BANNER

Acesse aqui!
atendimento@anaplab.com.br
Joinville/SC: (47) 3026-3937
S.J. Pinhais/PR: (41) 3035-2095

sexta-feira, 10 de abril de 2015

MANOBRA DE QUEM TEM O QUE TEMER

     O vice-presidente da república, Michel TEMER, que assumiu preventivamente a coordenação política da presidenta, já realizou duas grandes obras a favor do roubo e do favorecimento ilícito, cooptando 5 senadores pusilânimes que mudam de opinião como se troca de roupa, todos do PSB - partido criado pelo falecido Eduardo Campos. Assim, não bastasse os advogados de defesa do governo no judiciário, caso de Antonio Dias Tófolli, Teori Zavascki, Ricardo Levandowsky, Luiz Barroso e outros menos famosos, surge agora o tiro de misericórdia contra a lisura e a transparência. O PT e o PMDB querem esconder muita coisa mesmo. A caixa preta está no BNDES. Quem ganha a eleição no Brasil é o dinheiro (quase sempre subtraído de forma ilícita) que agora Michel Temer/Dilma constroem muros de concreto para ocultar. Até quando o Brasil vai ficar refém destes usurpadores???
     Cabe muito bem a pergunta: Se não devem por que Temer???
   

Matéria do Correio Braziliense

10.04.2015


Por Amanda Almeida


O Planalto conseguiu, pelo segundo dia 

consecutivo, barrar a criação de uma CPI

indigesta para o governo. Ontem, seis senadores 

retiraram a assinatura do documento que pedia 

a abertura de investigação sobre fundos de pensão.


Na última quarta-feira, sob a articulação do 

vice-presidente da república Michel Temer, a 

oposição já havia sido frustrada na tentativa de 

emplacar a CPI do Banco Nacional de Desenvol-

vimento Econômico e Social (BNDES).


Com a retirada dos apoios, não há as 27 assinatu-

ras necessárias para requisitar a abertura de uma 

CPI. A investigação  dos fundos de pensão havia

sido proposta pelo senador Aloysio Nunes Ferrei-

ra (PSDB-SP) e pela senadora Ana Amélia 

(PP-RS) na terça-feira, e tinha a firma de 30 

parlamentares.


Dos seis senadores que retiraram a assinatura, 

cinco são do PSB. Embora rompido com o governo

desde as últimas eleições - quando lançou Marina

Silva à corrida presidencial depois da morte de 

Eduardo Campos - a legenda ensaia uma 

reaproximação com o Planalto.


O senador Cássio Cunha Lima (PSDB-PB) disse

que o partido vai tentar novamente obter as 

assinaturas. Para Aloysio, a justificativa dada 

para a retirada dos apoios foi a de que o PSB é

"independente" e não quer partidarizar a

investigação. "Desculpa vergonhosa", classificou

o tucano.


A proposta é apurar supostas irregularidades

no gerenciamento dos fundos de previdência

complementar de funcionários de sociedades de

economia mista mista e de empresas públicas

controladas diretamente pela União. Estão na 

lista fundos do Banco do Brasil (Previ), da

Petrobras (Petros), da Caixa Econômica Federal

(Funcef) e dos Correios (Postalis). A oposição 

argumenta que a estimativa de prejuízo só da


***************************************


     Os argumentos da oposição 

(linhas finais) encontram respaldo

na realidade das contas da PREVI.

Em 2013, tínhamos uma reserva de

24 bilhões. Em 31.12.2014 esta 

reserva caiu para algo em torno de

12 bilhões. E aí PREVI, não tivemos

prejuízo???


30 comentários:

Anônimo disse...

Os senadores que retiraram sua assinatura para evitar uma CPI nos Fundos de Pensão, certamente estão com o "rabo preso" e preocupados com o desfecho negativo para eles próprios, com as investigações.

Anônimo disse...

e que tal essa: o aumento da margem consignável pssar para 50% numa visivel manobra para esvaziar as ações dos 30% ou estou errado?

Anônimo disse...

A Previ não tem convênio com a Alfacash mas com o Satélite.

Anônimo disse...

Se alguém conhecer algum político brasileiro honesto e comprometido com os interesses do povo,por favor me dê o nome do mesmo.
Zilmar/Maringá-PR

Anônimo disse...

Alguém poderia relacionar os Senadores que retiraram as assinaturas da CPI dos Fundos de Pensão?

Não posso ouvir fundos da pensão que logo me vem a mente a Valdirene ...

Anônimo disse...

Professor Ari, a bolsa reagiu bem esta semana, passando dos 53.000. Minha pergunta é: se alcançar 60.000, o nosso BET volta a ser pago?
Obrigado

Ari Zanella disse...

