BANNER

Acesse aqui!
atendimento@anaplab.com.br
Joinville/SC: (47) 3026-3937
S.J. Pinhais/PR: (41) 3035-2095

quarta-feira, 13 de setembro de 2017

HOJE É TREZE DO NOVE

    Treze é número de partido e nove são as mãos, coincidência pura para um determinado depoimento que acontece hoje na capital de todos os paranaenses. Mas hoje não pretendo falar disso, lá estará a imprensa nacional e o blog ater-se-á a assuntos paroquiais.
    Reside na capital soteropolitana um jovem de 89 anos, beirando os 90, que possui uma disposição incomum para resolver os nossos problemas com nosso fundo de pensão. Tudo o que ele quer é reunir 10 (dez) companheiros destemidos, sem rabo preso, dispostos a acompanhá-lo. Ligou-me e já coloquei-me à sua disposição para um encontro presencial no palácio do Mourisco, do tipo cara a cara ou olho no olho. Ele garante que conseguirá vitórias sobre a maioria de nossos gargalos. Se você tiver o perfil basta contatar-me em qualquer dos correios eletrônicos da ANAPLAB.
     A única coisa de que discordei do meu dileto octogenário, quase nonagenário, é ele ter sido informado que no ES existe um "Conselho Gestor" para gerir o famoso empréstimo. Informação errada, meu caro. O gestor do ES chama-se Marcel J. Barros, mui digno diretor de Seguridade, reeleito até 31.05.2020. Porém, esse pequeno equívoco se esclarece naturalmente, até o momento do encontro. Vejo, contudo, um pequeno entrave na marcação da reunião na PREVI. Em 2013, na Novembrada, a nossa colega Leopoldina Correa conseguiu marcar pela influência do estimado colega Aldo Alfano, já falecido. Hoje não temos alguém dentro do fundo apto a fazer o meio de campo. Poderia ser a Isa Musa através do grupo Semente de União que recentemente esteve na PREVI. Poderíamos contar com o Ebenézer, o Faraco, o Tollendal etc. Entretanto, o "fera da galera" seria o nosso baiano cascudo que, segundo diz, resolveria a polêmica no ato, na exposição oral. Nada de documento para ser analisado a posteriori.
     Então fica combinado. Quem tem boca vaia Roma e ao Mourisco!
EDIFÍCIO MOURISCO, SEDE DA PREVI, PRAIA DE BOTAFOGO, RIO-RJ 

39 comentários:

Anônimo disse...

Pois agora só faltam meia dúzia, tó de botas e bombacha

Anônimo disse...

B O M B A

Os moradores do fundo da pensão da Dona Petro Lina tão fufu. Terão que cobrir um rombo de 27 bilhões. Como exemplo um morador de lá que recebe 10 mil contos terá que bancar R$ 1.924,00 por mês.



6 TÃO É DE SACANAGEM

Anônimo disse...

Petrobras pagará R$ 12,8 bilhões para cobrir rombo do Petros em 18 anos
Déficit do fundo de pensão é de R$ 27,7 bilhões; BR Distribuidora também terá de desembolsar R$ 900 milhões.

