BANNER

Acesse aqui!
atendimento@anaplab.com.br
Joinville/SC: (47) 3026-3937
S.J. Pinhais/PR: (41) 3035-2095

quinta-feira, 16 de fevereiro de 2017

ANO DE FAZER OPÇÃO

   Chegou o ano da Vale. Em 1997, quando de sua privatização, houve um acordo em que os compradores (a PREVI dentre eles) teriam que manter as referidas participações pelo prazo de 20 anos. Portanto, 1997 + 20 = 2017, um cálculo muito simplório para o Mestre engenheiro José Aristophanes Pereira.
    A Vale já foi para nós o supremo gozo. Mas foi igualmente o seu oposto. Causou-nos muita alegria com o estrondoso lucro que gerou o superávit de 2010, em contrapartida causou-nos muita dor com o não menos volumoso prejuízo em 2014, 2015 e parte de 2016. Atingimos nestes vinte anos o zênite mas também descemos ao mais profundo nadir notadamente no acidente de Mariana-MG.
    Nos últimos meses a recuperação da empresa tem saltado aos olhos. É uma das campeãs em puxar para cima o índice da bolsa paulista que no dia de hoje 15, beijou os 68.000 pontos, maior índice desde 2012.
    Pois neste ano, a PREVI precisa tomar a decisão: Ou continua na Vale ou vende sua participação. Melhor que a decisão aconteça neste momento de alta, para, se sairmos, obter os melhores preços. É uma decisão difícil tendo em vista que temos nela a nossa maior participação.
CVRD - CIA VALE DO RIO DOCE...CONTINUAR? SAIR TOTALMENTE? SAIR EM PARTE? YES OR NO?

49 comentários:

Blog do Ed disse...

Sempre suspeitei, e por diversas vezes manifestei essa suspeita, inclusive pessoalmente à diretoria da PREVI, nas andanças anuais de exposição de resultados, que a PREVI tinha problemas que atingiam, não propriamente a ela e a sua sobrevivência, mas eventualmente atingiam os Participantes individualmente, redundando em injustos ganhos ou prejuízos, dependendo da ocasião da vida inativa de cada um, em razão de dificuldade de administrar posições de ativos. Anos tenho passado nessa dúvida, sem que me confirmassem ou negassem a minha suspeita. Nestes últimos dias, as notícias da PREVI me confirmaram as minhas suspeitas: a vitoriosa venda de ações que aconteceu neste começo de ano e hoje essa notícia do compromisso de inalienação das ações da Vale por vinte anos. Alguns colegas faleceram felizes com os superávits, mas ooutros faleceram infelizes sem o BET, com o pagamento de contribuição na inatividade e até com a ameaça de contribuição extraordinária. Trata-se de uma injustiça: o sacrifício de uns colegas em benefício excessivo de outros. Seria inevitável exigência do cálculo atuarial da garantia constitucional do Plano? Se for, entendo que essa forma de complementação é desastroso equívoco do Estado Brasileiro. Tratar-se-ia de uma complementação maquiavélica.
Edgardo Amorim Rego

Adaí Rosembak disse...

Caro Zanella,

Nao tenho acompanhado a bolsa. Perdi muito $$ nisso. É coisa para especialista e para quem está disposto e tem pendor e preparo técnico para ficar analisando oscilações, gráficos , balanços, histórico de empresas e uma série de outros pontos para decidir o melhor momento para comprar ou vender.
A última perda foi com o fundo de ações da Petrobrás do BB.
Espero que a rapaziada da PREVI faça um bom estudo sobre a Vale e veja se esta efetivamente é a melhor hora para passar essa aplicação adiante.
Outra coisa que me faz não investir em ações no Brasil é a falta de seriedade do mercado.
Esse é outro aspecto que foge ao nosso alcance.

Abraços

Adaí Rosembak

Anônimo disse...

Sempre sair em parte, mas no caso de controladora consegue um preço maior se vender toda a sua participação.

João Lopes Rodrigues disse...

Prezado Ari e demais colegas!

Quero aqui, publicamente, e com a especial licença do Ari, agradecer e "engrandecer" o trabalho da Anaplab, nas pessoas do Ari e do Gilvan. Sempre atenciosos, dispostos a esclarecer eventual necessidade.

