BANNER

Acesse aqui!
atendimento@anaplab.com.br
Joinville/SC: (47) 3026-3937
S.J. Pinhais/PR: (41) 3035-2095

sexta-feira, 27 de janeiro de 2017

DISTORÇÃO NO CÁLCULO DA MC DOS TRINTA POR CENTO



É um engodo falar em reajuste de benefícios dos aposentados, pois na realidade não existe ganho real algum e a recomposição que ocorre em janeiro de cada ano não passa da simples reposição parcial da inflação medida pelo INPC manipulado pelo IGBE.

Enquanto os trabalhadores e aposentados são iludidos pela maquiagem do Poder Executivo, a inflação real que grassa no país e que alimenta o aumento generalizado da maioria dos preços do mercado é muito acima desse arranjado indicador econômico e, em consequência, obviamente, ao longo dos anos o poder de compra desses sofre, inexoravelmente, redução substancial na espiral subliminar desse jogo sujo sem fim.

Claro está que o Governo de plantão, inquilino que caiu de paraquedas na Presidência da República ao baixar, na marreta, o IPCA, ajusta artificialmente a inflação oficial de 6% prevista para 2017, à meta de tolerância de 1,5% acima do núcleo de 4,5% perseguido.

Certamente essa manobra ardilosa objetiva tranquilizar e gerar confiança nos investidores, mesmo que fantasiosa, para reativar o crescimento da economia e alavancar o baixíssimo índice de popularidade que lhe tira o sono e a governabilidade.

O mercado capitalista busca sempre ganhos polpudos e imediatos para realizar lucros, contudo, é muito sensível a boataria de toda natureza, principalmente às decisões políticas corporativistas de um legislativo apodrecido pela corrupção.

A falta de segurança jurídica no cumprimento dos contratos pactuados e da manutenção das regras negociadas são outros aspectos negativos muito temidos e preocupantes, onde a palavra chave “credibilidade” é vital para garantir a capitação dos recursos externos e o retorno dos capitais aqui investidos. Afinal das contas, risco, rentabilidade e liquidez são fatores essenciais aquilatados antes do fechamento dos negócios bilionários.  

 A estratégia matemática em voga produz milagres nas contas públicas, conquanto o viés de inflação descendente crie ambiente favorável para o BACEN baixar a taxa Selic e reduzir significativamente as despesas de custeio (na Previdência Oficial e os juros da Dívida Pública), inobstante saibamos da origem das cartas marcadas desse jogo macroeconômico.

Com efeito, tudo isso tem um preço alto e essa conta será paga pelos menos favorecidos, especialmente aqueles que ganham um salário mínimo (piso) de aposentadoria. Na prática, esse efeito já aconteceu, tanto que a Selic caiu de 13,75% para 13% e o salário mínimo deste ano teve o reajuste simbólico de R$57,00, passando de R$ 880,00 para R$ 937,00.

No âmbito da PREVI a Diretoria de Seguridade parece uma madrasta rancorosa que nunca gera melhoria nos benefícios e, ao contrário, abre o seu saco de maldades e massacra financeiramente os participantes e assistidos, deixando que a bomba estoure sempre nas mãos destes, visto que são convocados para pagar os déficits decorrentes dos desmandos da má gestão da própria Diretoria Executiva, sobre os quais não têm ingerência administrativa alguma.

 Podemos afirmar que o Corpo Social é um saco de pancadas que apanha de todos os lados. Neste contexto, a CASSI se estrumbicou financeiramente nos últimos anos e quem foi chamado para pagar o prejuízo? Respondo: os associados.

Criaram a “Contribuição Extraordinária” de 1% a favor da caixa de assistência para fazer face aos rombos do seu balanço deficitário, frutos de péssima administração, tudo a título de garantir a sua sobrevivência, consignação essa que evidentemente corroí o defasado benefício recebido e, automaticamente, reduz o limite do ES porque achata a Margem Consignável, pilar mestre de definição da concessão desse empréstimo.

O descontrole da CASSI era tão caótico que as circunstâncias deletérias impeliram os associados a aceitar, como única saída para evitar o encerramento das atividades desse plano de saúde, a contribuição extra e transitória de mais 1%, a findar em dez/2019, hospedada na modificação do estatuto através do artigo 91, a qual deveria, pelo seu aspecto de “doação”, ser cobrada a débito da conta corrente para não impactar a MC do ES.

Na verdade, a reposição acumulada do INPC de janeiro a dez/16, de 6,58% a partir de janeiro/17, em última análise, resultou em apenas 5,58%, excluindo-se o percentual de 1% doado a CASSI.

Aliás, a própria consignação contratual de 3% também a favor da CASSI poderia ser debitada na conta de depósitos, no dia 20 de cada mês, sem risco de inadimplência, porque os associados são muito zelosos com o pagamento da parcela mensal, uma vez que o inadimplemento acarreta a suspensão imediata do plano de saúde e cessa a assistência médico hospitalar para o devedor e seus dependentes.

Caso não prevaleça o bom sendo e a sugestão seja considerada impraticável, então que a Diretoria de Seguridade proponha a exclusão das contribuições da CASSI do cálculo da margem dos 30%, porque a rigor, hoje, os detentores de planos de saúde, pelas práticas usuais do mercado, não são obrigados a pagar o seu contrato de saúde com trânsito por fopag, por configurar exigência inadequada, descabida e fora dos padrões racionais e exequíveis que balizam o funcionamento operacional eficiente e eficaz desse importante segmento.

Embora o Diretor de Seguridade seja eleito, depreende-se que não prioriza e nem dá a mínima atenção para a defesa dos interesses dos seus eleitores, porquanto sempre que elabora mudanças no PB-1, essas são nocivas e prejudicais às conquistas dos participantes e assistidos. Parece aquele sádico que gosta de ver o circo pegar fogo, agindo em consonância com a velha máxima: “É possível aprofundar e piorar o que já era ruim”.

Exemplo contundente disso, sem dúvida, é a alteração na fórmula de cálculo da MC do ES, visto que a ilegal inclusão do Financiamento Imobiliário, operação específica de investimento, na MC de 30%, estrangulou e reverteu para “negativa” as margens positivas que milhares de devedores dos empréstimos simples possuíam em out/16, as quais eram suficientes para renová-los, todavia, viraram fumaça.

Tal providência arbitrária efetivou essa mistura heterogênea, incompatível e perversa que resultou em patente contingenciamento de crédito, estreitando as margens de acesso à linha de crédito e culminando por alijar milhares de tomadores ao ES, os quais possuíam Margens Consignáveis positivas em out/16 e estas viraram pó em jan./17 por força dessa tresloucada inovação sem base técnica plausível.

De uma só tacada, a Diretoria de Seguridade retira direitos arraigados e cristalizados ao longo de décadas, abolindo um processo sistematizado que sempre deu certo.

Cabe observar que o FINIMOB antes deferido com arrimo no artigo 16 do Regulamento da Carteira de Financiamentos Imobiliários Carim Plano 1, abaixo reproduzido, e enquadramento regulamentar na MC de 70%, por ser operação de investimento, destinada a compra de casa própria e com garantia real (hipoteca), agora sofreu ruptura inaceitável no funcionamento do seu modus operandi eficaz e que deveria ser inatacável.

Eis o que reza o artigo 16: “A prestação inicial estará limitada ao menor valor entre 25% (vinte e cinco por cento) da renda bruta e a margem consignável de 70% (setenta por cento) descrita na folha de pagamento do participante”.

