BANNER

Acesse aqui!
atendimento@anaplab.com.br
Joinville/SC: (47) 3026-3937
S.J. Pinhais/PR: (41) 3035-2095

domingo, 13 de novembro de 2016

CASSI - VOTAÇÃO DIRIGIDA

     O Banco do Brasil continua dando as cartas em nossas Caixas (de Assistência e de Previdência). O sítio da CASSI, que deveria abrigar os votos (afinal, todo usuário da CASSI tem login (usuário e senha) à semelhança da votação na PREVI (autoatendimento).
         Porém, o maléfico patrocinador, com o objetivo claro de ter o "controle" da votação, utiliza o sistema de votação estabelecido dentro do próprio interessado (uma das partes do tal Memorando de Entendimentos).
         Para autorizar a volta das contribuições na PREVI (verdadeira prova da má administração do nosso fundo) nem se cogitou a consulta ao corpo social. Por que, agora, na outra Caixa o Banco do Brasil quer "respeitar-nos" e pedir a nossa anuência? Que implantem o acréscimo sem consulta mesmo! Já sabem de antemão que o "SIM" sairá vencedor posto que os integrantes do PREVI Futuro é quem decidirão o voto.
      Fico preocupado com isso. O PT se foi mas práticas típicas daquele governo ainda prevalecem. Temer mantém políticos corruptos no atual governo (desnecessário nomeá-los). Não desmantelou a grande estrutura sindical existente (o tal Memorando levou assinatura da CONTEC e da CONTRAF-CUT que não representam aposentados). Aliás, sindicatos milionários pelo Acordo feito com Lula em Medidas Provisórias e Projetos de Lei, um deles em 2006. Uma rápida busca no Google pode comprovar).
       Pela modo dantesco como foi posta a referida consulta ao corpo social, meu voto é NÃO. Até como forma de protesto posto que o resultado da consulta já está definido.

Os links abaixo contêm a proposta na íntegra.


69 comentários:

Anônimo disse...

Também não estou entendendo porque estão consultando. Para votar "não" teria que ter uma outra solução e qual seria? Parece a PEC dos gastos.Ninguém acha bom mas não há opção.

José Roberto Eiras Henriques disse...

Ari,
Não concordo da maneira como você decidiu seu voto, mas respeito sua opinião.
Se prevalecer o voto não e o acordo não for aprovado, teremos que arcar as consequências que advirão de nossa decisão assumindo-as sem lamentações ou ficar buscando culpados, pois o que está em jogo é a nossa assistência médica e de nossos familiares.
A CASSI não vai quebrar, mas pode restringir sua assistência aos usuários com redução de serviços e procedimentos, dentre os quais destaco:
1. Passará a cobrir apenas os procedimentos obrigatórios preconizados pela ANS;
2. Vários programas complementares de assistência médica por ela disponibilizados aos participantes serão desativados entre eles o PAF;
3. Sem recursos financeiros para cumprir suas obrigações junto aos prestadores de serviços médicos, haverá rescisão de credenciamento generalizada de hospitais, clínicas médicos, etc., inviabilizando o plano;
4. Nas internações, se ainda houver hospitais credenciados, não tereremos mais apartamento individual, seremos acomodados em quartos coletivos(enfermarias).
Em matéria de assistência médica estamos habituados a, vamos dizer assim, consumir filé mignon e será muito difícil ter que roer ossos.
Esse acordo pode não trazer uma solução definitiva para a CASSI,apenas a retira da UTI em que se encontra, possibilitando oportunidade de busca de soluções para seu saneamento financeiro, permitindo que continue prestando assistência médica de qualidade aos participantes do plano de associados e a seus familiares.
Meu voto é pela aprovação do acordo.

Anônimo disse...

É NÃO E PONTO FINAL.

SUA ANÁLISE FOI PRECISA.

QUEREM NOS FAZER ESCOLHER A CORDA QUE PASSARÃO NO NOSSO PESCOÇO?


VÃO PENTEAR MACACO

Ari Zanella disse...

Prezado José Roberto,

Concordo com suas razões pelo voto SIM. Acho que votaria no SIM, sem problemas. Mas vou dar-lhe algumas CONTRA-ARGUMENTAÇÕES:

1. Num plebiscito deve-se dar AS MESMAS CONDIÇÕES de votação para TODOS. Tal não acontece agora. O pessoal da ativa estão no conforto do computador em seus locais de trabalho (SISBB). Já os aposentados (velhinhos...) PRECISAM, para votar, DESLOCAR-SE ATÉ AS AGÊNCIAS.

2. Os aposentados tradicionalmente NÃO VOTAM. O agravante hoje é o TAA. Por que não disponibilizar o site da CASSI, comum a TODOS?

3. Os "NOSSOS NEGOCIADORES" (ANABB, FAABB, AAFBB E CONTRAF-CUT) aliás, sempre "ESCOLHIDOS" PELO BB, foram OS MESMOS que assinaram aquele MEMORANDO DE ENTENDIMENTO de 2010 no qual "DOARAM" 7,5 BILHÕES AO PATROCINADOR. Não dá para acreditar em gente assim, né?

4. Do jeito que a consulta foi montada pelo BB, não há a MÍNIMA CHANCE do voto NÃO ganhar. Portanto, fique tranquilo, o BB GANHA SEMPRE! Não foi por acaso que o ZECA ganhou a última eleição tampão no Planejamento da PREVI.

5. Quando na vida laboral, as adesões para PREVI e para a CASSI foram OBRIGATÓRIAS, COMPULSÓRIAS. Portanto, concederam os benefícios de AMBOS porque quiseram (em cláusulas pétreas). Agora aguentem até o fim!

6. Mesmo assim, você que ainda não se libertou do antigo patrão, pode ficar na mais absoluta tranquilidade: o seu SIM vai ganhar!

Anônimo disse...

Os colegas que pedem para votar "sim" dizem que é para preservar a Cassi. Será? Se quebraram agora quebrarão novamente.

José Roberto Eiras Henriques disse...

Ari,
Não gostei do item 6 de sua resposta, mas respeito seu direito de usar quaisquer artifícios para defender seus frágeis argumentos para defender sua decisão, mesmo sem apresentar alternativas de solução para a sobrevivência da CASSI.
Muito cômodo, não?

Anônimo disse...

Quanto ao plebiscito da CASSI, é obvio que não foi por questão de “acessibilidade” que disponibilizaram apenas os TAA para os aposentados votarem, creio que, para eles, os velhinhos precisam caminhar, bem como teriam muita dificuldade cognitiva para acessarem o Site da CASSI.
Brincadeira à parte, mas acho que o TAA é um dispositivo que raramente deixamos de lançar mãos, digo, de inserir o cartão, e, por conseguinte, tbém é um excelente canal de abordagem automática e de inteiração com o usuário público alvo de até mesmo um plebiscito, como é o nosso caso. Historicamente, mesmo com as votações disponibilizadas no SITE da PREVI/CASSI, as abstenções de aposentados foram altas.

