BANNER

Acesse aqui!
atendimento@anaplab.com.br
Joinville/SC: (47) 3026-3937
S.J. Pinhais/PR: (41) 3035-2095

quarta-feira, 9 de setembro de 2015

FAZENDO O QUE ESTÁ AO NOSSO ALCANCE

            Recebo pelas redes sociais e repasso com o objetivo de resguardar nossos interesses perante à CASSI. Vamos assinar a petição. Não custa nada e pode fazer a diferença. Obrigado.

Caro colega,


Como você já deve estar sabendo, encontra-se em discussão  alteração muito relevante no relacionamento do Banco com a CASSI que pode resultar em irreparáveis prejuízos ao nosso Plano de Saúde e a todos os seus associados. Para aprovar tais alterações propostas pelo BB, a CASSI terá que previamente submeter consulta ao Corpo Social. 
Como há evidentes riscos de que tal consulta possa vir a ser aprovada (por pressão do Banco sobre os funcionários da ativa e por desconhecimento/desinteresse  de muitos colegas  aposentados), alguns colegas decidiram iniciar um abaixo-assinado com o intuito de solicitar aos membros do Conselho Deliberativo da CASSI a não aprovação de tal consulta,  impedindo, assim, que tal alteração seja colocada em votação pelo Corpo Social.

Para participar deste abaixo-assinado, clique no link em destaque ao final desta mensagem e preencha a informação de email que lhe será solicitada.

Repasse o presente email para outros colegas de forma a ampliar a representatividade do presente abaixo-assinado.

Para participar clique neste LINK:


Ou neste outro LINK: (ambos vão ao mesmo lugar)

16 comentários:

Anônimo disse...

plano de saude ou saude publica decente eh coisa p pais civilizado, ainda nao chegamos lah,estamos ensaiando, porisso tanto vaivem!

tarcisio augusto bulhoes martins disse...

Prof. Ari, bom dia. ACABEI DE ASSINAR. Tarcísio.

Anônimo disse...




"""FACEBOOK PODE AJUDAR SALVAR CASSI '''

Mestre, sugiro que os colegas divulguem o problema da CASSI nas
redes sociais. como penso fazer. Aliás, hoje mesmo tive notícia
sua no FACE. que é bom e barato !!! DivanySilveira-SeteLagoas-mg

Anônimo disse...

Lula diz que rebaixamento da nota do Brasil "não significa nada"
Por Agência Brasil | 10/09/2015 15:16 - Atualizada às 10/09/2015 15:18

Anônimo disse...

Eu já assinei e enviei este pedido para meus colegas aos quais mantenho contato.

Wanderley

Anônimo disse...

Emérito Professor ZANELLA:



Esse GOVERNO É RIDÍCULO em TUDO POR TUDO! Tem a DESFAÇATEZ de ALARDEAR aos QUATRO VENTOS, que o IPCA de AGOSTO/2015, foi o MENOR dos ÚLTIMOS CINCO ANOS, graças a EXPRESSIVA BAIXA DE 24,9% nas PASSAGENS DE AVIÃO! NÃO DÁ MAIS! O 192 (SAMU)vai PINTAR AQUI em CASA NESSES DIAS!

Anônimo disse...

Sr. Fernando Lamas, em postagem no mês de agosto o senhor comentou que abriu conta salário para receber seu benefício através dela, sem ser mais por SCR, e que iria recebê-lo em agosto mesmo. Gostaria de saber se deu certo, pois me encontro na mesma situação, abri a conta salário, fiz a alteração dos dados bancários no site da Previ, mas no dia seguinte apareceu a conta antiga, já encerrada pelo Banco do Brasil.Escrevi para a Previ relatando a situação e a resposta foi a seguinte: "Senhora Silvana, A sua nova conta já se encontra cadastrada. Porém, esta pendente de validação do Banco do Brasil. A validação deve ser efetuada pelo banco e não pela PREVI.
Permanecemos ÿ disposição.
GLORIA LUZ
Gerência de Atendimento
PREVI".
Isso é verdade, é o Banco do Brasil que valida a conta? Tenho que ir ao Banco para validar? Acho estranho porque a conta salário foi aberta direitinho, com senha e termo de Opção Bancária.
Agradeço imensamente qualquer ajuda.

