BANNER

Acesse aqui!
atendimento@anaplab.com.br
Joinville/SC: (47) 3026-3937
S.J. Pinhais/PR: (41) 3035-2095

sábado, 14 de novembro de 2015

TIRANDO TODAS AS DÚVIDAS


Notícias

10/11/2015

Empréstimo Simples e Financiamento Imobiliário - Carim

Entenda o cronograma para implementação do pacote de melhorias.

A Diretoria Executiva vem adotando uma série de medidas em benefício dos participantes. Dentre elas, as novas opções de contratação do Empréstimo Simples e as alterações no Financiamento Imobiliário – Carim.

Cabe ressaltar que, para a implantação dessas medidas, são necessários ajustes nos sistemas. Ocorre que, atualmente, está em curso na PREVI a implantação de um novo Modelo Operacional de Tecnologia da Informação (TI), projeto que prevê a melhoria de processos da área de informática, e um diagnóstico da situação das soluções tecnológicas, com vistas a sua modernização. Além da atualização da plataforma tecnológica da PREVI que, de uma forma geral, foi desenvolvida há cerca de duas décadas, essa ação promoverá a adoção de nova metodologia de trabalho, alinhada às melhores práticas de mercado, por meio de iniciativas focadas em eficiência e inovação. Ao final dessas iniciativas, a área de TI terá capacidade plena de atender as demandas internas das áreas de negócios e demais gerências da PREVI, traduzindo-as em melhores serviços prestados aos associados.
Até lá, é natural que a capacidade de atendimento para desenvolvimento e ajustes nos sistemas fique reduzida. Assim, a implementação das modificações no Empréstimo Simples e no Financiamento Imobiliário vão acontecer de forma gradativa. O cronograma de execução do pacote de melhorias relativo ao Empréstimo Simples foi definido de forma a priorizar o atendimento das novidades que possam atender ao maior número de participantes (ES Renegociação e Suspensão das Prestações). Na sequência, o foco será na disponibilização do ES 13º Salário, permitindo a oportunidade de antecipação do pagamento que tradicionalmente ocorre no mês de abril. Quanto ao Financiamento Imobiliário, os novos parâmetros deverão estar vigentes a partir de 01/02/2016, para os novos contratos, e a partir de 30/06/2016, para contratos já existentes, já que os ajustes de sistema necessários para a repactuação são mais complexos.
Confira as datas previstas para a implementação das medidas.
Empréstimo Simples:
ES Renegociação: a partir de 30/11/2015
Suspensão das Prestações: entre 30/11/2015 e 18h do dia 04/12/2015
ES 13º Salário: será disponibilizado em 01/03/2016
Financiamento Imobiliário – Carim:
Novos contratos: a partir de 01/02/2016
Repactuação de contratos já existentes: a partir de 30/06/2016

