BANNER

Acesse aqui!
atendimento@anaplab.com.br
Joinville/SC: (47) 3026-3937
S.J. Pinhais/PR: (41) 3035-2095

segunda-feira, 5 de outubro de 2015

HAVERÁ ALTERAÇÕES NO ES

          O nosso colega Cláudio Roberto Almeida fez um questionamento no blog do diretor Marcel de Barros https://blogmarcelbarros.wordpress.com/2015/09/30/que-crise-e-essa/#comments
sobre a suspensão de parcelas nos meses de outubro/novembro/dezembro e obteve resposta que reproduzimos abaixo, acrescentada a um tema recorrente de antiga reivindicação de alongamento do prazo do ES. Parece que deverá sair.


  1. Prezado Marcel,
    Apesar da crise, mundial ou local, acredito que a Diretoria da Previ está sempre fazendo o melhor para os associados.
    Você falou em ouvir os associados e suas necessidades, o que me encoraja de novo a falar do Empréstimo Simples e solicitar a suspensão das parcelas de outubro, novembro e dezembro/15, como forma de amenizar a situação de muitos associados.
    Falo sempre do ES, não por ser uma obsessão, mas pela convicção de que é a única decisão ao alcance da Diretoria Executiva. É o que vocês podem.
    Respeito suas convicções, muitas vezes já explicitadas, o que não me impede de fazer este apelo usando seu blog.
    Em janeiro/16, com 10% de aumento e o ES 13º , a situação se acomodará.
    Presente e futuro.
    Obrigado.
    Abraços
    • Caro Cláudio
      Já aprovamos na Diretoria um processo de renegociaçao do ES que permitirá que a grande maioria dos associados que tem operações possam renovar por um prazo maior, diminuindo assim as parcelas. Estamos tentando priorizar na setor de informática para que as alterações sejam rápidas e possamos colocar em pratica o mais rápido possível.
      Repito que suspender as consignações é prejudicial aos associados, pois terão seus saldos devedores aumentados e ainda mais dificuldades em estabilizar suas financas. A renegociaçao permite alongar o perfil da dívida ao mesmo tempo em que dá uma folga no orçamento mensal.
      Obrigado por sua participação e continue acompanhando nosso blog

62 comentários:

Anônimo disse...

Prof. Ari,

Marcel disse ao Cláudio: "Já aprovamos na Diretoria um processo de renegociação do ES que permitirá que a grande maioria dos associados que tem operações possam renovar por um prazo maior, diminuindo assim as parcelas.......". De acordo com a redação colocada pelo Marcel, entendo que haverá, apenas, renegociação/reparcelamento da dívida objetivando, unicamente, diminuir o valor das prestações, ou seja, não haverá crédito a ser liberado para os associados. Está correta minha interpretação? Se possível, oriente-me Prof. Ari.
Um abraço

Ari Zanella disse...

13:44

Precisamos aguardar para saber como se deu essa aprovação, se para todos ou somente para aqueles que não conseguiram renovação e que agora, com o aumento do perfil da dívida, conseguirão. Só não está claro se este PRAZO MAIOR estender-se-á para além dos 120 meses.

Anônimo disse...

Ari não teria como você ligar para o Marcel, ele sempre foi recebedor de suas criticas, quem sabe agora ele não recebe uma matéria especial no Blog do Ari.

Afinal poucas foram as vezes que uma decisão de diretoria teve modificação nas instancias superiores (CD).

Anônimo disse...

A resposta do diretor Marcel pode estar relacionada com aquele equacionamento efetuado tempos atrás, onde ocorreu a dilação do prazo para 120 dias.
Tenho presente suas palavras (as dele) de que dívida contraída acima de 120 meses (10 anos) deixa de ser empréstimo e passa a ser financiamento.
Pelo princípio de solidariedade que rege o fundo eventual dilação de prazo deverá abranger todos os contratos da espécie, de modo que os que desejarem, mesmo que não recebam dinheiro novo, possam ver reduzidas suas prestações -- que, na verdade, é o maior problema.

Anônimo disse...

Provavelmente a Previ pretende aumentar o prazo para reduzir o valor das parcelas para poder limitar os descontos a 30% da renda.Acho muito correto mas os demais credores, principalmente a Cooperforte, precisam fazer o mesmo sem necessidade de ação judicial.

