BANNER

Acesse aqui!
atendimento@anaplab.com.br
Joinville/SC: (47) 3026-3937
S.J. Pinhais/PR: (41) 3035-2095

domingo, 19 de abril de 2015

EXÉRCITO EM RETIRADA (POR NEY VILELA)

Uma das manobras mais difíceis de se executar, por parte de um grande exército, é a retirada. Ceder território é desmoralizante e passa o sentimento psicológico de que a derrota se aproxima. Mas, independentemente dessa situação ser constrangedora, um bom general precisa garantir que seus exércitos consigam se reagrupar, ganhando condições operacionais para enfrentar as próximas batalhas.

Ao realizar a manobra de retirada, é costumeiro que o exército em recuo deixe, no caminho, uma parcela de suas tropas com a função de obrigar o inimigo a perder algum tempo enfrentando-as. Assim, quem se retira troca espaço por tempo, conseguindo as condições para se reorganizar e melhor poder defender suas posições, a seguir.

Observe-se o que aconteceu com Graça Foster, presidente da PETROBRAS: ela foi submetida a um desgaste desumano, nesse último ano. Enquanto ficava evidente que a PETROBRAS teve seus recursos dilapidados e foi literalmente implodida em nome dos interesses do partido que se apoderou da máquina de governo, Graça Foster atraiu o fogo da bateria do exército da oposição, enquanto o ex-presidente da empresa, o ex-presidente da República e a liderança partidária do PT ganharam um tempo precioso que lhes permitiu vencer a eleição presidencial e se organizarem para o grande embate judicial que se aproxima.
Como "tropa retardadora", Graça Foster (além de um grupo de diretores da PETROBRAS), deu o melhor de si, sacrificando-se com ardor missionário – sabe-se lá por que – em benefício de Lula da Silva e de Dilma Rousseff.

Diante desses fatos, observa-se que o exército da oposição não pode esquecer que é necessário levar à rendição quem assinou o contrato que levou a PETROBRAS a perder mais de um bilhão de reais com a Refinaria de Pasadena. E quem assinou esse contrato foi o Conselho da empresa, dirigido – na época – por Dilma Rousseff. Deve ser levado ao tribunal de crimes de guerra o camarada que fez o acordo com a Venezuela para se construir a Refinaria Abreu e Lima, o que levou a um prejuízo de aproximadamente 20 bilhões de dólares. E quem realizou esse acordo foi Lula da Silva.
Deve ser levado à rendição quem doou petróleo para a Venezuela (no período da crise que quase derrubou Hugo Chávez. E quem fez isso foi Lula da Silva.

Precisa ser derrotado quem alterou o contrato de exploração das jazidas de petróleo, criando o sistema de partilha que exaure os recursos da PETROBRAS. É necessário levar à rendição quem resolveu combater a inflação mantendo congelado os preços dos combustíveis fósseis, destruindo o equilíbrio financeiro da PETROBRAS.

E, para não perder a viagem, a oposição deve levar às barras dos tribunais, quem destruiu o equilíbrio das empresas que produzem energia elétrica. E também quem entregou os recursos do BNDES – com juros subsidiados – para algumas empresas que, posteriormente, faliram. A oposição também precisa punir (sempre dentro da lei) quem doou dinheiro para se construir um porto, em Cuba, e uma linha de metrô, na Venezuela, com os recursos do contribuinte brasileiro, enquanto há tantas deficiências de infraestrutura em nosso próprio país.


Graça Foster é desimportante: o que interessa é penalizar os mandantes. Trata-se de capturar os generais desse exército em retirada.


***********************************
Autor : Ney Vilela 
Coordenador Regional do Instituto Teotônio Vilela de Estudos Políticos
Membro da Academia Jahuense de Letras
Membro da Sociedade Brasileira de Estudos Interdisciplinares da Comunicação
Membro do Instituto Cultural de Artes Cênicas do Estado de São Paulo
Membro dos Estudos Pós-Graduados em História (Cultura e Representação) da PUC-SP
Professor de Teorias da Comunicação  e de História do Brasil Contemporâneo da Fundação Raul Bauab - Jahu
Rua Acácio Izar, 167 – Jardim Campos Prado
CEP – 17.208-753
Jaú - SP

36 comentários:

Anônimo disse...

