BANNER

Acesse aqui!
atendimento@anaplab.com.br
Joinville/SC: (47) 3026-3937
S.J. Pinhais/PR: (41) 3035-2095

quarta-feira, 14 de fevereiro de 2018

AETQ SÓ PARA O PLANEJAMENTO?


Notícias

08/02/2018

Você sabe o que é AETQ?

Conforme a Resolução 3792, o Administrador Estatutário Tecnicamente Qualificado é um dirigente com requisitos específicos.

De acordo com a Resolução Bacen 3792, todos os planos de benefícios administrados por entidades fechadas de previdência complementar, como a Previ, têm um Administrador Estatutário Tecnicamente Qualificado, o AETQ. Na Previ, considerando as funções estatutariamente definidas, esse profissional é o diretor de Planejamento. Conforme determina o artigo 7º, da Resolução 3792, o AETQ é o dirigente responsável pela gestão, alocação, supervisão, controle de risco e acompanhamento dos recursos garantidores dos planos e pela prestação de informações relativas à aplicação desses recursos. 
Considerando que nas próximas eleições os participantes e assistidos escolherão, dentre outros, o novo diretor de Planejamento, é importante ter em mente todos os requisitos legais necessários para concorrer ao cargo, conforme determina o artigo 15 do Regulamento de Consultas aos Participantes e Assistidos da Previ.
A Instrução Previc nº 6, de 29/5/2017, prevê que os membros da Diretoria Executiva, do Conselho Fiscal e do Conselho Deliberativo devem ser previamente habilitados para o exercício de seus mandatos, estabelecendo uma série de requisitos comuns a todos esses cargos. Para o desempenho da função de AETQ, que na Previ é o diretor de Planejamento, a resolução traz alguns requisitos específicos a serem observados: a experiência mínima de três anos (obrigatoriamente na área de investimentos) e a necessidade de ser previamente certificado por uma das instituições certificadoras previstas no artigo 7º da Portaria Previc nº 1.142, de 2017.
Ainda em conformidade com a Instrução Previc nº 6, os documentos dos candidatos eleitos para mandatos de diretor, conselheiro deliberativo e conselheiro fiscal devem ser enviados para a Superintendência Nacional de Previdência Complementar, a Previc, que emite um atestado de habilitação do dirigente. Esse atestado de habilitação precisa ser recebido pela Previ antes da posse do candidato eleito. Por isso, todos os candidatos devem apresentar no momento da inscrição da chapa, obrigatoriamente, a documentação exigida. Destacamos que para os candidatos ao cargo de diretor de Planejamento, por ser o indicado a AETQ, devem ser entregues, também, as comprovações de experiência e de certificação na área de investimentos, como previsto no Regulamento de Consultas aos Participantes e Assistidos da Previ.
A Previ entende que a qualificação de seus dirigentes e a prévia habilitação dos mesmos, na forma da legislação vigente, reforçam a boa governança e a garantia de uma gestão técnica e voltada para o cumprimento da missão da entidade.
..........................................................................
     No governo Lula foi criada a PREVIC, entidade sem nenhuma autoridade, cabide de empregos políticos, omissa na administração do Postalis, Funcef, Petros...Essa podre Entidade vem agora nos "impor" através da Instrução Previc nº 6, prévia habilitação dos membros da da diretoria e conselhos dos fundos. A PREVI obedece de pronto, considerando "legislação vigente" que devem ser seguidas. Só houve uma exceção que não foi cumprida pelo nosso fundo em relação à determinação da PREVIC: A implantação do valor do teto dos diretores.
          Já a figura do Administrador Estatutário Tecnicamente Qualificado (AETQ) cuja sigla deu um trabalhão danado aos "geniais" do Bacen pela gestão da Resolução 3792, saiu com sigla parecida com os componentes do DNA (adenina, timina, citosina e guanina, ATCG que se ligam por meio de pontes de hidrogênio), está sendo exigida na PREVI apenas para o diretor de Planejamento. Em meu modesto entendimento todos os membros da diretoria deveriam obrigatoriamente ser "Administrador Estatutário Tecnicamente Qualificado". É de se conceber que os três indicados pelo patrocinador já o sejam, incluindo o Administrador-Mor, presidente do fundo.
      Por outro lado, creio que as "instituições certificadoras" credenciadas pela PREVIC por meio da Portaria Previc nº 1.142 de 2017, sejam de alto gabarito comparadas a Harvard, Stanford, Anaheim ou Cambridge. Como é sabido, em nosso país com alta vertente comunista e socialista, cujo presidente super honesto não possuía (nem possui ainda) um certificado de nível superior, e disso se ufana; há muitas "universidades pagou-passou" ou, se quisermos descer ao nadir, os cursinhos "Walita" tão recorrentes na hora da necessidade. Examinemos, pois, os currículos dos candidatos nas chapas a serem registradas.

