BANNER

Acesse aqui!
atendimento@anaplab.com.br
Joinville/SC: (47) 3026-3937
S.J. Pinhais/PR: (41) 3035-2095

segunda-feira, 6 de março de 2017

RESOLUÇÃO 26 - DESTRONADA POR DECISÃO DO JUIZ FEDERAL DA 10ª VARA /RJ

1-     A sábia e justa sentença do Juiz Federal, Dr. Alberto Nogueira Júnior, da 10ª Vara/RJ, depois de espancar com argumentos técnicos e lógicos a golpista Resolução-MPS-exCGPC-26/2008, flagrantemente picareta e gestada no governo Lula, restaurou a verdade dos fatos e anulou os atos irregulares praticados pela PREVIC, com base nesse documento jurídico inferior e inapropriado para derrogar normatizações consubstanciadas em leis complementares.

2-     Em comparação grosseira, a distância entre uma Resolução e uma Lei Complementar, no ordenamento jurídico, é a mesma entre um Juiz de primeira instância e um Ministro do STF, onde o primeiro pode discordar das decisões do segundo, mas é obrigado a cumpri-las por dever de ofício.

3-     Assim, uma resolução pequena e subalterna não tem cacife regulamentar, mesmo que se embrenhe por eventuais brechas na lei, para modificá-la em uma vírgula sequer, inová-la e alterar a sua finalidade, porque isso é função exclusiva do Legislativo.

4-     Então, no caso da LC 109/2001, o que a resolução 26/2008 fez foi uma interpretação impossível e despudorada para vilipendiar e pilhar a arca do tesouro dos associados da PREVI, via de artifícios jurídicos inconfessáveis, em suma, um descarado roubo muito bem arquitetado. Imposta de cima para baixo, a resolução surtiu os efeitos desejados porque contava com o aval do Chefe do Executivo Federal, dono da impunidade, naquele momento, o que dava tranquilidade para os executores dos serviços sujos.

5-     A Diretoria Executiva da PREVI que se diz respeitadora da ordem, do Estado Democrático de Direito e cumpridora das leis, jamais poderia adotar as diretrizes dessa Resolução desonesta, escandalosa e sem a mínima sustentação jurídica, onde o vozerio geral, época da sua eclosão, foi de absoluto e unânime repúdio contra a sua eficácia leviana.

6-     Por isso mesmo, os Diretores Executivos que abraçaram as regras da falaciosa resolução, na revisão do plano 1 em 2010, precisam ser indiciados e responsabilizados pelos graves delitos ilícitos cometidos, os quais redundaram em prejuízos assombrosos para os associados, superiores a R$ 7.5 bilhões.

7-     A chave mestra, a palavra mágica, para abrir o cofre da PREVI foi a “Reversão de Valores”, nefasta e astuciosa por natureza, cunhada para servir a interesses sórdidos do Governo petista, terminologia inserida no corpo da sub-reptícia e malandra resolução ora torpedeada com sucesso pela Justiça Federal (10ª Vara/RJ).

8-     O então Ministro da Previdência Social, José Pimentel, também Presidente do ex-CGPC-MPS, foi o testa-de-ferro nesse processo viciado e fraudulento que resultou no repasse dos R$ 7.5 bilhões para o BB.

9-     Na realidade, desde a edição da Resolução 26/2008 sabia-se que a mesma fora encomendada e feita sob medida para vestir o figurino da PREVI, detentora do maior patrimônio dentre os fundos de pensão, fortuna essa que despertou a cobiça do Governo, tendo por objetivo a capitalização do seu maior banco estatal (BB), com o dinheiro das aposentadorias, já que seria o mesmo que atear fogo às vestes, caso o Lula lançasse mão de recursos do Tesouro para isso, repercussão negativa que se espalharia tal qual um rastilho de pólvora a enfurecer a opinião pública, com danos a sua imagem e reputação.

10-     Por se tratar de sentença provisória, é óbvio que as partes precisam aguardar a decisão definitiva que irá pacificar essa matéria, mas o certo é que por dever de ofício o MPS, através da PREVIC e do atual CNPC, vão esgotar todos os tipos de recursos para protelar o desfecho, podendo demorar dezenas de anos e o fim de tudo isso é imprevisível. Neste particular o tempo é nosso principal adversário.

11-     Deste modo, florescendo essa possibilidade, muitos aposentados e aqui falo dos mais idosos, talvez não irão receber, em vida, os seus legítimos superávits, mas de qualquer forma, como essa ação teve origem e nasceu no seio do MPF, que se arregimentou contra a ilegitimidade e injustiça hospedadas na Resolução 26/2008, acho muito difícil e pouco provável que a sentença do MM. Juiz Federal seja reformada, daí a conclusão de que se trata de causa ganha, embora nada é garantido porque se a matéria chegar ao lento e dorminhoco STF, integrado por Ministros de várias tendências políticas e cores partidárias, tudo pode acontecer.

12-     No entanto, por se tratar de direito líquido e certo, surrupiado por esquemas maquiavélicos audaciosos, onde a esperteza da rapinagem foi o tom maior do roubo explicito, sem embargo da continuidade da ação, cujo resultado favorável aos associados é algo palpável, penso que o nobre magistrado, na sequência, poderia autorizar, a título de "Tutela Antecipada", a devolução dos R$ 7.5 bilhões embolsados indevidamente pelo BB, trazendo-os a valor presente, corrigidos na forma da lei e que esse dinheiro seja “REVERTIDO” de imediato aos seus verdadeiros proprietários, os associados, de acordo com o estipulado no artigo 20 da LC 109/2001, no qual está lavrado que os associados, originalmente, sempre foram os donos de 100% da Reserva Especial (superávits).

13-     Nessa linha de raciocínio, a legítima e justa distribuição aventada no parágrafo precedente (12) significa uma volta do dinheiro aos associados que, por força da LC 109/2001, artigo 20, nunca poderia ter destinação para fins estranhos as suas aposentadorias, uma vez que integram os benefícios do plano 1. Além disso, o que mais importa é que teria o condão de evitar o “periculum in morte” explicitado no parágrafo 11 acima, de sorte que, por extensão e direito adquirido em lei, abarcaria os 50% dos superávits que estão artificialmente em poder do Patrocinador BB.

14-     Essa distribuição dos 50% dos superávits na posse provisória do patrocinador BB, nem vai carecer de passar pelo crivo dos órgãos governamentais reguladores novamente, por se tratar de procedimento complementar à primeira revisão do plano 1, feita em 24/11/2010, oportunidade em que os associados, comprovadamente, sofreram prejuízos astronômicos de R$ 7.5 bilhões, recebendo apenas metade (50%) do que lhes era devido por direito (100%).

