BANNER

Acesse aqui!
atendimento@anaplab.com.br
Joinville/SC: (47) 3026-3937
S.J. Pinhais/PR: (41) 3035-2095

sábado, 10 de dezembro de 2016

EMPRÉSTIMO MUITO COMPLICADO

    Não sei como a Seguridade consegue complicar tanto um produto que até no nome é simples. Sabemos que o ES não salva o fundo de déficit, devido ao pequeno percentual do ativo aplicado mas salva o associado de pesados encargos do mercado, a quem ele via de regra, recorre.
     O diretor reeleito (por favor: Jamais reeleja ninguém a nenhum cargo) resolveu agora moralizar, do dia para a noite, uma margem quase sempre no vermelho. Tudo bem que é preciso colocar a casa em ordem, só não de supetão. Concorda-se em retirar os débitos de terceiros, afinal, é válido que se priorize os empréstimos da PREVI. Todavia, ameaçar retirar a CAPEC por ser causadora da MC negativa, aí já é demais. A CAPEC é mais velha do que a tosse, tem prioridade sobre os débitos na fopag. E que diferença faz 300 ou 400 reais, não irá explodir uma margem que já está negativa!
     Outro assunto foi a estupenda resposta da Seguridade ao colega Linard que reclamou da prática do Anatocismo, rechaçada pela PREVI no contrato do próprio Linard. Ora, o contrato foi feito em setembro/16, sendo óbvio e ululante que só haverá a cobrança de juros sobre juros após transcorridos doze parcelas, ou seja, durante o primeiro ano a parcela é fixa. Se conseguir renovar sempre antes do pagamento da 12ª parcela, é lógico que não ocorrerá o anatocismo! Via de regra, não é isto que ocorre. Cedo ou tarde, pela via judicial ou não, o fundo vai ter que mudar o pós-fixado. O que está errado sucumbe às evidências!

Notícias
Lista de destaques
08/12/2016

Alteração nos parâmetros de consignação de débitos em folha de pagamentos

A partir de janeiro de 2017, aposentados e pensionistas devem ficar atentos às mudanças. Confira as orientações.

Com as mudanças nos parâmetros de consignação de débitos de entidades em folha de pagamentos, a PREVI orienta a todos os participantes que estejam atentos às possíveis providências que eventualmente precisem adotar a partir de janeiro de 2017, com a implementação da limitação de descontos.
Os associados que possuem seguros descontados na folha de pagamentos devem prestar atenção para que não haja cancelamento e consequente perda de cobertura em decorrência do não processamento do débito, em caso de ausência de margem.
É fundamental que os associados façam uma análise cuidadosa do contracheque de dezembro, verificando as consignações constantes e, por ocasião do recebimento do benefício do mês de janeiro, acessem seu espelho no Autoatendimento do portal PREVI ou nos terminais de autoatendimento do BB, de modo a verificarem a ausência de alguma consignação habitual relativa a transações com entidades.
Os contracheques de aposentados e pensionistas passarão a trazer também as informações sobre as margens consignáveis de 30% e 40%, que irão representar os limites disponíveis para o desconto de empréstimos e financiamentos, bem como o dos demais descontos facultativos em folha de pagamento, respectivamente. Esses percentuais representam as frações dos rendimentos disponíveis que podem ser comprometidos com descontos em folha de pagamentos.
Desde 1º de fevereiro de 2016, as operações de Financiamento Imobiliário da PREVI já consideram os novos limites de consignação de débitos no ato da sua concessão. As operações de Empréstimo Simples, por sua vez, consideram os novos limites para a concessão de créditos desde 25 de outubro de 2016.
Atenção: A quitação de débitos eventualmente não processados em folha deverá ser verificada diretamente pelo participante com as entidades administradoras desses produtos.

