BANNER

Acesse aqui!
atendimento@anaplab.com.br
Joinville/SC: (47) 3026-3937
S.J. Pinhais/PR: (41) 3035-2095

domingo, 31 de maio de 2015

MODELO DE GESTÃO

     A PREVI poderia acertadamente voltar sua gestão nos moldes do que faz a ANAPLAB, nem diria sem remuneração, diria antes com remuneração módica, com cargos ocupados de preferência por aposentados. Para tanto, é imperioso que haja o cisma entre PB dois e PB um, irmãos cuja diferença é maior do que água e vinho onde no primeiro o patrocinador não tem quase ingerência, já no segundo possui completo domínio.
     Na ANAPLAB as ações são tomadas pelos e para os associados. Aqui ninguém se locupleta com o vil metal. Ele é usado para pagar custas judiciais e advogados contratados para corrigir injustiças que a própria PREVI, de há muito tempo, já deveria ter corrigido. Exemplificando, com a ação do Estatuto de Ingresso, o diretor Marcel deveria ter feito, através do setor de Seguridade, os cálculos nos dois estatutos, já que afirma de peito estufado que o Estatuto de Saída é melhor para o empregado. Assim sendo, evitaria enormes despesas de demandas judiciais, de ambos os lados. Bastaria apresentar os dois cálculos ao associados: Vejam, pelo Estatuto de 1967 você teria uma aposentadoria de XX; porém, pelo Estatuto de 1980 ou de 1997 você terá uma aposentadoria XY (segundo Marcel, maior). A questão é que ele não apresenta os dois cálculos, ficando somente na falácia de que o segundo é melhor.
     Ontem a nossa ANAPLAB pagou mais um prêmio pontualidade (será creditado nesta segunda) para o aposentado Eugênio Popovitz da bela cidade de Maringá, no norte do Paraná. Eu gostaria de sortear no mínimo cinco prêmios mensais, todavia, nossas despesas estão crescendo tendo como principal vetor um judiciário cada vez mais corporativista. Não dão mais com tanta frequência a justiça gratuita e o que mais impressiona são decisões acéfalas, não apenas divergentes mas verdadeiros disparates que nos levam à loucura. Algumas decisões requerem perguntas óbvias: isso faz sentido? Não!
Assim como nós a Anabb também oferece o prêmio pontualidade. O que difere é a chance no universo muito maior da associação de Brasília. Vale lembrar que temos alta inadimplência devido a problemas econômicos pelos quais atravessamos. A PREVI poderia dar prêmios de a cada associado se fosse bem administrada. Bastaria reduzir custos administrativos e "spreads" pagos ao patrocinador, além é óbvio do corte de abonos e até salários dos diretores. Um diretor recebendo dez mil reais estaria mais do que suficiente já que recebe o próprio salário como aposentado. Seriam 480.000 reais todos os meses para sorteio entre os associados, só com a redução dos benefícios dos seis diretores, fora as outras reduções. No mínimo, todas as 19 mil pensionistas teriam mensalmente 10% a mais nos seus holerites. Estou sonhando acordado?

26 comentários:

Anônimo disse...

Caro Ari,
Ando meio sumido do blog, mas dessa vez você sonhou alto. Nenhum governo, nem do PT, nem PSDB largará de um filé mignon com 150 bi de patrimônio. Estão querendo largar sim da Cassi. Desta largam rapidinho.
A verdade é que moramos em um país onde a ética e respeito já eram. Só Deus mesmo para reverter isso. Precisamos orar e clamar mais. Célio

Anônimo disse...

Professor Ari,

E a Previ cobra 4% de taxa de carregamento sobre as contribuições para cobrir despesas administrativas. Imagina o caminhão de dinheiro que resulta desse somatório?
Haja despesa administrativa! Um atendimento de péssima qualidade onde atendentes do 0800 se acham o próprio japonês. E olhe que já foi pior.

