BANNER

Acesse aqui!
atendimento@anaplab.com.br
Joinville/SC: (47) 3026-3937
S.J. Pinhais/PR: (41) 3035-2095

segunda-feira, 29 de junho de 2015

RELACIONAMENTO INCESTUOSO

      Ouve-se amiúde dentro da PREVI que ela é uma namorada muito cobiçada. Não há empresa brasileira que não queira flertá-la, evidentemente por interesse financeiro. Contudo, o maior galanteador é seu patrocinador, um pai guloso que egoisticamente quer tudo primeiramente para si. Os pobres associados são considerados estorvos que têm que lutar leoninamente, sem sucesso, para ter seus direitos reconhecidos. Ora, como o BB é uma estatal, seu "dono" (Governo Federal) utiliza-se dele para extrair o máximo de seu fundo de pensão. Por isso, as melhores cabeças do patrocinador estão dentro da PREVI para impor sua vontade voraz, contando, não raro, com a "colaboração" de eleitos vira-casacas do tipo Marcel Barros e José Ricardo Sasseron.
       No Conselho Consultivo, o menos influente entre os conselhos do fundo, o Banco coloca diretores e superintendentes regionais, caso de Tarcísio Hubner. Já os eleitos Waldenor Moreira Borges Filho e seu suplente Luiz Roberto Alarcão estão sempre ao lado do patrocinador apoiando o estupro. Quem sempre dá murros em ponta de facas sou eu, o Paulo Roberto Pavão e o meu titular, o Ângelo Celani, que infelizmente se encontra incapacitado de comparecer às reuniões por problemas de saúde.
       No dia 17 de julho as Afas da região sul promovem o tradicional encontro na AABB de Balneário Camboriú com as presenças já confirmadas do presidente Gueitiro e como sempre, o Marcel. Presente também estará a presidente da CASSI que o Banco considera uma filha bastarda. Em BC moram inúmeros aposentados que espero, assim como de cidades circunvizinhas, estejam lá para lotar o salão da AABB e nos ajudar nas cobranças à PREVI. Sem a união de aposentados e pensionistas, isto é, sem pressão, como faz a máquina lava jato, ficaremos cada vez mais desamparados e descalços. Eu estarei lá "incomodando" os "homi". Venha conosco você também!
CRÉDITO DESTA CHARGE BLOG  DOUTOR MEDEIROS

61 comentários:

Adaí Rosembak disse...

Caro Ari Zanella,

Não gostei da expressão de que "o BB é uma estatal, seu "dono" (Governo Federal) utiliza-se dele para extrair o máximo de seu fundo de pensão."
Temos de parar de uma vez por todas de dizer que o fundo de pensão (PREVI) é do BB. O FUNDO DE PENSÃO PREVI É DOS ASSOCIADOS !!! TEMOS DE DEIXAR ISSO BEM CLARO PARA ESSES BUROCRATAS BABA-OVO COLOCADOS PELO GOVERNO E PELO BB PARA GERIR RECURSOS QUE SÃO NOSSOS!!! VÃO ACABAR ROUBANDO NOSSO PATRIMÔNIO COMO FIZERAM COM AERUS, POSTALIS E TANTOS OUTROS.
Outro dia um colega do CODEL da AAFBB (Nelson) me corrigiu com muita propriedade: "-Nunca repita essa expressão aposentados ou assistidos da PREVI. Somos ASSOCIADOS DA PREVI. Somos os DONOS da PREVI".
O PT conseguiu nos desencantar a todos e colocar este país de cabeça para baixo.
Mas ainda há tempo de não permitir que eles quebrem O PAÍS de vez.
Precisamos reagir a essa esculhambação e enxotá-los do poder nas próximas eleições.
Adaí Rosembak

Edmilson lopes de sousa disse...

Três diretores indicados,três eleitos que mudam de lado, um tal voto de sabão minerva,os pimenteis(de minas e ceará), qual é o pior,com uma res.26 e ainda falam que a previ é nossa.Tem que mudar o nome:previ-cx de prev.dos FUNCIONARIOS do banco do brasil, para cx de prev.DO BANCO DO BRASIL.Eu já desisti.

Anônimo disse...



EMPRÉSTIMO SIMPLES ; ACHO QUE VAI SAIR !


Amigo e Mestre, apesar de alguns colegas estarem, com razão, impa-
cientes, tenho impressão, quase certeza, que teremos novidades lo-
go. Muitos podem dizer que que a solução do problema esta demorando
e ninguém pode contestar, pois realmente está. Mas, por outro lado,
vamos examinar o tamanho do pleito a ser resolvido : conforme infor-
mes ; 7.000 colegas não foram assistidos na última liberação do em-
préstimo por questões diversas ; pois bem, digamos que cada um, den-
tro dos novos parâmetros, pleiteie R§30.000,00, que totalizaria um
montante de R§210.000.000 (duzentos e dez milhões de reais).Acontece
que há outros 90.000 associados que certamente têm interesse também
e estão pensando em pleitear, na média, R$20.000,00, digamos, a meta-
de, R$10.000,00, assim teríamos necessidade de R$900.000.000 somados
à parcela R$210.000.000, totalizaria uma soma superior a um BI. En -
tão pergunto, a CAIXA tem este dinheiro? tem,mas precisa se progra -
mar,pois é alta a soma a liberar.Divany Silveira-SeteLagoas-mg

Ari Zanella disse...

Amigo Adair,

Gosto de apreciar os vários pontos de vista, Agradeço a sua valiosa colaboração. Um forte abraço!

Anônimo disse...

Caro Colega,
Sugeri ao colega Medeiros, que tentasse encontrar alguém, dentro da Previ, que soubesse como procedem os nossos colegas-altas aposentadorias, enriquecimento de poucos em detrimento da maioria-alguém como o "garganta profunda"-(caso Nixon-presi dos EUA), Mas ele não gostou da idéia. Precisamos procurar o MP para investigarem esses absurdos. CPI, nem pensar, não deixarão. Tudo pode ser anônimo.
Julio Cesar Magalhães - 6.015.178-1-de São Paulo(SP)

Carlos - Rio Pardo(RS) disse...

Sr. Ari, tudo bem?

Por acaso o Sr. tem alguma suspeita/idéia de como poderá ser o possível novo ES/CAPEC, caso a Previc autorize?

Hoje como devo R$ 95.000 no ES em ser, tenho limite de R$ 50.000,00, mas anulado pela falta de margem consignável.

Meu pecúlio da CAPEC é superior aos R$ 50.000.

Ou será que a Previ pensa em disponibilizar uma porcentagem "X" do pecúlio da Capec. Tipo 10 ou 20% do prêmio para todos. Ou será uma operação específica para nós que temos margem negativa?

O que o Sr. palpita? Um abraço,Carlos.

Anônimo disse...

Emérito Professor ZANELLA:



No PAÍS DOS 7 A 1, a ÚNICA FORMA desse SACO DE PANCADAS voltar a GANHAR JOGOS de futebol (não significando jogar bem), é COLOCAR UM TÉCNICO QUE SEJA DO PT, pois é o ÚNICO CAPACITADO, a ENSINAR OS JOGADORES A METER A MÃO NA BOLA SEM O JUIZ VER (ou seria o JUDICIÁRIO?).