QUANTO AO ES FUI INFORMADO QUE É CALCULADO PELA TABELA PRICE(QUANTO MAIS PAGA MAIS AUMENTA), ISSO SIGNNIFICA QUANDO FOR PAGA A ULTIMA PRESTAÇÃO DO EMPRÉSTIMO A DIVIDA NÃO É LIQUIDADA, OU SEJA A DIVIDA NÃO TEM FIM.

Rubens Goulart disse...

Colegas, presidente da Anaplab, e demais componentes desta batalhadora e competente Associação, diante deste triste relato, só me resta pedir a Deus, e seu exército de anjos, que encontremos uma luz no fim do túnel, pois a situação é temerosa. Diante deste breve relato, aqui comentado por um simples aposentado do Plano 1, não tenho muitos mais argumentos a proferir... tudo de bom e saúde e perseverança para todos nós aposentados e pensionistas... colega do Norte do Paraná.

camilo - jundiai disse...

Belo texto, vale a pena a leitura integral.

jurandir waltrich disse...

Se tem fundamento o que anônimo 1 está colocando, então quem tem empréstimo simples, está no mato sem cachorro, já não chega os juros que são cobrados, as prestações aumentando a cada 12 pagas, o saldo devedor corrigido anualmente, ainda mais isso, só nos resta é fugir.

Anônimo disse...

Colegas aposentados e pensionistas:

Sobre o Empréstimo Simples, a pergunta é: onde estavam os nossos representantes, quando isto foi aprovado? Ficaram calados, alegando a "confidencialidade"? Eu não acredito que nós não tenhamos voz nesta "coisa" que se chama Previ. Muito estranho tudo isso. Onde estão a Cecília e Carvalho? Ah, sei! Eles gostam de holofotes.

Anônimo disse...

Pena que não existe oposição política em nosso país.A prova disso é que a posição de hoje é a oposição de ontem.É um círculo vicioso,sem pessoas comprometidas com o bem de seu próximo.São e estão comprometidas somente com elas mesmas.Porisso mesmo,nada mudou,nada muda e nada mudará...Por conta disso,vamos continuar sonhando.
João Trindade

Anônimo disse...

O Emprestimo simples não tem nada a ver com a tabela price, é calculada de acordo com a taxa de juros que atualmente é de 5%; correção monetaria que é pelo INPC dos dois meses anteriores e fqm(fundo de quitação por morte) que depende da idade de cada tomador do emprestimo. O que está ocorrendo é que como o INPC está em ascensão o saldo devedor esta aumentando.

Anônimo disse...

Essa matemática mandrake do ES deve ter sido encomendada pelo diretorzin

Anônimo disse...

09:18

Desculpe, colega, mas existe equívoco. A chamada tabela Price é aquela utilizada usualmente nos empréstimos com prestação fixa. Apesar de em todo o período a prestação ser a mesma, sua composição, no entanto, vai se modificando ao longo do tempo, a saber: do início até a metade do prazo total, paga-se mais juro do que capital; a partir da segunda metade a situação se inverte, ou seja, ocorre maior amortização do capital. E qual a razão dessa inversão? É que o juro calcula-se sobre o saldo devedor. Temos como exemplo o CDC de funcionário do BB. Então, no caso do ES existe na verdade um sistema misto em que, anualmente, o saldo devedor é atualizado pelo índice inflacionário contratado e sobre esse nova saldo é recomposto o valor da prestação para os próximos 12 meses. Todos podem sem acalmar porque existe, sim, uma última prestação a ser paga, que é a fixada para o final do contrato. Nunca esquecendo, contudo, que em todo o tempo do empréstimo as prestações, a cada 12 meses, sofrerão reajuste proporcional ao citado índice inflacionário contratado. Os colegas devem, antes de contratarem, verificar atentamente as condições descritas no site da PREVI sobre o ES e outros empréstimos da espécie. É o que penso, s.m.j.

