BANNER

Acesse aqui!
atendimento@anaplab.com.br
Joinville/SC: (47) 3026-3937
S.J. Pinhais/PR: (41) 3035-2095

terça-feira, 19 de janeiro de 2016

CASSI - CUSTO MÉDIO X CONTRIBUIÇÕES (III)


Prezados colegas,

Tendo em vista que a CASSI se nega a fornecer quaisquer informações detalhadas sobre seus registros contábeis, repito que os dados que constam do anexo à minha mensagem inicial sobre o assunto foram "garimpados" nos balanços da CASSI, da PREVI e do BB, o que os tornam incontestáveis. 


Os cálculos efetuados evidenciam o resultado final, que é a insuficiência da contribuição do pessoal da ativa. 

Conforme os números levantados o demonstram, o custo médio da CASSI é de R$ 752,74 por contribuinte/mês, enquanto que a contribuição média mensal do grupamento de funcionários ativos é de R$ 529,17 (média salarial mensal de R$ 7.055,66 x 7,5%).  Portanto, uma deficiência de 42,2%. 


Enquanto isso, para o mesmo custo médio assistencial de R$ 752,74, a contribuição média mensal dos aposentados é de R$ 792,18 (R$ 10.562,40 x 7,5%).  Portanto, superior ao custo.

É importantíssimo ressaltar que a insuficiência de contribuição do grupamento da ativa é bem maior que 42,2%  porque no montante de salários pagos pelo Banco em 2014 (R$ 9.454.352mil), sobre o qual foi apurada a média salarial citada, estão incluídas verbas sobre as quais não há contribuição à CASSI.
Portanto, se o Banco quer que os funcionários da ativa usufruam da assistência à saúde que lhes foi prometida, é óbvio que deve arcar com a diferença entre os custos da CASSI e as contribuições vertidas pelo grupamento (contribuição pessoal + patronal).  Não pode pretender que a deficiência de contribuição seja compartida com os aposentados, que já contribuem mais do que  suficientemente conforme os cálculos demonstram.
Cordialmente
Ebenézer

Texto enviado por e-mail pelo excelente Ebenezer Nascimento para enriquecer o debate ora em questão sobre o nosso plano de saúde.

ebenezer.w@gmail.com

31 comentários:

Anônimo disse...

Já está disponível no link abaixo indicado o contracheque do INSS contemplando o reajuste de 11,28% para quem ganha acima de um salário. mínimo:“http://www8.dataprev.gov.br/SipaINSS/pages/hiscre/hiscreResultado.xhtml”

Juarez Fernando Miotto disse...

O cálculo apresentado está incompleto e não permite conclusões, pois:

a) compara custo médio de todos os assistidos com as contribuições segmentadas entre ativos e não ativos;

b) se a segmentação fosse essa, deveria comparar os custos junto à CASSI do pessoal da ativa versus suas contribuições; e os custos do pessoal aposentado versus suas contribuições;

c) essa segmentação impele à eliminação do Princípio da Solidariedade e abre a janela para a cobrança por faixa etária e número de beneficiários. É isso que o colega Ebenézer gostaria? Não esqueçamos quanto custa um Plano de Saúde para os grupos de idade avançada ...

Juarez F. Miotto

Anônimo disse...

Colegas e Sr. Ari,

Fica evidente nas colocações do colega Ebenezer, de que as entidades administradas pelo Banco do Brasil S.A. escondem, em cada uma, a péssima gestão.
Vede prejuízo na Previ e descalabro administrativo na Cassi, SALVO MELHOR JUÍZO!

SAÚDE E PERSEVERANÇA A TODOS

maorlando12@gmail.com disse...

Ari,

Vale ressaltar que praticamente a totalidade dos aposentados conta com no máximo 01 dependente que é a esposa ou companheira, enquanto que o pessoal da ativa conta em sua maioria com esposa e filhos como dependentes, elevando ainda mais o custo da CASSI.
Não estou querendo de forma alguma segregar categorias (ativos e aposentados) no BB, mas é a realidade.

Marco Antonio Orlando

Marco Orlando disse...

Ari,

Vale ressaltar que praticamente a totalidade dos aposentados conta com no máximo 01 dependente que é a esposa ou companheira, enquanto que o pessoal da ativa conta em sua maioria com esposa e filhos como dependentes, elevando ainda mais o custo da CASSI.
Não estou querendo de forma alguma segregar categorias (ativos e aposentados) no BB, mas é a realidade.