28 comentários:

Anônimo disse...

Professor Ari,
Tomei um baita susto com a sigla: AETQ. Pensei que significasse "aquele elemento com teto qualificado", ou seja, os SUPER TETOS que recebem 62 mil ou mais.
Isso impediria a plebe de se candidatar.
OUVINDO as vozes do tico e do teco ficou uma dúvida assaz capciosa: SE NENHUM DIRETOR TEM AUTONOMIA, DE QUE ISSO ADIANTA?
E tem mais, seria um reconhecimento de que até agora os gabaritados eram amadores?
Pensando como o incauto, devo presumir que agora sob a análise de um "especialista", o ES passará para 220X220 meses, já que é o melhor investimento da face da Terra. Você empresta para o cidadão o dinheiro dele a juros, com débito na folha de pagamento. Quem toma, é como cuspir para cima para cair na cara. E ainda fazem doce para emprestar...
É muito gabarito

Anônimo disse...

Senhores,

De um órgão criado por um CONDENADO, PELA JUSTIÇA FEDERAL, EM SEGUNDA INSTANCIA, o que esperaríeis?

Me parece, SMJ, que editam regras mas não cumprem Leis nem Mandatos Judiciais.

Também, salvo melhor análise, deixam passar aberrações, tais como os "estatutários", dentre outras, como a quebra do Postalis e o violento déficit do plano da Caixa Federal.

Quem sabe estou enganado e o professor idem, bis in idem...

Anônimo disse...

Caso tivesse TRANSPARÊNCIA no fundo há mais de três anos quando se percebeu a FALTA de certificação do ex-diretor Décio Botecchia Jr. o fundo teria a OBRIGAÇÃO de informar a NECESSIDADE de certificação no site da Entidade. Certamente alegarão que as INSTRUÇÕES são do ano de 2017. Por que exigiam ANTES então, no caso Botecchia?

Aristophanes disse...

Esse anônimo das 10:57 não devia nos privar de sua identidade. Sua inteligente mordacidade deve ser saboreada sem o tira-gosto do anonimato. Mesmo assim, nota 9,9.

Anônimo disse...

Prezado Professor,

Isso deve ser um golpe da direita reacionária ao movimento sindical, onde os mais qualificados só tem o secundário

Anônimo disse...

Mestre Ari,

Quando leio sinto raiva, muita raiva.

Anônimo disse...

COLEGAS,

A Resolução 3792 é da lavra do Conselho Monetário Nacional-CMN. O Bacen é um cumpridor de ordens do CMN, isto é, seu subordinado.

Ari Zanella disse...

16:43

That's right. Thank you.

Anônimo disse...

Fessô,

Depois desse elogio do nosso ETERNO DIRETOR, ficarei uma semana sem tomar banho e com meu pijama listrado com as cores do Glorioso Tabajara Futebol Clube.
Meu queridíssimo Diretor Aristóphanes, como fiquei feliz com o sucesso de sua cirurgia. Saiba que todos que acessam os blogues se calam quando Vossa Senhoria se pronuncia. Tanto os homens de bem quanto os demais. Sua biografia enaltece a biografia de pessoas simples como eu, de poder dizer que fui seu colega.
Sou o César e muito honrado pelo seu carinho.

Muito obrigado e que Deus o abençoe

Anônimo disse...

Colegas,

Sei que o anonimato é combatido por muitos, quem sabe a maioria, mas foi concebido na história evolutiva da humanidade.
Então estimados colegas, temos anônimos de grande quilate em nosso meio e creio devemos conserva-los.

"Ocultação de identidade e proteção de dados.
Muitos países permitem aos cidadãos ocultar a sua identidade como parte do direito à privacidade, desde que os atos cometidos não sejam ilegais. De fato, a legislação sobre a proteção de dados proíbe o uso ou armazenamento de dados pessoais, como o nome ou endereço, contra a vontade da pessoa, sendo possível exigir a eliminação dessa informação de uma base de dados (com determinados limites)".Wikipedia.

Deixai a César o que é de César, quem sabe por enquanto, por uma grande revelação.