Não basta a bolsa chegar nos 65.000 pontos.

Primeiro de tudo precisamos recompor a Reserva Matemática para uns 30 BILHÕES. (Hoje está em + ou - 10 BI

O que exceder a este valor é a RESERVA ESPECIAL para revisão do Plano.

Anônimo disse...

Obrigado pelo esclarecimento.
Melhor a gente, então, não se animar por enquanto.

Anônimo disse...

Prof. Ari,

A Câmara dos Daputados aprovou o aumento do comprometimento da renda de 30% para 40%.
Será necessário mudar o percentual da ação judicial?
Ou não tem nada a ver?

Ari Zanella disse...

Meu Caro,

Uma lei não pode retroagir. Se for sancionada pela presidência esta lei será levada em conta daqui em diante. Nos próximos deverá mudar por consequência a Lei dos 30% Consignado.

Anônimo disse...

Prezados colegas,
Veja abaixo os senadores que retiraram suas assinaturas da CPI dos fundos de pensao:
Uma vez protocolado o requerimento, menos de uma semana depois, reuniram-se novamente e cinco - Capiberibe (AP), Lídice da Mata (BA), Fernando Bezerra (PE), Roberto Rocha (MA) e Romário (RJ) - viraram a casaca: decidiram retirar suas assinaturas que, mais do que simples assinaturas, representavam um compromisso de trabalho sério para investigar o conjunto de clamorosos escândalos e punir seus responsáveis.

Anônimo disse...

PREZADO PROFESSOR ARI.PEÇO A GENTILEZA DE ME ESCLARECER SE ESSA MP QUE AUMENTA O COMPROMETIMENTO DE RENDA PARA 40% JÁ ESTÁ EM VIGOR. COMO FICAM AS AÇÕES QUE SE INSTRUIRAM COM AS PROVAS DOS 30% E JÁ FORAM PROTOCOLADAS? AGRADEÇO DESDE JÁ SUA ATENÇÃO.

Anônimo disse...

é mais do que evidente a Previ ter tido prejuízo no ano de 2014.
Prejuízo astronômico para bônus estratosférico e imoral dos anos anteriores.
Se não foi prejuízo vou desacreditar de toda e qualquer contabilidade.
Prejuízo e GRANDE.

João Lopes Rodrigues disse...

Srs!

Creio ser de fundamental importância o engajamento de todos os envolvidos e interessados na transparência da administração dos fundos de pensão, razão pela qual devemos municiar os políticos com todo tipo de informação que tivermos acerca do assunto, na tentativa de sensibilizá-los a aceitar o clamor da sociedade, que é investigar, julgar e punir (se necessário), os responsáveis pela condução desses fundos de pensão, que têm, de alguma forma, penalizado seus aposentados e pensionistas.

Penso que a informação, o esclarecimento, a verdade dos fatos é a melhor estratégia para formar opinião. Assim, diante da realidade dos fatos temos maiores condições de cobrar a quem de direito o cumprimento estrito do que manda a lei.

Embora se saiba das dificuldades e dos entraves para se levar adiante uma eventual investigação dessa natureza, penso que não se deva recuar frente às manobras de alguns interessados em "ocultar" informações e evitar a "abertura da caixa preta".

Assim, sugiro que através de nossas associações pressionemos o máximo possível os políticos para que os mesmos ouçam e atendam os apelos de milhares de aposentados e pensionistas.

Anônimo disse...

Este comprometimento de renda dos 30% para os 40% tem a unica finalidade de endividar cada vez mais o povo brasileiro e deve ter sido uma exigencia dos banqujeiros para poder emprestar cada vez mais e criar a ilusão para os que vão tomar emprestimos terem a sensação de que estão ricos.

Anônimo disse...

Meus caros colegas,

Não tenho nada contra, e sim a dos irmãos do Norte e do Nordeste, por sinal tenho bons amigos daquelas regiões.
Mas olhando quem retirou as assinaturas chego a conclusão que existe o dedo do Sr. Senador Pimentel Cearense.
Se estiver errado me desculpem.
Hoje desconfio de tudo para mais um pouco,,,........................

Anônimo disse...

Prof. Ari,

O Dr. Sergio Moro acata, como já vimos, sugestões em demanda de irregularidades em orçamentos públicos, desde que tenha(m) uma linha de consistência que pode ser contestada ou investigada em inquérito judicial.

O momento é agora!.

Ari, percorra essa caminho!

Instigue outros beneficiários da Previ a demandar do Dr. Moro, com propostas que possam ser analisadas com rastro de ilegalidade em investimentos duvidosos.

Não basta qualquer um mandar a sua "sugestão".

