BANNER

Acesse aqui!
atendimento@anaplab.com.br
Joinville/SC: (47) 3026-3937
S.J. Pinhais/PR: (41) 3035-2095

terça-feira, 24 de março de 2015

PREVI PRECISA DE TRANSPARÊNCIA

Prezados colegas,


 

Repasso o artigo abaixo, que considero uma séria  advertência.

 

A conseqüência para os associados do Postalis já era previsível.  Era uma questão de tempo quando iria acontecer, pois não se brinca com dinheiro.  O Funcef e a Petros estão na mesma situação, conforme alerta o próprio artigo.

 

Por que a PREVI estaria livre dos mesmos riscos, se a política de investimentos “sociais” foi a mesma?  E, para nós, associados, por que as conseqüências seriam diferentes?

 

Não basta que os conselheiros e dirigentes da PREVI afirmem que “com a nossa entidade é diferente”.  É diferente por que?  Se assim fosse, por que todos os detalhes relativos a investimentos são mantidos sob “sigilo estratégico” ?   Por que a PREVI não permite que nós, associados, façamos a “nossa” análise dos investimentos que são efetuados com nossos recursos? 

 

Pretendo elaborar uma análise dos investimentos da PREVI nos títulos daquela Petrobrás.   Com esse propósito, através da AAPBB foi encaminhado à nossa Caixa de Previdência um pedido de informações sobre os investimentos naquela empresa, que ora está nos noticiários. 

 

Foi pedido apoio a todos os eleitos (conselheiros e diretores) para que a PREVI forneça as informações solicitadas.  Até o presente não houve qualquer resposta, nem da Caixa nem dos eleitos.  Desses, sequer tivemos uma única resposta, ainda que evasiva e destituída de compromisso. 

 

Seria de esperar que os associados pressionassem a PREVI e os eleitos para atendimento da solicitação da AAPBB.


 

Cordialmente,


 

Ebenézer



37 comentários:

Anônimo disse...

Acho que essa iniciativa do Ebenezer deveria receber o apoio de todas as nossas associações.
Edgardo Amorim Rego

Anônimo disse...

Aposentados,

Peçam em juízo a abertura da 'caixa preta" da Previ.

Criminalizem a administração temerária dos antigos/bonus e atuais administradores da Previ, eleitos ou indicados.

Todos tem que dar explicação, comprometer seu patrimônio e ir para a cadeia se necessário.
Chega de sigilo para maracutaias e malversação do patrimônio de idosos.
Feliz o dia em que essa turba for incriminada.

Anônimo disse...

Pois é pessoal: Nas próximas eleições vamos ter que discutir essas questões referentes a tal confidencialidade. De que adianta ter representantes que não podem interferir nem divulgar as maracutaias?
Apesar de ser quase impossível dissociar a carreira pessoal da função de representante dos eleitores, preciso é ter a clareza que o interesse coletivo está acima do interesse pessoal. Entretanto, parece que esqueceram a finalidade da confiança depositada

Anônimo disse...

desde qdo os DONOS do fundo no podem saber onde esta sendo investido o dinheiro de sua sobrevivencia????????????jogaram o dinheiro da previ pela janela (ou no colo dos politicos)!em todo lugar tem falcatrua.

Anônimo disse...

Achei ótima a estória do colega do Piauí que encontrou uma lâmpada mágica de onde saiu um gênio lhe garantindo um pedido. O colega sem titubear disse ao gênio que queria que o pai do juiz Sérgio Moro fosse aposentado do BB como CAIEX pós 97

LAVA JATO NELES

Anônimo disse...

É por isso que tempos atrás aplaudi uma eventual retirada do patrocinador e me chamaram de maluco. Se vai ficar mais difícil, sem o aporte de recursos pelo BB-Guloso, não tem dúvida, mas em compensação todos os cargos seriam eleitos por nos, pois o corpo social voltaria a existir. O BB-Guloso, então, deixaria de receber os 50% da Res. 26. E, como na política, nos caberia o exercício do voto com os cuidados que a administração do fundo esta a recomendar. E, para a Diretoria Executiva, poder-se-ia contratar os melhores do mercado da previdência complementar. Nada de funcionários cedidos com aposentadoria posterior a 60 mil (os sem-teto). Além de que bônus para a Diretoria Executiva somente se atingidas as metas.
Entendo cada vez melhor o grito de independência proferido por Ari e Medeiros. Eles devem ter sentido na pele a tal Lei da Mordaça.

Barreto disse...

apoio a iniciativa do Ebenezer, por sinal não é de agora que o mesmo vem lutando contra as mazelas contra a nossa PREVI,CASSI,CAPEC

Padilha disse...