Marco Antonio Orlando

Anônimo disse...

Professor, não posso concordar com o colega.
Ele calcula um custo médio único (para ativos e inativos) e depois quer separar as contribuições em dois grupamentos.
Aí a conta não fecha mesmo.

Anônimo disse...

Enfim um comentário na direção do que sempre foi o meu ponto de vista. Os salários do BB, além de estarem deprimidos há longo tempo, ainda gozam de verbas que estão isentas das contribuições para a CASSI. Segundo penso o Corpo social da instituição deveria bloquear a entrada de novos associados (e há uma grande chance de substituírem por meio do PDV os que ganham um pouco mais, por elementos mais baratos)até que o Bano resolva a situação do déficit representada pelo desequilíbrio entre contribuições e despesas dos funcionários da ativa. Solidariedade é ótima, especialmente com o bolso alheio.

joao trindade disse...

Com o governo totalitarista e suas ramificações só podemos esperar um enorme aumento de contribuições (PB1). Não temos nada além de mentiras e omissões por parte de quem deveria nos defender. Somos iludidos todo o tempo.

Anônimo disse...

Sr. João Trindade,

"Somos iludidos o tempo todo."

É bem a verdade, pois vem eleição e vai eleição e os votos são dados para os mesmos que nos ferram há tempos.

Há então ao meu observar que, ou somos exatamente muito burros, ou aqueles que votam no status quo recebem benesses que não temos conhecimento.

Os de governo vivem a caviar e outros luxos, próprios dos de esquerda ilusionista.

Unknown disse...

Juarez,
Embora as suas ponderações sejam pertinentes, o grande causador do déficit da Cassi foi o enorme contigente de colegas novos com salários de R$ 2 mil, com mulher e filho.
Eu tinha isso como uma verdade. O estudo em questão vem ratificar o que eu já acreditava.
O que você pondera era verdade há 20 ou 30 anos atrás e não tem correção no sistema atual, exceto se as mensalidades forem subindo com a idade.
Agora um funcionário pagar mensalidade de R$ 60 (3%) para ter plano de saúde para ele, a mulher e o filho é uma temeridade em qualquer país do mundo. A distorção viria logo, como veio. Cabe ao Banco estudar o assunto e propor uma solução.
Celio

Anônimo disse...

Prezado Ari,

Licensinha!

Miotto, das 8:57: Você é sem dúvidas o disantinacomopolitanaeteripeuticonizado do pedaço. Há mais de 3 décadas, vimos, os do PB 1, pagando mais do que suficiente para arcar com os custos nossos e dos funcis menos remunerados(solidariedade) e ainda edificar a infraestrutura necessária ao funcionamento da CASSI. O BB ao colocar no plano milhares de associados mal
remunerados. com maior idade média e dependentes já existentes. implodiu o equilíbrio contribuição/custo e passou a ser o verdadeiro beneficiário da solidariedade do sistema, às custas da degradação das reservas patrimonial e financeira da CASSI. É fácil ver, basta verificar o que foi gasto com a nova leva de associados pela CASSI, e a soma das contribuições deles e do BB.
Os colegas não têm culpa, o verdadeiro vilão é quem planejou o desmonte da CASSI e ainda obter ganhos com o sucateamento.

Anônimo disse...

Será que vão ter que criar um Plano Cassi 1 e outro Cassi Futuro a exemplo do que aconteceu com a Previ?

Anônimo disse...

19/01/16 15:48

Simples solução para o BB: enquadrar os novos funcionários no CASSI FAMÍLIA.

Acredito que 80% pedirá demissão desse sugador, além de que muitos não mais farão concursos para o BB-guloso.

Anônimo disse...

Senhores pertencentes ao Banco do Brasil,

Alguém pode me informar se os dirigentes da Cassi e da Previ são indicados pelo Banco do Brasil S/A. e qual a responsabilidade inerente a cada um?

Se existe corresponsabilidade daquele Banco na gestão das entidades?
antecipadamente agradeço.

Anônimo disse...

Mais um ativo podre para engrossar o déficit da PREVI:


http://www1.folha.uol.com.br/mercado/2016/01/1731239-fundo-de-pensao-da-petrobras-veta-recuperacao-judicial-da-sete-brasil.shtml

Anônimo disse...

