BANNER

Acesse aqui!
atendimento@anaplab.com.br
Joinville/SC: (47) 3026-3937
S.J. Pinhais/PR: (41) 3035-2095

terça-feira, 31 de maio de 2016

ÚLTIMO CAPÍTULO: DELAÇÃO ODEBRECHT ACORDADA

   No epílogo da operação Lava Jato, o acordo que faltava. Na quarta-feira passada o MPF e a Empreiteira Odebrecht assinaram (finalmente!) o acordo de delação e de leniência, conforme noticiou a jornalista Mônica Bergamo, da Folha de São Paulo. Trata-se de um acontecimento histórico posto que envolve a pessoa que pode afastar definitivamente da vida política nacional, todos os que levaram ou pode ainda estar levando o país ao caos generalizado. Esta figura, aparentemente franzina, chamada Marcelo Odebrecht, será a prova viva dos atos ilícitos que irão incriminar pessoas dos principais partidos brasileiros, independentemente de raça, credo ou ideologia. Afinal, corrupção não tem partido nem crença; é obra de Satanás para prejudicar a todos em "proveito" de alguns.
      Não há como não vislumbrar a possibilidade (eu arrisco a dizer de 100%) de convocação de novas eleições presidenciais. Ninguém da atual estrutura sucessória reúne condições morais para continuidade desta democracia fragilizada por tamanha corrupção. Refiro-me ao poder executivo e legislativo, excetuando o judiciário.
      Preparemo-nos todos para novas eleições, ainda neste ano. Com Marina Silva e demais postulantes. Quem será que o povo vai eleger? Acho que a Marina não vence.
DESCULPE A FOTO, MARCELO. PORÉM, SE VOCÊ CONTAR TODA A VERDADE, PROMETO COLOCAR UMA FOTO SUA DE PRIMEIRA QUALIDADE

segunda-feira, 30 de maio de 2016

BOVESPA NOS CEM MIL PONTOS

    Li um comentário no blog do Dr. Medeiros:

  Blogger sss disse...
Dr. medeiros, o Bruce Barbosa da Empiricus fez as previsões abaixo. Não entendo nada dessa transação de bolsa, mas ao ver a reportagem logo lembrei do senhor. Caso se concretize até o final do ano, nos tratará benefícios junto à PREVI? Boa noite:

A Bolsa atingirá os 100 mil pontos.

Prepare-se para aproveitar a enorme valorização dos ativos brasileiros, que garantirá lucros exorbitantes.

Se deseja multiplicar seu patrimônio, deve agir agora mesmo. 


29 de maio de 2016 00:55

    Obviamente, não é preciso ser nenhum expert em economia para averiguar que em tal hipótese a nossa PREVI seria enormemente beneficiada, praticamente nosso atual déficit se transformaria em superávit, ou seja, sairíamos de menos 28 bilhões de reais para mais de 30 bilhões de superávit.
      Naturalmente são somente previsões. Contudo, o Bruce Barbosa trabalha para a Empiricus, uma empresa de credibilidade. No sítio da empresa lemos que é hora de investir em ações, principalmente do setor de bancos brasileiros. Uma coisa é certa: Na bolsa deve-se investir quando todo mundo está com medo. Nesse jogo só ganha quem é audacioso (ou corajoso).
       Com todo o respeito ao Bruce mas cem mil é otimismo demais.
 

domingo, 29 de maio de 2016

DESAFIOS DE SITUAÇÕES DELICADAS

    Que as mazelas brasileiras afloraram nitidamente de 2014 para cá não há qualquer sombra de dúvidas. Analistas internacionais dizem que nossa economia encolherá, ao final de 2016, a quase um décimo do que era em meados de 2014, no auge da Copa do mundo. Com efeito, a Lava Jato nos brinda diariamente, juntamente com as operações Acrônimo e Zelotes, com fatos revelados (e recorrentes!) desde o chamado mensalão e prosseguindo no chamado petrolão. Os atores são sempre os mesmos, estando os protegidos pelo foro privilegiado (os políticos) vergonhosamente fora das grades. Quem ousa prender presidentes, ex-presidentes, senadores, deputados e ministros de estado? Como dizem, o STF parece acovardado, será?...
    O Brasil faz parte dos Brics, países entre os quais se encontra a Rússia que investe muito em tecnologia. A China, outra gigante, vai ver  seu PIB crescer 7,5% neste ano e na Índia prevê-se um crescimento de 6,5%. Já o Brasil terá um PIB negativo de -3,8% refletido no fechamento de empregos, recessão, estagnação motivado pelos gigantescos escândalos de corrupção em empresas estatais.

