BANNER

Acesse aqui!
atendimento@anaplab.com.br
Joinville/SC: (47) 3026-3937
S.J. Pinhais/PR: (41) 3035-2095

segunda-feira, 29 de fevereiro de 2016

ÁGUAS DE MARÇO

    Emblemática a situação do governo federal empossado há pouco mais de um ano. Os camaradas do próprio partido, incluído o maioral Lula envolto em inquérito sobre ocultação de patrimônio, deixaram a presidenta a ver navios pelo que transpareceu do isolamento aplicado a Dilma por ocasião das comemorações do 36º aniversário do PT, celebrado no sábado.
    Segundo o blogueiro Ossami Sakamori de Curitiba, há uma tendência para que Dilma abandone o PT e abrace o PDT. Se a previsão se confirmar, obviamente, o partido de Brizola assumiria os postos-chaves hoje nas mãos do PT ou do PMDB. Por outro lado, é preciso aguardar os desdobramentos sobre os efeitos da prisão do seu marqueteiro João Santana.
      A dupla Dilma/Michel pode ter seu segundo mandato anulado caso o processo movido pelo PSDB no TSE tenha êxito. A denúncia é de que teria havido utilização de propina na campanha petista de 2014, feitas por empresas enroladas na Lava Jato. Mas isso pode demorar mais tempo. É possível que o PMDB de Michel Temer, temendo ter uma cassação no TSE, tente incentivar o impeachment já, neste caso, assumindo ele, Temer, a presidência da República.
      O fato é que há mais de ano o Brasil está emperrado. O governo não avança em nada. Tenta apenas defender-se das acusações. A única ação efetiva é o combate ao vírus Zika, até nisso se mostrando inócuo. A previsão é de que este governo não se sustenta por muito tempo. As águas de março vão afogar um país  paralisado. Não apenas parado mas regredindo, andando para trás. É o fim do PT e do governo Dilma. Ambos reconheceram isso no gesto deste sábado.

sábado, 27 de fevereiro de 2016

DEIXEM O CARA EM PAZ

    José Eduardo Cardozo, ministro da Justiça, cumpriu o que prometeu no começo da semana e a Polícia Federal abriu inquérito nesta sexta-feira para investigar o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso. É uma tentativa de incluir o criador do Plano Real num dos crimes comuns ao atual governo descobertos pela Lava Jato, ou seja, a utilização de empresas no exterior (Offshores) para intermediarem operações financeiras em contas no exterior para beneficiários diversos, geralmente dinheiro de caixa dois ou de origem espúria. No caso FHC, a empresa investigada será a Brasif Exportação e Importação, que à época do governo FHC tinha a concessão para operar no Brasil as lojas "Duty Free" nos aeroportos. A denúncia partiu da jornalista Miriam Dutra que teria sido sustentada no exterior por pagamentos feitos pela Brasif.
    Deduz-se desta forma que o atual governo, encurralado por denúncias, deseja levar junto para o buraco seus opositores. Não se pode chegar a outra conclusão, aliás, antes exaltar a coragem da jornalista que finalmente decidiu denunciar, após 20 anos, este caso altamente condenável. Ah! Se todos os beneficiários desta forma ilícita de recebimento denunciassem seus feitores, quão mais justo e honesto seria o nosso país!
     Outra notícia que merece destaque foi o pedido feito ao STF, pelo ex-presidente Lula, para que a Lava Jato não o investigue a respeito do triplex no Guarujá e do sítio em Atibaia-SP. Por sorteio,  o tema ficou a cargo da decisão da ministra Rosa Weber cujas últimas decisões parecem pender a favor do Planalto. O que importa mesmo é que Lula já declarou que não há nada errado em seu patrimônio, a ponto de afirmar que "não existe pessoa mais honesta do que ele". Existem razões para não acreditar no cara? Se a resposta for negativa, deixem-no em paz. 
     Finalizando, hoje é o aniversário do PT. Lula estará na festa, Dilma não. Ontem, o partido reuniu-se para uma pauta comum de recuperação do Brasil, segundo os membros na contramão da política atual do Planalto. Uma das conclusões é o aumento em 20% dos valores do Bolsa Família.
Por que razão o próprio partido estaria isolando a presidenta? No plenário, gente muito próxima a Dilma como Jaques Wagner e o senador José Guimarães ( irmão de José Genoíno ).
       

quinta-feira, 25 de fevereiro de 2016

VIVER, REVIVER, SOBREVIVER

    A vida jamais foi fácil. O princípio bíblico de ganhar o pão com o suor do rosto não tem prazo de validade. Estamos sentindo na pele os rigores desses tempos bicudos, cada dia a inflação nos tira o poder aquisitivo, obrigando-nos a cortar cada vez mais itens essenciais.
    Ontem a terceira agência de risco, a Moody's, baixou duas posições de grau de investimento para grau especulativo. Isso afeta todos nós pois cresce a taxa de juros tanto para os empréstimos feitos pelo país como para todos os tomadores de empréstimos. Os mais otimistas dizem que levará cerca de uma década para recuperarmos o grau de investimento. Mamma mia!
    Estou cansado de malhar em ferro frio. Começo a pensar que o errado sou eu que procuro ser honesto no que faço. Sinto-me vitimado por um sistema opressor. Abatido, vou preventivamente cortando mais gastos, a fim de não naufragar neste mar revolto. Senhor, Tende piedade de mim!

quarta-feira, 24 de fevereiro de 2016

NÃO HÁ NINGUÉM PARA SUBSTITUIR DILMA?

     Assisti há pouco o programa "Entre Aspas" apresentado por Mônica Waldvogel na GloboNews, onde um dos entrevistados era o professor de Sociologia e Política em SP, Aldo Fornazieri, afinado com o Partido dos Trabalhadores. Criticou as atitudes, segundo ele politicamente orquestradas, do juiz Sérgio Moro. Diz o professor que na semana passada João Santana ofereceu-se para depor (será que já sabia da investigação sobre ele?) e que na semana que vem, já solto, a situação será esclarecida. Condenou a oposição que pediu para incluir as provas na ação que o PSDB move contra a utilização de dinheiro do Petrolão na campanha de 2014 junto ao TSE, ou seja, querem por provas antes de julgar o réu. Se o professor desconhece, a Lava Jato apenas manda prender quando as provas são irrefutáveis. Estas provas foram as mais concretas e abundantes que até agora foram conseguidas. Por que a Odebrecht pagou para o marqueteiro, não seria o partido que devia fazê-lo? E por que no exterior?
      Porém o que mais me chamou a atenção foi sua declaração que "é melhor deixar a Dilma no governo pois não existe no rol dos atores políticos alguém mais capacitado do que ela". Por favor, professor Aldo, não agrida a nossa inteligência! Só irei lhe refrescar um nome, o do senador Álvaro Dias do Paraná, para não citar Jair Bolsonaro. Professor, o país está num labirinto (que significa sem saída ou difícil encontrá-la) e você dizendo que esta mulher, que não apresenta qualquer plano para salvar o Brasil, deve continuar? Só posso receber isso como uma brincadeira de muito mau gosto.