Empréstimos e financiamentos vigentes

Os participantes que possuem descontos de valores relativos a outros produtos, como empréstimos e seguros contratados com essas entidades e que estejam dentro do limite legal, terão um período de transição para que providenciem a migração desses pagamentos para outros canais.
A transição observará algumas premissas:
- Proibição de "novos entrantes” para o desconto de empréstimos e seguros (somente aposentados e pensionistas que já tiverem contratado esses produtos poderão ter o débito no contracheque durante o período de transição);
- Limite para desconto de seguros: 36 meses;
- Limite para empréstimos já contratados: vencimento da última parcela do contrato vigente;
- Impossibilidade de renovação dos empréstimos contratados junto às entidades.
LINK  para a fonte da matéria.

TROCAMOS A IMAGEM ANTERIOR POR PARECER MUITO SINISTRA.

37 comentários:

joao trindade disse...

A corda com nó de forca está estampada na foto.
Alguém se habilita?

Antonia disse...

Prof. Ari,
A situação piorou, por que antes no nosso contracheque as margens era de 30% e 70%, ou estou enganada????

Blog do Ed disse...

A PREVI é uma EFPC, isto é, instituição da Previdência Social, instrumento por excelência da difusão do bem-estar por toda a sociedade. Bem-estar é basicamente extensão do bem humano fundamental: a VIDA. Para os velhinhos da PREVI, no meu modesto entender, a vida ficou mais difícil, com o passar da vida, e certas modificações nos regulamentos... É o que sinto na pele... Ao que parece, caímos numa armadilha paradoxal: quanto mais velho menos bem-estar deve ser aguardado...O bem-estar é a morte?...
Edgardo Amorim Rego

Ari Zanella disse...

06:43

Sim, a margem de 70% usada no empréstimo imobiliário poderia continuar, visto que há a garantia do imóvel, além do que é financiamento (30 anos), não empréstimo. Bastava adequar-se à lei dos Consignados (30%). Por isso, conclui-se que fica INVIÁVEL, sob a nova ótica da lei, utilizar-se do FINANCIAMENTO e dos EMPRÉSTIMOS, exceção àqueles que recebem o TETO de benefícios.

Anônimo disse...

Professor Ari,

Essa madrugada eu tive um pesadelo horrível:
Havia uma comemoração no Mourisco onde estava toda cúpula do banco e do fundo. Vários políticos também se faziam presentes.
Aí, um avião gigantesco, desgovernado, caiu no Mourisco dando perda total.
Aos prantos não consegui mais dormir ...
Estou até agora decepcionado com o pesadelo

Anônimo disse...

Prezado Ari,

Para conhecimento dos frequentadores desse Blog, posto mensagem da PREVI por mim recebida, esclarecendo que o prazo de atendimento é de até 11 dias úteis. Espero que desta feita o assunto seja efetivamente levado à apreciação do jurídico da PREVI, haja vista a proibição do anatocismo de que trata a Súmula 121 do STF:

e-mail: filoedenna@oi.com.br
Senhor FILOMENO JOSE LINARD COSTA,
Matrícula: 3288840

Obrigado por entrar em contato com a PREVI.
Sua solicitação encontra-se em análise e o prazo para atendimento é de até 11 dia(s) úteis.

Gerência de Atendimento
PREVI

Esta mensagem é automática e seu retorno não é monitorado.

----------------------------------------------------------------------------------------------