Falo em especial da minha ação IR PREVI 1/3. Como já deixei claro aqui, depois de 30 anos me "desapeguei" daquela conhecida associação de Brasília, não obstante a mesma seja uma "eterna defensora" de seus associados (assim ela se diz!). E como essa mesma associação deixou claro que não mais participo da referida ação (em curso há anos!), manifestei meu interesse em participar da mesma, agora através da Anaplab.

A nova ação foi ajuizada esta semana, no que fui prontamente comunicado pela Anaplab; que, inclusive, repassou ao advogado responsável um questionamento meu, o qual foi imediatamente solucionado.

E olhem só que beleza!... Hoje recebi comunicado da Anaplab, via e-mail, da movimentação da ação, enviada pela justiça de SC. Ou seja, a própria justiça de SC nos informando a condução da ação!

Quanto "àquela" associação... os senhores devem lembrar, era um "parto" obtermos maiores informações acerca do andamento das ações judiciais. E as explicações dadas, então?!...

Era isso!

Anônimo disse...

Sr. Ari, Colegas,


Comprador de minério da Vale - CHINA.

Essa compradora vai acabar com suas compras em médio prazo.
Ofereçam as ações da Vale para os CHINESES.

Vendam TODA E QUALQUER ação da Vale para os Chineses, se tiverem interesse ÓTIMO.

Caso contrário OLHO VIVO, pois será um alerta de que em pouco tempo o Himalaia irá produzir o que eles precisam, com o Tibet anexado..

PLANO 1 FECHADO E FINITO, PORQUE TER MAIS DE 40 bilhões em ações da Vale?

Sr. Ari, sei que o Senhor tem deixado de publicar algumas colocações que faço, é que a indignação às vezes nos trai e escrevemos frases passíveis de interpretação ofensiva.
Vou maneirar.
Saudações


Humberto disse...

Aos Srs Ari Zanella e Gilvan: conforme comentário acima do colega João Lopes Rodrigues, também tenho ação 1/3 IIRPF junto aquela entidade de Brasília, desde longos anos.
Ultimamente tenho buscado alternativas no sentido de transferir dita ação para outro advogado especializado no assunto. Pelo que deduzi no comentário do João, a Anaplab, através de seu departamento jurídico estaria dando continuidade a essa ação.
Assim, favor informar como proceder para os devidos trâmites legais dessa subrogacao de procuração ao causídico indicado pela Anaplab.

Humberto Stumpf - humbertostumpf39@gmail.com

Anônimo disse...

Ari, conforme o colega João Lopes Ridrigues menciona em seu comentário, também gostaria de entrar com a ação IR Previ 1/3 pela ANAPLAB, mas faço parte da ação coletiva da ANABB mas não encaminhei nenhum documento nem paguei qquer valor a ANABB me informou q seria após alguma evolução do processo q parece já estava nos finalmentes...se entrar pela ANAPLAB pode implicar em anulação da ação por estar na coletiva da ANABB? Porque todos sabem q essa ação nunca vai ter fim pela ANABB, porque eles teem medo q os associados saiam da ANABB depois de ganharem a ação.

joao trindade disse...

O colega das 8:35 tem razão :
À médio prazo deixarão de comprar minério de ferro do Brasil.
Ainda compram soja brasileira, pois estão comprando vastas áreas produtivas no Brasil, usando ¨laranjas¨para não demonstrar que irão comprar o país, já falido e sem futuro.
Quem não tem outra fonte de renda que a aposentadoria, melhor rezar para morrer logo ou procurar um asilo.
Triste realidade, sem maquiagem !

Anônimo disse...

Os pessoaus,

Técnico nenhum do fundo da pensão decide uma questão como essa. Enviem e-mail para Big Wolf, Reinanzinho, Bunício, Moirelles, Rodrigo Moia, Waldir Rauputo ou coisa que equivalha. Uma dica é pedir uma relação de nomes com os pessoaus de Curitiba especificando quem é o responsável por essa área.

Anônimo disse...