PROF. FORNAZIERI, DEFENSOR DO PT E DA POLÍTICA VIGENTE NO BRASIL. MAMMA MIA!

segunda-feira, 22 de fevereiro de 2016

MARQUETEIRO BOM PRA PAPUDA!

    A 23ª fase da Operação Lava Jato denomina-se "Operação Acarajé" já expediu mandado de prisão para o marqueteiro das campanhas de Dilma e na reeleição de Lula(2006), João Santana, que teria trabalhado igualmente para o venezuelano Hugo Chavez. Também foi decretada a prisão de sua mulher Mônica Moura, responsável pela contabilidade das transações ilegais.
JOÃO SANTANA FOI FUNDAMENTAL NA VITÓRIA DE DILMA EM 2014.

     O dado concreto é que Lula e Dilma estão intimamente ligados ao novo presidiário que atualmente está no exterior. As provas da 13ª fase, baseada em ações do engenheiro Zwi Skornicki que teria sido o articulador das propinas da Odebrecht no exterior.
Se o Marcelo não quer falar para não comprometer seus amigos, a verdade vem à tona de outra forma...
TRIO ESPETACULAR COM JOÃO SANTANA EM PÉ COM AS MÃOS SOBRE A MESA.

    O cerco contra a corrupção está cada vez mais rondando o poder central, no caso, os dois últimos presidentes. Referente ao ex-Lula não há mais sombras de dúvidas de que é o dono do triplex do Guarujá e do sítio em Atibaia, os quais foram otimizados pela Construtora OAS, investigada e condenada pela Lava Jato.
Existe valores superiores a 50 milhões de reais que teriam sido auferidos pelo ex-presidente com palestras no exterior para viabilizar contratos de empreiteiras brasileiras, tudo com financiamento generoso do BNDES.
JOÃO SANTANA, LULA E DILMA CONVERSANDO SOBRE AMENIDADES.

      Se houver uma ruptura na continuidade do (des)governo Dilma, requerida pelo TSE, o qual está sendo municiado com provas da Lava Jato, possivelmente a eleição na PREVI tomará outros rumos. Será o famoso efeito cascata onde o que está em cima derruba o que está debaixo. Oxalá isto não tarde a acontecer.

sábado, 20 de fevereiro de 2016

FOGUEIRA DE VAIDADES

    O registro das chapas para as eleições na PREVI está em sua reta final, encerrando-se no dia 29 de fevereiro. Os articuladores de oposição precisam deixar de lado seus egos inflados para pensar exclusivamente no que é melhor para a PREVI. Infelizmente, a disputa quase sempre leva em conta a remuneração que cada cargo representa em vez de focar em questões que os associados mais anseiam. Por exemplo, a Seguridade é a principal diretoria para o assistido posto que a ele está afeta diretamente. E está justamente nessa diretoria o grande calcanhar de Aquiles do  nosso fundo de pensão. Falta ao atual diretor o básico de um bom administrador: arrogância demais, sensibilidade de menos. Não se vê uma aproximação com o assistido, as ações são as mesmas de um administrador indicado pelo patrocinador, não há a mínima empatia com o eleitor mais necessitado. Até o BB trata melhor os seus clientes endividados que a Seguridade da PREVI.
     Hoje a Seguridade está em mãos da situação que representa o status quo do sistema dominador de governo (poder central) representado pelo patrocinador e sindicatos afins. Não se iludam que as brigas nos dissídios do pessoal da ativa são apenas jogo de cena para demonstrar o "valor" das centrais sindicais. Assim, eles contam com uma retaguarda financeira espantosa. A estes se aliam pretensas associações "nossas" caso de parte da Anabb e AAFBB-RJ.
    Nosso imenso desafio é nos unir para vencer esse inimigo comum. Sempre considerei a colega Isa Musa mas hoje sinto sua omissão em deixar um colega admirável como o Dr. Medeiros, praticamente esquecido de seu importante apoio e articulação. Ele é presidente de uma de suas principais associações, a AFABB-RS e deveria ser defendido ferozmente para uma vaga de diretor de Seguridade. Isa Musa foi a mais votada na Anabb e teria cacife para bancar o nosso nobre Medeiros, anseio da maioria dos aposentados. Não perca essa oportunidade Isa Musa, você entrará para a história da PREVI. Outros articuladores também deveriam contatá-lo. Ele está aberto e muito disposto a concorrer. Atributos não lhe faltam. Parafraseando Eliane Castanhêde "há muitos detalhes cruéis nessa trama mas o principal deles é que os governos passam, os políticos passam (chapas), os eleitos (mal escolhidos) passam, porém as vítimas (nós, associados) permanecemos vítimas para sempre".
     Deixemos de lado as vaidades e pelo menos desta vez vamos escolher pessoas certas, probas cujos olhos estejam voltados para os aposentados e pensionistas.
      Vamos que vamos!

quinta-feira, 18 de fevereiro de 2016

RESPOSTA DA PREVI


O silêncio dos bons


TAGS: Eliane Cantanhêde, fundos de pensão, O Estado de S. Paulo, Bancoop, Petros, Petrobrás, Correios, Previ, Funcef, PT, Caixa Econômica Federal
Eliane Cantanhêde
17 Fevereiro 2016 | 03h 00