Anônimo disse...

Era para junho , passou para julho passou para agosto passou para setembro , td para nós é lento e cheio de estudos.

Anônimo disse...

É oportuno lembrar também dessa renovação do ES, não esta levando em conta a margem consignável 30%, porque senão ninguém praticamente poderá renovar...

Anônimo disse...

Caríssimo Ari, antecipadamente eu te agradeço por tudo o que fazes em nome de todos nós. Em um país que a imprensa escolhe o que publicar, em razão de interesses do que comandam, receber notícias e explicações é sempre bom. Concordo, contigo que nas palavras do Conselheiro Marcel nos próximos dias teremos algumas novidades no ES. Por oportuno, nos moldes atuais, as suspensões da cobrança do ES não é uma boa alternativa para os associados devedores. Haja vista que o saldo devedor, em função do métodos de correções, no futuro se torne uma dívida difícil de administrar, tanto para quem concede como para quem contrai. O ideal é modificar os prazos, de modo a sensibilizar as parcelas, até um nível que atenda os interesses do maior número de associados. Ademais, a grande maioria, sequer conseguiu renovar os empréstimos nos moldes atuais. Além do mais é importante enfatizar que a tendência é que em janeiro os benefícios sejam reajustados em 10 % ou mais, porém, não podemos esquecer, que se trata da inflação, ou seja, não será um aumento, apenas teremos a oportunidade de recuperar parte do que a inflação consumiu do nosso beneficio nominal, mas o poder de aquisição não será afetado. A inflação alta é um mal econômico que aniquila o poder aquisitivo do consumidor. Assim, mesmo que no futuro, em janeiro, tenhamos o reajuste, não recuperaremos o poder aquisitivo que outrora tínhamos. Sobretudo, porque ocorre um descasamento de prazo, a inflação ocorre hoje e o reajuste no futuro, com cerca de 12 meses passados.
Zenílson Cadé de Araújo - mat. 9.978.780-6

Fernando Lamas disse...

Saudações cordiais a todos.

SEM EXCLUSÕES!
Caro Professor Ari e demais colegas, lembro que há assistidos, como eu que temos, opcionalmente, o Inss excluído do contracheque da Previ. Isso implica MC, p/ ES, bem negativa, por longo tempo.
Nessa possível decisão da Diretoria que esse grupo não seja alijado.

Grato por tudo e PAZ E BEM!

"Que tudo se faça, de maneira a edificar."
1Cor 14,26

Anônimo disse...

Prezado Ari,
O alongamento, para TODOS, se sair, é melhor, muito melhor, que a suspensao dos três meses, segerida. A divida já está arrasando com a gente, com três parcelas REPRESADAS, entao, vai ser a mesma coisa que pisar numa cascavel. O alongamento é a resposta menos prejudicial aos nossos interesses.

Anônimo disse...

Bom se todos os demais diretores e Conselheiros ainda não falou nada a respeito é porque esses estudos desta vez, pode estar sendo produzidos de verdade, não apenas aqueles estudos tipo o ES-FLEXIBILIZAÇÃO que saiu e foi apenas para a Previ receber seus créditos da suspensão.

Mas uma coisa esta bem clara, alguma novidade vai ser apresentada, resta saber se não será mais do mesmo.

Ari esta na hora do seu faro jornalistico e ir atras da noticia na hora e no tempo presente.

Passe um BINGO que esse povo tanto aguarda uma noticia boa.

Anônimo disse...

Boa tarde prezado Ari, gostaria de saber se quem já entrou com a ação 30% pode fazer negociação como esta do ES, pois no meu entendimento não deveria, tendo em vista que a margem dos 30% deverá ser compartilhada com os demais credores, seria bom deixar isso claro caso venha a acontecer a dilatação ou será que estou enganada e uma coisa não tem a ver com a outra? Desde que entrei com esta ação me propus a não negociar diretamente com nenhum dos credores que citei na ação.
Aguardo orientações , obgda.

Anônimo disse...

Enquanto outros, até então bem conceituados no seio dos associados da Previ, só estão pensando nas eleições da Anabb o seu blog, como foi dito, está cuidando do nosso dia a dia e trazendo notícias que realmente interessam e deveriam ser prioridade para todos os aposentados e as pensionistas do “PB-1”. Valeu profº Ari.