Petrobras deverá gastar R$ 12,8 bilhões ao longo de 18 anos para equacionar o déficit do Petros, fundo de pensão da empresa, informou a estatal em comunicado nesta terça-feira (12). Apenas no primeiro ano, o desembolso previsto para a empresa será de R$ 1,4 bilhão.
O acordo ainda prevê o pagamento de R$ 900 milhões pela BR Distribuidora, subsidiária da Petrobras que está no meio de um processo de oferta de ações na bolsa de valores.
Os fundos de pensão são entidades que administram a aposentadoria complementar dos trabalhadores. O Petros é o fundo dos trabalhadores da Petrobras.
Além da Petrobras, os aposentados e funcionários da empresa também terão que pagar uma taxa extra para cobrir o rombo do fundo de pensão.
O início da implementação do programa, aprovado nesta terça-feira pelo Conselho da Fundação Petrobras de Seguridade Social (Petros), está previsto para dezembro de 2017.
Sem impacto no balanço
Segundo a Petrobras, o déficit já está contemplado nas demonstrações financeiras da empresa, não impactando o resultado de 2017.
De acordo com o Petros, o déficit teve como principais causas ajustes estruturais de natureza atuarial (como atualização do perfil das famílias e melhoria da expectativa de vida dos participantes e assistidos), acordos e provisões judiciais, além de impactos da conjuntura econômica sobre os investimentos, que refletiram em rentabilidade abaixo da meta atuarial, como ocorreu com boa parte dos fundos de pensão.
O desembolso para equacionar o déficit do fundo de pensão -que será feito paritariamente entre as patrocinadoras Petrobras, BR Distribuidora e Petros e os participantes e assistidos do plano- será decrescente ao longo de 18 anos, acrescentou a estatal.
Após a aprovação pelo Conselho da Petros nesta terça-feira, o plano de equacionamento será avaliado pelo Conselho de Administração da Petrobras e encaminhado à Secretaria de Coordenação e Governança das Empresas Estatais (Sest).
Caso o Sest se manifeste favoravelmente, o plano deverá ser implementado pela Petros em até 60 dias, informou a petroleira.
Investimentos investigados
O Petros é um dos fundos de pensão que tem investimentos investigados na operação Greenfield. Na sua delação premiada, o empresário Joesley Batista revelou que pagou propina a gestores dos fundos de pensão em troca de investimentos dessas instituições nas empresas do grupo.
O Petros foi um dos fundos que investiu na Eldorado Celulose, empresa do grupo de Joesley - a companhia foi vendida no início do mês.
Quando o tema foi à tona, o Petros afirmou que estava investigando internamente os investimentos decididos durante a gestão dos dirigentes mencionados na delação de Joesley Batista e que a atual gestão está reforçando a governança e a transparência.

Fonte:https://g1.globo.com/economia/negocios/noticia/petrobras-pagara-r-128-bilhoes-para-cobrir-rombo-do-petros-em-18-anos.ghtml

geraldo mendes disse...

FÉ. POIS DEUS OS ESTÁ PROTEGENDO.
SEGUNDO MEDEIROS: "VAMOS QUE VAMOS"
E WINSTON CHURCHIL: "MINDS UP AND GO AHEAD!"

Anônimo disse...


Prof.Ari

Será que o Dr.Medeiros não poderia fazer esse meio campo,afinal ele foi eleito pela chapa 3 conselheiro suplente, tem experiência no trato. Outra questão é se conseguiremos reaver o saldo do bet que não nos foi pago. Depende de novos superavits ou é assunto encerrado? Devo e não nego, pago quando puder?

Anônimo disse...

Professor Ari,

É inadmissível que nenhum dirigente além de ser cobrado civilmente puxe uma cana dura para servir de punição exemplar. Fica esse bando de malandro posando de executivo para aprontar uma catástrofe dessas? Como pode nessa carestia, você obrigar um cidadão a cobrir um rombo por delitos cometidos por quem é estratosfericamente remunerado para administrar um patrimônio, que foi construído às custas de abdicações durante toda uma vida?
A sugestão seria todos os participantes conseguirem um jeito de se reunir longe dessas associações de M... e começarem a tomar as rédeas sem interferências desses políticos corrompidos.
Vale ressalva que a Anaplab não veste a carapuça dessas associações mencionadas.

Zé Furtado

Anônimo disse...

Professor Ari,

Tenho 55 anos, nível superior, disposição para ir. Só que tem um parêntese: não consigo manter a calma quando esses engravatados começam com lero lero e o fiapo de diplomacia que veio no meu DNA vai para o ralo. Reunião de condomínio com síndico ladrão já saí no tapa diversas vezes. Não me intimido com cargos. Aliás, na minha concepção, nenhum desses ocupantes de cargos estão neles por mérito. Não respeito nenhum deles, muito pelo contrário.
Mesmo assim se servir estou disposto a ir. Talvez esteja na hora de alguém esmurrar a mesa. Me sinto em condições de fazê-lo e segurar as consequências ...
Só avisar que mando o e-mail


Indignado babando de raiva

Anônimo disse...

