BANNER

Acesse aqui!
atendimento@anaplab.com.br
Joinville/SC: (47) 3026-3937
S.J. Pinhais/PR: (41) 3035-2095

sexta-feira, 1 de agosto de 2014

BALNEÁRIO CAMBORIÚ

     Na próxima sexta-feira, 08.08, estarei na AABB de Balneário Camboriú, para o evento promovido pelas Afabbs da região sul do Brasil. É sempre uma satisfação rever amigos como o Dr. Medeiros, a Cecília Garcez, o Genésio, o Lahorgue e tantos outros. BC é um hospedeiro de um sem-número de aposentados que eu gostaria que estivessem presentes e debatessem conosco. Nestes encontros sempre oportunizo boas amizades e tenho a ocasião de conhecer mais intimamente os nossos pontos cruciais. Estarei lá na parte vespertina, pois pela manhã estou ministrando aulas de inglês para o segundo grau numa escola estadual aqui de Joinville. Como diz o Jorge Teixeira, BC é muito perto, dista apenas 100km pela BR101 duplicada. No começo da viagem passo em frente à nova fábrica da BMW, novo orgulho da indústria catarinense.
     À tarde, ocorrerá o debate sobre a PREVI, com as presenças do diretor Marcel e da diretora Cecília Garcez, nossa colega recém-eleita. Estes contatos pessoais são muito produtivos. É um modo direto de expressarmos nossas angústias, notadamente sobre o ES.
Ano passado, houve um clima mais pesado em relação à cobrança na área de seguridade, neste encontro espero menos aspereza. É conversando que a gente se entende, as pessoas precisam e devem ser respeitadas. Vou cobrar do Marcel os números exatos do ES, tomadores, índice de utilização do FQM, inadimplentes, etc. Precisamos de transparência. Também vou checar porque não houve uma dilatação além dos 120 meses no prazo, ainda que temporária, com a finalidade de ajudar na retirada do BET e na volta das contribuições.
     Balneário Camboriú é a melhor região para se desfrutar em Santa Catarina. Faz muito bem ao corpo e ao espírito. Lá, igual ao Rio, existe o morro do Cristo Redentor.

BALNEÁRIO CAMBORIÚ COM O CRISTO LUZ AO FUNDO (VISÃO PARA O NORTE)

26 comentários:

Cláudio Almeida disse...


Prof.

Cecília escreveu que a revisão do ES feita em 15.07.2014 é temporária e os parâmetros estabelecidos valem até 29.10.2014.

A partir de 01.11.2014, ainda segundo Cecília, voltam os antigos parâmetros.

Entendo diferente. A partir de 01.11.2014 novos parâmetros entrarão em vigor.

A revisão anual é feita em novembro de cada ano.

Os novos parâmetros, a partir de novembro/14, podem ampliar o limite e o prazo. Vamos reivindicar em Camboriú.

Novembro é véspera do Natal.

Abraços

Anônimo disse...

ARI,
Se possível, encaminhe a pergunta abaixo ao Diretor de Seguridade, para ser respondida no tete-a-tete, durante a reunião.