Relembre as principais alterações aprovadas pela Diretoria Executiva

Empréstimo Simples
ES Renegociação:
  • A renegociação será disponibilizada no Autoatendimento para os mutuários do Plano 1 e Plano PREVI Futuro.
  • Para mutuário com incapacidade civil deverá ser enviada solicitação formal com reconhecimento de firma acompanhada de certidão de inteiro teor (curatela ou tutela) ou alvará judicial.
  • O contrato será renegociado pelo prazo máximo para a faixa etária do mutuário no momento da renegociação. Para o participante do Plano 1, o prazo máximo varia de acordo com a idade, conforme tabela a seguir. Para o participante do Plano 2, o prazo máximo é de 96 meses. A primeira prestação será paga no mês seguinte. Excepcionalmente, para as renegociações realizadas no período de 30/11/2015 até às 18h de 04/12/2015, a primeira prestação já será cobrada em 20/12/2015.
tabelaes.png
  • O contrato adotará a taxa para composição do Fundo de Quitação por Morte de acordo com a idade do mutuário no momento da renegociação.
  • A taxa para composição do Fundo de Quitação por Morte será alterada ao longo do contrato de acordo com a idade do mutuário. A nova taxa passará a incidir sobre o saldo devedor no mês do aniversário do mutuário e será considerada para recálculo da prestação no aniversário do contrato.
  • O contrato adotará a taxa para composição do Fundo de Liquidez vigente no momento da renegociação. Para o participante do Plano 1, a taxa para composição do Fundo de Liquidez permanece suspensa.•Será necessário cumprir o prazo de carência (6 prestações pagas) após a renegociação para renegociar novamente ou para renovar a operação com a contratação de ES Rotativo, mesmo que o mutuário possua margem consignável disponível.
  • Para os contratos vigentes no momento da implantação da renegociação será liberada a carência para renegociação.
  • O mutuário fica impedido de contratar outro empréstimo de qualquer modalidade enquanto o empréstimo renegociado estiver vigente, mesmo que o mutuário possua margem consignável disponível.
  • Somente os ES Rotativos poderão ser renegociados.
  • Só será permitida a renegociação se a nova prestação for menor que a prestação atual, por isso não será levada em consideração a margem consignável do mutuário.
  • Só poderá ser renegociado o contrato em que o saldo devedor for menor ou igual ao teto da linha de crédito.
  • Amortizações extraordinárias e liquidações antecipadas poderão ser efetuadas normalmente.
  • Para o reajuste/recálculo da prestação será utilizada como data de aniversário a data da renegociação.
  • O participante que opte pela renegociação não poderá efetuar a suspensão das prestações.
Suspensão das Prestações:
  • A suspensão será disponibilizada no Autoatendimento somente para os mutuários do Plano 1.
  • Para mutuário com incapacidade civil deverá ser enviada solicitação formal com reconhecimento de firma acompanhada de certidão de inteiro teor (curatela ou tutela) ou alvará judicial. A solicitação será acatada se for recebida na PREVI até às 18h do dia 04/12/2015.
  • Será permitido o cancelamento da suspensão durante o período de 30/11/2015 a 04/12/2015, pelo Autoatendimento.
  • Para aqueles que optarem pela suspensão, a renegociação poderá ser efetuada apenas depois do fim da suspensão das prestações, isto é, a partir de março de 2016.
  • O objetivo da suspensão é desonerar o mutuário do pagamento da prestação do empréstimo simples no período de dezembro/15, janeiro/16 e fevereiro/16, período em que incide o pagamento de contas como IPVA, IPTU, matrículas, materiais escolares etc.
  • Independentemente da suspensão ou não das prestações, o recálculo da prestação será realizado na data de aniversário inicialmente pactuada para operações contratadas a partir de 23/01/2015. Caso o mutuário opte pela suspensão das prestações, o recálculo da prestação poderá ser influenciado pelo não pagamento das prestações durante o período de suspensão.
ES 13º Salário:
  • 1º período: cadastro da proposta de 01/03/2016 até 28/03/2016.
  • 2º período: cadastro da proposta de 21/04/2016 até 26/10/2016.
  • O valor mínimo será de R$100,00.
  • O valor máximo de concessão será definido por percentual do valor base de concessão, conforme a seguir:
1º período: 45% do 13º Salário
2º período: 28% do 13º Salário