Pessoal,
Estou para descobrir o motivo do "nosso mui digno diretor de seguridade", empregado nessa postagem HOJE É TREZE DO NOVE. Só imagino que tratamento receberia se ele, o Marcel, não tivesse nos tirado o BET antes do tempo, ou cumprido a promessa que fizera de tornar o referido benefício em permanente. No mínimo, "santíssimo" Marcel, "benfeitor" Marcel, sua "eminência" Marcel, etc... Por isso, repito o que aqui já disse em vezes anteriores, ou seja, nós, aposentados da Previ, somos iguais a rapariga de bandido, quanto mais apanha mais gosta, mais respeita.
Abraço

Anônimo disse...

O PETROS estaria considerando nesses numeros todos, possível (quase certo) prejuizo em investimento da INVEPAR na VIA 040 ? Essa concessão está sendo devolvida.
O governo (Previdencia) está mudando a legislação que disciplina fundos de pensão de servidores públicos. Mudança na terceirização de aplicação de recursos dos fundos. Já levaram muito "ferro".
Vamos analisar o PLP 268 melhor ? Quem é contra ?

Anônimo disse...

http://www.diariodopoder.com.br/coluna.php?i=58049191332
Governo Temer fecha agências do BB em Portugal

Anônimo disse...

Colegas, avisem a Previ que estamos no século XXI:
Até hoje, 13.09, ainda consta no site da Previ que o sistema ficará indisponível nos dias 09.09 e 10.09.
Se não há noticias, deixem em branco, é melhor.
Depois não querem que façamos crítica ao sítio da Previ, apesar do sr. Medeiros, que admiro muito, não aceitar críticas ao site da Previ.

Ari Zanella disse...

Caros colegas,

O nome do colega de Salvador é ADIEL MACHADO PEREIRA. Seu email é:

adielmachadopereira@gmail.com

Vamos combinar tudo com ele. Ele é o nosso COORDENADOR.



Anônimo disse...

Colegas,

Essa gente gestora do fundo com prejuízo, é a mesma suspeito eu, que com os diretores condenados, presos, enterraram a maior empresa brasileira.
Portanto, não vejo punição para aqueles gestores, nem agora nem nunca.
Sempre escaparão pela tangente alegando problemas conjunturais, estruturais e muitos mais.
Aí o pior, a Justiça em várias situações aceita libertá-los por questões técnicas, SALVO MELHOR JUIZO. HEIN!
E nóis hóhoho...

Anônimo disse...

Anon 12.33 Pior ainda foi que em 10.09 o sistema não estava indisponível porque eu entrei. Pensei em criticar mas desisti porque é perda de tempo.

Anônimo disse...

Nosso Brasilzão véi de guerra é um paraíso para esses lixos incompetentes. Olha o estrago que submetem às famílias?
Depois vem com o discurso imbecil da educação financeira. Mil e novecentos reais para quem ganha dez mil + imposto de renda e vai sobrar o q?
Mereciam era prisão perpétua proporcional ao sofrimento que imprimem às milhares de pessoas subjugadas.

Arrr Arrrr Arrrr

Anônimo disse...

OPERAÇÃO GREENFIELD
MPF denuncia dez por fraude no fundo de pensão dos funcionários da Caixa
12 de setembro de 2017, 19h50

O Ministério Público Federal denunciou, nesta terça-feira (12/9), dez pessoas, entre agentes públicos e empresários, por envolvimento em um esquema de desvio de verbas do Funcef, o fundo de pensão dos funcionários da Caixa. As acusações são de gestão temerária e fraudulenta e outros delitos previstos na Lei 7.492/86, que define os crimes contra o sistema financeiro. Segundo o MPF, eles aprovaram e aplicaram irregularmente R$ 141 milhões da Funcef em empreendimentos do Estaleiro de Rio Grande I e II.
De acordo com a acusação, as investigações comprovaram que 12 aportes de recursos por meio do Fundo de Investimentos em Participações RG Estaleiros, efetivados entre 2010 e 2012, acarretaram prejuízos ao fundo de pensão ao mesmo tempo que asseguraram ganhos indevidos aos sócios das empresas WTorre e Ecovix, que teriam feito parte das negociações.

Os procuradores que investigam esquemas ligados à greenfield ressaltam que, como essa denúncia se baseia na primeira fase da operação, o alvo neste momento é o grupo empresarial beneficiado pela gestão fraudulenta ou temerária. Já possível enriquecimento ilícito de gestores do fundo de pensão, da Funcef, continua sendo apurado, podendo ser objeto de futuras ações judiciais. Esta é a quarta ação penal proposta desde o início da greenfield.