"Na Bancoop, os dirigentes pintaram e bordaram, deixando centenas de famílias a ver navios e tríplex no Guarujá. No Petros (Petrobrás), no Postalis (Correios), na Previ (BB) e na Funcef (CEF), os presidentes e diretores também fizeram a maior farra, deixando milhares de funcionários com uma aposentadoria incerta e uma dívida já estimada em R$ 46 bilhões.
O que uma cooperativa de bancários de São Paulo tem a ver com os fundos de pensão das principais estatais brasileiras? Todas viveram o mesmo aparelhamento, com o mesmo modo de fazer as coisas e personagens que têm origens parecidas: os presidentes da Bancoop e dos fundos de pensão eram do PT, ou indicados pelo partido de Lula, e fizeram carreira em sindicatos. Exemplo: João Vaccari Neto, da Bancoop, ex-tesoureiro do PT e hoje preso na Lava Jato.
É preciso reconstituir essa história e mostrar o que há de tão intrigantemente igual na escolha dos dirigentes, na origem sindical e partidária de cada um, na ausência de limites entre público e privado, na forma invertida de tirar da maioria para favorecer a minoria do poder. Como lembrou o chefe da Casa Civil, o também petista Jaques Wagner, “quem nunca comeu melado, quando come...” A turma encheu a pança.
Há muitos detalhes cruéis nessa trama, mas o principal deles é que os governos passam, os partidos passam, os presidentes dos fundos de pensão passam, mas as vítimas ficam e se tornam vítimas para sempre. Aí, entra uma curiosidade, resvalando para uma cobrança: como tudo isso pôde acontecer, durante tanto tempo, atingindo tanta gente, prejudicando tantas instituições, e ninguém meteu a boca no trombone? 
Funcionários do Banco do Brasil, da Petrobrás, dos Correios, da Caixa Econômica Federal são historicamente reconhecidos e admirados por vestirem a camisa e defenderem suas instituições. Por que, depois da posse de Luiz Inácio Lula da Silva, eles passaram a também não ver, não ouvir, não saber e não falar? Um mistério.
Vejamos a Petrobrás. O desastre e o escândalo que marcaram para sempre a história da maior empresa brasileira refletiram diretamente sobre a gestão do fundo de pensão dos funcionários, desenrolando-se dia após dia, semana após semana, anos após anos, à luz do sol, envolvendo bilhões de reais, dólares, euros. E não havia um só diretor, gerente, engenheiro, secretária, telefonista, garçom, servente, motorista, para defender a companhia e impedir que o Titanic afundasse?
A bem da verdade, registro aqui que, em outubro de 2011, dois anos e meio antes do início da Lava Jato, recebi o e-mail de um engenheiro da Petrobrás que, obviamente, assinava com um pseudônimo, “Miamoto Kojuro”: “Causa espanto o que vem acontecendo nas obras de expansão das refinarias e de construção das novas, na verdade, em praticamente todos os empreendimentos que levam o nome Petrobrás”.
Segundo esse engenheiro, “se a corrupção no Ministério dos Transportes chocou a opinião pública, levando a uma pseudo faxina do governo, motivada por denúncias da imprensa, o que acontece na Petrobrás excede em muito as irregularidades dos Transportes”. E acrescentava algo que o juiz Sérgio Moro agora diz claramente: “Notadamente empresas doadoras de campanha para o PT são bem aquinhoadas na Petrobrás. (...) Mesmo que orcem as obras baixo, elas nunca perdem dinheiro mediante os mais diversos expedientes”.
“Kojuro”, se você estiver me lendo, entre em contato, por favor! Aliás, senhores funcionários da Petrobrás e da Petros, do BB e da Previ, da ECT e do Postalis, da CEF e da Funcef, é hora de falar. Além das suas instituições, os atingidos são o País e cada um de vocês. Como ensinou Martin Luther King Jr. (1929-1968), o pior não é o grito dos violentos, corruptos, desonestos e sem caráter. “O que preocupa é o silêncio dos bons.”



17/02/2016

PREVI se posiciona com relação à nota em veículo de imprensa

Entidade reforça seu compromisso com a boa governança, gestão ativa e transparência na comunicação com seus associados.

Em relação à coluna “O Silêncio dos Bons”, publicada em 17/02, a PREVI informa que sua gestão é feita por funcionários do Banco do Brasil, participantes da PREVI. Ou seja, são os próprios beneficiários que cuidam dos seus benefícios, o que gera um grande comprometimento com a Entidade. Conforme previsto em seu Estatuto, todos os membros da Administração têm mais de dez anos como participantes da PREVI. Seus presidentes necessariamente são funcionários de carreira do Banco do Brasil, ainda na ativa, sendo escolhidos por seus perfis técnicos. A indicação para o cargo é prerrogativa do Conselho de Administração do Banco do Brasil e a aprovação se dá pelo Conselho Deliberativo da PREVI. O atual presidente da PREVI, Gueitiro Genso, é funcionário de carreira do Banco do Brasil, desde 1985. Seu perfil e trajetória foram alvo de matéria (reproduzida abaixo) do próprio jornal Estado de São Paulo, em 20/02/2015, quando de sua indicação à presidência da PREVI.



Adicionalmente, ressaltamos que a PREVI tem um modelo de governança maduro e transparente, reconhecidamente um dos mais modernos entre previdências complementares do país. As decisões de investimento da PREVI são pautadas por políticas e diretrizes bem definidas, que sempre buscam a remuneração adequada do capital no longo prazo. A boa governança corporativa é uma prática e militância da PREVI, com transparência na comunicação com seus stakeholderse foco na gestão responsável dos recursos para o pagamento dos benefícios atuais e futuros dos nossos participantes.
Nesse sentido, a PREVI tem realizado diversas comunicações com os participantes, seja através de matérias em nossos veículos institucionais (como a reportagem de capa da revista PREVI de dezembro e a matéria “Olha o trem” publicada no site em 21/12/15, por exemplo), divulgação constante dos resultados parciais (Painel Informativo, atualizado trimestralmente no site e disponível no endereço www.previ.com.br/painel), encontros presenciais com associados e entidades de representação, gravações com representantes de empresas participadas para esclarecimentos aos participantes (Vale e BRF já publicados no site), entre outras iniciativas. A política da PREVI é de total transparência com os seus participantes e com a sociedade de uma forma geral.


20 de fevereiro de 2015
Previ | O Estado de S. Paulo | Economia | BR
Diretor do Banco do Brasil é nomeado presidente da Previ

Gueitiro Matsuo Genso foi aprovado pelo conselho deliberativo do fundo de pensão; BB também anunciou mudanças

Aline Bronzati

O conselho deliberativo da Caixa de Previdência dos Funcionários do Banco do Brasil (Previ), o maior fundo de pensão da América Latina, aprovou ontem o nome do executivo Gueitiro Matsuo Genso, como presidente da Previ. Genso foi o nome indicado pelo Banco do Brasil para o cargo e é considerado executivo de confiança do atual presidente da instituição, Alexandre Abreu.

..................................................................................................................................................