Rosalina de Souza disse...

Prezado Ari Zanella,

Na edição da Revista 182/2015 Especial Resultados 2014 Plano 1, na pagina 14 tem um demostrativo politica de investimento plano 1 (em %).

Operações com participantes em 2014 minimo de 1.27 e máximo de 5.27.

Operações com participantes em 2015 (previsão) minimo de 1.2 e máximo de 5.2.

A sua previsão feita no post LONGE DE MELHORIAS, esta corretamente interpretado pela Diretoria de PLANEJAMENTO que não tem feito PREVISÃO DE MAIS INVESTIMENTOS em EMPRÉSTIMO SIMPLES.

Acredito que sem mobilização não vamos ter nenhuma melhoria no produto empréstimo simples em 2015.

A Situação esta cada dia mais dramática, os benefícios não estão suportando os aumentos nas contas de energia elétrica, supermercados, água e medicamentos, e a conta não fecha de maneira alguma, por mais esforços que estamos fazendo.

Não sei mais o que fazer, e a revolta da lugar a AÇÃO ENÉRGICA, não da mais para esperar apenas pelos Dirigentes bem intencionados, temos que partir para uma SOLUÇÃO DE FATO E DE VERDADE,a brincadeira já chegou no limite do degolamento total das nossas finanças.

Agora é partir para o tudo ou nada, chega de lenga lenga, de esperar solução de Presidente, de Diretoria de Seguridade, temos que forçar uma solução por bem ou por mau, não da mais para ESPERAR REUNIÃO DIA 17 para termos mais enganação e especulação enquanto nós estamos FALIDOS COMPLETAMENTE.

URGE UMA PROGRAMAÇÃO URGENTE, NÃO TEM MAIS CONDIÇÕES DE CONTINUAR ESTA FARRA QUE VIROU A PREVI, NÃO VEJO SOLUÇÃO APENAS NO PAPO, AGORA É PARTIR MESMO PARA OUTROS MEIOS,NEM QUE ISTO CUSTE A NOSSA PRÓPRIA VIDA, OU É ISSO OU É MORRER DE FOME.

Associações de Aposentados e Pensionistas si movam, faça alguma coisa, chega de viver em cima do muro, chega de promessas, vamos a AÇÃO CONCRETA, escrever em blog já não tem efeito pratico.

Atenciosamente

Rosalina de Souza
Pensionista
Matricula 18.161.320-4

Pr.guima disse...

-Aposentados do BB "sim". E Sócios da Previ é "claro". Não sei nem como classificar (inversão de valores quem sabe). Colegas que são sócios da previ (contribuem por 40, 50 ou mais anos), passando por dificuldades, recebendo baixos valores da previ e de outro lado, alguns dirigentes da previ e do próprio banco que contribuíram em alguns casos, por poucos anos, retirando altos "dividendos" da previ. Basta. Desculpem a expressão, mas esta "putaria" toda tem que acabar. Pra começar tem que tirar esta quadrilha que se instalou na direção das principais instituições do país.

Anônimo disse...

O país do PAM - Programa de Aceleração da mandioca tem que pagar mais de 300bi/ano de jrs. da dívida pública. Nesse cenário, o patrimônio da PREVI está mais vulnerável e visado do que nunca. Apesar de muitos tsunamis, não podemos perder de vista as questões relativas à remuneração variável, sem-teto, RS 26/2008, CPI do Fundos, etc., enfim, que as coloquemos à baila em todos fóruns de debates, seja nas redes ou em outras praias, dissipando, assim, qqer. cortina de fumaça que, ardilosamente, tenta escamotear tais tópicos, para os malfeitos se tornarem ad aeternum ou serem deliberados na calada da noite.

Anônimo disse...

A colega disse que escrever em blog já não tem efeito prático e eu acho que nunca teve. Acho um desperdício as publicações de alguns colegas principalmente as do Rossi e as do Prof.Ari que não são levadas em conta.Pelo menos eles brigam enquanto outros ficam só querendo agradar as feras como se isso desse resultado.Uma coisa é certa: querer convencer a Previ é totalmente inútil. Somente com apoio de órgãos superiores podemos conseguir alguma coisa.

Anônimo disse...

Colegas aposentados e pensionistas:

melhorias virão somente na véspera da eleição. Isto é praxe na Previ. Desde sempre foi assim, mas parece que nós nos esquecemos disto.
O "pirulito" virá e todos votarão nos candidatos da situação/PT/sindicatos da Contraf para os cargos que realmente importam, pois a maioria dos aposentados é alienada.
É isso, infelizmente.

Anônimo disse...

HAJA PACIÊNCIA COM TANTO LADRÃO NUNCA ANTES VISTO NA HISTÓRIA DESSE PAÍS

Humberto disse...

Ao colega Adai Rosembak: muito oportunas as tuas colocações a respeito da nomenclatura utilizada pela Previ, para nos denominar. Temos que ter muito claramente, e difundir aos demais colegas, que NÓS SOMOS ASSOCIADOS da entidade, e como tal pretendemos ser chamados, independente da condição de laboral ou pós-laboral.
Contribuimos financeiramente em fatias iguais junto com o Patrocinador, BB, para a manutenção, da Previ, e pelo fato de estarmos em gozo de benefício legitimamente conquistado, de acordo com normas e estatutos do Plano, não devemos ser chamados de assistidos ou outra nomenclatura que for, em especial aquelas de conotação pejorativa.

Igualmente devemos reclamar quando nos chamam de Usuários na Cassi, dando a entender que apenas usufruimos de alguma vantagem, pois somos todos ASSOCIADOS E TAMBÉM MANTENEDORES DESSE PLANO. Acho rídicula a expressão, muito em voga atualmente, no caso do Conselho de Usuários. Vamos exigir alteração nessas denominações, pois creio ser um direito nosso.

Humberto Stumpf - Caxias do Sul

Anônimo disse...

Mestre Ari Zanella,

Como ficou a questão do TETO na Previ após o cancelamento do termo de ajustamento de conduta sobre o tema:

Apresentação, discussão e
10 deliberação acerca de proposta de cancelamento do Termo de Ajustamento de Conduta (TAC)
11 celebrado com a Caixa de Previdência dos Funcionários do Banco do Brasil – Previ/BB e o
12 Banco do Brasil S/A que havia sido aprovada na 7ª Sessão Extraordinária realizada em 26 de
13 dezembro de 2013. Após debates, com a declaração de impedimento do Senhor Diretor-
14 Superintendente, a Diretoria Colegiada aprovou, por maioria, o cancelamento do Termo de
15 Ajustamento de Conduta (TAC), tendo em vista o expresso no Despacho nº
16 07/2015/DIFIS/PREVIC, de 19 de maio de 2015, e na Nota Técnica nº 24/2015/PF-
17 PREVIC/PGF/AGU, de 20 de maio de 2015, sendo que nessa última consta manifestação pela
18 perda de objeto do TAC. Nada mais havendo por deliberar

Anônimo disse...