Data: 07/12/2016 17:30:53
Assunto: Empréstimo Simples
Tipo: Sugestão

Mensagem:
Ilmº Sr. Marcel Barros
DD. Diretor de Seguridade
Refiro-me ao Atendimento nº 69938272, de 05.12.2016, para esclarecer que o anatocismo não se configura no exemplo enfocado por essa PREVI, em razão de o Empréstimo Simples por mim contratado/renovado datar de 18.11.2016, portanto recentemente.
Porém, a meu ver e s.m.j., não se pode afirmar que não houve prática de anatocismo no que se refere ao Empréstimo Simples anterior, por mim contratado em 25.07.2014 pelo valor de R$ 145.000,00 e que, após 24 prestações pagas, o saldo devedor apresentado na data da renovação expressava-se pelo valor de R$ 137.936,45, além de a prestação mensal sofrer elevação quase que mensal, alcançando naquela oportunidade as cifras de R$ 2.716,79.
Daí se depreende que a prática do anatocismo só se configura apos decorrido o primeiro ano de vigência do contrato, quando o saldo devedor sofre correções anuais.
Diante disso, acredito que a revisão dos cálculos dos encargos do Empréstimo Simples anterior e já liquidado através da renovação ocorrida em 18.11.2016, irá comprovar a prática do anatocismo de que trata o questionamento por mim feito.
Finalmente, volto a sugerir que o assunto seja levado ao jurídico desse Fundo de Pensão e os acertos cabíveis nos saldos devedores dos mutuários sejam procedidos, à luz de parecer a ser exarado por aquele órgão, antes que o assunto enseje processos judiciais, causando danos à imagem dessa entidade de previdência privada, o que parece não tenha sido feito até o momento.
Atenciosamente,
Filomeno José Linard Costa


Matrícula: 3288840
Nome: FILOMENO JOSE LINARD COSTA
DDD-TEL: 88 Telefone: 35234202
E-mail: filoedenna@oi.com.br
********** e-mail: filoedenna@oi.com.br **********
_________________________________
Esta mensagem e qualquer arquivo transmitido por ela podem conter informações restritas ou confidenciais e se destinam ao uso exclusivo da pessoa ou entidade a quem foi endereçada. Se você não é o destinatário intencional, ou acredita que pode ter recebido essa mensagem por engano, favor notificar imediatamente o remetente e apagar essa mensagem do seu sistema. O uso, a divulgação ou a cópia indevida do seu conteúdo é estritamente proibido.

Anônimo disse...

Emérito Professor ZANELLA:


Vou ficar adstrito somente ao ES. Acho que essa gestão "achou pouco" e está querendo aumentar os bilhões de prejuízo, pois o único investimento que a PREVI possui com rentabilidade segura é o ES. Não sei com que propósitos inconfessáveis querem extingui-lo.
O fato primordial é que preciso do e-mail do Ilustre Professor a fim de até o dia 20/DEZEMBRO/2016, eu lhe ecaminhar ORIENTAÇÃO e provável SOLUÇÃO, para nos precavermos do saco de maldades da PREVI, sobretudo no que se refere a SEGUROS. Por precaução não posso "adiantar" e/ou "comentar" às medidas acautelatórias a serem tomadas.
Por fim, vou me associar a ANAPLAB e como faço para DEPOSITAR a mensalidade de 20/DEZEMBRO? Muito obrigado.

Anônimo disse...

Eu so tenho Cooperforte, vai ser automático ou devo ligar para solicitar o desconto na conta?

Anônimo disse...

PESSOAL
Não vejo muita diferença entre a Previ e a Brasilprev, pois ambos são planos de aposentadoria destinados a complementar o benefício da aposentadoria oficial de quem os contrata. E tanto um como o outro, que são administrados pelo governo/BB, estão sujeitos a riscos e, por conseguinte, provocarem prejuízos para os seus associados pagarem. Nos meus tempos de banco, andei vendendo alguns Brasilprev. E para isso, argumentava que, a partir da data que o cliente marcasse para se aposentar, ele passaria a receber o benefício livre de qualquer desconto. Passados esses anos todos, acredito que alguns desses clientes já estejam recebendo o benefício contratado. Pois bem. A dúvida é: Será que o governo/BB/Brasilprev não está cobrando novamente a contribuição desses clientes que contrataram a Brasilprev comigo?

Anônimo disse...

A HISTÓRIA DA TERRA DE VERA CRUZ

O Big Wolf ligou para o Decrépito dizendo que a Feia precisava de 10 milhões para entregar ao MT.
Caju então falou que o melhor seria mudar o esquema para atender o programa de Índio. Bitelo interferiu dizendo que nada poderia ser feito sem o aval de Primo e de Angorá.
Entretanto, como aquilo tudo estava uma zona pediram a opinião de Babel que foi aconselhar-se com Botafogo já que a chapa tava quente.
Tem Misericórdia para ser consultado juntamente com a Missa. No entanto Boca Mole ligou para Kimono que com toda altivez disse que a palavra final seria do Velhinho.