O MPF estima que um prejuízo de R$ 132 milhões aos cofres da Funcef. Entre as irregularidades mencionadas estão a supervalorização dos ativos vendidos pela WTorre, fruto de um estudo que se baseou em uma estimativa inadequada das receitas e subestimou os riscos reais dos empreendimentos avaliados, resultando na “negociação de cotas de fundo de investimento (FIP RG Estaleiros) sem lastro econômico”.

Além disso, teria sido ignorados pareceres técnicos que sugeriam a realização de avaliações alternativas, e o contrato de compra foi fechado “antes mesmo da aprovação do investimento pela diretoria executiva da Funcef”. O contrato foi assinado em 2 de junho de 2010. Já a aprovação pela diretoria executiva aconteceu mais de dois meses depois, em 17 de agosto.

O MPF menciona a participação de cinco diretores da Funcef: Carlos Alberto Caser, Demósthenes Marques, Luiz Philippe Peres Torelly, José Carlos Alonso Gonçalves e José Lino Fontana que ocupavam, respectivamente a presidências e as diretorias de investimento, de participação societária e imobiliária, de benefícios e de planejamento e controladoria em exercício. Também é citada a participação do então gerente nacional dos fundos de habitação da Caixa Econômica Federal, Vitor Hugo dos Santos Pinto. Os seis são acusados de beneficiar Walter Torres Júnior (dono da WTorre Engenharia), além de Gerson de Mello Almada, Cristiano Kok e José Antunes Sobrinho (vice-presidente e sócios da Engevix). Tanto os diretores da Funcef quanto os empresários foram denunciados na ação.

De acordo com os procuradores, também pesou o fato de existirem indícios de irregularidades na escolha da empresa contratada para avaliar os ativos da empresa WTorre, vendidos à Funcef e à Engevix. Na ação, os procuradores citam um parecer da área técnica da Funcef segundo o qual “os critérios utilizados para a escolha não foram claros” e as propostas apresentadas pelas demais concorrentes não foram anexadas ao processo. Com informações da Assessoria de Imprensa do MPF.

Fonte:http://www.conjur.com.br/2017-set-12/mpf-denuncia-dez-fraude-fundo-pensao-caixa-economica

Anônimo disse...

Para os participantes ativos, a menor alíquota de contribuição adicional será de 3,20% e incidirá sobre salários até R$ 2.765,66, enquanto o maior percentual, de 20,19%, atingirá quem contribui sobre R$ 25.943,48, o máximo possível atualmente. Entre os assistidos, as alíquotas vão variar de 4,53% na primeira faixa de renda (até R$ 2.765,66) a 26,9%

Este trecho é parte de conteúdo que pode ser compartilhado utilizando o link http://www.valor.com.br/financas/5117142/funcionarios-terao-de-aportar-r-14-bi-no-fundo-de-pensao-da-petrobras ou as ferramentas oferecidas na página.
Textos, fotos, artes e vídeos do Valor estão protegidos pela legislação brasileira sobre direito autoral. Não reproduza o conteúdo do jornal em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização do Valor (falecom@valor.com.br). Essas regras têm como objetivo proteger o investimento que o Valor faz na qualidade de seu jornalismo.01


6 tão é de sacanagem

Anônimo disse...

Dá para entender? Se o BET virasse BEP não estaria bom? Não confundir cargo com ocupante do cargo. Por favor !!! Tenha santa paciência

Anônimo disse...

Cadê a MAGAZINELUÍZA do Clube de Benefícios da PREVI? Até isso!

Anônimo disse...

Meu Deus, acho que a brincadeira terá que acabar. O nosso fim será o mesmo dos assistidos do PETROS ou não? Não é terrorismo! O MPF já foi ontem para cima da FUNCEF, será que a PREVI não é a bola da vez? Vamos começar a rezar muito, pois acho que precisaremos. Boa noite.

Anônimo disse...

