BANNER

Acesse aqui!
atendimento@anaplab.com.br
Joinville/SC: (47) 3026-3937
S.J. Pinhais/PR: (41) 3035-2095

domingo, 3 de maio de 2015

BUSCANDO SOLUÇÕES (por J. Rossi Neto)

Aceita por todos, reina, na visão dos agentes produtivos de todos os segmentos econômicos, a máxima de que resultados positivos obtidos no “PASSADO” não são garantia de êxito no “PRESENTE” e tão pouco no “FUTURO”. Isto se aplica inclusive sobre os eventos esportivos, tanto que podemos afirmar com segurança que a vitória de ontem poderá não se repetir hoje e nem amanhã. Dentro dessa ótica, certamente a seleção alemã de futebol nunca mais baterá a brasileira pelo placar de 7 x 1, mesmo que joguem outras dezenas de vezes sucessivas.
Portanto, pessoas jurídicas de qualquer natureza não ficam olhando eternamente pelo retrovisor, resultados de passados remotos, mesmo que superavitários, para alterar estratégias negociais, rejuvenescimento de produtos para otimizar lucros ou eliminar prejuízos. As mudanças corretivas são feitas no curto e médio prazo.
Dentro do mesmo propósito, as instituições financeiras, sem exceção, fazem análises de crédito com fulcro nas demonstrações contábeis dos últimos três exercícios para dimensionar os limites de créditos e a sua efetiva assistência creditícia. Como o risco de qualquer negócio está no futuro, os bancos não são trouxas e buscam informações atualizadas nos balanços das empresas-clientes, no máximo, do derradeiro triênio, objetivando agir de forma proativa e preventiva, com vistas a suspender a liberação de recursos adicionais a clientes quebrados ou caminhando para a falência.
Por isso, precavidos, revisam os cadastros dos tomadores de empréstimos em tempo mais exíguo e seguro. Logicamente, a Diretoria Executiva da PREVI comete falha grave ao fechar os olhos e ouvidos a essas premissas fundamentais de Governança Corporativa na realização de seus negócios ou de manutenção das suas transações financeiras já pactuadas. Em consequência dessa má gestão dos recursos, os prejuízos advindos acabam caindo sobre as costas dos inocentes participantes e assistidos que, invariavelmente, são convocados para equacioná-los.
Não tem lógica racional e senso profissional esperar indefinidamente que os resultados insatisfatórios na PREVI sejam revertidos por golpe de sorte, com arrimo em adivinhações fantasiosas, acontecimentos fortuitos, imprevisíveis e milagrosos.
Os cenários econômicos sinalizam dificuldades desfavoráveis em médio prazo para reações positivas no desempenho das Bolsas de Valores, circunstâncias que impõe correção de rumos na gestão dos recursos aplicados em ações, com vistas a evitar que coisa degringole de vez. Acredito que se o dinheiro investido em Rendas Variáveis (R$ 89 bilhões) fosse de propriedade dos Diretores da PREVI, eles não teriam coragem de continuar mantendo essa absurda e suicida exposição!
É verdade que quanto mais risco tem o investimento, maior a possibilidade de ganho elevado, todavia, se malograr o tombo também é muito grande e pode fazer ruir os esteios financeiros erigidos ao longo do tempo e resultar em uma exorbitante descapitalização até para pagar em dia as aposentadorias.
Em cenários econômicos internos e externos, voláteis, as dificuldades se alternam, ora é o preço do barril de petróleo que desaba, ora é o dólar que dispara e ora é o preço da tonelada de minério de ferro que sofre redução pela falta de pluralidade de parceiros comerciais, consumidores dessa commoditie.
O investimento em ações deve ser feito com prudência e conhecimento, e não com base na crença de que no fim tudo dá certo. Operações com alto grau de risco podem corroer todo o patrimônio, portanto, todo cuidado é pouco.
Ninguém aqui está excomungando as Rendas Variáveis como investimento proibitivo e definitivamente inviável. Não se trata da retirada total, pura e simples, do dinheiro investido em ações e fundos de ações, mas devido à rentabilidade negativa (- 4,43%) no balanço de 2014 da PREVI, a preocupação legítima tem o cunho de alertar para a necessidade urgente de redistribuir equilibradamente o volume das atuais exposições (Rendas Variáveis) em “Ativos mais Conservadores”, como Títulos do Tesouro Nacional que hoje pagam rentabilidade que suplanta a meta atuarial; Em imóveis para aluguel que gerem receitas mensais para reforçar o fluxo de caixa e em outras modalidades de Rendas Fixas compatíveis com os desembolsos de curto prazo do nosso Fundo de Pensão.
É evidente que os desinvestimentos deverão ser feitos gradualmente para não inundar o mercado e desvalorizar a cotação das ações que seriam colocadas à venda e, assim, neutralizar eventuais prejuízos de uma comercialização mal planejada. Sempre é bom lembrar que os números da PREVI são de natureza “contábil/gerencial” e os “ganhos e perdas” só se efetivam com o efetivo fechamento de negócios.
A realidade é que nós, associados, estamos com as nossas finanças esgotadas, em frangalhos, o nível de endividamento comprometido e não aguentamos outros cortes (BET e volta das contribuições) nos benefícios em vigor. Penso que o segmento de Rendas Variáveis deve girar em torno de 30% do Ativo Total (R$ 162 bilhões), ou seja, cerca de R$ 50 bilhões. Como temos, hoje, R$ 89 bilhões aplicados em ações, caberia migrar R$ 39 bilhões para outros investimentos conservadores.
Outra medida nobre e justa que a Diretoria Executiva da PREVI poderia implementar, a título de compensação pelos estragos acarretados pelo corte do BET, seria a suspensão das contribuições para os participantes e extinção da contribuição para os assistidos que contribuíram com 360 ou mais parcelas durante o tempo de ativa e de aposentadoria.