Costa do Sauípe e outro micos ainda permanecem no portfólio de investimentos. Quanto às boas participações, por que não colher apenas dividendos e mantê-las no ativo para gerar superávits e mais dividendos? Até agora estou vendo apenas a venda dessas participações (CPFL, Kepler Weber, etc.), porém não vejo para qual aplicação está sendo remanejado o produto dessas vendas, eis que a política atual visa diminuir o portfólio de renda variável. Será que não há liquidez/caixa suficiente para suprir a FOPAG? Estamos vendendo o almoço pra comprar a janta? Ainda estamos cobrindo resíduos dos sucessivos déficits, inobstante a venda da CPFL?

Ari Zanella disse...

Se a ação for coletiva é necessário observar se houve ou não de tutela antecipada; caso não tenha havido, as habilitações serão feitas ao final do processo onde o participante pode desistir. Neste caso, há a possibilidade de ingressar através da ANAPLAB.

Por outro lado, o caso do Heitor é mais complicado. A ANABB não dá procuração para outro advogado na ação em curso, e pedir a baixa da ação neste estágio não é aconselhável. Aconselhamos deixar como está, se não a emenda pode ficar pior que o soneto.

João Rossi Neto disse...

O DILEMA: VENDO OU NÃO VENDO.

A experiência no mercado bursátil demonstra largamente que é estratégia negocial rasa, arriscada e temerária, concentrar ativos robustos em ações de uma única empresa, pois é muito perigoso colocar todos os ovos numa só cesta de moedas.

E, infelizmente, a Diretoria Executiva da PREVI o fez na Vale S.A, com o evidente beneplácito da Diretoria de Planejamento, responsável, em tese, por indicar o porto seguro para as aplicações financeiras do fundo, sendo alocados R$ 30 bilhões, correspondentes a quase 14% do Ativo Total, em Rendas Variáveis.

Pesa ainda contra essa transação financeira bilionária, o agravante da Vale S.A vender o seu minério de ferro apenas para a China, não havendo, portanto, pluralidade de compradores, o que a torna refém desse monopólio, onde o único e grande comprador dita normas, impõe preços, etc., de modo que não se trata de uma parceria ideal, tanto que qualquer espasmo negativo na economia dos chineses, estes reduzem as importações e o impacto é refletido instantaneamente no faturamento da Vale e na sua capacidade de gerar receitas, dai a eterna insegurança do efeito gangorra.

Seria o caso de vender tudo agora, para realizar lucros e reforçar o caixa, aproveitando que as ações estão valorizadas e as bolsas em alta (rabiscando os 68.000 pontos), claro que não, mas a redução da exposição acionária na Vale, em cerca de 30% a 40%, afigura-se como providência correta a ser tomada, a despeito da resistência para não vender que a Diretoria vai criar.

O desinvestimento total, neste momento de incertezas na política econômica governamental, é desaconselhado porque o viés da inflação é de queda e daqui a pouco o BACEN vai baixar a Selic para ajudar no crescimento do país e na geração de empregos.

E uma vez confirmando esse cenário, cai à remuneração paga pelo Governo nos seus títulos públicos (Tesouro Nacional) e os fundos de pensão terão dificuldades para cumprir as metas atuariais, já que os juros do segmento de Rendas Fixas serão reduzidos. Impende agir proativamente com cautela e prudência.


Fernando disse...

Prof Ari, falando em 20 anos, lembrei da Parcela PREVI, que faz aniversário tbm, essa divisão que criou os pre-97, pos-97. Quanto a açao 1\3 PREVI, tambem estou amarrado com a outra associacao, nao sei até aquando.

Anônimo disse...

DIVULGADO BALANÇO DO BANCO DO BRASIL.

Lucro do BB em 2016 foi menor do que o apurado em 2015.

http://g1.globo.com/economia/negocios/noticia/lucro-do-banco-do-brasil-cai-para-r-8034-bilhoes-em-2016.ght

Anônimo disse...

Suspender três ou seis prestações do ES.......NAO PODE!!!
Dilatar o prazo de 120 para 180 meses e dar uma folga nas prestações.....NAO PODE!!!
Liberar a carência para quem ainda não pagou as 6 prestações do ES.....NAO PODE!!!!!
Sem teto, bônus para os bambambans.....PODE!!!!
Obrigado Previ, es uma mae

divany silveira-S.Lagoas-mg disse...