  • O pagamento será realizado em parcela única em¿datas de pagamento pré-definidas. Para o 1º período de vigência o pagamento será no dia 20/4, ou dia útil subsequente, para o 2º período de vigência o pagamento será no dia 20/11, ou dia útil subsequente.
  • Não poderá ser renovado. O participante só poderá contratar outro ES 13º após liquidar o contrato "em ser". Assim, o mutuário só poderá ter um ES-13º vigente.
  • Amortizações extraordinárias e liquidações antecipadas poderão ser efetuadas normalmente. A amortização reduzirá somente saldo devedor.
  • Não será permitida a liquidação de PAS e/ou adiantamentos BB concomitante a contratação do ES 13º Salário.
  • A Taxa de Administração, IOF e taxa do FQM (Fundo de Quitação por Morte) serão cobrados no momento da concessão. A taxa do Fundo de Liquidez não será cobrada.
  • A aplicação da taxa de juros e correção monetária permanecem idênticas às linhas de crédito atuais.
  • O cancelamento da proposta do ES 13º só será permitido até 72 horas antes da data do crédito.
Financiamento Imobiliário – Carim
Repactuação dos contratos vigentes, a critério do mutuário.
Alteração do modelo de financiamento “Modelo Atual” para “SAC Suavizado”:
  • Elevação do limite de idade nas novas concessões e repactuações de 80 anos para 85 anos.
  • Dilação do prazo máximo de pagamento de 240 meses para 420 meses.
Nova metodologia de convocação por data de manifestação:

27 comentários:

Anônimo disse...

Boa noite,

Para uma financiamento imobiliário de 275.000,00 que a prestação é por volta de 2.500,00 em 240 meses; em 420 meses passaria para quanto a prestação?

Obrigado aos matemáticos!


* Tristeza por Paris - terror é uma palavra que expressa bem essas barbáries

Anônimo disse...

2 colegas num post anterior disseram que seus saldos devedores dimunuiram em 3 mil, alguém sabe dizer como?

Anônimo disse...

Ao colega que postou às 00:34hs de 14.11.15. Mantida a mesma taxa de juros a prestação cairia para algo em torno de R$2.185,00.

Anônimo disse...

A Fopag já está disponível no site da Previ.

Anônimo disse...

Jesus,

Volta logo,pois nossa esmolas estão acabando e não temos mais a quem pedir.

Anônimo disse...

Frase do grande pensador e filósofo Molusco da Silva:

"Crise é igual diarreia, vai passar".


O Homo sapiens e a mulher sapiens nos enchem de orgulho.

sss disse...

E então, alguem sabe porque o saldo devedor do ES de alguns colegas diminuiu? Eles dizem que seus devedores foram reduzidos em aproximadamente três mil reais, mas não deram maiores detalhes. Teria a ver com a renegociação?

João Rossi Neto disse...

Caro Ari e colegas,

A CONTRIBUIÇÃO DA PREVI É LEONINA E ILEGAL À LUZ DO MERCADO.

Depois de pagar religiosamente contribuição mensal ao fundo de pensão para, após a aposentadoria, fazer jus aos benefícios complementares não é justo continuar pagando mais contribuições no pós-emprego, porque o pedágio contratual pactuado foi cumprido e os planos de benefícios similares do mercado não cobram contribuições adicionais no período pós-laboral.

É verdade que, lá bem atrás, quando a previdência complementar fechada engatinhava e a PREVI foi pioneira no assunto, a visão vigente de curto prazo e os funcionários do BB eram obrigados a aderir às normas do plano do momento, ninguém tinha noção das evoluções que esse mercado iria ter no futuro, como de fato teve, de sorte que a praxe, hoje, é pagamento das contribuições pelo prazo contratado, findo o qual, o segurado passa a receber os benefícios negociados e cessam-se os pagamentos das prestações as quais se obrigou.

Na contramão dessa comercialização justa para as partes envolvidas, ato jurídico perfeito, por comodidade e vendo o tilintar da prata no seu cofre dentro da filosofia do menor esforço, a PREVI mantém-se estagnada no tempo por conveniência ou sabe-se lá por quê e mantém o “status quo” pré-histórico dos tempos idos, defasados e não corrige os rumos onde caminham os demais agentes operadores da previdência complementar.

A despeito de continuar adotando essa arcaica estratégia negocial, a PREVI age dentro da legalidade, dado que a contribuição anacrônica e injusta cobrada está prevista no Estatuto do fundo, mas é imoral e exploratória para os atuais padrões do resto do mundo que opera nessa área.