Anônimo disse...

Colegas preocupados com a não aprovação do ME ENGANA QUE EU GOSTO:

O que faltar para o SIM ganhar o sisbb inteira

Jose Antonio Cabral Sinoti disse...

Concordo com sua manifestação. Coerente e madura.

Anônimo disse...

O PAF tem gerado muitas críticas e reclamações pela rede de grupos de Cassi e Previ. Alegam que é pago preço superior ao preço das farmácias. Que a Cassi ainda que por compras de "atacado", tem pago preços superiores ao de mercado.
A ESF e as Clini Cassi também precisam ser melhor analisadas quanto ao custo beneficio.
Não teriam sido esses programas também responsáveis pela crise na Caixa?
Em 1996 também tivemos essa situação. Se não fosse aprovado o acordo a Cassi quebraria. Tivemos aumento nas contribuições. Em 2006 igual situação. Se o acordo não fosse aprovado, iriamos para o SUS. A Cassi quebraria. O "sim " venceu. Ganhamos as co-participações e, segundo consta o Banco cumpriu parte do que deveria.
A responsabilidade pela saúde dos funcionários e aposentados e do Banco, por força de contrato, salvo melhor juízo. Me corrijam se estou errado.
Votando sim estaremos empurrando até 2019, se não se mudar a forma de administração da Cassi, onde o Banco quer e tem o controle. Necessita administração profissional.
Pode-se alegar que o Banco vai custear uma consultoria para apontar solução para os problemas na Caixa.
E se essa consultoria, após estudos, chegar a conclusão e recomendar que a "salvação" da Cassi é deixar de ser uma Caixa de Assistencia e passar a ser um PLANO DE SAUDE (mercado) tipo Unimed.
Aí então, se necessário consulta ao corpo social, vota-se SIM ou vota-se NÃO ?

MARLI Dall'Stella - RECEITAS AUSTRIACAS e ALEMÃS disse...

Olá Ari!
Para falar de coisas mais amenas e deliciosas, gostaria de divulgar meu Blog e meu segundo livro: RECEITAS AUSTRÍACAS DO TIROL BRASILEIRO que já encontra-se na 2. edição em apenas dois anos.
Contém 112 receitas doces e salgadas, dentre elas receitas dos imigrantes austríacos/colonizadores da cidade de Treze Tílias SC; receitas da culinária clássica austríaca e outras da minha família.
Pedidos por email: mdallstella@yahoo.com.br
Obrigada

Anônimo disse...

O BRASIL ESCOLHEU O APEDEUTA CACHACEIRO EM DETRIMENTO DO GÊNIO

Enéas Ferreira Carneiro nasceu na cidade de Rio Branco, no estado Acre, em 1938. Filho de Eustáquio José Carneiro, barbeiro, e Mina Ferreiro Carneiro, dona de casa[1]. Perdeu o pai aos nove anos de idade, sendo obrigado a trabalhar desde essa idade para sustentar a si e à sua mãe[6].

Em 1958 iniciou seus estudos no Rio de Janeiro, na Escola de Saúde do Exército. Em 1959 formou-se terceiro-sargento auxiliar de anestesiologia, sendo primeiro lugar de sua turma.[6]

Em 1960 iniciou seus estudos na Escola de Medicina e Cirurgia do Rio de Janeiro.[6]

Em fevereiro de 1962 prestou exame vestibular para a Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras da Universidade do Estado da Guanabara(atual UERJ), curso de licenciatura em matemática e física. Aprovado em primeiro lugar. No mesmo ano iniciou atividade como professor destas disciplinas, preparando alunos para vestibulares.[7]

Em 1965 formou-se médico pela já citada Escola de Medicina e Cirurgia do Rio de Janeiro, pedindo então baixa do Exército, após 8 anos de serviço ativo no Hospital Central do Exército, onde auxiliou os médicos em mais de 5.000 anestesias, já tendo recebido a medalha Marechal Hermes.[6]

Em 1968 diplomou-se licenciado em Matemática e Física pela Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras da Universidade do Estado da Guanabara e fundou o Curso Gradiente, pré-universitário, do qual foi diretor-presidente e onde lecionou matemática, física, química, biologia e português.[6]

Em 1969 fez o curso de especialização em cardiologia na 6ª Enfermaria da Santa Casa da Misericórdia do Rio de Janeiro e, a partir daí, foi integrado como assistente naquele Serviço de Cardiologia.[6]

De 1973 a 1975 fez um mestrado em cardiologia na Universidade Federal do Rio de Janeiro. Nesse período ministrou também aulas de fisiologia e semiologia cardiovascular na mesma universidade. Em 1975 apresentou a primeira versão de seu famoso curso O Eletrocardiograma, no Rio de Janeiro, mais tarde ministrado em São Paulo (1983), Quito - Equador (1985) e novamente no Rio de Janeiro (1986), dessa vez como curso nacional, ocorrido no Copacabana Palace.[6]

Em 1976 defendeu sua dissertação de mestrado, "Alentecimento da Condução AV", e recebeu o título de mestre em cardiologia pela UFRJ. Ainda em 1976 escreveu o livro O Eletrocardiograma, referência no gênero.[6] Publicado em 1977 e reeditado em 1987 como O Eletrocardiograma: 10 anos depois, essa obra é conhecida no meio médico como a "bíblia do Enéas".[8]

Fonte: https://pt.wikipedia.org/wiki/En%C3%A9as_Carneiro

Anônimo disse...