Gostaria de saber de quem entende do EMPRESTIMO SIMPLES, onde a PREVI se baseia para cobrar juros só apos a atualização monetaria do saldo devedor do EMPRESTIMO SIMPLES, li o regulamento e não consta em nenhum Art. que os juros sejam calculados apos atualização da correção monetaria, um exemplo, ja sabemos que os juros são de 5%, então vamos supor o INPC num ano seja de 8%, existe uma grande diferença entre aplicar os juros e a correção individualmente sobre o saldo devedor ao inves de calcular a correção primeiro e depois cobrar os juros, porque se fossem cobrados individualmente daria neste exemplo 13,00% e cobrados um sobre o outro dariam 13,40%, quem está com a razão ? Eis o regulamento Incidirão mensalmente sobre os saldos devedores dos Empréstimos Simples os
seguintes encargos financeiros:
a) Juro - percentual não inferior à taxa de juros atuariais ou índice de referência do
respectivo Plano de Benefícios ao qual o participante/assistido esteja vinculado;
b) Atualização monetária - percentual mensal medido pelo indexador previsto no
Regulamento do Plano de Benefícios ao qual o participante esteja vinculado, e
aplicado com defasagem de 2 (dois) meses;
c) Taxa para o Fundo de Quitação por Morte (FQM) – percentual definido com base
em estudos atuariais e utilizado para constituir fundo garantidor destinado a quitar as
prestações vincendas a partir do mês seguinte ao do falecimento do mutuário;
d) Taxa para o Fundo de Liquidez/Inadimplência (FL) – percentual definido com base
em estudos de risco, com a finalidade de constituir fundo garantidor destinado a
quitar dívida inadimplida considerada irrecuperável pela PREVI após a adoção de
todas as medidas cabíveis, inclusive judiciais.

Rubens disse...

Colegas, sabemos que muitos aposentados e pensionistas, não VOTAM E NAO PARCICIPAM DOS COMUNICADOS NA INTERNET, das Associações, vamos CONCLAMAR, a todos os colegas que moram perto do Bal. Camboriú (SC), no dia 17 de julho, e fazer volume, pressão junto ao Presidente Gueitiro da Previ do Marcel também quando da reunião das Afasbs, . Sem pressão não conseguiremos nada... colega do Paraná, Rubens.

Anônimo disse...

ATA DA 27ª SESSÃO EXTRAORDINÁRIA DA DIRETORIA COLEGIADA DA
SUPERINTENDÊNCIA NACIONAL DE PREVIDÊNCIA COMPLEMENTAR –
PREVIC
1 Aos vinte dias do mês de maio de dois mil e quinze, às quinze horas, reuniram-se sob a
2 Presidência do Diretor-Superintendente na sede da Superintendência Nacional de Previdência
3 Complementar – Previc, sita no SBN, Quadra 02, Bloco N, 9º andar, Sala de Reunião DICOL,
4 Brasília – DF, os membros da Diretoria Colegiada: Carlos de Paula – Diretor-Superintendente;
5 José Roberto Ferreira – Diretor de Análise Técnica; Sergio Djundi Taniguchi - Diretor de
6 Fiscalização; Mauricio de Aguirre Nakata - Diretor de Assuntos Atuariais, Contábeis e
7 Econômicos; e Almir dos Santos Nolêto Filho - Diretor de Administração Substituto.
8 Participaram como convocados: Fábio Lucas de Albuquerque Lima – Procurador-Chefe e
9 Rosa de Fátima Sousa da Silva - Chefe de Gabinete. Item 1 – Apresentação, discussão e
10 deliberação acerca de proposta de cancelamento do Termo de Ajustamento de Conduta (TAC)
11 celebrado com a Caixa de Previdência dos Funcionários do Banco do Brasil – Previ/BB e o
12 Banco do Brasil S/A que havia sido aprovada na 7ª Sessão Extraordinária realizada em 26 de
13 dezembro de 2013. Após debates, com a declaração de impedimento do Senhor Diretor-
14 Superintendente, a Diretoria Colegiada aprovou, por maioria, o cancelamento do Termo de
15 Ajustamento de Conduta (TAC), tendo em vista o expresso no Despacho nº
16 07/2015/DIFIS/PREVIC, de 19 de maio de 2015, e na Nota Técnica nº 24/2015/PF-
17 PREVIC/PGF/AGU, de 20 de maio de 2015, sendo que nessa última consta manifestação pela
18 perda de objeto do TAC. Nada mais havendo por deliberar, o Presidente encerrou a sessão às
19 quinze horas e cinquenta minutos. Eu, Paulino Seiji Kuzuhara____ – Coordenador-Geral de
20 Apoio à Diretoria Colegiada, secretariei a sessão e lavrei a presente ata.

Anônimo disse...

ATA DA 7ª SESSÃO EXTRAORDINÁRIA DA DIRETORIA COLEGIADA DA
SUPERINTENDÊNCIA NACIONAL DE PREVIDÊNCIA COMPLEMENTAR – PREVIC
1 Aos vinte e seis dias do mês de dezembro do ano de dois mil e treze, às 10:00 horas, reuniram-se sob a
2 Presidência do Diretor-Superintendente na sede da Superintendência Nacional de Previdência
3 Complementar – Previc, sita no SBN, Quadra 02, Bloco N, 9º andar, Sala de Reunião DICOL, Brasília
4 – DF, os membros da Diretoria Colegiada, José Maria Rabelo – Diretor-Superintendente; José Roberto
5 Ferreira - Diretor de Análise Técnica; Sergio Djundi Taniguchi - Diretor de Fiscalização; Mauricio de
6 Aguirre Nakata – Diretor de Assuntos Atuariais, Contábeis e Econômicos, e Almir dos Santos Nolêto
7 Filho – Diretor de Administração Substituto. Participaram como convocados: Felipe de Araujo Lima –
8 Procurador-Chefe e Marco Antônio Bersani – Chefe de Gabinete. Participou como convidado:
9 Leonardo Vasconcellos Rocha – Coordenador-Geral de Representação Judicial. Item 1 - Apresentação,
10 discussão e deliberação acerca da proposta de Termo de Ajustamento de Conduta a ser celebrado entre
11 a PREVIC, a Caixa de Previdência dos Funcionários do Banco do Brasil – Previ, e o Banco do Brasil
12 S/A. Registrou-se inicialmente a participação dos Diretores Sergio Djundi Taniguchi e Mauricio de
13 Aguirre Nakata por via eletrônica, por meio da qual ocorreu o exame e correspondente anuência em
14 relação à referida proposta. Após esclarecimentos, o Diretor-Superintendente declarou-se impedido de
15 deliberar sobre o tema. Na sequência, realizados debates, a Diretoria Colegiada aprovou o mencionado
16 Termo de Ajustamento de Conduta, nos termos da Nota nº 48/2013/CGFD/DIFIS/PREVIC e do
17 Parecer nº 172/2013/PF-PREVIC. Nada mais havendo por deliberar, o Presidente encerrou a sessão às
18 11h20. Eu, Luis Ronaldo Martins Angoti - Coordenador-Geral de Apoio à Diretoria Colegiada,
19 secretariei a sessão e lavrei a presente ata.