Se jogar luz nessas despesas administrativas entenderemos o$ motivo$ que fazem tanto$ mudarem de lado. $$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$

E$$E $ÍMBOLO É O BRILHO DO$ OLHO$ DELE$

Anônimo disse...

E por falar em contingenciamento de despesas, principalmente as supérfluas, segue um link muito pertinente, eis que mostra as consequências da malversação do patrimônio dos fundos de pensão das estatais, cuja matéria faz duras críticas à conivência da PREVIC, bem como a responsabiliza por tudo:

http://economia.estadao.com.br/noticias/geral,mais-fundos-de-pensao,1684594

Anônimo disse...

O estimado professor Ari sempre aponta uma solução de consenso. Concordo que se houvesse redução nas remunerações dos diretores da PREVI, o montante apurado deveria ser suficiente para um reajuste, mesmo que de menor percentual, principalmente para as pensionistas que, normalmente, são as mais sacrificadas.

Anônimo disse...

Professor Ari,

Minha saudosa avó dizia que o bom julgador por si julga os outros. Por isso, fico tentando me imaginar na condição de um diretor da Previ. Moraria numa mansão com piscina, teria um carrão importado, mandaria minhas filhas estudarem no exterior, comeria do bom e do melhor. Só haveria três grandes problemas que teria que enfrentar: o espelho, o travesseiro e minha consciência.
A palavra pensionista seria um soco na minha cara. Órfão seria uma facada no peito.
Não conseguiria carregar um peso tão grande nas minhas costas. Se não pudesse resolver os problemas dos que me elegeram, renunciaria. Convocaria a imprensa e denunciaria tudo o que a mordaça da confidencialidade impede que os participantes saibam.


Esse dinheiro tem um preço muito alto

Rosalina de Souza disse...

Presidente Ari Zanella,

Estamos desgovernado, o Governo central(PT e PMDB),cujo a rainha do Brasil é a comandante esta as ruínas, economia galopante, e nossos Dirigentes estão achando que vive na LUA.

Estamos perdidos, nossos benefícios estão sempre valendo menos, e eis a novela do ES, do TETO, das brigas e do descaso dos DIRIGENTES.

Não acredito em mais nada Presidente, estamos DESGOVERNADOS, a inflação esta comendo tudo, e o benefício não passa mais do dia 20 de cada mês.

O Lula esta correndo atrás de salvar a própria pele,divide-se entre Dilma/Renan/Cunha e sua base desalinhada a procura de onde foi que o Governo Bateu.

E tome desemprego, e os pobres/miseráveis, incluídos uma boa parte do beneficiários do maior fundo de pensão deste País, achando que estamos vivendo as mil maravilhas.

O socorro é urgente, o ES tem que ser liberado imediatamente, sem formulas mirabolantes, sem discriminação e pra ontem, o resto é pura demagogia barata.

Aí com um certo alivio vamos cuidar de problemas, outros problemas, porque a situação chegou na UTI, só falta mesmo a morte chegar e sermos enterrados vivos, pois o massacre esta completo com a conivência dos ELEITOS E DOS INDICADOS DESTE BANCO DO BRASIL DESONESTO, FALSÁRIO, E QUE SÓ DEFENDE AS VALDIRENE DA VIDA.

As pensionistas velhas naturalmente e sem expressão no rosto vive no esquecimento, a espera do dia do descanso final, e que ele não demore a chegar pois a vida esta complicada demais,com promessas demais, com cinismo demais, com estudos demais, com aplicações demais, com sub faturamento demais, com associações demais que no fundo nada fazem para mudar a nossa vida.

Parabéns Presidente da ANAPLAB, que o Senhor viva muitos anos para ter o prazer de ser o motor das futuras mudanças, porque elas com certeza virão.

Saudações Cordiais

Rosalina de Souza
Pensionista
Matricula 18.161.320-4

Jose Roberto Eiras Henriques disse...

Ari,

Fiz essa postagem no blog do Medeiros e a faço aqui, por entender que o assunto é sério e merece atenção.


