BANNER

Acesse aqui!
atendimento@anaplab.com.br
Joinville/SC: (47) 3026-3937
S.J. Pinhais/PR: (41) 3035-2095

sexta-feira, 25 de novembro de 2016

PELA DIRETORIA, NÃO HAVERÁ SUSPENSÃO

   No site da PREVI há explicações detalhadas sobre o "novo" empréstimo simples. Deixaram de esclarecer porque não estudam a mudança para o modo prefixado, através do SAC (Sistema de Amortização Constante) empregado por todo o sistema financeiro. O modelo atual em uso de cobrança pós-fixada de juros e correção tem os mesmos defeitos da dívida que os estados brasileiros têm com a União, sendo que o STF em princípio já sinalizou que a cobrança deve ser pelos juros simples. Mas a diretoria de Seguridade sequer se dá ao trabalho de analisar uma situação prefixada, de juros simples, cujo saldo devedor baixa velozmente. É melhor para a PREVI, para os associados, enfim, "Bom para Todos". No começo poderia operar com ambos os sistemas, quem quisesse permanecer no atual poderia, mas que se oportunizasse quem desejasse mudar.

25/11/2016

Empréstimo Simples cada vez mais sustentável

Novas regras de consignação têm impacto no ES. Confira as mudanças.


A contratação do Empréstimo Simples está limitada, por força da lei, a margem consignável de 30% da remuneração disponível, que corresponde à diferença entre a renda bruta e as consignações obrigatórias. Como foi divulgado no site da PREVI em 18/11, os parâmetros de consignação na folha de pagamento para débitos de entidades foram alterados. A partir de janeiro de 2017 será aplicado um limitador de desconto de entidades nos contracheques dos aposentados e pensionistas.
Quais oportunidades são geradas por essa mudança?
Essa medida, que será adotada a partir da folha de janeiro de 2017, trará uma oportunidade para os associados que nos últimos dois anos não estão conseguindo renovar suas operações de Empréstimo Simples por conta de margem negativa, gerada por débitos financeiros diversos.  A partir da adoção da medida os associados poderão renovar de acordo com o seu caso específico, podendo ser com “troco” (diferença de valor recebido após a renovação de uma operação), mantendo a mesma prestação, alongando prazos e reduzindo o valor da prestação, entre outras opções.
Além das medidas acima, outro fato importante que acontece em janeiro de 2017 é a correção dos benefícios, que causa naturalmente o aumento das margens, ajudando mais ainda a oportunidade de renovação.
Lembramos que ao permitir a renovação com o enquadramento das margens, os associados, dependendo de datas combinadas, além da possibilidade de dinheiro novo, ganham possibilidade de pagar a primeira prestação em até 50 dias.
Quais fatores contribuem para margem negativa?
O principal fator que influencia a margem negativa são os débitos de compromissos financeiros. Esses débitos deixarão de ser efetuados se a margem for negativa a partir de janeiro de 2017.
Outro fator foi a suspensão da cobrança das parcelas do Empréstimo Simples que aconteceu em 2014 e 2015, que gerou diversos impactos: quanto maior o prazo de interrupção do pagamento das prestações, maior o desequilíbrio do contrato, já que os saldos devedores dos empréstimos continuam sendo corrigidos no período da suspensão sem que exista amortização. O efeito da suspensão das prestações também gera a possibilidade de resíduos no fim do contrato, que devem ser quitados juntos com a prestação ou refinanciados, a critério da PREVI, como dispõe o Regulamento do ES.

A suspensão também trouxe consequências negativas para a formação do Fundo de Quitação por Morte (FQM). Do total de mutuários da carteira do Plano 1 do ES, que em setembro tinha 54.800 associados, 62% possuem idade a partir de 60 anos. Como a não cobrança das parcelas é uma situação que não ocorre nas condições normais do Empréstimo Simples, a possibilidade de liquidação dessas prestações pelo fundo não estava prevista nos cálculos atuariais de dimensionamento do FQM. No trimestre de julho a setembro de 2016, a utilização do fundo consumiu 97,6% da arrecadação no período. A matéria “Empréstimo Simples no Plano 1: o que é FQM?” traz mais informações sobre o Fundo de Quitação por Morte.