Silvana Costa

Anônimo disse...

O molusco calado é um poeta!!!

Anônimo disse...

Fernando Baiano subiu no telhado e deixou um monte com o c..na mão

Anônimo disse...

Em 30 de abril de 2008, o então presidente Luiz Inácio Lula da Silva comemorou a elevação da nota de crédito do Brasil como o atestado de que, finalmente, o país era reconhecido como um "país sério". Naquela data, a agência Standard & Poor's colocou o Brasil na relação das economias com grau de investimento, ou investment grade, aquelas consideradas como boas pagadoras por credores mundo afora.
Nesta quinta-feira, Lula afirmou, em declaração dada na Argentina, que o rebaixamento "não significa nada". "Significa apenas que a gente não pode fazer o que eles querem", disse o ex-presidente. Na mesma linha manifestaram-se governistas como o deputado José Guimarães (PT-CE), líder do governo na Câmara. "Mesmo com esse rebaixamento, o Brasil ainda mantém um alto grau de investimento (sic). Se compararmos o grau de investimento externo (sic) no Brasil de Dilma, mesmo com o Lula e com o governo FHC, é muito superior", declarou o deputado.
A entrelinha do argumento é que as agências de classificação de risco erram muito, e erraram ao não antever a crise do sistema hipotecário dos Estados Unidos - que teve como grande marco a quebra do Lehman Brothers, ocorrida no dia 15 de setembro de 2008 (o mesmo ano da elevação da nota do Brasil). De fato, as agências erraram. E erram. Isso não significa que suas avaliações não sirvam como termômetro para investidores, credores, analistas e economistas. Dar de ombros para a avaliação feita pelas agências de rating não livra o país das consequências práticas de suas notas.
São as consequências que importam. Naquele mesmo 30 de abril de 2008 celebrado por Lula, a Bovespa fechou em alta de 6,3% e atingiu 67.868 pontos - sua maior pontuação na história até aquele momento. Esse recorde foi quebrado ao longo do mês seguinte - e não uma, mas dez vezes consecutivas. Tudo por causa da elevação da nota de crédito brasileira. Nesta quinta-feira pós-rebaixamento, a queda da Bovespa, de 0,3%, não foi expressiva, mas o dólar, que só olha para o céu há semanas, voltou a subir. Chegou a ser negociado por 3,91 reais e fechou a 3,85 reais - e já não são poucos os que consideram questão de tempo que ele passe de 4 reais. Dólar mais caro alimenta a inflação - que passa de 9%, lembremos - e aumenta a dívida de empresas brasileiras, para citar dois desdobramentos. Nota de crédito pior dificulta a tomada de empréstimo dessas mesmas empresas, as que precisam se financiar para poder investir e criar empregos - e o desemprego está acima de 8%, lembremos. Enfiar a cabeça no chão, como avestruz, não resolve nada. (Da redação)
Fonte:http://veja.abril.com.br/noticia/economia/quando-a-nota-sobe-agencia-de-classificacao-de-risco-e-boa-e-quando-cai-nao

Anônimo disse...

Mas esse nosso pessoal é devagar, quase parando.
Somente 5.050 assinaturas em um universo de mais de 100 mil aposentados e pensionistas...

CONTÁ SALÁRIO. .. OUTRA NOVELA disse...