Diretor Marcel,
O senhor se diz executor ferrenho do Estatuto, Regulamento e Leis, que observa nível de endividamento, cálculos atuariais, riscos de liquidez, etc., em todas as operações com os associados e isso realmente vem sendo feito com mão de ferro, tanto assim que teima em não nos auxiliar com o ES, única alternativa de momento para amenizar os nossos cruciais problemas financeiros, mediante a concessão do prazo de 180 meses para a reposição, mantendo uma fórmula escorchante (ES-170), que não atende as nossas necessidades, dado que carecemos de prestações menores para equacionar o rombo financeiro acarretado pelo corte do BET e volta das contribuições. Comprovadamente, a nossa capacidade de pagamento é inviável e nos torna inadimplentes no prazo máximo aprovado, de apenas 120 meses. Os benefícios são insuficientes para honrar os compromissos assumidos, inadiáveis, com a redução dos 24,8%. Cobre-se a cabeça e descobre os pés, vez que o cobertor é curto. Isto posto, indagamos:
Tendo como verdade, a dita vocação de V. Sª para cumprir, com rigor, normas e regras, qual foi o argumento técnico e jurídico em que se arrimou para desobedecer a lei maior e oficial (LC109/2001) e implementar, ao pé da letra, as determinações da ilegal Resolução 26/2008, condenada pelo Ministro Celso de Mello, do STF, em Despacho de março/12, entranhado nos autos da ADI-4644, por conter nesse documento jurídico fajuto graves ilegalidades e irregularidades, com a inovação sub-reptícia na Lei Federal Complementar 109/2001, da ardilosa e desonesta Reversão de Valores, condição vilipendiosa não prevista na referida lei, e, portanto, um canal maquiavélico feito de encomenda para fraudar e lesar o Corpo Social, com aparência de normalidade. O prejuízo que o patrocinador BB nos causou de R$7.5 bilhões (enriquecimento ilícito), em 24/11/10, foi o divisor de águas e se não fosse ele, hoje, não estaríamos pagando uma conta que não é nossa, com o próprio sangue, através do corte do BET e volta das contribuições que essa Diretoria Executiva autorizou, de surpresa e de uma só fez, cujos recursos, segundo consta, serão canalizados para cobrir parte da Reserva de Contingência de 25%, colchão de liquidez que não faz diferença alguma, pois a situação hodierna não requer urgência e a sua complementação é praticamente inócua, em especial por se tratar de ano atípico, pontilhado por conjunturas econômicas mundiais adversas, onde debalde os percalços, o Fundo obteve um superávit de R$24.7 bilhões, mantendo-se superavitário e com ótima saúde financeira, bem ao contrário dos outros Fundos de Pensão coirmãos que tiveram déficits elevados e que necessitam de correções urgentes e nem por isso fizeram ajustes tão profundos na vida financeira dos seus associados, como fez essa PREVI?

Anônimo disse...




Mestre,inicialmente, desejo-lhe uma boa viagem e acho que Camboriú é
um ótimo lugar para "esfriar" a cabeça porque a cerveja é gelada e a
água ídem. Mas, vamos aos negócios.Em estando com o Marcel diz pra ele
que um eleitor da chapa-3 e do Aécio Neves quer saber dele que se diz
cumpridor e fiscal das leis e regulamentos o que tem sido feito de au-
toria do mesmo para cumprimento do acordo de novembro/2011 entre o Ban
co, Previ e comissão. Diga-lhe mais para perdoar minha impertinência ,
mas é resultado do espirito ranzinza de mineiro que que se sente obri
gado a cumprir o que foi APENAS apalavrado e TAMBÉM porque o mandato
dele termina daqui 151 dias e consta que sua permanência , se depender
dos velhos e das pensionistas do PB-l está tão impossível quanto limi
te do EMPRESTIMO SIMPLES. Para terminar ,caro Mestre,depois de abraça-
lo, diga-lhe que nós somos doidos com ele e para terminar beba umas
50/60 cervejas com o mesmo (eu pago) e o convide p/ um passeio de bar
co em alto mar.No mais, um abraço,DivanySilveira-SeteLagoas-MG
P.S. leve só um colete,OK ?

Anônimo disse...

Não importa o quão grande você é, nem todo mundo vai gostar de você. É a vida.

Luiz Faraco disse...

Caro amigo professor Ari,

Tenho como certa que sua ida à BC trará, mesmo que a médio e longo prazo, um melhor nível de entendimentos com a Diretoria Executiva da PREVI. Ali o prezado estará revestido de diversas condições: a de assistido do PB1, a de Presidente da ANAPLAB e a de suplente eleito do CC1 da própria PREVI. Então suas palavras terão peso triplo, se assim posso dizer, o que é muita responsabilidade sobre os ombros. Mas, como disse no início, confio amplamente nas suas intenções e palavras, mesmo porque suas constantes ações assim o provam. Em resumo: tenha uma viagem proveitosa e prazerosa.

Luiz Faraco
Florianópolis - SC

Marco Orlando disse...