      Eliane Castanhêde é jornalista que trabalha para um grande jornal, reconhecido mundialmente. Não sei o que a levou a incluir a PREVI junto com Postalis, Funcef e Petros. Deve ter seus motivos os quais não me cabe questioná-los.
       A resposta da PREVI é que me pareceu parcial. Exemplifica a nomeação do atual presidente Gueitiro Genso, aliás, "considerado executivo de confiança do atual presidente da instituição, Alexandre Abreu." Ora, "de confiança" do BB mas dos associados? Alexandre Abreu foi colocado no cargo  por ser "de confiança" de ministros de estado da Fazenda ou Casa Civil. Que dizer das nomeações de Dan Conrado, Sérgio Rosa, Ricardo Flores que tiveram a ingerência nas nomeações de instâncias políticas superiores? Além disso, o texto de Eliane Castanhêde não se refere exclusivamente a presidentes atuais senão há anos passados em que Lula era o chefe das nomeações. Ou ele ou delegados por ele como o ex-ministro José Dirceu. A Lava Jato provou que  estatais foram utilizadas estrategicamente, por indicações aos cargos em seus fundos de pensão, feitas por elementos hoje investigados (todos com o beneplácito do ex-presidente Lula). Fizeram o que fizeram. Pobres dos associados agora chamados para cobrir o rombo.
     O dado concreto é que a nossa (ops!) PREVI foi a menos afetada às investidas dos meliantes da corrupção. Contudo, sabemos que há diretores e conselheiros eleitos cuja origem são os variados sindicatos os quais defendem, com unhas e dentes o governo e o patrocinador. Se estivéssemos totalmente isentos por que carga d'água a atual CPI dos fundos inclui o nosso fundo de pensão? Será que os nobres deputados querem propositalmente nos denegrir?
     Há um dado intrigante nessa história. Nos Estados Unidos a Petrobras sofreu Ação de Reparação por parte de pequenos investidores. Por que aqui a PREVI não fez o mesmo? Ela deveria posto que é investidora da estatal. Era o mínimo que se esperaria de diretores e conselheiros, notadamente fiscais e deliberativos. Afinal, transparência é isso. Mostrar não apenas o lado bom mas ambos os lados.
     Eu desejo ardentemente que a PREVI seja totalmente transparente.


quarta-feira, 17 de fevereiro de 2016

O FUTURO A DEUS PERTENCE

    Um título tão antigo quanto atual. Não há como prever o dia de amanhã. Deus Pai na Sua infinita sabedoria houve por bem não revelar o porvir. Somente no livro que fecha a história sagrada, o Livro do Apocalipse, o assunto é tratado de um modo enigmático e desafiador. Faz parte do plano de Deus de fazer o homem crer sem ver, de fazer o homem recusar as glórias terrenas (efêmeras) pela conquista do tesouro eterno.
      Deixando por instantes o plano espiritual, mergulhamos no mundo físico temporal onde o nosso enfoque se direciona às próximas eleições na PREVI. Preocupa-me o fato de sempre os mesmos grupos (ou pessoas) se incumbirem da tarefa de formar chapas. O dr. Medeiros está correto quando não deseja o fatiamento da oposição. Apesar de tudo, penso que o nosso guru, tem sozinho ou com as demais lideranças que aglutinou país afora, cacife bastante para montar sua chapa que no frigir dos ovos seria a chapa da maioria dos aposentados. Nessa chapa o único nome inegociável seria o do próprio Medeiros para a Seguridade. Os demais nomes da chapa podem ser estrategicamente divididos entre pessoal da ATIVA e APOSENTADOS. Nessa composição faço questão de retirar o meu nome, nem cogitá-lo, pois só posso atrapalhar com o processo em curso contra mim na PREVI. Vale lembrar que o dr. Medeiros tem o apoio de inúmeras associações (AFAs) e da própria ANAPLAB (que não é pouco). Portanto, apoio não falta, principalmente de incontáveis colegas que se dispõem a fazer o trabalho "formiguinha". Isto supera com muita vantagem a eventual falta de "cacife". Nossa imensa vantagem é a pecha atual que reside sobre SINDICALISTAS e APOIADORES DO GOVERNO. Estão mais em baixa que ações da Petrobras!
      E vamos que vamos! (Nosso grito de guerra)
MEDEIROS NUM EVENTO COM JOAQUIM LEVY - SOBRE O FUTURO DIRETOR DE SEGURIDADE DA PREVI PODEMOS REPLICAR BARACK OBAMA: "HE'S THE MAN!!!"
       

domingo, 14 de fevereiro de 2016

O GLADIADOR

    Nosso grande timoneiro está de volta, alegre e renovado após uma bendita tormenta que quase espatifou um Embraer-195 no último domingo de janeiro quando tencionava aterrissar no aeroporto Salgado Filho na capital gaúcha. Entrementes aos gritos de uma jovem esbelta sentada a seu lado de "não posso morrer, ainda sou muito jovem", o setentão sereno e tranquilo orava em seu coração para que Cristo, tal qual no Lago de Tiberíades, aplacasse a tempestade. Pedido feito, pedido atendido. A fé remove tornados e até furacões. Basta possuí-la de verdade.
    Este drama interno pela sobrevivência o fez repensar - Bendito seja Deus por mais isso - o seu até então intransigente pensamento de parar com pretensões de novas missões na PREVI. Está dada a senha para o preenchimento do cargo de diretor de Seguridade da PREVI. Medeiros com sua vasta experiência e história de sucesso é o homem certo para o cargo e será o divisor de águas naquela diretoria: antes e depois do Medeiros. Meu time sempre foi José e mais dez. José Bernardo sempre como TITULAR ABSOLUTO nada de suplente. É muita capacidade para ser desperdiçada na suplência.
     Então, a alegria e a esperança voltaram. Estamos radiantes. A ANAPLAB vai colocar toda sua energia em prol da candidatura amiga, entraremos na disputa de corpo e alma. Amigo(a)s de todo o Brasil irão nos ajudar. Ânimo e coragem não faltarão. José Bernardo Medeiros Neto será nosso diretor em maio para bem co-governar o nosso precioso fundo de pensão. Ainda há tempo de nos recuperar-nos, mesmo que no olho do furacão.
Vamos que vamos! Que o Senhor esteja sempre com todos nós. Não é mesmo meu caro João Trindade?
FUTURO DIRETOR DE SEGURIDADE DA PREVI: JOSÉ BERNARDO MEDEIROS NETO

sábado, 13 de fevereiro de 2016

UMA VERDADE INCONTESTE


Mudando um pouco de assunto, com a devida licença do amigo Ari, digo que acabei de entrar no site da Previ (são 07:35hs de 13.02.16) para ver o meu espelho de fev/16. A informação no autoatendimento é de que o contracheque do mês solicitado ainda não foi processado. Em seguida fui ao site do Banco para tirar um extrato da minha conta. Para minha surpresa já consta em lançamentos futuros o valor do crédito da Previ relativo ao mês de fev/16. Se a Previ informa que o contracheque de fevereiro ainda não foi processado, como o site do Banco já coloca o valor dos proventos em lançamentos futuros? Agradeço manifestação de quem tiver uma explicação plausível para o ocorrido.
13/02/16 07:45
     A constatação feita pelo colega acima, realizada empiricamente, traz à tona uma realidade que é ocultada por nosso fundo de pensão, a de que somos totalmente controlados pelo patrocinador, embora negado veementemente por nossos dirigentes.
       Não há nenhuma obrigação de nosso fundo em informar-nos sobre o contracheque com antecedência de uma semana; em contrapartida haveria obrigação de nos informar ANTES que terceiros o façam pois é sua obrigação manter os seus assistidos bem informados posto ser essencial à missão do próprio fundo de pensão. Evidente que isso está implicitamente relacionado com o vazamento de informações privilegiadas a terceiros, no caso a seu patrocinador. Se ao tempo em que a PREVI informa no seu site, no Autoatendimento, protegido por senha individual, que "o mês solicitado ainda não foi processado" e simultaneamente o patrocinador divulga o valor líquido nos "Lançamentos Futuros", fica evidente que um dos dois está mentindo.
      Por outro lado, acusam esse blog de estar "denegrindo a imagem da PREVI". Pergunto, se com o procedimento demonstrado acima, quem está desvirtuando a missão do nosso fundo? Está aí um belo tema para os caros conselheiros deliberativos debaterem. Se não o fizerem, fica provado que são subservientes, demonstrando por A + B e por C + D a que Senhor servem.
      Lembrem-se senhores o que dizem os textos sacros. 