Anônimo disse...

Eu não acho que as mudanças estão muito rápidas. Pelo contrário pois a lei 10820 é de 2003 e a 13183 de 2015. O que está ocorrendo é que as mudanças estão erradas porque o que deveria ter sido feito era calcular os 30% para empréstimos e ratear entre todos - ES e empréstimos de terceiros. É isso o que os Juízes tem determinado. A Previ deu uma de esperta e por isso acho que agora mais do que nunca devem ser propostas ações judiciais e demandas no MP.

Aristophanes disse...

Prezado Ari Zanella e colegas bloguistas.
Nesta manhã de domingo, passeando pelos sites, bisbilhotando notícias, rodei, no site da Previ, um vídeo, em que, sob o título PEAI 2016 – obviamente encomendado pelo BB-Patrocinador – o Presidente Gueitiro Genso – portando, agora, bigode e cavanhaque, que lhe dão mais maturidade – faz uma saudação aos colegas que vão se aposentar, pelo PEAI. Dizem que já são cerca de 9.000 optantes.
Conquanto ache que o Previ, em tese, não devesse ter interesse algum em que os da ativa se aposentem, e muito menos sejam incentivados, chamou minha intenção o entusiasmo do Presidente do BB, digo da Previ, em saudar os novos aposentandos e garantir-lhes que a Previ é forte e está pronta para recebe-los, concluindo: “Portanto, isso significa estar preparado com CAIXA , para poder honrar a nossa missão”.
Essa declaração, com ênfase na “preparação de CAIXA”, sinônimo de LIQUIDEZ, me fez refletir sobre a pouco convincente notícia que a Previ nos deu, há alguns dias, para não autorizar o suspensão, por 3 meses(nem 2, nem 1) de parcelas do ES-1, em DEZ/JAN/FEV. Como já tinha externado, em comentários anteriores, pareceu-me “conversa mole” da Previ. A verdade desponta evidente, agora: A Previ precisa estar preparada com CAIXA(liquidez) para pagar os novos benefícios de cerca de 10 ou até 12 mil, que certamente vão se aposentar a partir deste DEZEMBRO.
Para dar consistência ao meu raciocínio, fazendo uma estimativa conservadora, com probabilidades, poderíamos ter o seguinte: Considerando que 70% dos tomadores do ES(70% de 54.800=38.360), com uma prestação média mensal de R$1.200,00, optassem pela suspensão, nos 3 meses, teríamos uma “suspensão de CAIXA” em torno de R$138.096.000,00, ou algo como R$46 milhões por mês. Em contra partida, considerando que 9.000 novos aposentados, passem a receber benefícios, a partir de janeiro, a nova despesa mensal da Previ “saída de CAIXA”, para um benefício médio mensal de R$8.000,00 será R$72.000.000,00(9000x8000).
É certo que a suspensão das mensalidades viria a incidir sobre, apenas, 3 meses, enquanto a nova despesa com novos aposentados se tornará permanente. Mas, para efeito de “preparação de CAIXA”, como disse o presidente do BB, digo da Previ, seria crucial a coincidência da SUSPENÇÃO(PERDA DE CAIXA), em DEZ/JAN/FEV, com o AUMENTO DA DESPESA, para não falar no reajustamento de janeiro. Portanto, a entrada(não suspensão) daqueles R$138 milhões, constitui uma preparação de CAIXA importante e imprescindível, pelo seu custo/oportunidade. E nós, oh!

Anônimo disse...

Enlouqueceram:
http://economia.estadao.com.br/noticias/geral,isencoes-devem-tirar-r-62-bilhoes-da-previdencia,10000093785

Anônimo disse...

Professor,

Poderia enviar minhas saudações tricolores ao Dr. Medeiros e sugerir que, com sua grande influência, sugerir a mudança do nome Internacional para Nacional de Porto Alegre


KKK

Anônimo disse...