15-     Tudo foi feito ao arrepio da LC 109/2001, porquanto foram forçados a engolir os termos da resolução, de forma autoritária, pela PREVIC, pois, do contrário, ela alegou que não autorizaria a negociação para destinar a Reserva Especial apenas para os associados. Portanto, a inclusão do patrocinador BB na partilha do bolo foi exigência da PREVIC.

16-     Premidos por sérias dificuldades financeiras e como não sobravam alternativas, partimos para o antes pingar do que secar e, assim, entre a brasa e o espeto, a contragosto, cedemos a pressão imposta pelo órgão fiscalizador parcial, ficando patente, no entanto, a ativa participação da Diretoria da PREVI que se mostrou subserviente à PREVIC, conivente e leniente com os procedimentos arrogantes e ditatoriais do órgão chapa-branca, tanto que implementou a resolução sem contestar e questionar nada, jogando na lata do lixo a sua pretensa reputação de guardiã dos bons costumes.

17-     Qualquer estudante iniciante de Direito sabe que uma resolução inferior não tem poder de fogo contra uma lei complementar superior. É claro que a Diretoria tinha ciência das deficiências jurídicas contidas na resolução. Ademais, se não soubesse, por que não foi precavida e recorreu a sua Assessoria Jurídica, paga a peso de ouro, para emitir parecer técnico sobre a legitimidade e o alcance dessa resolução infraconstitucional criminosa?

18-     Sem dúvida alguma, a Resolução 26/2008, em face da sentença prolatada, em vigor, caiu por terra e perdeu os seus efeitos, presente que todos os seus atos foram anulados, até ulterior deliberação, assim, de modo efetivo, as 12 (doze) parcelas do BET que tiveram o pagamento suspenso e o retorno da cobrança das contribuições a favor da PREVI, a partir de janeiro/14, foram providências adotadas em consonância com o artigo 18 dessa resolução ora cancelada, isto é, que não existe mais, logo tudo ficou sem efeito, voltou a estaca "zero".

19-     Evidentemente que as medidas drásticas autorizadas acerca do BET e das contribuições agora estão canceladas e a Diretoria Executiva terá que retomar o pagamento das doze parcelas do BET e suspender a cobrança das contribuições, sobretudo porque o fundo de pensão está superavitário nos últimos anos e equilibrado financeiramente, sem risco algum que comprometa a liquidez dos seus compromissos presentes e futuros, consoante afirmou a própria Diretoria.

20-     Talvez fosse o caso de o MPF requerer ao Juízo que obrigue a PREVI a cumprir o contrato pactuado em 24/11/2010, no que tange ao pagamento integral do BET, especialmente agora que a resolução desmoronou. De outra parte, na condição de “Amicus Curiae”, alguma entidade representativa dos associados também poderia subscrever essa reivindicação junto ao Juiz Federal da 10ª Vara/RJ, caso o MPF não se disponha a fazê-lo.

21-     Por experiência própria, temos a plena convicção de que a Diretoria Executiva não tomará a iniciativa de corrigir os erros do passado, mesmo ciente de que a resolução está anulada, em processo de extinção e ardendo no fogo do inferno. A retomada do pagamento das doze parcelas do BET e suspensão da cobrança das contribuições dependerão de decisão judicial nesse sentido, como ocorreu naquele impasse, quando o IGP-DI era o indicador econômico que corrigia os benefícios e a PREVI só pagou os 31% devidos, previstos no Estatuto, depois de ordem judicial.

(Texto produzido por João Rossi Neto - Funci aposentado do BB - Goiânia - GO)


DÉCIMA VARA FEDERAL NO RIO DE JANEIRO, ONDE O MM DR JUIZ ALBERTO NOGUEIRA JUNIOR É TITULAR DESDE 29/01/2004 (13 ANOS)

78 comentários:

Anônimo disse...

Papai Noel vai trazer o trenó com o prêmio para os que estiverem vivos.

Anônimo disse...

Senhores,

Porque as associações não processam nominalmente os administradores que prevaricaram?
Medo de represálias, medo de processos?
Claro tem muita coisa que não é publicada porque fere interesses...fere o modus operandi da coisa...
Sempre o humano tenderá em ser parcial, lei de "Gerson".
JUSTIÇA ACIMA DE TUDO E DE TODOS!

Anônimo disse...

Colegas,

Mais um tempo adiante e deixarei de ser anônimo, pois não poderão processar um DEFUNTO, é o que dizem.

Anônimo disse...

Irretocável o artigo de lavra do colega João Rossi Neto, cujo conteúdo, somado ao anterior, renova nossas esperanças de eliminar totalmente a tal Res. 26/2008.

Anônimo disse...

Sugestão:
Bela explicação nesta última postagem sobre o que nos tomaram:
A ANAPLAB poderia solicitar do Juiz Federal da 10ª Vara do RJ que os diretores da Caixa (de previdencia.....) sejam ouvidos; Entrar com pedido de Tutela; Retomada do pagamento do BET e suspensão das contribuições. O momento é este.
Não vamos esperar que essa Caixa tome alguma providência, estão esperando a morte de 70% dos beneficiários em função de suas idades e a morosidade da justiça.

Anônimo disse...

Há que lembrar: a Res. 26/2008 foi assinada pelo egresso do BB, o atual Senador José Barroso Pimentel, que à época era Ministro de Estado da Previdência Social e portanto Presidente do Conselho.

A meu ver teria agido traindo os interesses de seus antigos colegas, todos participantes e assistidos das EFPC.

Quanto ao citado José Medeiros não vislumbrei seu nome no rol de ministros dessa pasta.

Ari Zanella disse...

Caro Anônimo 14:40

Já consertamos o equívoco. Obrigado.

Anônimo disse...

Como ficaria uma eventual distribuição de superávit antes do julgamento do mérito?

Cade Araujo disse...

Gente! Diante de uma peça jurídica tão rica de conhecimento. Registro a minha admiração e o meu agradecimento ao Doutor João Rossi Neto. Além do mais, vejo com alegria que a reversão corrigirá uma injustiça praticada em 2010. É sempre agradável ver uma derrota jurídica dos "poderosos", aqueles que no arrepio da lei se apropria de algo que pertence a outros. Agora, o importante é ficarmos atentos para as famosas campanhas patrocinadas pelo BB, que na calada da noite promove consultas fantasmas aos associados, cujos resultados sempre favorece a eles. Fiquemos atentos, ou melhor que o nosso brilhante Dr. João Rossi Neto tenha vida longa para nos ajudar.
Cadé

antoniomiguellangoni@bol.com.br disse...

