BANNER

Acesse aqui!
atendimento@anaplab.com.br
Joinville/SC: (47) 3026-3937
S.J. Pinhais/PR: (41) 3035-2095

segunda-feira, 9 de novembro de 2015

AS PROPOSITAIS CONTRADIÇÕES NO EMPRÉSTIMO SIMPLES

     Perdi a conta das vezes em que a Diretoria Executiva da PREVI veio a público para tentar nos dar satisfações sobre os motivos que a levaram a não autorizar prazo maior (180 meses) para pagamento dos empréstimos simples e de segurar ferrenhamente o aumento dos limites (teto atual de R$ 145 mil) dessa linha de crédito, sem, contudo, conseguir explicar nada.
Por não possuir fatos novos para sustentar uma decisão técnico-científica, justa e razoável que venha ao encontro das necessidades dos associados, vale-se de argumentos requentados, insuficientes e coloca como obstáculo irredutível para negar a concessão dos 180 meses de prazo, a “idade avançada” dos tomadores do ES.
  De certa forma estamos sendo classificados de caloteiros e mutuários de elevados riscos pela Diretoria Executiva, todavia, essa interpretação é contraditória e improcedente, tendo em vista que o FQM é um fundo destinado à quitação da dívida vincenda em caso de falecimento do devedor, de modo que é “zero” o risco de inadimplência.
Doutra parte, consta que a PREVI tem a missão específica de melhorar a qualidade de vida dos associados, de modo que não deveria haver espaço para o menosprezo e descarte da função social embutida no espírito das operações com participantes e assistidos, mas, inexplicavelmente, não é isso o que está ocorrendo, uma vez que há clara deliberação da busca do “lucro pelo lucro”, teoria capitalista condenável, em especial porque estamos analisando as transações financeiras de uma sociedade civil sem fins lucrativos.
   É ponto pacífico que a Diretoria Executiva age com excesso de zelo e forte ojeriza contra as melhorias reivindicadas pelo Corpo Social no ES por forçar uma descabida desconfiança na liquidação dos contratos, rigor injusto com os donos do fundo de pensão e faca entre os dentes, operando com regras agressivas semelhantes às estratégias desumanas do capitalismo selvagem.
Como duvidar da liquidação dos empréstimos que desfrutam da garantia do FQM para essa finalidade, nos casos de morte do devedor? Qual seria, então, o objetivo do FQM que é exigido no ato da contratação do ES e pago pelo tomador?
Neste contexto, onde a Diretoria Executiva está alocando os recursos do FQM relativos aos empréstimos “em ser”, os quais tiveram liquidações antecipadas em consequência de “RENOVAÇÕES”. É sabido que o volume desses negócios mata-mata (o novo paga o velho) é bastante expressivo e envolveram bilhões de reais durante os vários anos em que se efetivaram essas renovações.
   Como tais liquidações não foram filiadas as mortes dos devedores, é óbvio que esses recursos do FQM ficaram ociosos e podem ter sido usados para outras finalidades, dentro do próprio fundo. Afora isso, a Diretoria Executiva nunca abordou a questão da redução de despesas, quando ocorre o falecimento de devedor de ES, posto que os 100% dos seus benefícios serão reduzidos para 60%, caso tenha esposa que se tornará pensionista e se não tiver dependentes a redução de desembolso para a PREVI será total (100%).
Deste modo, mesmo que não existisse o FQM para garantir a quitação do ES, a extinção de parte ou total dos benefícios do associado morto, em economia compulsória para o fundo, seria suficiente para, em poucos meses, propiciar o pagamento da dívida deixada pelo “de cujus”.
Depois de trabalharmos a vida inteira no BB operando as mais complexas linhas de crédito, somos obrigados a ouvir a asneira de que confundimos “empréstimos com benefícios”, fato que agride a nossa inteligência.
Em análise simplória, grosso modo, temos que o limite teto do ES é R$145 mil e o prazo máximo de pagamento é de 120 meses. A própria Diretoria Executiva em seus cálculos atuariais para quantificar o valor do seguro do FQM chegou as seguintes taxas nominais para a operacionalização do ES nos parâmetros acima:
0,6% a.a                até 59 anos;
1,2% a.a       de 60  a  69 anos;
3%    a.a       de 70   a 79 anos;
3,5% a.a       de 80    a 89 anos;
4%    a.a      a partir de 90 anos.
Estes números nos permitem derrubar a falácia de que para elevar o limite, por exemplo, para R$160 mil e 180 meses de prazo, as taxas nominais do FQM ficariam impraticáveis, o que é um absurdo e uma grande inverdade. Vejamos que o crescimento geométrico das taxas nominais seria proporcional às elevações e atenderia as expectativas dos tomadores, de sorte que a Diretoria Executiva tenta criar um bicho de sete cabeças e nos induz pela pressão psicológica a aceitar a sua falsa engenharia financeira.