My dear teacher, o governo federal planeja autorizar a utilização de parcela do FGTS para que trabalhadores quitem dividas junto ao sistema financeiro.
Afora prós e contras, se alterarem o regulamento do FGTS para possibilitar esse uso, por que nós aposentados não poderíamos contar com alguma medida que possibilitasse nos livrarmos do pesadelo das dividas ?
Permito uma sugestão. O respeitável presidente da PREVI já cogitou o uso da CAPEC (ou parte) para garantia de um ES. Por impedido pelo regulamento a ideia não prosperou.
Se alterarem o uso do FGTS por que não se permitiria o uso de parcela do pecúlio CAPEC ?
Esse pecúlio é para garantir o bem-estar de nossos herdeiros e, como não estamos dando conta -em alguns casos- de proporcionar esse bem estar em vida, essa solução seria um alívio e tanto.
Para registro, dados do governo apontam para 59,3 milhões de inadimplentes ou 40% da população acima de 18 anos.
Seria viável a ANAPLAB e o caro Ari pleitearem isso junto à PREVI ?

Anônimo disse...

Pra consolo, esses 9000 aposentados via PEAI deixam de ser potenciais sem-teto.

Anônimo disse...

Ari,

Quando eu era menino colecionava figurinhas e havia umas carimbadas e ficava todo mundo atrás das ditas cujas, pois elas eram difíceis e completava-se a página e buscava-se o prêmio, por sinal, tudo vagabundo e bem ruinzinho.
Agora tem diretor do Fundo que parece aquelas figurinhas carimbadas, mas sugiro e muito bem sugerido que os fabricantes destas, dê-nos uma maõzinha, só uma maõzinha, "piquinininha": "num fabrica elas mais não!!!", prefiro a página incompleta para sempre e com isto quero dizer: JÁ SERÁ NOSSO PRÊMIO.
Abs.

Anônimo disse...

Ao anônimo 11/12/16 19:22

Já dei essa ideia, mas infelizmente não prosperou. Bastaria que fosse 40% do valor do seguro.
Abs.

Anônimo disse...

Homônimo de 20:21,

Mas podem ser SUPER TETOS

Anônimo disse...

Professor Ari, o pagamento da CAPEC, consta pelas normas a possibilidade de pagamento fora da Fopag. Eu inclusive uma ocasião retirei a Capec para poder fazer o ES, agora o único inconveniente é cuidar o saldo da conta. Mas, dependendo de como ficar a minha MC retiro tranquilamente a Capec da FOPAG.

Por essas e outras que a Capec entrava e saia do cálculo da MC, não onerando a MC. Poderia dar mais explicações, mas vamos retirar a Capec em massa dos contracheques, e viremos se ela a Capec irá pesar na MC.

Ari Zanella disse...

Caro Anônimo 22:53

Está aí uma boa ideia. Se você retira o valor da folha, obviamente o seu crédito será maior na conta corrente. Assim basta deixar este valor na c/c para que ocorra o débito da CAPEC. É o mesmo que debitar na FOPAG.

#TiroCapecFolha

Anônimo disse...

É muita falta de sensibilidade da Previ! Como se já fosse muito pouco os nossos sofrimentos eles vão tirar da folha o seguro, obrigando-nos a (para quem quiser) pagar por fora. Acredito que muitos não iram continuar pagando a CPC, e com isso, muitas viúvas, viúvos, e filhos vão ficar na mão. Depois que esse pagamento sai da folha o dinheiro vai entrar na despesas comuns de uma casa e ai a vaca vai pro brejo.

Os diretores poderiam fazer assim: pagar a TODOS NÓS que não topam essa parada, o que já pagamos de seguro. Receberiam em vida, o que íamos dar em morte. Qual é o problema? Façam algo que preste por nós. Vcs só tiram e tiram!! A onde vamos parar?? Tenham piedade da gente!!

Está ai o natal de novo, e continuamos como sempre. Bjss Ari

Anônimo disse...