Exclusivo: Gabinete de Janot sabia de ligação de Miller com a JBS
Ex-auxiliar do procurador-geral é alvo de investigação da Polícia Federal por suspeita de corrupção

Para a Polícia Federal, o gabinete do procurador-geral da República, Rodrigo Janot, não só tinha conhecimento de que o ex-procurador Marcello Miller trabalhava para a JBS como sabia que ele vinha atuando “de forma indireta” no acordo de delação premiada firmado pela cúpula da empresa.

As evidências disso, de acordo com os policiais encarregados da investigação sobre uso de informação privilegiada pelos irmãos Joesley e Wesley Batista, estão em mensagens trocadas por Miller com os principais dirigentes da companhia. O ex-procurador participava de um grupo de WhatsApp com os Batista e diretores da JBS.

Uma das mensagens mais reveladoras, na avaliação dos investigadores, foi enviada pelo ex-procurador ao grupo na quarta-feira 5 de abril. Era o último dia de vínculo formal de Miller com o Ministério Público Federal. Com sua exoneração já publicada no Diário Oficial, para se desligar por completo ele só precisava concluir um período de férias atrasadas. Apesar disso, diz a PF, já estava servindo aos interesses da JBS havia algum tempo.

As trocas de mensagens mostram Miller orientando os irmãos Batista quanto à melhor maneira de proceder nas tratativas com o gabinete do procurador-geral da República para fechar o acordo de delação. A sequência começa com a advogada Fernanda Tórtima, contratada pela JBS. Ela informa ao grupo que o gabinete de Rodrigo Janot havia convocado Joesley para prestar depoimento dois dias depois. Os demais participantes estranham a convocação, porque os detalhes do acordo de delação ainda não tinham sido acertados – a assinatura ocorreria só um mês depois.

”Vamos negociar primeiro”, diz Francisco de Assis, diretor jurídico da JBS. Wesley Batista, irmão de Joesley, emenda: “Também acho que temos que negociar as penas dos outros envolvidos, grana e ter DOJ [Departamento de Justiça dos EUA] acertado para irmos para os depoimentos”.

Fonte:http://veja.abril.com.br/politica/exclusivo-gabinete-de-janot-sabia-de-ligacao-de-miller-com-a-jbs/

E AGORA MENTE LIMPA?

Anônimo disse...

$$$


Dia 13.

Vara 13

Partido 13

Dia da Cachaça


$$$$

Blog do Ed disse...

Ignorante, presunçoso, arrogante, mal-educado e mau caráter...
Edgardo Amorim Rego

Humberto disse...

Em fevereiro deste ano comprei uma TV na Magazine Luíza. Foi na cidade de Torres(RS) e infelizmente não havia muitas opções em outras lojas locais. Eles não aceitaram o cartão Visa do BB, dai tive que fazer um outro cartão Mastercard do Itaú. Ora bolas, a Previ aplicou anos atrás uma grana elevada na Magazine Luíza, por ordem da Dilma, que era muito amiga da Luíza Trajano, principal CEO da ML. Agora pergunto: o que faz o setor de marketing da Previ que faz convênio com a ML e não obriga a empresa a aceitar os cartões operados pelo BB. Será que ainda estão dormindo em berço esplêndido........?

Anônimo disse...


Os textos a seguir substituem os textos I.1 e I.2, publicados em 24/07/2017 (“Onde está o dolo?”)