Depois de 14 anos consegui receber ação IR Férias. Adeus associação do capeta

Anônimo disse...

Colega de 15:48,

Vc acaba de criar um GT que ficará meses debatendo sobre esse assunto. A DIRGE é isso. Falta de trabalho gera invecionices

Anônimo disse...

Minha versão política do impasse: O BB já mostrou a cara evidenciando que não quer mais ônus "assistencial" com os aposentados, arguindo exigência da CVM, e em razão de outros fatores velados, eis que o governo está querendo incrementar a sua parte de dividendos do BB, para manter a máquina pública perdulária e o equilíbrio fiscal.
Minha versão técnica à luz do post: Se a CASSI já está segmentada em dois planos, Família e Associados, por que não segmentá-la em três, Família, Ativos e Aposentados/Pensionista, com os respectivos centro de custos, possibilitando, assim, a mensuração dos gastos e adoção de metodologia justa de contribuição. Salvo melhor entendimento, da forma que está e se o desdobramento do impasse for favorável ao BB, nós aposentados seremos penalizados paradoxalmente, visto que perderemos a contribuição patronal, porém continuaremos compartilhando o custo dos funci da Ativa, para fins de contribuição adicional, ou seja, estaremos, em parte, financiando o pessoal da ativa e próprio patrocinador.

Anônimo disse...



Aviso aos Navegantes,

Qualquer modificação que for feita na Cassi estarei entrando na JUSTIÇA PARA GARANTIR DIREITOS ADQUIRIDOS ( direitos esses impostos pelo Banco do Brasil S/A., quando da admissão como funcionário, condição imperativa para ingresso nos seus quadros ).
Depois de velho é que não vou deixar de ter assistência, que deve ser honrada pelo BB, que a exigiu e impôs na admissão.

À Justiça senhores...Milhares de ações e mais ações e mais ações...................

Anônimo disse...

Por tudo isso temos a triste constatação que vivemos num regime exatamente igual ao da Coreia do Norte, com todos os desdobramentos que virão aqui como já ocorrem lá. Muita mentira, omissão, dissimulação e o resultado é o mesmo, desde sempre...

Cade Araujo disse...

Mestre Ari, a média não é uma medida ideal para se fazer uma análise. Haja vista que existem outras variáveis que incidem sobre os custos, como por exemplos medicamentos usados, número de assistência aos aposentados, etc. Não estou defendendo ou acusando nenhum dos lados. Entretanto, arrisco a antecipar que mesmo utilizando um cálculo econométrico, uma medida mais adequada para a análise, indicará que a contribuição dos aposentados é maior. Portanto, é necessário e fundamental que o Banco pague a diferença do custeio para que tenhamos uma assistência melhor. Afinal! Todos nós sempre doamos mais do que recebemos da Instituição. Todos nós além do trabalho oferecemos o nosso maior patrimônio que é a saúde e a juventude a serviço do Banco. De modo que é preciso aumentar o eco da defesa da Cassi. Pois, como já disse o político no passado: HOSPITAL INFELIZ DOS QUE PRECISA E FELIZ DOS QUE ENCONTRA.
Cadé - mat.9.978.780-6

Anônimo disse...

Ao anônimo 19/01 das 21:06
Como conseguiu essa façanha? Temos também uma ação dessas, com essa idade aí!!!

rafael campagnoli disse...

Cassi e Previ. Infelizmente, tudo o que debatemos não faz eco junto ao BB ( mas quem é o BB, hoje? ). A atual diretoria fará de tudo para aliviar ônus ao patrocinador, com vistas a aumentar o lucro do BB . O mundo dos que vivem em Brasília é surreal; tudo é movido por DAS, mansões, ajuda de custo de toda ordem, ressarcimentos etc. Não nos iludamos: apenas seremos comunicados, via desconto em folha. As discussões atuais podem dar aparência de participação, tal como ocorreu na época da distribuição do superávit/BET. Nós não temos conhecimento de quase nada do que é urdido alhures, parece que tem gente graúda maquinando contra os interesses dos velhinhos e pensionistas: acho que somos vistos apenas como um gasto inútil que tem que ser eliminado ou reduzido (não somos mais da atividade fim da empresa ). Não estou afirmando tudo isso, mas é o que dá para imaginar.

Anônimo disse...



'LIDERANÇA , ONDE ESTA QUE NÃO ESCUTA ?