Anônimo disse...

Creio que há uma preocupação permanente com o ES, embora ela não deva ser desprezada. Enquanto estivermos focados em renovação, renegociação ou alongamento de prazos do empréstimo, deixaremos de lado a discussão maior, que seria a luta pela revisão de benefícios. Por outro lado, deve ser analisada, também, a possibilidade de um novo indexador para o reajuste anual, posto que atualmente contamos apenas com a reposição da inflação. A pauta deve ser maior que a simples revisão de parâmetros do ES.

Velhinha pensionista disse...

Será que vão lembrar dos Velhinhos ... nunca nada de bom acontece para Nós Velhinhos ... por isso nem vou ter esperança de melhoras no ES ... para quem tem a margem negativa só um milagre ...

Anônimo disse...

Sr. Ari Zanella,

Sinceramente às vezes não entendo nada, mas nada mesmo, sobre medidas que se tomam na Previ.
Medidas que atingem somente "grupos" de participantes, como o que leio sobre o ES.
Esta é a melhor maneira de dividir um conjunto, separando suas partes mesmo que elas não queiram.
Vem idade, vem margem, vem isto e aquilo.
Aí vem o descontentamento deste e daquele.
Mais brigas por prejuízos causados pela divisão ou discriminação, SMJ.

Anônimo disse...

Quem não é favor de quem está no mando,está contra e,quem está contra tem que seguir a máxima :¨Aos amigos,a lei.Aos inimigos os rigores dela¨.Ou falamos o que eles querem que possamos ouvir ou fiquemos quietos e falemos de qualquer outro assunto,que não seja de nosso interesse.

João Trindade

Unknown disse...

Ari,
O Blog do Medeiros não sofre atualização desde o dia 2. O que será que ocorre? Celio

HPPILATTI disse...

Bem colocada a visão do colega do PB-1 lembrando que o assunto Eleições na Anabb provocou uma cegueira, surdez e embriaguez em quase todos que estão pleiteando cargos e sonhando com uma eventual cadeira na Entidade, esquecendo-se, lamentavelmente, dos grandes problemas e importantes atitudes que deveriam tomar com respeito ao ES e o BET -este sepultado desde o ano passado.

Ari Zanella disse...

Caro Célio,

O Medeiros, assim como eu, vamos participar do Encontro da ABRAPP de 07 a 09 de outubro em Brasília-DF. Eu viajarei amanhã à tardinha mas o Medeiros havia me dito que precisava viajar antes, já no domingo, para tratar de assuntos particulares. Acredito que certamente postará de lá nesta semana.

Ari Zanella disse...

Anônima 17:07

Em princípio uma coisa nada tem a ver com a outra. É claro que o aumento de parcelas no ES vai reduzir as prestações mas isto significa apenas que a pessoa vai ficar mais enquadrada ainda dentro do limite dos 30%.

Anônimo disse...



O REMÉDIO VAI CHEGAR,COMPADRE, AFIRMA O AMIGO !!O DOUTOR PROMETEU!!

Mas, quando será ? pergunta o doente . Eu tenho um pressentimento,
cumpadre, que nao demora muito , vocE vai ver '''como vocÊ sabe se
o amigo nao é espirta, rebate o enfermo. É que este ano tem eleições
la em cima, onde estão os grãfinos . Deus te ouça, senão é melhor
chamar o padre pra dar a benção, pois eu estou morrendo de tanto es-
perar, mas só recebo carta de candidato desejando saúde . . . e fe-
chou os olhos, sem receber a ajuda e a benção. divany silveira -SL.-

Anônimo disse...

Estou me lixando se a ameaça se concretizar – acho difícil – e outros blogs fecharem as suas portas. Hoje em dia só ficaria incomodado caso o blog do profº Ari viesse a faltar. Este sim está publicando o que realmente interessa e que pode nos tirar do sufoco.

Anônimo disse...

Quanto mais a Previ enquadrar os débitos nos 30% terá menos ações judiciais.Uma boa renegociação é mais vantajosa para a Previ e para os aposentados já que a ação é muito demorada.Espero que consigam resolver essa situação de fato com as novas regras.

Anônimo disse...