Tem-se como verdade absoluta que os fundos de pensão, sociedades civis sem fins lucrativos, foram criados para ter equilíbrio entre as receitas e despesas, investir os recursos dos associados, do patrocinador e pagar os benefícios em dia. Portanto, o aparecimento de superávits e déficits nos balanços configuram anomalias e desajustes passíveis de serem analisados e corrigidos, todavia, por razões óbvias não interessa o estudo quando o caso é de superávit.

Anos a fio, historicamente, a PREVI tem apresentado superávits em seus balanços e isso indica de forma inquestionável que essa sobra de recursos significa que a saúde financeira do fundo é ótima e que a cobrança de contribuições dos assistidos (pós-laboral), principalmente, seria absurda, descabida e injusta.

Não me venha a Diretoria Executiva da PREVI justificar que a isenção da contribuição está sujeita a existência de Reserva Especial, porque a interpretação correta em consonância com o mercado para a incidência da contribuição é a SOBRA DE RECURSOS, superávits, independente de eles serem ou não suficientes para cobrir integralmente a Reserva de Contingência (colchão de liquidez).

Caso não bastasse a nossa indignação com a cobrança da contribuição mensal para a PREVI, no mês de novembro de cada ano, pagamos também a contribuição ANUAL, ou seja, somos duplamente penalizados com esse encargo impositivo.

Do ponto de vista moral, ao descontar a contribuição do nosso benefício-PREVI, obviamente não recebemos os 100% contratados, mas apenas 95,2% já que a contribuição abarca os atuais 4,8%. Enfim, a PREVI paga com a mão direita “x” e com a esquerda, de forma draconiana, toma “y”. Alguma providência a Diretoria Executiva precisa tomar para corrigir essa distorção.

Lucia Siza Siza disse...

Alguem sabe qual sera o teto psra renegociar? Faltam no meu caso 80 prestacoes de 2030.Tenho 65 anos

Anônimo disse...

Quer dizer que o ES-13 não poderá ser contratado este ano ? Somente em Março/16 ? Já não existe o ES-13 em Abril como e de prace todo ano ?

Anônimo disse...

Acho que vão distribuir um lenço de tecido sintético (que tem dificuldade de absorver água) para cada aposentado do do Plano 1 enxugar o iceberg que nos é apresentado.

Ari Zanella disse...

Estimada Lúcia,

Até os 76 anos o prazo máximo é de 120 meses. Portanto, no teu caso, você pode renegociar por este prazo.

Assim, como você tem saldo em meses de 80, pode ir até 120 meses.

Sua prestação atual é de 2.030,00.

Não tenho HP12 mas por uma regra de três simples, teremos que sua parcela mensal cairia para + ou - 1.353,00

Não esquecendo que quando completar 69 anos muda o FQM e aumenta um pouco a prestação.

Lucia Siza Siza disse...

Obrigado Ari acho que vai ser melhor a suspensao.

Anônimo disse...




ÁS VEZES A S0LUÇÃO ESTÁ A VISTA MAS NÃO A VEMOS


Mestre, ha dias você disse , e disse acertadamente, que a próxima
eleição na PREVI seria de vital importância para nosso grupo, pois
é para a área de seguridade, se não me engano, que é a ocupada por
ninguém menos que dr. Marcel.Penso que temos um colega que tem um
perfil ideal para nos ajudar nesta travessia , não somente pelo seu
temperamento e cultura, mas principalmente pela coragem e empenho
que tem nos brindado ao longo destes anos.Minha idéia e esta eu sei
que uns poucos poderão dizer que há outros personagens bons e estão
corretos, mas entendo que há dois tipos de candidatos : UM para parti-
cipar e um para ganhar : este é João Rossi. Acabei? Não, falta o gru-
po achar que minha ideia é viável e consensual e, se vingar, esperar
a hora da luta que vai precisar de muita raça, empenho para incentivar
a nação do PB-1 cuja clarividência do MESTRE é indispensável.Os gri -
lhões só duram séculos se os homens forem fracos e sem ideal, pois o
chõro sommente não extingue a opressão !!1




Anônimo disse...