Assim é que, originalmente formatado para repousar na MC de 70%, é evidente que o saldo devedor do FINIMOB não caberá nunca na margem de 30% da renda líquida, limite este específico e reservado para suportar os débitos dos empréstimos consignados contraídos, contribuições da PREVI, CASSI e IR, etc., basicamente gastos de custeio.

Portanto, esse deslocamento do financiamento imobiliário para a MC de 30% é uma traição insólita e uma punhalada nas costas do associado com o fim exclusivo de manietar a sua vida financeira. Como se a PREVI fosse uma agência reguladora governamental, com essa alteração engessou o nível de endividamento do associado, exercendo sobre ele um controle forçado e indesejado. Será que a Diretoria de Seguridade pensa que todo aposentado do BB é um velho trambiqueiro?

Isto posto, em face dos argumentos aqui produzidos, por uma questão de justiça e de direito líquido e certo, caberá a Diretoria de Seguridade, de ofício, rever o assunto e recalcular as MCs de todos os associados, de forma que os limites corretos dos 30% sejam estampados na fopag de fev./17.

Não se pode mudar as regras com o jogo em andamento, ou seja, com os contratos dos financiamentos imobiliários “em ser”, concedidos com base na margem de 70% prevista no Regulamento da Carteira Imobiliária que continua em pleno vigor.

Esse documento jurídico infraconstitucional tem força de lei e precisa ser respeitado, porque ninguém está acima da lei, tampouco a Diretoria de Seguridade. Essa alteração esdrúxula, inoportuna e que fere direitos adquiridos no cálculo da MC do ES é passível de ser contestada no Judiciário e a PREVI seguramente será a parte vulnerável em eventual disputa judicial.

Outra diretoria que tem atuação ineficiente, claudicante e criticada pelos associados é a de Planejamento por ser ela responsável pelos estudos e proposição de políticas orientadoras da gestão dos ativos aportados na PREVI, sobretudo na etapa que diz respeito à alocação de recursos, análise de risco, aderência às necessidades de liquidez, solvência dos planos, programação orçamentária e rigorosa obediência aos princípios da compliance, mas que lamentavelmente não cumpre a contento a sua importante missão.

De fato a ausência de providências para reduzir a nível prudente a elevada exposição dos recursos em Renda Variável catalisa os riscos da perigosa volatilidade das Bolsas de Valores, na cotação dos preços das ações, e atrela o destino futuro dos associados ao desse paiol de pólvora sujeito a ir pelos ares em tempo imprevisível e os estragos supervenientes difíceis de serem dimensionados. Debalde as gestões e diatribes tecidas sobre o assunto pelo Corpo Social, muito pouco foi feito, pela Diretoria Executiva, até o momento, para desarmar essa tragédia anunciada.

Quando o funcionário do BB requer a sua aposentadoria, cálculos atuariais são feitos com base na sua reserva matemática e estipula-se o valor do benefício inicial, o qual se altera, depois dessa data, apenas anualmente com a reposição da inflação medida pelo INPC ou com eventual revisão do plano para distribuir Reserva Especial. De modo que a contribuição atual de 4,8% paga a PREVI, pós-aposentadoria, não agrega vantagem alguma para o associado no gozo da sua aposentadoria.

Como o PB-1 está fechado desde dez/1997 para novas inclusões e em processo de extinção, é inconcebível aceitar que um plano superavitário, ou seja, com sobras técnicas bilionárias, continue cobrando contribuição de seus associados, ainda que esses superávits não sejam suficientes para acobertar a Reserva de Contingência de 25%. Digo mais, é um despautério que esse mesmo superávit sirva para pagar Renda Variável (bônus) para os Diretores, beneficiando-os exclusivamente em detrimento dos legítimos donos do fundo de pensão, que são os associados.

É premissa básica nas EFPCs, sociedades sem fins lucrativos, que resultados financeiros, positivos e ou negativos, superávits ou déficits, sejam considerados anomalias e distorções, porque essas instituições, em essência, não foram criadas para ter sobras e ou perdas, mas sim equilíbrio entre as rubricas de receitas e despesas, de sorte que só se justifica cobrar contribuições adicionais no caso de déficits, como, aliás, está previsto no artigo 21 da LC 109/2001.

Embora, no estatuto do fundo esteja prevista a contribuição de 4,8%, cabe ponderar, no entanto, que o mercado de Previdência Completar extinguiu essa cobrança pós-aposentadoria, uma vez cumprido o pedágio, isto é, o prazo de contribuição, esta cessa automaticamente.

Ante este fato, de certa forma, o associado da PREVI está sendo lesado moralmente, porque com uma mão o fundo de pensão paga “X” de aposentadoria e, com a outra, deduz “Y” da contribuição de 4,8%. Para agravar a situação o valor dessa contribuição ainda o penaliza no cálculo da MC do ES, porque inviabiliza a tomada do empréstimo ou reduz absurdamente o seu limite de crédito.

Muitos defendem que a PREVI deveria isentar de contribuição quem já tenha pago mais de 360 parcelas, computando-se o tempo de ativa e de aposentado, o que não seria favor algum, posto que a grande maioria dos associados fez mais do que a sua obrigação, tendo em vista que poucas vezes o nosso fundo teve déficits durante a sua existência e que não houve necessidade de equacionar os resultados deficitários com contribuições adicionais, o que reforça a tese para isentar de todos, sem exceção, a cobrança da contribuição contratual de 4,8%.

(João Rossi Neto - Goiânia - GO)

75 comentários:

Anônimo disse...


Caro João Rossi Neto

Concordo com você em gênero,número e grau. Você foi abrangente e cirúrgico.
Urge que demos um basta no que aí está!
Dias atrás, invoquei sua aparição e fui brindado com esta pérola, porém pergunto-lhe com o devido respeito:

O QUE PODEREMOS FAZER PARA QUE ESTA MEIA DÚZIA QUE DIRIGE NOSSO FUNDO DE PENSÃO, NA MARRA OU POR GOELA ABAIXO, MODIFIQUE SEU "MODUS OPERANDI" QUE DESASTROSAMENTE CONTRIBUI PARA A NOSSA DEGRADAÇÃO SOCIAL, ECONÔMICA E FINANCEIRA DOS LEGÍTIMOS DONOS?
O QUE LEGALMENTE FALANDO,VOCÊ SUGERE QUE SE FAÇA COM A BREVIDADE EXIGIDA?
Com o devido respeito, gostaria de seu posicionamento.
Urge que se tome alguma atitude!
Um grande abraço!


Aristophanes disse...

O dia começou bem, com o retorno vibrante e competente do colega João Rossi.Alio-me,modestamente,ao seu oportuno e irretorquivel libelo. Com a palavra a vigilante corregedora que censura o blog, a mando da Previ.E, por dever moral e ético, os nossos "diretores eleitos". João, meu abraço solidário!

Anônimo disse...

Pois é!!!!!!!

Este arrazoado deveria ser encaminhado ao MP. Esse país é uma embarcação sossobrando a deriva sem governo. Utilizam órgãos dominados para premiar outros órgãos sujeitos ao cabresto governamental visando aparentar normalidade e continuidade da expropriação de direitos.
Um governo foi deposto pelo mesmo governo eleito. Necessário intervenção militar antes de eleições gerais, para que seja apurado todo mal feito praticado na última década (pelo menos).
Os poderes supostamente estão contaminados pela corrupção, que parece que é geral e irrestrita.
No presente momento não vejo liderança política capaz de assumir a nação, por isso só resta a intervenção no presente momento.