Por favor, não se esqueçam do acordo firmado pelo BB/Previ, de 24/12/1997, quando da engenharia financeira originada pela apropriação das cotas patronais dos pdvistas, que gerou R$ 11,5 bilhões de superávit, permitindo ao BB quitar seu passivo trabalhista com a Previ, integralizando as cotas patronais dos pré-67.

Anônimo disse...

Professor, permita-me:

Queremos o BET já! Queremos o BET já! Queremos o BET já! Queremos o BET
Queremos o BET já! Queremos o BET já! Queremos o BET
Queremos o BET já! Queremos o BET já! Queremos
Queremos o BET já! Queremos o BET já!
Queremos o BET já!

Divany silveira-S.lagoas-mg disse...



''COLEGAS, TÕ QUASE COM DUAS BETs NA MÃO "

Mestre, estOu falando sério, mesmO porque com esse assunto não
há clima para brIncadeira. O caso é o seguinte: eu sOu casado
com uma BETH há 54 anos e vejO que terei outra bEt já já .en-
tAõ eu vou prA GALERA !!!

Anônimo disse...

Professor,

Para levar a cabo o item 6 se faz necessária outra ação ou basta o MP?

Anônimo disse...

Caríssimo e brilhante João Rossi Neto, parabéns! suas explicações são fantásticas, lamento que seu texto não chegue a todos integrantes do Plano 1 da Previ.

Anônimo disse...

Caro Mestre,

- tinha a nítida impressão que esse Sr.Pimentel teria sido o relator
da Res.26/008.
- ele autorizou a Res.26/008?
- Se isso for verdade, não teria que se declarar impedido,
em nome da ética ?
- caso confirmado o alerta acima, isso não reforça a idéia de que
houve, sim, um desrespeito a LEI vigente, de modo consciente e em desfavor dos participantes da Previ ?
obr.

Carlos Machado Sobrinho disse...

Graças a Deus que temos um pai protetor chamado João Rossi Neto, muito obrigado. Ao amigo Ari Zanella meus cumprimentos pelas boas e más notícias transmitidas pelo seu blog, que acompanho diariamente. Tenho certeza que, brevemente, teremos novidades boas, pois a Anaplab tomará as devidas providencias para recuperar o que nos foi surrupiado, seja judicialmente ou através de pressão sobre os responsáveis pela Previ.

Ari Zanella disse...

De: atend@previ.com.br
Enviada: 2017/03/06 13:00:47
Para:
Assunto: ATENDIMENTO PREVI

Nº de Atendimento: 72805727
e-mail:


Senhor João Rossi,

Informamos que, de acordo com o edital de licitação, publicado à época da privatização da Vale, o investimento a ser realizado pelos fundos de pensão deveria ser por meio da Valepar, conforme item 2.2.5. PARTICIPAÇÃO NO LEILÃO, transcrito abaixo:

"Poderão participar do LEILÃO quaisquer pessoas físicas, pessoas jurídicas e demais entidades, brasileiras ou estrangeiras, desde que organizada sob a forma de uma SPE e que satisfaçam os requisitos de PRÉ-IDENTIFICAÇÃO estabelecidos neste EDITAL."

Com relação à proibição de venda das ações, esclarecemos que o Acordo de Acionistas não proibia a venda da participação da Litel, entretanto como a participação da Litel é na Valepar (ativo que tem menos liquidez que as ações da Vale) e que nossa participação na Companhia é relevante economicamente, não houve propostas de alienação que maximizassem o valor de nossa participação ou gerassem o retorno desejável.

Cabe destacar entretanto, que durante esse período de investimento na Vale, além da valorização patrimonial, a Previ recebeu mais de R$ 5 bilhões em dividendos e juros sobre capital próprio e desde o investimento inicial até o encerramento do último exercício contábil (30/12/2016), o investimento em Litel superou o retorno sobre a Taxa Média Selic (TMS) e Atuarial.

Ressaltamos ainda que a Vale participa dos pregões da BM&FBovespa (VALE3 e VALE5).

Em 02.02.2017, as ações da companhia na Bovespa fecharam: Vale ON (VALE3) R$ 32,66 e Vale PN (VALE5) R$ 30,67, o que representa uma capitalização de mercado de R$ 172 bilhões. A participação indireta da PREVI corresponde a 15,50% do capital total da Vale, o que é equivalente a R$ 26,66 bilhões a valor de mercado. Entretanto a contabilização desta participação está em R$ 24,2 bilhões, ou seja, o valor da participação está avaliado pelo mercado acima do valor contabilizado pela Previ.

Atenciosamente,


Gerência de Atendimento
PREVI


De: "João Rossi Neto"
Enviada: 2017/03/06 18:23:11

Assunto: ENC: ATENDIMENTO PREVI

Caro Ari,

Eu demorei mas não esqueci a questão da participação da PREVI na Vale S.A. Pela resposta, a nossa Caixa detém o investimento de R$ 24.2 bilhões, valor contabilizado e as ações valem R$ 26.66, valor de mercado, de modo que havia um ganho de R$ 2.4 bilhões, em 02/02/17, que reputo pequeno em relação ao capital investido, posição de risco e uma ligeira desvalorização nas cotações dos papéis da Vale S.A poderá entornar o caldo e passar de ganho para perda num fechar de olhos. Tenho a firme convicção de que a PREVI deve encurtar a rédea e reduzir a sua exposição nessa empresa, hoje, o nosso calcanhar de Aquiles. Temo que a concentração equivocada de recursos na Vale S.A, via da Litel, ainda vai nos dar grande dor de cabeça. Para fazer essa asneira administrativa de colocar o maior volume de dinheiro em uma única cesta de moedas (Vale S.A), tenho certeza de que isso deve ter partido de dirigentes sem visão de futuro e de mentalidade estreita e tacanha. Outro agravante contra nós é o fato da Vale S.A ter basicamente um comprador para os seus produtos (China), o que torna o nosso risco dobrado, uma vez que a redução das importações naquele país compromete e achata o faturamento da Vale, baixa a sua capacidade de gerar receitas e acarreta, por consequência, desvalorização no preço das ações, o que irá refletir no balanço da PREVI, no final do exercício, quando essa for precificar, a preço de mercado, o valor desses ativos. Caso, no balanço deste ano, o valor de mercado for inferior ao valor contabilizado da participação na Vale, logicamente teremos perda que impactará o superávit que te remos em 2017, independentemente do desempenho positivo da Bovespa. Esta é minha opinião.

Anônimo disse...


Pois é caros colegas!