POST SCRIPTUM

Mestre, tem um detalhe importante. João Rossi, mesmo tendo esi-
pírto publico,devera ser convidado por número expressivo de só-
cios e colegas para concordar., pelo que o conheço.M

Anônimo disse...

Prof. Ary,

Na postagem TIRANDO TODAS AS DÚVIDAS, no item ES/Suspensão das Prestações, há informação de que

"Independente da suspensão ou não das prestações, o recálculo da prestação será realizado na data de aniversário inicialmente pactuada para operações contratadas a partir de 23/01/2015........"

Minha operação foi contratada em novembro/2013 e o último reajuste ocorreu na FOPAG de maio/2015. O ilustre Professor sabe informar-me como funciona o reajuste das prestações para as operações contratadas em novembro/2013, como na minha situação?
Obrigado pela atenção Prof. Ary.

Luiz Carlos/BH-mg


Ari Zanella disse...

Caro Luiz Carlos,

Não sei te responder. Minha sugestão é que faças a mesma pergunte no "Fale Conosco" do site da PREVI, eles repassam para o setor responsável (no caso o suporte do ES) e terás uma resposta acurada porque eles irão analisar especificamente o teu histórico no ES.

Edmilson lopes de sousa disse...

Bom dia Ari. Onde encontro a tabela dos valores de 1 a 145.000, por meses, anos e o valores de cada prestação.Já olhei em toda a Previ e não achei as tabelas.

Ari Zanella disse...

Bom Dia, Edmílson.

Antes havia no sistema a "Tabela de Valores" na qual assinalávamos a opção desejada na contratação.

Hoje não aparace mais por inteira. Mas é possível saber por partes. Exemplo:

Vá em "SIMULAR" abaixo, na mesma página de "Novo Empréstimo".

Clicando em SIMULAR aparece:

Valor - (colocar o valor desejado)

Prestação - (deixar em branco)

Número de meses - (Colocar 120)

No caso de 1.000,00 a prestação é de 14,30

REPITA COM OUTROS VALORES.

Lucia Siza Siza disse...

Ari eu nao estou conseguindo entrar no blog da rosalina.Eu escrevo blog da rosalinadeouza e aparece o da Cecilia o gsto subiu no telhado.Por que? Pode me dizer?

Ari Zanella disse...

Cara Lúcia,

Experimente digitar completo na barra de endereços

www.rosalinadeouza.blogspot.com.br

Ou acesse clicando sobre ele no lado esquerdo da minha página, entre os Blogs que eu sigo.

Edmilson lopes de sousa disse...

Boa tarde,Ari.Grato vou tentar.

Anônimo disse...

EMPRÉSTIMO SIMPLES.


Considerando minhas dificuldades financeiras atuais, devido a falta de reajustes mais humanos, o ideal, no meu caso e de muitos outros colegas seria uma RENEGOCIAÇÃO simultânea do aumento do prazo e ao mesmo tempo a suspensão do pagamento pelos 3 meses seguidos. Portanto vou ter que optar pela suspensão do débito das prestações. Acho também que, ainda é tempo da PREVI rever e melhorar as novas propostas.




Anônimo disse...

Bom dia caro Ari

Você tem alguma notícia sobre mudanças no empréstimo da coopeforte?
Já faz algum tempo que eles não fazem alterações.

Anônimo disse...

pisso renegociar por 120 mese ainda devo 85 parcelas mjnha orwstaçao é de !.900,00. . alguem que entenda de matematica pode me knfornar qual o vlf. da prestscao que vai ficar?

Anônimo disse...

entendo qufe a melhor hora de renegiciar seria janeiro apos o reajuste

Anônimo disse...

Pessoal, alguém sabe, afinal, se a PREVI vai ou não aumentar o prazo do ES? Pelos informes da mesma no site, parece que não. Abraços a todos. Fred - BA