Caríssimo, Ari Zanella, vida para ti. Voltando ao assunto do ES, ontem postei um comentário, porém, hoje, eu reli a matéria e observo que lá está claro, as modificações na concessão do auxílio financeiro ES que estão prestes a sair e serem divulgadas, trata-se de uma adequação entre a parcela cobrada\devida e o montante, fruto da última suspensão da cobrança do empréstimo. Até porque a questão principal hoje não é só o alongamento do prazo, mas, PRINCIPALMENTE, o grande número de associados com margens negativas. De modo que, em muito casos, mesmo que se eleve o prazo para "qualquer" número, os associados não terão direito a proceder a renegociação. É claro que estamos conjecturando em cima de interpretações de palavras, pois, ainda não foram divulgados\aprovados\implementados as novas modificações, todavia,por isso, eu julgo que seria oportuno, muito dos que estão necessitados e não dispõem de margem consignável não alimentarem esperanças de obter um crédito complementar, via ES, nos próximos dias. Haja vista que para tal fato acontecer é necessário mudar o prazo e os parâmetros na forma hora de concessão. Como já foi citado aqui neste blog, mudanças no sistema price, na forma de correção dos saldos devedores etc. e nas interpretações financeiras do administrador do Fundo. Enfim, para aqueles que não dispõem de margem consignável, as modificações do prazo devem ser acrescidas de uma ajuda, ou de um regime de exceção, na hora da concessão, caso contrário, ainda vamos ficar muito tempo à margem dos benefícios concedidos a todos os associados.
Zenílson Cadé de Araújo - mat. 9.978.780-6 cadezinho2015@gmail.com

Anônimo disse...

Alguém sabe dizer se, além do alongamento do prazo, o E.S. vai sofrer reajuste como nos anos anteriores ?

Abraços a todos.

Francisco Rodrigues

Anônimo disse...

Pessoal, sem conjecturas e sem procurar pelos em ovo.
Era solicitado um ES 180/180 para amenizar o sufoco.
Em novembro de cada ano é parte do regulamento do ES, a revisão
dos limites para contratação.
O diretor está afirmando que há decisão de alongar o prazo.
Creio que respeitando a "tradição" o limite será atualizado ao menos com base no INPC e o prazo alongado, possibilitando sobra no crédito e na MC.
Positivismo.

Ari Zanella disse...

Caros amigos,

Incrível como este assunto do ES mexe com os leitores. Desde ontem às 13:30 quando publiquei esta postagem, os acessos foram impressionantes, com picos nunca dantes atingidos em audiência. Quero muito agradecer o prestígio de todos e pedir desculpas se não publico todos os comentários. É que me encontro num fogo cruzado onde o menos que se fala é o melhor que se faz no momento.

Á tarde estarei voando para Brasília pela Cia Azul, Joinville-Campinas-Brasília. Vou participar do 36º Congresso anual da ABRAPP sobre os fundos de pensão. Retorno na sexta-feira à noite. Um grande e caloroso abraço a todos. Contar com vocês é extremamente consolador.

Anônimo disse...

Pelo andar da carruagem acredito que a renegociação do ES não deve sair tão breve quanto se pensa. O certo é garantir de imediato a suspensão das consignações de outubro a dezembro/2015.

Anônimo disse...

PENSIONISTA VOTA? SE SIM, MEU VOTO EH PARA O ARI E ISA MUSA.

Anônimo disse...

Vai com Deus seu Ari!

Boa viagem!!

Anônimo disse...

O ES mexe muito com todos mas só este blog coloca em debate.Os demais.....

Anônimo disse...

ES

É melhor não alimentar maiores esperanças quanto a expressivo aumento da MC em janeiro, mesmo se o reajuste dos benefícios for de 10%,.
Exemplo:
Um aumento bruto de R$ 1.000,00 proporciona MC de R$ 222,00 (1.000.00 X 30%= 300,00 - 78,00 (4,8% Contribuição Previ e 3% Cassi). Se já estiver negativo a margem se reduz ainda mais.

De outra parte, se quiserem se redimir com os cerca de 600 assistidos (menos de 3% da população Previ)que foram marginalizados pela última reforma, o melhor caminho é um outro fatiamento do teto de 145 mil, criando uma nova faixa - ES-C - semelhante a A e B "em ser". Renovação nos atuais prazos jamais, pois as prestações seriam insuportáveis.

