BANNER

Acesse aqui!
atendimento@anaplab.com.br
Joinville/SC: (47) 3026-3937
S.J. Pinhais/PR: (41) 3035-2095

quarta-feira, 31 de maio de 2017

RICARDO FLORES SE MANIFESTA

   Bastou o ex-presidente da PREVI, Sr. Ricardo José da Costa Flores ter sido noticiado pelo site O Antagonista para fazer uma espécie de Manifestação livre de sua defesa. O blog colabora com a divulgação no intuito de chegar ao conhecimento dos associados. 
A propósito, o referido inquérito busca conhecer a fundo uma transação imobiliária em Brasília feita por Flores, "considerando (conforme a Portaria lavrada em 23 de março de 2017) denúncia de suposta lavagem de dinheiro, tendo em vista que Ricardo Flores teria comprado imóvel em Brasília-DF, em valor acima do declarado inicialmente, utilizando recursos provenientes de financiamento feito junto à PREVI, e fazendo uso de empréstimo suspeito, junto a empresário." 

Ex-presidente da Previ: "A imprensa utilizada para fins obscuros"

Brasil 30.05.17 17:21

Ricardo Flores, ex-presidente da Previ, enviou a seguinte nota:

"Na presente data, tomei conhecimento de veiculação de nota pela 'O Antagonista'.
Esclareço que, por vontade própria, de forma antecipada, mais uma vez apresentei todos os esclarecimentos necessários acerca da aquisição do meu imóvel residencial à ilustre autoridade policial, a fim de que a verdade sobre os fatos seja escancarada, bem como as suas motivações reveladas. Fato, outrora, amplamente esclarecido, e arquivado pelas autoridades competentes.
De forma inescrupulosa, agora por meio desse respeitável veículo, a imprensa é utilizada para atingir fins obscuros.
Rejeito a mais esta tentativa de vinculação do meu nome a fatos que não me dizem respeito. Informo, ainda, que há investigação policial em curso a apurar a participação de ex e atuais integrantes do Banco do Brasil e de detetives particulares na obtenção ilegal e divulgação de informações privadas e do meu sigilo bancário e fiscal.
Os números da Previ, durante a minha gestão, falam por si e são do conhecimento do mercado e, principalmente, dos seus associados, com superávits e pagamentos de benefícios extras aos seus participantes, dentro das normas e regras vigentes, como reconhecido em relatório final da CPI dos fundos de pensão e no âmbito da 'Operação Greenfield', pela Polícia Federal e Procuradoria da República.
Eram esses os esclarecimentos, que espero ver reproduzidos, em respeito aos jornalistas e leitores desse prestigiado espaço da mídia brasileira."

NA FOTO, O GOVERNADOR DA BAHIA JACQUES WAGNER(À ESQUERDA) RECEBE O ENTÃO PRESIDENTE DA PREVI, RICARDO FLORES(À DIREITA) 

terça-feira, 30 de maio de 2017

BRASIL POLUTO

   Democracia manchada. Pelos menos uma centena das últimas eleições no Brasil, considerando presidenciais, estaduais e municipais, foram vencidas pelo poder econômico, irrigado com propinas de corrupção, mais conhecidas como caixa dois.
     O caso mais emblemático, talvez tanto quanto ao petrolão, foi o da JBS a qual teria financiado mais de mil candidaturas nos diversos níveis. Esta empresa cresceu estrondosamente na última década, tendo sido financiada em mais de oito bilhões de reais do BNDES (banco público de fomento). E nesse tempo todo o governo brasileiro foi do PT coadjuvado por outros partidos. Na delação de Joesley, quem mais pagou o pato foi Michel Temer, mais o neto do Tancredo Neves. Justo quem estava no comando da nação e tentava atrapalhar a Lava a Jato. Mal sabiam que todos que estão nesta operação, dificilmente irão sair ilesos.
     Quando iremos chegar ao final deste filme de espionagem, terror e drama ao mesmo tempo?

sábado, 27 de maio de 2017

A VELHA E BOA RENDA FIXA

 Nesta semana o nosso fundo de pensão voltou ao noticiário pela simples venda de um imóvel comercial numa das regiões mais valorizadas da capital de São Paulo.   É bem verdade que o investimento em imóveis é bem mais seguro do que a renda variável. Porém, dando o meu pitaco, não há investimento melhor para o nosso PB1, fechado e finito, do que a segura renda fixa.
   Importante lembrar que a meta estabelecida para o nosso plano é de 5% ao ano mais a inflação anual do INPC. A previsão do  INPC para 2017 é + ou - 4%. Como nestes 9% estão incluídos os 5% de rentabilidade mínima exigida de uma EFPC, toda aplicação que exceder os 9% ao ano, torna-se lucro líquido e certo.
   O fundo de pensão Valia tem 80% de seu ativo aplicado em renda fixa. E continua pagando até hoje a distribuição de superávit (25%) na folha de todo seu associado.
   Repito sempre que a nossa PREVI não pode ter a estrutura que mantém. É muita gente administrando sem necessidade. As despesas administrativas estão muito elevadas. Possui estrutura maior que a de muitos bancos, sem ter nenhuma agência aberta. Bastava uma comissão de administradores eleitos pelo corpo social, votados de uma lista de 50 notáveis (economistas, técnicos, MBA, etc) com salários que não ultrapassassem os 25.000 reais, com o restante, principalmente as aplicações, terceirizadas no BB ou outro banco, quem mais pagasse...
   É evidente que vou ser contestado pelos que habitam o Mourisco. Todo mundo lá acha que o melhor dos mundos é a estrutura que está imperando, que não exige nenhuma mudança. Estranho se não houvesse este posicionamento.
   Mesmo assim, vou continuar malhando em ferro frio. Um dia, quem sabe, os ventos mudem e nós, associados, possamos viver melhores dias. A esperança é a última que morre.
A PREVI NÃO TEM NECESSIDADE DE UM MODELO EMPRESARIAL QUE VISA, BASICAMENTE, AO LUCRO. NOSSA MISSÃO É APENAS PAGAR APOSENTADORIA, SEM SERVIR  DE MODELO DE GESTÃO.

