BANNER

Acesse aqui!
atendimento@anaplab.com.br
Joinville/SC: (47) 3026-3937
S.J. Pinhais/PR: (41) 3035-2095

sábado, 20 de fevereiro de 2016

FOGUEIRA DE VAIDADES

    O registro das chapas para as eleições na PREVI está em sua reta final, encerrando-se no dia 29 de fevereiro. Os articuladores de oposição precisam deixar de lado seus egos inflados para pensar exclusivamente no que é melhor para a PREVI. Infelizmente, a disputa quase sempre leva em conta a remuneração que cada cargo representa em vez de focar em questões que os associados mais anseiam. Por exemplo, a Seguridade é a principal diretoria para o assistido posto que a ele está afeta diretamente. E está justamente nessa diretoria o grande calcanhar de Aquiles do  nosso fundo de pensão. Falta ao atual diretor o básico de um bom administrador: arrogância demais, sensibilidade de menos. Não se vê uma aproximação com o assistido, as ações são as mesmas de um administrador indicado pelo patrocinador, não há a mínima empatia com o eleitor mais necessitado. Até o BB trata melhor os seus clientes endividados que a Seguridade da PREVI.
     Hoje a Seguridade está em mãos da situação que representa o status quo do sistema dominador de governo (poder central) representado pelo patrocinador e sindicatos afins. Não se iludam que as brigas nos dissídios do pessoal da ativa são apenas jogo de cena para demonstrar o "valor" das centrais sindicais. Assim, eles contam com uma retaguarda financeira espantosa. A estes se aliam pretensas associações "nossas" caso de parte da Anabb e AAFBB-RJ.
    Nosso imenso desafio é nos unir para vencer esse inimigo comum. Sempre considerei a colega Isa Musa mas hoje sinto sua omissão em deixar um colega admirável como o Dr. Medeiros, praticamente esquecido de seu importante apoio e articulação. Ele é presidente de uma de suas principais associações, a AFABB-RS e deveria ser defendido ferozmente para uma vaga de diretor de Seguridade. Isa Musa foi a mais votada na Anabb e teria cacife para bancar o nosso nobre Medeiros, anseio da maioria dos aposentados. Não perca essa oportunidade Isa Musa, você entrará para a história da PREVI. Outros articuladores também deveriam contatá-lo. Ele está aberto e muito disposto a concorrer. Atributos não lhe faltam. Parafraseando Eliane Castanhêde "há muitos detalhes cruéis nessa trama mas o principal deles é que os governos passam, os políticos passam (chapas), os eleitos (mal escolhidos) passam, porém as vítimas (nós, associados) permanecemos vítimas para sempre".
     Deixemos de lado as vaidades e pelo menos desta vez vamos escolher pessoas certas, probas cujos olhos estejam voltados para os aposentados e pensionistas.
      Vamos que vamos!

38 comentários:

Anônimo disse...

Prezado Ari,

PARABÉNS! MEIA PALAVRA BASTA PARA DESVENDAR UM TEXTO. QUEM TIVER OLHOS PARA

LER, QUE LEIA...NADA COMO UM DIA APÓS O OUTRO.

Anônimo disse...

Caro Ary ,

Saúde!

Não sou economista nem contador, mas o meu bom senso me diz que os membros de uma corporação, sobretudo previdenciária, devem trabalhar coesos para a sobrevivência da entidade que representam.Também não devem fazer os "gostos" de seus associados, do contrário a saúde financeira e patrimonial da associação ficará abalada, comprometida e poderá tomar um rumo nada agradável a seus assistidos.Por outro lado, nenhum de seus membros gestores deverá fazer da entidade palanque de seus desejos e "melhorias", do contrário a associação ficará enfraquecida, doente, a espelhar um cenário agonizante e triste, à semelhança do que sempre aconteceu e está acontecendo com outras de que a sociedade brasileira tem conhecimento nos dia de hoje. Acho que a PREVI deve ser preservada de todas as turbulências e mal-estares que possam prejudicar o seu "status" patrimonial e financeiro. Deixar que os maus ventos soprem nos rumos dos bons ares sentidos por uma entidade que tem sido elogiada por órgãos internacionalmente reconhecidos no mundo da governança corporativa seria gesto de alta "irresponsabilidade" de seus gestores. Para mim, a PREVI deverá ser defendida por todos aqueles que dela dependem e, sobretudo, continuar dentro dos princípios da boa gestão, mesmo sob a ótica de seu patrocinador que é o Banco do Brasil, fonte de grandes ensinamentos e lisuras no campo dos negócios.É o que eu penso para o bem de todos! Bom final de semana! Williams Silva - Matr.9.843.050-5

Ari Zanella disse...