Ari,

Publico abaixo, resposta da ANABB ref. meu pedido de LIQUIDAÇÃO PROVISÓRIA POR "Valores Incontroversos" de minha ação IR 1/3 PREVI.
Amigos me informaram que os advogados não tem muito interesse em interpor tal medida, uma vez que só vão receber a "sucumbência" na liquidação definitiva da ação". É verdade?
Sugiro que todos os colegas solicitem a ANABB a adoção da medida de liquidação via valores Incontroversos, como forma de aliviar as dificuldades que passamos no momento.
Marco Antonio Orlando

Sua resposta foi postada para o seu tema de interesse no Sistema de duvidas do site ANABB.

Pergunta:
Solicito resposta aos protocolos abaixo: 203884 de 18.07.2014 as 11:31 e 203885 de 18.07.2014 as 11:37 Grato. Marco Antonio Orlando

Resposta:
Prezado Marco, em atenção a seu contato, informamos que respondi seu mensagem de protocolo de nº 203885, com o seguinte teor"informamos que sua ação de IR 1/3 Previ, processo nº 200834000197007, já houve o trânsito em julgado da decisão do acórdão da apelação. Dessa forma, a ação entrou na fase de execução, momento processual em que são realizados os cálculos para apuração do valor e liquidação da sentença. Informamos ainda, que a União ajuizou a ação de Embargos à Execução, a qual se presta para discutir cálculos, como por exemplos os juros aplicados, o índice de correção, entre outros. Sendo assim, a execução será suspensa até o julgamento em definitivo dos Embargos. Por fim, esclarecemos que já enviamos solicitação ao advogado da ação para que analise a possibilidade de solicitar a liquidação provisória de valores incontroversos. Portanto, orientamos aguardar." Agradecemos seu contato.

Atenciosamente, Joyce Barbosa
Atendi mento ao Associado
ANABB/VIREF

Anônimo disse...

Estimados colegas aposentados,

A NOSSA Caixa de Previdência não pode proporcionar prazos maiores do que 96 meses para x determinadas idades segundo a esdrúxula forma existente.
Mas recentemente recebi propostas de empréstimo tanto do BB e de outro banco privado pelo prazo de 120 meses e se quizesse teria miores prazos.
Observem que já estou nos setenta anos de idade e 50 de contribuições para a Previ.
Qual a conta que faz o ministro da seguridade que não aceita prazos maiores reduzindo assim o sufoco dos participantes.
Mais prazo POR FAVOR!

Anônimo disse...

Claudio Almeida, também entendi os novos parâmetros( provisórios)do ES, assim como voce descreveu, em novembro seria uma nova análise.
Precisamos de explicação mais clara sobre o que irá acontecer em novembro.

Ari Zanella disse...

Vou explicar:

O que deveria ter acontecido em novembro foi antecipado. Por isso, novos reajustes apenas em 2015.

Anônimo disse...

Colegas,

Continuo batendo na mesma tecla, vai acabar enchendo a paciência de vocês, mas não vejo outro caminho.

Retomo o assunto porque acabei de ler algumas mensagens que confirmam a minha suspeita.

São mensagens de colegas experientes e respeitados, que sabem o que falam, conhecem o regulamento da PREVI e tudo o mais que nos assola.

O Edison de Bem pediu uma audiência à presidente, a resposta foi a de sempre. Nem se dignaram a justificar a recusa, simplesmente disseram que o assunto foi repassado ao M.Previdência.

A colega M.Angela Precioso Ferreira, fazendo um comentário em cima da mensagem do Edison, fala de seu cansaço de ver (entre duas aspas de cada lado):
""tantas cartas a PRESIDENTE, a Previ, ao Carvalho, ao Deputado não sei das quantas, ao ministro não sei de ‘que’ .....
Temos que dar a ‘mea culpa’ pois deixamos as coisas irem tão longe, que teríamos que ser MUITO UNIDOS para mudar a situação a que chegamos....e UNIÃO NÃO HÁ, a Previ já nos dividiu em categorias e grupos....""

E no fim, ela pergunta: "Até quando vamos esperar ????"

Comentando a mensagem da M.Angela, o Edison desabafa: "Igualmente me sinto, sem forças, sem direção e sem saber o que mais fazer."