(texto produzido por João Rossi Neto, aposentado de Goiânia-GO)

30 comentários:

geraldo mendes disse...

disse tudo

Anônimo disse...

Mestre seu abaixo assinado esta muito bom. Precisa de mais compartilharmentos. Vamos nessa colegas

joao trindade disse...

A que ponto chegamos...
Esmolar no próprio Fundo que um dia foi a esperança dos que se aposentaram,depois de tanto trabalhar.Esperar o que,do futuro?

tarcisio augusto bulhoes martins disse...

Prof. Ari bom dia. Que a paz DO SENHOR NOSSO DEUS ESTEJA COM O SENHOR E COM TODOS OS NOSSOS COLEGAS. JÁ CHEGA. NÃO DÁ MAIS. ALERTO AOS COLEGAS QUE VOTARAM NO DD. DIRETOR DE SEGURIDADE, QUE NÃO SE ESQUEÇAM DE VOTAR NELE NOVAMENTE. Tarcísio.

Goulart disse...

É colegas aposentados e pensionistas, se pelo menos grande parte dos interessados PARTICIPASSEM DAS PETIÇÕES ELETRONICAS, sobre o alongamento das prestações do Es para 150 ou 180 meses, do Abaixo Assinado que pede elevação dos benefícios em 10%, da Auditoria na Cassi, e outras de TOTAL INTERESSE DA CLASSE DE APOSENTADOS E PENSIONISTAS, a adesão em massa dos colegas, resultaria em um OBJETIVO MAIOR, é uma pena e é lastimável a ALIENAÇão DA MAIORIA, E ASSIM VAMOS TOCANDO A VIDA, SABE-SE LA O QUE NOS ESPERA....... Acordemos enquanto é tempo...

Anônimo disse...


Parabéns, João Rossi!
Me impressiona sua habilidade e competência em colocar na escrita aquilo que pensamos e enxergamos em relação ao tratamento e ao descaso de nossa Previ com seus assistidos, mas não sabemos como descrever.

Anônimo disse...

Caríssimo João Rossi Neto, texto muito bom e oportuno. Eu acrescentaria que as explicações prestadas pela PREVI, sobre o ES, são inúteis, como na realidade são todas as explicações. Fica claro que os Diretores não alongam o prazo e nem aumenta o limite, por um motivo muito simples, NÃO QUEREM. Acredito que sejam oportuno lembrar para os que sabem e informar para os que não sabem, que muitos de nós doamos a PREVI toda a nossa juventude e força de trabalho.Uma época em que para ingressar no Banco a idade permitida era de 17 anos e seis meses a 23 anos e seis meses. A grande maioria éramos muito jovens quando ingressamos no Banco, e consequentemente, aposentamos ainda muito jovens. Além do mais todos sabem o quanto é difícil neste País uma pessoa conseguir novo emprego aos 60 anos. Ainda caberia salientar que todos aqueles que ocuparam cargos comissionados não tínhamos horário de trabalho. Vivíamos exclusivamente para o Banco. Hoje, as regras são outras existem limite de horário para os comissionados, etc. Assim, poderíamos esclarecer aos colegas que hoje pertencem ao PREVI FUTURO e nos discriminam que foi o nosso trabalho e contribuição que gerou o PATRIMÔNIO DA PREVI. Enfim, a história da PREVI se confunde com a história de todos nós. De modo que, hoje quando lemos que não se pode alongar ou aumentar o teto do ES devido a idade avançada dos beneficiários da PREVI é no mínimo não respeitar a história dos seus fundadores. Ademais, nas considerações prestadas pela diretoria da PREVI, fica claro que se trata de um produto rentável. Então, se o ES é rentável, podemos deduzir que os riscos financeiros do produto estão devidamente compensado pelo FQM e a baixa inadimplência. Sem contarmos com as receitas indiretas e o aumento do patrimônio da PREVI, quando ocorre a morte de um associado. Por fim, eu com base nos estudos que faço e nos conhecimentos que amealhei, haja vista que sou professor universitário de Finanças, afirmo que é possível alongar o prazo e aumentar o limite, sem prejuízo para a solvência e liquidez do Fundo. Acrescento, ainda que seria até oportuno rever o sistema de amortização ora praticado pelo Fundo, pois o atual é bastante conservador e nos trata como um potencial inadimplente.
Cadé - matricula 9.978.780-6