É isso mesmo, temos que tomarmos providência, com os meios ao nosso alcance, justiça, petição eletrônica, facebook, todos os meios possiveis, pois sentados aguardando as coisas acontecerem, a coisa vai de mal a pior, vejamos os exemplos do AERUS , POSTHALIS, FUNCEF, PETROS, vamos pedir a abertura IMEDIATA da CAIXA PRETA, da Previ, antes que seja tarde, e o colega Ebenezer esta com uma idéia muito oportuna e inteligente... parabens. colega de Cambé-PR, na ESPERA DE QUE OS COLEGAS APOSENTADOS E PENSIONISTAS acordem e fiquemos unidos e firmes no propósito de sabermos o que ocorre com a Previ e Cassi, que já esta com um prejuizo de r$150.000.000, isso mesmo cento e cinquenta milhões, de prejuizo...

Marcelino Maus disse...

Remoendo o assunto...
"Conclusão: os funcionários da ativa receberam o abono em 1996. A Previ afirma que pagou aos aposentados em 1997 mas no acórdão que é de 2011 consta que o perito confirmou que não houve o pagamento
24/03/15 16:54" ... tbm pela postagem 17:18.

Repetindo...
"Salvo melhor juízo" ... SE a ação da AFABB garantir o direito ao Abono e abranger todos os Aposentados em 09/1997, o fato do ADIANTAMENTO EM CONTA não transitar na FOPAG da PREVI, equivale dizer que o CRÉDITO EM CONTA não é meio eficaz de quitação da obrigação, quitação que só ocorre com o TRÂNSITO EM FOLHA DE PAGAMENTO, tanto na Fopag do BB ou a PREVI, inclusive para efeitos FISCAIS (IR).
Lembrem que o ABONO pago pelo BB sempre transitou na FOPAG.

Assim sendo, deve ser esse o motivo pelo qual a Perícia atestou a não quitação do encargo pela PREVI.
Na Faculdade de Direito aprendi: quem paga mal, paga em DOBRO.
Reitero que o Adiantamento por Crédito em Conta não é prova de quitação.

Abs. SORTE (aposentei-me em 2012, escapei desse drama).

Anônimo disse...



" I HAVE A DREAM , BUT . . .! "

Colega Ebenezer, pouco posso fazer para ajudá-lo neste trabalho
mais que meritório, mas prometo divulga-lo entre todos colegas do
meu círculo.Acho ,colega, que se a "jirad tupiniquim" entrou na
Petrobras, tomou a Eletrobras, dominou as usinas, está nas praças
de pedágio do Ministério dos Transportes, por que não estaria na
PREVI ? O PT mexicanizou o Brasil de tal maneira que esmorece o
cidadão , mesmo o mais forte.Entretanto, o nosso solo e fértil e
há pessoas que têm disposição para o combate, como você ,Ari
e outros que trabalham para q o sonho que temos de ver este pais
mais justo e melhor para os nossos descendentes não se desvaneça.
E fique certo de uma coisa : o PT é um partido competente e tem
tecnologia de 1° mundo, a saber : para fazer o mal e desunir .
Saudações, Divany Silveira- Sete Lagoas-mg d

Anônimo disse...


Se a Previ não transitou o abono pela FOPAG, é porque estaria "mal-intencionada"? Transitar pela "Folha" seria o normal.

Anônimo disse...

Nem um abono ao qual temos pleno direito de receber eles querem pagar!! imagina abrir a caixa preta para nos revelar onde está nosso dinheiro!!
Mas não nos calemos, vamos colocar a boca no trombone e descobrir se nosso dinheiro também está saindo pela LAVAJATO!!!

Anônimo disse...

Se não está na folha e o perito não constatou o pagamento, é caso encerrado, ordem judicial não se discute, se cumpre!!!!!!!

Anônimo disse...

Acho que ficarmos esperando novas eleições para ver como vai ficar,já ficou...
O que temos que fazer é uma união nacional das entidades que se propõem defender os aposentados e fazer pressão JÁ,AQUI E AGORA...
Quem fica esperando,vai acabar pedindo bolsa esmola,pois o governo que aí está não está para brincadeira e não pode ver dinheiro parado.É igual abutre.Ou alguém tem dúvida e acha que eles são bonzinhos e livrarão a PREVI?

Anônimo disse...

Prof. Ari

Diante desse imbróglio e tendo em vista o saldo do meu ES há três anos não diminuir,só aumenta, começo a desconfiar que as prestações consignadas no espelho não vem sendo descontadas. Alguém tem percebido isso também?
Auditoria já!