45 comentários:

Anônimo disse...


ESTA É A HORA CERTA PARA A PREVIC MOSTRAR PRA QUE VEIO. SE ELA EXISTE SÓ PARA DAR BOM EMPREGO AOS "CUMPANHEIROS" OU SE EXISTE NA PRÁTICA PRA RESOLVER OS PROBLEMAS QUE ESTÃO OCORRENDO NOS FUNDOS DE PENSÃO POR CAUSA DOS RECURSOS MAL APLICADOS, CFE OCORREU COM O FUNDO DOS CORREIOS (POSTALIS).

Anônimo disse...

senhores, não podemos ficar esperando pela PREVIC/STF ou qualquer outra coisa, temos sim é que exigir nossos direitos antes que nosso patrimônio e consequentemente nossas aposentadorias vão para o espaço.
BASTA !!!
- temos que tomar providências," panelaço,peladaço/ e, até acho melhor "UM PEDALAÇO " pois sou adepto de pedalar em minha bike aqui em Balneário Camboriú(SC), mas não podemos ficar eternamente "DEITADOS EM BERÇO EXPLÊNDIDO" - VAMOS exigir NOSSOS DIREITOS na PREVI e mais urgente na CASSI.

Ademir Medeiros Martins
Bal.Camboriú(SC).

Anônimo disse...

PREVIC

Suspeita altíssima de CABIDE DE EMPREGO DO PT, pois foi criada por Lula.

Anônimo disse...

A Previ tem condições de atender pelo menos algumas das nossas reivindicações como por exemplo a suspensão das contribuições para os participantes e a extinção para os assistidos que contribuiram com 360 ou mais parcelas durante o tempo da ativa ou da aposentadoria como disse o Rossi. E nem precisaria o Presidente se deslocar da Previ para se reunir com ninguém em outro local (quem pagou a viagem?). Só precisa ter boa vontade e empenho em ser justo com todos nós.

Ari Zanella disse...