Ah! E quanto a Lava Jato parece que foi literalmente ferida de morte.

HELENO PINTO NOBRE disse...


HELENO PINTO NOBRE ; EX+ MATRIC. 3.984.740-3 ; JAMAIS ANÔNIMO
AO LER O TEXTO SEM TER VISTO O AUTOR IMAGINEI QUE SERIA O GRANDE JOÃO ROSSI NETO .
VOU SER DIRETO E OBJETIVO . COMO SEMPRE O GRANDE JOÃO ROSSI NETO DIZ TUDO E SOMENTE TEMOS QUE AGRADECER O SEU ARRAZOADO .
MUITO OBRIGADO GRANDE JOÃO ROSSI NETO E A MEU VER O NOSSO PROBLEMA É QUE SOMOS HÁ MUITO TEMPO DES+CONSIDERADOS E NA REALIDADE CONSIDERADOS COMO LIXO E OS BANDIDOS QUE NOS DES+GOVERNAM PINTAM E BORDAM E NÓS COMO SOMOS ALIENADOS SEMPRE TOMAMOS NO PREJUÍZO .!
COMO TUDO NESTE BANANÃO NEM TEMOS QUEM NOS DEFENDA .
ENQUANTO NÃO TIVERMOS GENTE QUE PRESTE PARA NOS GOVERNAR SEMPRE ESTAREMOS EXPOSTOS A ESTE BANDO DE MARGINAIS QUE SOMENTE METEM AS MÃOS NO QUE NÃO É DELES .
O POVO DO BANANÃO É TOTALMENTE ALIENADO E SOMENTE SE PREOCUPA OU PENSA EM APROVEITAR FESTAS DE FIM DE ANO ; CARNAVAIS ; SE MATAM POR TIMES DE FUTEBOL ;. AMAM FERIADÕES E TEM UM GRANDE DEFEITO ; GOSTAM SUPOSTAMENTE DE LEVAR VANTAGEM EM TUDO . SOMOS UM POVO EGOÍSTA E QUE HÁ MUITOS ANOS VEM TOMANDO BOLA NAS COSTAS .
NEM TEM QUEM NOS GOVERNE SEM NOS ROUBAR .
O ÚNICO SUJEITO QUE ULTIMAMENTE VEM SE SOBRESSAINDO É O ATUAL PREFEITO DE SÃO PAULO : JOÃO DÓRIA Jr. QUE TRABALHA MUITO E ABRIU MÃO DOS SEUS SALÁRIOS EM TODO O TEMPO QUE ELE GOVERNAR E TRABALHA INCESSANTEMENTE E SE TRANSFORMANDO NUM CIDADÃO QUE ESTA ENCANTANDO O POVO DA CIDADE DE SÃO PAULO E DAS PESSOAS NO PAIS MESMO QUEM NÃO MORA NA CIDADE DE SÃO PAULO COMO ´E O MEU CASO .

REPITO AGRADEÇO AO GRANDE JOÃO ROSSI NETO PELO TREMENDO ARRAZOADO VERDADEIRO E NEM ACHO QUE TÃO CEDO NÓS IREMOS CONSEGUIR GANHAR ALGUMA COISA DESTE """PESSOAL"""QUE SUPOSTAMENTE NOS (DES)+ ADMINISTRA. EU EM 12/1998 FUI PREJUDICADO PELO MALDITO FHC E VOU CARREGAR ESTA MÁGOA ATÉ O TÚMULO . FALTAVA APENAS 06 MESES PARA EU TER O DIREITO DE ME APOSENTAR EU ME APOSENTARIA EM 07/1999 ; TIVE QUE ESPERAR COMPLETAR 35 ANOS DE SERVIÇO HAVIA COMEÇADO A TRABALHAR EM 05/1969 E SOMENTE PUDE ME APOSENTAR EM 04/2004 . GRAÇAS AO DES+GOVERNO DO BANDIDO FHC . TENHO MÁGOA E CARREGAREI ESTA CARGA ATE A MORTE . SOMOS UM POVO DES+GOVERNADOS POR BANDIDOS . INFELIZMENTE .

JAMAIS ANÔNIMO ; EX+MATRIC. 3.984.740-3 ; HELENO PINTO NOBRE . ENVERGONHADO DE TER NASCIDO NESTE BANANÃO DES+MORALIZADO E ARROMBADO E ROUBADO DIARIAMENTE POR SUPOSTOS DES+GOVERNANTES QUE NÃO RESPEITAM O POVO QUE POR AQUI VIVE .

Anônimo disse...

Uma solução que se aproxima.
PLP 268.
Mais adiante o CORPO SOCIAL (esclarecido).

Anônimo disse...

Distorções.
A Lei 13.183 no que diz respeito a MC 30% para empréstimos e financiamentos por fundos de pensão estabelece consignações obrigatórias e contribuições facultativas.
Para obter a MC 30% Empréstimos: Renda Bruta menos CONSIGNAÇÕES OBRIGATORIAS igual Renda Disponível sobre a qual se aplica 30%.
A Previ divulgou nota nesse sentido.
Consignações obrigatórias: IR-PENSÃO JUDICIAL-CONTRIBUIÇÃO AO FUNDO-EMPRESTIMO (Se houver).
Esse resultado aparece no contracheque.MC Positiva.
Para a MC 30% que aparece no site link "EMPRESTIMOS', a Previ junta tudo. Consignações obrigatórias mais Consignações facultativas. MC negativa;
Nesse calculo consideram INSS 3% e 1%, Capec, Seguros etc., além das obrigatórias.
Essa é a MC que a Previ está considerando.

Anônimo disse...

Aposentados sempre penalizados. Continuar contribuindo para receber seus benefícios. Por outro lado, tem alguns que recebem sem formação de reservas. Vergonha!!!!!!!!

Blog do Ed disse...

Acho que no Brasil temos uma Previdência Social maquiavélica. Para mim, aposentar-se aos 50 anos de idade, com 100% de uma renda anual de 60 mil reais, quanto mais 300 mil reais, nos últimos três anos, é assalto, não é benefício previdenciário. Para mim, a política econômica brasileira veio seguindo e continua seguindo o paradigma mundial, inclusive russo e chinês, de infinita multidão de maltrapilhos pagando as sibarítícas rendas de l% de encastelados, que nem acionistas são, e sim meros CEOS de empresas e até, incredibile dictu, de fundos de pensão... Isso já é incriminado pelos economistas desde 1930 e agora colocado por Thomas Pikety como responsável pelo desastre da Economia Capitalista... se não decidir mudar de rumo. Aquele desastre previsto por Karl Marx. Esse desastre anunciado profeticamente pelo estimado Mestre Ari...
Edgardo Amorim Rego

Cade Araujo disse...

Valeu João Rossi Neto, foste muito feliz em tua argumentação.
Cadé

Anônimo disse...

Há muito tempo que defendo a retirada do patrocinador do PB1, o que nos livrará dos interesses escusos, redução das despesas administrativas. Gente competente no mercado tem de sobra.

Anônimo disse...

MESTRE ARI, ESTOU PREOCUPADO COM ESSAS AÇÕES AINDA NÃO AJUIZADAS, COM TANTAS NOVIDADES QUE APARECEM DIA APÓS DIA SOBRE CHAMAMENTO DA PREVI PARA NEGOCIAR INDIVIDUALMENTE COM QUEM JÁ TEM DETERMINADAS AÇÕES,TORÇO PARA QUE A ANAPLAB AJUIZE LOGO PARA QUE NÃO FIQUEMOS FORA E PREJIDICADOS OBRIGADO.

divany silveira-S.Lagoas-mg disse...