Vigilante Mestre, vejo os comentários em torno da
CAssi e, justiça seja feita , são oportunos : entre ,
tanto, uma coisa me confunde : este assunto vai estar
certamente na agenda do futuro diretor de seguridde,
mas nã0 entendo a razão de estarmos orfãos de candi -
datos ate agora. Minha preocupação e perdermos tempo
e na ultima hora decidirmos assim ; 'não tem tu,vai
tu mesmo " e ai teremos outro Dilmo na liderança.Li-
derança ?que liiderança !!!colegas, o ano e novo e
os problemas e renovam e nós . . . ?divanysilveira

Anônimo disse...

GRITO POR CIDADANIA – SINDICATO DE APOSENTADOS FAZ “CARNAVAL DE PROTESTO” NA AV. PAULISTA
Publicado em 20/01/2016 12:27 Vera BatistaSem categoria
Cansados de serem invisíveis para governantes e políticos, o Sindicato Nacional dos Aposentados, Pensionistas e Idosos resolveu inovar na forma de protestar e montou uma verdadeira escola de samba para expor suas reivindicações à sociedade.

O desfile-protesto será em 21 de janeiro, quinta-feira, na Avenida Paulista. A concentração acontece a partir das 9 horas na praça Osvaldo Cruz (próxima do Shopping Paulista e da estação Paraíso do Metrô), ponto de partida para que os 2.000 aposentados sigam em ritmo de samba, suor e protesto pela Avenida Paulista, até o vão livre do Museu de Arte de São Paulo (Masp), onde o ato será encerrado, com a presença das principais lideranças sindicais do Brasil.

A escola de samba “Unidos dos Aposentados” tem alas temáticas divididas em cores, com 250 componentes cada, que empunharão cartazes e bandeiras, organizados em:

1) Comissão de Frente (colete laranja): formada por lideranças sindicais.

2) Ala das Reivindicações (colete amarelo): pela recomposição do poder de compra das aposentadorias, reajuste com aumento real para quem recebe acima do salário mínimo, abertura e transparência das contas da Previdência, isenção de IPTU para aposentados com baixa renda, entre outros.

3) Ala da Saúde (colete branco): garantia de saúde pública gratuita e de qualidade, manutenção e ampliação da política de distribuição gratuita de remédios de uso contínuo, amparo aos cidadãos da terceira idade por meio de “Casas de Idosos”.

4) Bateria: Será composta por 40 ritmistas da escola de samba Gaviões da Fiel, que irão dar o ritmo da manifestação.

5) Ala do custo de vida (colete vermelho): redução das taxas de juros, isenção do Imposto do Renda para aposentados, contra as tarifas abusivas, combate à inflação, que corrói ainda mais os benefícios já defasados ao longo dos anos.



6) Ala da Justiça (colete preto): pelo direito à revisão do benefício (desaposentação) para quem aposentou, mas continua trabalhando e contribuindo, correção do FGTS, revisão do PIS, processo da revisão da poupança, recuperação do poder de compra e outros temas importantes, que estão travados no judiciário.

7) Ala das Pensionistas (colete roxo): contra as medidas do governo que alteraram as regras de concessão dos benefícios às viúvas. O Sindicato dos Aposentados compreende que existem distorções, no entanto, não se pode tomar decisões que generalizam e comprometem a renda da maioria das mulheres que dependem de pensão para viver.

8) Ala futuro aposentados e juventude (colete laranja): o problema da Previdência Social não se restringe a aposentados e pensionistas, por isso uma ala com trabalhadores da ativa e de jovens que, no futuro, encerrarão o ciclo laboral e terão de viver com aposentadorias.



Anônimo disse...

CONTINUAÇÃO

Para Carlos Ortiz, presidente do Sindicato Nacional dos Aposentados (Sindnapi), “há décadas os governos nos colocam para sambar, então, diante de tanto descaso, nada melhor que colocarmos nosso bloco de reivindicações nas ruas para que políticos, governantes e a sociedade enxerguem e para refletirem sobre as nossas dificuldades”, destacou.

Questionado se a realização de um ato de protesto em forma de desfile de carnaval desmerece as causas dos aposentados, Ortiz rebate: “palhaçada é o que fazem com os milhões de aposentados, que trabalharam, contribuíram e tem sempre que pagar uma conta pelos erros dos governos”.