Meu caro Ademir Medeiros Martins,

Concordo, só que pedalaço pouco irá resolver. Temos que convencer o Carvalho (morador aí de Balneário Camboriú) a convencer a Cecília Garcez e o Décio Botecchia Júnior a iniciarem uma petição na próxima reunião de diretoria, propondo a retirada das contribuições para quem já cumpriu as 360 máximas previstas. Funciona assim, a diretoria decide (colegiado) e o Conselho Deliberativo APROVA, alterando o Regulamento. Eu mesmo vou escrever ao Carvalho e a Cecília fazendo este pedido, perfeitamente EXEQUÍVEL E JUSTO. Este percentual, uma vez reposto ao combalido paciente fará toda a diferença.
Mas é preciso que mais gente atuem nesta direção. Temos gente de peso favoráveis como Carlos Valentim Filho, João Rossi Neto, e principalmentes este batalhão de associados que já completou as 360 mensalidades.

Anônimo disse...

Prof.Ari,
Parabéns pela iniciativa de fazer o pedido.No caso dos associados que já completaram as 360 mensalidades (eu já completei 552) solicito que o Sr. indique a melhor forma de atuarmos nessa causa como o Sr.sugere.Agradeço seu trabalho e também ao Rossi.

Anônimo disse...


Caro mestre Ari (11:04),

Sua sugestão é excelente. Uma petição nesse sentido poderia resolver definitivamente a retirada das contribuições além das 360 máximas previstas. Basta um pouco de boa vontade do Carvalho, Cecília e Décio. É até uma OBRIGAÇÃO de eles fazerem isso por nós, já que estão no mourisco com nossa ajuda.

Anônimo disse...

Mais um diretor pula fora da Previ. Lava Jato a vista?

Anônimo disse...

Noticias dão conta da saída de Marco Geovane da diretoria da Previ.
Deu no reporter Esso, oopss, blog da diretora.
Um excelente interprete do saudoso Elvis Presley.

Anônimo disse...

Prof. Ari, como sugestão : na reunião do conselho consultivo da qual o senhor faz parte, poderia ser apresentado as seguintes moções.
Reduzir salários de diretores e conselheiros;
Proibir acumulo de cargos tipo diretor com conselheiro em participadas, conselheiro deliberativo ou fiscal com conselheiro em empresas participadas;
Proibir recebimento/pagamento de bônus, a não ser que o patrocinador arque com os custos;
Proibir que diretores ou conselheiros na Previ, tenham cargos em associação de defesa de participantes ou de DEFESA do Patrocinador;
Considerar como "crime eleitoral" promessas sabidamente que não serão viáveis com consequente cassação de mandato;
Participantes de manifestações -(não organizadores) - às vesperas de eleições na Previ, sejam impedidos de se candidatar, cumprindo quarentena de 360 dias.

Ari Zanella disse...

14:45

Sugestões anotadas. Levá-las-ei para a Reunião que acontecerá em junho (ainda não sei o dia). Muito obrigado.

Anônimo disse...

Ibovespa a 57.406 pontos

Anônimo disse...

caro Ari Zanella

- já repassei ao Carvalho sua muito bem colocada sugestão, pois realmente nosso candidato aqui de Balneário Camboriú(SC) está nos devendo um posicionamento mais agressivo sobre este e outros assuntos.

Ademir Medeiros Martins
Bal.Camboriú(SC)

Anônimo disse...

Quem vai gostar muito dessa sugestão é o patrocinador, pois deixará de contribui mensalmente com parcela idêntica à dos aposentados.
E não que eu não a apoie, pois já paguei mais de 500...

Marco Orlando disse...

Ari,
Já que temos vários colegas pedindo a suspensão das contribuições para quem já contribuiu mais de 360 vezes (justo),porém não beneficia a todos, acho que podemos também pedir(perfeitamente viável e justo) o fim da PARCELA PREVI, que também não beneficia a todos. As duas decisões deem vir em conjunto. Uma beneficia os pré/97 e outra beneficia os pós/97.
Só assim poderemos deixar o egoismo de lado e pensar em todos, evitando assim rachas desnecessários entre os participantes.
Um grande abraço.
Marco Antonio Orlando

Anônimo disse...

Cadê a Leopoldina?
Estou sentindo falta dela. A matéria dela no olhar de coruja está paralisada.

