BANNER

Acesse aqui!
atendimento@anaplab.com.br
Joinville/SC: (47) 3026-3937
S.J. Pinhais/PR: (41) 3035-2095

quarta-feira, 15 de julho de 2015

O BB QUER NOS DEIXAR SEM SAÚDE

       Nesta sexta-feira, no período da tarde, o debate na AABB de Balneário Camboriú-SC será com a presidência da CASSI. Ótima oportunidade para debatermos sobre os perigos que nos rondam referentes a ameaças veladas de quem está tentando "sair de fininho", ou seja, transferir responsabilidades que assumiram desde que a CASSI foi criada. A seguir um resumo feito pela FAABB da nossa Isa Musa que está interlocutando nas rodadas de "negociação".

  
NEGOCIAÇÃO CASSI
Resultado da Reunião de 10/07/2015 – Avaliação da FAABB
Matéria de Isa Musa de Noronha - Belo Horizonte - 11/07/2015

Foi realizada em 10 de julho nova reunião de negociação sobre a sustentabilidade da Cassi entre o Banco do Brasil e as entidades representativas dos associados.
O principal objetivo da reunião foi ouvir as respostas do BB a respeito dos questionamentos feitos pelas entidades na reunião de negociação realizada em 8 de junho, no Rio de Janeiro.
Em relação à possibilidade de melhorias no percentual de 0,99%, que seria acrescido à contribuição mensal do BB para os ativos, com a finalidade de constituir e manter a reserva necessária para arcar com a contribuição de 4,5% da folha de pagamento dos aposentados atuais e futuros, o Banco informou que pode, sim, refazer o cálculo.
Entre as melhorias possíveis estão a utilização da Tábua de Mortalidade que é usada pela Previ – a AT-2000 suavizada –, assim como a utilização da mesma taxa de juros da Previ, que é de 5%.
Com estas duas providências, o Banco afirma que a contribuição adicional de 0,99% para os ativos será elevada para um percentual maior, ainda não informado.
O BB acrescentou que poderá ser incluída no acordo a ser firmado com os associados a previsão de se reavaliar periodicamente o percentual dessa contribuição, considerando-se eventuais mudanças nas premissas que embasaram a sua definição, como, por exemplo, Tábua de Mortalidade e taxa de juros.
Quanto à possibilidade de o BB investir recursos na implementação das medidas estruturantes, estimadas em 150 milhões de reais, o Banco informou que, se aprovada a proposta de retirar a obrigação da instituição financeira constituir as provisões referentes as obrigações no pós laboral previstas pela Resolução CVM 695, é possível haver aporte extraordinário do BB para viabilizar a implementação das ações estruturantes, com um rígido controle, a ser definido em mesa de negociação, para garantir que os recursos sejam aplicados, de fato, nas ações estruturantes, e não no custeio normal da Caixa de Assistência.
Em relação a eventuais déficits futuros, relativamente à parte que competir aos associados, o BB concordou em apresentar proposta de utilização apenas da proporção de renda de cada associado, deixando de utilizar critérios como faixa etária, grupo familiar (dependentes) ou utilização no período do déficit.
A proposta anterior do Banco, na visão dos negociadores dos associados, quebrava o princípio da solidariedade.
Apenas a título de exemplo, o BB fez uma simulação, utilizando esse critério, sobre o déficit verificado em 2014, de R$ 177 milhões.
Nesta simulação, o rateio do déficit apenas entre os associados corresponderia a uma contribuição extra de 0,88% do salário durante 12 meses.
Quanto à possibilidade de o BB participar do rateio de eventuais déficits futuros, a resposta foi que isso também é possível.
Mas que é preciso estudar a melhor forma de se fazer isso, para não manter o Banco obrigado a fazer as provisões com as obrigações no pós laboral previstas pela CVM 695.
Os negociadores dos associados ficaram de discutir com suas bases as informações apresentadas, reiterando o posicionamento unânime de que é imprescindível a manutenção da responsabilidade do patrocinador Banco do Brasil com a garantia de cobertura para ativos, aposentados, dependentes e pensionistas.
Nova reunião de negociação foi marcada para o dia 24 de julho.