Anônimo disse...

A questão que fica agora é que a Previ e o BB já foram condenados a pagar e não cabe mais recurso.A dúvida é se a Previ pagou e se pagou para todos. Estranho que nunca tenha comprovado isso na ação, o que teria posto fim na demanda, e também que o crédito teria sido feito em conta corrente sem transitar pela Fopag.Se isso ocorreu ninguém tem mais os extratos e não sabe se realmente receber. Só resta, sem nenhuma intenção de má fé, ingressar na ação e aguardar que a Previ comprove o pagamento.Mas estão dizendo que quem já tiver recebido arcará com os honorários de sucumbência. É essa questão que os advogados da ação precisam esclarecer porque não é justo quem tem o direito desistir dele mas todos estão querendo ter certeza de que esse direito existe só que não estão tendo condições.

Anônimo disse...

Em nota a Faabb, por sua representante Isa Musa, informa que é necessário cautela e "caldo de galinha" quanto ao desfecho da ACP 3 mil.
Disse que não pediram no bojo da ação o abono que havia sido pago.
Quem "pediu" foi o mord, digo, o perito.
Os adevogados e ela mesma, por solicitação ao Banco dos extratos de conta corrente de 97/98, buscarão comprovar se foi pago ou não o siamês abono/adiantamento.
Como a Previ se manifestou dizendo que pagou, mas não comprovou e, por certo, como é superior a essas preocupações menores dos assistidos, se o fizer demorará muito.
Para abreviar ou evitar mais uma nossa peregrinação ao Banco em busca de extratos, sujeitos ao mau atendimento, vai aqui uma sugestão.
Nossa DIRETORA DE ADMINISTRAÇÃO eleita por nosotros não teria acesso a esses dados ? Não poderia fornecer essa informação ? É só verificar na contabilidade da Previ.
Ou há aí também, nesse caso, a confidencialidade, a lei do silencio ?
P.S. Gasto com cópias, autenticações e firma R$30,00.

Anônimo disse...

Aposentei em 97 e tenho certeza de não ter recebido o abono e ninguém que estava aposentado recebia o tal abono que era por conta do pessoal da ativa não ter aumento graças ao maldito FHC. Ponto final o que certos colegas receberam foi por conta de outras situações e agora estão achando que foi o dito abono em duas vezes.

Anônimo disse...


Caro Ari

Hoje me convenço do acerto de você e o Medeiros deixarem a Chapa 3 de lado.
Em linguagem curta e grossa esses eleitos estão bem integrados ao conforto da Previ. Satisfação aos que os elegeram é 'zero'. Muita coisa eles devem saber que foi feita em "mal feitos' ao nosso patrimônio mas estão impedidos pela confidencialidade.
Também não viram nada. Nada a declarar.

feernando disse...

Professor Ari, sobre os números da PREVI, me assombra, fora as perdas em ações, o aumento anual em provisões matemáticas. Não entendo de cálculo atuarial, mas todo ano sobe de R$ 7 a 8 bilhões de provisão matemática, e pelo gráfico apresentado, falam em benefício até 2090. Pode isso? OU esses altos benefícios que estão fora do teto, aliás sem teto de benefícios, estaria fazendo esse rombo?

Anônimo disse...

Ainda temos colegas como o Marcelino Maus! Sempre colaborando com seus conhecimentos mesmo quando a questão não é de seu interesse.

Anônimo disse...

Num outro blog consta esclarecimentos da Isa Musa sobre o abono e ela diz que o perito pode ter se equivocado (ele confirmou em sua perícia que o pagamento não foi feito aos aposentados).
Pergunto : Quando é feita uma perícia no curso de um processo a parte contrária não tem um prazo para contestar? Transito em julgado não significa que não cabe mais nenhum recurso ao que ficou decidido?

Anônimo disse...

Faz me rir, SIGILO ESTRATÉGICO (COBERTURA PARA ESCONDER ALGO),é caso de POLICIA.

Ari Zanella disse...

Anônimo 11:27

O que você diz é verdade. Também não entendo este "zelo" de Da. Isa Musa. Todo mundo vê que a PREVI está blefando.

Anônimo disse...


A Cecília e o Carvalho não vão se pronunciar sobre o assunto do abono? Afinal, estão na Previ porque nós os colocamos lá. Deveriam, no mínimo, exigir que seus companheiros de administração do mourisco facilitassem a coisas para nós.

José Antº Alves Barros disse...