Anônimo disse...

A mesma tese "360 máximas previstas", pode ser para 180, 200, 250, etc. máximas previstas, eis que, as aposentadorias são calculadas proporcionalmente ao nr. de meses contributivos. Acho que todos os aposentados devem ser isentos de contribuição, exceto para cobrir déficit atuarial.

Anônimo disse...

Na Revista Previ tem uns escritos do Botecchia que ele comenta sobre essa concentração do Previ 1 em renda variável e o planejamento para reduzir isso.

Professor Ari, como faz parte do Conselho Consultivo sugiro mandar essas idéias do Rossi para os demais colegas nomeados e eleitos com votação significativa dos leitores deste seu blog, para eles opinarem sobre a viabilidade ou não de colocá-las em prática, pois ficando isso apenas aqui no seu popularíssimo endereço eletrônico
não vai levar a nada e ficamos apenas na teoria.

Tudo de bom

Wanderley

Everton disse...

espero que não venha cair no colo da Previ
Justiça suspende operação de aquisição de sondas entre Petrobras e Sete Brasil
A decisão decorre de uma ação popular que afirma que a licitação vencida pela empresa para fornecimento de sondas é "lesiva ao patrimônio público"
Desde janeiro, bancos privados, públicos e o BNDES tentam desenhar uma saída financeira para que a empresa não quebre. A Sete dependia de um empréstimo de 3,8 bilhões de dólares concedido pelo BNDES para dar seguimento à construção das sondas. Contudo, após a delação de Barusco, a linha de crédito se tornou inviável. Atualmente, banqueiros e governo tentam criar uma solução para que a empresa consiga, ao menos, pagar as dívidas já contraídas, que alcançam 12 bilhões de dólares.

Anônimo disse...

Nem pedalaço peladaço poderá nos ajudar. Eles fazem o que bem entendem com nosso suado dinheirinho.

João Lopes Rodrigues disse...

Colegas!

Considerando o princípio da isonomia, acho favorável que todos se empenhem na conquista da suspensão das contribuições para TODOS os aposentados.

Quem optou pela aposentadoria, certamente o fez no momento mais oportuno para sua vida (salvo algumas exceções). Assim sendo, penso não importar por quanto tempo esteve contribuindo: se 15, 20, 30 ou mais anos. Ao optar pelo recebimento do benefício, ao invés de sacar o montante ali depositado, é justo que não haja mais contribuições a serem feitas. Que se dê, a partir daí, apenas o pagamento devido pelo gestor do fundo, pela administração por anos a fio de valores ali confiados.

Resumindo: penso ser justo que levantemos a bandeira da suspensão das contribuições para TODOS os aposentados e pensionistas.

Era isso!

Anônimo disse...

Anônimo das 21:57,

Você tá certo. É assim que deve ser.

Roberto Martines 8670089-8 disse...

Vamos administrar essa PREVI, acabar com a parcela previ muito injusta para os pós/97 e as contribuições para quem já pagou 360 ou +, e olha que vem ai mais uma do BB, querem incentivar a aposentadoria dos 15 mil já aposentados pelo INSS, mas uma para PREVI administrar ou quem comanda a PREVI pensa que a sorte(bolsa) resolve todos os nossos problemas que temos pela frente.

Anônimo disse...

Professor Ari,

Favor avisar ao Dr. Medeiros que o blog dele está com vírus.
Não está sendo possível acessá-lo

Anônimo disse...

Professor Ari,

Essas falcatruas recentemente divulgadas pela imprensa, nos faz pensar na facilidade que os governantes tem de fraudar as instituições. Tudo é motivo de levar vantagem sobre o semelhante.
Veja no nosso caso de Previncianos: Quem está no poder nos subtrai os direitos e quem se diz combater o poder também. Pessoas que dominam extremamente bem o vernáculo se mostram combativos até resolverem seus problemas financeiros pessoais e aí se calam. Acho que o problema é a natureza humana e o preço que cada um tem. Uns são mais caros que outros.
Espero que o Deus criador dos Céus e da Terra mude o coração das pessoas...