     Vai custar uns dois anos de sacrifícios de toda a população, principalmente a mais pobre para experimentar um novo quadro na economia, se as lavas jatos e o STF conseguirem acabar com os corruptos, para atingirmos, finalmente, a proteção de Deus revelada na imagem do Cristo Redentor abaixo.

sábado, 28 de maio de 2016

REELEIÇÃO NUNCA É BOM

     Um dos mais perversos expedientes criado durante o exercício do governo FHC foi a possibilidade de reeleição. No caso da PREVI, é uma questão estatutária que já não deveria mais ser admitida.
     O pior é que permitimos acontecer agora e bem poderíamos ter evitado. Era imperioso que nossas oposições fizessem uma análise acurada do processo eleitoral: Quem realmente vota, a proporção ativo/aposentado, voto em branco e nulo, influência do patrocinador sobre o pessoal da ativa, o PREVI Futuro (que vota maciçamente), a quantidade de chapas, etc.
      Ficou claro que a chapa 4, do Branisso e do Scortegagna (Anabb) veio exclusivamente para ser a chapa branca. Senão vejamos: Os votos por ela recebidos (4.575) teriam elegido a chapa 1 que obteve 23.542 sufrágios. Além de ataques que fizeram à chapa 2 ao William Bento, num autêntico "fogo amigo" posto que só beneficiou a chapa 3 da situação.
     Outro fato que as chapas de oposição deveriam inspecionar era o apoio sindical da CUT ao candidato Marcel. Queira ou não eles conseguiram do governo petista consideráveis avanços nas negociações salariais ano passado. Falta do nosso lado alguém que seja a cabeça-pensante, o articulador, aquele que se reúne com todos para obter o consenso. E assim, perdemos a batalha e a guerra.
       O que esperar de um segundo mandato do sr. Marcel? A mesma coisa do mandato atual. Ele em nada mudará. Será sempre contra os interesses maiores dos associados para atender sempre os interesses maiores do patrocinador. A esperança é que, com novo governo (que não é tão novo assim), haja uma mudança de atitude de parte do BB em relação à PREVI. Que o patrocinador não tenha mais tanto interesse financeiro no fundo, que ele próprio reconheça o seu papel de patrocinador, não de usurpador. E como isto se daria na prática? Com os três nomeados pelo Banco tomando atitudes que visem ao bem-estar exclusivo dos associados. Impossível? É esperar para ver.
      De toda a forma, estas eleições deixaram um gosto amargo nos verdadeiros donos da PREVI. Carece urgentemente que haja separação dos dois planos administrados pela PREVI: O PB1 administrado exclusivamente pelo pessoal da Plano 1 e o PREVI Futuro administrado exclusivamente por componentes do próprio plano. Assim, ninguém decide nada pelos outros. Cada um na sua!
      Infelizmente, escolhemos alguém na contramão da história. Quem venceu é formado em História. Os ventos da mudança não chegaram ao nosso fundo por erros estratégicos das oposições. São tão velhos mas tão inocentes! Mamma Mia!!!
SR. VALDIR, UM GAÚCHO MEU AMIGO, GREMISTA AO EXTREMO, USA A EXPRESSÃO "SENTAMOS NA GRAXA" QUANDO SEU TIME PERDE. NÓS, QUE PERDEMOS NA PREVI, ONDE SENTAMOS?

sexta-feira, 27 de maio de 2016

DIVISÃO DEU CHAPA TRÊS



     Fim de pleito em que o resultado foi adverso a todos nós. O associado perdeu. Ganharam os sindicatos e o governo do PT. Parabéns aos eleitos!