Colegas, Quero apresentar minha humilde contribuição ao caso em questão( Abono de R$ 3.000,00 -97)

Tenho em mãos um informe, fornecido pela Previ, que menciona os índices de reajuste concedidos aos aposentados de 1997 a 2004. Em 1997, o reajuste foi de 5.69%. Acrescento que, para os que se aposentaram até 12.1994,existe uma ação judicial proposta "Reajuste 95/96, da qual estou participando pela AAPPREVI. Assim, não houve pagamento de abono nenhum em 09/1997, porquanto foi em dito ano(1997) que os aposentados começaram a receber reajuste em seus benefícios pagos pela Previ. O pessoal da ativa vinha recebendo abono, no lugar de reajuste, por conta da política de arrocho salarial imposta pelo governo FHC.Espero ter sido útil essa minha informação para todos.

Anônimo disse...

Anônimo de 24.03 – 22:07
Também penso como Vc. Endosso tua ideia de analisarmos a possibilidade de RETIRADA DE PATROCÍNIO do BB. Penso que teríamos totais condições de gerirmos o nosso patrimônio, sem qualquer intervenção de outros interesses (muitas vezes oportunistas) que não sejam os nossos, pois NÓS é que somos os verdadeiros donos desse patrimônio. Já que o PB1 é um plano fechado – não admite novos participantes – não tem razão de que outros Diretores, indicados pelo Patrocinador/BB, ainda mais com o voto de Minerva, decidam sobre o que é melhor para o Fundo, pois sempre será o que é melhor para o Patrocinador. Isso, sem falar no verdadeiro estelionato praticado sob o acobertamento da ilegal Resolução 26, que nos faz sangrar em 50% dos eventuais superávits. Com a retirada do Patrocinador/BB, acabaria o Voto de Minerva, a famigerada Resolução 26 perderia sentido, voltaria a Consulta ao Corpo Social, teríamos a eleição de todos os NOSSOS Representantes, teríamos, enfim a autonomia total para a gerirmos o NOSSO patrimônio, sem a interferência de OUTROS interessados. Quanto a desvantagens, me ocorre apenas o não aporte de recursos por parte do Patrocinador/BB, mas isso apenas em caso de déficit (reservas insuficientes para cobertura do Plano), situação que entendo muito difícil de ocorrer, pelo contrário. Enfim, acho que é hora de pensarmos realisticamente sobre essa possibilidade, sem preconceitos que possam dificultar o debate. Pensemos nisso!

Anônimo disse...

TOMARA QUE A PREVI NÃO ESTEJA OLHANDO PARA O POSTALIS E PENSANDO:
EU SOU VOCÊ AMANHÃ

Anônimo disse...

Cadê o Zé Welto? Está bem de saúde? Suas considerações estão fazendo falta colega

Anônimo disse...

Precisamos de informações do ponto de vista jurídico e até agora os advogados da Faabb não se posicionaram.

Anônimo disse...

Ari e agora como vai ficar essa situação, a previ vai descumprir uma ordem judicial????

Anônimo disse...

Ari o que é preciso agora para acabar com esse disse me disse?? E a previ ser obrigada a pagar nosso dinheiro sem lero lero!!

Anônimo disse...

Ari, sou pensionista e tenho direito ao ao abono da aafbb. Uma pergunta: Além do contracheque, procuração assinada, comprovante de residencia , etc... preciso mandar quais outros documentos do falecido? E os meus quais são?

Anônimo disse...

A culpa é do mordomo...

Anônimo disse...

Numa movimentação como essa envolvendo todos os funcionários da ativa e os aposentados pois a Previ primeiro pagou aos da ativa e depois (segundo ela) também pagou aos aposentados a FAABB totalmente envolvida pois estava com a ACP em curso não teve ninguém que tomasse conhecimento do pagamento na época inclusive para encerrar o assunto e não vir quase 20 anos depois falar nesse abono. Nem a Faabb tem certeza de mais nada. Não merecemos!

Ari Zanella disse...

15:49

do falecido:

-Carta Concessão do INSS
-Contracheque Setembro/1997

da pensionista:

Identidade/CPF
Comprovante de residência
Carta da Concessão do INSS
Procuração assinada e preenchida.

Anônimo disse...

Colegas,

E os Senhores acham que este governo cumpre alguma coisa?

Previ/Previc/BB e outros estão como carne e unha se desgruda dói!

Junca vão aceitar nada para os aposentados, pois caso aceitem algo terão que mascarar mais ainda os bônus e as aposentadorias milionárias dos cumplices da resolução 26.
A guerra está próxima, para os incrédulos a surpresa será mortal.