sexta-feira, 12 de fevereiro de 2016

UMA GRANDE AMEAÇA

     Ontem recebi telefonema do auditor da PREVI comunicando-me que aquele processo administrativo aberto contra mim ano passado devido a publicações neste blog, terá continuidade. Minhas explanações não convenceram o CD que reunido na última semana de janeiro/2016 resolveu continuar seu ataque contra mim, talvez oriundo de dois membros que podem ser candidatos nas próximas eleições da PREVI e por isso temem que eu me candidate frustrando seus planos.
     Um deles, de outro Conselho, já me fez gastar alguns reais em duas sessões no Rio, no Juizado de Pequenas Causas em Copacabana. Nessas audiências entrei mudo e saí calado. Meses antes (em agosto/2015) essa mesma pessoa, falando para uma plateia superior a duas mil pessoas no Hotel Sofitel de Copacabana dizia ter sido obrigado a colocar dois colegas na justiça "por ter carregado demais na tinta" contra sua pessoa.
Ora, eu havia dito que o mesmo viajara para Londres bem no início de junho/2015. Enganei-me de data e local, pois de fato viajou um mês depois (julho/2015) mas para Zurique, na Suiça. Portanto, não inventei, apenas troquei a data e o local. Todavia, a maior culpada é a própria PREVI que não tem transparência em suas despesas para com os assistidos os quais são a razão de ser de um fundo de pensão.
      Eu sou uma pessoa do bem. Não quero prejudicar ninguém. Tenho o direito de estar informado de tudo o que acontece no meu fundo de pensão. Cargos por cargos, pelo ótimo salário ou jetons que recebem, nada disso me move. Ao contrário, os que me atingem têm a intenção de eliminar quem atravessar em seus caminhos. Com a conivência do patrocinador.
 

quinta-feira, 11 de fevereiro de 2016

NOVOS RUMOS PARA A LAVA JATO DEPOIS DO CARNAVAL


Luís Inácio Adams corre para salvar LULA
Vazou...

Agora ficou claro por que o ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, 
disse a um advogado de empreiteira, em reunião secreta, 
que a Operação Lava Jato "tomaria outro rumo" 
depois do carnaval e, portanto, ele "desaconselhava" 
que os executivos presos partissem para a delação premiada. 
 
Em conluio com Dilma Rousseff e Luiz Inácio Lula da Silva, 
o advogado-geral da União, Luís Inácio Adams, dirigiu-se ao Tribunal de Contas da União (TCU), 
com uma Instrução Normativa redigida no Palácio do Planalto. 
 
Por essa Instrução Normativa, aprovada em tempo recorde, 
o TCU analisará concomitantemente com a Controladoria-Geral da União (CGU) 
os acordos de leniência firmados com o Estado. 
 
Isso garante que os acordos feitos no âmbito da CGU 
não correrão o risco de serem anulados depois pelo tribunal 
-- mesmo com um TCU dominado por PT e PMDB, 
as empreiteiras temiam essa possibilidade quando lhes propunham tal saída.

A aprovação da Instrução Normativa é ótima para Lula, 
Dilma e os larápios associados porque:

a) Acordos de leniência podem ser feitos diretamente com a CGU, sem passarem pela Justiça

b) Dessa forma, contorna-se o juiz Sergio Moro

c) Pelos termos de um acordo de leniência, as empresas reconhecem que praticaram os crimes, 
pagam uma multa e não são consideradas inidôneas. 
Podem continuar a assinar contratos com o governo em qualquer nível
d) Ao contrário do que ocorre com a delação premiada, 
elas não precisam contar tudo. Ou seja, que Lula e Dilma estão implicados 
até o pescoço no esquema do Petrolão
e) A chance de Dilma sofrer impeachment reduz-se dramaticamente, 
visto que será quase impossível imputar-lhe o crime de responsabilidade

f) Sem o perigo de falência, as empreiteiras podem dar um grande cala-a-boca 
ou um aguenta-aí-até-chegar-no-STF aos executivos presos 
e aos seus sócios em cana, como Ricardo Pessoa, da UTC, 
que ameaçavam seguir o caminho da delação premiada. 
A ameaça de Ricardo Pessoa de partir para a delação foi decisiva 
para o Planalto armar rapidamente o golpe.
Luís Inácio Adams percorreu freneticamente os gabinetes dos ministros do TCU, 
acompanhado do ministro Bruno Dantas, para aprovar uma Instrução Normativa, 
repita-se, redigida no Palácio do Planalto, e não pelo ministro Bruno Dantas, como foi noticiado. 
 
Ninguém levantou a menor objeção.

A menos que um executivo preso ache insuportável a ideia de passar anos na cadeia, 
ainda que com o seu futuro assegurado economicamente, 
ou que a sociedade esboce reação, Luís Inácio salvou Luiz Inácio - e Dilma.
Bomba - EM 1ª MÃO
A sociedade precisa reagir enquanto há tempo.
Vamos tirar 5 minutos para mudar o Brasil, faça sua parte!
Audio completo do depoimento de Paulo Roberto Costa (Links que levam ao YouTube, testei):



Passe adiante...
A BOMBA VAZOU! BLOQUEIO DE BENS DA FAMÍLIA DO EX- PRESIDENTE LULA DA SILVA, 
A RECEITA FEDERAL ESTÁ SENDO IMPEDIDA DE AGIR... 
LULA QUER IMPEDIR A RECEITA FEDERAL DE AVALIAR O PATRIMÔNIO QUE ELE 
E LULINHA MONTARAM COM EVIDÊNCIAS DE MUTRETAS, CAMBALACHOS, TRANCOS E BARRANCOS!