Acompanho diariamente seu blog, leio os comentários e sinto a preocupação de colegas sobre a situação financeira de cada um.

Recentemente, ganhou grande destaque entre os colegas a convocação do BB para conhecer o programa de integração destinado aos aposentados.

Mas, pesarosamente, percebo que a discussão sobre CASSI passa à margem dos assuntos aqui comentados.

Não vejo qualquer cometário sobre a proposta apresentada pelo Banco para sustentabilidade da CASSI, mostrando o grau de alheamento dos colegas quando o assunto é a garantia de nossa assistência médica.

O Banco apresentou proposta de aporte financeiro - na verdade, apenas baixa o provisionamento feito me seu balanço para garantia dos assistidos no pós laboral para tirar proveito desse dinheiro, uma vez que obriga que seja aplicado em fundos administrados pela BBDTM e lucrar em operações financeiras - para solucionar as dificuldades financeiras da CASSI, não abrindo mão da gestão de sua gestão e deixando de pagar a cota patronal sobre os beneficios dos aposentados.

Leiam no boletim veiculado nos sites: www.bb.com.br/cassiemdebate, da AFABB, ANABB e outras associações representativas de nossa classe, a proposta e as considerações dessas entidades o assunto.

De que adianta uma situação financeira estável sem saúde ou sem condições de buscar alternativas para mante-la?

paraguassu disse...

Estarrecido!!!!! Dr.Medeirossimplesmente tirou a esperança de milhares de colegas,ao declarar que o ES CaPEC pro ralo. Creio,s.m.j, que esse assunto não pode simplesmente"ir pro ralo", pois foi uma promessa do Presidente da Previ,feita na presença de centenas de colegas "pos laborais". Prefiro achar que o Dr. se expressou mal do que pensar que o Sr. Geitiro eh mais um mentiroso infiltrado na nossa Previ. O sr. Geitiro deverá se pronunciar com a possível brevidade e desmentir a notícia bem como apresentar algum substitutivo, sob pena de cair na desconfiança dos verdadeiros donos do nosso fundo. Se o Japonês for traidor, nada mais nos resta do que acampar no Mourisco e soh sairmos com algo concreto. Chega!!!!!!!!!!!!!!

Anônimo disse...

Pergunta se algum diretor concorda com a proposta? Não é necessário nem pagar 1 milhão para nenhuma consultoria
avaliar que a mudança é excelente

ABRAM AS DESPESAS ADMINISTRATIVAS. QUAL RAZÃO DE CONFIDENCIALIDADE NISSO? MERCADO? SÓ SE FOR
SUPERMERCADO. WHISKY? VERBA DE REPRESENTAÇÃO? JANTARES? NOITADAS NO INTERESSE DO SERVIÇO?

6 tão é de sacanagem

Anônimo disse...

31/05/15 19:27

Alguma lembrança de Pearl Harbor??? ;))

Anônimo disse...

Concordo com a abertura das contas da PREVI, basta disponibilizar um Balancete que liste analiticamente as contas de despesas. Estamos muito passivos!!!!!!!!!Essa postura comodista representa, tbém, certo descaso com a nossa própria e iminente desgraça. Estamos indo na esteira do POSTALIS, FUNCEF, PETROS, FAPES, etc. Precisamos nos inteirar dos gastos administrativos da PREVI e ainda exigir postura de parcimônia com gastos supérfluos e onerosos, tais como consultorias, eventos, bufês, cerimônias, palestras, viagens, rega-bofes, etc.

Anônimo disse...

Manchete da Folha de São Paulo:

UM TRABALHADOR AMERICANO PRODUZ COMO QUATRO BRASILEIROS

Já imaginaram se fizessem a comparação pegando como exemplo somente os sindicalistas?

No mínimo 1 para 1.000. Talvez pouco. Melhor 1 para 5.000. Sindicalista é bicho vagabundo demais.

Anônimo disse...

Professor Ari,

Desculpe a liberdade, mas sabe de algo bom para flatulência? A patroa já está para me dar cartão vermelho.
Sei que o blog quer nosso bem estar, então...