Prezado Williams,

Refiro-me principalmente a devedores endividados. A diretoria de Seguridade possui um corpo técnico altamente especializado que teria soluções para a maioria dos casos. Cito como exemplo o caso do meu grande amigo Fernando Lamas, de Valinhos-SP, que passou por uma fase delicada em sua vida financeira. O fundo podia recompor suas dívidas, alongar o prazo sem conceder dinheiro novo mas para dar-lhe condições de pagar. Há mil maneiras de resolver mas o chefe precisa estar de acordo. (Eu mesmo RENEGOCIEI uma dívida no BB, mês passado, cartões de crédito, CDCs em 30 meses a juros de 1,6% ao mês.Me cortaram todo o crédito mas fizeram...)
Entrementes, há investimentos em Magazine Luiza (influência política); Sauípe sem solução, leilões com muito ágio, Sete Brasil e por aí vai. Por que não "perder" umas quirelas com os associados (donos do patrimônio) enquanto os recupera? Afinal, perderam muito mais com terceiros, por que não com os próprios donos?
Sensibilidade significa olhar para dentro de casa, cuidar dos filhos. Significa ser contra a apropriação indébita dos 7,5 BILHÔES feita pela fajuta Resolução 26. Tem diretor ligado à sindicato que é a favor disso.

Anônimo disse...

Concordo totalmente com a resposta do Professor Ari Zanella, A PREVI tornou-se uma madrasta para com os seus associados, o BB renegocia melhor suas dividas com os clientes e com taxa de juros fixa. O Emprestimo Simples tornou-se atualmente com esses juros altos atrelado ao INPC impagavel. Saldo devedor só aumenta.

ANTONIA disse...

Sr. Williams Silva,
O Sr. concorda com o pagamento milionário do bônus da Diretoria?????
Só existe consenso qdo os gastos são para os associados, qdo é para o Patrocinador (7,5 Bilhões) e prá Diretoria (Bônus), tudo é permitido e legal.
Quando o Sr. no final se refere às providências para o bem de todos, eu concordo. Contanto que seja para o bem de todos mesmo, porque até agora só houve benefícios pro lado de lá, prá nós, só os rigores da lei.

Anônimo disse...

Parabéns pela resposta perfeita, Prezado Professor!

Um abraço!

Lêda Reis

(Apareço como anônima porque não consegui entrar com meu nome)

Anônimo disse...

Tá na hora de pesar a mão na tinta contra as pessoas que fingem estar do lado da maioria.

Fica evidente a resistência ao nome do Dr. Medeiros pelo simples fato de não ser venal.

Isso incomoda muita gente, inclusive ou principalmente, de associações "nossas defensoras".

Pensar que uma repórter fez mais numa escrita, sem ganhar uma moeda nossa, do que associações que arrecadam nosso parco dinheirinho décadas e décadas.

Também não concordo com essa penumbra sobre os bastidores da chamada oposição. Será que é pq na realidade são oposição aos nossos interesses?

Anônimo disse...



" COISA QUE NNGUÉM SEGURA; ÁGUA MORRO ABAIXO,
FOGO MORRO ACIMA E BARRÃO NO CIO"

MESTRE, felizmente, a idade apesar do aumento
do colesterol,etc,etc,trouxe também um poder
de observaçao maior para ver e compreender as
vicissitudes da vida . Assim, me parece que a
situação do governo hoje é semelhante a de
favelados depois da tempestade,ou seja : o ca-
chorro sumiu, a cama do casal esta no quintal
do vizinho , a panela de fazer mexidão ta boi-
ando na fossa .No governo a prima dona poe um
auxiliar para falar da honestidade de Lula e
que ele é tão honesto quanto o Papa (gente ,
brasileiro gosta de bater em argentino,mas es-
ta foi muto forte ! resumindo, se tivermos a
disposição de visitar os colegas e informa--
los que o adversário está agoniando,ninguém
toma de nós este pleito.divanysiveira-SL



Anônimo disse...