quinta-feira, 25 de maio de 2017

REFORMAS CONTESTADAS

    A reforma agrária, objetivo maior do MST - Movimento dos Sem Terras, comandado pelo revolucionário João Pedro Stédile, está até hoje sem alcançar seu objetivo, embora tivéssemos tido 13 anos de governo petista, o preferido do MST sem, contudo, ter cumprido a grande reforma pela qual todos  os trabalhadores rurais ansiavam. Se, contudo, não houve reforma agrária, o MST foi agraciado com muitas outras benesses financeiras pelos governos do PT, tanto que virou até um braço armado do partido, à semelhança da CUT - Central Única dos Trabalhadores.
     Ontem Brasília ferveu com atuação de vândalos e delinquentes. Dentro do Congresso os petistas e pecedobistas com o apoio da Rede obstruem no bate-boca e no tapa as reformas trabalhistas e previdenciárias. Do lado de fora, os vermelhos destroem patrimônio público como se a violência fosse a solução...
    Inclusive o glorioso Exército foi chamado para abrandar os ânimos exaltados. Para o PT, PC do B, tirar a Dilma foi golpe, que não acontece no caso de Temer, eleito na mesma chapa. Até aí, normalíssimo. O que causa espécie é pedirem "Diretas Já!" como se não vivêssemos uma democracia com eleições livres e diretas!
     Deixamos de ter uma oposição política e passamos a uma oposição ao país. As reformas que estão no Congresso ficaram mais distantes de serem aprovadas.
      Renuncie logo presidente!

quarta-feira, 24 de maio de 2017

DEDO NO GATILHO

    Há uma verdadeira torre de Babel em Brasília, clima de desentendimento, partidos de oposição querendo trancar toda a pauta no congresso, inclusive temas relevantes ao povo como a votação da MP que autorizou o recebimento das contas inativas do FGTS. No Congresso já foi aprovada, faltando agora o Senado aprovar.
   Não se pode atropelar a pauta de funcionamento das casas legislativas. O presidente Temer terá seu julgamento, o primeiro agora em 06.06 pelo TSE ocasião em que a chapa Dilma-Temer pode ser cassada. Em caso negativo, o pleno do STF poderá fazer o seu julgamento. Paralelamente, há vários pedidos de impeachment em curso, um deles pela OAB nacional. Há de se ter paciência para esperar os julgamentos, haja vista que atual presidente não vai renunciar.
    A situação é muito delicada. Se a crise se agravar pela intolerância, corremos sério risco de uma intervenção militar, apesar dos mais de 40 anos da saída do último general do comando da nação. É bem provável que a continuar os desentendimentos, agressivos e sectários, poderá haver uma intervenção que duraria até as eleições de 2018. O dedo pode estar no gatilho, será?

terça-feira, 23 de maio de 2017

A PROBIDADE ESTÁ DENTRO DE CADA UM

    Uma nação é feita por homens. O homem procede conforme sua formação, sua índole, sua ética e moral. Nem todo ser humano é mau mas a maioria é. Os políticos brasileiros são a prova viva de que falamos a verdade.
    Conheci em nosso meio pessoas de mentalidade tão tacanhas que foram por mim abandonadas simplesmente porque deixaram dominar-se pelo desejo insaciável de "ter" sempre mais em detrimento do "ser" simples e bom. Este assunto está no contexto nacional clareado solarmente pela operação Lava a Jato. O dinheiro é uma obsessão que não tem limites: quanto mais se tem, mais se deseja ter.
     Jesus Cristo nos alerta sempre para o perigo do amor ao dinheiro. Lembramo-nos da parábola do jovem rico (Mt 19:16). Jesus também nos alerta para o pequeno número de salvos expresso no evangelho de Mateus, capítulo 14, versículo 22. Ou, ainda, no conselho dado "Entrai pela porta estreita porque larga e espaçosa é a porta que conduz à perdição. São muitos o que entram por ela. Quão estreita e apertada é a porta que conduz à vida eterna! São poucos os que a encontram!" (Mateus 7:13)
     Por conclusão, considerando este "mar de lamas" que o Brasil vive, podemos afirmar com toda a segurança que viveríamos tempos melhores se tivéssemos homens (ou mulheres) honestos e probos dirigindo nosso país. Pessoas que não dissimulassem, que saíssem de cena ao menor sinal de improbidade. Mas o mundo é dominado por Satanás até que venha a glória e o reino de Deus que destruirá o maligno com um sopro de Sua boca...

domingo, 21 de maio de 2017

O CONTRADITÓRIO

    O texto abaixo, de autor desconhecido (Edvaldo Bastos, repassando o que afirma ter recebido do "Whatsapp") não representa a opinião do blog. Está sendo colocado aqui como contraponto às surpreendentes declarações do sr. Joesley Batista, um dos donos da JBS, uma empresa que tem dez anos de idade. A Rede Globo tem sido incisiva ao disparar seu arsenal contra o atual ocupante do Palácio do Planalto. Neste ponto, uma ponderação contrária é sempre bem-vinda pois sempre deve coexistir acusação e defesa a fim de que possamos analisar os fatos como de fato são. O que me assusta é o modo como a "Lava a Jato" - via Ministro Edson Luís Fachin - agiu neste caso específico. Principalmente pelo indulto concedido à empresa e a seus sócios...

Maracutaia

Data: 19/05/2017 21h53min32s UTC

19/05/17 18:44:20: Edvaldo Bastos Tim: Repassando o que recebi pelo Whatsapp

O QUE REALMENTE ESTÁ ACONTECENDO.

Vamos aos Fatos:

- A JBS recebeu 1 bilhão do BNDES no governo Dilma.

-Joesley é amigo de Lula e fez negócios com filhos de Lula.

-Joesley armou toda a situação, inclusive tentou induzir Aécio a se incriminar, colocando palavras em sua boca, quando disse que “precisa ser alguém que pode matar depois”.

-Joesley armou um possível pagamento a Cunha, que ainda não foi comprovado.

-Joesley é quem foi a Temer informar sobre Cunha, com gravador, pra induzir Temer concordar com o esquema.

-Joesley criou uma situação de troca de favores pra incriminar Temer por favorecimento ilícito.

Objetivos:

-Derrubar Temer.
-Incriminar Aécio e associá-lo a  Sergio Moro.

-Atingir a operação lava a jato.

Quem se beneficia com isso:

Lula e o PT são os únicos beneficiados.

Lula vai se fazer de vítima e tentar se sair como perseguido por Aécio e Sergio Moro.

O que pode acontecer:

-Com Aécio, nada. Pedir dinheiro  não é crime.

-Com Temer, pode ser acusado de concordar com o “manter Cunha calado”, mas calado sobre o que? O que Cunha poderia falar para prejudicar Temer? Se o PT diz que Cunha aconselhava e aconselha Temer no governo, não tem sentido pagar um “cala boca” para um “colaborador”. Isso não fez sentido.

Quem está por trás disso:

Os amigos de Lula e Joesley Batista, da JBS.

Os fatos revelados hoje são nada mais que um esquema de assassinato de reputação, aparentemente articulado pelo próprio Lula.

É bom lembrar que essa semana, ontem mesmo, Lula foi indiciado e se tornou réu na operação Zelotes, por vender medida provisória e embolsar 6 BILHÕES, valores infinitamente maiores que os 2 milhões que Aécio pediu.