Ademir Martins disse...

exatamente, pretendem explicar o inexplicável, é uma pena que sejamos tão desunidos,por exemplo, estou tentando reunir antigos colegas de determinada agencia/cesec, num universo de mais de 500 (quinhentos) funcionários que trabalharam numa determinada cidade do país e não consigo - tem os que dizem "sou colaborador", sem porém se pronunciarem depois e o assunto acaba "morrendo" e fica o dito pelo não dito - até parece uma passarela ou seria ponte (??) que pretendem construir aqui em Balneário Camboriú(SC) - cujo destino é "LIGAR NADA A COISA NENHUMA", enfim.....

Ari Zanella disse...


Um anônimo (como sempre) diz que EDITO matéria do sítio da PREVI. Nada retirei nem acrescentei, o que fiz foi REALÇAR os títulos e subtítulos para melhorar o leiaute de quem não possui a visão acurada. Se o desagrada, vá direto à fonte: www.previ.com.br em Notícias.

Anônimo disse...

Prezado Sr. Ari Zanella,

Ainda bem que podemos ler um arrazoado como este, produzido pelo aposentado sr. João Rossi Neto, para que ninguém possa fazer confusão após a leitura da nota explicativa da Previ, que nada explica.
Na verdade, são desenvolvidos na tal nota argumentos falsos, com o propósito de conduzir o raciocínio dos associados a conclusões que apenas servem aos objetivos dos técnicos "sem teto".
E quanto ao adiantamento dos "bônus"? Vão devolver, assim que divulgarem os pífios ou deficitários resultados de 2015?
Se o resultado que esse time apresentar for mesmo o de perdedores, e com salários tão altos, a solução sem dúvida é a troca dos técnicos.

Anônimo disse...

Os dirigentes da Previ acham que depois que aposentamos ficamos retardados mentais ficamos incapazes, que pena eles terem uma visão tão cruel e desumana conosco.

Anônimo disse...

ANABB AVISA disse...

APURAÇÃO DE VOTOS RECEBIDOS VIA CORREIOS COMEÇA DIA 16/11 - NA PRÓXIMA SEGUNDA-FEIRA.

Mozart Braga disse...

Ótima mensagem, cumprimentos.
Enviei para o blog do Marcel:

Caro Marcel,


Agradeceria suas considerações sobre o importante texto abaixo de autoria do Colega João Rossi Neto - postado no blog do Zanella.

AS PROPOSITAIS CONTRADIÇÕES NO EMPRÉSTIMO SIMPLES

.....

Anônimo disse...

É com grande satisfação que recebo a notícia de que o colega Marcus Moreira de Almeida é o novo Diretor de Investimentos da Previ. Tive o prazer de trabalhar com ele durante alguns anos na Gerof (RJ). Funcionário super competente e da mais alta confiança. Podem ter a certeza de que a Diretoria de Investimentos da Previ está em ótimas mãos.

