BANNER

Acesse aqui!
atendimento@anaplab.com.br
Joinville/SC: (47) 3026-3937
S.J. Pinhais/PR: (41) 3035-2095

sexta-feira, 9 de junho de 2017

TSE NÃO VAI CASSAR A CHAPA

  Das três sessões que já tivemos no TSE chega-se à conclusão que a chapa Dilma/Temer não será cassada por esta colenda corte. Apesar dos esforços homéricos do espetacular Juiz Herman Benjamin, há outros três "juízes" que mais se parecem advogados de defesa de Temer, quais sejam Admar Gonzaga Neto (foi advogado da própria chapa Dilma/Temer em 2010), Tarcísio Vieira (substituto de Luciana Lóssio, petista de carteira) e o frágil Napoleão Nunes, que é do STJ. Admar e Tarcísio foram indicados neste ano pelo investigado Michel presidente Temer. E todos os  três são influenciados pelo Advogado-Mor Gilmar Mendes...Eta, brasilzão!
    No âmbito previano, soube da renúncia do diretor de Planejamento Zeca, por problemas de saúde. Teríamos, por consequência, novas eleições para este cargo. Ou não? Por isso, sou adepto à eleição para diretor com eventual VICE substituto que evitaria estas novas situações. No caso do Planejamento vamos para a terceira escolha! Mamma mia!!!
DIRETOR JOSÉ CARLOS REIS DA SILVA (ZECA) COMPLETAVA O MANDATO DO EX-DIRETOR DÉCIO BOTTECHIA JÚNIOR. INFELIZMENTE, O GAÚCHO ZECA TAMBÉM PRECISOU AFASTAR-SE PARA CUIDAR DA SAÚDE.

22 comentários:

JOSE ADMIR DE PAULA DE PAULA disse...

Prof. Ari,

Associados da Anaplab pagam suas contribuições em boleto bancário também? Qual é o valor da mensalidade?

Um abraço.

Aristophanes disse...

Transferido para esta postagem, por mais propriedade e atualidade.
Prezados colegas.PARTE I
Apesar de já transcorrido algum tempo, desde a postagem que o Ari Zanella fez, em 4/6, editando minha resposta ao “Anônimo das 20:41”, achei necessário voltar ao assunto, para uns poucos esclarecimentos.
Primeiramente, agradeço o tom comedido e cordial dos comentários, e ao, agora, identificado “anônimo” Paulo Cesar, reitero o meu apreço pela sua oportuna provocação, geradora de tão construtivo debate.
Sobre a “amena ditadura”, aproveito a oportunidade para alguns registros pessoais inéditos, cujas lembranças me fazem olhar os chamados “anos plúmbeos”, com realismo e compreensão. Quero dizer que a vivi sem cumplicidades, nos limites de minha cidadania e no exercício de meus deveres profissionais. Mas não fui um alienado e omisso. No começo, estive na Sudene, de 1962 a 1967, onde me identifiquei com os ideais da equipe de Celso Furtado e interagi com corretos superintendentes, civis e militares. Em postos de chefia, nunca discriminei companheiros de trabalho, por divergências ideológicas, conquanto alimentasse minhas próprias convicções liberais. Quando chamado a opinar, sempre ofereci depoimentos isentos e que muitas vezes favoreceram ajuizamentos serenos e justiceiros.
Depois, no Bandepe(1967-1971), amarguei denúncias anônimas e “patrulhamentos” dos viciados em velhas práticas, que enfrentei e corrigi com a modernização do banco estadual. Por isso, respondi a inquérito sumário militar, arquivado ao final.
No começo de 1971, apresentei-me ao Banco do Brasil, em Recife e recebi instruções para “recomeçar” em Patos(PB). Não aceitei a “promoção”, pedi licença e fui para a iniciativa privada(Grupo Nassau).
Em março de 1974, a “amena ditadura” continuava. No início do Governo Geisel fui convidado a voltar ao antigo Banco do Brasil, minha casa de origem, agora em função diretiva. Sabia das intrigas, futricas e permanentes cobiças, próprias do serpentário do poder. Em março de 1983, depois de quase 10 anos no exercício continuado de 3 diretorias(DINOR-DIPLA-DICOM/DIRIN), o nobre colega e presidente Colin, me avisa que eu não seria reconduzido. Soube, depois, que um influente general da “amena ditadura”, pedira minha saída, pelos desencontros que tivemos na gestão do rumoroso “Caso ASA”. Nada mais fiz do que defender os interesses do Banco contra os avanços de um “joesley” da época, ajudado por corretos, mas ingênuos, generais nacionalistas. Colegas vivos testemunham, ainda hoje, essa odisseia, além do livro-relatório: “A história da ASA: da crise crônica à solução”.
Esse breve e despretensioso histórico objetiva, apenas, me credenciar, com conhecimento de causa, ao uso da expressão “amena ditadura”, que usei no meu texto. A grande lição é: DITADURA, de qualquer gradação, NUNCA MAIS.
(continua)