' '" NEM TUDO Á TERRA, NEM TUDO AO MAR ''

Mestre, o mercado de ações é igual ao Brasil :uma hora tira dez
outro quinquênio tira zero. assim, como é imprevisível o certo
é observar um tempo para ver se a tendência de alta permanece,ha-
vendo trepidação, penso que deveríam vender 2/3 e ficar com 1/3
por conta de alguma surpresa positiva acontecer. Além do mais,
minha idéia acompanha o raciocínio do magistral Edgardo Amorimm,
de que não se deve colocar todos os ovos no fundo do cesto.

Anônimo disse...

Bom pra todos!

http://epoca.globo.com/politica/expresso/noticia/2017/02/filho-de-lobao-chega-ganhar-r-70-mil-em-empresa-do-banco-do-brasil.html

Brasilcap - Metas e metas de vendas!!!!!!!!!!

Anônimo disse...

O maior investidor do mundo, o Sr. Warren Buffett, tem apenas duas regras para alocar seus investimentos: REGRA 1: preserve o seu capital; REGRA 2: nunca esqueca a REGRA 1. Neste sentido, manter investimento em Vale parece-nos uma gelada..A Bolsa brasileira fica longe de uma Bolsa de verdade.

Anônimo disse...

VALE,

Uma curiosidade: Em 1997, quando a Previ entrou na Vale, qual teria sido, percentualmente em relação aos ativos da época, o investimento feito?

Com relação à venda de ações, de uma maneira geral, o gradualismo deve ser observado.

Quando existe um só comprador não é monopólio e sim monopsônio.

Anônimo disse...

Os contratos da Vale com os chineses são para entrega de minérios de ferro em determinado prazo.As mudanças não são feitas de súbito.Envolvem uma imensa logística:mineração,transporte ferroviário (maior composição do mundo)navios graneleiros imensos que cobrem viagens para o outro lado do mundo.Quero com isso dizer aos grandes entendidos da Previ que é só se manterem espertos no que acontece no mundo.Não sejam surpreendidos por mudanças.A Bolsa é um cassino .Pôquer é só para espertos.Não é para isso que são regiamente pagos e abonados com valores à título de produtividade até quando se constata prejuízo a que somos convidados a cobrir com nossa folha.Cacife vocês tem em mãos.

Anônimo disse...

Caro Sr. Rossi,

Concordo que não se pode de uma única vez negociar as ações Vale pelo tamanho vulto.

Entretanto pode se diminuir conforme escrito, em uma substancial parcela de 30 a 50 por cento e buscar outros ativos menos vulneráveis.

O plano é finito e os calculistas deverão se ater ao verdadeiro dia "d" em que as gigantescas sobras estarão na conta corrente e patrimonial do Banco do Brasil.

OUTRA COISA QUE ME ASSUSTA É PAGAR PARA A Previc SOMA ESTRATOSFÉRICA PARA CONTROLAR O PAGADOR DA DITA.

TEMOS OU NÃO AUDITORIA EXTERNA E CONSELHO FISCAL?

PRA QUE PAGAR UM TERCEIRO QUE NADA RESOLVE, VEDE ESTATUTÁRIOS.

O DINHEIRO PAGO PARA A Previc, criação do réu LULA, é dinheiro posto fora, SMJ, que onera as contas do fundo, sem o mínimo retorno. Ou alaguem já viu um relatório publicado por aquele órgão sobre as contas da subsidiaria do BB?

Em todos estes anos já teríamos uma excepcional GRANA com o dinheiro pago a tal órgão.

Se acharem que não, me esclareçam.




Anônimo disse...

A Vale pagou de 2009 a 2014 US $ 8 bi de dividendos; entretanto, neste mesmo periodo o FCF (fluxo de caixa livre) foi de apenas US $ 1,2 bi. Assim, tais dividendos insustentaveis foram pagos com venda de ativos e aumento da divida liquida. A divida liquida que era de menos de US $ 10 bi no final de 2009, tinha ultrapasado US $ 24 bi no final de 2014.

Anônimo disse...

Simples assim: sair totalmente.

É preciso diminuir drasticamente a dependência do Plano 1 com relação às rendas variáveis.

Outros investimentos em renda fixa, por força do volume que ficaria disponível no caixa da PREVI, com certeza mereceriam taxas melhoradas.

Em resumo: pouca farinha, meu pirão primeiro...

Anônimo disse...