AVALIAÇÃO DA FAABB

1.      O BB insiste na sua tese inaceitável de livrar-se dos compromissos pós laborais.
2.      É importante salientar que a negociação foi aberta tão somente para discutir a maneira de resolver o déficit CASSI e eventuais aportes para a implantação da extensão, para o conjunto dos associados, do Modelo de Atenção Integral à Saúde, baseado na Estratégia Saúde da Família (ESF).
3.      Tais medidas estruturantes, se implantadas, objetivam prevenir déficits futuros.
4.      O que se observa é que o representante do BB se aproveita da fragilidade atual de nossa Caixa para tentar empurrar a responsabilidade atuarial que é do Banco do Brasil para a CASSI.
5.      O Banco acena que está disposto a ceder em vários pontos se fizer valer sua intenção de livrar-se dos compromissos pós laborais.
6.      Assim, aventa possibilidade de participar de rateio de déficits e até de aumentar os 0,99 adicionais.
7.      Sinaliza que pode ceder aqui e ali se conseguir se livrar da obrigação da provisão regulamentada pela Deliberação CVM 695/2012.
8.      Segundo os princípios elencados na Assembleia Geral da Federação, a FAABB à mesa tem mantido a orientação de que em nenhuma hipótese devemos aceitar assumir uma responsabilidade que é do BB.
9.      Para nós, aposentados, a responsabilidade do BB é cláusula pétrea, inegociável e a FAABB não está autorizada a assinar nenhum acordo que signifique abrir mão dessa cláusula.
CLÁUSULAS PÉTREAS SIGNIFICAM CONSENSO DE AMBAS AS PARTES QUE VEM DESDE OS PRIMÓRDIOS DA FUNDAÇÃO.  "PÉTREA" VEM DE "PEDRA", ISTO É, ALICERCE USADO NAS FUNDAÇÕES ESTRUTURAIS QUE OS ENGENHEIROS TÃO BEM CONHECEM. ESTÁ BEM CLARA A INTENÇÃO DO BB EM PREJUDICAR OS VELHINHOS INDEFESOS (PÓS-LABORAIS). SÓ JESUS NA CAUSA.

41 comentários:

Rubens disse...

ATENÇAO COLEGAS QUE MORAM NO BALNEARIO CAMBORIU E REGIÃO A REUNIAO E DIA 17 DE JULHO, OU SEJA, NESTA SEXTA-FEIRA, EU NÃO PODEREI IR, POR MOTIVOS FINANCEIROS, MAS QUEM PUDER, PODERIA LEVAR OU FAZER CARTOLINA E EXPOR MOTIVOS DA IDA DE CADA UM, TAIS COMO E A NOSSA CASSI? COMO FICAM O NOSSO ADIANTAMENTO DE 7 A 10%, ETC, PORQUE NÃO COMPARECENDO, ELES (PRESIDENTE GUEITIRO E MARCEL E DIRFETOR DA CASSI, VÃO ACHAR QUE ESTA TUDO EM ORDEM, POR FAVOR COLEGAS APOSENTADOS E PENSIONISTAS, A HORA É AGORA, REFLITAM E REPASSEM. OBRIGADO, colega do Norte do Paraná.

Anônimo disse...

''QUEM COME A CARNE FICA COM OS OSSOS'''


Mestre, ninguém precisa ser erudito em política para ver que o Banco
do Brasil, que era considerado como uma mãe até pouco tempo atras ,
quer agir como os antigos colonizadores, que reagiam negativamente
quando os nativos começavam a exigir escolas, hospitais, luz,etc ,
e procuravam forçar situações para deixar sua vítima bem esfoliada e
ir embora. Segundo o blog o banco está disposto a ceder se ficar li-
vre dos compromissos pós-laborais. Entendi o jogo e é uma jogada in-
teligente, alíás, os alemães fizeram isto fazendo churrasco dos
velhos de lá e vizinhanças. Não quero baixar o nível, mas quando você
contrata um jovem para prestar serviços e se este jovem se dedica a
ponto de envelhecer no emprego, é claro que providencias visando os
cuidados com este servidor no futuro teriam de ser garantidas. Fri-
ze-se que fomos contribuintes do plano de saúde e a nossa inscrição
foi obrigatória. É interessante que o BB não queira deixar a PREVI !
Gente,que saudades do Camilo Calazans. Divany Silveira- S. Lagoas-

Fernando disse...