Ô vontade de dar um presente de Natal para a Diretoria...

Anônimo disse...

Eu queria entender
porque vc não publicou
meu comentário de ontem a noite.
Falei sobre o seguro.
Mandei até bejss

Anônimo disse...

Então professor Ari o que que o senhor achou da ideia do anônimo das 19,22 de 11/12 sobre o uso de recurso proveniente da capec para abater dívidas dos colegas.Será que daria certo ?

rafa disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Anônimo disse...

Bom dia para todos!

É Ari???!!! Eu falei logo quando da notícia da margem que iriam tirar o desconto da CAPEC e você reprovou. O comentário acima esta corretíssimo. Muitos depois de décadas pagando irão deixar de pagar diante a crise.

Edmilson lopes de sousa disse...

O empresário e publicitário Roberto Justus se lançou candidato à Presidência em 2018; embalado pelo bom desempenho eleitoral de Donald Trump e João Doria, que assim como ele apresentaram o reality show "O Aprendiz", Justus também se apresenta como um não político e defende uma agenda baseada em privatizações de grandes estatais; "Adoraria ver o Brasil privatizando Petrobrás, Banco do Brasil, Caixa. Diriam: esse cara é louco. Mas eu e todos os empresários faríamos isso. Se a gente tivesse a Petrobrás na mão da iniciativa privada, não ia ter corrupção lá dentro"
Compartilhe no Google +
Compartilhe no Twitter
Compartilhe no Facebook
BR Acho muito bom privatizar o Banco do Brasil- edmílson em Januária mg.

Anônimo disse...

#Tirocapecdafolha

Anônimo disse...

Concordo com o colega que sugere o uso do seguro CAPEC para aliviar nossos empréstimos, seria uma boa solução.Não temos mais crédito e as dividas não diminuem nem nossos benefícios aumentam, então de onde poderemos conseguir algum valor para pagarmos as nossas dividas.

Fernando Lamas disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Anônimo disse...

O senhor pegou essa regra antiga e se aposentou com pouco mais de 50 anos?
Eu peguei (a regra antiga) porque entrei no BB com 14 anos, como menor aprendiz. Contribuo (para a Previ) desde os 14 anos de idade.


Fonte: http://blogs.correiobraziliense.com.br/vicente/banco-do-brasil-aposenta-94-mil-funcionario-e-suspende-concursos/

O CABRA CONTINUA INSISTINDO QUE CONTRIBUI PARA A PREVI DESDE OS 14 ANOS. FICA DIFÍCIL EXPLICAR COMO APOSENTOU TÃO NOVO COM UM SUPER TETO.
JÁ TINHA DITO ISSO PARA A MÍRIAN LEITÃO E AGORA NESSA ENTREVISTA PARA O CORREIO BRAZILIENSE.

E OS NOVOS APOSENTADOS: SEJAM BEM VINDOS A ILHA DA NÃO FANTASIA

Anônimo disse...

Coloquemos a barba de molho:

http://economia.estadao.com.br/noticias/geral,para-cobrir-rombo-da-funcef-caixa-e-participantes-terao-de-pagar-r-7-7-bi,10000093939

Anônimo disse...


http://blogs.correiobraziliense.com.br/vicente/banco-do-brasil-aposenta-94-mil-funcionario-e-suspende-concursos/

...e de uma polpuda remuneração paga pela Previ, o fundo de pensão dos empregados do banco.

A reestruturação do BB também alcançará a Previ?
Mudanças podem ocorrer a qualquer momento.

sss disse...

Amigo, para nós, que estamos nessa situação sufocante, daria certíssimo até demais. Resta saber se a Previ aceita.

Ari Zanella disse...

Prezados colegas,

Sobre a não publicação de alguns comentários
, vou fazer ainda hoje uma postagem sobre o assunto. Grato.

Anônimo disse...

Melhor deixar PARTE do pecúlio CAPEC para os sagrados herdeiros, do que deixar UM INTEIRO de dívidas.