Agora é a vez de Litle Wolf subir no telhado? É bananão mesmo como diz o jamais anônimo HPN.
Putz Grila!!! Supostamente todos que decidem os destino do país (teoricamente pq a última palavra é de Deus) estão enrolados em alguma falcatrua?
E os cabra tem a cara de pau de chegar na frente de uma câmera de TV e dizer na maior cara de pau que não tem nada a ver com o rolo? Tem prova, tem dinheiro preso, tem delação, mas nada disso vale.
Ou a caserna se movimenta de maneira mais efetiva, ou voltaremos para as cavernas (desculpem o trocadilho)

Anônimo disse...

Um forte indício de sustentabilidade da hipótese de que o capitalismo bursátil hodierno é apenas um meio de transferência de renda, encontramos nos seguintes fragmentos de texto:

 O que ocorre é que a concentração do comando desse mercado nas mãos de
um pequeno grupo de sujeitos faz com que eles lutem incessantemente para manter os lucros a todo custo, inclusive porque nesse jogo suas vidas vão, em alguma medida, se entrelaçando às das empresas. Isto significa “[...] um impulso intensificado para as orgias de especulação, que CADA VEZ TÊM MENOS RELAÇÃO COM A REALIDADE ECONÔMICA. Pois o modo mais fácil de fazer dinheiro para os homens que têm os controles nas mãos é a manipulação financeira” (HUBERMAN, 1960, p. 242-243). Como um alquimista, o especulador financeiro transformará uma idéia em profecias que se auto-realizam, pois modificam as condições do próprio mercado. (9) (negrito e maiúsculo nossos)

 “[...] Independente da mesma, o que define a propriedade é o poder de alocação e, principalmente, o destino das riquezas produzidas que, cada vez mais, se concentram em poucas mãos”. (9) (negrito nosso)

Anônimo disse...

Cont.

Aqui nos parece oportuno fazer uma pausa em nossa tratativa para fazer dois importantes questionamentos: (1) por que as riquezas produzidas se concentram cada vez mais em poucas mãos? (2) por que as orgias de especulação cada vez têm menos relação com a realidade econômica?

- Para responder aos dois questionamentos acima, parece ser bastante nos lembrarmos de que o atual capitalismo bursátil é uma manipulação continuada, como sustentamos na primeira tese. Logo, como conseqüência do hodierno capitalismo bursátil ser uma manipulação continuada, quanto mais tempo você permanece “comprado” em títulos bursateis, mormente após os climaxes do mercado, mais você tende a perder.

Anônimo disse...

Prezado Ari,
Não foi para deslindar essas querelas que elegemos três diretores...? A hora é boa para se desfazer de 50% das açoes da Vale e aplicar o produto em renda fixa. Afinal de contas, está em jogo a perenidade do pagamento de nossas aposentadorias. Quem nao depende dos recursos da Previ nao deveria aplicar seus recursos a três por dois...

Anônimo disse...

Em 16/02/2017 a Previ anuncia em seu site:

PREVI realiza pesquisa com participantes
Levantamento tem como objetivo avaliar produtos e serviços atuais e buscar novas soluções e melhorias.
____________________________________
Esta pesquisa será conduzida pelo Ibope.
________________________________________________________
Em 20/04/2015 foi anunciado no site da Previ o seguinte:
___________________________________________________
PREVI realiza pesquisa com participantes
Serão entrevistados 900 participantes em todo o Brasil. Levantamento tem como objetivo medir a satisfação com a Entidade.
____________________________________

Alguém leu sobre o resultado desta pesquisa iniciada em 20.04.2015 sobre a satisfação com a Entidade?

Anônimo disse...

Colegas,

Os "iluminados" estão recebendo salários de ESTATUTÁRIOS E FAZENDO O PÉ- DE- MEIA POUCO SE LIXANDO PARA OS MORTAIS APOSENTADOS, SMJ.

Anônimo disse...