Francisco Rodrigues

Anônimo disse...

http://www.seebfloripa.com.br/bancos/bancos-publicos/banco-do-brasil/fim-do-pagamento-de-bonus-de-remuneracao-variavel-para-diretores/

Fim do pagamento de bônus de remuneração variável para diretores
qui, 25 de junho de 2015

O Conselho Deliberativo da Previ, órgão máximo do fundo de pensão dos funcionários do Banco do Brasil, aprovou o fim do pagamento de bônus de remuneração variável aos diretores da entidade. Unânime, a decisão foi tomada em reunião ordinária no mês de maio.

?????????????????????????????????????????????

Anônimo disse...

O colega aposentado João Rossi Neto resumiu com a maestria de sempre nosso pensamento sobre a tal nota da PREVI.

Mais não precisa ser dito.

Anônimo disse...





O AP0SENTADO E O PRêMIO DA LOTERIA

Mestre, um aposentado descrente com plano de aposentadoria
ouvia rádio para ver o resultado da loteria mineira ,quando
se ouviu um grito estrondoso na casa e o aposentado gritan
do . . ela deu pra mm . . . .ela deu pro papai. . . ela não é
direita, mas eu gosto dela mmesmo assim ! Como morava perto
da cidade falou com a mulher que iria de carro, pois não ia
andar mais a pé . No outro dia, antes de ir disse; querida,
quando eu estiver chagando eu vou buzinar e acender a luz do
carro e piscar ; isto posto,você taca fogo nesta porqueira
de casa e grita . .. .adeus pobreza, adeus pobreza.Assm foi
feito e ao sair correndo, foi atropelada pelo carro e direto
pro hospital. O que aconteceu, perguntarão muitos : 0 bilhe-
te não foi da minera,mas da federal.Este caso me faz lem-
a euforia de muita gente quando o Pt ganhou a eleição e quase
tacou fogo em tudo.hoje,dzemos;eu era + felz e nã reconhecia
Divvanysilveira 05 Lagoas-mg

Anônimo disse...

Nota triste,


A continuidade de desrespeito a condição dos aposentados do plano Previ é estarrecedora, pois escarnece da capacidade dos idosos de raciocinar.

Teacher, se não quiser não publica, to mais nem aí para as incongruências manifestadas pela Previ em defesa do atual ES.

Estou somente externando minha decepção com aqueles que os aposentados elegem, para cargos de suma importância e que ganham muitíssimo bem para "atender" às necessidade dos contribuintes do plano.

É de chorar.

Anônimo disse...

Agora que desculpa arranjarão?

Fernando Lamas disse...

Saudações cordiais a todos.

"NÃO HAVIA NECESSITADOS, ENTRE ELES"At 2,42ss
Prezado Professor Ari, utilizando-me deste espaço muito prestigiado e frequentado, peço aos colegas, de todo o país, um GESTO CONCRETO de solidariedade e participação, junto das famílias atingidas, em Mariana(MG), após o rompimento das barragens.
1) CEF, Ag. 1701, Operação 003, c/c 01-7, titular: Arquidiocese de Mariana, CNPJ 16855611/000151.

2) BB, Ag. 2279-9, c/c 10.000-5, titular: Prefeitura de Mariana, CNPJ 18295303/000144.

Grato e PAZ E BEM!

"Que cada um dê, conforme decidiu o seu coração, não com tristeza ou por obrigação, POIS DEUS AMA A QUEM DOA COM ALEGRIA."
2Cor 9,7

Velhinha pensionista disse...

Parabéns !!! Pela primeira vez vi uma defesa em favor dos idosos com tamanha sabedoria e competência .

Obrigada Velhinha pensionista .

Ari Zanella disse...

Caro Pilatti,

Fui obrigado a retirar o primeiro parágrafo de seu comentário. É ofensivo, espero que me compreendas.

---------------------------------------

Hpilatti (69) deixou um novo comentário sobre a sua postagem "AS PROPOSITAIS CONTRADIÇÕES NO EMPRÉSTIMO SIMPLES":

Prezado Ari,

Já postei o texto abaixo algumas vezes, entretanto, vou repetir:
"Devemos dizer um ao outro somente o que realmente pensamos e desejar o que é possível, pois ambos sabemos que numa discussão de questões humanas a justiça só entra quando existe equilíbrio de forças e que os poderosos exigem o que podem e os fracos concedem o que precisam."
*Conferência de Atenas em 416 a.C.