Anônimo disse...

Quando lembro da vida laborativa nos porões do BB, vem a memória o quanto puxar o saco funcionou para muitas pessoas. Uma parcela expressiva dos que criticam os colegas endividados, como se fosse desvio de caráter, não tiveram um pingo de ética para galgar cargos melhores. Intrigas, mentiras, quebra de confiança foram armas utilizadas. Sem falar nos romances "secretos" que renderam muitas promoções. Ah a DIRGE... Na época não se falava em assédio...
Ralei! Trabalhei muito em lugares sem as mínimas condições.
Aposentei depois de conseguir passar por seis APs diferentes.
Hoje, os vagabundos que panfletavam ganham mais que os puxa saco, que por sua vez ganham mais que eu.
Valeu a pena?

Cada um tem a sua resposta

Anônimo disse...

'PODEMOS EXTRAIR ALGO POSITIVO DA CRISE ? '

Grande Mestre,

Primeiramente, meu abraço fraternal pela lição diplomática que você me deu ontem, lembra? Mas, Mestre Ari, longe de mim falar que o quadro atual é tranquilizador, mesmo porque inflação
é assunto sério.Entretanto, se ela continuar subindo aquilo já
actuado, seguramente, vai perder para uma nova onda em expansão.
Alguém pode querer um exemplo: nos anos 70, com o dinheiro da PREVI,
comprei um apart° em Brasília(DF) e fiquei apertado com as presta-
ções e só não vendi o imóvel porque vieram propostas de pessoas oferendo lucro. Estas propostas me tranquilizaram, mostrando que eu havia feito um bom negócio. Tanto insistiram que vendi , liquidando meu débito e comprei, com o lucro, um pedaço de terra no norte Minas .
Como não tinha capital fui ao BNB - M.Claros e fiz proposta para s comprar alguns garrotinhos que valorizaram bastante com a bendita (para mim ) inflação. O colega pode dizer;: mas eu não crio gado .
Tudo bem, mas o empréstimo que você tem vai desvalorizar e o seu salário vai ser corrigido, como tem sido ao longo dos anos. Moral da história: nada é fácil pra assalariado, mas se voltarmos os olhos para o passado,veremos que tudo se arruma. Ultimando, quero dizer que não sou economista e o fato de ter muitos anos em cidades
pequenas onde não havia nada pra consumo pode ter facilitado,por um
lado, minha aventura. Sei que teremos de refazer nossos planos por um
tempo e ter em mente que mais tem Deus pra dar que o PT pra roubar.
Um abraço, desculpem o padrão da escrita, pois estou saindo de
operação para extração de catarata.

Bom domingo!

Divany Silveira-SL

Anônimo disse...

Colegas,
Sobre o método de cálculo do ES, vejam o que foi debatido e relatado p/Colega Macilene, naquela reunião, com o novo presidente Gueitiro e outros, que houve na PREVI, no dia 26.03.15:

"b) CORREÇÃO DO EMPRÉSTIMO SIMPLES - Hoje a PREVI utiliza a tabela price,
porque não utilizar o sitema SAC (Sistema de Amortização
Constante)? O Diretor Marcel argumentou que se utilizado o
sistema SAC aí é que se complica a questão da margem
consignável, pois as prestações iniciais serão maiores.
Nesse instante vários comentários foram feitos e cobrou-se
mudança na alteração havida recentemente para apuração
da margem consignável. O Diretor Marcel informou que a
adequação foi feita porque inúmeros colegas estavam
entrando na justiça para fazer valer o que determina a Lei,
ou seja, que a margem consignável não seja comprometida em
porcentual superior a 30%. Vários comentários foram
feitos. Falei que a questão é complexa e que não
deveria se estender as discussões ali, mas que o assunto
precisava ser revisto. O Presidente pediu estudos à
Diretoria."