' É ISTO MESMO, O MESTRE EDGARDO FOI DE UMA CLAREZA IMPAR "'

Mestre, isto posto,uma hora o esquema BB/PREVI está por
cima e,então, dadas as iteradas reclamações dos assistido
e ameaças de denunciarem à justiça os escravocratas a du-
pla gestora dá anuência para que o grupo ex-sócio permane-
ça em decúbito ventral, até ulterior decisão.E logo depois
vem a decisão com novidades ; os lesados podem ficar em de-
cúbito dorsal.Ainda bem que a nossa mantenedora é super
preocupada com o nosso bem estar.Deus é testemunha, Né,TER-
TA ???

Anônimo disse...

Maravilhoso!!!JOÃO ROSSI NETO, parabéns pela sabedoria de mostrar o quanto a diretoria da Previ é maquiavélica e monstruosa com os pobres associados que infelizmente se sucumbim com uma vida cada vez pior.
Colocarem o Financiamento Imobiliário q nunca entrou no cálculo da MC agora com a dose de altíssima e injustificável razão fazê-la diminuir nossa MC é de desconsertante maldade.

Anônimo disse...

Ari, considerando-se os fortes e claros argumentos do Sr.João Rossi neste post, quanto à utilização da Carim na MC para ES, q prejudicaram todos q possuem Financiamento Imobiliário, q com isso ficaram sem poder renovar o ES, não seria possível solicitar à Previ em nome dos milhares de associados q ficaram de fora da renovação do ES, rever os parâmentos da MC, retirando o valor da Carim.

Anônimo disse...

Contra corrupção, Embraer será monitorada por advogado americano
Exigência foi feita pela Justiça americana, que quer ter certeza de que companhia vai mudar suas práticas e ter regras fortes para evitar casos de corrupção


O Departamento de Justiça dos Estados Unidos (DoJ, na sigla em inglês) definiu na última terça-feira que o advogado Alexandre Rene, do escritório americano Ropes&Gray, será o monitor externo da Embraer. Rene vai vigiar a fabricante de aviões pelos próximos três anos, fiscalizando as regras de compliance que serão implantadas na companhia. Sua função também é reportar qualquer novo indício de corrupção que encontre.

A empresa brasileira fechou em meados do ano passado um acordo com as autoridades americana e brasileira para evitar ser processada por casos de pagamentos de propina para obter contratos de venda de aviões em países da América Central e Ásia, entre 2007 e 2011. O caso foi descoberto há seis anos e somente no ano passado teve um desfecho. A multa estipulada foi de 206 milhões de dólares, aproximadamente 680 milhões de reais.

Fonte:http://veja.abril.com.br/economia/contra-corrupcao-embraer-sera-monitorada-por-advogado-americano/

OS SAFADOS DOS COMUNAS CONSEGUIRAM FAZER O CONTRÁRIO DO QUE FALAVAM. ESSES VERMELHOS SEM VERGONHA QUERIAM SER NORTE AMERICANOS. FREUD EXPLICA ESSA FIXAÇÃO ...
DEFENDEM UNIÃO DO MESMO SEXO PQ QUERIAM CASAR COM BUCHI, TRAMPI, UBHAMA


QUE VERGONHA!!! ESTOU RUBORIZADO

Anônimo disse...

Não sobrou pedra sobre pedra, nem os escaninhos da república foram poupados, tampouco a Fênix renascerá, eis que nem as cinzas deixaram. Quando mais se mexe, mais fede.

Anônimo disse...

boa tarde amigo Ari,vc sabe informa se esse ano vai ter BET pra nos?

ANABB PERDE UM DINHEIRÃO disse...

A ANABB publica em 25/01/2017, em seu site, cinco decisão (n.148 a 152) registradas em ata de n.66, da Diretoria Executiva onde dá por perdido, lançando em prejuízos 7 empréstimos à "GUARD- Adm.e Corretora" num total de R$ 744 MIL REAIS, e outros R$ 168 MIL REAIS incobráveis do Advogado Ivo Evangelista e R$ 8,8 MIL REAIS com a ICATU....Corrigidos vão prá MAIS DE 1 MILHÃO DE REAIS prescritos (+5 anod), não ajuizadas , vencidos e lançados em prejuízos, no balanço de 2016.

Anônimo disse...



Olá!

Eu acabei de assinar o abaixo-assinado "Assine para pedir o fim dos privilégios dos parlamentares (deputados e senadores)". É importante. Você pode assinar também?

Aqui está o link:
https://www.change.org/p/assine-para-pedir-o-fim-dos-privilégios-dos-parlamentares-deputados-e-senadores?utm_medium=email&utm_source=notification&utm_campaign=signature_receipt&share_context=signature_receipt&recruiter=42296714

Obrigado,

Anônimo disse...

Parabéns João Rossi! Muito elucidativo o seu texto. Agora a pergunta; O que podemos fazer para mudar essa situação? Para fazer com os aposentados sejam os verdadeiros beneficiados do seu fundo de pensão? Que medidas judiciais podemos tomar para cada item discutido no seu texto?
A diretoria da Previ se acha proprietária do fundo e nós, que contribuímos durante nossa vida inteira temos todos os nossos pleitos negados. Precisamos unir forças a fim de defender nosso sustento.

Ari Zanella disse...

18:01

Só se for via judicial, as doze parcelas que faltam.

Anônimo disse...

Professor Ari,

Se e permitir gostaria de mandar um recado para toda a Diretoria do Banco do Brasil, Previ e Cassi:

Jesus ama muito vocês !!! Ele morreu na cruz para que nós alcancemos a Nova Jerusalém

Tenham um Feliz 2017

Com Amor de Cristo

Anônimo disse...


Prof. Ari

Pena que um texto deste brilhante conhecedor da Caixa de Previdência dos Funcionários do Banco do Brasil talvez não chegue ao conhecimento de 10% dos nossos colegas aposentados e pensionistas. Aqueles que realmente se interessam pelo nosso presente e futuro devem ficar estarrecidos com o que está se passando. Com base no que relata o parágrafo 16 Prof. Ari não faça mais apelos ao atual diretor de Seguridade. Os diretores da Previ só cumprem o que o Banco do Brasil lhes manda. Nem perca mais seu tempo. O mesmo tratamento que hoje recebemos do Banco é transmitido para aplicação na Previ. Nem sei se adianta participar desses processos eleitorais porquanto sempre aparecerão os amiguinhos dos assistidos. Passada a eleição fazem como qualquer político faz: dão-nos as costas. É a regra do jogo.

Anônimo disse...

Professor Ari,

Permita-me indagar mais uma vez a essa diretoria da Previ que, pela indiferença com que está tratando os aposentados, só pode é ter sido indicada pelo governo do PT, por que o BET nos foi retirado antes do tempo, e se há alguma previsão para ele voltar a nos ser pago.

Um abraço.

Ari Zanella disse...

Ao Anônimo das 23:56

As 12 últimas parcelas do BET não tiveram suspensão "TEMPORÁRIA" (até que voltassem as reservas). Pelo visto, foram suspensas em definitivo. Por tal é que a ANAPLAB mantém na Justiça Federal do Rio de Janeiro, ACP (Ação Cívil Pública) que visa a resgatar as 12 últimas parcelas do BET. A ação foi iniciada em 2014.