Trader anônimo

TEXTO 1

II. SEGUNDA TESE: O ÚNICO OBJETIVO DO HODIERNO CAPITALISMO BURSÁTIL É TRANSFERIR RIQUEZAS


II.1. [...] A OBSERVAÇÃO DOS MERCADOS FINANCEIROS ENFRAQUECE ESTA VISÃO IDÍLICA. A "BOLHA DA INTERNET" MOSTROU COMO AS AVALIAÇÕES DO MERCADO PODEM SE DESLIGAR DA REALIDADE ECONÔMICA. QUANTO À FUNÇÃO DE FINANCIAMENTO, DEVE-SE LEMBRAR QUE, NOS ESTADOS UNIDOS, DURANTE O MESMO PERÍODO (1995-2000), A EMISSÃO LÍQUIDA DE AÇÕES PERMANECEU NEGATIVA, PRINCIPALMENTE DEVIDO AOS GRANDES PROGRAMAS DE RECOMPRA DE AÇÕES. MESMO ASSIM, O MERCADO FINANCEIRO EXERCEU UMA INFLUÊNCIA DOMINANTE NAS EMPRESAS E EM TODO O DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO! NO MÍNIMO, ESSE FATO PROVA QUE O PODER DO MERCADO DE AÇÕES TEM OUTRAS FONTES ALÉM DO FINANCIAMENTO DA ACUMULAÇÃO. [...] ENTÃO, PRECISAMOS REVER NOSSA COMPREENSÃO DAS FINANÇAS. PARA FAZER ISSO, O PONTO DE PARTIDA QUE PROPOMOS É O DA LIQUIDEZ. ESTA É, A NOSSO VER, A FUNÇÃO ESSENCIAL DOS MERCADOS FINANCEIROS. PARTINDO DA LIQUIDEZ NOS LEVA A CONSTRUÇÃO DE UMA ANÁLISE DA FINANÇA DE MERCADO MUITO LONGE DA TESE DE UMA ESTREITA CUMPLICIDADE ENTRE FINANÇAS E PRODUÇÃO.(28) (maiúsculo nosso)

Anônimo disse...

TEXTO 2

Neste sentido, perguntamos: quais são estas outras fontes do mercado de ações?

Entretanto, antes de responder a pergunta acima, parece-nos oportuno antes apresentar nossa resposta a uma importante pergunta formulada pelo economista francês Frédéric Lordon, qual seja:


[...] O segredo desta despossessão real da propriedade formal, obviamente, é sua diluição real entre uma miríade de pequenos acionistas e da captura de uma renda de intermediação por alguns poucos especialistas da gestão institucional, os únicos em uma posição para levar a cabo a reorientação da poupança, pois só eles podem usar a força exitosa da agregação. Uma vez que é melhor dizer as coisas claramente e, às vezes duas vezes por dia: a poupança dos investidores não é nada, e não tem nenhuma força. É a poupança CONCENTRADA que é tudo. E concentrada para que? Esta é toda a questão... (4)

- Em apertada síntese, nossa abordagem apresenta uma singela resposta ao questionamento, acima mencionado:

“Criar valor”!

Pergunta subsidiária: e qual o objetivo de se “criar valor”?

- Simplesmente transferir este valor criado; embora tal estratagema não crie riquezas, tal estratagema permite a transferência de riquezas. Explicando: tal estratagema permite transferir riquezas, mas não criar riquezas, pois apenas o trabalho produtivo cria riquezas. Logo, não nos parece exagerado concluir que tal transferência de riquezas é o único objetivo do hodierno capitalismo bursátil.

Pergunta ulterior: por que sustentamos que o único objetivo do hodierno capitalismo bursátil é transferir riquezas entre os participantes, ou não, desta instituição?

Anônimo disse...

TEXTO 3

- Porque as duas linhas de força em torno das quais se estruturou o novo regime de acumulação, vale dizer, – a “poupança concentrada coletiva”* e a “desregulamentação dos mercados de ativos” – são falhas maiores, como vimos na primeira tese.

* Fundos de pensão e fundos de mútuo

Corrobora nossas observações, acima mencionadas, o seguinte fragmento de texto:

[...] A ANÁLISE LEVOU ANDRÉ ORLÉAN À CONCLUSÃO DE QUE "A FORMA ‘MERCADO FINANCEIRO’ NÃO É UMA FORMA NEUTRA. A LIQUIDEZ EXPRESSA À VONTADE DA AUTONOMIA E DOMINAÇÃO DA FINANÇA. É produto de interesses poderosos. Ela responde a finalidades específicas que se sobrepõem apenas parcialmente àquelas perseguidas pelos gestores do capital produtivo. Tem conseqüências macroeconômicas gerais sobre o equilíbrio de forças que atravessa a sociedade de mercado, em especial sobre a relação entre credores e devedores como àquela que antagoniza a finança à indústria". (op. cit. page 49) (29) (maiúsculo nosso)

Anônimo disse...