Causou estranheza à Sra. Eliane o fato da maioria dos dirigentes eleitos dos Fundos das Estatais terem em comum a origem partidária e/ou sindical. Tampouco foi rechaçada, eis que, realçaram o perfil profissional dos mesmos, sem mencionar aqueles vínculos. A razão é óbvia, o modus operandi será o mesmo, e é patente tbém,que, sem a união da oposição em uma única chapa, o status quo vai continuar: vitória da situação e a oposição, pela ótica da mídia, na inação e no contexto do "Silêncio dos bons".

Anônimo disse...

Algumas pessoas nunca apoiam ninguém e depois querem apoio dos outros.Para dizer que é anseio da "maioria" é possível mas é preciso ter dados concretos para fazer essa afirmação para não comprometer quem afirma.Não achei correto fazer essa cobrança da Isa porque ela assim como todos nós temos o direito de escolhermos nossos candidatos.

Anônimo disse...

Mais uma:

http://www.revistaforum.com.br/2016/02/19/vizinhos-relatam-que-funcionaria-fantasma-de-serra-leva-vida-de-aposentada/

Anônimo disse...

Divididos seremos vencidos.
Parece refrão mas é a realidade.
Não parece haver interesse em nos defender do Sistema, mas agir em parceria com êle.
Poder, por poder, os de sempre vão vencer.

Anônimo disse...

Um pequeno reparo: o sobrenome da jornalista é Cantanhede.

Quanto ao artigo do estimado professor e sua resposta a quem o inqueriu, nada mais claro e de bom senso.

Mas temos culpa no cartório, pois dito Diretor de Seguridade foi por nos eleito.

E aí volta a valer a máxima: todo povo tem o governo que merece.

Quanto à eleição do Dr. Medeiros para tal cargo na PREVI -- e eu sou um de seus eleitores --, com certeza as "forças ocultas" agirão para boicotá-lo de todas as formas e maneiras.

A solução seria fazer com que os assistidos realmente tirem a bunda do sofá e partam com disposição para que possamos corrigir o erro que cometemos no passado.

Anônimo disse...

Prezado Ari Zanella,

Parabéns pela ótima resposta ao texto do sr. Williams. Gostaria de acrescentar apenas que esse senhor fala de um lugar um tanto irreal e fantasioso, de onde a Previ é vista como um bem intocado e intocável, o que não corresponde aos fatos. A Previ vem sendo atingida pelos desmandos do patrocinador há muito tempo, basta considerar os resultados pífios dos últimos balanços e comparar, por exemplo, com a boa situação do fundo da Vale, que vai muito bem apesar da crise. Ademais, quanto a receber elogios internacionais, até "o cara" recebeu, e deu no que deu.

Pr.guima disse...

-Os últimos anos de gestão na Previ, me faz lembrar uma frase do tempo da ativa: "aos "inimigos" os rigores da lei (CIC), aos amigos as benesses da lei (CIC). Qualquer relação com o que aconteceu nos últimos anos é mera coincidência: "aos associados/aposentados cumpra-se o Estatuto (gestão conservadora) ao governo/bb flexibiliza-se entendimentos (ex.Res.26, investimento 7 brasil) só pra ficar nestes dois. É minha visão, respeito as demais é claro.

joao trindade disse...

Dividida, a oposição não tem chance alguma.
Tudo vai continuar na mesma e o patrocinador se arvora como dono da PREVI, fazendo de seu destino o que julgar melhor.

Ari Zanella disse...

13:44

Você bem sabe que a "maioria" vota por obrigação no SISBB e a maioria é do PREVI FUTURO que vota. Estes dois planos já deveria estar separados de há muito tempo. Quem não deixa separá-los é o BB e os sindicalistas.
Quanto à Isa Musa estaria se bandeando para o lado da situação. Muito lamentável.

Anônimo disse...

Parabéns pela resposta dada ao Williams professor Ari, muito legal rsrs.

Bjss

Alcides Maurício disse...

Caro colega Ari, concordo com você : devemos apoiar o Dr Medeiros, e evitar a recondução do Marcel.
Aproveitando a oportunidade, solicito-lhe, se ainda não o fez, informar à jornalista Eliane Catanhede, utilizando a força e o prestígio de nossa associação , todos os desmandos verificados em nosso fundo após o aparelhamento, desde o famigerado Renda Certa, resolução 28, suspensão /volta das contribuições , suspensão do Bet, investimentos direcionados,etc.

Pr.guima disse...