GRANDE MESTRE ARISTOPHANES, em duas linhas uma análise perfeita.

Parabéns Colega César!

Ghost Writer


Anônimo disse...

A qualificação é um golpe da direita no movimento sindical ?
A quanto tempo os sindicatos vem dirigindo a Previ e a Cassi ?
Pelos resultados não seria correto a exigencia de qualificação ?

Anônimo disse...

au cumpaeiru matricola 15/02/2018 09:41,

çaiba qui eleissãu cem Lula cerá fralde






Carlos - Rio Pardo(RS) disse...

Sr. Ari - Bom dia. Só para informar a todos que acabou de sair o contra cheque no site da Previ.
Abr a todos.
Carlos

Josué PARANÁ disse...

Professor Ari, quero uma opinião sua ou dos colegas participantes. Fiz o ES conforme orientação dos colegas, no período apropriado para não ter desconto da parcela na Fopag seguinte. Pois bem, fiz tudo certinho e quando vi o contra-cheque, está marcando desconto da parcela do valor anterior ao renovado. Está certo isso ou pode vir a ser estornado.

Anônimo disse...

EMOCIONANTE

De uma coisa o governo Temer tem sido pródigo! A capacidade de desenterrar velhas múmias da política econômica do passado. Agora é Maílson da Nóbrega, ministro da Fazenda de Sarney, que fantasmagoricamente salta das páginas de Veja apregoando “Por Um Outro Banco do Brasil”. (Veja 2564, de 10/01/2018). Maílson apenas continua com sua saga contra o Banco do Brasil. Economista de pífia história no governo, ao assumir o Ministério da Fazenda em janeiro de 1988, Maílson afirmou que não descuidaria em nenhum momento, do controle da inflação, que não haveria nenhum pacote econômico ou "medidas heroicas", e que tentaria renegociar a dívida externa brasileira com os credores internacionais em condições tão favoráveis quanto às obtidas pelo México. Rapidamente, contudo, tornou-se claro que não seria capaz de cumprir nenhuma destas promessas. Nóbrega havia declarado que faria uma política econômica "feijão com arroz", sem "soluções miraculosas", realizando somente ajustes pontuais para evitar uma hiperinflação. Lançou o Plano Verão em 1989 e a inflação saltou para 1.972,9%. No primeiro trimestre de 1990, a inflação média mensal foi de 75,2%. Em seus 27 meses na Fazenda, conseguiu a façanha de gerar uma inflação acumulada de 120.249,7%.

O Banco do Brasil tem sido o alicerce de sucessivos governos. Corretamente serve ao país para manter a estabilidade da política econômica em épocas de crise. Exemplo de sua atuação salvadora foi no combate aos efeitos da crise internacional, desencadeada em 2008, quando o governo decidiu estimular a atividade dos bancos públicos – especialmente o BB, colocando crédito às grandes empresas e aos consumidores, sustentando muito bem o país naquela crise que veio de fora.

O Banco do Brasil tem história na economia nacional. Principal instrumento de fomento do governo, não pode ser descartado por nenhum governo, seja esse de direita ou de esquerda. Muito menos por um governo transitório, ilegítimo e altamente impopular.

Isa Musa de Noronha – Presidente da FAABB


Fonte: http://olharcoruja.blogspot.com.br/

Anônimo disse...

Valeu Ghost Writer!

Sou seu brother e seu fã

César

Anônimo disse...

Colegas,

Estarei afastado do blog do Professor Ari e da Dona Rosalina por aproximadamente 12 dias.
Viagem a Gramado/Canela-RS.

Muita saúde para todos.

Ghost Writer

Anônimo disse...

Blogger Josué PARANÁ disse...
Professor Ari, quero uma opinião sua ou dos colegas participantes. Fiz o ES conforme orientação dos colegas, no período apropriado para não ter desconto da parcela na Fopag seguinte. Pois bem, fiz tudo certinho e quando vi o contra-cheque, está marcando desconto da parcela do valor anterior ao renovado. Está certo isso ou pode vir a ser estornado.

15/02/2018 11:44

Não fiz o empréstimo, ms estou também interessado em saber a resposta.
Abraço.

ricardo o.c. albuquerque disse...

Isa,
Uma coisa que v. esqueceu. O maldito tentou transferir nosso pagamento para o dia 30 do mes. Dessa vez se f....... A justiça disse para ele: não, não, não. E êle ficou pianinho. ricardo

Anônimo disse...