Anônimo disse...

Será que os caminhoneiros conseguirão fazer o que o DEM e o PSDB fingem querer?

Tá todo mundo enrolado, menos os companheiros caminhoneiros

A cura virá de caminhão?

João Rossi Neto disse...

Cari Ari,

Submeti o texto aqui publicado à apreciação da Presidência da PREVI e da Diretoria de Seguridade. Pelo menos registrei, com argumentos técnicos pertinentes, a nossa indignação e discordância com as inflexíveis e descabidas exigências apostas na operacionalização do ES, onde a Diretoria Executiva apela até para aspectos imponderáveis, como prever a morte dos devedores, para negar a valiosa dilação do prazo para 180 meses, ansiada pela maioria dos devedores e que solucionaria parte da nossa crise financeira, presente que ensejaria redução substancial no valor das prestações mensais do ES.

Em qualquer segmento econômico, os fabricantes de produtos, seja de um sabonete, material de limpeza, alimentos e bens duráveis de consumo, etc., fazem rigorosa pesquisa objetivando a satisfação das necessidades dos clientes e com isso cativar e encantar os consumidores visando a fidelização da maior fatia do mercado.

Em sentido contrário do bom atendimento, a Diretoria Executiva da PREVI trabalha de costas para os associados, não dá a mínima para essas premissas prioritárias adotadas pelo resto do mundo, cria o ES sem ouvir os tomadores e empurra à força e ditatorialmente o prazo de 120 meses para pagamento e fecha a questão, numa atitude evidente de que quer é correr com os pretendentes dos empréstimos, mesmo ciente de que a rentabilidade desses negócios suplanta de longe as metas financeiras atuariais.

Anônimo disse...

Senhores aposentados,

Quanto foi perdido na bolsa, sabidamente de risco, pela Previ?

Goulart disse...

Obrigado João Rossi, pelo seu competente argumento, em nosso favor, junto a Diretoria da Previ, a/c do Diretor Marcel, esperamos, que ele autorize pelo menos a dilatação do ES, por 150 meses, tudo de bom colega João Rossi pelo uso de seu conhecimento em favor dos aposentados e pensionistas, Goulart, do Paraná.

Jorge Teixeira - Araruama (RJ) disse...

Realmente em qualquer segmento econômico há a chamada pesquisa de mercado objetivando a satisfação das necessidades dos clientes. Ocorre que no caso da Previ não existe qualquer tipo de concorrência e é isso que leva os dirigentes do fundo a agirem sempre na contramão dos interesses dos associados. No momento não temos para onde correr. Nesta altura do campeonato somos apenas meros reféns das decisões daquele que, não obstante eleito pelos associados, simpatiza mais com os interesses do patrocinador e hoje ocupa a cadeira de seguridade. Mas nem tudo está perdido e ainda temos opções para transformarmos essa situação. Vamos escolher gente competente, experiente e da nossa inteira confiança para disputar a eleição Previ do ano que vem, quando estará em jogo a vaga de diretor de seguridade.

Ari Zanella disse...

Atendimento nº 59791625

Senhor Ari,

A data prevista para implementação dos novos parâmetros de concessão do Financiamento Imobiliário é 01/02/2016.

Permanecemos à disposição.

LUIZ SANTOS
Gerência de Atendimento
PREVI

Anônimo disse...

Ficarei realmente muito impressionado se a PREVI fizer uma manifestação ou responder aos apontamentos citados pelo colega João Rossi. Eu nunca li uma, e olha que já foram apresentadas varias outras anteriormente e nunca, nunca mesmo, vi ou li coisa alguma.

Anônimo disse...

Só a Previ não vê, que nós somos os "compradores" de um produto(ES), que a Previ " vende" com lucro, sem risco de inadimplência, com seguro por morte, e sem preocupação de procurar no mercado quem queira seu produto, porque nós suplicamos por ele (ES),e ainda a Previ vem achar que nós é que pedimos demais!!!Poupe_me Dona Previ!