Anônimo disse...

Tambem concordo que o melhor de imediato seria a suspensao das parcelas do ES por 3 meses

Blog do Ed disse...

Estimado Mestre Ari
A Justiça e os advogados na Itália e na Corte Internacional da Europa são baratos ou se ganham caminhões de dinheiro nas diretorias dos sindicatos, dos bancos brasileiros e dos fundos de pensão do Brasil? É que me surpreende o Dr. Pizzolato ter dinheiro assim para pagar essas despesas lá na Europa!... Ou ele teve herança?
Edgardo Amorim Rego

Anônimo disse...

Meu colega Ary,

Prá vc. ver que a coisa está feia.Tá todo mundo desesperado, esperando uma esmolinha. Todo mundo com medo de ter um " white christmas", não sem neve, mas sem grana mesmo.

Anônimo disse...

MEU CRITÉRIO DE VOTAÇÃO NA ANABB


TODOS QUE ME ENVIARAM E-MAIL NÃO RECEBERÃO VOTOS

OBRIGADO PELA ATENÇÃO

Anônimo disse...

Estou com anon 16;31 Não voto em quem enviou email nem carta.Também não voto em quem já tem outros cargos e nunca fez nada de útil.

Anônimo disse...

O diretor já afirmou e reafirmou que a suspensão do pagamento de parcelas do ES é inviável.
C'est fini !!!

Anônimo disse...

Fernando Lamas, por gentileza, descasca essa para mim.

Pensionistas com ação dos 30% "contra" a previ vai ter direito a tudo isso que falam?

Obrigada.

Anônimo disse...

06/10/15 16:31

Meu critério de votação na ANABB: desfiliação

Fernando Lamas disse...

Saudações cordiais a todos.

SEM EXCLUSÕES, POR FAVOR!
Prezado Professor Ari, agradeço, pela confiança da colega pensionista(18:51h) e lhe afirmo que, nas restrições, para operar, listadas no Regulamento do ES, Capítulo V, NÃO CONSTA a existência da Ação Obrigação de Fazer-Consignados(30%).
Portanto, entendo que poderá usufruir dessa possível medida nova, sobre o ES.
Professor Ari e colegas, infelizmente, pela resposta do senhor Diretor, creio que haverá, sim, "excluídos", porque ele cita que "a grande maioria" renovará e não a totalidade.
Se isso acontecer, antevejo como múltipla punição, porque a falta de MC é consequência dos pesados cálculos mensais do ES e, também e indeterminadamente, pela separação do Inss do contracheque. Esse vento contrário, inviabiliza, impiedosamente, a participação de todos, sem exceção.
Penso que há técnica e técnicos de altíssimo nível, na Previ que podem afastar tal obstáculo, para esses possíveis excluídos.

Grato por tudo e PAZ E BEM!

"Quem confia no Senhor é como o monte Sião: não se abala e está firme, sempre!"
Salmo 125(124),1

Anônimo disse...

Esperamos que nessa propalada mudança na fórmula do ES também seja revisto os reajustes anuais absurdos que acontecem nas parcelas. Por que não aplicar uma fórmula que as parcelas sejam fixas, como acontece em todos os empréstimos e financiamentos.

Anônimo disse...

Prezado(a) 06/10/15 20:33

Independente de paixões é preciso observar que no mundo financeiro existem, para empréstimos e financiamentos, duas condições básicas:
1. a de encargos pós-fixados, onde dentro de determinado período de tempo ocorre a chamada atualização monetária, eufemismo dado à antiga e perversa correção monetária decorrente da inflação;
2. os encargos pré-fixados, usualmente utilizados em empréstimos de curto prazo, onde o credor embute, na taxa de juros, uma estimativa da inflação prevista.
No caso da PREVI, por força de determinação legal, ela é obrigada a estabelecer o cálculo atuarial anualmente, estimando as despesas com o pagamento de benefícios para o exercício seguinte.
Desta forma seus empréstimos e financiamentos tem que seguir a mesma regra, qual seja a da inflação prevista, mais o juro que, no presente momento, esta fixado em 5% a.a.
E vamos deixar de lado a ilusão: se a PREVI no ES e na CARIM abrir mão da cobrança da correção monetária, em pouco tempo nosso patrimônio virará fumaça, corroído pela inflação.
Lembro, a propósito, que o próprio Banco do Brasil em seus empréstimos CDC pratica taxa de juros onde claramente se pode evidenciar a inflação estimada.
Empréstimo de médio e longo prazo com taxa pré-fixada somente quando a inflação estiver domada, não ultrapassando a 4,5% a.a.
Querer diferente infelizmente não é possível, ainda mais na bagunça que virou nossa economia.