Notícias

27/05/2016

Eleições PREVI 2016: resultado prévio aponta Chapa 3 como vencedora

Confira os números da votação, que foi encerrada às 18h desta sexta-feira, 27/5


O resultado prévio das Eleições PREVI 2016, que ainda será homologado, aponta que a Chapa 3 foi a vencedora do pleito, que se encerrou às 18h desta sexta-feira, 27/5. Confira os votos por chapa:
 
CHAPA VOTOS %
Chapa 1 – Hora da mudança na PREVI 23.542 21,22%
Chapa 2 – PREVI plural e independente 17.892 16,13%
Chapa 3 – PREVI compromisso com associados 27.201 24,52%
Chapa 4 – Autonomia e independência 4.575 4,12%
Chapa 5 – Semente da união na PREVI 16.300 14,69%
Brancos 7.685 6,93%
Nulos 13.745 12,39%
Votantes 110.940 100%

quinta-feira, 26 de maio de 2016

CHAPA DOIS - CONCLAMAÇÃO FINAL

   As eleições na PREVI se encerram amanhã às 18 horas. Não permita que outros decidam seu futuro. Esta é a eleição mais importante dos últimos tempos. Não temos o direito de errar na escolha.
   A chapa 3, como era esperado, faz apologia às calúnias e mentiras para confundir os incautos. Numa recente mensagem recebida, assinada pelo ex-presidente da PREVI, sr. Sérgio Rosa (dize-me quem te apoia e dir-te-ei quem és) o atual diretor de seguridade é pincelado como "quem mostrou capacidade e compromisso com o associado".  Trocaram PATROCINADOR com ASSOCIADO. Desde quando essa é a realidade? Claro que só poderia partir de um Sérgio Rosa que teve o atual diretor de Seguridade como aliado seu e do BB, enquanto foi presidente. Não podemos esquecer que Marcel foi aliado de Dan Conrado e esteve na linha de frente na defesa do CORTE DO BET e na volta das contribuições. Portanto, mentiram na campanha de 2012 dizendo que transformariam o BET em BEP (permanente), em vez disso, ajudaram a cortá-lo. E assim em outras questões cruciais aos associados como o ES que teimosamente insistem em não dilatar o prazo, atendendo interesses do patrocinador. Além disso, são contra o fim dos abonos milionários pagos à diretoria. Acham que com um déficit de 28 bilhões estão fazendo um ótimo trabalho! Fora PT, fora Contraf-CUT, fora pelegos sindicais! O Brasil já está se livrando deles, falta nós na PREVI fazermos a nossa parte.
    Por tudo isso, vote numa chapa de oposição. Eu sugiro e recomendo o voto na Chapa 2 - PREVI, PLURAL E INDEPENDENTE! Chapa da credibilidade, da confiança, da verdade. Confie em quem está bem intencionado e quer trabalhar VERDADEIRAMENTE para o ASSOCIADO.
 

segunda-feira, 23 de maio de 2016

TEORI, TEMER, MINC E NOVAS ELEIÇÕES (Por João Rossi Neto)



Caro Ari e colegas,

Reporto-me ao tema anterior para tecer as presentes considerações.

Não pertenço e nem defendo nenhum partido político. Sou a favor do Brasil e do nosso sacrificado povo. Torço para que o Lula e seus quadrilheiros, autores e ou executores dos crimes e roubalheiras que quebraram o país sejam severamente punidos e mofem na cadeia. Contudo, tenho dúvidas em relação à execução das penalidades, relativamente aos delinquentes que serão julgados pela Suprema Corte, onde notoriamente impera a lentidão.

Acho que o Ministro Teori Zavascki está sendo condescendente demais e assaz moroso, porquanto já deveria ter voltado à investigação do chefe da organização criminosa (Lula) para o juiz Sérgio Moro, dado que ele não tem mais prerrogativa de função. Não podemos sequer cogitar a hipótese de esse meliante escapar novamente das malhas da lei, conforme aconteceu no mensalão.

Com um número muito grande de investigados no STF sem julgamento e andamento célere, a tendência é que muitos crimes prescrevam. Isto, sem dúvida, é muito grave, ruim e explica com clareza o porquê do apego ao foro privilegiado, sobremaneira, como uma espécie de tábua de salvação para os bandidos que surfam nas ondas dos roubos dos recursos públicos.

Demais disso, sua excelência, o Ministro Teori, sonega à sociedade o teor explosivo da delação premiada da Srª. Danielle Fontenelle proprietária da agência de comunicação Pepper que lavou R$ 58.3 milhões para pagar despesas das campanhas de 2010 e 2014 da Dilma. O povo tem o direito de saber, Ministro.