No sentido de permitir uma importante reflexão, sobre a hipótese que estamos sustentando do surgimento de uma manipulação continuada e planejada no hodierno capitalismo bursátil vale a transcrição da sutil diferença que encontramos ao compararmos duas distintas assertivas. A primeira, atribuída ao especulador Jesse Livermore (1923), e a segunda, de autoria do economista André Orléan (2011), conforme se segue:

 Não há sentido em aumentar os preços das ações a um nível muito alto se você não pode induzir o público a tirar as ações de sua mão mais tarde. Na realidade, o único momento em que um vendedor pode ganhar dinheiro grande vendendo uma ação é quando a ação está alta demais. E você pode apostar seu último centavo na certeza de que os grandes acionistas não vão proclamar este fato para o mundo. (10)

 Para dizer simplesmente, o que é essencial do ponto de vista da liquidez é que uma ação possa a qualquer momento ser trocada por dinheiro. Isso requer que um conjunto de preços seja determinado por meio do qual as ações possam ser compradas ou vendidas. Se esses preços são demasiado elevados ou demasiado baixos é uma questão secundária. (18) (negrito nosso)

Anônimo disse...

Cont.

A leitura comparativa dos fragmentos de texto, acima mencionados, é mais um forte indício do surgimento de uma conspiração no hodierno capitalismo bursátil.

Explicando: foi dito que “[...] os preços demasiado baixos é uma questão secundária.” Entretanto, isto nos permite pensar que tais preços “demasiado baixos” são na realidade preços “demasiado elevados.” Neste sentido, parece-nos oportuno lembrar que tais preços “demasiado baixos” foram formados pela “opinião do próprio mercado”. (18) Logo, tais preços são fruto de uma “manipulação continuada”, conforme estamos sustentando ao longo do presente trabalho. Consequentemente, tais preços chamados de “demasiado baixos” podem ser simplesmente preços “demasiado elevados.” O importante para os manipuladores é continuar a transferência de renda que continuamente ocorre no hodierno capitalismo bursátil, como iremos sustentar na segunda tese.

“Quem não sabe definir o que quer, que riqueza é esta sobre a qual deposita tantas expectativas, vai acabar desperdiçando seu tempo. Isto é típico daqueles que conhecem os preços mas desconhecem os valores. Acabam pagando muito por coisas de pouco valor. E dão lances irrisórios para obter coisas que, se soubessem seu valor, se pudessem enxergar, se martirizariam pelas oportunidades constantemente desperdiçadas. Quem não sabe o que quer não pode investir, e o Mercado, em vez de representar sustento, lhe tomará tempo e vitalidade.” (38)

Anônimo disse...

O Itaú suplantou o bb guloso, cuja subsidiária Previ está torrando ativos que dão lucro e segurando ativos podres para fazer caixa. Havendo caixa (PB1) o governo faminto usará o bb para desviar em rumos estranhos o dinheiro dos velhinhos trambiqueiros, cujo futuro é tenebroso.

Anônimo disse...

Lembro aqui de fato ocorrido em passado relativamente distante (acredito que tenha sido na década de 70, época do "milagre brasileiro").

Em dado momento o BB ou a PREVI (não tenho certeza qual deles) abriu linha de crédito a juros subsidiados para que pudéssemos adquirir ações do BB.

A aquisição deu-se por volta de R$ 32,00 (equivalentes); quando atingiu R$ 58,00 (equivalentes) efetuei a venda e liquidei o empréstimo, obtendo um valor razoável de lucro.

Mas as ações continuaram a subir e quando atingiram R$ 70,00 (equivalentes) o comprador passou a rir de minha atitude.

Pois bem, em questão de DIAS, houve uma queda muito acentuada na Bolsa em geral, sendo que a ação do BB passou a ser cotada a R$ 22,00 (equivalentes).

Um colega ("in memoriam"), que foi instrutor do antigo DESED na matéria Mercado de Capitais, quando inquirido por mim sobre a possibilidade de ganhos em ações, respondia que o risco seria sempre de 50%, mas com tendência sempre a perdermos para os mais ricos e antenados com o mercado.

Pelo que me lembro ele nunca aplicou em ações.

Moral da estória: tem razão o colega que comentou ser a bolsa um mero local para especuladores, pois onde uns ganham necessariamente outros perdem.

MARCELINO MAUS disse...

"Pois neste ano, a PREVI precisa tomar a decisão: Ou continua na Vale ou vende sua participação."

Assim como natureza da alcatéia é jamais abandonar a carcaça, alguém acredita que os Conselheiros abandonarão os honorários?

Ari Zanella disse...