16:23

Maílson foi mais um dos colegas traidores que tivemos, temos e teremos sempre.

11:44 e 15:37

Nesses casos é usual a PREVI remeter via crédito em conta o valor da parcela descontada indevidamente.

Ari Zanella disse...

Amigo Josué do Paraná,

Eu acho que deverá ser estornado. Eu liguei para a PREVI, falei com a Mônica (O Raul não estava, ele me diria com certeza) mas a Mônica é daquelas que não dá informação a terceiros. Então ela pediu para que você, Josué, abrisse um chamado no 0800 que eles iriam analisar (querem que seja a própria pessoa).

Anônimo disse...

URGENTE! MELIANTE PORTUGUÊS JÁ CONSEGUIU LIBERDADE POR LÁ.

A justiça de Portugal libertou Raul Schmidt, apontado como um dos operadores do esquema de corrupção revelado pela operação Lava Jato, após pedido da defesa, coordenada pelo advogado Antonio Carlos Almeida Castro, o Kakay.
A defesa de Schmidt conseguiu a liberação baseada em uma tese considerada "simples" pelos advogados, a não extradição de cidadãos natos. Enquanto corria o processo na Lava Jato, Schmidt, que já tinha cidadania portuguesa, obteve o status de cidadão nato.

Com a nova condição, a defesa alegou que não haveria a possibilidade de extradição de cidadão português nato e, ainda que houvesse, a Constituição proíbe a extradição de brasileiros natos em qualquer hipótese. "O Estado brasileiro não pode oferecer a necessária reciprocidade para o Estado português", disse Kakay.

Em nota, Kakay disse confiar no Judiciário e Ministério da Justiça portugueses e que uma extradição nesse caso "seria um grave precedente" e "um abalo nas relações de dois países irmãos.

(Diário do Poder)

Anônimo disse...

Já aconteceu comigo, renovei e a parcela so iria ser efetuada no proximo mes e foi debitado indevidamente, eles estornaram. O que vale é o que informa quando a pessoa renova o emprestimo quando a a prestação vai ser paga.

Josué PARANÁ disse...

Obrigado meu amigo Ari Zanela pela preocupação e por ter ligado na Previ.
Vou fazer isso. Deus te abençoe.

Josué PARANÁ disse...

Professor Ari Zanela, liguei na Previ, vai ser estornado dia 20. Mais uma vez muito obrigado, Deus lhe pague.

Luís Eustaquio Castro disse...

E os funcionários da PREVIC têm essa qualificação que está sendo exigida dos administradores dos fundos de pensão?
Em tese todos os funcionários da PREVIC deveriam ter essa qualificação e ainda muito mais já que se arvoram em fiscalizadores dos nossos fundos de previdência.

Anônimo disse...

WASHINGTON - O corregedor nacional de Justiça, João Otávio de Noronha, defendeu o pagamento de auxílio-moradia a juízes que já possuem imóveis nas cidades em que trabalham. Segundo o ministro, o benefício é tratado como "verba de natureza indenizatória" em "qualquer lugar do mundo" e também no setor privado, o que o torna isento do Imposto de Renda.

Em reportagem publicada no domingo, o Estado revelou que o Fisco deixa de arrecadar R$ 360 milhões ao ano em razão do tratamento tributário dado ao auxílio-moradia. Na prática, o benefício funciona como uma complementação salarial para magistrados que possuem imóvel próprio.

+ Auxílio-moradia custa R$ 817 milhões à União

Noronha ressaltou que o assunto será julgado pelo Supremo Tribunal Federal (STF). Em sua opinião, não há "justiça" na premissa de que os donos de imóveis não deveriam receber a verba. "Se eu gastei toda minha economia e comprei um imóvel, eu não recebo uma verba que o outro que foi perdulário, gastou, ou aplicou no banco recebe? Isso é muito subjetivo, mas eu não vou falar sobre isso porque é matéria que está sob julgamento do Supremo Tribunal Federal."

Fonte:https://www.msn.com/pt-br/noticias/brasil/corregedor-nacional-de-justi%C3%A7a-defende-aux%C3%ADlio-moradia-a-ju%C3%ADzes-com-im%C3%B3veis/ar-BBJbZhy

CORREGEDOR DE QUÊ?

Anônimo disse...

Já pensou que legal fosse possível toda essa "moçada" do bem se reunir?
Teríamos um problema para impedir a participação dos lobos na pele de cordeiro (sic) de se juntarem a nós.
Alho? O que os espantaria?