Quanto ao Presidente interino Michel Temer, temos que compreender que a sua posição a frente do Governo é delicada,indefinida e a sua efetivação para o resto do mandato depende de dois julgamentos, a serem feitos no Senado, condenem a Presidente afastada. Portanto, votos poderão ser mudados durante os próximos 180 dias, embora sejam remotíssimas as perspectivas da Dilma reassumir o seu mandato.

Por isso mesmo, o Temer, que não é bobo, está procurando agradar os aliados políticos para garantir a efetivação do impeachment e a expulsão definitiva do “petismo” do poder. Nessa linha de conduta, as decisões têm que ser negociadas e o ajuste fiscal feito gradualmente para facilitar as aprovações no Congresso. No entanto, a sociedade condena o fisiologismo escancarado, do toma-lá-dá-cá.

Nessa etapa de transição pós-aceitação do pedido de impeachment, os recuos  para corrigir erros serão estratégicos e aceitáveis. Administrar nesse período de escassez e dificuldades de toda ordem vai implicar na arte de engolir sapos. É condição sine qua non  para viabilizar o Ajuste Fiscal que o Governo faça os deveres de casa, ou seja, que corte primeiro os gastos públicos e reduza o tamanho da máquina governamental que está inchada.

Esse gesto inicial sério e bem intencionado vai repercutir positivamente na geração de confiança e na conquista da legitimidade junto à comunidade internacional, investidores estrangeiros e nos empresários brasileiros, em setores vitais como o industrial, prestação de serviços e comércio, etc., cujo clima de euforia vai ensejar a retomada do crescimento do País. Garantir a segurança jurídica é outro aspecto crucial para atrair, encorajar e estimular novos investimentos e empreendedores.

Foi inoportuno e desnecessário o fechamento do Minc pela pouca influência no orçamento público. O caso simplesmente oportunizou, serviu de mote e deu munição para os artistas de esquerdas e usuários dos benefícios que, inconformados com a saída da Dilma, colheram o ensejo para agredir o atual Governo com falatórios desairosos e repúdio à extinção. 

O curioso é que esses mesmos artistas nunca criticaram a rede de corrupção endêmica implantada pelo PT para cobrar propina para o partido e enriquecimento ilícito pessoal da quadrilha, sobretudo do Sr. Lula, dos roubos bilionários na Petrobras, arrasando as finanças daquela estatal e que se espalharam como um câncer para diversos setores como o sistema Eletrobrás, o BNDES, a refinaria Abreu e Lima, o Comperj, compra fraudulenta de Pasadena, construção superfaturada de estádios, etc. 

A ideologia extremista e doentia desse pessoal que vive à custa dos palcos da vida vendendo sonhos e ilusões, sem nada produzir de concreto, é seletiva para apontar os malfeitos dos adversários e cega em relação aos graves crimes dos companheiros e isto se chama hipocrisia e falta de vergonha na cara. Não valorizam a ética e a honestidade no Brasil, por que? Será que acham correto o nome do país atolado na lama da corrupção?

Que valores morais são esses que fecham os olhos para os crimes de lesa pátria e para as mazelas feitas pela Dilma na vida do povo, como o elevado desemprego, inflação alta, maior taxa de juros do mundo e, por cima, para estarrecer a todos, defendem a manutenção do Governo corrupto e sem legitimidade da Dilma? Essas pessoas não são sérias, idôneas e verdadeiros patriotas!

Esse corte do Minc não deveria sequer ser aventado e muito menos autorizado, mas postergado para época mais propícia. Cutucar vespeiro no pico de crise econômica, social, política, de confiança e de legitimidade, em assuntos de pouca relevância, para ganhar o que?

Após essa asneira administrativa, ainda bem que prevaleceu o bom senso de pacificar urgente o suposto grupo de formadores de opinião (artistas) que se insurgiu contra a extinção e saiu vitorioso com a revisão do ato anterior e a recriação do Minc.

A despeito do nítido desgaste do Governo, nesse episódio, a decisão de retroceder foi adequada e tempestiva para apagar esse incêndio que começava a se alastrar de forma desfavorável, principalmente neste momento conturbado do impeachment. Endurecer o jogo na base da intransigência e manter o fechamento do ministério seria um segundo tiro no pé.