Os colegas já perceberam que o globinho aponta 976.000 visitas? Isto significa que até o dia 15.03.2017 a marca será de 1.000.000 de visitas.

Sabem o que isto representa?

-Nada.

Anônimo disse...

Em síntese, a Bolsa é apenas uma máquina de fazer fortunas. [...] Claro que, para aqueles que ficam ricos, não é nada desprezível. Mas, para todos os demais isto começa a ser bastante. (55) Ademais, existem fortes indícios de que alguns participantes do mercado vão receber pouco ou nada, pois a finança somente é capaz de transferir ao longo do tempo a titularidade das riquezas. Entretanto, ainda falta que as riquezas sejam produzidas. (23) Em igual sentido, vale aqui lembrar algo que antes sustentamos na primeira tese: a Bolsa é apenas mais um JOGO DE SOMA ZERO. Em outros termos, na Bolsa de Valores não existe o milagre da multiplicação dos pães. (31) Assim, a Bolsa de Valores hodierna não é uma instituição eficaz, pois não faz as coisas certas, como estamos sustentando ao longo do presente trabalho. Neste sentido, os preços bursateis hodiernos estariam tanto “manipulados”, quanto “sobreavaliados”, como antes demonstramos. Logo, adiante iremos demonstrar que como os mercados bursateis hodiernos são manipulados, quanto mais tempo você “mantém em carteira títulos bursateis”, mormente após os climaxes do mercado, mais você tende a perder. Assim, tal “manutenção em carteira” de títulos bursateis é uma maneira sutil de transferência de renda, que causa o empobrecimento de grande parte da sociedade civil. [...]

Aristophanes disse...

Prezados.
Em uma coisinha simples, como uma mudança no ritmo de cobrança de parcelas do nosso ES, nós participantes não conseguimos, sequer, resposta...imagina mudar os destinos da Vale! É briga de caachorro grande, com consultoria externa, discussões de Temer com Trabuco e nosso zeloso patrocinador Cafarelli. Vamos cuidar de conferir o "espelho" antecipado, de 20/2, que este mês tem carnaval.

Anônimo disse...

Delação iminente e...
http://www1.folha.uol.com.br/poder/2017/02/1859503-ministros-do-stf-discutem-libertacao-de-eduardo-cunha.shtml

Anônimo disse...

Marcio Lobão é presidente de alguma subsidiaria do BB ?
Falando em investimentos -Vale no caso- como vai a INVEPAR ?
Um dos investimentos a Linea Amarilla Parc Rimac no Peru já foi para outras mãos. A causa foi um dos sócios ? Esse investimento dava retornos. E a CPFL ? A venda quem provocou ? Dava bons rendimentos.
E o GRU Airport também investimento da Invepar ? Vai dar resultados bons logo, ou será um retorno para daqui a 20 anos ? Os sócios estão todos bem ? Todos com saúde ? Ou tem algum enrolado ?
Na pesquisa para avaliar produtos e buscar soluções e melhorias, deixo de participar. Não quero "tirar emprego" de nenhum diretor ou nenhuma consultoria. Só se pagarem o que ganham os conselheiros e os ADVISORS (eta nome sonoro parece TOP FIVE).

Anônimo disse...

Questão do vestibular da Faculdade Internacional de Teresina para o curso de Biblioteconomia Digital em cabine sonoterápica inaugurada pelo Emérito Mão Santo

Analisando a conjuntura política brasileira com seus desdobramentos no âmbito penal, marque a alternativa correta:

a) Tudo que foi noticiado nos últimos tempos não passa de um golpe e as pessoas citadas possuem reputação ilibada

b) O partido dos trabalhadores é o partido mais ético da América Latrina

c) O escândalo denominado "petrolão" não passa de uma invencionice da direita reacionária

d) Os déficits bilionários dos fundos de pensão das estatais foram ocasionados pela crise internacional, fato que isenta totalmente de responsabilidade seus dirigentes.

e) Todas as alternativas anteriores estão corretas se as afirmativas não passarem de mentira deslavada

Carlos - Rio Pardo(RS) disse...

Sr. Ari, bom dia. Presidente da Brasilcap envolvido em escândalo.

http://veja.abril.com.br/brasil/investigacao-aponta-que-filho-de-lobao-repassou-propina/

Investigação aponta que filho de Lobão repassou propina.