Anônimo disse...

Senhores Aposenpenados,

Vejam, a PATRIA EDUCADORA não tem dinheiro para os estudantes, mas tem dinheiro para os SUSPEITOS LADRÕES DO PETROLÃO E PARA OS CONDENADOS DO MENSALÃO.
É assim que as famílias que acreditaram em que seus filhos seriam beneficiados com as inscrições no FIES, foram traídas.
Esses governantes MENTEM A TODA A HORA E ENGANAM OS BRASILEIROS.
Ficaram horas e horas esperando que o site da Educação operasse normalmente, madrugadas adentro.
Mal sabiam que o governo, ele governo, teria de propósito corrompido o sistema de inscrições.
E em corromper parece que são imbatíveis.
Corrompem tudo aquilo em que interferem, ou as notícias que voam por este Brasil são todas mentirosas?
Em todos os jornais e veículos de comunicação que se lê ou vê há indícios de sujeira petralha e de seus aliados, é claro não ficam de fora outros políticos indecentes e corru pt os.

Anônimo disse...

Professor Ari,

Cfe o regulamento, não existe a possibilidade de se adotar reajustes semestrais haja vista o retorno da inflação? Agora em Abril o INPC deve alcançar ou ficar perto do índice de reajuste que tivemos em janeiro.

Seção II – Do Reajuste dos Benefícios
Art. 63 - Os benefícios e rendas de prestação mensal previstos neste Regulamento serão reajustados PELO MENOS UMA VEZ POR ANO, em janeiro, de acordo com a variação do índice a que se refere o artigo 27 apurada no período compreendido entre o primeiro dia do mês do último reajuste e o primeiro dia do mês de competência do novo reajuste.

WILSON LUIZ disse...


Todos os presidentes, desde Deodoro da Fonseca, fazem pronunciamento na televisão, dia primeiro de maio, alusivo ao dia do trabalho. Este ano, a presidenta Dilma , com medo de panelaço em seus tímpanos, não o fez. O que me deixa pê da vida é que eles ainda debocham de nossa cara, acham que somos débeis mentais. O ministro da comunicação social, Edinho Silva, com sua barba de mendigo, disse que, desta vez, a presidenta prefere prestigiar as redes sociais, seguramente as simpáticas ao petismo.

Como disse Charles de Gaulle, “le Brésil n’est pas un pays serieux”. Temos uma presidenta que não decide mais nada em “seu “ governo, não pode aparecer em público, pois é vaiada, e não pode se pronunciar na televisão porque é panelada.

Pensar que ela ainda tem 3 anos e 8 meses de mandato, o que fará para passar o tempo? Provavelmente, ficará confinada nos palácios, seguindo a dieta do doutor Eduardo Cunha para emagrecer, ou seja, engolir sapos; para manter a forma física, se dedicará a seu esporte favorito, dar coice nos ministros de segunda classe, aqueles que a chamam de señora presidenta, com especial preferência por Pepe Vargas, o Pepe Legal. Terá, também, seus momentos de depressão, pois deve ser difícil, em cima de seu enorme orgulho, ouvir gozação de Renan Canalheiros, tipo “é preciso escutar a voz das panelas”.


HENRIQUE PIZZOLATO: “prefiro morrer a cumprir pena em uma prisão brasileira”. Antes de se suicidar, cai de quatro e relincha, jumento. Tivesse ficado no Brasil, encostadinho no Zé Dirceu e no Genoíno, teria cumprido uns meses de pena e já estaria na rua.

Anônimo disse...

Será que o cachaceiro vai puxar uma cana? Vai colocar aquela pulseirinha que bandido usa para entrar no camburão?
Se todos os bandidos usarem tornozeleira eletrônica vai faltar para quem precisa.
Malhando, puxando uns ferros, o mané tá se achando...
Aproveita enquanto pode. Lá no xilindró tem que fazer o número 2 na frente de todo mundo e tomar banho com geral. Ah! Se tiver curso superior...