Com o povo morrendo em filas de hospitais por falta de recursos para a Saúde, a Educação em frangalhos, o desemprego caminhando para níveis insuportáveis, os indicadores econômicos esgarçados e deteriorados, não creio que nova eleição seja solução para esse inadiável e desastroso quadro de crise geral caótica. 

Por outro lado, o Temer, constitucionalmente, com vice-presidente de fato e de direito, tem a prerrogativa de assumir a vaga da Dilma e não vai abrir mão do seu mandato, a não ser que também fosse impedido. Isto, por si só, parece ser suficiente para sepultar a tese de uma eventual eleição. 

A sociedade foi para as ruas protestar e pedir a saída da Dilma, todavia, está tendo dificuldades gigantescas para desapear o PT do Governo e os avanços conseguidos não podem se perder. imaginemos, então, que teríamos a reprise do filme petista com a Marina no poder, caso fosse eleita presidente em uma futura eleição, por ser o partido dela (Rede de Sustentabilidade) um puxadinho do PT. Pasmem, mas os deputados da Rede votaram contra o impeachment. 

Essa senhora adora o seu ídolo Lula e a amiga Dilma. Parece que sofre da Síndrome de Estocolmo, isto é, a situação inusitada em que o sequestrado se apaixona pelo sequestrador. No caso, a Marina se apaixonou pelos que a expulsaram do PT. Com a carência atual de bons candidatos à Presidência da República, aumenta as chances da Marina ganhar uma próxima eleição, oportunidade em que acorreria o retorno de velhos caciques petistas ao Planalto. Vocês querem isso?

João Rossi Neto - Goiânia (GO)

MINISTRO TEORI ALBINO ZAVASCKI DEVE DEVOLVER LULA AO 13º JUIZADO FEDERAL DE CURITIBA-PARANÁ

CHACOALHADA NOS APOSENTADOS E PENSIONISTAS

   Vou pegar carona na temática do Dr. Medeiros e dar uma balançada nos estimados velhinhos/as da PREVI para que não deixem de votar! Tomem como exemplo o colega Carlos Valentim Filho, o Longevo, que com 87 anos já  deixou sua marca eleitoral no site da PREVI. Um carinhoso abraço no Valentim que lê o meu blog diariamente.
Além dos aposentados, as pensionistas somam quase 20.000, número que isoladamente pode decidir qualquer eleição na PREVI. Acontece que nem 5% delas votam efetivamente e aí acontece como o adágio que diz: "Se o cavalo soubesse da força que tem, ninguém montava nele."
    Então mãos à obra! Quem conhece alguém aposentado ou pensionista estimule-o ou estimule-a a votar. Se possível, ensine-os. Pode usar além do site da PREVI, o URA (voto por telefone). O 0800 do URA está no site para consulta. O importante é fazer com que o pífio índice de 13% suba vertiginosamente. Vale lembrar que temos apenas cinco dias úteis: Segunda, terça, quarta, quinta e sexta. Então, vamos lá! A chapa da situação não pode continuar. Ninguém pode confiar no pessoal da ativa, na maioria do PREVI FUTURO que vota pelo SISBB (já votaram 70%). Para estes é indiferente quem vença porque é um plano totalmente diferente do nosso.
    Continuamos a recomendar a quem ainda não votou, o voto na Chapa 2 - PREVI - PLURAL E INDEPENDENTE. E vamos que vamos para a reta final!
 