O plano é o seguinte:

Tirar Temer agora, convoca-se eleições diretas para que o Lula saia candidato antes de virar de ser condenado.

A JBS é do Lula, esses dois irmãos nada mais são do que laranja na rede de empresas.

Esse jornalista da Globo é assumidamente petista, é só entrar nas redes sociais do cara e ver as suas publicações.

Tudo acontecendo muito rápido!
A notícia foi divulgada às 19:30 de ontem pela Globo News, às 20:00 horas de ontem mesmo, já tinha dois deputados da oposição com dois pedidos de Impeachment protocolados, sem ninguém escutar os audios da delação dos irmãos.

Os vermelhos já estavam a postos na frente do Palácio Presidencial e na Avenida Paulista. A Globo News divulgando sem cessar o Impeachment certo do Temer.
Isso não cheira armação para vocês?
Um dos irmãos delatores literalmente "se picou" para Nova York com o aval da polícia responsável pelo acordo de delação, gravação, imagens, filmes e notas de dinheiro marcadas, detalhe os irmãos podem sair do Brasil sem tornozeleira eletrônica e pedir asilo político para os Estados Unidos, onde nos últimos dois anos a empresa abriu mais de 50 frigoríficos.

Essa JBS abriu em 2007 no governo Lula, foi a empresa que mais recebeu dinheiro do BNDES, cedido pelo Mantega, hoje essa JBS é a maior empresa alimentícia de Brasil em apenas 10 anos.

Essa empresa comprou a maioria dos frigoríficos tradicionais do Brasil e o Brasil virou um monopólio na área de frigoríficos.

O carinha foi visto saindo do seu apartamento em Nova York com a mulher e várias malas cheias (sabe lá o que tinha nas malas), esse depoimento é do porteiro do prédio em Nova York.

Há MUITA coisa debaixo desse tapete,  é melhor esperar…
DELATOR DIZ QUE DINHEIRO DA JBS IRRIGOU 1.829 CANDIDATOS DE 28 PARTIDOS. RICARDO SAUD DIZ QUE A EMPRESA CONSEGUIU ELEGER 179 DEPUTADOS FEDERAIS DE 19 SIGLAS.


sexta-feira, 19 de maio de 2017

MUITAS INCÓGNITAS

    Deveras muito intricante esta delação sigilosa, veloz e assistida da JBS. Antes de tudo, por que a delação partiu de uma empresa nada tradicional, muito beneficiada pelos dois governos petistas, com intensas doações de campanhas e que adquiriu em tempo exíguo grandes marcas no Brasil e no exterior?
        O colega Roberto Brito, em comentário anterior, expressou-se de um modo que abrange uma das possíveis incógnitas:
"Está rolando nas redes sociais que a JBS é de Luiz Inácio da Silva, que esses farsantes (irmãos Batista) são laranjas delle. Faz sentido, como é que um açougue de Brasília em 10 anos vira um império colossal, comprando frigoríficos mundo afora - mais de 50 só nos EUA? Seria os bilhões do BNDES? Outra pergunta que não pode ficar sem resposta: como é que é que o sujeito está respondendo inquérito na justiça federal e mora nos Estados Unidos, sequer usa tornozeleira eletrônica? Tem ou não tem jabuti atrepado? 

Que momento mais insólito para tentar um Golpe de Estado. Isso é até desumano, gente passando fome com o desemprego (mais de 20 milhões desempregados), PIB se recuperando, juros baixando, reformas quase aprovadas, enfim, a Economia dando sinais positivos e esses canalhas querendo dar um golpe. É fácil o raciocínio: derrubar Temer, convoca-se eleições diretas e o Demônio de 9 dedos aterrissa como salvador da pátria.

Mas isso não vai acontecer enquanto houver homens de bem neste país; a mentira, a corrupção, a bandalheira vermelha não pode vencer no Brasil."

     Sem desejar colocar obstáculos na Lava Jato (pareceu-me que os procuradores achavam que perdurava a resistência ao saneamento e atacaram as pessoas certas da obstrução), porém, não poderia chegar em pior momento. Tudo conspirava para a recuperação da economia, inflação sob controle, taxa Selic em queda livre, emprego ensaiando retomada etc e tal. Agora a desconfiança voltou como fantasma devastador, todos perdemos neste jogo de credibilidade.
     Agora é resolver rapidamente. No Brasil nada flui célere. Como é triste uma democracia onde poucos se julgam no direito de perpetuar-se no poder. Foi assim com Getúlio Vargas. Está sendo assim com Lula da Silva. O mais triste é que seus seguidores são fanáticos ignorantes, incapazes de reconhecer a arrogância deste ditador. Contra esse crápula a procuradoria não ativou armadilha para produzir provas.


quinta-feira, 18 de maio de 2017

BRASIL BOMBARDEADO

     O "bombardeio" veio de um dos irmãos Batista, donos da Friboi, o Joesley que está nos Estados Unidos, autorizado pela Polícia Federal brasileira em função de ameaças de morte que vinha recebendo...O principal atingido foi ninguém menos que o atual chefe do poder executivo do Brasil. E de quebra o senador tucano Aécio Neves que parece ter encerrado sua carreira.
      O envolvimento direto de Michel Temer não inocenta o ex-presidente Lula, um dos maiores políticos mentirosos que o país já viu, tampouco sua sucessora Dilma Rousseff. A vez de ambos ainda deve chegar...
      Ficou o sentimento que a Lava Jato ajudou na delação de Joesley Batista porque viu a corrupção continuar viva e ativa, aqui e agora, na figura presidencial e no líder tucano. Desse jeito, a Lava Jato mostrou toda a sua força derrotando com um só tiro (ou uma só bomba) os personagens que estavam dando sequência aos atos de corrupção.
       Ministra Carmen Lúcia deve preparar-se para assumir o comando da nação neste resto de mandato, nestes dezenove meses restantes.