Estes itens foram considerados em estudo sobre a viabilidade da suspensão da cobrança das parcelas do Empréstimo Simples. A Diretoria Executiva da PREVI, pensando na sustentabilidade do Fundo de Quitação de Morte, decidiu após análise que as prestações de dezembro de 2016 e de janeiro e fevereiro de 2017 serão cobradas dos mutuários normalmente, conforme o cronograma previsto na contratação.
Entendeu-se que fazer as mudanças no critério de consignação, permitindo que muitos associados pudessem voltar a renovar o Empréstimo Simples inclusive com recursos novos, era uma medida muito mais benéfica e sustentável para a maioria dos associados.

O que é o Empréstimo Simples?

O Empréstimo Simples é composto por linhas de crédito pessoal para os associados da PREVI. O ES representa um importante segmento de investimento que a PREVI utiliza para diversificar a alocação dos recursos. De acordo com estratégia de diversificação dos investimentos adotada pela PREVI, o Empréstimo Simples e o Financiamento Imobiliário compõem as chamadas Operações com Participantes, um dos segmentos de investimento de que a entidade dispõe para cumprir a sua missão, que é a de garantir o pagamento de benefícios para os associados de forma eficiente, segura e sustentável. Outros segmentos disponíveis são Renda Variável (ações), Renda Fixa, Imóveis, Investimentos Estruturados e no Exterior.

De acordo com a Resolução Bacen/CMN 3.792, de 24/09/2009, na cobrança dos encargos, a PREVI é obrigada a praticar valor superior ao mínimo atuarial, ou seja, os encargos cobrados seguem os mesmos índices utilizados para correção dos benefícios pagos, acrescida a taxa real de juros (atualmente 5% ao ano). Isso representa uma proteção para o próprio associado, uma vez que a rentabilidade da operação influencia no volume de recursos utilizados para pagamento dos benefícios. Vale ressaltar que diversos fundos de previdência, ao contrário da PREVI, cobram valores acima do mínimo legal.

25/11/2016

Empréstimo Simples no Plano 1: o que é o FQM?

Conheça o Fundo de Quitação por Morte, que atua como mitigador do risco de crédito do pagamento do empréstimo


Os associados que possuem Empréstimo Simples no Plano 1 pagam mensalmente a taxa de FQM. Mas você sabe o que ele é? O FQM, ou Fundo de Quitação por Morte, é o responsável pela quitação da dívida do ES no caso da morte do mutuário. Ele atua como um mitigador do risco de crédito do pagamento do empréstimo.
O Fundo de Quitação por Morte precisa contar com os recursos necessários. O valor de arrecadação é calculado em função de um percentual no pagamento das prestações, amortizações e liquidações dos empréstimos vigentes, e concessões da modalidade ES-13º.

fqm.jpg
No trimestre de julho a setembro, a utilização do FQM foi praticamente igual a arrecadação: 97,6% do que foi arrecadado foi utilizado para quitar dívidas de mutuários falecidos. Confiram a evolução contábil do FQM em 2016:
<
TRIMESTRESALDO CONTÁBIL% EVOLUÇÃOARRECADAÇÃOUTILIZAÇÃO% UTILIZAÇÃO DA ARRECADAÇÃO
Janeiro a MarçoR$ 124,6 milhões0,2%14,8 milhões14,5 milhões98,1%
Abril a JunhoR$ 135,4 milhões8,7%28,6 milhões17,8 milhões62,4%
Julho a SetembroR$ 135,9 milhões0,3%19,8 milhões19,3 milhões97,6%


arrecadacao_utilizacao.jpg

Em setembro de 2016 existiam 54.800 mutuários do Empréstimo Simples, sendo 3.756 com idade acima de 80 anos. Esse público tem um saldo devedor de R$ 318 milhões. O saldo do FQM é de aproximadamente R$ 135 milhões, cerca de um terço do valor emprestado apenas para essas faixas etárias de maior risco. Confira o perfil dos associados do Plano 1 que possuem operações de Empréstimo Simples na tabela abaixo:
 