Anônimo disse...

ATA DA 7ª SESSÃO EXTRAORDINÁRIA DA DIRETORIA COLEGIADA DA
SUPERINTENDÊNCIA NACIONAL DE PREVIDÊNCIA COMPLEMENTAR – PREVIC
1 Aos vinte e seis dias do mês de dezembro do ano de dois mil e treze, às 10:00 horas, reuniram-se sob a
2 Presidência do Diretor-Superintendente na sede da Superintendência Nacional de Previdência
3 Complementar – Previc, sita no SBN, Quadra 02, Bloco N, 9º andar, Sala de Reunião DICOL, Brasília
4 – DF, os membros da Diretoria Colegiada, José Maria Rabelo – Diretor-Superintendente; José Roberto
5 Ferreira - Diretor de Análise Técnica; Sergio Djundi Taniguchi - Diretor de Fiscalização; Mauricio de
6 Aguirre Nakata – Diretor de Assuntos Atuariais, Contábeis e Econômicos, e Almir dos Santos Nolêto
7 Filho – Diretor de Administração Substituto. Participaram como convocados: Felipe de Araujo Lima –
8 Procurador-Chefe e Marco Antônio Bersani – Chefe de Gabinete. Participou como convidado:
9 Leonardo Vasconcellos Rocha – Coordenador-Geral de Representação Judicial. Item 1 - Apresentação,
10 discussão e deliberação acerca da proposta de Termo de Ajustamento de Conduta a ser celebrado entre
11 a PREVIC, a Caixa de Previdência dos Funcionários do Banco do Brasil – Previ, e o Banco do Brasil
12 S/A. Registrou-se inicialmente a participação dos Diretores Sergio Djundi Taniguchi e Mauricio de
13 Aguirre Nakata por via eletrônica, por meio da qual ocorreu o exame e correspondente anuência em
14 relação à referida proposta. Após esclarecimentos, o Diretor-Superintendente declarou-se impedido de
15 deliberar sobre o tema. Na sequência, realizados debates, a Diretoria Colegiada aprovou o mencionado
16 Termo de Ajustamento de Conduta, nos termos da Nota nº 48/2013/CGFD/DIFIS/PREVIC e do
17 Parecer nº 172/2013/PF-PREVIC. Nada mais havendo por deliberar, o Presidente encerrou a sessão às
18 11h20. Eu, Luis Ronaldo Martins Angoti - Coordenador-Geral de Apoio à Diretoria Colegiada,
19 secretariei a sessão e lavrei a presente ata.

Anônimo disse...

Mestre, alguma novidade sobre o ES/CAPEC?

WILSON LUIZ disse...

O BRASIL NÃO É UM PAÍS POBRE, É UM PAÍS INJUSTO – Fernando Henrique Cardoso

Uma das poucas coisas em que concordo com o ex-presidente é a citação acima. Enquanto a PREVI tem associados que recebem benefícios de R$ 800,00 mensais, diretores embolsam mais de R$ 50.000,00. Associados com benefícios baixíssimos pedem um alívio em suas finanças, mesmo que se endividando mais no ES, e o presidente Gueitiro fica apenas afogando o Genso nos associados e pesquisando onde aplicar os mais de R$ 100 mil que deve receber por mês.

WILSON LUIZ disse...

NÃO PODERIA FALTAR

A presidenta viajou para os Estados Unidos, realizando agora viagem que, inicialmente, seria realizada em 2013, mas foi cancelada porque ela ficou pê da vida com a denúncia que ela teria sido vítima de escutas clandestinas da NSA, agência de segurança daquele país. Durante dois anos, deixou tio Sam na geladeira, inclusive prejudicando a economia do Brasil, pois vários acordos comerciais não puderam ser efetivados. Também foi espionada, nesta época, a Chanceler da Alemanha, Angela Merkel, mas esta, uma verdadeira estadista, não passou recibo, protestou energicamente, mas não prejudicou os negócios.

Como se trata de assunto nos estrangeros, como dizia o Lula, não podia faltar mais um vexame internacional. Um assessor da Casa Branca telefonou perguntando se o governo brasileiro não poderia , por favor, pagar os atrasados que está devendo a diversas universidades americanas, relativos ao programa Ciência sem Fronteiras, pois o calote poderia vazar para a imprensa e prejudicar a visita.

Anônimo disse...

Exmo sr. Ari, gostaria de saber se o associado ou participante da Previ pode requerer sua saída do plano de previdencia fechada e ficar somente com sua aposentadoria do INSS.
Caso não exista ainda esta possibilidade, poderia o sr., como nosso representante propor esta alteração no estatuto. Dessa forma, o participante deixaria o plano e pegaria sua Reserva matemática na proporção da resolução 26/2008. Assim, o participante ficaria livre da Previ e
a Previ, idem; acabando de vez com essa agonia do lado do participante/assistido.Isso seria opcional: para quem quisesse, como se fosse um PDV. Se a reserva matemática atual está na faixa de 150 BI, ao dividir-mos este valor por 116.863, que é a soma dos ativo+pensionistas+aposentados, daria 1.283.554,00 Reais (Hum milhão duzentos e oitenta e tres mil e quinhentos e cinquenta e quatro reais), os quais dividido por 2 daria 641.777,00 para cada aproximadamente.Então, acho na minha opinião, que ninguém deve ser obrigado a ficar num plano cujo representante se acha dono do mesmo em detrimento dos demais.
Grato.

João Lopes Rodrigues disse...

Anônimo das 17:31

Esclarecendo: quando estamos aptos a adquirir a aposentadoria pela Previ, ou seja, após 15 anos de contribuição, no documento em que assinamos o pedido de aposentadoria, há a opção de não contrair benefício mensal, restando sacar a reserva matemática, deduzido o imposto de renda, ou ainda transferir essa reserva para outro plano de previdência. Uma vez escolhida qualquer uma das três alternativas, a mesma é de natureza irrevogável.

Infelizmente, diante de nossa situação atual, de descasos com nossos benefícios, só nos resta lutar por melhorias, uma vez que caímos num "mal necessário".

Era isso!

Anônimo disse...

29062015-17.31 hs.
E se demitíssemos o Patrocinador para que se retirasse, deixando-nos o fundo. Somos ou não somos os donos ? (Extinta a resolução 26)
E se mudássemos o sistema de administração na Previ, reduzindo os altos custos com recursos humanos, acabando principalmente com as remunerações variáveis ?
E se o corpo social voltasse a ter voz de mando na Previ ?
Só teríamos um " um pouco mais de trabalho" recrutando no MERCADO ,os
executivos( a preço de mercado), já que seria difícil candidatos aos cargos via eleições e, já que não haveriam indicados.
Desculpem, viajei... (Porém, o impossível pode se tornar possível)

Anônimo disse...