JOESLEY BATISTA, RESPONSÁVEL PELO AVANÇO DA EMPRESA NO EXTERIOR, TEM 45 ANOS, É CASADO COM TICIANA VILLAS BOAS DESDE 2012 E POSSUI UM PATRIMÔNIO DE 3,1 BILHÕES DE REAIS (2016)

terça-feira, 16 de maio de 2017

A PROPOSTA SOBRE A CAPEC (II)

        Volto ao assunto, que provoquei há alguns dias, relacionado com a PROPOSTA DE ADIANTAMENTO DE RECURSOS DA CAPEC, objetivando esclarecer alguns aspectos da questão e, principalmente, oferecer elementos que sustentam a sua viabilidade, fundamentados em dados contábeis da CAPEC, disponibilizados no Relatório da Previ(2016), consoante meu entendimento e interpretação, como veremos mais abaixo.
        Sobre o mérito da PROPOSTA, compreendo o ceticismo de alguns colegas, a escassa adesão dos potenciais interessados e o desentendimento dos que enxergaram viés discriminatório, por não alcançar todas, ou mais baixas faixas etárias. Sob esse último aspecto, repito que a PROPOSTA, para sua sustentação, é erigida sobre algumas condições seletivas para os beneficiários, com destaque para: 1)Ser contratante, por algum tempo, de um plano de pecúlio por morte e (2) estar numa faixa etária que o caracterize como um idoso, para o qual o pecúlio não mais signifique, necessariamente, um legado para a família vitimada pela morte prematura do seu mantenedor.
Reconheço que a primeira condição é óbvia, enquanto a segunda carrega uma certa dose de subjetividade, e seria mais atraente se beneficiasse idosos de menor idade – digamos – a partir de 75 anos. Ressalto, entretanto, que essa condição não é estática, mas dinâmica, progressiva. O excluído, de hoje, por não ter atingido a idade piso(75 ou 80 anos) será aquinhoado, no futuro, quando alcança-la.  Portanto o benefício é proporcionado a TODOS, no devido tempo, por livre opção.
        Parece-me, ainda, que a escassa adesão dos potenciais interessados é momentânea, vez que, além de se tratar de uma expectativa de benefício, sua percepção, na volatilidade de um blog, não é tão clara, pois não é a “praia” a que comparecem os mais idosos. Vindo a se incorporar, como cláusula permanente e regulamentar, o conhecimento do benefício seria, paulatinamente, incorporado como vantagem do pecúlio CAPEC, a qual cuidaria de sua divulgação, como mais um de seus atrativos. Quanto aos céticos, paciência, faz parte...
        Dito isso, em aditamento às considerações e termos da PROPOSTA, objeto de sua postagem, em 7 do corrente, vejamos, agora, numa análise mais aprofundada, os dados e fatos que podem sustentar sua viabilidade, tendo em mãos o Regulamento da CAPEC e o Relatório PREVI-2016.
                                I.            A CAPEC não é uma entidade com personalidade jurídica própria, mas uma CARTEIRA administrada pela PREVI, sem fins lucrativos, tendo como regime financeiro(Artigo 4º  do Regulamento) o de repartição simples, com orçamentos anuais. Esse regime, como define o mesmo Regulamento( Artigo 59 -XIX) – é o “regime que fixa taxa de custeio dos benefícios contratados de modo a que produzam receitas equivalentes às despesas do exercício”.
                              II.            É importante sublinhar, aqui, o significado desse regime de repartição simples, pois ele quer dizer que a Carteira, anualmente, estimará as despesas do exercício e, para pagá-las, fixará, para as diversas modalidades de planos de pecúlio,  taxas de custeio(mensalidades) necessárias e suficientes.
                            III.            No Artigo 48, o Regulamento estabelece que “os benefícios da CAPEC serão atendidos pelas seguintes fontes de receitas: I - contribuições mensais dos participantes; II – recursos financeiros, bens patrimoniais e rendimentos por eles produzidos; III - doações, legados, auxílios, subvenções e outras rendas proporcionadas por quaisquer pessoas físicas ou jurídicas, públicas ou privadas”.
                           IV.            Com respaldo nos Artigos 50 e 51, são deduzidos do montante das contribuições  brutas, em cada exercício,  a importância de até 10% (dez por cento), para constituição de Reserva para Cobertura de Oscilações (RCO), que será destinada a garantir o pagamento de Pecúlios, sempre que as disponibilidades próprias forem insuficientes, bem como a Taxa de Administração, que objetiva cobrir as despesas administrativas da PREVI, de, no máximo, 5% (cinco por cento) do total das receitas de todas as contribuições previstas no Regulamento. Ressalve-se que essa taxa vai para o Plano Geral de Administração(PGA), como taxa de carregamento(2,5%) do Plano de Benefícios da CAPEC.(Pg.65, do Relatório Previ 2016).
                             V.            Em outro informe, nas páginas 101-105, o Relatório-Previ  registra que, no caso da CAPEC:
a)      A composição de seus recursos era de R$278.700.328,80, em dezembro de 2016 e R$225.133.605,26, em dezembro de 2015, tudo aplicado em Renda Fixa, com rentabilidades de(SELIC) 15,37% e 15,32%, respectivamente, nos anos mencionados.
b)      Além da Taxa de Carregamento(2,5%) apartada para o PGA, outros custos com a administração da CAPEC totalizaram, somente no exercício de 2016, R$1.039.237,13, em 11 rubricas. Chama a atenção o fato de que somente 2 delas – Administração/Gestão(R$302.533,55) e Aluguel da Sede(R$471.928,91) – compõem 74,52% desses custos.
                           VI.            Pouco mais adiante, nas página 107 e 122, o Relatório informa que daqueles R$278.700.328,80, em dezembro de 2016, que seriam reservas acumuladas da CAPEC, R$183.032.463, 64(65,67%) estavam aplicados na BB Gestão de Recursos DTVM S.A. e os restante R$95.667.765,16, em diversos agentes, sendo os maiores um chamado BB-CAPEC(R$36 milhões) e o Bco.BRADESCO(R$45 milhões).

Essas informações e condicionantes ajudam a entender o importante capítulo do Relatório Previ(2016), que trata do Parecer Atuarial, na parte 4,  relacionada com a Carteira de Pecúlio (Pags. 203-206). Dalí retiramos as seguintes conclusões:
a)      O volume de Contribuições Brutas alcançou, no exercício de 2016, a importância de R$289.786.414,29.
b)      Dessa importância, foram retirados quase 10%(R$28.251.708,00) para a RCO-Reserva para Cobertura de Oscilações e 2,5% (R$7.226.777,65) para Despesas Administrativas, no âmbito do  PGA-Plano Geral de Administração gerido pela Previ, restando R$254.307928,64(A).
c)       Como os benefícios pagos, no mesmo exercício, por morte, invalidez, etc., alcançaram a cifra de R$260.202.645,99(B), apurou-se um déficit de R$5.894.717,35(C), obedecido o regime de repartição simples. Entretanto, foram apurados, ainda, no exercício, entradas(R$36.734.161,68) e saídas(R$31.935.960,67), de origens financeiras, que compensadas apresentaram um saldo positivo de R$4.798.200,91(D). Ao final, o déficit ficou reduzido à importância de R$1.096.516,44 = (A-B+D)
d)      Esse algoritmo de apuração é feito a cada ano. Se houver déficit, ou superávit, a compensação é realizada mediante a utilização de recursos do Fundo CAPEC, que é onde ficam aplicadas as reservas da CAPEC, como mostrado no tópico V-a, acima.