Prof Ari, todo mundo sabe que a medicina está cara, os aparelhos mais sofisticado, mas não exime, a Cassi e o BB de lastrear os custos. Tem colega que nunca usou a CAssi. Tudo bem, uns pagam pelos outros.NO começo, era 1%, foi aumentando, participação em exames, etc. Arrumaram uma cobrança de atrasados de 04 a 05 anos sobre procedimentos, consultas, tudo descontrole total. Pagamos sem chiar. Agora o BB quer extrair do plano, por canetaço, com a lei na mão, os ex-funcionários. Que baixaria, e que falta de pudor. Não podemos aceitar de maneira alguma. Faz parte , como jah li nos blogs, do contrato de trabalho. CASSI

Antonia disse...

Prof. Ari,
O BB não pode ignorar que o pessoal da ativa que ganha menos, contribui menos e ele terá que subsidiar essa diferença. A Cassi não pode arcar com essa despesa sozinha.

Anônimo disse...

Com a liberação do contra chequei nossos sonhos

Anônimo disse...

Emérito Professor ZANELLA:

Que tal LEVARMOS PANELAS, para a Reunião em Camboriú?

tarcisio augusto bulhoes martins disse...

Prof. Ari, hoje não digo bom dia. Acho que se deve, com a competência do Senhor, Dr. Medeiros, Dr. João Rossi e de tantos outros colegas existentes em nosso meio, partir para a JUSTIÇA. NÃO HÁ OUTRO CAMINHO. POR INCRÍVEL QUE PAREÇA A ALTA CÚPULA DO BB., DEVERIA OLHAR PARA TRÁS E RECORDAR DE ONDE COMEÇARAM AS SUAS BRILHANTES CARREIRAS; MENORES APRENDIZES E POR VIA DE FATO, VALORIZAR A EMPRESA BB., QUE JÁ FOI INQUESTIONÁVEL E RESPEITADA....JÁ FOI. Mudando o assunto, a fopag já está no sistema.......sem os chorados 7%. Tarcísio.

Anônimo disse...

Se o BB me mandar crachá vou devolver na hora.PALHAÇADA!

Marcelino Maus disse...

Não tem jeito não.
Criança pobre, Azulão, Políticos dos PPezinhos, facilmente se lambuzam com o primeiro favo.

Só tem UM remédio para salvar o BB+PREVI+CASSI: CPI dos Fundos de Pensão para ELIMINAR AS RATAZANAS PeTralhas. http://www.bancariospb.com.br/index.php/banco-do-brasil-bancos-53/16634-previc-manda-fixar-beneficio-maximo-mas-previ-continua-sem-teto

O Brasil foi SAQUEADO - a situação é pior do que em 1964.

Anônimo disse...

Ao que parece, os representantes do BB se pautarão pelos ditames da cartilha do governo; são mensageiros, e, por conseguinte,não tem alçada para deliberar sobre o assunto, limitados a levar e trazer recados. Assim, passamos o seguinte recado para os mesmos encaminharem aos seus chefes sediados no Palácio Planalto: não concordamos com a retirada da obrigação do BB prevista na CVM 695/2012, bem como lançaremos mãos da judicialização, se acaso o mesmo se eximir unilateralmente de tal obrigação.

Anônimo disse...

Acredito q a paciência do bebê guloso esperar a VELHARADA morrer para se apossar da grana da Previ, chegou ao fim. Tirando-nos a Cassi eqüivale a desligar os aparelhos de um doente que necessita dos mesmos para permanecer vivo.
Tudo isso num governo "socialista". Já imaginaram se fosse capitalismo selvagem?