Anônimo disse...

Resumo do dia:

- Corte de preços pela Petrobras
- PIB dos EUA abaixo do esperado
- Audiência de Marcelo Odebrecht
- Bolsa e Dólar ↓

Anônimo disse...

Sr. Ari Zanella,

Uma ação civil pública ACP, pelo que se entende em juridiquês, é para o público em geral, ou pode ser entendida somente para os postulantes.

antecipadamente agradeço sua resposta.
Cordiais e respeitosas saudações

Anônimo disse...

Senhor Deus obrigado por mais um dia !!!

Ajude-nos em Nome de Jesus Cristo que consigamos suportar a falta de amor no coração daqueles que nos prejudicam, e os perdoe porque uns nem sabem a quem estão servindo.

Obrigado pelo colega Fernando Lamas que sempre registra um texto das Sagradas Escrituras para nos confortar.

Envia teus anjos para nos defender das hostes infernais que buscam nos tirar o que ganhamos com o nosso trabalho.

Fortalece o teu servo Ari Zanella que tem resistido ao combate e proteja-o.

Teu é o Reino e a Glória para todos sempre em Nome de Jesus

Anônimo disse...

Operação de alienação da CPFL Energia é liquidada
Desinvestimento está alinhado com os preceitos de liquidez do Plano 1, além de boa oportunidade de negócio.


A liquidação da operação de venda das ações de emissão de CPFL Energia vinculadas ao Acordo de Acionistas, divulgada em setembro de 2016, aconteceu nesta segunda-feira, 23/1.

Após a aprovação do Cade (Conselho Administrativo de Defesa Econômica) e da Aneel (Agência Nacional de Energia Elétrica) - condições precedentes para o fechamento do negócio - as 201.198.330 ações foram alienadas, gerando a entrada de R$ 5,133 bilhões no caixa da PREVI.

A venda dessas ações, que são decorrentes do exercício do direito de venda conjunta (tag along) do Acordo de Acionistas, tornou-se possível em função da negociação entre o acionista controlador, a empresa Camargo Corrêa, e a State Grid Brazil Power Participações Ltda., subsidiária da empresa estatal chinesa State Gride International Development Limited, responsável por gerar, transmitir e distribuir energia para 88% da população chinesa.

Além do aspecto financeiro da operação se mostrar favorável, a venda do ativo aumenta a liquidez do Plano 1, em consonância com a missão da PREVI de garantir o pagamento de benefícios aos associados de forma eficiente, segura e sustentável. A operação também contribui para diminuir o déficit conjuntural verificado em 2015.

Com a troca de controle da CPFL Energia, a State Grid fica obrigada a realizar Oferta Pública de Aquisição da totalidade das ações emitidas pela CPFL Energia em poder dos acionistas minoritários, inclusive aquelas detidas pela PREVI e não vinculadas ao acordo de acionistas, nas mesmas condições ofertadas à Camargo Corrêa. O valor da ação será corrigido pela taxa Selic até a data do leilão.

Fonte:http://www.previ.com.br/menu-auxiliar/noticias-e-publicacoes/noticias/detalhes-da-noticia/operacao-de-alienacao-da-cpfl-energia-e-liquidada.htm?

A TÁ .....

Ari Zanella disse...

08:32

Na verdade é uma Ação Coletiva que beneficia somente os associados do órgão (Associação) que tenha entrado com a ação. Caso haja sentença favorável, o juiz ordena que se junte a relação dos associados (habilitação) para o devido recebimento.

Anônimo disse...

Ari, Essa Ação Pública Coletiva pelas 12 parcelas não pagas pela indevidamente pela Previ, são só para os associados em 2014 ou beneficia à todos associados da Anaplabb caso a ação venha à ganhar na justiça.

Anônimo disse...

Fico indignado com tantos abusos q sofremos da diretoria da Previ e mais ainda por ser tão difícil nos juntarmos para somarmos forças para fazermos valer nossos direitos.
Hoje tudo é comunicado por vídeos no youtube, vamos abrir um canal no youtube para postar textos tão ilucidativos como este do João Rossi.

Anônimo disse...

Sr. Ari ,

Obrigado pela resposta.
Concluo que somente serão beneficiados os participantes da AÇÃO COLETIVA.
Os demais MILHARES DE COLEGAS que não tem condições de pagar uma associação estarão injustamente de fora do beneficio se favorável a sentença na referida ação coletiva.

Mais uma vez obrigado, mesmo não podendo ser beneficiário do possível resultado favorável.

Respeitosa e Cordiais Saudações

Anônimo disse...

A operação de alienação da CPFL gerou a entrada de R$ 5,133 bilhões no caixa da PREVI. Não anunciaram o ingresso de 7,5 bi? Cadê a merrequinha da diferença?

Ah, salvo melhor entendimento, tá explicado:

http://www.previ.com.br/previ-mobile/noticias/aprovada-operacao-de-alienacao-da-cpfl.htm
O Conselho Deliberativo da PREVI também aprovou a venda das ações de emissão da CPFL Energia não vinculadas ao Acordo de Acionistas, detidas pela PREVI. Essa venda ocorrerá com adesão da PREVI à referida OPA.

"A venda das duas partes" representará um ingresso de, aproximadamente, R$ 7,5 bilhões no caixa da PREVI e um ganho substancial quando comparado ao valor de mercado da CPFL Energia ao final de 2015."

Anônimo disse...

Empresário sem visão! Ao invés de reformar hotel, deveria ter construído presídio cinco estrelas! KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK!

Ari Zanella disse...

Caro colega LOURIVAL,

Encaminhei seu pedido ao setor jurídico através do Gilvan. Na segunda-feira lhe darão uma resposta em seu endereço eletrônico. Aguarde.

sss disse...

Peraí Pefessor, não deixe essa resposta em suspense. Dê uma explanada, ao menos,sucinta. Acho que geraria uma situation bastante conflitante, não?

Anônimo disse...

Caro Professor Ary,
Muito obrigado pela sua gentileza. Já entrei no meu site e ví as explicações dadas pelo Gilvan.Agora fiquei mais tranquilo.
Lourival

Ari Zanella disse...

SSS

Nenhum conflito. "A justiça não socorre os que dormem".

Anônimo disse...



Matéria muito interessante:

Mauro Santayana: O CERCO AOS BANCOS PÚBLICOS E O FUTURO DO BRASIL

http://www.maurosantayana.com/2017/01/o-cerco-aos-bancos-publicos-e-o-futuro.html?m=1

Vale a pena ler...

Anônimo disse...

A justiça brasileira é lenta e injusta, porque cada indivíduo precisa correr atrás do seu direito. Por isto esta montanha de processos nos tribunais. Em lugares mais desenvolvidos, uma decisão para uma causa (mesmo que somente um tenha entrado na justiça) é válida para todos na mesma situação. Mas, no Brasil, tem uma tal de OAB que não deixa acontecer isto por aqui.

João Rossi Neto disse...