As informações, para análise da(s) demanda(s), pelo judiciário, tem que nível de acuidade de informações que prestem/possam determinar umas investigação exitosa.

Pensemos nisso. "quem sabe faz a hora", disse o grande Vandré.

O resto é começar.

Os velhinhos não tem tempo para esperar.

A convocação diz respeito a todos que possam contribuir para uma análise dos investimentos e ativos da Previ.

Obviamente, certos diretores, ex-diretores, ex-presidentes, políticos compromissados com o atual estado de lapidação dos ativos da PREVI não são bem vindos.

O Futuro é nosso! Desde que lutemos por ele.

Um abraço de james paiva.

Anônimo disse...

Caros Colegas,
Sobre a margem consignável,
esta é uma publicação no site do IG, em 10/04/15

Teto do endividamento no consignado passa de 30% para 40% da renda mensal do trabalhador ou aposentado
O Plenário da Câmara dos Deputados aprovou na quinta-feira (9) a Medida Provisória 661/14, que aumenta o limite de descontos autorizados pelo trabalhador na folha de pagamentos para incluir despesas com cartão de crédito. A Câmara também aprovou a amortização dos débitos do cartão de crédito por meio de desconto em folha de pagamento (consignado).
A matéria, aprovada na forma de um projeto de lei de conversão, ainda precisa ser votada pelo Senado.

Leia mais: Cartão de crédito cobra a maior taxa de juros desde julho de 1999

A amortização da dívida do cartão só será possível para as pessoas que têm esse tipo de crédito no mesmo banco pelo qual recebem o salário. Mesmo perdendo com os juros baixos do consignado ante as outras duas modalidades, há uma enorme vantagem para os bancos em trocar a dívida porque reduz a inadimplência do cartão de crédito, que hoje está em 40%, segundo dados do Banco Central.
"Isso é muito bom porque autoriza a trocando de uma dívida cara, do cartão de crédito, por uma bem mais em conta, do consignado. Se aprovada, essa medida vai ajudar a liquidar dívidas do cartão de crédito, com certeza", afirma Miguel José Ribeiro de Oliveira, diretor executivo de Estudos e Pesquisas Econômicas da Associação Nacional dos Exectuviso de Finanças, Administração e Contabilidade (Anefac).
Segundo cálculos da Anefac, os juros médios praticados nas três categorias mais comuns são: consignado de 2,92% ao mês (41,25% ao ano), enquanto o cheque especial é de 9,64% (201,74% ano) e o cartão de crédito é de 12,02% mês (290,43%, ano).
Para Oliveira, a aprovação tem um lado positivo e um negativo. "É importante ter um limite maior com juros mais baixos, até para que o consumidor consiga evitar usar o cheque especial e cartão de crédito. O crédito barato possibilita que as pessoas façam empréstimos mais razoáveis."
O lado negativo, segundo Oliveira, é a falta de consciência na utilização do crédito. "O grande problema é a má utilização do limite. Por que? A pessoa não vive só desse empréstimo e ela vai precisar se organizar. O número de 50% é alto."
Oliveira explica que é importante conscientizar o tomados de crédito que esse desconto em folha no seu salário diminuiu substancialmente o rendimento. "Em finanças pessoais, há uma recomendação de reserva de 30% do rendimento para gastos com moradia. Uma pessoa que ganha, por exemplo, R$ 1.000, se tiver o consignado máximo de 50% da renda, vai receber R$ 500. Como vai pagar o condomínio, a alimentação, o transporte, a saúde?", questiona.
Gastos com cartão
Atualmente, os trabalhadores podem autorizar o desconto relativo a contratos de empréstimo, financiamento ou arrendamento mercantil até o limite total de 30%. A MP acrescenta mais 10% apenas para despesas relacionadas ao cartão de crédito, passando o total a ser de 40% da remuneração.
Além desses descontos, o trabalhador poderá continuar a autorizar mais 10% do salário em convênios com planos de saúde, farmácias, previdência privada e seguros.
Aposentados e pensionistas do INSS igualmente poderão contar com esse aumento de limite de mais 10% do benefício para descontos direcionados exclusivamente ao pagamento de cartão de crédito. Assim, eles poderão autorizar um total de 40% de descontos, frente aos 30% atuais.
Quanto ao servidor público civil federal, o Estatuto do Servidor (Lei 8.112/90) remete a um regulamento os critérios para a consignação em folha de pagamentos, sem definir um percentual.
O texto da MP especifica que o total será de 40% da remuneração mensal, dos quais 10% exclusivamente para despesas de cartão de crédito.

Anônimo disse...