Agradeçam formalmente aos dirigentes esse empurrãozinho que querm nos dar para o além. Todos de crachá!


ESSA É A INTEGRAÇÃO COM OS APOSENTADOS?

TÔ FORA!


Anônimo disse...

Quantos mais stressados os aposentados e pensionistas mais óbitos ocorrerão, todos os estudos médicos dizem que o stress por falta de dinheiro é um fator importante para diminuir a longevidade, logico que quantos mais óbitos ocorrer menos dispêndio com a PREVI E CASSI.

Anônimo disse...

http://g1.globo.com/jornal-hoje/noticia/2014/03/estudo-mostra-que-falta-de-dinheiro-afeta-mais-saude-do-brasileiro.html

Anônimo disse...

Totalmente verdade o titulo que o Banco do Brasil quer nos deixar sem saude porque para uma grande parte dos aposentados e pensionistas já deixou sem dinheiro. A regra é reduzir os beneficios ao minimo que puder, lembram dos anuenios que foi extinto ? Plano de carreira que foi exinto tambem e criado outro, cada vez mais eles vão tirando um tiquinho aqui, outro acolá e quando percebemos já não temos mais nada. Este é o futuro dos aposentados, pensionistas, inclusive os da ativa que não percebem que eles estão jogando contra eles mesmo.

Valim disse...

Professor Ari Zanella,

Deixa o Banco tirar a CASSI, o silêncio é uma arma, responderão caro depois. Quem não acredita na justiça que se mate.
Nunca deixaria você como único opinador a favor dos MILITARES. Os egoístas, os que só enxergam dinheiro, ficam na sua insignificância. Ari Zanella torço para que os MILITARES retornem, não que eles sejam anjos, mas ao menos são muito melhores dos que aqui nos deparamos. Não existe anjos somente de um lado e capetas somente do outro.

As situações são muito bem misturadas, mas não dá para ver mais um homem de cuecas de dólares falando em honestidade, dentre outros mais, com blá, blá, blá.

Parabéns pela postura de coragem, nem digo coragem, pois no momento em que estamos ninguém sabe quem é quem, e quem tem cccccc tem medo.

Parabéns.

OBS: Milhares de desculpas, mas sou jovem ainda e tenho muito que aprender, mas admito que o tom das minhas palavras poderiam ser melhores, mas como disse, estou estupefato com os Conselheiros, e os nossos Diretores.
Eles a partir de agora não me representam mais, só mudarem radicalmente suas posturas.

Fernando Lamas disse...

Saudações cordiais a todos.

"O BB QUER-NOS DEIXAR (MAIS)SEM SAÚDE"
Prezado Professor Ari e demais colegas, emprestei o título da postagem para este comentário, com o acréscimo do "(MAIS)", porque muitos vimos a saúde diminuir, certamente, por esse clima de pânico, de perigos e de muitas incertezas, há muitos anos, na nossa comunidade, o que fere, seriamente, sobretudo, os idosos.
Mas, Professor Ari e colegas, penso que a perda maior é a da alegria. Penso, também que, jamais, a sociedade devia permitir ou, pior, produzir, a perda da alegria, o desaparecimento do sorriso, sobretudo, nas crianças e nos idosos, embora ninguém mereça tais perdas, a perda da alegria e do sorriso.
Vale lembrar que, na nossa comunidade, quase ninguém está isento das consequências da atrelagem da gerência da Previ aos interesses governamentais nocivos/predatórios.

Grato por tudo e PAZ E BEM!

Graças a Deus, há esperança: "Ninguém fique triste, pois a alegria do Senhor É A FORÇA DE VOCÊS."
Neemias 8,10

Anônimo disse...

Colega Ari,
Uma suspensão de cobrança de prestações do Es, em agosto, setembro e outubro, seria bem vinda, acredito que para muitos. Em novembro já teríamos o 13º salário. Será que há possibilidade?

Anônimo disse...

