisão.
Verdadeiros cristãos!

Anônimo disse...

Meu Caríssimo professor Ari.

Parabéns. Recorrendo à pergunta do colaborador acima eu diria que embora seja difícil encontrar um "Paulo" hoje, não é tão difícil encontrar um gladiador romano.

abraços Eusebio

Profº Ari Zanella disse...

É isso mesmo, amigo Eusebio. Principalmente na Previ, no BB, na Previc...