Enquanto a Previ se vangloria de obter fartos lucros em dividendos e juros sobre o capital próprio nos investimentos com a Vale S.A.(mais de 5 Bilhões), nós aposentados estamos cada vez mais sentindo a dor do aperto financeiro por falta de melhorias em favor dos assistidos. O lucro é bom, mas fica tudo pra eles. para nós NADA!
Será que os "cabocros" querem "emborsá" nosso dinheiro daqui alguns anos mais, já que correm o risco de terem que devolver a "paia" da resolução 26/2008?

Anônimo disse...

COLEGAS,

VENDER A VALE PARA A CHINA SERÁ UM NEGÓCIO "da china"!

Ao colega que falou ética lá para cima: QUE ÉTICA?


Anônimo disse...

Aposentados,

Com a leitura da resposta da Previ ao Sr. Rossi sobre a Vale, perdi o sono por isso escrevo a esta hora.

Vou tomar um lexotan.

Anônimo disse...

Nossa, Ari! Só hoje li essa matéria em seu blog! Que notícia maravilhosa!

Anônimo disse...


À DIRETORIA DA PREVI: "NÂO SE DEVE COLOCAR TODOS OS OVOS NA MESMA CESTA"

A frase “não se deve colocar todos os ovos na mesma cesta” atribuída a James Tobin, economista estadunidense nascido em Champaign e ganhador do Prêmio Nobel de Economia (1981) por sua análise de mercados financeiros e suas relações com decisões sobre despesas, emprego e produção, parece mais atual do que nunca.

SENHORES DIRETORES: PORQUE PODE SUCEDER QUE A CESTA VENHA A CAIR E TODOS OS OVOS SE QUEBRARÃO.
Por favor, tenham sempre isto em mente.
Abs.
Mineiro da roça

Anônimo disse...

COLEGAS!

Comprar a Vale é tudo que a China quer. Daqui a pouco será o maior país do mundo, além de já sê-lo em território. Você leva uma roupa para lavar em uma lavanderia, à tarde você vai buscá-la, não existe mais lavanderia, já derrubaram tudo e já começaram a pavimentação. É coisa de louco. Portanto não se assustem se de repente ações da Vale caírem assustadoramente, e aí compram tudo e depois vocês verão quanto ela valerá.
QUEREM APOSTAR. ESCREVAM ISTO. HOJE 07/03/2017 às 07:20hs
Abs.

Anônimo disse...

Faço uma correção...a China é o 3º, pouco menor que o Canadá, daí poder-se-á dizer que é o 2º. Considere-se que a Rússia é o maior, mas provavelmente a metade é gelo, e terras improdutivas.
Quais são eles?

1. Rússia – 17,10 milhões de km2

2. Canadá – 9,98 milhões de km2

3. China – 9,59 milhões de km2

4. Estados Unidos da América – 9,37 milhões de km2

5. Brasil – 8,51 milhões de km2

Abs.

HELENO PINTO NOBRE disse...


COMO NÃO SOU ANÔNIMO JAMAIS E TRABALHEI NO BANCO DO BRASIL DESDE 06/06/1977 E SOMENTE PUDE SAIR EM 31/03/2004 DEPOIS DE TER TRABALHADO NO TOTAL FORA O BANCO DO BRASIL QUANDO EU COMECEI A LEI ERA PARA 30 ANOS DE TRABALHO E TIVE QUE POR 06 MESES PAGAR UM PEDÁGIO QUE ME FERROU COM O DES+GOVERNO DO MARGINAL FHC ;. QUE ME FERROU ATÉ OS DIAS DE HOJE E ATÁ A MINHA MORTE .
BOM EU HELENO PINTO NOBRE ; MATRÍCULA 3.984.740-3 JAMAIS ANÔNIMO PORQUE NASCI E VOU CONTINUAR VIVENDO E MESMO QUANDO MORRER TEREI O MEU NOME COM MUITO ORGULHO . ACEITE QUEM QUISER M., EU NÃO ME AUTO DENOMINEI HELENO PINTO NOBRE ; MEUS PAIS ME REGISTRARAM COM ESTE NOME E EU TENHO O MAIOR ORGULHO DE CARREGAR O MEU NOME .!
BOM : TUDO ISTO PARA DIZER :
NECESSITO O MEU BET JÁ : NECESSITO O MEU BET JÁ ; NECESSITO O MEU BET JÁ ; NECESSITO O MEU BET JÁ ; NECESSITO O MEU BET JÁ ; NECESSITO O MEU BET JÁ ; NECESSITO O MEU BET JÁ ; NECESSITO O MEU BET JÁ ; NECESITO O MEU BET JÁ ; NECESSITO O MEU BET JÁ ; NEECESSITO O MEU BET JÁ .
PORQUE ? PRIMEIRO PORQUE É MEU DIREITO PAGUEI E PAGO A PREVI DESDE QUE ASSUMI NO BANCO DO BRASIL E FUI REGISTRADO COM A MINHA MATRICULA : 3.984.740-3 E MESMO APÓS A MORTE A MINHA VIÚVA VAI RECEBER A MINHA PENSÃO BASEADA NO MINHA MATRICULA ; REPITO ; 3.984.740-3 E COM O MEU NOME : HELENO PINTO NOBRE ; JAMAIS ANÔNIMO .
VOU CONTINUAR BATENDO NESTA TECLA : QUERO O MEU BET JÁ. TRABALHEI 27 ANOS E ATÉ ESCRAVIZADO NO BANCO DO BRASIL ; TRABALHEI VÁRIAS HORAS DE GRAÇA OBRIGATORIAMENTE COMO MUITOS O FIZERAM JUNTAMENTE COMIGO .
BOM EU ESTOU ESPERANDO O QUE É MEU DE DIREITO ; DOEI O MEU SANGUE E O MEU SUOR COM HORAS E HORAS TRABALHADAS QUE NÃO PUDE RECEBER POIS O TEMPO FOI LONGO M ; DIAS APÓS DIAS SEMANA APÓS SEMANAS ; ATÉ FINS DE SEMANA TRABALHEI DE GRAÇA PARA O BB COMO MILHARES DE COLEGAS MEUS .
NECESSITO O MEU BET JÁ . CHEGA DE PROCRASTINAÇÃO ; JÁ ESTOU DIABÉTICO E ENVELHECENDO JÁ COM QUASE 66 ANOS AGORA SE VIVO FOR ATÉ 20/04/2017 .
EU MESMO JAMAIS ANÔNIMO : HELENO PINTO NOBRE ; MATRIC. 3.984.740-3 ; JAMAIS REPITO ANÔNIMO / EX+ESCRAVO DO BANCO OU BANDO DO BRASIL. NECESSITO O MEU BET JÁ . SAFADOS QUE ME USURPARAM DURANTE TANTOS ANOS . E TENHO O DITO ; QUERO O MEU ; NECESSITO O MEU BET JÁ ANTES QUE EU MORRA CAMBADA DE BANDIDOS . MARGINAIS . GATUNOS

Anônimo disse...