E eu pergunto, o uso dessa tabela Price não está fora da lei?
Só sei que ando assustada com o tanto que o saldo devedor do m/ES está aumentando, e pior, chegou nessas alturas, não foi porque fiz um bom investimento. Foi usando as merrecas anuais para sobrevivência...Estou pensando seriamente em procurar alguem que possa me ajudar, peritos, advogados/economistas... e se for ocaso entrar na justiça para correção do meu saldo devedor...E está c/quase 2 anos que renovei o meu ES...

WILSON LUIZ disse...

Santo partido, o PT. Agora que a vaca tussiu e foi para o brejo, declaram: “nóis, do pêtê, não vamo mais aceitar doação de empresas, o partido agora será sustentado pelas contribuição dos guerreiros militante”.

Quá, quá, quá... quero ver eles conseguirem arrecadar R$ 83 milhões como fizeram em 2013, ano em que sequer ocorreram eleições. Eles decidem isto porque sabem que as doações de empresas secaram, das que doaram para o PT, a grande maioria está em recuperação judicial. Nenhuma fará mais doações ao corrupto partido no poder, isto passou a significar o “beijo da morte”.

Anônimo disse...

link:http://economia.estadao.com.br/noticias/geral,associados-vao-cobrir-rombo-de-43-fundos-de-pensao-imp-,1672512

Leiam a notícia acima. Os funcionários do Correios, por meio de Sua Federação Nacional, estão pedindo que a PREVIC seja responsabilizada na Justiça pelo déficit do Postalis.

PREVIC, órgão fiscalizador que não fiscaliza nada.

Anônimo disse...

Ao colega Wilson Luiz:

é aí que mora o perigo! Se eles não querem mais empresas financiando (nem teriam!), é porque eles têm certeza de que os "cumpanheros" alocados na Previ, Funcef, Petros, Postalis, conselhos de empresas etc etc vão dar a sua contribuição religiosamente. O bônus escandaloso da Previ entra aí.
Um abraço.

Anônimo disse...


E a Petrobrás mandando ver na propaganda no Fantástico, ainda tem grana para anúncios, deviam contratar a Venina para garota-propaganda.

Anônimo disse...


Este texto clareou bem porque a "testa-de-ferro" aguentou firme até que passassem as eleições, e a Dilma fosse novamente empossada para dar continuidade ao seu desgoverno.

Muito bem elaborado pelo Ney e com muita lógica e clareza!

Anônimo disse...

19/04/15 17:02

O uso do sistema Price no cálculo de encargos de empréstimos e financiamentos é perfeitamente legal e aceito amplamente na economia mundial. Eventual ilegalidade estaria na cobrança de juros abusivos, o que não é o caso do ES (5% a.a. é inferior ao teto de 12% a.a. previstos na Constituição Federal e até o momento não regulamentado por lei ordinária).

Anônimo disse...

Caro Colega das 00:48hs,

Veja o que encontrei sobre a ilegalidade da tabela Price, pesquisando no "google":

A Tabela Price, ou Sistema Francês de Amortização, é amplamente utilizada em todo o mundo ocidental por ser o único sistema que permite o pagamento em parcelas iguais e periódicas ao longo do prazo do empréstimo.

Embora a Tabela Price seja também muito utilizada no Brasil pelo mercado e segmentos financeiros, seu uso tem sido contestado perante a justiça brasileira, uma vez que a legislação brasileira permite o uso de juros compostos somente em determinadas operações que possuam previsão legal.

A Tabela Price é ilegal?

Essa discussão é bastante controversa, apesar de já existirem diversas decisões favoráveis à ilegalidade da tabela price.

O principal argumento passa pelo raciocínio lógico que se resume no seguinte:

O art. 4º do Decreto Lei n. 22.626/33 proíbe o anatocismo, juros compostos ou juros sobre juros;
A Tabela Price (ou sistema francês) é o sistema de amortização que incorpora juros compostos às amortizações de empréstimos e financiamentos;

Conclusão: a tabela price é ilegal.

Caso você tenha interesse em se aprofundar nessa discussão, recomendo a leitura do artigo “A Tabela Price é ilegal?“, publicado no renomado site jurídico Jus Navigandi.

Anônimo disse...