SAMBA-ENREDO – O samba-enredo “Por igualdade social, para quem lutou a vida inteira”, composto por Binho, Diego Miguel e Pedrinho, da escola Gaviões da Fiel, dará o ritmo aos aposentados. Para João Inocentini, presidente licenciado do Sindnapi, “neste país, em que Carnaval tem mais importância que a vida das pessoas, quem sabe a gente colocando nossa pauta em forma de samba-enredo os governantes entendam a mensagem de que o aposentados precisam ser valorizados, de que há muito por fazer para assegurar condições dignas para quem já tanto fez pelo Brasil”.

Confira, abaixo, a letra do samba-enredo “Por igualdade social, para quem lutou a vida inteira”:

Refrão

Por igualdade social

Por quem lutou a vida inteira

O carnaval hoje é em forma de protesto

O Sindnapi faz seu manifesto

Já passou da hora da mudança

A esperança de um Brasil bem melhor

Mais saúde, menos inflação, comida na mesa, educação…

Pelo direito dessa gente que tanto labuta

Da mulher que foi a luta e tanto fez acontecer, vamos trazer…

Verdadeira solução, valorizar o aposentado que construiu essa nação

Bis

E quem plantou não colheu, chega de corrupção

Vamos pra rua…

Remédio pra melhorar, pro bem da população

Essa é nossa luta e continua…

Quero qualidade de vida

Para o amanhã ser mais feliz

Ter justiça e igualdade, formando um novo País

Um alerta a juventude, por um futuro com dignidade

Façam valer a nossa força, união e ideais…

Jamais irão morrer os nossos sonhos

Nunca irão calar a nossa voz

O Sindicato também produziu um videoclipe com o samba-enredo, reunindo imagens de várias lutas e manifestações dos aposentados. O vídeo, editado por Anderson Campos, pode ser assistido pelo link: http://zip.net/bgsJgB

CIDADANIA – A inovação do protesto não se restringe ao carnaval em plena Avenida Paulista. Depois da última ala da escola, um grupo de diretores do Sindicato dos Aposentados recolherão toda a sujeira ocasionada pelo ato.

Fonte:http://blogs.correiobraziliense.com.br/servidor/grito-por-cidadania-sindicato-de-aposentados-faz-carnaval-de-protesto-na-av-paulista/

Anônimo disse...

sindicatos a favor de quem???

Anônimo disse...

Realmente, os palacianos estão se lixando para a CASSI. Mero camponeses...

joao trindade disse...

Penso que o ¨slogan¨ mais apropriado para o país seria :
BRASIL : PÁTRIA ENGANADORA.

Minardi disse...

Dr Professor Ari,
O que será de nós? o banco só quer nos morder! Quem poderá nos ajudar?
Gostei da ideia do colega que sugeriu o Cassi Família pros novatos. O mundo mudou e o banco não quer bancar a solidariedade.

Juarez Fernando Miotto disse...

Na PREVI, em 1997, criou-se o Plano 2 que, aparentemente é mais justo que o Plano 1 (fechado), pois o funcionário acumula sua previdência ao longo de toda sua carreira.

No Plano 1, ainda remanescem muitas injustiças, pois vale a média dos últimos 36 meses, independentemente das contribuições anteriores. E aparecem ainda os que arrumam novos dependentes em idade madura, bagunçando as Tábuas de Mortalidade Atuariais e as Reservas Matemáticas.

Já na CASSI, o princípio de solidariedade permaneceu instituído e, realmente, aparecem "injustiças" do tipo "o funcionário faz o concurso e trabalha como escriturário, sem se incomodar muito, principalmente para manter o Plano de Saúde, descontando menos de R$100,00 por mês". Ou o funcionário tem vários dependentes, sem descontar muito. Ou o assistido usa e abusa de todos os benefícios possíveis do Plano. Coisas da vida, mas que podem ser ajustadas.

Concordo que há a necessidade de corrigir, porém sempre surgirão "injustiças". Porém, o mais importante é preservar o que a CASSI tem de muito positivo. Para isso, acho que todos deverão ter que contribuir mais, Banco e Associados, porém obedecendo a alguns princípios:

a) quem ganha mais, pode e deve pagar mais;

b) participação obrigatória, mesmo que mínima, dos associados nos benefícios concedidos, para mitigar abusos;

c) contribuição deve ter um componente proporcional ao risco de sinistralidade.

Juarez F. Miotto