Anônimo disse...


A FARSA

Engraçado. Até outubro do ano passado, mais precisamente até o segundo turno das eleições, a Dilma dizia em seus discursos, que a educação, saúde, Pronatec, Fies, financiamento imobiliários, setor produtivo, mineradoras, pré-sal, plataformas de petróleo, setor automotivo e o restante da economia, estava indo tudo às mil maravilhas. De repente, 3 meses depois, estava tudo desmoronando. Falta verba para a educação, para a saúde e para o Fies. Também a Petrobrás tá quebrando, o pré-sal tá paralisado, o setor automotivo está demitindo e dando férias coletivas, os juros bancários estão subindo montanhas, o financiamento imobiliário está com juros escorchantes e limite reduzido, etc., etc.

E ainda pensa que sabe governar!

Anônimo disse...


PANELAÇO

fiquei impressionado com o tamanho do panelaço, apitaço e buzinaço que teve há pouco aqui em Goiania, no horário político do PT.

Anônimo disse...

http://epoca.globo.com/tempo/expresso/noticia/2015/05/camara-dos-deputados-debatera-prejuizos-do-postalis.html

Leia-se: SENADO DEBATERÁ PREJUÍZO DO POSTALIS

Vamos ver até quando o governo terá cacife para desarticular tais iniciativas.
Vamos ver, tbém, se a questão dos fundos de pensão servirá mais uma vez de moeda de troca nas mãos dos vendilhões, que ameaçam e, qdo. chove na horta, retiram as suas assinaturas ou o assunto da pauta.



João Rossi Neto disse...

Amigo Ari e colegas,

A equipe oficial do patrocinador na PREVI, composta por três Conselheiros Deliberativos e três Diretores Executivos, é coesa e reza em uníssono pela cartilha do BB, de modo que a substituição do Diretor de Participações, Marco Geovanne, é o mesmo que trocar seis por meia-dúzia, dado que o seu sucessor também vem por indicação do banco para exercer o mesmo papel, ou seja, cumprir rigorosamente as ordens do patrão.

Esse pessoal sabe muito bem que qualquer ato de desobediência (uma simples mijada fora do pinico), é motivo para demissão sumária.

Em sã consciência, nenhum diretor indicado rasga dinheiro e em hipótese alguma mudaria para o lado dos associados da PREVI sujeitando-se a colocar em risco o salário atual superior a R$ 47 mil, afora os bônus pagos por desempenho considerado positivo, em que pese esse resultado seja insatisfatório para cumprir a meta de 25% da Reserva de Contingência, consoante apurado nos balanços de 2013 e 2014 do nosso Fundo de Pensão.

O que ocorre com certa frequência é o inverso, são Diretores (caso recente do Marcel) eleitos que pulam a cerca para pastar no gramado mais verde do BB.

Alimentar preocupação, esquentar a cabeça e esperar que fatos dessa natureza (substituição de indicados) possam gerar benefícios para o Corpo Social é puro exercício utópico, infrutífero, e o mesmo que acreditar em Papai Noel e que o Lula e a Dilma mandem cancelar a Resolução 26/2008 e parem de meter as mãos grandes, golpistas e sujas, nos recursos dos quatro maiores Fundos para fins espúrios.

Boatos na mídia dão conta de que o Governo quer utilizar cerca de R$ 10 bilhões dos Fundos de Pensão para cobrir rombo no BNDES.

Os balões de ensaio já foram lançados para avaliar a repercussão junto à sociedade, todavia, na realidade o povo quer é ver uma CPI para investigar os financiamentos sigilosos e camaradas aos "companheiros", os quais são protegidos a sete chaves!

Anônimo disse...

A nossa tarefa até certo ponto é inglória.
Temos que votar em colegas que não se bandeiem para o lado do patrocinador.
E, ao mesmo tempo, eleger um governo que não meta a mão em nosso patrimônio.
Não é impossível, mas difícil isto não tem dúvida.
Talvez incluindo como sendo o 13º dos trabalhos de Hércules.

Anônimo disse...