Não encomendem mais uma ação judicial. "Contra a Tabela Price no ES". Se aparecer mais uma ação, aí é que suspendem o ES de vez.
Deixem sós os "30%", que já fez o que tinha que fazer.

Anônimo disse...

MATEMÁTICA PERNICIOSA

A Previ usa o sistema PRO RATA DIE para a correção do saldo no ES e CARIM. Por isso estamos sempre afundados em dívidas. Enquanto o Fundo corrige nossos benefícios em uma única vez no período de 1 ano e sempre com percentual abaixo da inflação real, as nossas dívidas são corrigidas a cada 24 horas com altas taxas de correção. E assim chegamos ao fundo do poço rapidinho. Para melhorar nossa situação financeira, temos que agir para que isso aconteça. Senão ficará tudo como está, até 2080, quando haverá uma grande cerimônia com os bisnetos da atual geração, para marcar o final do Plano 1.

Anônimo disse...

Escândalo nosso de cada dia, não nos dai hoje:

Para ministros do TCU, falhas na Previdência ameaçam contas de Dilma

http://painel.blogfolha.uol.com.br/2015/04/20/para-ministros-do-tcu-falhas-na-previdencia-podem-levar-a-rejeicao-de-contas-de-dilma/

João Rossi Neto disse...

Caro Ari e colegas,

COBRANÇA DE CONTRIBUIÇÃO DE ASSISTIDOS DA PREVI É EXTORSÃO.

Concebidas com a função precípua de administrar com lisura, eficácia e eficiência os recursos depositados pelos participantes e patrocinadores, mantendo esses valores corrigidos monetariamente durante a vigência do plano de benefícios e, portanto, livres da defasagem inflacionária, utilizando-os obrigatoriamente no pagamento das aposentadorias, atividade fim, as Entidades Fechadas de Previdência Complementar, também conhecidas por “Fundos de Pensão”, são sociedades civis sem fins lucrativos e qualquer déficit ou superávit técnicos apurados contabilmente nos seus balanços, efetivamente, são desequilíbrios e anomalias inaceitáveis sob as diretrizes normativas da LC 109/2001, já que filosoficamente foram criadas para terem receitas e despesas equilibradas, ou seja, sem falta e nem sobra.
O que se constata, especificamente, no caso da PREVI, é que a nossa Caixa de Previdência teve expressivos ganhos em Rendas Variáveis, em período favorecido pela conjuntura econômica mundial e registrou ótimo crescimento no seu patrimônio, de modo que os superávits técnicos obtidos até o último exercício (2014 – R$ 12.5 bilhões), sem dúvida alguma, são sinalizadores inequívocos de gritantes desequilíbrios e que foram cobradas e ainda estão sendo cobradas contribuições em excesso, sobretudo dos assistidos.
Assim, todos os aposentados que pagaram 360 contribuições, computando-se o tempo de “ativa” e de “aposentadoria”, cumpriram as suas obrigações financeiras com o plano de benefícios, fechando o ciclo temporal previsto e por uma questão de justiça e bom senso, não deveriam ser penalizados com cobranças adicionais, além das 360 contribuições regulamentares, as quais são indevidas e extorsivas. De outra parte, é legal e procedente que os funcionários da ativa, a aposentar no futuro, cumpram isonomicamente o seu pedágio obrigatório (360 parcelas) para fazer jus ao gozo da aposentadoria.
Isto posto, restou provado que o pano de fundo da questão não é a condição de existir ou não “Reserva Especial” para extinguir a contribuição a favor da PREVI para quem pagou religiosamente as 360 prestações, mas, sim, o ponto legítimo de direito e de convicção é a existência de superávit técnico, isto porque havendo eventual déficit somos convocados, consoante reza o artigo 21 da LC 109/2001, a equacioná-lo. Enfim, os superávits, inquestionavelmente, refletem distorções de sobra de dinheiro no fundo e, por conseguinte, excesso de cobrança de contribuições dos “assistidos”.
Urge que a Diretoria Executiva corrija essas irregularidades, assunto que poderia muito bem ser levantado pelos eleitos. Noto que existe um falta de sintonia entre o pessoal eleito. Cada um rema para um lado e essa desunião é prejudicial aos interesses do Corpo Social. Por que não agregar as forças do Presidente do Conselho Fiscal com o seu Voto de Minerva que fica sempre em stand-by e dizendo amém a tudo que a Diretoria da PREVI faz, em especial emitindo parecer favorável em um fundo que está descendo a ladeira em termos financeiros, tando na redução do ativo total como nos superávits técnicos.