Grave, gravíssima a atitude unilateral do BB.
EXTRA EXTRA EXTRA
FERNANDO AMARAL
*AGORA É NÃO*!!!!
Leiam o texto até o final!!
Nota do Fernando Amaral, da ANABB.
*Prezados Colegas da ativa e aposentados do Plano de Associados da CASSI*,
No último dia 08/11/2016, participei de debate sobre esses entendimentos com o Banco do Brasil, no Sedan , quando me manifesteifavorável ao voto SIM para a aprovação dos termos do "Termo de Entendimentos" a ser submetido à apreciação do Corpo Social.
Registrei, na ocasião, que todos os questionamentos feitos por aqueles que defendem o voto NÃO, tais como: a responsabilidade do BB na redução da arrecadação prevista pela CASSI; o recente reajuste salarial de todos os colegas da ativa inferior a inflação; a não definição, até aquele momento, do índice de correção da parcela a ser aportada pelo BB; e a quebra, mesmo que temporária para paridade de um para um e meio; estariam corretos. Porém, tendo em vista o esgotamento dos recursos disponíveis para que a CASSI honre integralmente com seus compromissos perante os prestadores de serviços, precisaríamos dos novos aportes e das eventuais antecipações do BB, para que nós e nossos dependentes não corrêssemos o risco de não ter atendimento, caso venhamos a necessitar.
Aduzi, ainda, que, por não haver alteração estatutária e o "Termo de Entendimentos" prever reuniões de acompanhamento e negociações trimestrais, deveríamos ganhar esse fôlego para a CASSI para, até 2019, termos a possibilidade de fecharmos um acordo para alteração estatutária que garantisse a perenidade da CASSI por longo prazo.
Hoje, 10/11/2016, recebi mensagem por whatsappinformando-me de que o BB, em 08/11/2016, teria encaminhado mensagem aos funcionários da ativa, informando que o processo de Consulta ao Corpo Social da CASSI terá início no dia de amanhã (11/11/2016), até 21/11/2016. Verifiquei os sites da ANABB e da CASSI e constatei que a mesma notícia havia sido divulgada ontem (09/11/2016), por ambas as entidades.
Surpreendeu-me tal decisão, pelos seguintes motivos:
1. é imperioso que exista período de tempo definido para um processo de debates com os funcionários, antes do início da votação, sobre o texto final do Termo de Entendimentos, sob pena de suspeição e rejeição do que foi acordado, apesar do apoio das entidades, por falta de esclarecimento;
2. de setembro até o presente momento, considerando a urgência das necessidades da CASSI, houve tempo suficiente para que questões específicas sobre o texto do Termo de Entendimentos fossem debatidas e definidas tanto em mesa de negociação quanto na governança da CASSI para, de forma clara e transparente, serem submetidas à apreciação do Corpo Social;
3. ainda não está definido no texto final do "Termo de Entendimentos" qual será o indexador dos R$ 23 milhões a serem aportados mensalmente pelo BB a título de ressarcimento de despesas;
4. o texto final do "Termo de Entendimentos" prevê a possibilidade de suspensão dos aportes mas não define em que situações os aportes poderão ser suspensos antes de dezembro/2019;
5. a ideia de aprovação de "Termo de Entendimento" era para evitar alteração estatutária antes de concluídas de forma robusta as negociações sobre a sustentabilidade de longo prazo da CASSI. Entretanto, recebemos informações de que estará sendo votado, no bojo dessa votação, a aprovação de mais um artigo no Estatuto da CASSI - Disposições Transitórias, definindo a contribuição mensal extraordinária de mais 1% dos proventos de todos os funcionários da ativa e aposentados, até dezembro/2019, sem menção estatutária da obrigatoriedade da contribuição dos R$ 23 milhões mensais corrigidos, pelo BB.
(Continua...)

Anônimo disse...

(Continuação...)

Na qualidade de Conselheiro Deliberativo da ANABB, eleito pelos associadas dessa Entidade para representá-los nesses momentos de defesa dos seus interesses, apesar de estar convicto da necessidade de aprovação de um Termo de Entendimento que garanta recursos para a CASSI até a conclusão das negociações, não posso ignorar a falta de consistência do que está sendo proposto, em nome da urgência que reconheço e que, em função dela, estava dando meu aval para a aprovação do texto que julguei viesse com esses complementos.
Se é para fazer um processo de aprovação dessa forma:
• sem espaço para o convencimento do por que alterar a paridade de contribuição desse aporte temporário de 1/1,50 para 1/1,35;
• sem divulgação de qualquer explicação para os associados do por que alterar o Estatuto registrando estatutariamente apenas o compromisso dos associados e não os do BB;
• sem definir o índice de reajuste do aporte do BB; e
• permitindo a suspensão dos aportes sem definição de em quais situações ou por quais motivos,
informo aos companheiros que mudo meu entendimento pessoal sobre a aprovação do Termo de Entendimentos com a presente redação, VOTO NÃO à sua aprovação, e sugiro a sua rejeição nos termos como está sendo submetido, por total falta de consistência jurídica para cobrar do BB que honre com o que foi apalavrado e não está nem estará escrito.
Sem mais,
*Fernando Amaral Baptista Filho*
Conselheiro Deliberativo da ANABB

Anônimo disse...


Como diz o colega das 19:33 votando SIM estaremos empurrando com a barriga até 2019. Agora a minha opinião: tudo neste País se empurra ou se varre pra debaixo do tapete. Se o problema é nosso também mas só interessa o que a CUT, CONTEC, ANABB etc. tem a dizer, resolvido está. Até 2019 com outro Memorando.

Ebenezer Nascimento disse...

Prezados colegas,
Estou enviando, abaixo e em anexo, a "Leitura Sumária do Balanço CASSI-2015". Em dito trabalho está abordada a questão dos "Convênios de Reciprocidade". A análise teve o objetivo de me aportar mais elementos de convencimento para a votação na consulta ao corpo social que está em curso.
É inevitável o confronto com as duas opções de voto que nos são apresentadas.
A favor do "sim" há apenas as promessas do Banco e da CASSI, apoiadas pelas entidades que discutiram o assunto e se deixaram convencer. E, do lado dos associados, há o receio de ameaça não proferida de que o Banco pode abandonar a CASSI.
A favor do "não" há todas as condições contratuais não estipuladas previamente, todas as dúvidas não esclarecidas e todas as perguntas não respondidas.

Inúmeros pontos do "acordo", conforme já amplamente divulgado, são obscuros, começando com o próprio formato de um "Memorando de Entendimentos", que não gera obrigação legal para o Banco. E a experiência adquirida em várias ocasiões anteriores mostra que, depois de conseguida a autorização para modificar os estatutos, as promessas são esquecidas.

No meu entender, é um absurdo aprovar uma alteração estatutária cujo texto "de fato" não se conhece. Não é claro que, para a instituição de uma contribuição provisória, tem de haver modificação do estatuto nele se introduzindo uma "cláusula temporária", inusual em qualquer outro estatuto conhecido. Dizem o Banco e os negociadores que haverá cláusula prevendo prazo de vigência e proibição de prorrogação da contribuição temporária. Mas, quem assegura que, chegados a 2019 com a situação da CASSI não resolvida em definitivo conforme já é previsto, não será proposta uma nova contribuição temporária? Sendo nova, não estará havendo prorrogação da anterior. E novamente seríamos chamados a aprová-la a fim de "salvar a Cassi". E novamente votaríamos pressionados pelo medo justificado de ficarmos sem assistência médica.
Sou de opinião que a solução definitiva da situação financeira da CASSI depende, prioritariamente, (a) da racionalização da gestão e (b) do ajustamento da contribuição insuficiente de parte dos associados. Após isso, ou seja, levantada a real situação administrativo-financeira da Caixa, se poderá abordar objetivamente (c) o aumento de custos da medicina. Esses três fatores não são excludentes entre si. O tratamento de um deles não elimina a necessidade de cuidar dos demais. O tempo que foi despendido em discussões poderia ter sido utilizado nessas tarefas.

Por tudo isso, somado às minhas modestas observações no trabalho ora enviado, e superando o medo, votei "NÃO".

Antonia disse...

Prof. Ari,
Eles estão muito apressados pelo voto SIM, então é bom examinar nas entrelinhas.