De tudo isso, fica o entendimento de que a CAPEC tem uma eficaz concepção contábil-atuarial  e um eficiente fluxo operacional. A tal ponto que o propósito de resultado zero, implícito no regime de repartição simples, tem sido beneficamente distorcido, ao longo de muitos exercícios, gerando saudáveis reservas – seguramente aplicadas e rentáveis -  como indicam os saldos de R$278.700.328,80, em dezembro de 2016 e R$225.133.605,26, em dezembro de 2015.
Se minhas análises, constatações e interpretações não estiverem equivocadas, É INTEIRAMENTE VIÁVEL A CONCESSSÃO DE ADIANTAMENTO DE PARTE DE CADA PECÚLIO INDIVIDUAL, NAS CONDIÇÕES DE MINHA PROPOSTA, PELAS SEGUINTES RAZÕES:
·         A CAPEC tem sobeja retaguarda de recursos, aplicados no Mercado Financeiro, que a rigor escapam da regra do regime de repartição simples.
·         O valor do ADIANTAMENTO não é resgate, distribuição a fundo perdido ou aplicação de risco. Trata-se de um adiantamento, retirado de um pecúlio contratado, que será restituído quando do seu pagamento definitivo a beneficiários do contratante, por sua morte.
·         O ônus a ser suportado pela CAPEC será, apenas, o da antecipação por algum tempo dos recursos demandados pelos adiantamentos solicitados, sabendo-se que voltarão à Carteira, íntegros, quando se fizer o acerto de pagamento do pecúlio, por morte do contratante.
·         O impacto eventual de queda das reservas, será maior num primeiro momento, tendendo a se acomodar, na compensação das variáveis de saídas e entradas, decorrentes da natural estabilização do fluxo financeiro.
·         Existindo VONTADE POLÍTICA DE FAZER, nas caprichosas instâncias decisivas, os ajustes atuariais, alterações regulamentares, procedimentos contábeis e outras providências pertinentes são perfeitamente exequíveis e do domínio das experimentadas e competentes equipe técnicas da Previ, administradora da CAPEC.
Lembrando outras razões que anotei, na apresentação inicial da minha PROPOSTA, publicada pelo blog, em 7 do corrente, encerro minhas considerações e proposituras, convencido de que a introdução dessa regalia seria benéfica e oportuna, criando um diferencial de grande mérito humanitário para o Pecúlio CAPEC.


Atenciosamente, Aristophanes Pereira

segunda-feira, 15 de maio de 2017

O INFLUENTE VACCARI NETO

    De tudo que se apurou até agora na Lava Jato restou provado que o maior influenciador na aplicação dos fundos de pensão nos investimentos dos governos Lula e Dilma teria sido o ex-tesoureiro do PT, João Vaccari Neto.
    O investimento mais prejudicial à PREVI foi a participação no projeto de construção de sondas para a Petrobras chamado Sete Brasil. As notícias são de que nesta empresa houve pagamento de propinas conforme as delações. Renato Duque em sua última delação em 05 do corrente afirmou que Lula sabia de todas as operações que envolviam a Sete Brasil. Vaccari prefere morrer na prisão a delatar seus companheiros. É o que podemos chamar de companheiro fiel tal qual o outro companheiro José Dirceu.
    Vale lembrar que o investimento inicial da PREVI na Sete Brasil foi de 200 milhões de reais, sendo 120 milhões do PB1 e 80 milhões do Previ Futuro. 
     Se considerarmos que Lula criou a PREVIC, a quem somos obrigados a pagar a TAFIC para sermos fiscalizados (+ ou - 10 milhões anuais); a Resolução 26 que "doou" metade do superávit ao patrocinador; que liberou os sindicalistas para influenciar sobremaneira os fundos de pensão, chegaremos à conclusão evidente que o Lula e seus seguidores fizeram muito mal aos aposentados.
  Foi por isso que senadores, preocupados com a poupança dos aposentados, aprovaram por unanimidade o PLP 268 que cria a figura complementar do dirigente independente. A governança corporativa, por conseguinte, fica com mais uma diretoria executiva a qual agregar-se-ia com o modelo paritário existente. No papel, pode cuidar melhor de nosso patrimônio a fim de evitar futuros investimentos duvidosos. No momento, o referido projeto está na Câmara dos Deputados recebendo críticas severas da CUT e de sindicalistas que seriam os mais prejudicados com sua aprovação.
PALOCCI PRESO EM CURITIBA AMEAÇA COM DELAÇÃO PREMIADA QUE PODE COMPLICAR AINDA MAIS O EX-PRESIDENTE.

sábado, 13 de maio de 2017

ÀS MÃES DESERTORAS

    Neste dia mundialmente consagrado para homenagear o sublime ato de ser mãe, este blog presta suas homenagens àquelas mães que, por motivos que a razão desconhece, desertaram de suas nobres missões maternais. Felizmente são poucas mas uma delas foi a mãe do eterno ex-Beatle John Lennon, nascido em 1940. Seu pai desertou da marinha mercante, sua mãe o deixou para que sua tia o criasse. A música abaixo retrata sua condição de "órfãos de pais vivos".
        Algumas mães no mundo moderno, pelos mais variados motivos, agem como a mãe de Lennon. O mesmo apelo de John na música quando diz: "Mãe, não vá embora" e "Pai, volte para casa", repetido como a compará-las ao choro de criança...
            Enfim...A todas as mães guerreiras e valentes que no dia a dia enfrentam as mais adversas situações, principalmente à minha mãe, Dona Emília que hoje mora no céu, falecida em 1988, desejamos perenes felicidades neste dia comemorativo.
      EMÍLIA FRONZA ZANELLA, MÃE MINHA, VIVEU POR 75 ANOS. CERTA OCASIÃO, AINDA JOVEM, CONSERTAVA UM TELHADO EM CASA, ESCORREGUEI E CAÍ MAS EMBAIXO ESTAVA ELA, MINHA MÃE, QUE ME SEGUROU NOS SEUS BRAÇOS...