Anônimo disse...

20:33

Não acredito em "mudança na fórmula do ES", exceto no que se refere à dilação do prazo.

Cláudio Augusto Falco disse...

Amigo Edgardo,

Creio que você acertou em cheio na pergunta - herança - ele recebe pelo falecimento da Honestidade Governança do Brasil, ocorrida em 1º de janeiro de 2003

Anônimo disse...

Mestre Zanella e colegas,
Estranho, MUITO ESTRANHO, decide-se por mudança do ES em uma reunião de Diretores e, apenas um, Dr.Marcel, se pronuncia a respeito.
Acho que é o momento dos demais diretores manifestarem a respeito do assunto, apenas confirmando a notícia do diretor Marcel. As decisões são tomadas pelos diretores que representam um colegiado.
Quem tiver contato com os demais diretores seria ótimo que confirmassem com os mesmos.

Anônimo disse...

De acordo com a lei dos consignados o total dos débitos não pode ultrapassar 30% da renda.A Previ deixou esse limite ultrapassar 60% da renda.Não acredito que façam alterações que equilibrem de forma significativa essa enorme distorção a não ser por ordem judicial.

Anônimo disse...

Acho que o colega acima do dia 06.10.2015, das 20:33 hs se enganou quando diz que emprestimo com taxa prefixada só quando a inflação estiver domada ? o Banco do Brasil pratica emprestimo pre-fixado no cdc, atualmente está em 1,59% ao mes e mesmo que inflação dispare e vá para 10% ao ao mes ele ja esta prefixado o que não ocorre com o ES já que é pos fixado, o prazo maximo no cdc do BB é de 96 meses. E a prestação sendo prefixada cada ano que passa o valor da prestação não aumenta ao contrario do ES que depois de 12 parcelas pagas aumenta acompanhando o INPC acumulado em 12 meses. E ninguem solicitou dispensa da correção monetaria e sim dos juros, já que este emprestimo é feito com o capital dos associados. Uma das soluções que a PREVI poderia fazer seria captar dinheiro no mercado a taxa selic mas so quando ela baixasse pois agora está muito alta e este emprestimo seria repassado para os tomadores do ES sem lucros e com prestações prefixadas.

Anônimo disse...

Prezado sr. Zanella,
Permita-me uma atravessada, por favor,
Olá pessoal,
O ES representa no universo financeiro da Previ uma pequena parte que mal chega a 5% do todo. Não custa nada liberar para OS MULTINOMINADOS assistidos, empréstimos a custo de captação dos recursos. Valendo lembrar que contribuímos por muitos anos, já pagamos remunerações escorchantes decididas unilateralmente, na outra ponta sofremos achatamento dos benefícios, que estes empréstimo são para idosos e em consignação(risco zero).A possível falta de ganho certamente, não seria maior do que os prejuízos milionários obtidos na oscilação da renda fixa(Ai..nosso BET) ou nos empreendimentos notóriamente fracassados. Sei que é pecado mortal falar dessas coisas e irei queimar no fogo do inferno das dívidas para pagar os meus pecados de assistido ganancioso...Cês que sabem,abençoados...ôchente.

Anônimo disse...

Aproveitando o gancho do colega das 10:20, realmente não existe custo de captação para a PREVI fazer colchão para o ES, e, por conseguinte, ganha 100% de spread nas operações de empréstimo, eis que não precisa captar recursos no mercado, nos moldes dos Bancos. Nada obstante, adotam metodologia de cálculo (jrs.sobre jrs.) e praticam encargos mais cruéis que os praticados pela rede bancária. Alongamento das prestações, suspensão das cobranças e outros paliativos perversos, agravarão mais ainda o quadro de penúria financeira. Precisamos cobrar modificações nas regras do ES, que sejam coerentes com o perfil do público alvo, ou seja, os associados que contribuíram para formação do patrimônio da PREVI, de onde provêm os recursos para o ES. Que implantem fórmulas "opcionais" de amortização e de encargos, que mais se adequem à sua capacidade de pagamento, quais sejam, jrs. pré ou pós fixados, sistema SAC ou PRICE, prestação balão, etc. Da forma que está, o mutuário paga, paga e paga, e o saldo devedor aumenta, aumenta e aumenta.