CRISTIANA disse...

No momento não vislumbro outra opção. Vejo o colapso de vários planos de saúde. Não posso arriscar o meu. Por isso votarei SIM

CRISTIANA disse...

O meu também será SIM

sss disse...

Diante do levantamento desses fatos é importantíssimo que coloquem as barbas de molho. Basta lembrarmos que em 2010 o banco e os negociadores usaram esse mesmo recurso e no final o banco levou 7.5 bi na Maciota e nos deu o calote. É de suma importância que se coloque esses detalhes nos meios de comunicação disponível à exaustão para reflexão de todos ante do término da votação.
Vamos que vamos.

Anônimo disse...

Sim, sim...que opção temos? Conhecemos o histórico de negociações com o patrocinador, cujo desdobramentos resultam em prejuízo aos associados, em razão de cláusulas leoninas, entrelinhas, lacunas ardilosas e outros artifícios velados. Sabemos tbém, do histórico de inadimplência/descumprimento do patrocinador aos termos de acordo firmado com os associados. Sabemos tbém que somos um passivo social e financeiro indesejado. Conhecemos a política maquiavélica que há décadas vem sendo implementada contra a nossa classe. Tá, tá, tá...Que opção temos, acuados e refém de tudo isso, sem um paladino que nos defenda efetivamente e com isenção? Voto sim, ciente que estou sendo ludibriado e temeroso por um desdobramento mais trágico, caso vença o "não", mas nutrindo, digo, iludindo-me com um mínimo de esperança de que nesse lapso temporal, até 2019, algo de melhor possa acontecer.

sss disse...

Pelo Amor de Deus isso é gravíssimo. É necessário que essas informações cheguem ao conhecimento de todos. Aliás, a data de encerramento da votação precisa ser prorrogada. Os aposentados e pensionistas precisam tomar conhecimento da armadilha, da arapuca armada pelo banco e que todos estão prestes a cair. Não podemos repetir o vacilo de 2010. Santo Deus!

Anônimo disse...

Emérito Professor ZANELLA:


Será que vai dar o BREXIT ou Donald Trump na CASSI, isto é, o NÃO?

Anônimo disse...

Eu e minha mulher já dobramos faz tempo o cabo da boa esperança, e 6a. feira passada submeti-me a procedimento cirúrgico com a proverbial atenção tanto dos médicos como do hospital.

Não temos condições financeiras para enfrentar os custos de um outro plano (nem do tipo mínimo da UNIMED) e nem condições físicas de ir para a fila do SUS.

Desta forma, mesmo que seja para "barrigar" até 2019, só me resta dizer SIM.

Se vencer o NÃO todos podem se preparar para a judicialização de nossos pleitos -- tenho um na gaveta de ministro do TST desde 2012.

Anônimo disse...

Sobre a votação pelo TAA é simples a dedução: enquanto a PREVI tem sistema de processamento próprio e possibilita a votação pelo sítio, já a CASSI tem seu sistema de processamento todo executado pelo patrocinador, daí a razão de os aposentados terem que votar pelo TAA.

Mas, como já disseram, não existe motivo para maiores preocupações, pois os próprios aposentados ficam com suas bundas nos sofás e nada fazem em seu próprio favor. Ficam esperando que tudo de bom lhes caia no colo. E depois ficam a choramingar pelos cantos.

Oras, bolas.

Anônimo disse...

O problema não é o sim ou não. Na minha opinião sempre que ocorre um deficit é evidente que houve má gestão. Assim sendo antes de buscar soluções que afetarão aqueles que não tem nada a ver com isso é preciso afastar aqueles que foram os verdadeiros culpados.O que me dói é por mais dinheiro nas mãos de quem já provou que não sabe administrar.

Anônimo disse...

O Banco ganha todas. Culpam a abstenção dos aposentados. O banco sempre ganhou. Para quem mora no interior desse país (longe das grandes cidades) a Cassi não mais existe. Pode mudar os governos que o norte de administração é o mesmo. Cassi custo de administrativo alto. Joguete (deal) do BB com os sindicatos (manutenção dos mesmos). Cabeça macrocéfala (igualzinho BB). Quem quebrou o plano foi o BB. Pós 98 domina a votação (obrigados a votarem no objetivo BB). Acaso os aposentados se mobilizem, o BB acompanhará a votação on line e mudará o resultado. Sempre foi desse jeito. O faz de conta (estatutos). Por que não se permite a migração para outro plano de saúde? O banco arcando com o mesmo desembolso para a CASSI? Para os que moram longe dos grandes centros (uma opção) sairiam beneficiados. No meu caso, venho sendo atendendo pelo SUS ou arcando com as consultas exames. Enfrento problema de saúde que o tratamento vem sendo feito pelo SUS. Todos fazem vista grossa. Necessito de uma cirurgia ortopédica e o Hospital das Clínicas SP, capital, informou que pela CASSI somente complementando por fora. No caso pediu R$ 10.000,00 por fora. Pra que votar? Fazer o jogo deles?

Anônimo disse...

Desde o início tenho convencimento do voto NÃO. Todos sabem que na primeira curva vamos ser empurrados para fora, vide BET. Agora, política é uma coisa camaleoa. Quando vejo um petista alterando o voto nessa altura do campeonato me enoja
Oportunismo puro.
Fosse o (des)governo passado eu duvido desse posicionamento
Termino triste observando que muitos estão perdendo a capacidade de se indignação

Anônimo disse...

Avisaram isso pro risadinha só agora?


6 tão é de sacanagem

Anônimo disse...

Quando estava na ativa o banco tinha dois métodos de venda: GA (goela abaixo) e CA (c_ acima). Votação on line coordenada por Estatal é ledo engano (mesmos métodos de venda). Esqueçam o BB, ele segue a lógica do governo de plantão. Ponto pacífico. Na toada mundial dos governos atuais (qualquer matiz) o sistema financeiro tem que obedecer ao capital. É questão de tempo a oficialização da privatização do BB. Privatizado já o é. Uma certeza eu tenho: o tamanho da diretoria e departamentos será reduzida em 90% por cento. Cabide de político e dirigentes sindicais (amantes, gatos e sapatos). O rose dava as cartas no BB. Com o PT a coisa foi vergonhosa. E com o PSDB a mesma política (seis por meia dúzia), o velho faz de conta.Vejam que é o presidente atual (garoto boy). A melhor opção é o desprezo. E quem tem, ainda, força de trabalho procure complementar a aposentadoria. Nem lá vou. Reduzam os espaços ociosos da CASSI nos prédios suntuosos mantidos nas capitais. O Rei na barriga continua, o tempo é de abobrinha...

Anônimo disse...

Emérito Professor ZANELLA:


Nunca vi Comentários tão bons e sensatos quanto os contidos na postagem
CASSI - VOTAÇÃO DIRIGIDA. Alguns, no todo ou em parte, beiram a "genialidade" (tanto para o SIM, como para o NÃO).