Aristophanes disse...

PARTE II-continuaçao.
Por outro lado, não foi surpresa que minha apreciação final, favorável à permanência do Presidente Temer, até 2019, suscitasse o respeitável contraditório de vários colegas. Alguns enxergaram nos meus conceitos a tolerância ao “rouba mas faz”, enquanto outros, provavelmente, antevendo procedimento ilegal, pediram que “a lei fosse cumprida”.
Costumo ser vagaroso nos meus ajuizamentos, mormente quando não há a evidência de uma condenação, em instância definitiva. Também, não antecipo sentenças, ao calor das emoções. Aceito, compreensivamente, que me considerem pragmático, menos ingênuo e desinformado. É fundamental ter presente, sem radicalismos, que os momentos cruciais desta crise estão acontecendo no movediço campo político, na disputa pelo poder.
Aí, as diversas facções usam armas não convencionais e atacam com exageros, perdendo referências e limites legais, em meio às cavilosas versões da mídia confusionista. Instituições são distorcidas, pela ação pretensamente justiceira de agentes messiânicos, salvadores da pátria a qualquer custo.
Exatamente hoje, dia 8 de junho, de 2017, vivemos um momento histórico, em que as duas grandes democracias – no Norte e, aqui, no Sul – experimentam processos de ajuizamento que demonstram a incapacidade e a inadequação do PRESIDENCIALISMO, para resolver pacifica e compreensivamente os seus erros e contradições. Enquanto, no velho continente europeu, a experimentada e pragmática Inglaterra exercita, sem descaminhos, o maleável PARLAMENTARISMO, para encaminhar e solucionar mais uma de suas provações. Daí, minha segunda lição: PARLAMENTARISMO JÁ!
Cordial abraço. Aristophanes Pereira
PS.: A douta Previ respondeu, com negativa, à proposta de ADIANTAMENTO CAPEC. Argumentos pretensamente técnicos e cavilosos. Voltare ao assunto, proximaente. JAP

Anônimo disse...

Se os 3 Poderes (Executivo, Legislativo e Judiciário) são independentes é incompatível o Presidente nomear ministros do Judiciário pela questão da independência dos poderes e principalmente porque o Presidente está sujeito a ser julgado pelo Judiciário.Os 2 Ministros indicados pelo Presidente deveriam ter sido impedidos de participar da ação.Os dois já foram com o voto pronto mas pelo menos o Tarcísio está discreto. Já o Admar está dando um show com suas intervenções absurdas causando até constrangimento.

Ari Zanella disse...

Caro colega José Admir,

Sim. Emitimos boleto bancário a quem preferir. A mensalidade é de R$20,00

Anônimo disse...

Caros Colegas e participantes,


Quando se nomeia alguém para algum cargo em todas as esferas da atividade humana, isto indica CONFIANÇA e ponto final.
Prejudicarás alguém que te deu um alce na vida ou uma condição de decidir sobre tudo e sobre todos?
Sempre os concursos foram as melhores opções, salvo melhor entendimento.




Titi Maravilha disse...

Fica Temer e viva o Brasil.

Anônimo disse...

Professor Ari,

É coincidência ou o bicho tá pegando? Por que não tirar licença-saúde? Lá não existe essa faculdade?
Será que encontrou alguns esqueletos no armário?


6 tão é de sacanagem

Anônimo disse...

E tem gente que acredita que no Brasil tudo não termina em pizza.Acho até que a pizza foi inventada aqui...

Anônimo disse...