Gordin

Anônimo disse...

""" ATÉ QUE ENFIM, RECONHEÇO QUE COMECEI A FICAR VELHO """

Mestre, não é brincadeira e descobri por causa deste blog, pois
ao ler as postagens comecei a me preocupar com os problemas aqui
expostos . O da CASSI é o primeiro e um dos mais sérios,pois en-
volve saúde do nosso universo ,que merece cuidados especiais de
toda sorte; o pior é que estamos impotentes (somente em parte !! )
para gerenciar este problema ,mesmo tendo pago ao longo dos a -
nos milhões de reais, aconteceu que nós, milhares de homens com
formação universitária e experiência gerencial, entregamos a con-
dução dos negócios de nossas associações a um grupo de alienígenas
que agem com soberba,pensando nos seus interesses e mantendo os
donos alheios ao negócio. Leio que 5 (cinco) BI podem ajudar na
solução do caso, desde que seja transferido para a CENTRAL/RRVBI
(a 2a. sigla significa : :recursos recolhidos dos velhos de boa
indole ).O Muitos vezes fico pensando em filmes de ficção quando
um pequeno grupo de aloucados dominam uma comunidade e estes fi -
cam sem ação e se tornam escravos. Colegas, antes de entregarmos
a CASSI para esse grupo, não seria o caso de investigarmos o que
é feito nos Estados Unidos com planos de saúde particulares ou na
Europa ou mesmo contratar técnicos da Unimed e similares que inun-
dam as TVs de comerciais ,além de financiar times de futebol. Gen-
te, um dia um colega neste blog insinuou que eu não gosto da . .
ANABB, prometo que passarei a gostar o dia que passar a agir em de-
fesa do grupo que a SUSTENTA,principalmente em questões como a que
estamos vivendo com a CASSI.Cordialmente,DivanySilveira-S.Lagoas-mg

Anônimo disse...

Acho que já nem existe mais dinheiro na Previ. Viram onde foi usado o dinheiro do FAT através do BNDS? Jornal o estadão 31/05.

Anônimo disse...

Colega Divany e D+

Para sabermos o que realmente aconteceu e acontece dentro da nossa CASSI, levando-a a ter esses déficits, acredito que, só se aparecer alguém que, como na "Lava-jato" faça delação premiada.
Sobre o sistema adotado para fornecimento de medicamentos, alguns colegas já postaram que a CASSI paga mais caro que o valor cobrado, de nós, se comprarmos direto nas farmácias... aí tem...

Anônimo disse...

GORDIN, experimente arrolhar a porta de saida.

Acho (nao eh experiencia propria), acho que dah certo.

Ari Zanella disse...

GORDIN,

Eis o que diz a respeito do assunto o Dr. Dráuzio Varela:

Gases intestinais podem causar grande desconforto porque provocam distensão abdominal. Além disso, em determinadas circunstâncias, podem trazer constrangimento social.

O ar engolido ou os gases formados no aparelho digestivo podem ser expelidos por via oral (arroto) ou via anal (gases intestinais ou flatos). A maior parte deles, no entanto, é produzida no intestino por carboidratos que não são quebrados na passagem pelo estômago. Como o intestino não produz as enzimas necessárias para digeri-los, eles são fermentados por bactérias que normalmente ali residem. Esse processo é responsável pela maior produção e liberação de gases.

Em alguns casos, por fatores genéticos ou porque adotaram uma dieta saudável com pouca gordura, mas rica em fibras e em carboidratos, algumas pessoas podem produzir mais gases. No entanto, a maioria das queixas parte de pessoas que produzem uma quantidade que os gastrenterologistas considerariam normal. Estudos demonstram que, em média, um adulto pode expelir gases vinte vezes por dia. De qualquer modo, há como prevenir a maior formação de gases.