Anônimo disse...

Gente uma pergunta: caso o "nao" vença , o que ganharemos com isso em??

Anônimo disse...

Meus amigos. A CASSI tem os dias contados. Ela não se sustenta. Quem irá excluir do mercado são os hospitais, médicos e laboratórios, no conceito deles o pior plano. A PREVI se o PT continua ia para o mesmo buraco. Com o PSDB e PMDB (temos mais um tempinho). Os investimentos de compadrio vão continuar. O BB segundo um diretor atual, que todos conhecem, quando era Regional gostava de fazer espuma, e ser chamado de Dom _ _ _ _,defende a retirada da isenção (tarifas) para os aposentados. O que devemos lutar é a opção de recebermos a parcela da PREVI por qualquer banco. Tchau e obrigado. E quem recebe o INSS pela PREVI deveria fazer opção em recebê-la por outro banco, o que já o faço.

Edmilson lopes de sousa disse...

Contato Via Site

Suas informações foram enviadas com sucesso para nossa Central de Atendimento.
Aguarde nosso retorno em breve.

- Assunto : Sugestões

- Nome/Contato : Edmílson Lopes de Sousa
- Email : py4bsl@gmail.com
- Telefone : 03 836213064

- Comentários : Boa tarde.Fineza encaminhar essa mensagem ao setor.Todos os meses a aabb s.paulo que telefone oferendo seguros, etc. ou produtos.Sempre falo que não quero e peço para cortar meu nome da lista e não faze. Não Associoado.Já está me faltando paciencia com essas ligações. É bem provável que, na próxima vez, eu venha falta com a educação e mandar vocês para aquele lugar.Deixe-me em paz, por amor de Deus. Não quero nada com vocês.Gananciosos!
Ari, me oriente outra forma de esse pessoal da aabb spaulo me deixar em paz.Não tenho mais calma. Querem mme vender produto na marra.Gananciosos.Da próxima vez, vou falar palavrão com eles no telefone. O Banco tá aí dando uma banana para nós.Lá vem a aabb s.paulo. Como faço? edmílson em Januária mg.

Anônimo disse...

Olá colegas,
Estou espantada com as justificativas que estão sendo apresentadas para o voto NÃO. Mesmo que hoje estejam gozando de boa saúde,amanhã pode ser diferente. Eu mesma quase não usava a Cassi pessoalmente (só para meu marido) porém nos últimos 12 meses tudo mudou,foram: cirurgia, internações, vários exames caros, com anestesia, valores devidamente ressarcidos e medicamento de quase 500,00 fornecido pelo PAF e, sabem qual o valor da minha contribuição? 261,86,será que somente eu dou prejuízo na CASSI? Respondo SIM, concordo com o aumento de apenas 1% na minha contribuição. O que parece é que estão procurando uma desculpa para não terem um desconto a mais na nossa FOPAG que já está tão magrinha. GENTE O SUS É ASSUSTADOR! Se o Banco vai ou não honrar seus compromissos o problema é dele e eu não posso mudar isso, mas o valor da minha contribuição eu posso e devo! Parabéns ao José Roberto das 13:46 do dia 13.11 e ao anonimo das 11:26 do dia 14:11 pelas pastagens coerentes.

Anônimo disse...


Que os aposentados não votam todos sabemos. Para terem certeza absoluta da vitória do SIM enfiaram a votação no meio de um feriadão. Barbada. Pensam em tudo. Até 2019!

Anônimo disse...

14/11/16 15:30

Não se estresse, meu caro.

Atenda o telefone e quando perceber que é de tal lugar, simplesmente desligue na cara limpa e pronto.

Podem me chamar de rude, grosseiro, mas se eles não se tocam cabe a mim tocá-los para fora da minha vida.

Já no celular tenho vantagem: simplesmente incluo tal número na lista de rejeição de chamadas -- que já esta bem longa, por sinal.

rafa disse...

SUSPENSÃO DO ES POR 3 MESES X ACRÉSCIMO CASSI - Pelo jeito teremos acréscimo de 1% da CASSI. Bem que podia ser mais um motivo para a suspensão do ES por 3 meses. Embora não seja a solução ideal, mas bem que daria um refresco ... Alguma notícia sobre esse assunto?

Anônimo disse...

O benefício da Previ é melhor que do INSS, então o q que tem perder o BET?

A Cassi é melhor que o SUS e mais barato que os demais planos, o q é 1% a mais?

E assim as coisas vão acontecendo. Não é mais importante verificar os motivos que levaram a Previ a perdas bilionárias. Não importa que o modelo de gestão adotado pelo banco para a Cassi é ineficiente.

Quando leio comentários endossando o q essas mesmas figuras que decidem por décadas nosso futuro, na Previ e na Cassi, só posso crer que a "democracia" está em pleno vigor, e que, a lavagem cerebral q foi feita teve sucesso incontestável.

Que vença o sim para tranquilidade geral da nação e confirmação da eficácia do sistema de informação. Porém, que registre-se, que para alguns não existe legitimidade no processo. PLP 268 JÁ

Anônimo disse...

Caros Colegas,

Já além dos setenta e tantos anos me deparo com encruzilhadas de entendimentos.
Estaria o Banco do Brasil, nestes dias , sendo dirigido por canalhas, charlatões, vigaristas?
Confesso que estou ficando meio tararaca com tanta malvadeza atribuída ao BB.
Fica tudo muito nebuloso, é sim é não, os mesmos que assinaram o fatídico acordo BET, concordaram com o atual plebiscito.
Há um escandaloso interesse do BB em que os aposentados, que tanto deram suas vidas, alugaram a cabeça a ele 24 horas por dia, durante mais de trinta anos de trabalho, se rebentem?
Olha gente, é duro ter que enfrentar nesta idade tamanhos achincalhes.
DEUS nos guie e se Deus quiser mostre aos vilões o caminho da justiça.
Boa noite, com um bom calmante.

Cláudio Roberto disse...