ES antes tinha atualização anual até agora nada , MC mexeram só no que é para nos ferrar , enquanto isso no palácio td vai muitíssimo bem .

Valim disse...

Se o Ari Zanella me permitir, coragem eu sei que tem.
Mas como meu pai falecido já dizia: Lugar de homem corajoso é no cemitério, mas como a morte não existe, isso ele não sabia.

PUBLIQUE ARI ZANELLA...

Do filósofo e jornalista Olavo de Carvalho, no face, dois parágrafos de profunda reflexão para a Elite Moral do Brasil:

"Por que nem mesmo o Roberto Campos, o José Guilherme Merquior e o Paulo Francis, dizendo tanta coisa certa e com tanto brilho, conseguiram quebrar a hegemonia esquerdista, limitando-se a irritá-la? Resposta (1) Não acertaram o tom, isto é, não foram suficientemente desrespeitosos. (2) Atiravam em alvos de ocasião, sem um plano geral de ataque. (3) Falavam de erros menores, sem ir ao fundo da MALDADE esquerdista. Cumpriram sua vocação, que nunca foi a minha".

"Durante trinta anos de vigência da hegemonia intelectual da esquerda, todos os direitistas, sem exceção, ficaram encolhidos de medo, inermes e atônitos, incapazes da menor reação efetiva, no máximo resmungando um pouco em circuito fechado. Aí veio um sujeito e, sozinho, deu cabo dessa hegemonia. Então os ratos começaram a sair das suas tocas e, num surto de coragem tardia, puseram-se a roer o cadáver da falecida com ares de quem enfrentasse um inimigo vivo, e a rosnar impropérios contra o matador da desgraçada, dizendo que ele não tinha feito nada de mais, que era apenas um astrólogo embusteiro, um gnóstico alucinado, talvez até um comunista enrustido. Essa é a biografia mental da direita brasileira nas últimas décadas. Não espanta que essa gente, mesmo secundada por noventa e dois por cento da população, não consiga derrubar um governo caquético e moribundo".

Anônimo disse...

Prezado Ari,
As associações, ou sómente a FAABB deveria pensar URGENTEMENTE na hipotese de impetrar Mandado de Segurança preventivo, porque essa obrigação do BB junto `a CASSI é IMEXIVEL E INEGOCIAVEL/////

Anônimo disse...

Emérito Professor ZANELLA:

Quero ver quais são as FALSAS PROMESSAS que farão para nós, na Reunião de CAMBORIÚ. objetivando que o CALDEIRÃO FERVENTE chamado PREVI, NÃO EXPLODA AGORA, só UM POUQUINHO MAIS ADIANTE.

Anônimo disse...

Colegas,

Há tempos li em um blog, não lembro em qual foi, mas vou tentar repetir o que estava escrito:

" somos aproximadamente em 120.000 aposentados, destes uns 5% estão bem servidos financeiramente, claro, muitos por terem continuado trabalhando como engenheiros, advogados, executivos, outros. Uns 10% estão em situação razoável, muitos aposentados como comissionados. 35% estão no limite, se se mexerem a água cruza o queixo. Aí vem o pior, porque uns 45% estão beirando a inadimplência sem a possibilidade de financiar o que quer que desejem, muito menos o ES (diria EC = C de complicado). 3% estariam atingindo o bolsa fome e os 2% restantes chegando as raias da loucura. "
Fico a pensar que 2% ou seja 2.400 estariam meio que dispostos a usar a loucura.
Se ficar com 10% dos que estariam dispostos a usar a loucura, teremos 240 (DUZENTIOS E QUARENTA) indivíduos em ponto de arremeter fisicamente contra tudo e contra todos.
Desejo estar errado, mas nosso país está à beira de uma convulsão civil e os que estiverem em condições de penúria, não se conterão em descontar sua má situação em dirigentes menos protegidos e quiçá nos mais protegidos.
Você consegue apertar um gato no canto de uma parede até que o mesmo não vendo uma saída irá lançar-se contra seu opressor.
Talvez o pequeno texto sirva para alguma reflexão...
Abçs em fraternidade

Anônimo disse...