Atendendo orientação da previ informando o final do pagamento do beneficio por orpag,
abri uma conta salário com transferência simultânea para CEF. E ja efetuei alteração no sistema da previ umas DEZ VEZES, nunca validada pelo BB.
EM razão da alegação da previ de que a agência teria que liberar a conta, voltei a agência que alegou ter a conta sido aberta normalmente e se existe algum impedimento seria a nível de sistema que estaria impedinďo.
Efetuaram consulta a área técnica do BB, solicitando que entrassem em entendimentos com a previ o que concordo.
E, novamente fazemos papel de palhaço. Na previ, não temos acesso a quem possa resolver o assunto. Ficamos restrito ao FALE CONOSCO COM AS RESPOSTAS PADRÃO QUE NADA RESOLVEM.
E AÍ. RECORRER A QUEM ?????
LUIZ

Anônimo disse...

Colega Luiz 10/09/15 22:51

Experimente uma denúncia direta ao Banco Central.

Pelo que tenho conhecimento as instituições financeiras resolvem "correndo" em 48 horas.

Anônimo disse...

Com noticias de que muitos médicos tem se descredenciado da Cassi, não se entende porque a Caixa de Assistência não credencia novos profissionais ou clinicas.
Uma clinica de radioterapia tem tentado o credenciamento e a resposta é que não está a Cassi homologando novos credenciamentos.
Ressalte-se que o postulante ao credenciamento já possui uma outra clinica -esta na área de tratamento oncológico e quimioterapia-muito bem conceituada e eficaz, credenciada junto à Cassi.
Os equipamentos de radioterapia - IMRT - são de ultima geração com prazos mais rápidos no tratamento e com custos(preços menores).
A Cassi prefere pagar preços maiores ao não credenciar a nova clinica ?
Isso é que não entendemos. Pode ser uma política de se evitar novos credenciamentos para redução de custos mas, se obtiver preços menores com um novo credenciamento, não teria o mesmo efeito, talvez melhor ?

Fernando Lamas disse...

Saudações cordiais a todos.

CONTA-SALÁRIO: CAMINHO LONGO
Prezado Professor Ari, estimados Luiz e Silvana, somente, agora, sexta, 11, li as mensagens. O caminho é longo e exige muito convencimento, mesmo.
De fato, em agosto, houve pequena falha e o meu Benefício Previ não foi para a conta-corrente registro(Resolução 3402, CMN). Resolvido isso, tenho mensagem da Previ, de que, em setembro, a minha "conta-salário" será inaugurada.
Ante as as alegações da Previ de conta, ainda, invalidada e sem movimento, respondi que a conta estava, sim, validada, mencionando o nome e o telefone do colega que, gentil e prontamente, atendeu-me, no BB, o dia e a hora da ativação e validação, pelo Gerente. Sobre a "falta de movimento", respondi que isso, obviamente, era de se esperar, porque essa conta aceita, somente, CRÉDITOS da Previ, o que ocorrerá, NO PRIMEIRO ENVIO desses créditos.
Fundamental é conferir, na Agência, se a conta-corrente registro está cadastrada no CRS do Sisbb. Pelo que entendi, haverá o acompanhamento do lançamento futuro.
Estou muito confiante e de olho nas mensagens da Previ, no aguardo do meu primeiro crédito, neste setembro, na conta-corrente registro.
Penso ser muito importante a Previ estabelecer um manejo mais simples e rápido, quanto a isso, porque gerou pânico em muitos a extinção do SCR, porque trata-se de ver em perigo A MANUTENÇÃO MÍNIMA DA SEGURANÇA DA FAMÍLIA, ante o imediato aprovisionamento, pelo BB, de compromissos contratados.
Insistam, colegas e argumentem, porque o tempo é curto.

Grato por tudo e PAZ E BEM!

"O anjo do Senhor disse a Elias(E a mim e a você): 'Levante-te e come, porque o caminho é longo."
1Rs 19,1-8

Anônimo disse...

Sobre a conta salário:
Fiz o seguinte e consegui:
Vá à agência onde abriu a conta salário e diga que, por orientação recebida da Previ a agência deve acessar o sistema e fazer o "desbloqueio" da conta salário. Posteriormente, vá no site da Previ e altere a conta.