Relativamente ao assunto CASSI faço
alguns comentários que julgo pertinentes:
1-Quando qualquer empresa/entidade/pessoa física, etc., tem receitas continuamente menores que as despesas estamos diante de uma falência, quebra e/ou da inviabilidade do negócio/atividade;
2-Sou do tempo em que a CASSI era parte do setor de funcionalismo em cada agência/departamento. Seguiam-se religiosamente os parâmetros da TGA. Desnecessário dizer que o atendimento e os auxílios eram muito, mas muito melhores, maiores e descomplicados. Longe de qualquer influência política interna ou externa, o funcionamento era ágil, eficiente, junto do associado que necessitasse assistência. Administrada dentro das dependências do empregador não havia despesas de pessoal, despesas de aluguel e todas as outras despesas/investimentos hoje existentes na estrutura que foi sendo paulatinamente criada. Tudo isso porque o empregador tinha interesse na saúde de seu maior patrimônio. Mas os tempos mudam, a medicina avança e as pessoas vivem mais tempo dando despesa e a Babel formada parece que não se sustenta.
3-Meu voto não é nem SIM, nem NÃO. Se o sistema está falido não será uma contribuição paliativa de ambas as partes destinada a postergar o trágico desfecho para mais adiante/próxima administração/próximo governo, deixando tudo como está. É preciso enfrentar o problema de frente, mudando tudo eu disse TUDO que não se comporta no binômio receitas e despesas equilibradas. E digo mais, entendo que mudando TUDO não seriam necessários nem aportes e nem aumento de contribuições. Faça-se uma CASSI cujas despesas caibam nas Receitas. Simples assim.
4-Por outro lado gostaria de dizer que, quando se fica doente de verdade não é a CASSI, nem a seus médicos/médicas dedicados que se procura. Médicos renomados custarão muito caro, o ressarcimento será ridículo mas será, talvez, a tábua de salvação da valiosa vida.Todos associados sabem disso.

5-Portanto, de alguma forma, a mudança a que me refiro já iniciou seu curso. Aumento de contribuição nada modificará no que concerne à saúde e, pasmadamente, nem equilibrará receitas e despesas, servirá para prolongar a duração da pesada estrutura deficitária. Na minha opinião, com aumento das contribuições e aporte do patrocinador, mantido o status quo, a deterioração do sistema continuará crescendo, como se constata olhando para o passado para reconhecer o futuro. É a triste realidade.
Claudio Roberto Chiele

Anônimo disse...

Preparem seus bolsos !!!

Operação tapa-deficit de contribuição de 1% a mais na Cassi é o pontapé inicial do ex-Patrocinador para aniquilar a solidariedade do Plano e trazer o valor das mensalidades para próximo do praticado pelo Mercado congênere.

Quem viver até lá, verá !!!

Como dizem no Capitalismo "não existe almoço de graça".

Fato.

sss disse...

É verdade, o assunto não é só seu, nosso. Se por falta de compromisso averbado em 2019 o banco se recusar a continuar contribuindo, você irá saber dolorosamente que é da sua conta, sim. Não pague pra ver.

ADEMAR disse...

Concordo com o comentário do colega Rafa em 14.11.16 à 17:42, votarei não na CASSI, mas o Banco nunca perde, a vitoria do sim é dada como certa, vamos ter que amargar o aumento de 1% em nossa contribuição, como forma de nos ajudar porque não aprovar a suspensão das parcelas do ES nos meses de Dezembro a Fevereiro, nos ajudará muito nesse momento, embora não seja uma solução definitiva. Ninguem falou mais nada sobre a suspensão, e o tempo está passando.

Ademar

Anônimo disse...

Buenas algumas coisas na vida são simples. Vejamos o caso da votação da CASSI. Recebi hoje e'mail da ANABB para que vote sim. Bem a ANABB é controlada pelo PT. O que vem do PT não é bom pra ninguém. Logo o correto é votar NÃO. Foi o que eu fiz.

Divany silveira-s.Lagoas disse...



" NOSSA INSEGURANÇA NA VELHICE É A MESMA DAS TARTARUGAS AO NASCER'"

Combativo Mestre, estive pensando na via-crucis que enfrentamos
e me lembrei de um filme sobre as dificuldades que as tartarugas
t~em para sobreviver até chegar ao mar.No caso delas, chegando ao
mar tudo indica que estão mais seguras que na caminhada, embora te-
nham passado por predadores de toda espécie,inclusive o homem.Com
relação a nós oriundos do Banco do Brasil, principalmente os anterio-
res á fundação da PREVI fomos atropelados pela informação de que mi
lhares teriam sido prejudicados ao longo de anos na sua remuneração
coisa que o patrocinador nao divulga. No próprio BB aprendemos que
não poderiam ter erros omitidos sob risco de punição.Pois bem,o que
acontece agora que a criatura sob mando do criador prcura dificultar
as ações dos interessados.? A insatisfação minha é tão grande quenão
vou falar do BET , não vou falar do ES, não vou falar da cASSI,não
vou falar o que li sobre aplicação na Sete Brasil, mas não deixarei
de falar que Presidente Temer está demorando fazer algumas
modificações na PREVI como houve em outras entidades.




e quer desconhecer o direito dos legítimos donos.

Edmilson lopes de sousa disse...

Não "sim" engane,Trump vai ganhar.É novembro Azul,preventivo de câncer de próstata.Para ficar barato, o médico é o Patrocinador,apenas colocou a falangeta, o resto é para depois de dezembro 2019.Votarei Não.Nunca acreditei no Banco do Brasil.Desde cedo, fiz meu pé de meia,poupando.Hoje, meus trocados estão da CEF,onde sou tratado como gente.edmílson em Januária-mg.

Anônimo disse...

Caro Ari,

Para conhecimento dos frequentadores desse blog, posto, a seguir, sugestão por mim endereçada à PREVI através do "Fale Conosco" a respeito da prática de anatocismo envolvendo o Empréstimo Simples, bem como resposta em que aquele órgão diz estar em análise, com previsão de resposta após decorrido 17 dias úteis:
e-mail: filoedenna@oi.com.br
Senhor FILOMENO JOSE LINARD COSTA,
Matrícula: 3288840

Obrigado por entrar em contato com a PREVI.
Sua solicitação encontra-se em análise e o prazo para atendimento é de até 17 dia(s) úteis.

Gerência de Atendimento
PREVI

Esta mensagem é automática e seu retorno não é monitorado.

----------------------------------------------------------------------------------------------

Data: 05/11/2016 06:23:48
Assunto: Empréstimo Simples
Tipo: Sugestão

Mensagem:
Ilmº Sr. Marcel Barros
DD. Diretor de Seguridade

A prática do anatocismo é vedada pela Súmula 121 do Supremo Tribunal Federal, que assim expressou o seu entendimento: ¿É vedada a capitalização de juros, ainda que expressamente convencionados¿. Diante disso e considerando que a PREVI ainda vem adotando essa prática no que se refere aos encargos do Empréstimo Simples, mesmo em arrepio da Súmula supramencionada, causando prejuízo aos milhares de mutuários, sugiro, s. m. j., seja o assunto levado ao jurídico desse Fundo de Pensão, procedendo-se os acertos cabíveis nos saldos devedores dos mutuários, à luz de parecer a ser exarado por aquele órgão, antes que o assunto enseje processos judiciais, causando danos à imagem dessa entidade de previdência privada.
Atenciosamente,
Filomeno José Linard Costa

Matrícula: 3288840
Nome: FILOMENO JOSE LINARD COSTA
DDD-TEL: 88 Telefone: 35234202
E-mail: filoedenna@oi.com.br
********** e-mail: filoedenna@oi.com.br **********
_________________________________
Esta mensagem e qualquer arquivo transmitido por ela podem conter informações restritas ou confidenciais e se destinam ao uso exclusivo da pessoa ou entidade a quem foi endereçada. Se você não é o destinatário intencional, ou acredita que pode ter recebido essa mensagem por engano, favor notificar imediatamente o remetente e apagar essa mensagem do seu sistema. O uso, a divulgação ou a cópia indevida do seu conteúdo é estritamente proibido.
Aenciosamte,
Filomeno José Linard Costa

Anônimo disse...