Na busca e apreensão na residência de Márcio Lobão no Rio, a Polícia Federal apreendeu cerca de 1.200 quadros. O filho de Lobão é presidente da BRASILCAP, braço de planos de capitalização do Banco do Brasil, há 10 anos. Sua mulher, Marta Martins Fadel, chegou a ser lotada no gabinete de Lobão no Senado, entre 2001 e 2003. Ela é filha do advogado Sergio Fadel, um dos maiores colecionadores de arte do país.

Abr,carlos

Anônimo disse...

Diretor Aristophanes,


Em briga de cachorro grande, os cusco, os guaipeca e demais vira-latas, nem como espectador tem vez, ainda mais com trabucos e algo a temer do resultado.

Quanto a zelos só resta a saudosa memória dos tempos antigos, de pura glória.

Respeitosa e cordiais saudações

Anônimo disse...

pmbdt = simbiose

http://noticias.r7.com/brasil/servidor-publico-sera-obrigado-a-pagar-contribuicao-sindical-17022017

Anônimo disse...

Na busca e apreensão na residência de Márcio Lobão no Rio, a Polícia Federal apreendeu cerca de 1.200 quadros. O filho de Lobão é presidente da Brasilcap, braço de planos de capitalização do Banco do Brasil, há 10 anos. Sua mulher, Marta Martins Fadel, chegou a ser lotada no gabinete de Lobão no Senado, entre 2001 e 2003. Ela é filha do advogado Sergio Fadel, um dos maiores colecionadores de arte do país.

Fonte:http://veja.abril.com.br/brasil/investigacao-aponta-que-filho-de-lobao-repassou-propina/

QUER APOSTAR QUE RESPINGA NO FUNDO DA PENSÃO?

CARACA VÉI (COMO DIZ MEU NETO)

SERÁ QUE VÃO METER A MÃO NO FUNDO DO BOSTEIRO?

Anônimo disse...

Emérito Professor ZANELLA:


Já paguei duas mensalidades da ANAPLAB via "boleto bancário". Por favor, tendo em vista que ainda não recebi o referido documento para FEVEREIRO/2017, gostaria de saber se a ANAPLAB vai manter ainda esse tipo de pagamento, que para mim, é o que melhor me satisfaz. Muito obrigado.

Ari Zanella disse...

Grande colega das 15:19

Vamos manter as mensalidades por BOLETO. Suas duas mensalidades estão quitadas. Disponibilizamos mais uma ferramenta em nossa página, o AUTOATENDIMENTO/FINANCEIRO na qual cada associado pode acompanhar suas quitações de mensalidades.
Abraços anaplabeanos.

Anônimo disse...

PREVI está no "Top 5" do Banco Central pelo segundo mês consecutivo
Sistema de Expectativas do Bacen mostra as instituições que mais acertaram as projeções macroeconômicas em janeiro de 2017.

O Banco Central anunciou no dia 8/2 a lista das instituições que mais acertaram as projeções macroeconômicas no mês de janeiro/2017. Mais uma vez a PREVI aparece entre as cinco melhores na projeção referente à taxa de juros básica (Taxa Over SELIC) do Sistema de Expectativas.

Desde março de 2016, quando começou a divulgar suas projeções no Sistema, é o segundo mês consecutivo que a PREVI figura no “ranking Top 5”.

O Sistema de Expectativas do Banco Central é uma ferramenta on-line no qual são projetadas variáveis econômicas, periodicamente, por mais de cem instituições financeiras, bancos de investimentos e empresas de consultoria financeira.

O Departamento de Relacionamento com Investidores e Estudos Especiais do Bacen é o órgão que anuncia as instituições “Top 5”, entre as participantes da pesquisa de expectativas de mercado.


QUERIA VER SE VOCÊS TIVESSEM PERDIDO O BET!!!!! NÃO ENTRAVA NEM NO TOP BILHÃO

Anônimo disse...

O pior de tudo não é ser roubado. Afinal todo mudo é. Ruim mesmo é ser roubado e ainda premiarem os gaturebas.




6 tão é de sacanagem

Anônimo disse...

O grande problema é que exportamos commodities: minério de ferro, soja, etc, com pouco valor agregado e direcionado a poucos compradores.