VAMOS PRESSIONAR PARA QUE ELE NÃO CONSIGA! 
POR FAVOR, REPASSE MAIS DE 2 VEZES, SE POSSÍVEL.
São só 2 vezes.
Se cada pessoa passar para 10 amigos de setores diferentes no 6 (sexto) repasse atingimos 5 milhões de usuários. 
SEJA PATRIOTA: Passe adiante...
(Recebido via email)



----------------------------------------------------------------------------------------
Se estavam com esperanças de colocar o Brasil a limpo..."Os filhos das trevas são mais espertos que os filhos da Luz."
Só vemos vitórias dos petistas e seus aliados. Mesmo com todas as falcatruas conseguem se manter no poder. A justiça parece morta e os poderes cada vez mais podres. E o nosso povo bom e solidário? Já não temos mais guerreiros que lutam por justiça...Até quando, ó Senhor??!

quarta-feira, 10 de fevereiro de 2016

CARNAVAL FESTA DA CARNE

     Hoje é quarta-feira de cinzas. A igreja, após as missas de início da quaresma, se utiliza das celebrações para cingir a fronte do crente com cinzas ao tempo em que são ditas as palavras: "Lembra-te ó homem, eras pó e ao pó retornarás!"
Até ontem a festa foi da carne. Nada de bom fica da permissividade reinante neste período de momo; sequer o país produz na segunda e terça e até na quarta de meio expediente. O pior é no serviço público, já que na iniciativa privada o prejuízo é um pouco menor.
      Que nessa quaresma de 2016 todos os fiéis dobrem seus joelhos em penitência de seus pecados, que façam jejum e abstinência para o perdão dos pecados, que repartam o pão com o mais necessitado. O Pai celestial jamais se deixa vencer em misericórdia. Quanto mais repartires mais receberás. Lembra-te que até um copo d'água que deres a quem tem sede não será esquecido no dia do Juízo final. Jesus jejuava sempre - e orava constante - mas foi neste período de 40 dias que antecederam sua morte física que mais jejuou...Basta recordar a tentação no deserto em que Satanás O provocou pedindo que transformasse pedras em pães.
      O jejum agrada a Deus. Vale sempre a recomendação de Cristo para quando jejuares permanecer com o semblante vivo, alegre, como se estivesse plenamente saciado. Está lá no Sermão da montanha.
Ó Senhor, eu quero viver esta quaresma carregando a minha cruz como Tu fizeste no monte Calvário cujo ápice dar-se-á na Sexta-feira Santa. Não haveria ressurreição sem  a sexta-feira da paixão. Disse Jesus: "Quem quiser vir após mim tome a sua cruz todos os dias e me siga!"

segunda-feira, 8 de fevereiro de 2016

BBDC DO BRADESCO

    Crise é coisa que passa longe dos bancos. Em 2015 o Bradesco lucrou nada menos que 17,19 bilhões de reais, enquanto o Santander, outro banco com balanço 2015 divulgado, lucrou 6,624 bilhões de reais. Daí se conclui que os banqueiros são os que mais ganham em tempos bicudos, ficando o ônus da crise nos ombros da classe trabalhadora, dos assalariados, dos aposentados e pensionistas, enfim dos mais pobres.
     Fica nebuloso compreender porque não existem ganhos razoáveis nos fundos de pensão uma vez que a matéria-prima é a mesma dos bancos, ou seja, dinheiro, estando este nas mãos dos banqueiros os lucros são assombrosos, já no setor previdenciário a mesma moeda produz efeito contrário, isto é, em vez de fabulosos lucros resulta em pesados prejuízos.
      O patrimônio líquido consolidado do Bradesco gira em torno dos 90 bilhões de reais. Logo o lucro auferido em 2015 representa algo ao redor de 19%, diminuindo a inflação oficial de 11% resta um ganho real de 8%. Menos mal que a PREVI tem participação nas ações do Bradesco. Eu apenas gostaria que o nosso fundo com 1,5 vezes do patrimônio do Bradesco tivesse ao menos a metade de seu lucro em 2015. Neste carnaval este tema valeria um retiro para reflexão. Bom carnaval a todos(as).

sábado, 6 de fevereiro de 2016

SAÚDE É O QUE INTERESSA; O RESTO NÃO TEM PRESSA!




PRÓSTATA - ENTREVISTA COM O UROLOGISTA Nº 1 DO BRASIL

Não tem nem o que questionar: quando se fala em urologia, e  principalmente  em saúde masculina, o primeiro nome da agenda e da confiança dos principais políticos, empresários e brasileiros em geral é o do médico Miguel Srougi. 
Considerado o número 1 do Brasil em cirurgias de câncer de próstata (já realizou 2.900), atende em seu consultório gente como o ex-presidente Lula, José Alencar, José Serra, Geraldo Alckmin, Joseph Safra, Lázaro Brandão, Abílio Diniz e  Antônio Ermírio de Moraes, entre outros pesos pesados.
Professor titular de urologia da Faculdade de Medicina da USP, pós-graduado pela Harvard Medical School, em Boston, nos Estados Unidos, com 35 anos de carreira, uma dezena de livros publicados e outra centena de artigos espalhados mundo afora, Srougi tem a simplicidade daqueles que muito sabem, pouco ostentam e continuam lutando.
Ele se dedica integralmente ao que faz - trabalha todos os dias, das 7 da manhã às 10 da noite - abriu mão da vida pessoal (é casado, pai de dois filhos) e  não tem receio de dizer que se envolve demais com seus pacientes. "Sofro muito e esse sofrimento é um dos fatores de sucesso da minha carreira, porque acabo me entregando mais aos doentes". Embora viva intensamente entre os limites das dores da perda e alegrias dos resgates da vida, Srougi, aos 60 anos, se abastece lecionando na Faculdade de Medicina, "uma de minhas razões existenciais".
No ano passado inaugurou um moderno centro de ensino e pesquisa para seus alunos, garimpando verbas junto aos seus pacientes poderosos. A sala ganhou o nome de Vicky Safra, mulher de Joseph Safra - em homenagem ao banqueiro que doou a maior parte dos recursos.
Nesta entrevista, o maior especialista em câncer de próstata do país afirma que "todo homem nasce programado para ter a doença" e que, se viver até os 100 anos, inevitavelmente vai contraí-la. Fala ainda sobre os principais  temores masculinos, como problemas na próstata, disfunções sexuais, decadência física e seus sonhos pessoais. E conta por que trocou o Hospital Sírio-Libanês pelo Oswaldo Cruz depois de 30 anos. A seguir, os principais trechos.

ASSOMBROS MASCULINOS 
Os homens tem uma certa sensação de invulnerabilidade - isso faz parte da cabeça deles. Passam boa parte da sua vida livre de todos os incômodos que a mulher tem, fazendo com que relaxem mais com a sua saúde. Com o passar dos anos, começam a perceber a sua vulnerabilidade e passam  a dar um pouco mais de valor aos cuidados médicos.
O que mais os atemoriza hoje? Problemas com a próstata, disfunções sexuais e a decadência física, que mexe muito com a cabeça das mulheres, mas também com a deles. As mulheres pautam muito a vida em função da beleza e os homens da força, da virilidade, da capacidade de agir, raciocinar. E na hora em que surgem falhas nessas áreas, eles percebem que, talvez, não seja aquele ser imortal que achavam que fossem.