Se instituições portentosas como a FAABB, ANABB, AFABB, etc., não fizer muito mais do que têm feito e empregar com mais vigor as suas forças representatividades na defesa dos direitos dos participantes e assistidos pela PREVI, sejam em tratativas amistosas e outras providências mais agudas e incisivas, como protestos no reduto e trincheira de luxo da Diretoria Executiva, passeatas nas ruas, denúncias na imprensa investigativa e impetração de ações judiciais coletivas apropriadas, esse estado degradante de coisas vai permanecer na mesmice, “ad eternum” e nenhum assistido sofredor, isolado, será capaz de dar um basta nessa calamitosa situação.
Enquanto isso não ocorre, os cães ladram e as corjas mercenárias e vestais, pagas a peso de ouro, inescrupulosas por natureza, selecionadas a dedo, que fazem tudo sem pestanejar e se preocupar com a mutilação que os seus atos nocivos possam causar na vida financeira dos associados, por se julgarem intocáveis no palácio de cristal que habitam e de lá executam o serviço sujo encomendado pelo patrocinador BB que, em no final das contas, é o verdadeiro detentor do processo decisório na PREVI que foi conferido pela LC 108/2001 (Voto Minerva).
Esses filhotes da escuridão vendem até a alma para satisfazer os objetivos do patrão-patrocinador (BB), seguindo cegamente as suas ordens, sejam elas certas ou erradas, justas ou injustas e sem que uma água fervente bata em seus gordos traseiros, vão permanecer sentados, à espera do quanto pior, melhor na desgraça dos associados, únicos prejudicados nessa luta desproporcional.
Se continuar esse clima inercial, que vigora há décadas, com as entidades representativas ajoelhadas e esperando que coisas boas e milagrosas caiam do céu, iremos assistir a progressiva deterioração dos benefícios dos funcionários aposentados do BB a níveis insuportáveis.
A persistir o mar de marasmo reinante no qual estão mergulhadas as entidades representativas, inevitavelmente, por osmose ou desgaste natural, esvaziar-se-ão os seus objetivos teóricos estatuários e rasgar-se-á a sua bandeira de lutas, porquanto perdem a razão de existir, caso seja ratificada a inépcia na esteira da inoperância.
Urge que se rompa o silêncio sepulcral do comodismo intramuros dessas valorosas agremiações e que deem continuidade, sem tréguas, nessa luta sem fim, porque o patrocinador BB e seus indicados, alojados no CD, Diretoria Executiva e Conselho Fiscal, de fidelidades caninas, não dormem e arquitetam, full time, regalias para si (Resolução 26/2008) e benesses para agraciar os seus pares (Diretores).
Uma prova inconteste do trabalho de bastidores desses abutres, sorrateiro e subterrâneo, sem dúvida, é o Teto de Benefício superior a R$ 52.000,00 para comportar aposentadorias milionárias para os seus apaniguados.
Com menos de três anos de contribuição os Diretores estatutários do BB, cedidos a PREVI e promovidos a diretores executivos desta, com média salarial alta, conquistam o direito de se aposentar com benefícios vitalícios nababescos, sem constituir Reserva Matemática compatível para lastrear as aposentadorias milionárias, burlando, nitidamente, as normas isonômicas do fundo de pensão.
(Continua...)

João Rossi Neto disse...

(PARTE II)

Outra excrescência ignóbil é a imoral Renda Variável, prêmio vexatório aprovado pelo CD, visivelmente para enriquecimento sem causa dos Diretores, quantificada em metas irrelevantes, de fácil atingimento, justamente porque não respeita a diretriz traçada no artigo 20 da LC 109/2001, onde a Reserva Especial é o marco “sine qua non” para a distribuição das sobras técnicas -- os excessos de superávits que extrapolam a Reserva de Contingência de 25% --, exigência obrigatória a ser cumprida na revisão do plano para melhoria nos benefícios dos associados, mas que não vale para os Diretores.
Como se estivessem acima dos ditames da lei, os Diretores Executivos engordam as suas contas bancárias com a Renda Variável sem observância desse preceito legal, porque assim determinou o Conselho Deliberativo, órgão máximo na PREVI, inobstante seja capacho e pau mandado do patrocinador BB e, por isso mesmo, não merece o respeito do Corpo Social, notadamente porque lhe falta credibilidade e dignidade.
Em qualquer empresa do mundo, os dirigentes só fazem jus a bônus e renda variável extraordinária quando os resultados financeiros dos balanços anuais são superavitários, mas na PREVI a coisa anda na contramão dessa realidade mercadológica, uma vez que o Conselho Deliberativo aprova Renda Variável para os Diretores mesmo quando o fundo de pensão apresenta déficit.
Esse desperdício de dinheiro configura grave irregularidade que beira às raias do desleixo, da irresponsabilidade, da incompetência e da gestão temerária viciada, conta imoral e ilegal que acabará sendo paga pelos associados com impacto flagrante na dilapidação do patrimônio da Caixa e risco a saúde financeira do fundo, no longo prazo, pela incidência dessas despesas de procedência “ordinária”.
No momento da aposentadoria dos funcionários do BB que permaneceram na ativa acima da barreira dos 30 anos e que verteram mais de 360 contribuições a favor da PREVI, sem exceção, os futuros benefícios da aposentadoria tiveram um “plus” adicional, ou seja, foram majorados pelo tempo excedente, de modo que o Benefício Especial de Renda Certa deferido, em 2010, a uma seleta minoria que na última revisão do plano e distribuição da Reserva Especial, haviam excedido as 360 parcelas, configura uma distorção que quebra a isonomia que norteia o fundo, tendo em vista que o superávit (Reserva Especial) acumulado até 2009 foi conquistado também com as contribuições daqueles que pagaram mais de 360 prestações, computando-se o tempo de ativa e de aposentados, mas que por interpretação discutível e controversa, ficaram à margem e financeiramente foram prejudicados covardemente, dado que nada receberam.
Ao longo dos tempos a PREVI criou diversas categorias de aposentados, diversos guetos e uma verdadeira colcha de retalhos, sendo o pessoal de pré-pós-1964, de 1997, pós-1998, os sujeitos ao redutor PP, os com BERC, etc., e só Deus sabe aonde vamos parar com essas anomalias e discrepâncias que infernizam a vida de todos e causam insatisfações e doenças mentais.
Observa-se que os benefícios são corrigidos pelo INPC limpo, seco, enquanto que o ES e o FINIMOB são atualizados pelo INPC+5%, havendo este evidente descasamento, o qual deixa bem patente que os encargos financeiros capitalizados mensalmente que incidem sobre os empréstimos aumentam substancialmente os saldos devedores dessas operações e esse efeito multiplicador dos juros de 5% implode a MC de 30%, especialmente depois que a Diretoria de Seguridade incluiu irregularmente o financiamento imobiliário originado na margem de 70% e o computou na MC de 30%. Não seria o caso de excluir o FINIMOB e os encargos do cálculo da MC de 30%?
Na qualidade de simples associado da PREVI tenho a obrigação de indicar distorções que, na minha ótica, ferem direitos de todos e sugerir medidas para saneá-las, cabendo às entidades de classe o enfrentamento com os adversários em todas as instâncias.

Anônimo disse...

Caros Prof Ari e Sr. João Rossi. O nome que registraram em substituição ao antigo BÔNUS, é REMUNERAÇÂO VARIÁVEL.
Como a antiga nomenclatura bônus soava demasiado IMPRÓPRIA, após demoradas tratativas, e tudo no melhor interesse dos participantes, extinguiram-na.
Já não existia mais bônus (aquilo que se paga em empresas que visam lucros e resultados aos seus CEOS). Mesmo porque ultimamente só produzimos déficits.
Então, pelo mais maquiavélico marketing , anunciaram que o tal não mais seria pago. Em sua substituição viria a remuneração variável.
Sem ofensas.