Nada que fôr do nosso interesse prospera,pela fria análise dos fatos pretéritos.Tudo vira pizza.Breve teremos que nos inscrever no bolsa-fome da dona Dilma,porque a PREVIC,criação enganosa do sr.Luiz Inácio,para iludir os previdenciários dos planos de pensão e aposentadoria privados,não passa de mais uma piada.CPIs de interesse do povo não prosperarão nunca.Porque será?
João Trindade.

Anônimo disse...


O que será que receberam em troca os 5 Senadores que não honraram sua assinatura na CPI dos Fundos de Pensão?

Tem Pimenta nesse episódio!

WILSON LUIZ disse...

Colegas, todos que puderem devem ir à manifestação do próximo domingo. Vamos aumentar o placar de nossa goleada sobre as forças das trevas, que, em termos de participantes, segundo cálculos da Polícia Militar, é o seguinte, aproximadamente: nas manifestações de março, levamos às ruas, em todo o Brasil, 2 milhões de pessoas, os defensores da corrupção e da incompetência mobilizaram 70 mil. Um dos motivos deste baixo número deve ser que o PT está com problemas de caixa devido ao fechamento do propinoduto da Petrobrás, parece que vão ter que fazer um ajuste fiscal. No$ bon$ tempo$, o kit “manifestação expontânea” tinha sanduíche de queijo e presunto, coca-cola e ajuda de custo de R$ 200,00, hoje é sanduba de mortadela, tubaína e R$ 50,00.

Anônimo disse...

TEMER + RENAN X CUNHA = NÓIS SIFU OU NÃO?

O PSB QUEM DIRIA SE ALINHOU AO TEMER + RENAN

NA PRÓXIMA ELEIÇÃO VENHAM NOS PROCURAR SEUS TRAIDORES FDP

E PENSAR QUE A MARINA SE LIGOU A ESSA CORJA

Anônimo disse...

Por que não reunir todas as lideranças "independentes" dos fundos de pensão das estatais para articularem mobilizações em prol de nossas causas? Francamente, até hoje, desconheço a manifestação de participantes de outros fundos neste fórum e, tampouco, de alguma participação nossa em outros blogs afins, compartilhando e articulando ações, eis que estamos sob os mesmos riscos. Ou vamos ficar no contexto da invasão da casa do vizinho?

Anônimo disse...

Operação Lava Jato chega à Caixa. A água tá batendo na bunda...

Anônimo disse...

Ilmo. Prof. Ari,

Seria possível a ANAPLAB enviar um ofício ao Presidente da Previ solicitando que o mesmo dê um Katagatami no diretorzin

Muito Agradecido

Anônimo disse...

Por que o André Vargas não ergueu o punho cerrado lá na PF?
Será que foi por conta da algema ou porque seus "companheiros" sumiram?
Solta a língua seu preso filho da ...

Jeanne disse...

Pelo que eu entendi na MP o aumento de 10% e so para gastos com cartao de credito. Para emprestimos continua o limite de 30%. E os outros 10% sao para pagar planos de saude e afins como nos ja fazemos hoje, porque pela atual lei sao os 30% do salario descontadas as contribuicoes obrigatorias, como IR e contribuicao a Previ. E como disse o Ari, a lei so pode retroagir para beneficiar e nao para prejudicar. Nao e assim prof Ari?

Anônimo disse...

Diretoria de fundo de pensão estatal é igual guarda noturno: É contatado para vigiar, mas dorme no ponto.

Isso é do tempo que sentar na boneca era apenas quebrar um brinquedo

Ari Zanella disse...

Cara Jeanne,

Veja que nem lei é mas Medida Provisória. MP como o nome diz é provisório. Antes só o Executivo fazia MPs, agora o Legislativo também entrou nessa. È uma vergonha. Parece que o objetivo desta MP é permitir mais gastos com cartão de crédito (estimular o consumo?) quando deveriam batalhar para melhorar os salários. Com isso, aumentaria nosso poder aquisitivo, sem necessidade de aumentar o grau de endividamento. Isto foi possível mas no passado recente criaram a Res. 26 que reverteu valores astronômicos ao patrocinador, de forma ilegal, frustrando-nos quanto à melhoria em nossos vencimentos conforme preceitua a LC 109/2001 cap. 20.

Mas, respondendo à sua pergunta, é bem por aí. Uma lei só pode retroagir se for aprovada com artigo específico mencionando desde quando seria sua validade. Não é o caso desta MP.

Anônimo disse...

Não sei não...mas quanto aos 6 senadores retirarem as assinaturas( frustrando a instalação da CPI dos Fundos de Pensão) além de propina, não poderia estar havendo ameaças de morte?

Tudo é possível nesse momento conturbado na política?economia..!