ENVELHECIMENTO 

Há dois profundos temores hoje nos homens: o primeiro é o crescimento benigno da próstata, um fenômeno que ocorre em praticamente todos eles: ela aumenta de tamanho depois dos 40 anos e, dessa forma, o canal da uretra fica ocluído.  Isso faz com que o homem comece a urinar sucessivas vezes, a não ficar em uma reunião prolongada, ter de levantar a noite, com o sono prejudicado, acordando mal.
O crescimento benigno é quase inexorável: todos os homens vão tê-lo em maior ou menor grau - felizmente, apenas um terço dos homens (30%) tem sintomas mais significativos que exigem apoio médico.Nesses casos, há medicações que desobstruem parcialmente a uretra e fazem o indivíduo urinar e viver melhor. Apenas de 4% a 5% dos homens tem de fazer uma cirurgia para desobstruir a uretra por causa desse crescimento benigno.
Essa é uma cirurgia que se faz com segurança e sem os inconvenientes de uma cirurgia maior nos casos de câncer.  Ela remove apenas o fator obstrutivo, o homem passa a viver melhor e sem nenhuma sequela. Esse crescimento não tem causa conhecida, surge por um desequilíbrio hormonal no homem maduro, ou seja, as células da próstata passam a se proliferar em decorrência dos hormônios.
Não há como prevenir.  Existem algumas medidas, mas nenhuma consistente.

OBESOS E FUMANTES 

Existe a falsa ideia de que os obesos e os fumantes seriam menos sujeitos ao crescimento benigno da próstata.
O que é interessante é que a próstata seria o único lugar no organismo que eles deixariam de ter todas as desvantagens, mas a realidade é meio dura: recentemente se apurou que eles são menos operados da próstata, mas não porque ela não cresce, mas pelo receio dos médicos de operá-los porque seria mais complicado e também porque muitas vezes nao vivem o suficiente  para serem operados - morrem antes.
É uma realidade muito perversa.

REALIDADE NUA E CRUA 
O câncer na próstata adquire maior relevância porque tem uma grande prevalência: 18% dos homens - um em cada seis - manifestarão a doença. E também porque o tumor, que ocorre com muita freqüência dentro da próstata, é eliminado com sucesso em 80% e 90% dos homens. Se esse tumor não é identificado no momento certo e se expande, saindo da próstata, as chances de cura caem para 30%.
É um tumor muito comum e se for detectado a tempo, tem como resgatar esse paciente. Dos 18%, somente 3% morrem - a medicina consegue curar 15% dos homens,ou seja, a maioria.Mas vale dizer que todo homem nasce programado para ter câncer de próstata. Ou seja, nós temos nas nossas células genes que as estimulam a virar cancerosas e eles ficam bloqueados durante a nossa existência.
Quando o indivíduo envelhece, esses mecanismos de bloqueio deixam de exercer o seu papel e o câncer começa a se manifestar. Com isso vai aumentando a freqüência da doença e todo homem que chegar aos 100  anos vai ter câncer de próstata.

SEM FANTASIA 

O exame de toque - um dos meios de se detectar a doença - gera na cabeça dos homens fantasias negativas e receios, mas, na verdade, eles tem muito medo da dor. Tanto é que os que fazem pela primeira vez, no ano seguinte perdem  o medo. Leva tres ou quatro segundos e não dói. Então, um dos fatores de resistência é eliminado.
Existe um segundo sentimento, que é muito forte: expressar, exteriorizar uma fraqueza se a doença for descoberta. O homem tem pavor disso porque, de acordo com todas as idéias evolucionistas, só vão sobreviver aqueles que forem fortes. É comum você descobrir um câncer no indivíduo, e ele entrar em pânico, não pela doença, mas porque as pessoas vão descobri-la. Porque o câncer é muito relacionado com morte, decadência física, perda da independência, dependência dos outros. O homem não aceita essa ideia, e prefere fechar os olhos e enfiar a cabeça  debaixo da terra a enfrentar, mostrando para o mundo e as pessoas que ele é um ser mais fraco. Isso vai afetar a imagem dele, acha que vai perder poder sobre outras pessoas, porque ninguém obedece a um fraco, alguém que vai morrer.
Isso vai contra a ideia que temos de ser mais fortes para sobreviver.

A PERFORMANCE DO ROBÔ 

Estamos fazendo cirurgias com robô, que permite uma visão muito mais precisa do campo cirúrgico, elimina os tremores da mão do cirurgião, permite incisões pequenas, uma operação muito mais perfeita porque os movimentos dele são muito suaves. Isso é muito novo no Brasil. Fiz o primeiro caso há dois meses, no Sírio-Libanês. E agora, o Albert Einstein já possui o robô e o Oswaldo Cruz o está adquirindo.
Nos Estados Unidos se faz cirurgia robótica em larga escala. Lá, o robô ganha em performance do cirurgião médio, mas ele ainda perde do habilitado.
Tenho mais de 2.900 pacientes operados de câncer de próstata. Sou o terceiro cirurgião do mundo nesse quesito - só perco para dois americanos e eles estão parando de trabalhar. Apesar de ter essa grande experiencia, quando comecei a operar, 35% ficavam com incontinência urinária grave. Agora são só 3%. Impotentes, todos também ficavam. Hoje, se o  homem tem menos de 55 anos, a incidência é de 20% - antes era 100%.
Há também enxertos de nervos, porque a impotência se deve a remoção de dois nervos que passam perto da próstata e nós estamos fazendo esse enxerto quando somos obrigados a retirá-los nos casos em que o tumor fica grudado. Entre os pacientes que fizeram os enxertos, metade voltou a ter ereções com o tempo.

IMPOTENCIA, O QUE FAZER? 
Esses novos remédios para tratar a disfunção sexual contornam 1/3 da impotência, tanto após a cirurgia quanto depois da radioterapia. Se os comprimidos não atuarem, existem injeções.
Há ainda próteses penianas que sao muito desenvolvidas e produzem uma ereção que quase não tem nenhuma diferença em relação a normal. Isso permite que o homem reassuma a vida sexual plenamente e que as mulheres tenham muita satisfação. Os homens ficam extremamente felizes - são hastes colocadas dentro do pênis. Não fica marca, nem cicatriz.
Nos Estados Unidos, entrevistaram as mulheres sobre os homens que tinham prótese e as respostas foram positivas. Ela funciona muito bem.