IDADEQUANTIDADEPERCENTUALVALORES (R$)PERCENTUALSALDO MÉDIO (R$)
Até 59 anos21.05738,43%1.772.970.596,3437,45%84.198,63
De 60 a 69 anos21.30738,88%1.774.213.645,5437,48%83.269,05
De 70 a 79 anos8.68015,84%868.691.324,2218,35%100.079,65
De 80 a 89 anos3.2495,93%280.599.900,785,93%86.365,00
Acima de 89 anos8070,93%37.680.351,690,80%74,320,22
Total54.800100%4.734.155.818,57100%86.389,70

Solidariedade
Desde janeiro de 2015, a cobrança das taxas do Fundo de Quitação por Morte é dividida em cinco faixas etárias. O FQM funciona dentro do regime de solidariedade: no grupo de maior risco, a partir de 90 anos, conforme apontam estudos atuariais, a taxa deveria ser de 13,05%, mas é de 4,0%. Para a faixa de 80 a 89 anos, a taxa cobrada é de 3,5% quando deveria ser de 5,9%.  Isso significa que os mais jovens pagam alíquotas mais elevadas para compensar as reduções para os mais velhos, o que exige estudos aprofundados e periódicos da PREVI, visando a medição constante da solvência e dos fundos. Veja na tabela abaixo como são as alíquotas do FQM com solidariedade e como seriam se ela não existisse na carteira:
 
IDADEALÍQUOTA COM SOLIDARIEDADEALÍQUOTA SEM SOLIDARIEDADE
Até 59 anos0,6% a.a.0,3206% a.a.
De 60 a 69 anos1,2% a.a.0,7617% a.a.
De 70 a 79 anos3,0% a.a.2,4595% a.a.
De 80 a 89 anos3,5% a.a.5,8996% a.a.
Acima de 89 anos4,0% a.a.13,0553% a.a.

Com o objetivo de mitigar o risco, a PREVI pratica a redução de prazo de acordo com a idade do participante, ou seja, a partir de 77 anos o prazo para pagamento do ES diminui a cada mês até o mínimo de 36 meses para participantes com idade a partir de 84 anos.

Quer mais informações sobre o ES? Visite a seção Soluções para você >> Empréstimo Simples no portal da PREVI e saiba mais sobre modalidade, limites, prazos e valores do ES.

31 comentários:

tarcísio augusto bulhões martins disse...

Prof. Ari, boa tarde. SEM COMETÁRIOS...............SOCORRO DR MORO. TARCÍSIO.

Henrique Augusto disse...

E agora? Juro que acreditei! Mas uma coisa é certa, com essa informação minha ansiedade zerou. Não seria de bom tom dizer aqui porque cheguei a ter certeza da suspensão... Mas agora, fizeram uma faxina na minha cabeça bagunçada e cheia muito mais de crenças do que certezas absolutas. Obrigado PREVI. Perdôo a crueldade e forma banal como nos trata. PREVI, você é o máximo no papo formal. E eu gosto mais do papo de esquina, onde já não fico mais. Se eu tivesse saco, contaria aqui minha relação com o BB. Daria nome aos bois, desde aquele 09/02/1988. Onde o saco que era puxado, era o meu é, eu não sabia. Se eu contasse a historinha do Sr DORIAN RIKER TELES DE MENEZES ao assumir a SUPERINTENDÊNCIA DO MARANHÃO. Só tá faltando saco, porque a coragem está fervendo em mim. Pulhas, crápulas, canalhas. Vocês (BB, PREVI),adoecem a gente. Vocês me adoeceram. Conto tudo quando puder respirar

ADEMAR disse...

Quer dizer que com as noticias sobre as novas regras do ES, a suspensão das parcelas de Dez/2016 a Fev/2017 não sairá, irreversivelmente, ou há possibilidade de ainda ocorrer alguma mudança a nosso favor?