Em que poderemos ser beneficiados a curto prazo desses ultimos acontecimentos?

Anônimo disse...

SR. ARI,

Permita que faça de público um agradecimento ao Gênio EDGARDO AMORIM REGO, por sua participação, com seus profundos estudos textualizados em seu blog inteligente, no processo do Rio de Janeiro.

OBRIGADO, MUITO OBRIGADO CARO AMIGO EDGARDO!

Obrigado se publicar Sr. Ari.

DECISÃO DE REVERSAO REPERCUTE.... disse...

Trata-se de artigo publicado no site da FENAPAS - Federação Nac dos aposentados, pensionistas e participantes dos fundos de pensão do setor de telecomunicaçoes, na data de ontem, parte reproduzida abaixo:

""A decisão que estamos comemorando é de primeira instância. Cabe recurso e pode ser modificada. No entanto, o embasamento do juiz é de uma clareza cristalina.

No PBS-A, a luta é antiga. Desde 2008, através de nossos Conselheiros Deliberativos Eleitos Ezequias e Almir temos realizado um verdadeiro campeonato de esgrima. Na época, as patrocinadoras só não se apropriaram de parcela do superávit, devido à luta destes dois companheiros.

Os atuais Conselheiros Deliberativos Eleitos ligados à FENAPAS, Burlamaqui, Cleomar e Ezequias, permanecem na luta, que até hoje tem sido ferrenha.

Em diversas ocasiões houve tentativas para que fosse aprovada a destinação de percentuais do superávit para as patrocinadoras, inicialmente 50% para elas mas depois a cobiça aumentou e elas pretendiam ficar com nada menos do que 68,8%. Sobrariam as migalhas para nós.""

Merece destaque a atuação dos conselheiros deliberativos eleitos na luta descrita como "ferrenha" para preservar o justo interesse dos participantes, aposentados e pensionistas.
Não preciso comentar mais nada a respeito.

Anônimo disse...

A Previ tem que parar de olhar para os aposentados como se fossemos criaturas repulsivas q eles teem que nos pagar miséros benefícios como de estivessem jogando esmolas à pobres que eles não conseguem se livrar.
Nós temos direitos que eles sabem , mais agem como se nós nem deveríamos existir, agem e nós tratam como se fossemos um peso que teem que carregar, porque para eles nós só somos interessantes todos mortos, não é possível q colegas vindos do mesmo BB que trabalhamos nossas vidas inteiras nós tratem como insetos por estarem hoje em cargos muito bem pagos na direção da Previ, queremos um pouco de humanidade, porque nossa situação está muito difícil e esperar todos os trâmites da justiça para receber algum ddireito, infelizmente a maioria de nós não tem mais esse tempo todo.Um pouco de consciência Previ, pague nossos 12 meses de BET já!

Anônimo disse...

O anon 8.44 disse tudo.Tantas pareceres e ações e nada acontece.

Anônimo disse...

A China, sendo a maior compradora da Vale (Monopsônio), pode boicotá-la, esperar o seu valor de mercado despencar e comprá-la por mixaria.!!!!!!!!???????????@@@@@@@@@@@@#########$$$$$$$$

Anônimo disse...

Minuto de entretenimento - tema: nossos legítimos representantes.

http://www.diariodopoder.com.br/coluna.php?i=51060464222
Suplente levou R$80 mil por 6 dias de mandato
Wirlande da Luz, suplente de Romero Jucá (PMDB-RR), virou senador quando o titular foi nomeado ministro do Planejamento de Temer, mas ficou na vaga por só 4 dias úteis, entre 17 e 23 de maio. O senador por 6 dias Wirlande da Luz só participou de uma sessão do Senado e não apresentou um único projeto, mas embolsou R$67.526 de “ajuda por início e fim do mandato”, além de R$11.662 da cota parlamentar.

Obs.: se ficasse por 180 dias consecutivos como "senador" teria conquistado as mesmas regalia do titular, a saber: aposentadoria, plano de saúde, pensões, etc.


Anônimo disse...

Anonimo de 07:20,

Sobre a Vale:

[...] a liquidez NÃO é uma vantagem para TODOS da comunidade financeira, pois a “liquidez” está ligada ao timing, conforme se segue:

A liquidez liga estreitamente os atores econômicos entre si. É assim, em primeiro lugar, porque
o valor do bem líquido que detém o indivíduo A depende do comportamento dos outros
detentores. Se os outros titulares, por um motivo ou outro, não quiserem mais o bem líquido,
seu valor i

Logo, Vale vai valer ZERO

Anônimo disse...

Colega de 07/03/2017 11:09

Se contar essa em outro país ninguém vai acreditar.

Aqui dá é vontade de vomitar...

Anônimo disse...

Agradeço ao Anônimo de 05.03.2017, às 10,52 hs.
Atualização do ES até 20.03 (0,945%am).
Verificando o saldo devedor por 3 dias consecutivos identifiquei que a correção é diária, exatamente no percentual acima (0,945%am).
Como a correção é feita, a meu ver, do dia 21 até o dia 20 do mês seguinte, qual o melhor dia para renovar?
a) no dia do pagamento (20 de cada mês); ou
b) no dia imediatamente posterior, quando a parcela do ES já foi deduzida ?
(Quem poderá me salvar ? (Chapolin).
Obrigado

joao trindade disse...

O colega das 10:53 tem razão.
A China vai comprar, como tem feito, tudo por aqui, à preço de banana, exatamente porque noossos governantes assim o permitem e o querem, patriotas que são, preocupados com o futuro do Brasil e do povo.
Viva a festa ...

Anônimo disse...

Prezado Ari,
Enquanto isso, dá um desgosto tremendo ir a uma agencia do BB. Filas enormes, pessoas se empurrando, outras discutindo porque os terminais de auto atendimento ou não têm dinheiro ou nao têm papel para imprimir extratos e recibos. Se você estiver na fila e chegar sua vez, você poderá sacar mas não poderá pagar alguma coisa porque nao tem papel na impressora.Aí você vai voltar para a fila para pegar um ATM que tenha papel. OU SEJA; UM INFERNO.e O POVO NADA FAZ, APENAS BRIGA ENTRE SI.
ETA PAISINHO ENGRAÇADO...UMA TOTAL FALTA DE RESPEITO E DE VISAO EMPRESARIAL...

joao trindade disse...