Pior é que o colega das 15:19 tem toda razão.
Vai haver pressão e vão nos enganar com promessas que não serão cumpridas,como tem acontecido.Somos peso morto,hoje,mas já fomos sustentáculos do Banco,quando foi conveniente para ele.Hoje as conveniências vão para os abutres que já comeram tudo e agora querem comer o pouco que nos restou...

João Trindade

Anônimo disse...

Alguns colegas precisam parar de acreditar em tudo mal sai o boato.Não neste blog mas em outros já estavam contando como certo os 7%.É preciso mais cautela.

João Rossi Neto disse...

ALTERNATIVA VIÁVEL.
Caro Ari e colegas,
Transcrevo abaixo, cópia da mensagem enviada à Presidência da PREVI.

De:jrossineto1@uol.com.br
Para:presi@previ.com.br Cópia:Cópia oculta:Assunto:
Data: 11/07/2015 - 11:28

Sr. Gueitiro Matsuo Genso
DD. Presidente da PREVI.

Senhor Presidente,
ALTERNATIVA VIÁVEL

Enquanto essa Diretoria Executiva não resolve de forma definitiva a questão do Empréstimo Simples, com a aplicação da fórmula 180/180, poderia mitigar o grave endividamento dos associados junto aos seus credores, com a SUSPENSÃO provisória das prestações deste empréstimo simples, pelo prazo de 12 meses, a iniciar no mês de agosto/15.

Obviamente, que o valor da dívida iria aumentar pela inexorável ação multiplicadora dos juros, todavia, vencidos os 12 meses, implantar-se ia o prazo de 180 meses e o montante devedor seria dividido em 180 prestações iguais e sucessivas e os descontos mensais retomados, inclusive as novas prestações seriam inferiores as que pagamos hoje.

O que se pleiteia nada mais é que uma simples compensação. O BET que foi cortado vinha pagando as prestações do empréstimo simples, de modo que o corte abrupto desse benefício temporário, 12 meses antes do seu vencimento nos deu um calote em dinheiro suficiente para quitar 12 parcelas do ES.

Assim sendo, é justo remediar a brutal perda financeira que nos imputaram, concedendo a SUSPENSÃO das prestações do empréstimo simples, ficando claro que o deferimento da proposta (Suspensão ou prorrogação) não representará reposição dos prejuízos sofridos, mas uma postergação apenas para aliviar os rendimentos depauperados.

Impende ponderar que os efeitos adversos conjunturais da economia mundial embasaram a defesa dessa Diretoria Executiva, isentando-a de culpa pelos pífios superávits de 2013 e 2014, inquestionavelmente insuficientes para cobrir os 25% da Reserva de Contingência.

Provando que a recíproca não é verdadeira, essa Diretoria lançou olhar diferente sobre a quesito culpabilidade, direcionado ao Corpo Social, acusatório, e os mesmos argumentos “CONJUNTURAIS” não serviram de justificativas para nós, associados, e fomos julgados culpados e condenados a pagar a conta, cuja pena aplicada foi o corte do BET e a volta da contribuição. Este é um caso típico de ditadura nos moldes do “faça o que eu mando e não faça o que eu faço”!

Coisa esdrúxula, irracional e absurda é a falta de sensibilidade e bom senso do Diretor de Seguridade, pois na qualidade de nosso empregado e gerindo os nossos recursos, nega-nos o ES e cria embaraços burocráticos com regras estapafúrdias e inaceitáveis, com prazo de reposição curto que eleva o valor das prestações, esterilizando o valor líquido dos benefícios. Se estivesse na iniciativa privada e trabalhando para um banqueiro e negasse empréstimo para a pessoa física, dona do dinheiro, fatalmente seria posto no olho da rua.

Finalmente, a implementação da suspensão dependeria da manifestação favorável de cada devedor, portanto, seria opcional.

Anônimo disse...



PAI ou PADASTRO?