domingo, 22 de maio de 2016

GOVERNO QUE NÃO SE SUSTENTA

   É impossível agradar a todos. Ao ceder no Ministério da Cultura, Temer demonstra ser um frouxo, se deixando levar pela pressão de alguns artistas sabidamente petistas, como se as medidas que tomou não fossem extremamente necessárias, essenciais à estabilização econômica do país. Já havia cedido às críticas sobre ausência de mulheres no primeiro escalão, afirmando que seriam escaladas para o segundo escalão.
    Temer assume justamente um governo de salvação nacional, com apoio da maioria dos congressistas, fator essencial para a aprovação das reformas tão urgentes e necessárias. Tem tudo à sua mercê para implantá-las, no entanto, age com extrema prevaricação. É fraco ou refém daqueles cacifes que decidiram, na última hora, apoiar o impeachment. Caiu mal a nomeação de ministros envoltos na operação Lava Jato. Temer nomeou alguns altamente meritórios como José Serra e Henrique Meirelles. Neste "altos e baixos" desperdiça a chance que tem de acertar 100%.
       Você só deve ceder quando há um impasse ou quando está em jogo os interesses maiores do país. Cortar ministérios e depois voltar atrás demonstra muita fraqueza e deste tipo de pessoa é o que menos precisamos neste momento. Como dizia Collor, para realizar as mudanças necessárias é preciso ter aquilo roxo. O mercado quer ver atitudes firmes, decididas, sem retorno. A pergunta que se faz é: Cultura enche a barriga do povo? É tão necessária que justifique um ministério exclusivo? Não estaria de bom tamanho uma secretaria especial vinculada ao Ministério da Educação? Em países onde há mais visitas a museus e centros culturais como Estados Unidos, Inglaterra, Alemanha não existem ministérios de Cultura.
    Portanto, Temer não vai longe. Logo, logo haveremos de ter novas eleições presidenciais, elegendo alguém mais bem preparado para o cargo. Com Temer não dá. Sem trocadilho, é uma temeridade.
     Vamos de Chapa 2 nas eleições da PREVI. Ali tem competência! PREVI, PLURAL E INDEPENDENTE.
 

sexta-feira, 20 de maio de 2016

O MONSTRO ESTÁ NA CABEÇA DE QUEM ACUSA

    O desespero de certas pessoas é assustador. Sabendo que seus dias estão contados, assim como estavam contados os dias de Dilma e Lula, atacam fazendo acusações levianas como a de que "Paulo Bauer sempre foi um político insignificante até que o pessoal da chapa 2 resolveu promovê-lo a legislador de previdência complementar". Ora, é uma mentira deslavada atribuir o Projeto do Senador Paulo Bauer à autoria da chapa 2. Também chamar o senador de "insignificante" é puro deboche ao melhor e mais versátil estado do Brasil (SC) e a seus eleitores altamente escolarizados. "Insignificante" é o senador José Pimentel (PT-CE) que foi autor da Resolução 26, portanto, abertamente contra os associados da PREVI. Porém, este senador tem o apoio do autor da denúncia fabricada eleitoralmente para denegrir a imagem da Chapa 2 (Chapa quente). Eis a denúncia eleitoreira (bem ao estilo petista):

PESSOAL DA CHAPA 2 CRIOU O MONSTRO

Está em tramitação na Câmara dos Deputados um projeto do Senador Paulo Bauer (PSDB-SC) que altera as regras de gestão dos fundos de pensão. Acaba com eleição de diretores e conselheiros pelos associados.
Entrega a gestão ao mercado financeiro e empresarial privado.
Quem indicará os conselheiros e diretores serão os lobistas  e especialistas em vender “investimentos micos” para os fundos de pensão.
Paulo Bauer sempre foi um político insignificante até que o pessoal da Chapa 2 resoveu promovê-lo a legislador de previdência complementar. Um dos criadores da Chapa 2 chegou a liderar um abaixo assinado com 80.000 assinatura em apoio ao projeto de Paulo Bauer.
Não coloque na Previ quem quer entregar a Previ ao mercado financeiro.

   Agora vejam o artigo escrito pelo Senador Paulo Bauer, ressaltando que precisa ainda ser asprovado pela Câmara dos Deputados e depois disso estar sujeito ao crivo do presidente da república que tem o poder de veto.
Ressalto que ninguém da Chapa 2 tem qualquer coisa a ver com o referido projeto. Este projeto substituiu um anterior do mesmo senador (lembram em que num discurso no plenário, Bauer fez menção ao colega Ivo Ritzmann, companheiro de infância?). Pois bem, este PDS José Pimentel foi o relator. Como pedia a supressão de artigos da Resolução 26 (um deles a reversão de valores ao patrocinador), Pimentel sentou em cima e o projeto melou.
Em 2015, já com outra roupagem e outras condições o projeto voltou ao Senado com outro número. Outros senadores aderiram à causa (inclusive Aécio Neves) e muita coisa foi tomada das conclusões da CPI dos fundos de pensão. O projeto teve o voto favorável, inclusive, do senador petista, José Barroso Pimentel. Um dos requisitos é nenhum dos dirigentes de fundo de pensão poder ser filiado a qualquer partido político.