Pois é, colega das 15:24,

É o processo de venezuelização do país, à pleno vapor.
Enquanto os outro países se preocupam com o povo, aqui, nossos governantes se preocupam com outros interesses.

Anônimo disse...

HOMENAGEM AOS COLEGAS QUE PARTIRAM SEM VER SEU DIREITO RECONHECIDO



Sei que as pessoas detentoras de poder se quer estão aí para os vivos, o que dirá então daqueles que já se foram.
Mesmo assim, na minha total insignificância, registro aqui minha homenagem a memória deles. Trabalhadores honestos que se dedicaram a uma empresa que lhes virou as costas.

Creio que em algum momento da eternidade o justo reconhecimento será feito

Anônimo disse...

07/03/2017 15:24

Colega eu evito esses problemas procurando fazer tudo via internet e, o que não der -- sacar, por exemplo -- uso o banco 24 hs.

Raramente ingresso em agência e se o faço usualmente é após as 17 horas.

Assim não tenho o desprazer de ver essa balbúrdia, reclamações, clientes e funcionários insatisfeitos, etc.

Vamos aproveitar as outras mídias para o nosso dia a dia.

Anônimo disse...

Colegas,

Ouço diariamente pessoas criticando o atendimento do BB, tanto pessoal como em caixas eletrônicos - sem dinheiro, extratos borrados, extratos semiapagados e assim por diante.
Fechamento de agências, fechamento de postos de atendimento e assim por diante.

ISTO É UMA VERGONHA.

Anônimo disse...

Ao anônimo de 07.03.2017 - 12:45 h

Como você muito bem verificou, a atualização monetária do ES é realizada diariamente, portanto, efetuando a renovação dia 20 (a prestação do ES já está descontada do saldo devedor) você foge do reajuste do saldo devedor do dia 21.

Forte abraço

Anônimo disse...

ANABB liquida mais de R$ 3 milhões em ações judiciais em fevereiro. Alguém conhece algum felizardo?

Anônimo disse...

Eita vontade de ver o amigo de valdirene e tantos outros sentados numa saleta lá em curitiba esperando pra falar com o HOMI.
NÃO PASSA NEM UM FIAPO DE CABELO NO FIOFÓ DE TÃO TRAVADO.

Lá não existe composição não meu camarada.Ou é ou deixa de é

Anônimo disse...


Aqui na minha cidade, a situação é caotica, o Banco fechou uma agencia (oriunda da Nossa Caixa), os terminais de auto atendimento sempre fora de atendimento, o atendimento ao Idoso praticamente nao existe; Enquanto isso os outros Bancos deitam e rolam.....

Anônimo disse...

Caros colegas a bolivia não tem mar, todavia, tem ministro da marinha, por que o Brasil não pode ter MINISTRO DA justiça ???.

Anônimo disse...


Prof.

Pelos relatos é triste ver o fim desse Banco do Brasil atual. Evito até passar por perto. Culpa da politicália tupininquim. Igual Correios, Cef, Petrobrás...

joao trindade disse...

O colega das 22:03 está certíssimo.
Para que ministro se cada cabeça é uma sentença (sempre contra nós).

Anônimo disse...

Prezado Ari,
O Joao Rossi tem razao. È preciso pedir custodia antecipada para que possamos nos beneficiar de alguma coisa, no presente.

Anônimo disse...

Colega de 10:03

“as principais dificuldades no tocante à administração dos fundos de pensão (poupança concentrada coletiva) relacionam-se à separação entre propriedade e gestão, assimetria de informação e divergência de objetivos entre o principal (associados dos fundos de pensão) e o agente (executivos dos fundos de pensão), tendo como conseqüência os chamados problemas de agência.”

Anônimo disse...

Para o anônimo das 20:04 : Somente as viúvas . Alguém conhece as viúvas?

Anônimo disse...

Colegas,


O BB se transformou em VERGONHA NACIONAL.
Querem comprovar, é só frequentar algumas agencias por aí e terão aos olhos, os descalabros administrativos pelos quais passam.
A maior prova está na redução do lucro. lucro esse QUE DIMINUIU sem A APROPRIAÇÃO Dos valores ilegalmente CONTABILIZADOS/retirados da Previ, segundo despacho de um juiz. QUE MAGISTRADO INTELIGENTE, LÚCIDO, JUSTO COMO DEVE SER UM JUIZ.

Anônimo disse...

Lá em Andorra o vigilante de blogs torce loucamente para que alguém sente o bambu nos seus chefes para que ele chegue todo alvissareira para dar a notícia. Lá ele recebe um plus por cada martelada. Ah! Inclusive toda promoção que aparece ele é o primeiro a se beneficiar.
Em Andorra caguete se dá bem para lascar

Felizmente estamos no Brasil

Blog do Ed disse...

Acho que na PREVI, se quisessem, não existiria essa divergência de objetivos... Não deveria nem existir... Considero muito elegante essa terminologia: assimetria de informação... Minha ironia final não tem nada a ver com o anônimo autor, mas dirige-ssee à prática da linguagem rebuscada sobrepondo-se à clareza do discurso, muito em voga nos nossos meios intelectuais..A propósito, apreciei muito essa manifestação do anônimo das 07:08.
Edgardo Amorim Rego

Anônimo disse...

Ainda está rolando:

http://www1.folha.uol.com.br/mercado/2017/03/1864609-policia-federal-deflagra-segunda-fase-da-operacao-greenfield.shtml

Anônimo disse...

No Rio de Janeiro, bairro Meier, tem uma rua com três agencias do BB do mesmo lado da rua e no mesmo bairro, no outro lado da linha férrea, outra agencia.Uma delas há algum tempo não abre nos finais de semana. No sábado de carnaval NENHUMA ABRIU!!!! A fila nos caixas eletrônicos de um supermercado próximo as agencias, eram imensas!!!!!! Que vergonha!!! Os clientes se encontravam nas portas das agencias vindo das outras e ficaram perplexos.

Anônimo disse...

Ao anônimo de 07.03.2017 - 12:45 h
A assertiva do colega de 07/03/2017 19:27 está correta, porém se você deixar para renovar em 30/03/17, o crédito (troco) sairá em 03/04/17 e em sendo assim, você somente pagará a 1ª parcela em 20/05/17, a prestação de 20/04/17, "digamos" você ficará sem pagar ou pulará e a ganharia agora mas logicamente a pagaria no final.
Não vou cobrar comissão. Ok?
Este é o sufoco que nós aposentados passamos e muitas vezes não pomos na porta de ninguém.
Foi um prazer ajudar-lhe.
Abs.