Anônimo disse...

CONSELHO DELIBERATIVO DA PREVI

POR FAVOR CONCEDAM-NOS A SUSPENSÃO DEZEMBRO/16 E JANEIRO E FEVEREIRO/17. ESTAMOS NO SUFOCO. NÃO GANHAMOS OS SEUS SALÁRIOS. NÓS AJUDAMOS A PREVI ESTES ANOS TODOS. É CAPITAL EMPRESTADO SEM RISCO.

ALÔ CONSELHEIROS: PENSEM NO PRÓXIMO.NÃO SABEMOS O DIA DE AMANHÃ.
URGE A SUSPENSÃO!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

Abs.

Anônimo disse...

Nao pensem que com essas medidas a partir de janeiro vamos conseguir um troco. Nao tem como. A suspensao das parcelas rsalmente nao é o ideal mas è a unica forma de sairmos do sufoco. Mesmo porque a suspensao e opcional. Poderism prlo menos suspender por 2 meses.

Anônimo disse...

Prof. Ari,
Acho que a melhor saída é partir para o ataque. Vamos elaborar a petição do anatocismo no ES e sentarmos a pua na PREVI. Estou aguardando a petição, pergunto se a Anapab nao poderia dar essa ajuda.

Zewelto

Anônimo disse...

A Exma. advogada que notou a mensagem do queijo deveria interferir no processo. Ela trabalha para a Previ. Não somos os donos? Se somos temos o direito de informar que a atitude tomada à revelia dos donos esmagará o Natal de muitos participantes

Anônimo disse...

Que explicação !!! Que preocupação com o "dinheiro investido" nos associados !!!
Essa historia dos 97 % do FQPM, da forma como foi colocada, me comoveu. Quanta responsabilidade, quanto cuidado com os tomadores do ES mais idosos, que medinho de que não paguem sua dívida.
A suspensão de 3 parcelas vai "quebrar o FQPM ?
Desde moleque pequeno lá em Barbacena, eu sabia que era fácil "bater" no irmão menor. Mas quando a "briga" era com garoto vizinho, maiorzinho, aí ninguém brigava . Nós, somos o irmão menor.
O que realmente dá mau resultado é o vizinho grandão. Com esse ninguém mexe.

Ari Zanella disse...

Grande Ze Welto!

Já sondamos o nosso jurídico a respeito. Estamos aguardando parecer. Forte abraço.

Anônimo disse...

Nem com abaixo assinado? Pelo menos suspender a parcela de dezembro ja ajudaria muito. Estão trabalhando para o nosso bem la na Previ? Qual é o significado de bem? Parece que lidamos com o inimigo. Também não entendo mais nada.Enfim continua tudo como antes. Um ES que se paga, paga, paga, sem diminuir o saldo devedor e nunca se pode renovar porque a margem consignável está cada vez mais distante do permitido.

divany -sete Lagoas-mg disse...



Colega Henrique Augusto ouça isto : guardar mágoa provoca AZIA

D E S A B A F A !!!!!


Anônimo disse...

Nossa! Quanta maldade!!! A Previ sabe que estamos no desespero, não há razão para não nos dar esses alívio agora no fim de ano.Estamos precisando muito da suspensão do ES nestes 3 meses.
Socoooooooro.

Aristophanes disse...