Artigo: Fundos de Pensão, por Paulo Bauer

Joinville – 26/04/2016 – Com um rombo que ultrapassa R$ 51 bilhões, os contribuintes dos principais fundos de pensão de estatais federais como Postalis (Correios) e Petros (Petrobras), já não têm a certeza de que receberão os seus benefícios quando alcançarem a aposentadoria. Isso porque os dirigentes desses fundos de pensão e também os da Previ e Funcef, entre outros, usurparam suas funções nos últimos anos. Os fundos foram capturados por estruturas partidárias e seu uso político prejudicou os trabalhadores mutuários. No Postalis, por exemplo, o rombo nas contas obriga os funcionários dos Correios ao pagamento mensal de expressivo aumento na contribuição, para que os benefícios de suas aposentadorias sejam honrados.
Diante deste quadro caótico, apresentei no Senado o projeto PLS 388/2015, já aprovado, que moderniza a gestão dos fundos de pensão de empresas estatais e órgãos públicos. Entre outras mudanças, ficou estabelecido que os dirigentes dos fundos de pensão de empresas estatais brasileiras não poderão mais pertencer a partidos políticos.
O meu projeto cria a figura dos conselheiros independentes na área deliberativa e fiscal. Eles e os diretores dos fundos serão escolhidos por empresa especializada, contratada, que fará seleção técnica considerando os melhores currículos.
O projeto estabelece que os dirigentes executivos dos fundos sejam recrutados e contratados observando-se sua experiência profissional na área de investimentos financeiros e de gestão de negócios e impede que exerçam quaisquer atividades em empreendimentos nos quais tenham ocorrido investimentos após deixarem o cargo que exercem. Ainda, pela lei aprovada no Senado, serão responsabilizados legal e judicialmente dirigentes que mal administrarem o dinheiro dos trabalhadores que constituem os fundos de pensão.
Isto é um avanço. É fazer o Brasil ir para frente e tornar transparente a gestão dos fundos. O meu objetivo é despolitizar e despartidarizar um setor importante da nossa economia. Quero um Brasil grande para os brasileiros e não um país voltado para os interesses de partidos políticos que estejam acima dos interesses de toda população.
O PLS 388, apensado ao PLS78/15, tramita agora na Câmara dos Deputados onde, espero, seja aprovado com a mesma celeridade que no Senado Federal.

Artigo Publicado no Jornal  A Notícia na edição de 26/04/2016.

   Portanto, é obra do Congresso Nacional, sem qualquer ingerência da Chapa 2. Com a finalidade em fazer uma acusação leviana dessas? Parece muito claro, não amigo eleitor?
CHAPA 2 PREVI: PLURAL E INDEPENDENTE

NEL MEZZO DEL CAMMIN

   Hoje é o oitavo dia da maratona eleitoral da PREVI. São quinze dias corridos iniciado em 13 de maio e que se findará em 27 de maio, na próxima sexta-feira. Portanto, estamos na metade do caminho.
    O maior desastre que poderia ocorrer, ao fim da jornada, seria a vitória da única chapa que concorre à reeleição. O candidato à Seguridade nesta chapa é militante/simpatizante do PT (de Lula e Dilma) e membro sindical filiado à CUT. Nas últimas eleições havidas em outros fundos, na CASSI e na PREVI, estas chapas foram rechaçadas pelo eleitor que finalmente percebe para onde sopram os ventos da mudança.
    Em que pese o excessivo número de chapas concorrentes, o que demonstra a nossa falta de união, o pleito caminha com normalidade. Na minha visão as chapas 1 e 4 são espécies "brancas", vieram para roubar votos das demais chapas de oposição, consequentemente, ajudar a situação. Oxalá, tudo termine bem. Que os "estragos" por elas provocados não influenciem na vitória de uma chapa realmente de oposição.
    Desde o início venho pregando o voto na Chapa 2 - PREVI, PLURAL E INDEPENDENTE. Para quem ainda não votou, fica a sugestão. Você que é simpatizante à Chapa 2 utilize o Facebook para pedir votos aos seus amigos que porventura ainda não tenham decidido o voto. Ou seus contatos na rede de e-mails. Dê sua colaboração que os previanos vão muito agradecer no futuro.

Acompanhe as parciais das Eleições PREVI/2016 no link abaixo:

http://www.previ.com.br/a-previ/eleicoes/