Anônimo disse...

Papo de andorra = Papo de aranha

Anônimo disse...

Vale5 segue o previsto: no momento queda de 1,5% aprox.

Anônimo disse...

AÇO CHINÊS EXPÕE DESAFIOS DA INDÚSTRIA SIDERÚRGICA NO MUNDO

Antônio Delfim Netto (Folha de S.Paulo 08/03/2017)

Diante da ilusão criada pelo movimento de globalização, que anunciava a morte dos Estados e a perspectiva da paz universal, a Grã-Bretanha permitiu a migração de toda a sua indústria siderúrgica. Hoje, diante dos fatos, deve estar arrependida. Nada está mais longe do que a "paz universal"!

Com Trump, Putin, Xi Jinping e o que promete o futuro eleitoral da Europa, a probabilidade de um conflito de proporções catastróficas deveria estar no seu radar (iluminado pelo Brexit). Se ele ocorrer, ela não produzirá mais os "Spitfires" que a salvaram de Hitler...

Temos insistido que a siderurgia é fundamental para a sobrevivência de qualquer nação. É ela que proporciona as necessárias autonomias alimentar, energética e militar, mas tem merecido pouca atenção do nosso governo. Começamos a assistir a um processo de concentração propício à cartelização.

O fator de perturbação do mercado mundial do aço é a China, com mais de 400 milhões de toneladas de capacidade ociosa. Não sendo uma economia de mercado, seus preços são "políticos" e servem à sua aparentemente mansa "realpolitik"!

Nos anos 2000 o governo alemão aumentou a regulação do setor siderúrgico para reduzir a poluição e aumentou a regulação do mercado de trabalho, o que reduziu a competitividade da sua siderurgia. O grupo Thyssen-Krup decidiu fechar parte de suas unidades e as colocou à venda como sucata! Pelo cálculo dos alemães, a desmontagem levaria três anos. Os chineses compraram e desmontaram tudo em um ano! Transferiram as de Dortmund para Junfeng, onde o salário horário era de U$ 0,50 (então um infinitésimo diante do salário alemão) e não havia nem regulação trabalhista nem controle de poluição, ou seja, essas externalidades não estariam no preço.

Hoje a produção de Jinfeng está incorporada à economia chinesa e o baixo valor do seu aço é insumo de outros setores. Propaga uma aparente eficiência produtiva que se estende a toda a exportação chinesa que contém produto siderúrgico (máquinas, equipamentos etc.).

A tragédia é que alguns "cientistas" estão convencidos de que esse é o resultado da eficiente produção de aço da China, da alta competitividade do setor e da fixação dos seus preços pelo "custo marginal"! E agora Trump quer que suas obras públicas só usem aço americano...

No Brasil apertamos o controle da poluição, aumentamos a regulação do mercado de trabalho e aplicamos ao setor, cujo processo de produção é longo, a maior taxa de juros real do mundo. Não satisfeitos, rejeitamos o "reintegra" e cobramos impostos até do descuidado consumidor mundial que quiser comprar nossos produtos!

Fonte: http://www1.folha.uol.com.br/colunas/antoniodelfim/2017/03/1864491-aco-chines-expoe-desafios-da-industria-siderurgica-no-mundo.shtml?

Paulo Segundo disse...

Bem, se a resolução 26/2008 caiu por terra.Não há que se falar em apenas devolver os benefícios, mas de devolver os 7,5 bilhões surrupiados e corrigidos!Outro detalhe: com a resolução não permitia em sua artimanha uma revisão perene dos benefícios, contrariando a lei complementar de 2001, vamos brigar por um aumento fixo e perene nos benefícios de 10% por exemplo!

Anônimo disse...

Prezado Ari,
Como que para corroborar com o que muitos disseram lá atras, veja uma pequena parte do artigo do jornalista/advogado José Maria Couto Moreira, no Diário do Poder :
Remova a atual direção do Banco do Brasil, presidente Temer, e faça novas indicações, mas atento a que se habilitem somente os executivos que, ainda que economistas, sejam versados no humanismo, conheçam, ainda que pouco, a história universal e se informem sobre a recessão americana de 1929, e das ações que retiraram a América daquele período trágico.".. Vale a pena ler todo o artigo.

Anônimo disse...

Colegas,

Há muitos anos ouvi em conversas de Aabb que lá pelos idos de 1997 o FHC entregou a Previ aos sindicalistas em troca de certo acordo de 11 Bilhões ao BB.
Já de memória um pouco fraca tenho lembrança de terem falado num tal de Rosa, que seria o artífice de projetos futuros da Previ.
Talvez fosse interessante que o MP, a Polícia Federal e o Judiciário investigassem esse tipo de acordo que talvez tenha causado perdas ao fundo.
Como foram bate-papos é difícil saber da veracidade das falas, daí verificar se existe algo de verdadeiro, somente com sindicâncias.
Se alguém souber de mais alguma coisa a respeito poderia se manifestar e me tirar esta dúvida.

Anônimo disse...

Prof. Ari,

Visitei os blogs de Medeiros e de Carvalho para ver se lá existia algum comentário a respeito da revogação da Res. 26, euforicamente comentada aqui no seu blog, nada achei. Eles não estão informados sobre o assunto ou não estão satisfeito com o ocorrido?

Abraço.

Blog do Ed disse...

Grande Delfim Neto, a quem certa vez, como Diretor da CACEX, dei, a seu lado, contribuição para despacho a um grupo de industriais, no MINIPLAN na década de 80! Escreveu e explicou todo o imbroglio atual: o baixo e espoliativo custo da produção chinesa!
Edgardo Amorim Rego

Anônimo disse...

Mais um know-how para vangloriarmos: Engenharia contábil.

http://economia.estadao.com.br/noticias/geral,cvm-manda-petrobras-refazer-balancos-de-2013-e-2015-acoes-da-estatal-caem,70001691766


Anônimo disse...

Anônimo das 16:28

Nem na AAFBB nem na ANABB.

Anônimo disse...

Eles estão comentando só o que lhes é interessante.
Simples, assim !

Anônimo disse...

Nem emenda parlamentar, nem Bolsa Família, enfim, chantagens dos neoliberais para f.... com os velhinhos. Aos 70 anos, trabalhadores braçais, pra completarem os 49 anos de contribuição, em plena recessão, terão que disputar empregos com os jovens.

http://www1.folha.uol.com.br/mercado/2017/03/1864647-sem-reforma-emenda-parlamentar-perde-espaco-diz-meirelles.shtml

Anônimo disse...