                      MÚSICA "MOTHER" (MÃE) DE JOHN LENNON.

sexta-feira, 12 de maio de 2017

BOLSA OURIÇADA

    A bolsa já atinge 67.500 pontos. Ontem quem ajudou foi o bom desempenho da ações da Petrobras que tiveram um lucro de 4,4 bilhões nos três primeiros meses do ano; mais o Banco do Brasil com lucro trimestral de 2,5 bilhões de reais.
     Neste aspecto, se todas as reformas em discussão no congresso forem aprovadas, o quadro mostrar-se-á amplamente favorável aos investimentos e à recuperação mais acentuada de nossa economia. É possível que tenhamos sucessivas elevações podendo atingir até o final do ano a casa dos 80.000 pontos, levando-se em consideração as oscilações normais do mercado. Hoje, na abertura do pregão, o índice já opera superando a casa dos 68.000 pontos.
     Vamos esperar que sejamos beneficiados pela onda benfazeja do mercado, norteando um possível superávit substancial ao final do ano. Faz-se mister que a PREVI suspenda, em vista do esperado, as contribuições dos aposentados, contribuindo assim com uma elevação mínima do rendimento líquido que, em última análise, nos traria benefícios na margem consignável, sendo possível contrair novos empréstimos simples. Bom para todos.

quinta-feira, 11 de maio de 2017

JUIZ SÉRGIO MORO FOI MAL

    Todo cidadão de bem deste país deve sentir-se um perdedor com o palanque feito pelo próprio réu no dia de ontem dentro da sala inquisitória da Justiça Federal de Curitiba. Um juiz de pulso firme jamais poderia permitir que o arrogante réu conduzisse o interrogatório a seu bel prazer. Em certo trecho o réu debochou de um papel encontrado em seu apartamento que continha dados de seu triplex. De primeira disse que nem sabia (como sempre afirma) da existência daquele documento e após dar uma olhada perguntou irônico: "Tem assinatura?" Diante da negativa de Sérgio Moro, ele sorriu ironicamente.
      O dedicado e probo juiz Sérgio Moro devia saber que pessoa corrupta, mestre na Universidade da Maldade, tem que ser interpelado de um modo incisivo, sem respostas evasivas. É dizer "sim" ou "não". Não pode responder "parece". Outro ponto foi permitir que o réu acusasse o delator: "Vive uma vida de nababo!". Como se ele, Lula, não vivesse essa mesma vida de nababo! Olha a petulância! Deslocou-se a Curitiba num jatinho de um antigo "amigo" que já havia sido condenado no mensalão, que não foi preso devido a idade avançada...
      Lula exerceu o mandato e nomeou Paulo Roberto Costa, Pedro Barusco, Renato Duque, sem conversar com nenhum deles, aliás, o único com quem pediu contas foi o Renato Duque a quem perguntou: "Você tem conta no exterior?" Ao receber a negativa de Renato Duque deu-se por "satisfeito", sequer precisou checar a informação!
      Apesar do muito já revelado (propinoduto que aniquilou a Petrobras) e confissões de pagamento de propinas em diversos lugares, inclusive "offshores", 12 milhões do Banco Shaim (Bumlai) e de inúmeros parlamentares investigados, senadores, deputados federais, Lula e seu bando, amparados por causídicos pagos a peso de ouro, querem fazer a sociedade acreditar que o seu julgamento é político, que está sofrendo perseguição política. Esta farsa devia ser peremptoriamente combatida ontem pelo juiz Sérgio Moro, mais ou menos nesses termos:
"Senhor ex-presidente, pare de insinuar o caráter político do inquérito. Isto só existe na sua cabeça. O inquérito é sobre atos obscuros de seu governo que dizimou o país com a roubalheira que o senhor mesmo devia ter combatido. A justiça brasileira cumpre apenas o seu papel constitucional de combater os crimes sejam eles claros ou ocultos. Ao Judiciário não compete fazer política. Ponha-se no seu lugar de réu apenas."
      O fato é que os partidários de Lula fizeram o impossível para dar um caráter político ao julgamento. Vieram de Brasília os conhecidos de sempre (Vicentinho, Gleisi Hoffmann, Henrique Fontana e grande elenco), sindicalistas do imposto sindical, Stedile do MST. Aliás, o MST recrutou vários analfabetos de vários estados que ali aportaram de ônibus (com tudo pago pelo MST)! Sim, o MST quer dizer "Movimento dos Sem Terra" mas pelo jeito viraram movimento pró Lula e nada mais.
      Caro juiz Moro, errastes ao não prender Lula naquela equivocada condução coercitiva. Agora, infelizmente, ninguém mais o prenderá pois "os filhos das trevas são mais espertos que os filhos da luz".
ALGUNS ENROLADOS NA JUSTIÇA DANDO APOIO A LULA ONTEM EM CURITIBA.

quarta-feira, 10 de maio de 2017

ELEITOS NÃO ECOAM ANELOS DOS ASSOCIADOS

    A proposta do doutor Aristophanes devia ser lei no Brasil. Ora, quem vive 80 anos ou mais merece o prêmio do seguro em vida, não apenas 25% mas cem por cento. No entanto, como esperado, dentro do nosso fundo não repercute assuntos de interesse dos associados porque os eleitos não incentivam os debates sobre eventuais mudanças. Analisem a frieza com que o nosso grande Medeiros tratou o assunto, até com indiferença. Apesar de tudo, ainda espero ver o assunto debatido nos conselhos.
      Verificou-se, nos poucos comentários sobre o tema, um certo desejo de não limitar o pleito pela idade. Em minha opinião, se não houver o parâmetro dos 80 anos, inviabiliza a proposta. Pereira pensou muito bem, dando ênfase que depois dos 80, o ES fica para este segmento, proibitivo devido ao exíguo prazo. Por isso, a liberação parcial de um direito (CAPEC) soa como justa, equânime e responsável.
      Reclamamos tratamento justo de parte de nosso fundo. Somos os legítimos donos do PB1, o patrocinador deveria ter influência zero nos destinos do PB1 e incentivar os eleitos à participação nos debates dos temas relevantes aos associados. Porém, na prática, acontece justamente o oposto.

domingo, 7 de maio de 2017

A PROPOSTA DO DIRETOR ARISTOPHANES

    Recebi como comentário na postagem "Proposta Simples", enviada pelo autor ao nobre Dr. Medeiros, lá publicada na postagem "Nem Tudo Está Perdido", e resolvi colocá-la na vitrine de uma nova postagem. Solicito gentilmente ao conselheiro deliberativo titular Antonio José Carvalho, de quem o amigo Medeiros é conselheiro suplente, a iniciativa de colocar a matéria em pauta nas reuniões mensais do Conselho Deliberativo - órgão máximo decisório - de nosso fundo de pensão. Segue, na íntegra, a petição perfeitamente exequível do nosso eterno diretor José Aristophanes Pereira:

Prezados Medeiros e Zanella(Fugindo ao tema da postagem)