Recomendações

Dieta é a palavra-chave para reduzir a produção de gases, uma vez que é impossível eliminá-la totalmente:

* Leguminosas como feijão, ervilhas, lentilhas e soja, entre outras, são causadoras de gases. Ricas em carboidratos não absorvíveis, as leguminosas tendem a fermentar no intestino. Eliminá-las totalmente da dieta pode não representar uma boa solução porque constituem uma fonte importante de proteínas, fibras e outros nutrientes. Uma dica prática e com bons resultados, por exemplo, é deixar o feijão de molho durante a noite. No dia seguinte, a água deve ser trocada por outra antes de cozinhá-lo bem, pois amido mal cozido aumenta a produção de gases;

* Intolerância à lactose é outra causa importante de flatulência;

* Algumas pessoas notam aumento na produção de gases quando ingerem comida ou sucos adoçados com açúcar de frutas (frutose) ou adoçante artificial à base de Sorbitol. Nesse caso, esses produtos devem ser evitados;

* Reserve um tempo tranquilo para as refeições. Mastigue bem os alimentos. Engolir a comida sem mastigá-la direito e às pressas atrapalha a digestão e o bolo alimentar pode chegar ao intestino sem estar digerido adequadamente;

* Procure não falar muito durante as refeições para diminuir o volume de ar deglutido;

* Prefira alimentos ricos em fibras e beba bastante líquido, pois isso facilita o trânsito intestinal. A obstipação retarda a passagem da comida pela parte inferior do aparelho digestivo, provocando maior fermentação dos alimentos e, conseqüentemente, maior produção de gases;

* Preste atenção, no seu caso específico, aos alimentos que podem estar associados a gases. Algumas pessoas reagem mal à farinha (pães, massas, etc.), batata doce, cebola, rabanete, aipo, berinjela e germe de trigo. Alguns vegetais como repolho, brócolis, couve-flor e couve-de-bruxelas, acusados de aumentar a produção dos gases, têm seu consumo recomendado pela Sociedade Americana de Câncer;

* Andar é sempre saudável, pois estimula os movimentos intestinais.

Anônimo disse...

Professor Ari,

Seguirei as instruções e eu, principalmente a patroa, agradecemos. Obrigado também ao arrolhador

Gordin

Anônimo disse...

Paraguassu, também fiquei estarrecido com a noticia do Medeiros, não que eu seja a favor do ES Capec mas com a fala do presidente Gueitiro
sobre já estar no final, estudo sobre a tal possibilidade.
E impressão minha ou ele realmente enrolou e MENTIU como todos os outros???????
Ele e do bem.....japonês e legal.....Começou bem pois vai ouvir os aposentados.....Hahahahahahaha!!!!!!!!

Anônimo disse...

O ES Capec só pode ser aprovado com a condição de ser opcional porque o que é bom para uns não é para outros.

Anônimo disse...

ACREDITAR NESSE ES-CAPEC É MESMO QUE ACREDITAR EM SACI PERERE,
MULA-SEM-CABEÇA E OUTRAS COISAS MAIS

Anônimo disse...

HEHEHEEH,

o tal marcel, do sindicato, ferrou o japo.

Carlos - Rio Pardo(RS) disse...

As 15h todos nossos problemas se resolverão. Vem o tal do programa Integração.
Ver para crer. E a luta continua.
Abr a todos

Anônimo disse...

Colegas,

Acabei de ler a última postagem do Dr. Medeiros em seu Blog:
"COMEÇANDO A CHUTAR O BALDE UM ANO DEPOIS DA POSSE NA PREVI"
Meus sinceros cumprimentos ao Dr. Medeiros!
Muito importante que todos a leiam...

Anônimo disse...

Colega Gordin, sem querer me intrometer na resposta clara e objetiva do prof. Ari, digo-lhe que tenho duas alternativas:
a - usar Luftal (ou, no genérico, seu princípio ativo que é a dimeticona ou simeticona);
b - pensar sempre no saldo do ES impagável, que o respectivo ficará completamente fechado, impedindo a saída dos flatos nos momentos impróprios.