TEXTO 4

Prosseguindo em nossa abordagem, vamos observar outra característica dos mercados bursateis hodiernos, conforme se segue:

Mesmo que o valor fundamental e o preço de mercado se refiram a coisas diferentes, é mesmo tentador compará-las na medida em que são ambas as avaliações do mesmo ativo. A este respeito, a observação empírica demonstra inequivocamente que as estimativas pessoais tendem a se adaptarem aos movimentos de preços. É como se um contágio se espalhasse do mercado para os julgamentos subjetivos, com o resultado de que o poder das crenças convencionais é fortalecido à medida que elas são adotadas por investidores individuais. ESTE É UM FATO IMPORTANTE, POIS MOSTRA QUE O MERCADO É UMA INSTITUIÇÃO SOCIAL HIERÁRQUICA, NÃO UMA MERA JUSTAPOSIÇÃO DE AGENTES QUE NEGOCIAM UNS COM OS OUTROS COM BASE EM IDÉIAS E DESEJOS FORMADOS SEM QUALQUER REFERÊNCIA AO QUE ACONTECE NO MERCADO. (18) (maiúsculo nosso)


Anônimo disse...

TEXTO 5

Num mercado totalmente líquido, todos os participantes são especuladores que procuram antecipar as evoluções dos preços. O preço que se forma é o resultado das expectativas sobre o futuro preço. SEGUE-SE UMA ESTRUTURA SINGULAR, CHAMADA DE "AUTO-REFERENCIAL", QUE DIFERE DO MODELO FUNDAMENTALISTA AO TER COMO NORMA NÃO UMA REALIDADE OBJETIVA EXTERNA AO MERCADO, ÀQUILO CHAMADO DE VALOR FUNDAMENTAL, MAS UMA VARIÁVEL ENDÓGENA, O SURGIMENTO DA OPINIÃO DO PRÓPRIO MERCADO. (18)
(maiúsculo nosso)

Assim, iremos sustentar que a emergência de uma “opinião do próprio mercado”, associada ao fato do “mercado bursátil hodierno ser uma instituição social altamente hierarquizada”, coincide com o surgimento de uma “manipulação continuada e planejada” no hodierno capitalismo bursátil. ADEMAIS, IREMOS DEMONSTRAR AO LONGO DO PRESENTE TRABALHO QUE SE A LIQUIDEZ CONTINUADA É O GERME DA EMERGÊNCIA DE UMA “MANIPULAÇÃO CONTINUADA E PLANEJADA”, O SURGIMENTO DA “OPINIÃO DO PRÓPRIO MERCADO”, ASSOCIADA AO FATO DO MERCADO BURSÁTL HODIERNO SER UMA INSTITUIÇÃO SOCIAL ALTAMENTE HIERARQUIZADA, É O GATILHO DETONADOR DESTA.

(18) digamo.free.fr/empirval.pdf;
(28)www.parisschoolofeconomics.com/orlean-andre/depot/publi/RAP2004tBOUR.pdf;
(29) CHESNAIS, François. Note de lecture. Le pouvoir de la finance, André Orléan, Éditions Odile Jacob, Paris, 1999 ;


Anônimo disse...

http://www.diariodopoder.com.br/coluna.php?i=58095834672

Temer não sabia que o BB está saindo de Portugal

Anônimo disse...

Só hoje fiquei sabendo que o advogado do Lula o Cristiano Zanin é sócio e genro do Roberto Teixeira que é réu na Lava Jato e compadre do Lula. A advogada que sempre acompanha o Zanin é mulher dele e portanto filha do Teixeira. Que gente!!

Anônimo disse...

Temer não sabia que o BB vai fechar suas agências em Portugal e França.

Anônimo disse...

Esse pessoal do Bebê Guloso se acha
..

Anônimo disse...

TEXTO 6

PERGUNTA: se é verdade que o surgimento da “opinião do próprio mercado”, associada ao fato do “mercado bursátil hodierno ser uma instituição social altamente hierarquizada”, significa dizer, em outras palavras, que o mercado bursátil hodierno existe não para dizer o que vale determinado ativo, mas para simplesmente dizer que enquanto houver liquidez a riqueza continuara á ser transferida?

Trader anônimo

Anônimo disse...

O Brasil viu um sujeito trôpego, ordinário e malconformado querendo engrossar com a justiça federal, enquanto esse jagodes não for colocado em seu devido lugar, do qual nunca deveria ter saído, o público vai assistir essas cenas picantes de baixa extração.

Anônimo disse...