EM ALGUMA PARTE DO INTESTINO DO BEBÊ GULOSO

Qual a reação deles ao aumento de 1% nas contribuições para Cassi?
- Alguns sentiram-se até felizes e ficaram contra os que criticaram a medida

Então depois podemos soltar o aumento nas contribuições para Previ para cobrir os déficits?
- Claro que sim! Na relação custo x benefício fica bem mais em conta o gasto com nossas propagandas e apoios. Morderam a isca conforme projetamos. A ordem de cima é fazer lucro de todas as maneiras possíveis.


joao trindade disse...

Hoje se comemora a proclamação da República das Bananas (onde vivemos).
Mais um feriado inútil, dado que nada há para se comemorar, a não ser um ¨feriadão¨ para alegria dos que não gostam de trabalhar e produzir.Nesse contexto, nem a Previ, nem a Cassi (seus associados) escapam dos nocivos efeitos duma política destinada a servir os corvos de plantão, despreocupados com os ¨velhinhos trambiqueiros¨, considerados peso morto para os servidores da corrupção que grassa no país. Nada podemos esperar deles.

Anônimo disse...

Acho o "SIM" perigoso. Parece que o BB não se comprometeu em NADA, pode suspender suas contribuições a qualquer momento até 2019, reduziu - unilateralmente - a paridade de 1/1,5 para 1/1,35 e, AINDA POR CIMA, colocou a votação no TAA, confiando na habitual "inércia" dos velhinhos trambiqueiros..rs. Tudo bem.
Mas, numa quase impossível hipótese: Se o NÃO ganhasse, o que aconteceria , NESTE MOMENTO? A Cassi quebraria de vez? O já quase inexistente atendimento em consultas médicas seria suspenso? Internações e cirurgias(que, na minha opinião, ainda funcionam muito bem)? Exames laboratoriais: PAF = que, pra mim, FUNCIONA?
Gostaria dos esclarecimentos de quem REALMENTE ENTENDA da situação, na defesa do SIM e do NÃO!
Eu dependo, e MUITO, da Cassi. E preciso votar corretamente, até para não me sentir culpado futuramente.

Nascimento.

Anônimo disse...

Aamigos,

De tudo o que dizem da Anabb e do BB seriam os piores bandidos desta feita.
Teriam seus diretores que não estariam nem aí para Previ, Cassi por estarem segundo as conversas com as burras cheias.
Desta forma não se preocupariam em ter um plano Unimed ou coisa que o valha, até mesmo no exterior onde dizem guardariam suas "economias".
Espero e desejo conforme li mais acima, DEUS QUE FAÇA JUSTIÇA, COM A BREVIDADE POSSÍVEL, PARA ESSA GENTE.
até mais ver...

rafa disse...

Caro professor Ari. Os da ativa com certeza votarão sim, na maioria. A questão é FINANCEIRA. O salário bruto deles gira em torno de R$4.000,00 x 3% = R$120,00 ( cento e vinte reais )!!!! Não existe plano de saúde no mercado nesse preço! E ainda inclui o CÔNJUGE e filhos menores até 24 anos. Aliás, essa é uma discrepância que mensal e gradativamente faz aumentar o DÉFICIT da CASSI. A fórmula é fatal e mais parece uma bomba de efeito retardado que está e continuará explodindo no colo nosso: como pagamos obrigatoriamente pelo COMPLEMENTO DA PREVI + INSS, nossa contribuição será sempre maior, com serviços cada vez piores, descredenciamentos ... Tudo isso agravado com a má vontade de uma das corporações mais excludentes que temos: médicos e suas cooperativas. A CASSI tinha que cobrar o preço normal de um plano de saúde similar ... ou taxando os filhos e cônjuges dos da ativa. Do jeito que está a conta não fechará jamais. A forma adotada de um percentual igual para todos é INJUSTA. Cadê a TÃO DECANTADA SOLIDARIEDADE????

rafa disse...

CONTINUAÇÃO - CONTRIBUIÇÃO À CASSI: Vejam o que diz o regulamento da Cassi, e algo que eu não sabia: o funcionário da ATIVA, já aposentado pelo INSS, NÃO CONTRIBUI sobre o valor recebido pela aposentadoria!!! Com certeza é um contingente ( todos do Plano 1 ) de mais de 15 mil funcionários nessa condição. Olha aí a renúncia que a Cassi autoriza contra si mesma!

Qual o valor de contribuição do Plano de Associados?

A contribuição mensal dos associados é de 3,0% (três por cento), e não excederá este limite, sobre o valor total dos benefícios de aposentadoria ou pensão pela PREVI e/ou INSS, ou dos proventos gerais, e, uma vez por ano, a 3,0% (três por cento) sobre a gratificação natalina.

Como é calculado o valor da contribuição no caso de funcionário da ativa que já recebe benefício de aposentadoria pelo INSS?

Na hipótese apresentada, se o funcionário aposentado junto ao órgão oficial de Previdência Social continuar a exercer suas funções no Banco do Brasil, os benefícios decorrentes daquela aposentadoria não constituirão base de contribuição CASSI, tanto pessoal quanto patronal, enquanto permanecer esta situação.

Anônimo disse...

Ao colega Filomeno - 15/11 - 8:18 h

Sugestão para a situação por você descrita: peça a Rosalina para efetuar denúncia ao MPF sobre tal situação, pois, talvez,esteja aí a solução desejada.

Anônimo disse...

A BAGUNÇA VAI COMEÇAR NOVAMENTE, QUEREM SABER POR QUE?

Da revista Època:

"A ex-presidente Dilma Rousseff e a ex-presidente da Argentina Cristina têm encontro marcado em São Paulo no começo do mês que vem. Participarão de uma mesa de discussões, organizada por movimentos sociais, sobre os dois países."

Com certeza vão se encontrar com os petralhas + cut + MST + outros movimentos sociais, para combinar como iniciar uma bagunça social nos dois países, com destruição de agências bancárias e de carros, lojas, etc.; invasão de fazendas, prédios públicos, etc., etc., etc.

E o nosso país sempre na pior com esse bando vermelho de martelo e foice..

Anônimo disse...

Nascimento disse: Ano passado, o comunicado da possiblidade da suspensão das parcelas ocorreu em 27 de novembro (deu o maior trabalhão encontrar no site da PREVI - que não aceita o período final que tentei colocar, janeiro/16). Tive que ir retroagindo página por página...rs.
Acho que é nossa MAIOR necessidade agora. Torcendo MUITO !!

Nascimento.

Anônimo disse...