Anônimo disse...

Ari,

Esse Ney é insignificante!

Como escrevente de "contos de fada" pode levar uma nota "3", se a banca examinadora estiver de bom humor.

O resto só o tempo dirá, nesse Brasil, o que poderá acontecer.

Do presente e passado, posso dizer algo: O Banco nos surrupiou a juventude e retirou-nos o "manto de aconchego" que pretendíamos formar para o futuro; A PREVI nos tira o sustendo; o Governo nos lapida nos Impostos cobrados.

E, agora. A quem devemos recorrer?

james

Anônimo disse...

Renovei o ES em janeiro, para 145 mil. Paguei 3 parcelas de 2.080 e hoje, dia 20.04., há um saldo negativo de R$ 221,00. Ou seja, a prestação não cobre os encargos do mês.
Com relação ao CDC do BB (bom pra todos, rs),ovocê assina uma planilha/aditivo onde consta juros de 1,89% ao mês e na realidade o Banco lhe cobra 2,77% a. m. Um outro CDC de 1,51% a.m, o Banco lhe cobra 2,01% ao mês que, segundo o Procon, é ilegal cobrar juros capitalizados.
Só levar a planilha no procon e apos num perito contábil e ingressar na Justiça.

Anônimo disse...

Revista Veja: "Deu zebra? Chamem a Caixa e o Banco do Brasil!"

Anônimo disse...

Caro Sir Rossi Colegas,

Vejo tudo isso de maneira simples.
Bem, posso estar enganado, sabe como é velho e desesperado, posso incorrer em graves erros.

Administraram mal as contas do governo e para solucionar os erros, o povo paga.
Paga em impostos , taxas e outros penduricalhos.
É fácil ser ministro da - Fazenada-. Para resolver problemas de irresponsabilidade fiscal, chame o povo em seu bolso já miserável.
Distribua o prejuízo entre os cidadãos e continuaremos nos deleitando nas bandalheiras.

Na Previ ocorre o mesmo, SMJ, chame os velhinhos trambiqueiros a contribuir mensalmente para cobrir os erros da administração temerária, regada ao bônus imoral e ilegal, pois foi conseguido em causa própria, pelos pseudo sindicalistas administradores de araque.

É fácil encobrir erros e má administração = COBRE DA MASSA CONTRIBUINTE, ASSIM ESTAREMOS RESOLVIDOS, DECIDEM OS SINDICALISTAS.

Aos sindicalistas o benefício do cabide de emprego.
Estaria esse regado a ROU/BONUS?

Pode ser o Fundo de Pensão lucrativo?

Pode, para o BB e outras instituições vinculadas aos Fundos.

Desculpa mas o idoso aqui está cansado, com nojo e já quase raivoso.

Anônimo disse...

A visão que a diretora tem atualmente da Previ e bem diferente daquela antes da eleição. O que mudou? Para ela muito e para nós?

Anônimo disse...

TRECHO DA REVISTA VEJA: DEU ZEBRA? CHAMEM A CAIXA E O BANCO DO BRASIL


"Os aposentados e pensionistas dos grandes fundos de pensão estão sendo chamados a contribuir de novo com os fundos depois que apareceram rombos bilionários por causa da queda da Bolsa e por, digamos, uma ‘alocação ineficiente’ de recursos. Convém às associações que representam os aposentados da Funcef e da Previ exigir, panelas em punho, que Brasília trate o seu dinheiro com o mesmo carinho dispensado a acionistas de certas empresas".