Gente! Quanta ilusão!
Parem de sonhar; estamos nas mãos de demônios poderosos e não vai ser fácil sair deles. Só um milagre de Deus mesmo!

Anônimo disse...

Já estou aposentado e longe de conchavos e alianças políticas que resultam quase sempre em rasteiras, "banhos" e traições.
Não vou fazer mais nenhum trabalho.
Assinado HERCULES PREVIANO CASSIANO DAS DORES.

Anônimo disse...

Caro João,

Ele vai se empaturrar pastando no gramado verde do BB. Deem tempo ao tempo e verão que aquilo que agora lhe é bom e confortável se tornará pesadelo, e milhares de noites mal dormidas lhe virão por conta da consciência abalada, que não lhe deixará ruminar a excessiva ganância ao adentrar nessa pastagem.

Anônimo disse...

Perguntei à diretora se foi a Lava Jato que botou o Homi para correr da Previ e ela não publicou.
Por que será? Perguntar não ofende...

Anônimo disse...

link:http://economia.estadao.com.br/noticias/geral,diretores-sao-responsabilizados-por-rombo-bilionario-no-fundo-postalis,1681854

Dessa matéria, podemos inferir que o malfeito foi protelado para vir à baila após a eleição, como tantos outros, que agora vazam pelos ladrões. Revela tbém. que o aparelhamento da PREVIC, ora pelo PMDB, ora pelo PT, está por trás de tudo e a própria PREVIC, que agora remete a responsabilidade pela quebra do POSTALIS aos diretores daquele fundo, também deve ser responsabilizada por conivência. O Chefe da PREVIC agiu pra que a Ass.Func.Correios (ADCAP) desistisse da ação na Justiça, porém, em vão. Agora,em nosso caso, particularmente, o prejuízo/2014, salvo melhor entendimento, corresponde ao dobro do prejuízo do POSTALIS, e, pelo andar da carruagem, caminhamos para os mesmo buraco, porque a sanha contra a nossa classe é implacável.

Anônimo disse...

Pizzô se deu de bem! E o PT idem. Vai ter cachaça de monte pra cumpanheirada comemorar a vitória da democracia. Essas elites burguesas golpistas tem é que fazer menas maracutaia.

Anônimo disse...

E aquele amigo da Valdirene, a loira, não a morena que conheço, já sabia do carro zero bala?

Anônimo disse...

Na Folha SP tem uma reportagem dizendo que BB burla as regras e financia Porsche de amiga de ex-presidente.
Advinha quem é?

Valdirene

Anônimo disse...

Essa Valdirene tá danada! De Porsche? No nosso tempo era um Fuscão 1.500 marron diarréia. Já ia esquecendo de um detalhe muito importante: banco reclinável. A Valdirene adorava...

Anônimo disse...

"Colegas,

Taí embaixo o link da matéria que trata do Porsche da Valdirene.

É da Folha de S.Paulo, é só abrir e ler.

http://www1.folha.uol.com.br/poder/2015/05/1625242-bb-financiou-porsche-para-socialite-amiga-de-bendine.shtml

E eu que precisava só de 1% do valor que foi deferido a ela...!

Pedi, mas nem com um histórico de quase 50 anos (meio Século) de vida certinha com o banco e com todas as instituições financeiras do Brasil, o pedido foi aceito, foi simplesmente indeferido sem maiores explicações.

A resposta do meu pedido foi apenas aquela famosa frase: "Sua solicitação não logrou êxito."

Assim é f..., né!"
Lydio

Anônimo disse...

É que Lydio não pertence ao círculo de amizades do Dida ;))

A propósito, me colocaram como cliente em agencia "estilo", onde o atendimento é pior do que na "normal".

E não consigo voltar, porque "as normas não permitem".

E olhem que também não sou do círculo de amizades do Dida, não tenho grana para investir e não pedi para que efetuassem a mudança.

Realmente o BB-guloso esta muito distante daquela empresa em que um dia trabalhei.

Por outro lado estou gostando demais da CASSI, pois praticamente só tem mulher para nos atender.