Os sindicalistas/petistas/cutistas conseguem afastar todos aqueles que não rezam pela cartilha deles. Eles são mestres em detonar seus inimigos. Por isto não vejo nenhuma perspectiva de mudanças na Previ. Na próxima eleição(2018) eles vão colocar lá quem eles quiserem. Podem anotar.

joao trindade disse...

Infelizmente, devo concordar como o colega das 17:57.
Já vivemos numa república bolivariana declarada. Aqui, todas as cartas são marcadas e a cúpula do poder faz o que quer (exatamente como é feito na Venezuela). Não devemos nos iludir com novas figuras, com velhos ranços.

Anônimo disse...


Domínio total... e a sociedade preocupada com Brasil vs Argentina. Merece!
Quanto teremos um povo politizado e minimamente esclarecido para se indignar com esta notícia. Se fosse num país europeu, já seria o
estopim para uma comoção geral. Se isso não for obstrução à justiça, que se reconduza a presidenta ao palácio e com status de Santa:

http://www1.folha.uol.com.br/mercado/2017/06/1891704-procurador-da-lava-jato-critica-acordo-de-leniencia-entre-bc-e-bancos.shtml

MP 784, permite a Inst. Financeira fechar o acordo de leniência sob sigilo absoluto e sem delatar terceiros?
A publicação ocorreu dias depois de virem a público que o Palocci pretende delatar banqueiros e empresários. ..

hppilatti disse...

Colega das 17:57 e J. Trindade: Já registrei aqui e, continuo registrando, "Se votar mudasse alguma coisa, seria ilegal".

Anônimo disse...

Será que tornam-se argentários e depois picam as mulas?

Roberto Brito disse...

Professor Ari, demais colegas,

Para quem não leu, reproduzo minha participação nesse Blog em 05/06/2017, quando comentei o artigo AMANHÃ É O DIA "D"

Blogger Roberto Brito disse...
Senhores,

Não é tão fácil assim como a matéria desse blog apregoa, de bate-pronto, vapt, o Brasil foi expiado e o anjo vingador colocará os espíritos maus no fogo eterno do inferno; calma! apesar do país ser a terra de Macunaíma, um Tribunal que se preze não vai agir a toque de caixa, portanto, a Justiça é ritualista, haverá todo um procedimento, com direitos, acusações e ampla defesa, o chamado contraditório. Portanto, vamos aguardar no que vai dar e se privar de sair comemorando antes da hora, que afinal, todo cidadão é livre até prova em contrário, após isso, tudo que se disser ou achar é prematuro e nos parece astultícia infantil.

05/06/2017 14:19

Anônimo disse...

Para quem não acredita que vivemos no país das pizzas, que é onde tudo acaba, está aí o resultado de mais um julgamento (?).

Anônimo disse...

Parabéns aos colegas que comentaram após 14.10 por terem ignorado aquele comentário.

JOSE ADMIR DE PAULA DE PAULA disse...

Pessoal,
Sou a favor das mudanças que Michel Temer está pretendendo implantar nos fundos de pensão, principalmente na Previ, cuja administração tem sido desastrosa para os assistidos do plano de benefício nº 1. Esses sindicalistas, cutistas, ligados ao PT, tem mais é que largar àquela instituição! Cadê a distribuição dos superavits a que todo ano tinham direito seus associados?! Por que cortaram o BET ? Por que os aposentados voltaram a contribuir com o fundo? Portanto, que venha logo essa reforma. Pior que está não fica.
Um grande abraço a todos.

Rosa disse...

Uma pergunta, quem o sr. colocaria no lugar do Temer?

Anônimo disse...

Até caiex com uma comissão merreca voltou trabalhar com ponte de safena ...

Ari Zanella disse...

18:34

Qualquer brasileiro honesto, sem qualquer suspeita com corrupção, sem vícios ou ligação com a política até hoje engendrada. Não sei se vai ser fácil encontrar, notadamente se a escolha partir de um congresso completamente viciado. Como tem que ser alguém filiado a partido político (mínimo há seis meses) eu tenho os nomes de Joaquim Barbosa, Delfim Neto ou talvez o próprio Henrique Meireles...

Anônimo disse...

Pois é. Brasileiro não sabe mesmo votar.