Anônimo disse...

Como disse o anon 9.34 é estranho apenas o Marcel se pronunciar sobre alterações do ES a não ser que os outros diretores também estão sabendo e nem informam nada.

Anônimo disse...

Prezado Ari Zanella,

Não votarei. Não sou mais filiada há muitos anos, a partir do momento em que percebi que ela prestava um desserviço aos funcionários do bb. Confirmando meu julgamento, percebo que a maioria dos comentários que tenho lido no blog ultimamente trata da inoperância e da inutilidade da anaBB quando o assunto é a defesa dos interesses dos funcionários,aposentados ou pensionistas.
Assim, não entendo o interesse de alguns ou de pequenos grupos de pessoas possivelmente bem intencionadas em fazer parte de uma instituição que já está visivelmente degradada e desacreditada.

Anônimo disse...

A Previ deve apresentar alguma proposta para melhorar o ES. NAO E POSSIVEL Continuar assim pagamos todo mes um valor maior de ES e CARIM e todo mes o saldo devedor sobe!!!
Nao vai sobrar salario no beneficio de ninguem ACORDA PREVI!!!

Anônimo disse...

Professor ARI,

Alguém já falou em ANISTIA DO ES. Penso que essa seria a grande saída. Não é brincadeira, não.

Anônimo disse...

O POSTE SUBIU NO TELHADO

Anônimo disse...

Colegas,

Existe grande diferença entre as operações do BB e as da PREVI.

O primeiro é instituição financeira, com portfólio extenso de captação, empréstimos e financiamentos, de onde resulta, semestralmente, lucro estupendo. É que ele perde em uma e ganha em muitas, além de ter ações em bolsa, etc.

Já a segunda, como EFPC, esta contingenciada por uma série de normas somente aplicáveis a fundos.

Então não existe, do ponto de vista econômico-financeiro, como comparar suas atuações.

Anônimo disse...

Só se fala em ES, eleições ANABB, etc., nem mais uma palavra sobre negociações Cassi x BB, CPI dos Fundos de Pensão, parece que todos de repente esquecem o interesse coletivo e passam a olhar apenas o proprio umbigo. Tenho a convicção que tudo isso não passa de uma cortina de fumaça, a fim de desviar o foco dos assuntos que realmente interessam (passar a Previ a limpo, equacionar o problema da Cassi, melhorias nos valores pagos às pensionistas e aposentados, teto de beneficios, e tantos outros)

Anônimo disse...

Custo do ES
Taxa anual 5,5% a.a. É taxa atuarial
INPC é a correção do capital.
Previsto em lei e regulamentos dos fundos de pensão.
O ES é da área da seguridade. Quem se manifesta é o diretor de Seguridade. Simples e coerente com as boas práticas de administração.

Anônimo disse...

Eu não entendo, pela resposta dada, que haverá alongamento do prazo do ES. Entendo que será possível renegociar - via internet - os contratos vigentes que, em sua maioria, tem prazos inferiores ao novo modelo. Essa renegociação já está sendo feita por telefone, eles calculam e mandam um email com a resposta, aí os contratos - que antes eram de 96 ou 108 meses, passam para o novo prazo máximo de 120.

Anônimo disse...

Só vitórias.(Hino)

É só vitórias, é só vitórias, quando
O crente ora e pede à Deus é só vitórias...
É só vitórias...


Meu irmão se vc está na luta
dobre o seu joelho e implore a Deus
Se a luta é muito grande não desanimes
Insista com Jesus que a vitória vai chegar.


Não existe satanás que resista a sua oração
Ore a Deus pois é só vitórias.
Nem fique triste se Deus não te atender

Continue orando e jejuando que que a vitória vai
Chegar. É só vitórias... é só vitórias...

Amém.



Anônimo disse...

09/10/15 23:35

Seu comentário esta no blog errado.