O PAPEL DAS MULHERES 
Os homens são resistentes: eles relutam muito em irem ao médico fazer um exame de próstata e só vão quando a mulher os empurra: dois terços dos pacientes no meu consultório são trazidos por elas. Ligam para marcar a consulta e os acompanham.
A gente não vê mulheres jovens trazendo homens jovens para fazerem exames. A gente vê mulheres maduras. Claro que o jovem não está na faixa de risco. Mas existe um outro significado da importância da mulher. Primeiro, que ela é pragmática e incentiva o marido.
Mas, por que ela quer isso? Porque quem ficou vivendo bem 30 anos e conseguiu superar todos os embates da vida conjugal é um casal que o tempo consolidou. E aí a mulher tem um sentido de preservação da família muito mais forte que o do homem. Passadas as tempestades e oscilações do relacionamento, ela não quer que o marido morra.
É real. Toda vez que tenho um paciente e ofereço dois tratamentos: um que aumente a existência dele, mas vai, por exemplo, causar alguma deficiência na área sexual e ofereço um outro tratamento, que cura menos, mas preserva melhor a parte sexual, o homem balança na decisão.
A mulher nunca hesita. Ela prefere aquele que aumenta a existência, mesmo ocorrendo o risco de comprometer a vida sexual dele e do casal.
Poucas vezes vi uma mulher aconselhar um tratamento que de menos chance de vida e aumente a possibilidade de ele ficar potente. Dá para contar nos dedos. Ela quer o companheiro, quer preservar aquela pirâmide que foi construída, que é rica.

SOFRIMENTOS E PRIVILÉGIOS 
Eu me envolvo muito com meus pacientes. Sofro muito. E esse sofrimento é um dos fatores do sucesso da minha carreira, de 35 anos. Nesse sofrimento eu acabo me entregando mais e mais aos doentes. Isso é ruim, porque não tenho vida pessoal, minha vida familiar é feita nos intervalos.
Felizmente, os momentos bons prevalecem sobre os ruins. É por isso que eu sobrevivo. Um doente que coloca a cabeça no meu ombro e agradece por ter feito algo por ele, ou deixa correr uma lágrima na minha frente, me faz deletar, superar aqueles momentos em que me senti totalmente impotente.
Uma das coisas importantes é o médico saber e demonstrar que a medicina não é infalível e ele não se sentir onipotente. O urologista tem um privilégio. O oncologista mexe com câncer avançado, já no fim do caminho - eu lido com o inicial. Eu consigo salvar muita gente. É um privilégio para mim.

MEDO DA SEPARAÇAO 

Nós não queremos morrer. Primeiro, pela incerteza do porvir. Segundo, porque a morte implica extinção e o ser humano não aceita a aniquilação. A nossa cabeça nasceu para ser imortal.
A morte está relacionada com dor, sofrimento, a decadência física, a desfiguração, a perda do papel social, desamparo da família, perdas dos prazeres materiais, da independência. Mas a causa verdadeira é o nosso horror de nos separar das pessoas que amamos. Bem material não deixa ninguém feliz. Há tanta gente rica se suicidando, tomando droga para sair da realidade.
Os médicos não compreendem isso. Se as pessoas tem medo de se afastar das pessoas, do seu entorno, você precisa tratar o entorno também. Não é o médico que apoia o doente nas fases difíceis - é a família. Eles reagem raivosamente contra a família, querem afastá-la do processo, sem perceber que um doente só vai ter paz, tendo a morte pela frente ou nao, se a família estiver ao lado.

A SAÍDA DO SÍRIO-LIBANÊS 

Os verdadeiros templos na Terra são os hospitais - não as igrejas. Nas igrejas tem muito ouro, riqueza. Aqui não,  você  conhece o sofrimento, o valor da existência humana. Os orgulhosos e os soberbos ficam humildes, ricos e pobres são iguais; os ruins, os autoritários e os maldosos se tornam condescendentes: eles ficam despidos, tiram a máscara; é aqui que você conhece o que é viver, que resgata para a vida, não em uma igreja qualquer, que o sujeito entra lá, reza dez minutos e sai. Ele pode até sarar, cicatrizar a sua alma. Mas aqui nós curamos a alma e o corpo. Esse é o verdadeiro templo, onde o ouro é a vida.
Você entende o impacto que a desigualdade social tem sobre o ser humano, a pobreza, a falta de instrução causa doenças. Depois de 30 anos no  Sírio-Libanês eu mudei para o Oswaldo Cruz. Achar que eu vou ter novas salas, três enfermeiras a mais, é brutalizar o que passou pela minha cabeça. Mudei porque não estava vendo esse lugar como um templo. Eu vivo intensamente, por isso tenho esses sentimentos.

UM POUCO DE FILOSOFIA 

A melhor forma de se transmitir as virtudes é pelo exemplo, pela coerência. Certa vez perguntaram para Sócrates como a virtude poderia ser transmitida -  se pelas palavras ou conquistada pela prática. Ele não soube responder. Então, Aristóteles, depois de uns anos, respondeu: "A virtude só pode ser transmitida pela prática e por meio do exemplo".
Aqui, eu posso tentar ser o exemplo. Mudando o cotidiano das pessoas, transformando a sociedade e construindo um novo mundo.

CINCO MEDIDAS PREVENTIVAS  
A prevenção ao câncer de próstata é feita de forma um pouco precária, porque não existem soluções para impedi-lo. Na prática, há o licopeno, que é o pigmento que dá cor ao tomate, a melancia e a goiaba vermelha. Talvez diminua em 30% a chance, mas esse dado é controvertido, por causa disso a gente incentiva os homens a comerem muito tomate, só que deve ser ingerido pós-fervura, ou seja, precisa  ser molho de tomate. Não pode ser seco ou cru.
A vitamina E também reduz teoricamente os riscos em 30%, 40%. Mas, se for ingerida em grandes quantidades,  produz problemas cardiovasculares. Na verdade, se o homem quiser se proteger, deve tomar uma cápsula de vitamina E por dia. Acima disso, não é recomendável.
O terceiro elemento é o Selênio, um mineral que existe na natureza e é importante para manter a estabilidade das células, impedindo que elas se degenerem, que é encontrado em grande quantidade na castanha-do-Pará. Qualquer homem pode ingerir em cápsulas, mas se ele comer duas castanhas por dia, recebe uma certa proteção.
Uma quarta medida é comer peixe,  três porções por semana - rico em ômega3 e tem uma ação anticancerígena provável. E, uma quinta, tomar sol. O homem que toma muito sol sintetiza na pele vitamina D, que tem forte ação anticancerígena. É por isso que os homens da Califórnia desenvolvem muito menos a doença do que os de Boston, conclui Srougi.
(Recebido por email de meu amigo Edgardo Amorim  do    Rego)