-Prof Ari em referência ao seu comentário das 19:33: "Você bem sabe que a "maioria" vota por obrigação no SISBB e a maioria é do PREVI FUTURO que vota. Estes dois planos já deveria estar separados de há muito tempo. Quem não deixa separá-los é o BB e os sindicalistas". Eu diria: Quando eu estava na ativa (há 2 anos atrás) era exatamente esta (humilde) leitura que eu fazia da situação. Era notório o grande desconhecimento/desinteresse, por parte de uma significativa parcela de funcis, aos assuntos inerentes a Previ Opinião minha, claro que alguém vai discordar. Era o que eu percebia nas conversas sobre temas diversos sobre a previ. Faço votos que este quadro tenha se alterado e até acredito.

Rogério Luiz Carvalho disse...

Professor Ari, em relação ao que comentou o colega Willians, digo sinceramente que respeito a opinião dele, mas acho que a Previ que ele fala é totalmente irreal, fantasiosa, e ser citada internacionalmente, é muita falácia dos seus diretores. É que nem pesquisa de radio Am em nossas cidades, a que paga é sempre a mais ouvida. Vamos aguardar até 2017 e veremos como estará a Previ. Eu torço pela Previ, é quem me sustenta, mas com o governo que está ai, e que eu ajudei a eleger, levo muito medo.
Quanto as eleições, às vezes penso até em anular o voto, porque está muito difícil uma união de fato. Estou deveras decepcionado com certos colegas que querem se perpetuarem no poder, pois não estão pensando no coletivo e sim de encherem os seus bolsos de dinheiro.
Abraços, muita Paz e vamos que vamos!

Anônimo disse...

A bíblia diz: "uma casa dividida, como poderia ficar de pé?"
Assim se torna urgente,a nossa união.

Anônimo disse...

Amigos,
Nem vendo a situação do Postalis, da Petros e da Funcef nossos colegas não se sensibilizam: querem manter os sindicalistas, que causaram déficit de R$ 24 bilhões na Previ nos últimos 2 anos, no poder.
Vocês não acham que chegou o momento de um basta?
Vamos falar o português claro: vocês são burros, são débeis mentais ou estão propinados?
Nossa desunião é o trunfo dos sindicalistas.
Acordem. Já é mais que tarde, ou desperta agora ou... Depois não adianta chorar.
A gordura do fundo de contingência acabou. De agora em diante será só déficit.
Conhecemos o nosso inimigo? Não. Ele mora ao lado e ainda insistimos com ele não entendendo que ele mudou de lado. Viu que o lado de lá só tem vantagens. Que honestidade, honra, transparência são valores do passado. O que vale hoje é estar do lado dos "omi".
O que dizer mais?
Celio

Anônimo disse...

Prof Ari, o pior candidato e sempre eleito eh o tal de VOTO MINERVA.

Anônimo disse...

O tempo urge, precisamos definir uma chapa. A situação se deleita com as nossas "autocríticas" eis que só dispersam as nossas forças e pavimentam o caminho para o "status quo". Mais demora, mais racha. Se há dissidentes e se debandaram, fazer o quê? Se é de Medeiros, vamos de Medeiros!

João Lopes Rodrigues disse...

Prof Ari e Colegas!

Há alguns dias já mencionei aqui minha estranheza acerca desse fato. Com a sua afirmação de que "... a Sra. Isa Musa estaria se bandeando para o lado da situação...", volto ao caso.

De fato, me surpreendi quando vi o nome da Sra. Isa Musa em uma das atuais chapas para as eleições da Cassi (Conselho Fiscal, titular).

Ora! Esta senhora não acabou de ser eleita para a Anabb?!... Não seria mais coerente candidatar-se a outro cargo somente após concluir o mandato atual? Até mesmo para que pudéssemos ter claro sua postura em relação aos anseios dos associados...

Sinceramente, acho estranho alguém que deseja estar em muitos lugares ao mesmo tempo...

Só falta mesmo o nome dessa senhora aparecer ainda nas chapas para as eleições atuais da Previ!

Era isso!

Anônimo disse...

Os desmandos nos Fundos de Pensão das estatais estão na boca da mídia. O momento é oportuno, eis que tais notícias municiam e fortalecem as chapas de oposição. Que tal uma chapa com o slogan "O silêncio dos bons".

Anônimo disse...