INCLUSIVE O ALARCÃO já aposentado, no tempo que trabalhei em Curitiba(PR), era do conselho daquele porto que a previ tem participação no Estado do Paraná, ganhando bom salário e até tinha "secretário" que também ganhava bom salário, portanto tudo farinha do mesmo saco.

Anônimo disse...

Ary e demais colegas,

Estou sempre clamando por uma manifestação forte na porta da PREVI.

Volto a clamar, não há outro caminho para a nossa guerra contra os desmandos que nos impingem.

A Rosalina disse que temos que partir para outras ações e, então, aí vai novamente minha opinião, um movimento na PORTA DA PREVI.

Sei que PREVI e Banco nada podem, nenhum dos dois tem poder prá mudar nada, só obedecem ordens que vêm de cima.

Aí então, alguns acham que de nada adianta fazer barulho na porta da PREVI.

É bom lembrar, colegas, que o momento atual é terrível para o governo, desgastado, denúncias de corrupção prá todo lado, popularidade em baixa, tá completamente desmoralizado.

E podem ter a certeza, estão com um baita medo de qualquer grande movimento de rua, é o que menos querem.

E movimento de rua não é brincadeira, até Hitler e Stalin tinham medo. Recentemente derrubaram até ditadores com 30 ou 40 anos no poder, como foram os casos de Kadafi e Mubarak.

Essa é a questão, um bom barulho na porta da PREVI, bem planejado e implementado, vai repercutir forte na imprensa e é disso que precisamos.

Como disse a Rosalina, conversar não adianta mais nada, reuniões e mais reuniões com a PREVI e banco também não vão levar a lugar nenhum. Estamos mesmo é sem rumo, sem saber que caminho tomar, então taí, vamos partir prá luta firme e por tempo indeterminado na PORTA DA PREVI.

Não vejo outra saída, é na base do tudo ou nada.

Reproduzo aí em baixo, entre aspas, e assino junto com a Rosalina o que ela disse no comentário dela:

""Não sei mais o que fazer, e a revolta da lugar a AÇÃO ENÉRGICA, não da mais para esperar apenas pelos Dirigentes bem intencionados, temos que partir para uma SOLUÇÃO DE FATO E DE VERDADE,a brincadeira já chegou no limite do degolamento total das nossas finanças.

Agora é partir para o tudo ou nada, chega de lenga lenga, de esperar solução de Presidente, de Diretoria de Seguridade, temos que forçar uma solução por bem ou por mau, não da mais para ESPERAR REUNIÃO DIA 17 para termos mais enganação e especulação enquanto nós estamos FALIDOS COMPLETAMENTE.""

Agora eu de novo: para se ter uma idéia de como estamos na mato sem cachorro, vejam os votos dos eleitos em relação ao "bonus" aprovado pelo CD. Tenho por mim que o próprio Carvalho não aprovaria essa aberração se ele não estivesse numa camisa de força brava dentro da PREVI.

Entendo que todos os eleitos do CD tinham que votar contra e impor o voto de minerva do banco. Não foi o que aconteceu, tudo aprovado sem dificuldade e sem qualquer consulta a nós, aposentados e pensionistas.

E outra coisa, a discussão sobre esse bônus rolou por quase um ano dentro de um comitê presidido pelo Carvalho e não sabíamos de nada, nenhuma informação tivemos.

É claro e evidente que se tivéssemos qualquer informação sobre uma possível aprovação de uma REMUNERAÇÃO VARIÁVEL para a diretoria, a grita seria grande e essa benesse não seria aprovada tão facilmente.

É isso aí, colegas, ou nos movimentamos ou seremos enterrados vivos mesmos.

É o que penso.
Lydio

Anônimo disse...

Bônus pra que? e porque? Estou pensando, em uma empresa que tem que vender os seus produtos disputa o mercado, ou vende ou morre, é uma luta pela sobrevivência, e o fundo de pensão? Não luta pelo mercado, não tem objetivo lucrativo, o seu público consumidor quanto menor melhor, os seus diretores não tem a menor responsabilidade, um investimento errado com prejuízo de bilhões não gera punição, não é demitido e ainda ganha bônus? Estou dando uma de advogado do diabo, eu não consigo, por meios legais defender essa excrecência, a moeda aposentadoria é a moeda mais desvalorizada que existe, inferior a moeda salário, nem isso eles conseguem, se você comprar um terreno na favela, construir um barraco e por a locação vai bater todas as metas atuariais , só tem uma explicação: estamos sendo roubados.

Anônimo disse...

Ao anônimo 29/06/15 15:07

Considerando que o ES foi contratado com base em juros compostos, então é admissível que o saldo devedor seja antes atualizado, de modo a formar a nova base de cálculo.

De ressaltar que do ponto de vista da matemática financeira, tanto faz debitar a correção atualizando o saldo e depois calcular os juros, pois o inverso (debitar os juros e atualizar o saldo) resulta no mesmo valor.

No exemplo que o colega citou existe um equívoco, pois ao contabilizar primeiro o juro, não o considerou no novo saldo devedor, fazendo com que este e a correção pelo INPC viessem a incidir sobre a mesma base, caso típico do regime de juro simples.

Presente o modo utilizado pela PREVI, a diferença seria unicamente fiscal e tributária, pois o valor do juro é um pouco maior, ensejando, por consequência, recolhimento de imposto também mais elevado.

É o velho leão sempre de olho...

Anônimo disse...

Não acredito que o ES-CAPEC venha a ser adotado pela PREVI e parece que existiria razão legal para tal impedimento.

Um colega (possivelmente advogado) levantou a tese de que o art. 649 do CPC ditaria claramente a impenhorabilidade de pecúlio e seguro de vida.

Então a CAPEC não poderia ser utilizada para garantia de eventual ES, pois os futuros haveres não seriam atingidos por eventual execução.

Ou poderia?

Com a palavra os doutos causídicos.

sss disse...

Esse cara criou o Fator Previdenciário e agora demagogicamente vem falar de injustiça?! Ah, tenha Santa Paciência.

João Lopes Rodrigues disse...

Srs!

Acerca do recente cargo de Ouvidor, criado pela Previ, para o qual foi escolhido funcionário do BB, lotado na Gepes Fortaleza, indago:

- pode-se depositar credibilidade em mais um cargo "indicado" pelo Patrocinador?

Se a função será "ouvir" os associados, em especial os associados aposentados (pois na ativa os associados se reportam diretamente ao BB), não seria o caso de se escolher um entre os associados aposentados?

Sei não, mas a impressão que fica é que é mais um alto cargo na diretoria da Previ. Queira eu estar enganado.

Era isso!

Anônimo disse...

Colega 29/06/15 17:31

A divisão proposta teria que ser proporcional, levando em consideração, no mínimo, o valor médio valorizado e tempo de contribuição de cada participante.

Caso contrário haveria gritante injustiça e as demandas no poder judiciário seriam imediatas -- ao menos de minha parte.

João Rossi Neto disse...

Mestre Ari e colegas,

DIRETOR MARCEL É UM... PENSEM O QUE QUISEREM...PENSAMENTO É ENERGIA PURA.