Anônimo disse...

Como dar um basta a tudo isso? Parece que somos um segmento desprezível e nossos gritos soam aos ventos. Onde estão as lideranças de peso para promover frentes em prol de nossas causas, para que possamos cerrar fileiras. Sempre de pires nas mãos, ES e MC, eis os assuntos, sem embargos, mas que polarizam e, para o delírio dos algozes, jogam para o segundo plano outros tópicos relevantes abordados nesse BLog. Será mais um ano na mesma bitola?

Anônimo disse...

Eles sabem o q é Compliance?

Acho q não

Anônimo disse...


Aos olheiros de plantão da PREVI:
Pergunta: O que é Compliance?

R: COMPLIANCE

O Departamento ou Unidade de Compliance em uma instituição é o responsável por garantir o cumprimento de todas as leis, regras e regulamentos aplicáveis, tendo uma vasta gama de funções dentro da empresa (monitoramento de atividades, prevenção de conflitos de interesses, etc). Atuando como a política interna de uma empresa, é improvável que o Departamento de Compliance seja a unidade mais popular internamente. No entanto, é o departamento com importância na manutenção da integridade e reputação de uma empresa. Embora os custos com Compliance tenham disparado nos últimos anos, os custos por não conformidade - mesmo que acidental - podem ser muito maiores para uma instituição. O não cumprimento de leis e regulamentos pode levar a pesadas multas monetárias, sanções legais e regulamentares, além da perda de reputação.

Aprenderam olheiros da Previ?
Abs.

Anônimo disse...

Colegas,
Eu sou o da postagem de 27/01/17 - 03:00hs

Obrigado João Rossi Neto pela resposta.
Colegas e entidades:
O QUE AGORA FAREMOS? O QUE PODEREMOS FAZER? O QUE DEVEREMOS FAZER?

Abs.

Anônimo disse...

http://www.nasdaq.com/symbol/pbr/interactive-chart - A ADR de Petro atingiu US $ 50,00 em 2010; depois, por meio de uma manipulacao continuada e planejada atingiu US $ 3,20 em fevereiro de 2016; por fim, após fevereiro de 2016 foi manipulada novamente e estah atualmente em US$ 10,75/ ADR. Alguns analistas sustentam que tal ADR nunca este tao cara, devido a divida de R$ 500 bi...Entretanto, o preco atual eh algo como a quinta parte do preco alcancado em 2010...

Anônimo disse...

A Bolsa de Valores eh apenas uma manipulacao planejada e continuada com data e hora para ser extinta. Neste sentido, a liquidez secundaria eh semelhante aos minerios..tem apenas uma safra..

sss disse...

Boa tangente, professor. Que justiça a nossa, não? E o pior é que têm apoiadores.

Anônimo disse...

O bom senso deve sempre imperar, o pagamento de contribuição de 4,8% não é normal por parte dos aposentados, pois os aposentados já contribuíram para a referida finalidade; e por outro lado, quem contribuiu por 25,26, 27,28 e 29 anos e se aposentou, além do salário de aposentadoria ser menor, dos que se aposentaram com 30/30, continuaram contribuindo. Os que excederam em contribuições à 30 anos, receberam de volta(Renda Certa), e recebem salário integral. Os que recebem a menor, e continuam contribuindo, deveriam também receber os 30/30 anos, em vista de já terem contribuído, com tempo excedente após aposentadoria. Salvo melhor justiça, acho que tenho razão.

Anônimo disse...

É fantástico o conhecimento profundo das distorções maquiavélicas e inadmissíveis praticadas pelas diretoria da Previ para sofrimento e degradação da vida pessoal e mental dos associados expostas aqui pelo Rossi.
Precisamos achar um caminho eficaz para nos ouvirem. As associações me parecem fracas e desinteressadas em combater os desmandos da Previ, parece q todos teem medo de enfrentar o habitantes do castelo de cristal.
Esses textos do Rossi precisam viralizar nas redes sociais, vamos contar com filhos e netos e todos q comecem a divulgar junto à seus grupos tais injustiças sofridas por pobres idosos indefesos.
Os associados da Previ precisam tomar consciência do que está acontecendo com nosso fundo, só assim vamos ter força para conquistar nossos diretos.
Agradeço ao valente Ari por manter este blog apesar de ter sofrido tanta pressão e perseguição assim como a valoriza contribuição deste fabuloso João Rossi.

Anônimo disse...

Prezado Colega Ari,
Para conhecimento dos frequentadores desse blog, posto, a seguir, mensagem por mim endereçada à Diretoria de Seguridade da PREVI, através do "fale conosco", a respeito das margens de 30% e 40%:
Senhor(a) FILOMENO JOSE LINARD COSTA

A PREVI confirma o recebimento da mensagem abaixo.
Aguarde nosso retorno em breve.

Gerência de Atendimento
PREVI

Esta mensagem é automática e seu retorno não é monitorado.

__________________________________________________________

Data: 29/1/2017
Tipo: Sugestão

Mensagem: À espacial atenção da Diretoria de Seguridade:
A meu ver e s.m.j., a Diretoria de Seguridade se equivocou na interpretação da Lei nº 10.820, de 17.12.2003, alterada pela Lei n° 13.172, de 21.10.2015, ao enquadrar as consignações nas Margens Consignáveis de 30% e 40%, se não vejamos:
a) de acordo com os dispositivos legais supramencionados, a margem consignável de 30% é única e exclusivamente para abrigar os valores decorrentes de prestações assumidas em operação de empréstimo, financiamento, cartão de crédito ou arrendamento mercantil, aí também incluídos os financiamentos contratados com entidades de previdência privada;
b) a margem de 40%, deverá abrigar as consignações facultativas, no caso da PREVI, as verbas C751-CAPEC, C-800 PREVI CONT PESSOAL MENSAL, C820 CASSI CONTR. PESSOAL, C821 CASSI CONTR. PESSOAL EXTRA, além dos descontos relativos a financiamentos contidos na margem de 30%;
c) diante do contido no artigo 16 do Regulamento da Carteira de Financiamentos Imobiliários CARIM Plano 1, que prevê que a prestação inicial ficará limitada ao menor valor entre 25% da renda bruta e a margem consignável de 70% descrita na olha de pagamento do participante (atualmente extinta), especial atenção deverá ser dispensada às consignações dos empréstimos imobiliários, atualmente incluídas na margem consignável de 30%, a fim de que não venha ferir o dispositivo regulamentar supramencionado, acarretando prejuízo ao Fundo de Pensão e aos mutuários, impedidos de acesso ao Empréstimo Simples.
Diante do exposto, sugiro que a Diretoria de Seguridade reveja o assunto aqui abordado, procedendo os ajustes cabíveis nas margens consignáveis de 30% e 40% já para a fopag de fevereiro/2017.
Filomeno José Linard Costa (Aposentado)

Matrícula: 3288840
Nome: FILOMENO JOSE LINARD COSTA
E-mail: filoedenna@oi.com.br

Blog do Ed disse...

Estimado colega das 10:30
Aposentei-me com 31 anos e poucos meses. Não recebi renda integral da ativa, consoante documento informativo da aposentadoria. Naquela esquisita distribuição da Reserva Especial,de que você trata, recebi devolução de contribuição, mas a MINHA APOSENTADORIA NÃO FOI REVISTA, NÃO FOI ELEVADA PARA 30/30 ANOS. Acho que estão me devendo...
Edgardo Amorim Rego

Divany Silveira-S.lagoas-mg disse...