NÃO VEJO MOMENTO MAIS PROPÍCIO PARA UM PANELAÇO NA PORTA DA PREVI DO QUE AGORA.
MUITA GENTE ESTÁ CAINDO NA LÁBIA DO JAPONÊS QUE FOI COLOCADO NA PREVI POR QUEM SEMPRE SERÁ CONTRA NÓS

Anônimo disse...


IMAGINAÇÃO QUE PODERÁ SE TORNAR REALIDADE

Imaginei que estávamos no ano 2080 e que eu passava em frente ao palácio de cristal em Botafogo e lá estavam alguns poucos assistidos com seus netos, bisnetos, trinetos e tataranetos, ouvindo o discuso de encerramento do Plano 1, com festividade de gala patrocinada pelo banco. Havia também um grande alvoroço quanto ao futuro da enorme fortuna que sobrara em ativos conforme último balanço confirmou. Grandes obras poderiam ser projetadas com esse dinheirão, já que não havia mais beneficiários, pois os raríssimos sobreviventes do plano já tinham assinado um acordo e mais nada lhes cabiam por direito. Aí me lembrei do acordo assinado em 2010, sem valor legal.
Acordei!

Anônimo disse...

Jornal Nacional: "Porque um partido político quer estar a todo custo à frente da administração de estatais? "

Anônimo disse...

ESQUEÇAM ESSE MALDITO ES!!! VAMOS BATALHAR COLEGAS, PARA UM REAJUSTO JUSTO DOS NOSSOS BENEFÍCIOS. CHEGA DE DIVIDAS!! NÃO ENTENDO COMO VCS AINDA QUEREM MAIS EMPRÉSTIMO. QUEM AINDA NÃO ENTROU NA AÇÃO DOS 30% QUE ENTREM MAS CHEGA DE MENDIGAR ES!!!! NINGUÉM VAI MORRER SE FICAR SEM RENOVAR. ISSO EH VICIO!!

EU TOPO IR PARA A PREVI EH SÓ MARCAR.

Anônimo disse...

Empréstimo Simples só nos afunda mais. Quero melhorias! Quero reajuste! Quero dinheiro que não precisa ser devolvido com juros. Pode ser aquele dinheiro que depositei mensalmente lá no Fundo de Pensão ao longo de 39 anos.

Anônimo disse...

ATENÇÃO COLEGAS DO PB1

Na comemoração dos 111 anos da Previ é obrigatório para nossa sobrevivência, cultivar um ressignificado do que realmente é o bilionário fundo de pensão.
Como podem fazer parte desse mesmo universo, indivíduos que recebem 500 mil de bônus por causarem prejuízos por administração temerária; e aomesmo tempo pensionistas sem terem o que comer? Aposentados morrendo por falta de remédios?
Por que pessoas como Eike tem mais valor do que quem contribuiu?
Por que eleitos mudam totalmente o discurso e a postura depois de conseguirem convencer os eleitores?
Há algo de muito errado no significado!
Nunca antes a imprensa esteve remando tanto a nosso favor como agora.
Nunca antes a conjuntura política esteve tão favorável.
E aí?

A hora de mudarmos o significado do que tem sido a Previ para nós é agora. Perder o time (tempo) pode significar a manutenção do significado.

Zé Furtado



.

Anônimo disse...

02:17

Se existe controvérsia e os próprios juristas não se entendem, e como causídico não sou, mas, sim, economista, então fico com o logaritmo neperiano.
Mas agradeço a gentileza da indicação feita pelo colega e desejo a todos boa sorte em eventuais ações contra bancos, financeiras, etc.

Anônimo disse...

Outro dia uma atendente, pau mandado e mal informada, me respondeu que os juros do ES, não são indexados pela tabela price. Depois de me enrolar, ela falou que a Previ tinha regras internas de cobrança de acordo com a necessidade da empresa de cumprir o pagamento dos aposentados e pensionistas do plano 1. Renovei meu empréstimo em agosto de 2013, no valor de R$ 97.000,00. Já paguei 19 prestações que chegam a um valor beirando R$ 30.000,00, e meu saldo devedor é maior que R$ 97.000,00 sendo esse o valor da renovação do empréstimo.