Os números dos balancetes e balanços são informações privilegiadas vinculadas à Diretoria de Administração e por essa disponibilizadas à Diretoria Executiva, de modo que a Diretora Cecília tem pleno conhecimento dos documentos contábeis processados, pois atesta a origem e a exatidão de todos eles no ato de validar as Demonstrações Financeiras.

Com efeito, a Diretoria de Administração é responsável pela gestão das áreas de suporte administrativo, gestão de pessoal, gestão do suporte tecnológico, contabilidade, organização e métodos e controladoria.

Assim, pela visão sistêmica das contas devedoras e credoras da PREVI, pode, antecipadamente, por previsões e análise fundamental (horizontal e vertical dos balanços anteriores) dos cenários econômicos, projetar um resultado irrisório para 31/12/15, sem perspectivas de reversão do quadro nefasto nem em longo prazo.

Dentro dessa ótica, a Diretoria Executiva tem cabal ciência de que os associados estão em um beco sem saída para pleitear revisão no PB-1 e melhoria nos benefícios por completa escassez de Reserva Especial. Como foi dito, os participantes e assistidos não podem sequer sonhar com a esperança de dias melhores.

Em face do exposto, sabendo-se que o ES é a única alternativa exequível para dar um alivio financeiro ao Corpo Social, a Diretoria de Seguridade veta essa rota de sobrevida, ao não permitir a elevação do teto e do prazo de reposição para 180 meses.

Com essa providência draconiana fecham-se todas as portas do nosso Fundo de Pensão e o Presidente Gueitiro para não passar por mentiroso e vendedor de ilusões em Goiânia (GO), quando disse que havia determinado estudos para melhorar o ES, agora, faz a cortina de fumaça e desloca o eixo da discussão para a PREVIC, a qual nada tem a ver com a operacionalização do seguro CAPEC.

Mais uma vez os associados estão com os pires nas mãos e presos ao cabresto do Diretor de Seguridade. O Marcel não vai SERRAR O GALHO em que está confortavelmente sentado e perder uma moeda valiosa de troca nas eleições que é o ES. Por isso faz as concessões a conta-gotas e mantém o vínculo umbilical e a atual e eterna dependência financeira, mantendo os tomadores do ES sob o regime de vergonhosa escravidão.

Causa estranheza é que o Marcel foi eleito por esse universo de eleitores que ora ele pisoteia. Amigo da onça da estirpe do Marcel é preferível os associados recorrem ao pior inimigo, das fileiras dos indicados pelo BB, porque esses mordem, confessam e não assopram com faz esse Judas Juviniano traidor.

Conheço pessoas descendentes de japoneses que honram o que falam, aliás, os nipônicos legítimos falam pouco e agem muito, sendo inflexíveis no cumprimento das suas promessas e compromissos. Acho que o Presidente Gueitiro começa mal e vai ficar desmoralizado se permitir que o Marcel vença a queda-de-braço e mantenha o ES engessado.

Anônimo disse...

Uma verdadeira canalhice esta aprovação da Remuneração Variavel ou bonus ou que nome tenha, sempre sera um acinte contra os associados. E tudo isso de 2002 para esta data atual so fez piorar, nunca os diretores legislaram tanto em causa propria, uma verdadeira afronta aos associados da PREVI.

Anônimo disse...

A LADROAGEM vem desde quando?

http://www.implicante.org/noticias/presidentes-do-banco-do-brasil-e-da-previ-compram-imoveis-com-dinheiro-vivo/

http://cristalvox.com.br/2015/06/11/banco-do-brasil-ex-vice-presidente-e-preso-pela-policia-federal-acusado-integrar-esquema-que-desviou-3-bilhoes/

http://www.revoltabrasil.com.br/seguranca/4681-corrupcao-desvia-ate-200-bilhoes-por-ano-mas-presos-por-corrupcao-sao-apenas-01-no-brasil.html

Anônimo disse...

Colega Joao Rossi,concordo plenamente com o que o senhor comentou. Desde que saiu a informação de que a Previc e que vai dar a palavra final(?) sobre o ES Capec eu comentei no blog: Previc?Nao entendi...
Ta na cara que o presidente Gueitiro incluiu a Previc para não ser ele a negar o uso da Capec. E por tras disso tudo esta o traidor Marcel que se acha o dono da Previ.
Estao mais uma vez enrolando os desesperados colegas empurrando para 17 de Julho e que nos sabemos nada saira a não ser a famosa frase:
A Previc NAO AUTORIZOU o uso da Capec.

Anônimo disse...

Emérito Professor ZANELLA:



Seguindo os COMANDOS do GENIAL JOÃO ROSSI, resolvi PENSAR MAIS UM POUCO ALÉM DO QUE NORMALMENTE PENSO e PENSEI que o Sr. MARCEL, deveria SE DEDICAR MENOS AO MOVIMENTO ARCO-ÍRIS e DEDICAR-SE MAIS AOS DESCOLORIDOS aposentados e pensionistas.

Anônimo disse...

Concordo com anon 23.02. O ES Capec até poderia ser adotado se for solicitado pelo associado da Previ. Mas não pode ser apropriado por iniciativa exclusiva da Previ.Espero a tentativa de resolver a forma ilegal como a Previ administrou os consignados não se transforme em novas demandas judiciais como já se tornou rotina e que causam grands prejuizos para todos nós. E depois ainda dizem que quem demanda contra a Previ demanda contra ele próprio.

Anônimo disse...

Professor Ari, Permita-me:

Em relação ao ES CAPEC, anunciado pelo Gueitiro, esperamos que de fato venha a se concretizar, caso contrário o presidente da Previ poderá ser comparado ao Marcel, diretor de seguridade que pra todos os aposentados, não passa de um traidor, mentiroso e tratante

Obrigado.

Anônimo disse...

Professor Ari,
Toda essa canalhice e acinte contra aposentados e pensionistas oriundos da diretoria da Previ deve-se a Res. 26, criada pelo conhecido ex-funcionário do BB, ex-sindicalistas e traidor José Pimentel, senador pelo PT do Ceará que, diga-se de passagem, só dá as cara quando é prá votar matéria contra os interesses dos trabalhadores e aposentados.

Um abraço.

Anônimo disse...

Prof ARI, fiz um apelo para que a Rosalina estivesse presente na próxima reunião, e gostaria de saber de sua parte, caso ela tenha disponibilidade e aceite, se nossa Associação, no qual eu também pertenço, poderia cobrir as despesas necessárias para sua ida, já que para nós pensionistas seria muito importante essa representação.aguardo resposta. Obrigada.

tarcisio augusto bulhoes martins disse...

Prof. Ari, boa tarde. E essa do banco vender dolar falso.....é o fim da picada. A imagem de austeridade e respeito que o BANCO DO BRASIL, tinha sobre o povo, foi jogada na lata do lixo. SOCORRRRRRRRRRRRO. E por falar no bancão, li em algum bloge, não sei mais qual, a postagem de um colega, dizendo que o bancão iria soltar uma circular para os endividados, acertarem suas vidas; com juros e condições especiais, na data de 02 de julho. Isso procede???? Se alguém souber, diga. Obrigado. Tarcísio.

tarcisio augusto bulhoes martins disse...