Esse tal programa de aposentadoria incentivada do BB, agora denominado PAI 2015 (antes era PAI 45, PAI 50...), deve ser mais uma armadilha contra o Plano 1.
Por que Previ incentiva tal programa, se esse a levará a desembolsar um valor muitas vezes superior do que aquele que passará arrecadar do associado após sua aposentadoria? Acredito que o Banco queira se livrar de todo o contingente do Plano 1, dos que ainda tem em seu quadro, para aí sim, com a forcinha dos sindicalistas e diretores nomeados, usar de um artifício "legal" para usufruir dos bilhões que estão tão pertinho de suas garras.
Daqui mais aluns anos saberemos o que realmente querem fazer com o patrimônio do Plano 1.

Anônimo disse...

Pior que eu tou achando que o Kung Fu, que corre 12 Km por dia, fez acordo com o bebê guloso para daqui determinado tempo eles racharem a grana da Previ.
Com a idade que tem, essa saúde, quando aposentar, será beneficiário do PB1 sozinho.

É o presidente da escuridão

Anônimo disse...

Solicito a todos de chamarem os abutres de coelhinhos.

Acredito para aqueles que possuem mães, coitadas, estão chorando copiosamente em suas saias. É uma mensagem subliminar em cima deles. Eles já perderam as forças, estão subjugados ao SFN.

No debate do "GRANDE" Levy, medroso, sem coragem, rato, não possui coragem de mexer no mesmo SFN, onde o BB sem risco algum através de tarifas paga suas despesas com o funcionalismo e ainda sobra 60 bilhões sem risco algum bem estudado, como a SETE BRASIL...
Este blog é para corajosos, não para quem fica de oratória com péssima retórica. Desculpe-me, oratória o que diz; retórica, como se diz. Ambos fraquíssimos. Vamos deixarmos de sermos infantis, daqui a pouco, aceitaremos pirulitos, espelho, jujuba. O dinheiro é nosso, droga!..

Chega de blá, blá, blá, o país pegando fogo e vem com estória em cima de estória para jogar fumaça e ir enchendo-nos de ilusões.

Anônimo disse...

colegas.

Se pagando uma prestação exorbitante do tal famigerado EMPRESTIMO SIMPLES, já estamos muito sacrificados, pois, tendo pago l0 prestações o saldo devedor está quase inalterado. Imaginem suspender os descontos por alguns meses. Aí é que nunca teremos márgens para contratação de novo empréstimo. Ou seja, teremos uma dívida para o resto de nossas vidas.

Anônimo disse...

A transparência é fundamental, em relação a Cassi, antes de aportes financeiros temos que achar os ralos, vejo muita conversa e poucos resultados, é difícil encontrar alguma coisa séria começando pela proposta do banco que de tão ridícula nem merece comentários, seria muito didático a evolução gráfica dos custos, atenção especial para as clinicassis estranhamente defendida por essa diretoria sindicalista (quase uma blindagem), gastos com pessoal, a tradição da boquinha é característica dessa gente, não acho a solução difícil, me parece até muito fácil, um bom "encanador" fecha esses ralos, uma auditoria é necessária.

Anônimo disse...

SOCORRO!!! Presidente Gueitiro, acolha a sugestão do Sr.Rossi, suspenda as parcelas do ES por 12 meses, estamos suplicando não temos mais saída, nem os 7 % saíram, precisamos de uma solução, não é possível gratificações de 500 mil por fazerem os associados passarem fome.

Anônimo disse...

colegas,

Previnam-se com advogados das associações para ressalvar seus direitos à saúde!
Associações impetrem mandados de segurança preventivos contra a hedionda atitude do Banco do Brasil, em cortar compromissos assumidos com seus funcionários, via contratos de garantia de plano de assistência à saúde.
Saudações preocupantes.

Anônimo disse...

Obrigada João Rossi por expressar com tanta categoria uma alternativa saudável para tantos de nos! Obrigada presidente Gueitiro, por atender tao prontamente a esta solicitação! (Projetando positivamente) para uma boa notícia.

Marco Orlando disse...

Parabéns Rossi,

Excelente postagem!