Emérito Professor ZANELLA:


Sei que é inglório, mas acho que o ilustre metalúrgico, antes de prestar qualquer depoimento e "para que tenha validade", é bom submetê-lo ao "teste do bafômetro".

Anônimo disse...

Quando e quanto será o aumento do ES?


MELHOR PERGUNTAR LÁ NO POSTO IPIRANGA

Anônimo disse...

Resposta de um colega ao comentário do Lula sobre médico ser frio, calculista e dissimulado
"Caro Ex presidente.
Sou médico.
E sim, sou frio.
Frio o bastante para não chorar quando vejo um recém nascido morrer por falta de equipamentos e medicação nas UTIs.
Frio para não me descabelar frente a duzentas pessoas que entopem o pronto socorro logo pela manhã buscando desde uma palavra de apoio para suas crises existenciais até um procedimento que lhes salve a vida.
Frio para não sair correndo em desespero dos centros cirúrgicos onde falta sangue para a operação, onde o bisturi elétrico não funciona, onde a máquina de respiração artificial falha.
Frio para dar conforto e alento às famílias que devo comunicar a morte do parente, do pai, do filho, que faleceram pela falta de recursos desviados por políticos e empresários inescrupulosos que se unem para, "como nunca antes na história deste país", assaltar os cofres públicos.
Também sou calculista.
Calculo as chances de morrer em um assalto tentando chegar ao trabalho.
Calculo as contas que não sei se irei pagar com meu salário que sempre atrasa, isso quando sou pago.
Calculo a idade em que não mais irei me aposentar e se chegarei até lá com alguma saúde.
Calculo por quanto tempo mais poderei aguentar um plantão após o outro, quantas horas a mais além das habituais 60 por semana devo fazer para pagar a escola dos filhos, o aluguel da casa, a compra do mercado.
Sou também um dissimulado.
Finjo não ver o descalabro moral que invadiu o país.
Simulo estar contente com as condições que tenho para tratar das vidas que me são confiadas.
Me engano acreditando que haverá uma luz no fim do túnel para a Medicina no Brasil.
Mas acima de tudo, sou Médico.
Apesar de você. Apesar do PT. Apesar dos políticos que estão acabando com este país, eu vou levantar pela manhã e lutar com todas as minhas forças pelo bem de meus pacientes.
Estou livre para poder fazer isso até quando Deus o desejar.
Ao senhor, espero que pague por todo dano que fez a esta nação.
Então, de maneira calculista e com alguma dissimulação, lhe digo: Prepare-se.
O Frio lhe aguarda"

Retirado do Facebook

Anônimo disse...



http://www.anapar.com.br/?p=29468,

Notícia Preocupante


CNPC aprova transferência de gerenciamento sem garantias para os participantes

14 de setembro de 2017 em Boletins

A proposta de resolução sobre transferência de gerenciamento de planos de benefício foi aprovada na reunião desta quarta-feira (13) no Conselho Nacional de Previdência Complementar (CNPC). A Anapar apresentou voto contrário e sustentou a posição mantida desde o início das discussões, alertando para o risco aos direitos dos participantes. A Associação também chama atenção para o fato de que, no momento em que são muitos os ataques ao sistema fechado de previdência complementar, a resolução aprovada facilita a transferência dos recursos dos fundos de pensão para o sistema financeiro.

A Anapar apresentou, entre outras sugestões de alteração na proposta, três pontos, que não foram contemplados na regulamentação aprovada:

A criação, na entidade de destino, de um Comitê Gestor por plano, de caráter deliberativo;
A transferência de todos os ativos do plano, pelo preço contabilizado, proibindo-se a venda de ativos sem liquidez, desde o momento do anúncio da intenção de transferência pelo patrocinador, para evitar que tais ativos sejam levados à venda em momento inadequado, com consequentes perdas para os participantes dos planos;
Definição de que os custos com o processo de transferência sejam de inteira responsabilidade dos patrocinadores, a quem cabe a prorrogativa de pedir a transferência

“Não apenas votamos contrariamente à proposta, como também deixamos registrada nossa posição e os ajustes que considerávamos necessários para assegurar os direitos dos participantes”, afirma José Altair Monteiro Sampaio, conselheiro que hoje representou a Anapar no CNPC. A Anapar é a única entidade representativa dos participantes de fundos de pensão no Conselho.