BANNER

Acesse aqui!
atendimento@anaplab.com.br
Joinville/SC: (47) 3026-3937
S.J. Pinhais/PR: (41) 3035-2095

quarta-feira, 3 de maio de 2017

OS POLÍTICOS E SUAS MAZELAS

   O maior fundo de pensão da América Latina, a nossa PREVI, não está imune às mazelas (maus zelos) daqueles que maquinam o mal e visam a obter em cima de nós benefícios próprios para si ou para o patrocinador.
      O nascimento da resolução CNPC Nº 26, de 29.09.2008, quase na metade da segunda gestão do governo Lula, concedendo metade dos nossos superávites ao patrocinador do fundo, decisão que se opôs frontalmente à Lei Complementar 109/2001, é a prova inconteste de que políticos aproveitadores lançaram-se, de corpo e alma, sobre benefícios alheios.
       A saneadora operação Lava Jato que já detectou a ilícita relação dos políticos com as construtoras (Odebrecht no topo, havia até um departamento estruturados de pagamento de propinas) deveria investigar mais a fundo essa relação do grupo então dominante, o "amigo", o "italiano" e o "pós-Itália" (um dos quais está preso em Curitiba) com essa resolução 26 que nos subtraiu milhares de milhões de reais.
Ressalte-se que os dirigentes de nosso fundo nada podem fazer contra as ordens que emanam do poder central de Brasília. Os dirigentes são nomeados e precisam executar as ordens que vêm de cima. Caso não o fazem, são sumariamente descartados. E quem iria desprezar um provento mensal de mais de R$50.000,00?
       Felizmente, já houve manifestação de primeira instância, na 13ª Vara Federal do Rio de Janeiro, plenamente a nosso favor. Foi o reconhecimento inicial de que agiram desonestamente os políticos envolvidos na resolução 26 em prejuízo gritante aos aposentados e pensionistas do Plano de Benefícios Nº 1 da PREVI.
        Agora nos resta aguardar os trâmites legais para manifestações dos órgãos envolvidos. Vamos seguir confiantes que o Brasil esteja, com o auxílio fundamental da Lava Jato, sendo colocado novamente nos trilhos.


8 comentários:

Jurandir Jura disse...

Colegas, Ari, alguém poderia me ajudar a encontrar o reg pb1 vigente em 10/1980 no site da Previ? E pergunto: é mais vantajoso do que o de 12/2007, aposentei-me em 01/2008. Estou com ação para incorporar 7ª e 8ª horas extras,, em fase de liquidação, e os calculos da Previ, homologados pelo juiz, gracas a um perito inidoneo, omitem os beneficios criados em 2007 e incoroporados em 2010. O vlr total que eu terei que receber segundo os calculos da Previ é de menos de R$ 10 mil e o valor a incorporar ao beneficio é ridiculos R$ 50,00. Estudei bem o reg e alteraçoes posteriores e sei bem que o real é bem maior. Mesmo assim, estou na iminência de ver meus direitos escalpelados devido à má-fé da PREVI. Como diria o prof. ARI - HELP ME!

Ari Zanella disse...

Caro Jurandir,

O Gilvan deve ter todos os três regulamentos em seus arquivos. Já enviei a ele seu comentário. Todavia, esclareço que as datas mencionadas por você possivelmente não estão corretas. O Estatuto/Regulamento é de 03/80 e o último é de 12/1997. Amanhã tenho o parecer do Gilvan.

Jurandir Jura disse...

Legal, Ari. Esclareco datas: 10/1980 é a data de minha admissão e, creio, o regulamento vigente era de 03/1980. Sai em 01/2008 e o regulamento vigente era o de 12/2007. Qualquer colega que queira informações de como a Previ prepara seus calculos, feitos principalmente para confundir tanto peritos, juizes e até mesmo a parte reclamante, priciplamente os pos 1997, talvez eu pissa ajudar relatando meu caso. Repito, meu caso está em fase de liquidação e trata-se de incorporação de hr-extra, mais gratif de caixa, à base de calculo do beneficio. Obrigado.

gasampa2012 disse...

Jurandir como podemos corresponder?

Jurandir Jura disse...

Gasampa2012, pode ser facebook Jurandir Cassimiro, inbox.

Ari Zanella disse...

Amigo Jurandir,

O Gilvan pediu que mandes um email para ele que ele te responderá:

tesouraria@anaplab.com.br

Ou pode também ligar para 41 - 3035-2095

Blog do Ed disse...

Entendo que mais que os citados há, infelizmente, funcionários, ou antigos funcionários do próprio Banco, que se tornaram líderes trabalhistas e políticos, diretamente responsáveis pelo aviltamento da situação financeira do aposentado e da pensionista do Banco do Brasil. Há deles que se acham já enredados em suspeitas consistentes de espertezas financeiras... outros andam por aí impávidos, desfilando importância, poder e prestígio político...Amor
Edgardo Amorim Rego

Jurandir Jura disse...

Agradeço profundamente sua atenção. Melhoras breve.