O Temer disse que a prisão do Lula traria instabilidade para o País. Ou seja, independente dos crimes que tenha praticado deve ficar impune.Pode um Presidente que se diz constitucionalista dizer uma coisa dessas. Quem deve tem medo.

Anônimo disse...

15/11/16 13:09

Fiz outra leitura do pronunciamento do Presidente Temer: ele se referia à prisão preventiva e não à definitiva, decorrente de sentença condenatória com trânsito em julgado.

Anônimo disse...

15/11/16 10:43

Se o funcionário encontra-se na ativa -- eis que agora não é mais necessária a quebra do contrato de trabalho, não há porque imputar-lhe contribuição sobre o valor de aposentadoria que recebe do INSS.

Ele, se associado, continua contribuindo como funcionário da ativa.

E, por outro lado, temos colegas da "ativa" que não são associados da CASSI.

Lembro, a propósito, a situação daqueles oriundos de bancos incorporados e que mantiveram os vínculos de assistência previdenciária e de saúde com entidades anteriores, seja por negativa do BB, seja por desinteresse desses colegas na adesão à CASSI e PREVI.

Anônimo disse...

Li todos comentários. Natural ter apoiadores do Nao e do SIM.
Mas quem trabalhou no banco depois do Fernando Henrique, Lula e Dilma não pode confiar que proposta vindo dos dirigentes dos últimos 21 anos pode ser boa (honesta).
Saí do BB doente. Vi todo tipo de falcatruas decididas em plenárias de administradores. As estratégias mais desonestas possíveis. Visivelmente, qualquer pessoa de bom senso sabe que o BB não se sustenta (hoje é inviável). Aos mais céticos entre no sítio do BB e vejam quem é quem (muita gente pra decidir nada) o norte são metas desonestas.
Não culpo os funcis da Ativa, atuais, pois, o BB não os preparam tecnicamente. Saiu do feijão com arroz (não sabem prestar uma informação segura).
As vendas casadas continuam. Eu tenho certeza absoluta que os empréstimos concedidos (equalizados) boa parte foi para atingir metas da seguridade. Deu no que deu. Foi até bom. Xotou a anta. A melhor resposta dos aposentados seria boicotar o banco. Retirando as aplicações e transferindo, incontinenti, os valores que recebem da PREVI para outras instituições. Muitas não cobram tarifas e pagam melhor nas aplicações. Alguma forma de respeito temos que exigir. Não é concebível um plano que tem fim (Previ 1) ser decido pelo plano que não tem nada a ver com a sua configuração (Previ Futuro). Sempre pergunto: quem paga os custos administrativos do Previ Futuro? As demonstrações contábeis são obscuras nesse sentido. Repito, quem quebrou a Cassi foi o próprio banco. Vejam os custos que a Cassi tem com sua estrutura imobiliária? E o banco com espaços ociosos. Acordem! Esse 1% é teste pra empurrar C´acima o déficit da PREVI. O que foi que a companheirada mudou da política de FHC, nada. Tem um dirigente atual do BB que dizia em alto e bom tom que ptista tinha que levar bordoada. E ele, um louco (socioopata), quem trabalhou com ele, sabe de quem tô falando, se alcandorou com o PT e continua agora com o PSDB, falo , assim, pq o Temer sabe que na hora que o PSDB quiser, xota-o, também.
Nada muda no BB. Na votação nem lá vou. Vamos exigir a PREVI fazer nossos pagamentos em toda institu~ção financeira, urgente. Ou cindir as decisões. Palno 1 decide o que lhe pertence. Os aposentados boa parte não comparece pq sabe que o BB não é honesto.

Anônimo disse...

Com relação a Cassi, quando sai do BB tive que aderir ao Cassi FamiliaI sabem quanto pago acima de R$800,00 o mesmo valor o meu marido, e para minha surpresa certos procedimentos não são cobertos pelo plano (só ficamos sabendo quando precisar) pois em 1998 entrou o Cassi Familia II para se adaptar as normas da ANS e se eu quiser migrar para o 2º plano a mensalidade vai a R$1900,00, como pagar isso?
Sinceramente deixar o plano se acabar por conta de 1% a mais nas suas mensalidades que atendem por um valor bem menor titular e dependentes não me parece a melhor saída.
Voces realmente acham que a Cassi é mal administrada? Saúde é cara no Brasil.

Johnny Ramos disse...

Não, nao, Não!!!

Anônimo disse...


VALEU FILOMENO!!!!!! Talvez começa aí o nosso despertar contra os juros sobre juros cobrados disfarçadamente há muitos anos no ES. Vamos derrubar o dragão que cospe fogo contra nós!

Anônimo disse...

Filomeno,
Disponibilize o esboço da petição aqui no Blog do Ari. Interesso-me, ajuizarei a ação contra a PREVI.

Anônimo disse...

N A O til

rafa disse...

Ao anônimo das 14:41. Quando pedi o complemento da Previ, já recebia do INSS havia 2 anos. A documentação que preenchi dizia que era OBRIGATÓRIO incluir todas as rendas para a base de cálculo da contribuição, SOB PENA DE exclusão da CASSI. Ora, qual a diferença entre quem é da ativa e aposentado? nenhuma! Será que se passasse a receber o INSS separado, noutro banco, eu poderia também deixar de recolher sobre a aposentadoria? Então, se o contrato que temos com a previdência oficial é de foro íntimo, o mais certo então seria NINGUÉM pagar CASSI sobre INSS. Conclusão : pagamos muito mais para a CASSI, e quem decide por nós são os colegas da ativa, a maioria do Previ Futuro.

Anônimo disse...

O pior das duas caixas é falta de credibilidade fruto da inexistência de transparência.
Previ existem os SEM TETO, Rendas Extras, 7 Brasil, Investimentos imobiliários para favorecimento de construtora A ou B, despesas administrativas inexplicávei$, manutenção de uma estrutura inchada desnecessária para dar o amém ao Guloso.
Cassi existem cirurgias estéticas pagas aos amigos do rei e outros privilégios que precisam ser iluminados.
Vocês acreditam sinceramente que os "deuses do olimpo" não dispõem de tratamentos vips na Cassi? Justamente os que não precisam por receber salários de marajás contam com mordomias em todos os setores.

Nesse cenário de total descalabro eles tem a pachorra de proporem jogar a conta da gestão atabalhoada gerida por pessoas incompetentes, para nós pobres mortais?

Esse raciocínio que o plano X e Y custam 2 mil reais não legitima essa manobra draconiana de empurrar o preju para quem mais necessita. Utilizam a falsidade da consulta ao corpo social para chancelar o desplante ora proposto pelas mesma figuras que não deixam claro de que lado estão

Anônimo disse...

sr. Ari já que você voltou NÃO diga as razões e/ou preposições, do contrário, seu discurso chega a ser vago. Quais são suas propostas para a Cassi. Você pode iniciar com o tema Dependentes.