SERÁ QUE A PROMESSA DE BET VIRAR BEP ERA CONTANDO COM O DESMANTELAMENTO DA RESOLUÇÃO PIMENTEL NO DOS OUTROS É REFRESCO?
DE REPENTE ACHAM QUE A PESSOA É UMA COMPLETA METAMORFOSE AMBULANTE COM TODA A RAZÃO

Anônimo disse...

Professor Ari,
Sabe informar sobre o Recursos Repetitivo no STJ sobre Horas
Extras em complementação de aposentadoria?
A decisão pode ser favorável aos participantes?
Obrigado

Anônimo disse...

Ilustríssimo Dr. Edgardo
(seu comentário de 08/03/2017 10:16)

III.3. Dois casos ilustram que o “tempo é o fator vital da criação de valor bursátil”

No intuito de ilustrar que o “tempo é o fator vital da criação de valor” selecionamos da Internet, os seguintes fragmentos de texto:

• Inicialmente, apresentamos certo fragmento de texto extraído de comentários sobre o artigo “Ora, bolhas”, de José Paulo Kupfer, publicado pelo jornal “Estado de S. Paulo – digital” (06/10/2011) **, conforme se segue:

** 6 de outubro de 2011 - 9:11

Enviado por João Flávio

Olá, J. P.:

Convém botar as barbas de molho com esse “paper”.

Essa “cunversinha” de que “é grande demais para quebrar” ou “dessa vez é diferente” não funciona bem em crises.

Lembra do Lehmann Brothers?


As agências de rating davam grau TTA (topo triple A) para as suas ações e TA (triple A) para os títulos emitidos e negociados por eles.

E o Lehmann Brothers já estava “MORTINHO DA SILVA”.

Quanto ao fato de que o mercado brasileiro não é tão sofisticado, vamos com calma.
O México, a Argentina, a Rússia também não tinham mercados sofisticados.


Na verdade, a Rússia nem tinha mercado.

E todos eles quebraram feio.

Talvez não tenhamos uma “bolha”.

Mas, certamente, temos uma CRISE.

O que é bem pior!!!

Quanto ao artigo do Ricardo Loureiro, ele me lembrou de uma frase de um grande operador de mercado de Wall Street que relatou em seu depoimento aos controladores da SEC que

“[...] A nossa função principal era manter os investidores calmos até o último momento [...] para então fodê-los ao máximo” (negrito nosso).

Anônimo disse...

Cont.

• ”Wall Street está contra a América”. Texto extraído do jornal “Estado de S. Paulo” (17/10/2008). *

* Entre as pessoas que pararam para assistir ao comício de Nader, predominava a resignação. “O governo não tem mais nada a fazer”, disse Robert Kavaliauskas, de 51 anos, formado em administração de empresas e funcionário do Estado de Nova York. “O colapso do capitalismo pode ser lento ou rápido. o governo está tentando fazer com que seja lento” (negrito nosso).

Assim, aqui nos parece oportuno questionar: por que os governos querem que o colapso do capitalismo seja lento?

- Simplesmente para o que o valor anteriormente criado, de forma necessariamente passageira, seja maximizado. Assim, quanto maior for o tempo de permanência dos preços bursateis próximo às suas respectivas máximas, maior será a respectiva criação de valor bursátil; logo, maior será a respectiva transferência de renda entre os participantes das Bolsas de Valores.

Neste sentido, igualmente aqui podemos encontrar a resposta para a veracidade de determinada assertiva acima feita: “o colapso do capitalismo pode ser lento ou rápido, o governo está tentando fazer com que seja lento.” Dessa forma, sendo lento o colapso do capitalismo uma maior transferência de renda, decorrente de uma maior criação de valor, tende a ocorrer.

No mesmo sentido, o "Acordo de Acionistas" de Vale divulgado em 20/02/2017 tem o mesmo objetivo dos dois fragmentos de texto, acima mencionados: FODÊ-LOS AO MÁXIMO, conforme iremos demonstrar nos itens II e III do presente trabalho. Em outros termos, tal "Acordo de Acionistas", ao modificar as condições do próprio mercado*, se equipara a uma manipulação continuada e planejada.

* Engessa e amarra as mãos dos principais acionistas de Vale, inclusive o Previ, parte até fevereiro de 2018 e o restante até novembro de 2020.

Anônimo disse...

III.3. Dois casos ilustram que o “tempo é o fator vital da criação de valor bursátil”

No intuito de ilustrar que o “tempo é o fator vital da criação de valor” selecionamos da Internet, os seguintes fragmentos de texto:

• Inicialmente, apresentamos certo fragmento de texto extraído de comentários sobre o artigo “Ora, bolhas”, de José Paulo Kupfer, publicado pelo jornal “Estado de S. Paulo – digital” (06/10/2011) **, conforme se segue:

** 6 de outubro de 2011 - 9:11

Enviado por João Flávio

Olá, J. P.:

Convém botar as barbas de molho com esse “paper”.

Essa “cunversinha” de que “é grande demais para quebrar” ou “dessa vez é diferente” não funciona bem em crises.

Lembra do Lehmann Brothers?


As agências de rating davam grau TTA (topo triple A) para as suas ações e TA (triple A) para os títulos emitidos e negociados por eles.

E o Lehmann Brothers já estava “MORTINHO DA SILVA”.

Quanto ao fato de que o mercado brasileiro não é tão sofisticado, vamos com calma.

O México, a Argentina, a Rússia também não tinham mercados sofisticados.

Na verdade, a Rússia nem tinha mercado.

E todos eles quebraram feio.

Talvez não tenhamos uma “bolha”.

Mas, certamente, temos uma CRISE.

O que é bem pior!!!

Quanto ao artigo do Ricardo Loureiro, ele me lembrou de uma frase de um grande operador de mercado de Wall Street que relatou em seu depoimento aos controladores da SEC que

“[...] A nossa função principal era manter os investidores calmos até o último momento [...] para então fodê-los ao máximo” (negrito nosso).

Emmanuel Castro disse...

Colega de 08.08.2017 20:36

https://ww2.stj.jus.br/processo/pesquisa/?num_registro=201200647966&aplicacao=processos.ea

Anônimo disse...

Colega Emmanuel Castro (09/03/2017 11:35)

Link resulta em navegação inválida...

Cláudio Augusto Falco disse...

Ao colega das 17:50

Ao abrir a página do STJ aparece "Navegação Inválida! - e logo abaixo aparece Consultar. É só clicar em cima da palavra consultar.

Anônimo disse...

Obrigado, colega Cláudio (09/03/2017 18:58)