Anonimo 30.07.15, 12:47. No bloge do Dr Medeiros, está o convite feito por ele à Senhora Rosalina, com suas despesas cobertas. Tarcísio.

Ari Zanella disse...

Além das despesas pagas pelo Dr. Medeiros obviamente a ANAPLAB da qual a Rosalina é patrimônio vivo complementará com diárias que forem necessárias. Vamos lá, Rosalina!!

Anônimo disse...

PREVIDÊNCIA COMPLEMENTAR: CRPC condena ex-dirigentes do Postalis a 10 anos de inabilitação
25/06/2015 17:00

Câmara de Recursos manteve determinação da Previc e responsabilizou ex-membros da Diretoria Executiva do fundo

Da Redação (Brasília) – A Câmara de Recursos de Previdência Complementar (CRPC) manteve decisão da Previc (Superintendência Nacional de Previdência Complementar) que responsabilizou o ex-diretor presidente, Alexej Predtechensky, e o ex-diretor financeiro, Adilson Florencio da Costa, do fundo de pensão dos funcionários da Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos (Postalis) pela má gestão dos recursos dos participantes.

Anônimo disse...

Manifestações urgentes, com nariz de palhaços que eles pensam que somos.

Anônimo disse...

Saiu a nota da Previ sobre o relatório da consultoria Accenture.
O CD apreciou e deliberou sobre o relatório de l mi.
Afinal, não era só sobre a area de tecnologia.
Tem a ver com a estrutura organizacional e na governança.
Será que vão divulgar o relatório, como disseram ?

Anônimo disse...

E AGORA, RENAN?
O Presidente do Congresso é cobrado para indicar integrantes da CPI dos
Fundos de Pensão, depois de denúncia contra ele trazida por ISTOÉ

http://www.istoe.com.br/reportagens/424647_INVESTIGACAO+A+VISTA?pathImagens=&path=&actualArea=internalPage

HILARIANTE!!!!!!!!!!!!!!!!!

Anônimo disse...

Então a PREVIC inabilitou por 10 anos os responsaveis pelo fundo POSTALIS ?? A PUNIÇÃO FOI SO ESSA, CADEIA NADA ??

Anônimo disse...

AO ANONIMO DAS 22,46 HS, Não sei se voce é um infiltrado, mas me diga de onde voce tirou essa máxima: Considerando que o ES foi contratado com base em juros compostos, então é admissível que o saldo devedor seja antes atualizado, de modo a formar a nova base de cálculo. No regulamento do EMPRESTIMO SIMPLES, em nenhum item fala que os juros, correção monetaria, fqm e fl são calculos um após o outro ?? ENtão por favor me esclareça onde consta esta declaração sua de que o ES foi contratado com base em juros compostos ??? NO REGULAMENTO DO EMPRESTIMOS SIMPLES, NÃO SE FALA, NEM SE MANDA CALCULAR UM SOBRE O OUTRO. ENTÃO AGUARDO SEU PRONUNCIAMENTO.

João Rossi Neto disse...

Caro Ari e amigos,

A LENIÊNCIA E INOPERÂNCIA DO DIRETOR DE PLANEJAMENTO.

DIRETORIA DE PLANEJAMENTO (DIPLA) - Responsável por estudar e propor políticas orientadoras da gestão dos ativos da PREVI, especialmente no que diz respeito à alocação de recursos, análise de risco, aderência às necessidades de liquidez e solvência dos planos e programação orçamentária. Assessoram essa Diretoria as seguintes Gerências:

GEPOC - Políticas de Investimentos e Cenários
d) identificar e propor oportunidades de novos negócios;

RISCO - Estratégias de Risco
c) de mercado dos segmentos de renda fixa e renda variável;
d) de operações com participantes e assistidos;

GEGAP - Estratégia para Liquidez e Gestão de Ativos e Passivos;
b) gerir o processo de riscos;
e) gerir o processo de planejamento tático-operacional.

O atual Diretor de Planejamento eleito, Décio Bottechia Júnior, tem dentro da sua área de ação, poderes para propor a Diretoria Executiva um redirecionamento dos recursos aplicados em Rendas Variáveis (Ações e Fundos de ações), de sorte a promover uma divisão mais equilibrada desses dinheiros para segmentos mais conservadores, como Rendas Fixas e Imóveis, isto com o escopo de pulverizar os riscos, sabido que toda concentração é perigosa e inquestionavelmente toda unanimidade é burra.

Extrai-se do balanço de 2014 da PREVI que, apesar da grita geral do Corpo Social e de experts do mercado, equivocamente, a Diretoria Executiva mantém quase R$ 100 bilhões do seu Ativo Total em Rendas Variáveis e nos últimos anos tais transações se revelaram deficitárias, em face da rentabilidade negativa das Bolsas de Valores, porque o mundo mudou, o cenário econômico é diferente e não sinaliza positivamente para quem deposita quase todos os seus ovos em uma única cesta de moedas.

Pelas alíneas “c” e ”d” do tópico “RISCO”, acima, ficou patente que compete à DIPLA determinar o nível de risco das operações ativas e passivas, devendo oferecer estratégias operacionais mais eficazes para mitigar a exposição dos negócios em condições periclitantes, ainda que temporárias.

Inclusive é o Diretor de Planejamento que, invariavelmente, responde pelo cálculo do risco nas “Operações com Participantes e Assistidos”, tarefa que INDEVIDAMENTE vem sendo mal executada pelo Diretor de Seguridade, VEZ QUE ELE AVOCOU PARA SI ESSA FUNÇÃO QUE PELA ESTRUTURA ORGANIZACIONAL não lhe pertence e nessa posição usurpada alija os associados do ES, através de um processo rançoso de caça às bruxas, fechando as torneiras dos recursos que lastreiam a linha de crédito, onde os tomadores são os proprietários desse funding. Isso pode Gueitiro?

A missão mais importante para que o Fundo volte a trilhar o caminho dos superávits é, sem dúvida, a prospecção e identificação de oportunidades de novos negócios, dando preferência para aplicações financeiras em rendas fixas e outras operações mais conservadoras que propiciem rentabilidades que cubram as metas atuariais, coisa que o Diretor Décio não faz e tampouco não explica o motivo da sua inércia, deixando-nos no pressuposto de que o seu fraco desempenho é derivado da sua incompetência, estando na DIPLA apenas para dizer “amém” e fazer coro com as decisões de interesse do BB.



Anônimo disse...

Colega (ou anônimo também infiltrado) de 30/06/15 19:11

Não sei porque razão quando ocorre um pronunciamento baseado em análise de regulamento ou de informação disponível na PREVI, CASSI e BB, automaticamente o comentarista é taxado de "infiltrado".

Sou simplesmente um aposentado que procura auxiliar na compreensão deste nosso pequeno/grande mundo que se chama PREVI e CASSI.

Estou a refletir e a pensar que, talvez por força de alguma irritação justificada não contra mim, mas contra o sistema, o colega teria deixado de observar a etiqueta na Internet, em que a escrita maiúscula significaria estar gritando com o interlocutor.