" ESTAREMOS JÁ NA VIGÉSIMA QUINTA HORA ?HÁ TEMPO DE AGIR ??'

Mestre, confeso que tudo que envolve o ser humano é compli-
co, mesmo quando se trata de um grupo com escolaridade,como
é o nosso caso.Poe exemplo,nós temos aqui no blog colegas que
enriquecem o nosso convívio e que,talvez, não sejam sócios.As-
sim no caso de vitória da ação pra reaver as 12 prestações ha-
verá prejuizo para quem não for associado da ANAPLAB.com a de-
vida vênia, sugiro<Mestre, que você divulgue este pormenor
para evitar dissabor.Mestre, felizmente, aqui e acolá,alguém
aborda o fato de a ANABB ter cerca de 100.000 sócios,logicamen-
te vinculados ao PB-1 na sua maioria.Então,vamos raciocinar ,
sa a ANABB cobra 25,00 ou 30,00 reais para tomar sol em Ipane-
ma pois o patrocínio de ações para o grupo é coisa de quando
Ouro-Preto era vila.Assim, penso ,Mestre,que com sua anuência
e participação, a hora que o blog tiver a informação de quanto
um causídico de expressão quer para patrocinar o pleito da rein-
vindicação das 12 prestações inadimplidas junto ao Fundo,acho
que o pedido deveria ser feito a ANABB e assinados por pelo me-
nos 10 colegas conhecidos do nosso meio e da ANABB o que força -
ria´´ o nosso pedido de apoio merecer um estudo sério.Mestre ,
peço que compreenda que, embora tenha sido seminarista,longe
de mim qualquer pretensão de ensinar Padre-Nosso a vigário,pois
o que me move é uma insatisfação com o tratamento que a dupla
PREVI/BB deu ao nosso caso,sem examinar os nossos direitos,nem
mesmo as nossas lamentações.Por último,caso o pedido à ANABB não
ganhe adepto, estou às ordens para garimpar sócios no interior
de Minas,onde já dei alguns toques.Bom domingo para os amigos!!



Anônimo disse...

Ao colega Filomeno Jose Linard Costa, com a permissão do caro Prof. Ari. Foi o que entendi sobre consignações obrigatórias e consignações facultativas e as margens de 30% e 40%.
Tenho comentado nos blogs e escrevi para a Previ.
Com um reparo. A contribuição para o próprio fundo, no caso a Previ, é uma contribuição obrigatória ao lado de IR e pensão JUDICIAL.
Parabéns pela iniciativa.

Anônimo disse...

Prezado Ari,
O comentario do Joao Rossi expressa ou sumariza tudo o que eu venho postando,aqui, no seu blog. Temos colegas de valor como você, o Rossi, o Aristophanes o Edgard Amorim e muitos outros que têm dissecado os nossos problemas à exaustao e já é hora de tomarmos uma atitude, via JUDICIAL, para buscarmos uma soluçao para esses problemas.Já que a Lei 108/2001 deu o voto de minerva para o patrocinador, ficamos, automaticamente sem vez e sem voz. Entao, o caminho é a justiça...
Que uma dessas nossas associaçoes dêem o primeiro passo. Estou disposto a contribuir para essa causa assim como, acho, centenas de outros colegas.

Anônimo disse...

19:17, que justiça???????????

Anônimo disse...

Como bem me lembrou o Seu Ed outro dia, no money no action. Tentaram juntar uma grana, mas deu poquin

A verdade imposta pelo fundo premiado que estão todos alegres e felizes, permanecerá até os jatos de água do Lava Jato chegarem.

O $$$ vai tentar impedir, mas se o Papai do Céu mandar vai fazer fila em Curitiba...

Anônimo disse...

UUUUUUUUUUUUUURGERNTE

EIKE ESTÁ EMBARCANDO EM NOVA YORK PARA SE ENTREGAR A PF


DEVE TER UMA CABEÇADA COM PIRIRI


KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK

Anônimo disse...

De fato a ausência de providências para reduzir a nível prudente a elevada exposição dos recursos em Renda Variável catalisa os riscos da perigosa volatilidade das Bolsas de Valores, na cotação dos preços das ações, e atrela o destino futuro dos associados ao desse paiol de pólvora sujeito a ir pelos ares em tempo imprevisível e os estragos supervenientes difíceis de serem dimensionados. Debalde as gestões e diatribes tecidas sobre o assunto pelo Corpo Social, muito pouco foi feito, pela Diretoria Executiva, até o momento, para desarmar essa tragédia anunciada.....Em outros termos, brincar com fogo pode queimar o circo...

Anônimo disse...

O montante é 10% do valor investido nos papéis e uma parcela pequena dos cerca de R$ 270 milhões repatriados até agora pela força-tarefa da Lava Jato no Rio de Janeiro. “Por opção de Cabral, os US$ 16,5 milhões foram investidos em ações. O que se conseguiu recuperar dessa conta da (empresa) Arcadia no (banco) Winterbotham é um valor muito pequeno porque boa parte do que foi aplicado nas ações evaporou”, disse o procurador da República Sérgio Pinel. Ele afirmou que no fim do ano passado a força-tarefa solicitou a liquidação dos papéis restantes na conta e a repatriação do valor correspondente......boa parte do que foi aplicado nas ações evaporou”, disse

Anônimo disse...

ALÉM DE LADRÃO É BURRO. NEM APLICAÇÃO SABE FAZER


MELHOR: BURRO NÃO, PQ BURRO NÃO TEM CHIFRE

Anônimo disse...

Urgente: Cármen Lúcia acabou de homologar as 77 delações da Odebrecht. Parabéns, ministra!

Anônimo disse...

Caramba.
A que ponto chegamos.
Jogam fora o que é rentável e seguram o que dá prejuízo e transformaram nossa reserva num banco onde tomamos dinheiro emprestado de nós mesmos.
Será que estamos vivendo em outro planeta ou já estamos lascados mesmo?

Anônimo disse...

Diret

Anônimo disse...

Prezado Ari,
Muitas sao as perguntas e a resposta é uma só: se você nao AGE ,os outros passam por cima e agem por nós. Simples asssim. Therefore, less talk and more action.

Anônimo disse...

Até o meu cachorrinho, de notório faro, alertou-me sobre a queda da Bolsa em decorrência da prisão do EB.

Anônimo disse...

Professor,

Será que o carequinha Eike relatará como ele conseguia fazer empresas enfiarem dinheiro nos negócios dele?
Ficou careca para não pegar piolho? Ou para não fazer uma "teresa" com as madeixas?
Ficará perto do Cabral? Entrarão para outra facção?

Anônimo disse...

Eles estão agindo.
Agindo contra o PLP 268. Há até associação de classe fazendo campanha contra, ao lado dos interessados. Nos cargos.
Mudanças os assustam.

Anônimo disse...

Infelizmente, as forças ocultas (as de sempre) farão de Eike Batista um arquivo morto, dando lugar ao arquivo vivo que é.

Anônimo disse...

Prof. Ari ,

Como tirar o contracheque pelo auto atendimento do BB?

Obrigada!

Ari Zanella disse...

Basta ir em Conta Corrente

-Extratos diversos

-BB Contracheque

Unknown disse...

Por favor, o que significam cada um dos C751-CAPEC, C-800 PREVI CONT PESSOAL MENSAL, C820 CASSI CONTR. PESSOAL, C821 CASSI CONTR. PESSOAL EXTRA?