Aproveitando a ampla publicidade dos seus respectivos blogs, que – como sabemos e comprovam as evidências – são acompanhados pelas ouvidorias do Banco do Brasil e da PREVI, dentre outros olheiros notáveis, venho fazer uma sugestão relacionada com a destinação de recursos da Carteira de Pecúlios(CAPEC) administrada pela PREVI, conforme justifico mais abaixo. Dessa forma, publicamente prestigiada por vocês, espero alcançar o ajuizamento daquelas importantes audiências, particularmente a PREVI. 
Faço, preliminarmente, algumas ressalvas:
1. Antes que desqualifiquem a minha sugestão(PROPOSTA), como estapafúrdia, lembro que, logo nos primeiros meses de sua administração, o entusiasmado Presidente Gueitiro Matsuo Genso, anunciou – acho que em Porto Alegre – o propósito de direcionar recursos da CAPEC, para usufruto, ainda em vida, por parte dos contratantes de seus respectivos pecúlios. A ideia, portanto, não pode ser chamada de estapafúrdia, haja vista os inquestionáveis atributos de competência e clarividência do bem intencionado presidente. Entretanto, como sabemos, não vingou, enterrada pelo “não pode” de regulamentos “imutáveis”.
2. Reconheço que minha PROPOSTA carrega o vício de ser em “causa própria”, vez que pretende beneficiar, apenas, um grupo de colegas, com “características singulares”, desqualificando a maior parte dos demais inscritos nos pecúlios da CAPEC. 
3. Essas “características singulares” não são, todavia, amorais, conquistadas ao arrepio das leis, ou em prejuízo de terceiros. São investimentos reais, sobejamente, acumulados; superações de tempos atuariais, tecnicamente estimados, e alcances excepcionais de longevidade, dentre outros merecimentos.
4. Por outro lado, a eventual aceitação e implantação da PROPOSTA pela PREVI, sinalizaria o começo de um período de bondades, nesses tempos em que a se anunciam auspiciosos superávits; e daria fim a um período de perdas e punições, como a extinção prematura do BET, a volta da contribuição mensal, o arrocho desarrumado da Margem Consignável, os rigores do ES congelado e anti-idosos, a rigorosa cobrança da Cesta Alimentação, sem esquecer a sequência de reajustamentos anuais, que não repõem a inflação real e solapam o poder de compra. Some-se a isso o +1% da CASSI e a crise econômica generalizada, sem precedentes, que contagiou pessoas e famílias. Deixo em separado o monstruoso desvio da Resolução 26, por ser matéria “sub judice”.
Então, vejamos a PROPOSTA:
1. Mediante solicitação do contratante de Pecúlio CAPEC, nas modalidades Morte(Executivo, Master, ou Senior) será liberado, em favor do próprio contratante, a título de adiantamento, o pagamento de até 25%(vinte e cinco por cento) do valor total do pecúlio contratado. 
2. Para fazer jus à liberação do adiantamento de que se trata, o postulante deverá ter alcançado idade igual, ou superior a 80(oitenta) anos e ser vinculado à CAPEC, em uma das modalidades acima mencionadas, ou equivalentes no passado, por período não inferior a 20(vinte) anos consecutivos.
3. Na ocorrência de morte do contratante e consequente pagamento do benefício do pecúlio, será abatida do valor a ser pago, a importância do adiantamento anteriormente concedido, em vida, ao contratante, com correção monetária igual à que tenha incidido sobre o valor total do pecúlio, pro rata.
4. O pagamento do saldo do pecúlio remanescente será feito, proporcionalmente, nos percentuais correspondentes aos beneficiários existentes, como nomeados pelo contratante do pecúlio.
RAZÕES:
Na forma do seu Regulamento, as RECEITAS da CAPEC, são decorrentes de: I - contribuições mensais dos participantes; II – recursos financeiros, bens patrimoniais e rendimentos por eles produzidos; III - doações, legados, auxílios, subvenções e outras rendas proporcionadas por quaisquer pessoas físicas ou jurídicas. Da importância total arrecadada a título de contribuição mensal, são apartados 10% (dez por cento) para constituição de Reserva para Cobertura de Oscilações (RCO) e 5% (cinco por cento) para cobrir as despesas administrativas da PREVI. Do lado das DESPESAS, além desses 15%, que não tenho como mensurar em valores absolutos, calculo que os pagamentos mensais, por mortes, invalidez e outros eventos, atinjam algo em torno de R$10 milhões, principalmente pela ocorrência, em média, de 80 óbitos segurados por mês. 
Como se vê, o Regime Financeiro de Repartição Simples, adotado pela PREVI/CAPEC não é folgado, MAS, COM BOA VONTADE, DÁ PARA BUSCAR, NAS FONTES DE CUSTEIO, OS RECURSOS NECESSÁRIOS PARA EVENTUAL COBERTURA DOS PAGAMENTOS DOS ADIANTAMENTOS, consoante estipulados na PROPOSTA. ADIANTAMENTO que NÃO É RESGATE, mas, sob alguma forma operacional, IMPORTÂNCIA QUE RETORNA. 
Além dessas razões contábeis-atuariais, pesam, a favor dos portadores de “características singulares” defensáveis qualificações, nem sempre matematicamente demonstráveis, como alinhavo a seguir:
• Considerando a idade acima de 80 anos(superior à expectativa de vida do brasileiro), identifico, pelos números da PREVI, um contingente total de, aproximadamente, 6150 colegas nessa faixa etária, potenciais postulantes do ADIANTAMENTO. Entretanto, na prática, esse contingente deve diminuir, significativamente, por razões e comportamentos diversos, tais como: não contratante do pecúlio, desinteresse, desinformação, receios, impossibilidades circunstanciais, etc. Assim, ouso estimar que cerca de 2800 poderiam solicitar um adiantamento médio de R$25.000,00, totalizando algo em torno de R$70 milhões, ao longo de um período indefinido de novos pleitos e liquidações. NÃO ME PARECE SER UM VALOR INSUPORTAVEL PARA A PREVI, TENDO EM CONTA OS BENEFÍCIOS INDIRETOS.
• Com efeito, esse adiantamento, se concedido, individualmente, significaria uma inestimável ajuda, não onerosa, para a imediata solução de muitos pequenos problemas presentes, por razões e origens diversas, na vida desses poucos milhares de habitantes do suave e inevitável Corredor da Morte. 
• Nessa faixa etária, acima dos 80 anos, o perfil do contratante do pecúlio – que não é concedido pela CAPEC acima de 56 anos de idade – é bastante distinto daquele do jovem contratante que, cautelosamente, queria proteger esposa, filhos e entes queridos, deixando-lhes um estratégico patrimônio, para minorar o eventual passamento prematuro. Hoje, octogenário, ele tem seu patrimônio resolvido, sem tanta obrigação quanto ao futuro, mas carente de valores e soluções presentes, não, necessariamente, com filhos que são pais de seus netos e, até, avós de seus bisnetos. 
• O dia-a-dia do octogenário, é uma escalada de assédios, restrições, preconceitos sociais, profissionais e domésticos, só não vivenciados, em maior ou menor gradação, por algum excepcional, inscrito no Guiness Book. Não existem oitentões “inteiros”! Até os mais saudáveis e bem aquinhoados – como eu – enfrentam tais obstáculos e angústias. Protegido por um bom plano de saúde, que paga uma medicina moderna e cara, sou um velho saudável, aos 86 anos, mas deficiente auditivo, com tremor senil, portador de um câncer de próstata, monitorado na evolução de um aneurisma de aorta, além de uma porção de pequenos incômodos e efeitos colaterais. Outros carregam decepções, incuráveis saudosismos, depressões e solidões. De que serve o conforto de um futuro pecúlio CAPEC post mortem, para proveito de alguns que ficarão alegres e agradecidos?!...
• Ademais, não nos julgamos beneficiário de benesses imerecidas e despropositadas, sem lastro contributivo. Eu e milhares de outros octogenários, contratantes do pecúlio CAPEC, pagamos, pelo regime da solidariedade, durante dezenas de anos, mensalidades, que na média poderiam significar uma reserva acumulada milionária, composta por juros remuneratórios capitalizados. 
Prezados blogueiros Medeiros e Zanella.
Animado pelas repercussões que seus blogs, certamente, ocasionarão nos ouvidos da PREVI, finalizo, sem mais acrescentar justificativas à minha PROPOSTA. Penso que seria uma oportuna e correta maneira de a PREVI oferecer um alívio não oneroso(fora do ES) aos seus mais idosos participantes, tão penalizados pelas restrições ultimamente criadas, e tolhidos, na busca de soluções alternativas externas. O título de uma atual novela da Globo – A Força do Querer – bem poderia mostrar à PREVI o caminho para as soluções inovadoras e mudanças de regulamentos. 
Cordial abraço a todos. Logo mais, impo$$ibilitado de comemorar a derrota de Le Pen, com um legítimo Bordeaux, tomo meu Cabernet Sauvignon, de Lagoa Grande, no Vale do São Francisco. 
Aristophanes Pereira.