Prezado Ari Zanella e demais bloguistas.
Como é do meu feitio, procuro não individualizar situações. Mas, no plano institucional, opino, buscando interpretar o porquê das ações que atingem o grupo, ou o coletividade. No caso da notícia da Previ, hoje, sobre os “aperfeiçoamentos” que tornam o “Empréstimo Simples cada vez mais sustentável”, sem a suspensão das parcelas DEZ-JAN-FEV, considero-a um escarnio, carregado de irritante cinismo e repugnante hipocrisia.
Como que se dirigindo a um bando de debiloides(54.800 tomadores do ES), dos quais a grande maioria (77,31%) são menores de 70 anos, num universo cuja auspiciosa expectativa de vida é 82 anos, a Previ centra suas baterias, no sentido de explicar e mostrar os riscos do FQM, enaltecer o seu injusto princípio da solidariedade e evitar o perigoso endividamento dos mais velhos(>80 anos), ou sejam 6,86% do total !
Ao contrário do terrorismo praticado com a manipulação dos seus números, a Previ devia ter dito que o seu injusto e discricionário FQM vai muito bem obrigado; sua meia-solidariedade, ao arrepio do Estatuto do Idoso, tem gerado, sucessivamente, saldos positivos, no FQM. e sua tabela etária de prazos regressivos é uma exitoso espantalho, para inibir a tomada, ou renovação, de empréstimos pelos “pé na cova”.
A tentativa de explicar “as oportunidades(sic) que são geradas pelas mudanças” é um jogo, intelectualmente desonesto, de palavras e contradições, pois, na prática, pouco, ou nada se aproveitará da forma de cálculo da nova margem. O paragrafo onde a douta Previ diz: “O principal fator que influencia a margem negativa são os débitos de compromissos financeiros. Esses débitos deixarão de ser efetuados se a margem for negativa e partir de janeiro de 2017” é um primor de redundância e enganação. E daí, Cara Pálida?! O que deveriam ter dito é que a legalização da nova margem-previ(primeiro eu), ocasionará transtornos e restrições junto a outros credores, mas isso não é problema dela Previ... A “correção de benefícios”,em janeiro, com índice irreal(entre 6 e 7%), somente repõe a “inflação oficial” passada e será logo “comida”, pela metade, com CASSI(+1%),IRPF, contribuições proporcionais e outros penduricalhos Acertaram quando grifaram o hipotético e alegado “troco”, pois, como o próprio grifo indica é sinônimo de resto.
A decisão de não suspensão das prestações, com essas explicações falaciosas, improcedentes e cavilosas, não engrandece a Previ, nem pelo lado técnico, nem pelos objetivos sociais.É um "case" de maldade. Vivemos um momento de grandes dificuldades, na administração de orçamentos domésticos. A suspensão não é uma anomalia, ou excrescência, a Previ já a praticou inúmeras vezes, é opcional, e no passado se contratava o ES, já optando, ou não, pela suspensão. A Cooperforte dá de presente de aniversário... Pra que essa mesquinharia, Senhores?!

Anônimo disse...

Tem jeito não!
http://istoe.com.br/o-ministro-amigao/

Anônimo disse...

Que Natal meu DEUS!!!!!!!! Que Natal!!!!!

ADEMAR disse...

O comentario do Sr. Aristophanes é muito bom e expressa o que realmente a maioria dos assistidos pelo ES pensam, acredito eu Será que os incensiveis membros da diretoria da Previ tomarão conhecimento de seu conteudo. Será que não pensam na dificultade que muitos associados passarao nesse natal, por conta de tal medida.

Ari Zanella disse...

Dileto Amigo José Aristophanes,

Seu esplêndido comentário está tão pertinente que merece o destaque de uma postagem em letras garrafais, na cor que você escolher. O título pode ser "SÁBIAS PONDERAÇÕES" ou outro que o Mestre decidir juntamente com a devida permissão a que fico à espera.
Parabéns ao mais nobre e sábio representante de nossa classe pós-laboral, Sua presença em meu blog é o meu maior orgulho!
Obrigado Mestre!

Meu email é: azarizanella@gmail.com

PERDENDO A FÉ disse...

A cada artigo ou comentário que leio, mais certeza tenho de que a solução para nossas divergências com a PREVI somente serão acertadas por via judicial.

Já não suporto mais ler essas matérias por ela publicadas, com o mesmo ramerrão.

Firmo entendimento de que no caso dos 30% para consignações facultativas, o rateio entre os credores somente se dará se o julgador bater o martelo.

Caso contrário, como já o disseram, a PREVI vai processar todos os seus haveres, não dando qualquer margem para terceiros.