Havia pensado hoje em sugerir algo parecido, como suspender as parcelas do ES por 6 meses e ao fim do prazo implantar o limite de R$ 160.000,00 X 160 meses.

Implantar sua sugestão depende apenas de bom senso dos dirigentes, pois não acredito haver empecilhos legais, burocráticos ou contábeis para o atendimento do pleito.

Acredito que 12 meses de suspensão dos débitos das parcelas é o melhor remédio para todos os participantes, pois haveria um alívio mensal e proporcionaria uma oportunidade para uma readequação orçamentária de cada um.

Após os 12 meses de suspensão, quando da renovação poderiam ser estabelecidos novos critérios para a renovação dos empréstimos, inclusive tornando definitivo os tetos estabelecidos.

Um grande abraço.

Marco Antonio Orlando

Fernando Lamas disse...

Saudações cordiais a todos.

NA PRIMEIRA PESSOA DO SINGULAR
Prezado Professor Ari, o colega Dr. Rossi prescinde de defensores, exceto o Altíssimo, mas ficou bem claro que a sua oportuna sugestão de suspensão do ES será O P C I O N A L, se deferida, cf. o último parágrafo.
Portanto, não há que se falar no plural("teremos..."), como fez o respeitável colega acima(18:47h).
A proposta do Dr. Rossi orienta a resposta, na primeira pessoa do singular: eu aceito ou eu não aceito, concorda?
Grato por tudo e PAZ E BEM!

"Quem é de Deus, ouve as palavras de Deus."
Jo 8,47

Anônimo disse...

Ufa !!! Ainda bem que é opcional.
Não foi boa a ultima suspensão no ES. As mudanças foram para pior.
Prefiro a devida correção no limite (9/10%) e 120 meses de prazo, já que 180/180 será negado, como já foi.
Cada um sabe o que é melhor para sí, mas pensem bem.
Não supliquem, não agradeçam.

Anônimo disse...


Alguém já viu bandido se declarar culpado.

Só ha um caminho: bater as portas do Judiciário.

Não acredito nessas consultas. Por que será?

Anônimo disse...

Ari Zanella.

Este blog está de parabéns. Este sim é um blog isento que está bombando.
Parabéns.

OBS: Vou trabalhar um texto profundo sobre este "blog sem fumaça" que o atrapalhe.

Valim disse...

Prezado Ary Zanella

Parece-me que só existem babões. Uma das piores coisas para o povo, e nesta me incluo, somente no sentido de opinar sem saber ao fundo o que está por trás de tudo, quem é quem.
O aprendizado é impossível sem o direito de errar e sem uma longa tolerância para com o estado de dúvida. Mais ainda : não é possível o sujeito orientar-se no meio de uma controvérsia sem conceder a ambos os lados uma credibilidade inicial sem reservas, sem medo, sem a mínima prevenção interior, por mais oculta que seja.

Até hoje sobre a Consultoria de autoria da Cecília Garcez nada foi falado, o que lhe oriento, sem humildade, pois este é meu ponto de vista, e aqui as personalidades íntimas de ego são de altíssimo grau. Nada de humildade.

Voltando, estão lhe queimando, sem você ou não, tudo eu não sei. Guardarei este como outros recados e e-mails para verificar se estou errando ou não? Caso esteja, aí sim, possuo a humildade de falar que visualizei politicamente errado.

Comigo não existe dividir para governar, hoje mesmo volto ao blog do Medeiros e caso ele não poste tirarei minhas conclusões de mais uma peça de teatro.

Valim.

Anônimo disse...

Será que o presidente Gatilho vai apertar o dedo? O cano está na nossa cabeça...


Outra coisa: vamos torcer novamente contra o Flamengo. Vê-lo perder é melhor q sexo

Anônimo disse...

Concordo que o Banco do Brasil não pode cortar compromisso de garantia de Plano de Saúde CASSI, firmado conosco quando de nossa posse no Banco na época OBRIGATÓRIO, isso é ilegal, peço maiores informações sobre MANDADO DE SEGURANÇA PREVENTIVO.