Mesmo assim, apesar de ser tido como conspirador, retorno com mais um esclarecimento.

Consta no site da PREVI, no link

http://www.previ.com.br/solucoes-para-voce/emprestimo-simples/conheca-o-produto/valores-e-reajustes/

"Encargos - Sobre as contratações em ambos os planos, serão aplicadas as seguintes taxas e impostos:

Taxa de juros:
taxa nominal de 5,00% a.a., após a atualização monetária dos saldos devedores. A cobrança é feita mensalmente.

Atualização monetária – INPC com defasagem de dois meses da ocorrência.
..."

Permita-me, então, uma sugestão: acione a PREVI e exija seus direitos, mas antes, para evitar constrangimento, faça uma consulta à credora através do "fale conosco".

Deixo aqui registrado meu voto de que obtenha sucesso nessa empreitada.

Assinado: anônimo infiltrado e conspirador.

Anônimo disse...

""SELEÇÃO BRASILEIRA E O PT ; TUDO A VER ""

Mestre, você não pediu, mas eu sei que você gosta de ver um comentá-
rio de um esportista experiente, afinal eu tenho mais de 70 . Então,
vamos começar pelo goleiro Jeferson.Nunca soube que o goleiro do Bota fosse lider religioso, pois toda hora que a bola ia para seu
gol alguém gritava por Nossa Senhora! Tiago Silva, nosso zagueiro, melhorou muito o emocional, vez que não chorou, mas precisa ir ao psiquiatra , tendo em vista que esqueceu e pegou a bola com a mão. Mas está melhorando; aliás quase não está babando ! Felipe Luiz, zagueiro esquerdo, não compre esta fitinha que põe na testa no
Paraguai, ainda mais que vc joga na Europa,; deixe pra comprar em Paris. Firmino, Firmino, vc vai ficar firminho no banco. Aliás, o
o Firmino tem uma particularidade que eu observei : não fala alto,
não pede nada a ninguém, nem empurra o adversário Enfim, saiu como entrou, calado. ;; não deu bola pra nenhum coirmão, trata com "finesse" o adversário, também porta-se com humildade e está sempre de cabeça baixa, numa atitude despojada. Deve ter outra chance no céu.Coutinho, que tem nome de crack, e Renan, quando crescerem poderão ser úteis .Devo falar que Elias, apesar do nome, não foi o salvador.Quanto a Tarde li, que é bom jogador, devia ter entrado mais cedo, pois, tarde, não teve tempo. Ausências
notadas; Marins, ex-presi da CBF, que esteve ausente (por onde an-
dará ? e o personagem principal: quem, perguntarão ? O futebol .
Desculpem o mau jeito !Divany Silveira - Sete Lagoas-mg

Marco Orlando disse...

Prezado Ari,

Gostaria que o Gilvan consultasse os advogados que cuidam das ações jurídicas movidas pela ANAPLAB sobre a possibilidade de serem questionados juridicamente os juros cobrados pela PREVI no Empréstimo simples. Tem alguma coisa errada, senão vejamos:
A grande maioria dos beneficiários da PREVI se utiliza dos empréstimos há décadas e nunca se verificou o que ocorre agora, mesmo quando a inflação era galopante (100%, 200% 300%.... ao ano) nós conseguíamos renovar os empréstimos após 6 meses sempre com um bom "troco:
Agora o que se vê é que a cada prestação paga nada se abate do CAPITAL, é legal isto? o saldo devedor fica praticamente o mesmo ao vencer a parcela seguinte;
Veja o exemplo do meu caso.
Em agosto do ano passado contratei o empréstimo de R$ 145.000,00 para pagamento em 120 parcelas de R$ 2,032,51.
Se verifica que neste caso as parcelas já possuem juros embutidos, pois o total soma 2.032,51 X 120 = 243.901,12.
Efetuei desde então o pagamento de 10 parcelas de 2.032,51 o que totaliza R$ 20.325,10.
Meu saldo devedor corrigido hoje (30.06.2015) é de 143.830,60
Se eu considerar que devo 110 parcelas de 2.032,51 (que também serão corrigidas monetariamente/atuarialmente na 13 parcela) obtenho um total devedor de R$ 223.576,10.
Vamos supor então que eu pague parcela 11 e a parcela 12 e se mantenha os atuais critérios - eu teria então um saldo devedor de +- R$ 219.511,00 que seria corrigido pelo INPC mais 5% que daria R$ 251.230,00 que dividido por 108 parcelas daria uma prestação/parcela de R$ 2.326,20.
Dessa forma o saldo devedor (sem juros) que apareceria no extrato de empréstimos seria de R$ 165.952,50 e a partir daí não haveria mais condições de se renovar o empréstimo mesmo que o teto fosse reajustado pelo INPC anual.
Fiz os cálculos de forma bem simples, pois da forma como a PREVI age fica impossível de seu utilizar qualquer matemática para se chegar a um critério.
Não encontro em nenhum banco condições tão danosas aos tomadores como as que a PREVI vem praticando.
Solicito, caro Gilvan, levar ao conhecimento dos advogados da ANAPLAB tal fato para que se vislumbre uma forma de se protestar contra tal afronto aos participantes da PREVI que são os DONOS desse dinheiro que nós é emprestado de forma tão cruel, injusta e desonesta.

Marco Antonio Orlando

Anônimo disse...

Professor Ari,

Coloque o time do Fluzão para representar o Brasil até a poeira baixar.
Outra coisa, lá na casa das primas, uma infeliz modelo do book rosa chamada Dilma, não tá arranjando nem pro cafezin...

João Lopes Rodrigues disse...

Seguindo o raciocínio do colega Marco Orlando, 23:24

Observo que há o mesmo tratamento no tocante à Carim. O financiamento não diminui, mesmo com as parcelas pagas. Pelo que me consta, não era assim no passado. Será que estamos "entre a cruz e a espada"?

Era isso!

Anônimo disse...

Felicitamos o colega "anônimo infiltrado e conspirador" pela
pronta e contundente resposta.

Fernando Lamas disse...

Saudações cordiais a todos.

CUSTA MUITO!
Prezado Professor Ari, há tempo, eu perguntei ao caro e competente Gilvan, Vice-Presidente da Anaplab, sobre a mesma questão do estimado Marco Orlando e a resposta foi que há Ação, para isso, mas é muito cara, devido ao serviço do Perito Contábil, cerca de R$ 6 mil. O Gilvan perdoe-me e corrija, se falhou a memória. Isso, porém, não dispensa nova consulta.
Como escrevi, noutro comentário, liquidei o meu financiamento Previ/Carim, com a venda da minha casa e comprar um apto., depois, com boa sobra.

Grato por tudo e PAZ E BEM!

"Se vocês procurarem o Senhor, ele se deixará encontrar."
2Crônicas 15,2


Anônimo disse...

João Lopes Rodrigues, concordo , não era assim ,tem algo errado, vamos investigar enquanto é tempo, não confio em mais nada que vem deles.ES sempre foi um empréstimo tranquilo .