Quem estiver nesta situação que seja precavido, para evitar surpresas desagradáveis.

Alcides Maurício disse...

Essa Previ...

Anônimo disse...

Pessoal, parece que não entendem a lógica dos fundos de pensão no Brasil? O que atrapalha são os aposentados.

Anônimo disse...

A matéria sobre o ES foi retirada do site da Previ.

Anônimo disse...

Ao anônimo de 25/11/16 22:23

Negativo, meu caro.

Os artigos continuam lá na lista de notícias.

Renato Sant Ana disse...

Por ser algo que me tocou profundamente, pela beleza e sapiência das palavras, retratando a fria e cruel administração dos "meninos" que mandam na Previ, compartilhei no grupo Indignados o texto do Aristophanes. Espero que o Aristophanes avalize a iniciativa. Se julgar que avancei o sinal, é só lavrar a multa e avisar. Aí retiro a postagem.

Henrique Augusto disse...

Divany,querido, muito obrigado, você tem razão. O desabafo virá!

Titi Maravilha disse...

Tinha feito um comentário anteriormente que a Previ não iria suspender devido a adequação à margem consignável, tá aí, não deu outra.

Aristophanes disse...

Prezado Renato.
Obrigado pelo estímulo. A causa é de todos. O Ari Zanella, com seu torque vigoroso, postou no blog. Vá lá, de novo. Abraço. Aristophanes.

Anônimo disse...

Tamo ferrado

Anônimo disse...

Colegas, falar as verdades sobre a PREVI, sòmente aqui no blog, não vale, temos que divulgar lá fora, o povo precisa saber sobre as sujeiras dos fundos de pensão, os fundos de pensão de várias prefeituras que conheço foram saqueados pelo patrocinador que escolhe até seus dirigentes, tudo igualzinho ao nosso caso, só que os fatos não estão ligados,ideal seria fazermos um trabalho de conscientização, chamaríamos os filhos dos nossos colegas mais idosos e que se encontram com problemas de saúde, são muitos e as famílias nem tomam conhecimento do que acontece com a nossa PREVI. Poderíamos promover em cada cidade encontros para esclarecimentos dos fatos e usaríamos o blog para nos orientar , vamos colegas, multiplicar! olha quantos de nós já se foram sem obter resultados satisfatórios e agora com essa notícia , haja coração para resistir tanta humilhação, chega! a PREVI tem que ser incriminada .Nos ajude Ari, agora tb sem o Medeiros, que será de nós??????

Anônimo disse...

Emérito Professor ZANELLA:


Pelo seu "simbolismo", pretendo me associar a ANAPLAB no dia 24/12/2016. Qual seria o valor da mensalidade? O pagamento será por DOC, boleto ou transferência em conta corrente? Finalmente, há determinados assuntos, abordando a PREVI, que melhor seria se enfocados por e-mail, a fim de "não se entregar o ouro ao b.....o). Associado da AFABB-RS e apesar de tudo, da ANABB.

Ari Zanella disse...

Meu Caro 10:37

A partir de janeiro nossa cobrança será exclusivamente por boleto. Para diminuir os custos bancários, emitiremos um boleto a cada dois meses, com o valor de duas parcelas (20,00 + 20,00 = 40,00). Fom os forçados a majorar o valor de 15,00 (havia 4 anos sem aumento) em função dos altos custos das ações judiciais (pagamos tudo, custas advogados, sucumbências (se houver) etc).

No boleto incentivamos a modalidade TDA (Transferência por Débito Automático) serviço disponível no autoatendimento dos bancos e no Internet Banking. Vamos emitir "Newsletters" aos associados explicando pormenores.

Finalmente, deixo meu email pessoal: azarizanella@gmail.com

Ou poderá usar o da Associação: presidencia@anaplab.com.br

Ou para o Tesoureiro Gilvan tesouraria@anaplab.com.br

Anônimo disse...

Emérito Professor ZANELLA/


Muito obrigado. Vou me associar.