Caro professor,

Peço desculpas à pessoa que sugeriu, mas em vez de "o silêncio dos bons", por que não "o grito dos bons", "o sacode a poeira dos bons", ou simplesmente "a reação" ou "a resposta dos bons", ou ainda qualquer outra denominação que expresse nossa rejeição à asfixia, podendo fazer referência, claro, ao texto da jornalista?
Temos apenas alguns dias para nos agregarmos em torno de um nome, que parece seria o do dr. Medeiros o mais indicado. Lembrando a letra da canção, temos de reconhecer a queda (acho que já o fizemos)e dizer NÃO ao desânimo. Vamos à luta, mas com objetividade e sem vaidades!!!!!

Anônimo disse...


O Plano 1 e o Previ Futuro são "governados" pelos mesmos indivíduos e isso trará sempre uma grande preocupação para nós. Pois os interesses nos dois planos são bem distintos, o patrimônio é bem distinto e o prazo de "validade" de cada plano é bem distinto - um é indefinido e o outro de prazo certo para acabar; e o nosso Plano tem um patrimônio que agrada muito aos olhos gordos de quem governa nosso país, enquanto o outro está recém formando seu patrimônio. Aí está um exemplo claro de duas grandes empresas sendo administrado pelo mesmo pessoal. O patrocinador e seus aliados sabem que, separando a administração dos planos, perderão força sobre as questões que envolvem o Plano 1, e nas urnas serão sempre perdedores.

Queremos melhorias? Por que, então, não criar diretorias distintas? Por que certas associações e a federação das associações não apoiam essa ideia?

Anônimo disse...

http://buff.ly/1TyHU5A O rombo dos fundos de pensão é dez vcs maior que o petróleo. Vão deixar os sindicatos continuarem a tomar conta do nosso?

Anônimo disse...

Enquanto nós ainda tentamos acomodar os egos inflados, os sindicalistas já tem sua chapa formada desde a eleição passada. Eles têm um "projeto de poder" e não importa quem eles indiquem, todo mundo vota nele, pois a propaganda deles é poderosa.
Não se iludam com a vitória da chapa 3 (aquela eleição não era do interesse deles, pois o que interessa são os cargos disputados agora).
Infelizmente é isto!

Anônimo disse...

STF e a Regra do Jogo: Zavascki liberou para julgamento do plenário a denúncia contra Cunha e Fachin tirou da pauta acusação contra Renan

Anônimo disse...

Sr. Ari,


Quanto a socorrer os endividados...

Todos por um, um por todos.

O que for feito para um deverá ser feito para todos.
Chega de criar castas dentro de um plano finito.
Sei que ter ideias e pensar não é proibido, assim expresso meu pensamento, muito embora da parte dos dirigentes da Previ exista a lei da mordaça.
Abraço

Ari Zanella disse...

Meu caro (08:51)

Ninguém quer tratamento desigual. Os endividados não seriam "protegidos". Far-se-ia um recomposição sem dinheiro novo, o mutuário conseguiria pagar, a PREVI receberia e fim de papo. Onde isso prejudica os demais??? Desculpe se não o compreendi direito.

No caso dos endividados, com toda a certeza, não vem deles as perdas significativas de nosso fundo. Ademais, considere um pai ou mãe de família de muitos filhos. Eles irão por toda a preocupação deles em cima daqueles filhos mais necessitados.

Tudo de bom.

rafael campagnoli disse...

Podiam liberar renegociação de parte ou total da dívida, com prazo longo e juros PRÉFIXADOS! Do jeito que está, se o colega renegociar não conseguirá reduzir nunca seu passivo junto a Previ.

Anônimo disse...

O nome que sugiro para a chapa única é: "A UNIÃO FAZ A FORÇA'. Pode até parecer
desgastado, mas jamais será ultrapassado.

Lêda Reis

Anônimo disse...

Vcs não lêem os jornais: Cristalvox, o Pensa Brasil e o "O antagonista"? A coisa está pegando fogo, hoje! !!!

Anônimo disse...

Caro Senhor Ari,

O que quis dizer com igualdade é que se prorrogarem para um sem dinheiro novo, devem fazer para todos.

Um pai se preocupa em não desproteger filho, com denodo especial ao necessitado, sem prejuízo do outro, por justiça.

Espero que a Previ, uma vez na vida, tenha os olhos voltados para o justo, de acordo com o que cada um vem contribuindo, no meu caso há CINQUENTA ANOS.