EU, EM VEZ DO SUGESTIVO VINHO DO DIRETOR, DEGUSTO, COM MUITO PRAZER, ESTA DELÍCIA DO ATLÂNTICO BRASILEIRO. "BON APPÉTIT!"

sábado, 6 de maio de 2017

FÓRMULA SIMPLES

    Todos queremos que a corrupção acabe...Todos menos os corruptos. E dois são os pontos fundamentais pelos quais os corruptos são mantidos impunes ou, se punidos, a punição é muito branda e com centenas de recursos de defesa que arrastam os processos para 5, 10, 15 anos. Os dois pontos cruciais são: 1) Foro privilegiado. 2) Indicação política dos juízes do STF, STJ e TSE.

     Para que os leitores tenham uma sinopse clara, observem esta planilha:

8 dos 11 ministros do STF foram indicações do PT.
26 dos 31 ministros do STJ foram indicados pelo PT.
6 dos 7 ministros do TSE foram indicações petistas.

Será possível tribunais imparciais para resolver crimes que envolvam o PT?

     Nós, brasileiros, patriotas, que queremos uma nação livre, devemos lutar, sair às ruas, protestar, usar as redes sociais etc para mudar estes dois vírus estratégicos que está minando a nação como um todo.
      Vamos todos pegar juntos para melhorar nossa nação. E que Deus nos ajude a derrotar esse inimigo devastador!

sexta-feira, 5 de maio de 2017

BRINCADEIRA JUVENIL

     Combate a tanto dinheiro desviado e recuperação vultosa deste mesmo dinheiro surrupiado não pode - sob qualquer hipótese - ser considerado uma "brincadeira juvenil" por um membro tão influente do Supremo Tribunal Federal.
     Está escancarada a leniência aos atos ilícitos praticados por meliantes travestidos de políticos de parte de três grandes ministros do STF que conservam e praticam atos que são considerados legais, porém, à luz da razão e do bom senso, totalmente imorais.
      José Dirceu, pelo que fez de ilícito, merece prisão perpétua. É o mentor de todo o esquema desde o mensalão até os prolongamentos mais atualizados. Hoje, em depoimento à Lava Jato, o sr. Renato Duque afirmou categoricamente que Lula era o chefe de todo o esquema de petrolão.
    Vivemos tempos muito difíceis,  angustiantes e imprevisíveis. Não fosse nossa origem, nós brasileiros, poderíamos estar em plena guerra civil. Talvez, a poderosa Globo, em sua minissérie "Os dias eram assim" (e neles eram bons) devesse pensar noutra próxima, com o verbo "ser" mudado do pretérito imperfeito  para o futuro do presente...
   A todos um bom final de semana.
 
Lula era o grande chefe

Renato Duque afirma que Lula sabia e comandava todo o esquema na Petrobras

Duque revela que Lula comandava toda a corrupção na Petrobras. (Diário do Poder)

TAPINHAS NAS COSTAS OFUSCAM A REALIDADE

   Demonstrar otimismo em relação aos serviços prestados pelo Banco do Brasil - reconhecidamente precários e insuficientes - é, para dizer o mínimo, incapacidade de reconhecer o óbvio. Ora, se eu tenho duas situações nas quais foram aplicadas tentativas diversas de solução, sendo uma delas resolvida na agência, por meio de uma funcionária, depois de quatro tratativas, a última 30 minutos após o fechamento do horário bancário, não podem gerar expectativas de que o atendimento esteja melhorando...
     O BB está sendo mal administrado. Na maioria das agências de minha cidade, os gerentes são egressos do antigo BESC - Banco do Estado de Santa Catarina, liquidado por incompetência administrativa de seus antigos dirigentes. Na minha agência, Urbana Anita Garibaldi, veio um gerente bem novo ex-Besc, boçal e arrogante, sem visão de mercado. No meu caso, sou atendido com se fosse um joão ninguém, mesmo tendo uma renda salarial razoável, sem jamais ter desleixado em meus compromissos para com o Banco.
     O presidente do BB é escolhido pelo ministro da Fazenda Henrique Meirelles. Na reforma da Previdência, este senhor sequer buscou alternativas para aliviar o trabalhador das empresas privadas. Poderia ter buscado nas aplicações financeiras uma parte das receitas. Há aplicações que nada pagam de tributos. Ex. Letras do Tesouro. Outra parte poderia sair do setor público que recebem os melhores salários. Só que aí mexeria com a ilha da fantasia e suas mordomias.
     A classe política vai acabar com o Brasil. A reforma mais urgente é a reforma política. É a mãe de todas as reformas. Mexer em privilégios é mexer em vespeiros.
     E assim vamos desperdiçando oportunidades. Orgulha-me, para dizer que não falei das flores, desta meninada de jovens procuradores da Lava Jato. Nota mil para eles. E o zero vai para quem? Para o trio da Segunda Turma do STF (Levandowsky, Tófolli, Gilmar).