Bem, colegas, é isso o que está acontecendo conosco, estamos sem norte, sem saber que caminho tomar, desânimo, um sentimento de impotência está se instalando entre nós.

Isto significa derrota antes da hora, entregar os pontos sem luta, reconhecer nossa apatia.

Os algozes pensam impossível um revés dessa situação e persistem na insensibilidade.

A cada dia ficamos sabendo do falecimento de um aposentado ou de uma pensionista, hoje mesmo li a notícia da morte do colega Devail Ciconelli, que trabalhou na SUPER-SP.

Mensagem pessimista essa que estou escrevendo, eu sei, mas infelizmente é a realidade.

Termino reprisando de novo o Edison do Bem, que disse não acreditar no sucesso da proposição do senador Paulo Bauer e nem na ação do MP do Rio contra a RES26, pois:
"Não interessa ao Governo sua derrubada."

E aí, como fica, não vamos fazer nada...???!!!

Minha opinião já foi falada aqui e falo de novo.

PROTESTO FORTE E AGRESSIVO NA PORTA DA PREVI, único caminho que nos resta.

É o que tinha a dizer.
Lydio

PS: Já prometi mil vez a mim mesmo não fazer comentários longos, mas sempre escorrego nas minhas promessas.

Anônimo disse...

Professor Ari, nesta reunião do dia 8/8 não esqueça das pobres e desvalidas pensionistas que estamos comendo o pão que os diretores da previ e do BB amaçou e jogou pros cachorros , não esqueças de nós te peço em nome de Jesus.

pencionistas

Rosalina de Souza disse...

Prezados Eleitos da Chapa 3 Previ Livre Forte e de Todos,

E agora que o período eleitoral terminou como superar todo possível mal-estar que possa ter surgido entre eleitores aposentados e pensionistas do PB-1 e do Previ Futuro? Certamente creio que nesse momento, todos nós, devemos voltar nosso olhar para nossos reais problemas e as propostas de campanha, superando todo espírito de crítica, de divisão e recomeçar nossa vida a partir da dura realidade, com a perca do Bet, a volta das contribuições e o fim da Esperança nas melhorias do Empréstimo Simples, que apenas acertou as prestações que ficou sem ser debitada entre janeiro a junho de 2014.

É lógico que o espírito de críticas, de divisões é algo próprio da cultura atual, cultura essa formada principalmente pelo que nos dita uma parte dos nossos problemas, endividados, não endividados, pré ou pós, formula 170, agora os pós 87, sabemos bem que esses, na maioria das vezes, só conseguem passar uma imagem pessimista da realidade, pois só se interessam em transmitir escândalos, tragédias e futilidades.

É algo evidente que em certos meios de comunicação social há uma exclusão voluntária do bem, bem esse que é real, feito pela minoria dos nossos dirigentes ou blogueiros, na maior parte da nossa vida e que, infelizmente, não fazem uma notícia boa para os nossos problemas, Infelizmente, nos nossos dias, muitas vezes o sensacionalismo sufoca a verdade e nossos aposentados e pensionistas,em especial do PB-1 da Previ, pode ceder à tentação ao pessimismo, ao espírito de crítica e divisão, que por si mesmo é estéril e incapaz de transformar a realidade.

Gostaria que um porta voz neste encontro em Balneário Camboriú, olhando essas opções, talvez possamos entender que a escolha dos nossos Eleitos não é algo simples e automático.

Dessa forma vemos que se um dirigente eleito se pronuncia, é criticado, se não se pronuncia, também é criticado.

Em uma ou outra situação esse corre o risco de ser impopular e de decepcionar um grupo ou vários grupos que existe dentro da nossa Previ.

O Renda Certa era para ter sido pago em 110 meses, mas em um ano e meio foi pago valor integral a todos os BENEFICIADOS OU MILIONÁRIOS, e nem por isso a Previ quebrou.

Somos sempre roubados a luz do dia, e não podemos ter uma revisão justa nem mesmo em um dos melhores investimentos que a Previ faz, a volta das contribuições e as aplicações da Previ não rende o suficiente para equacionar o deficit que muitos dizem ser passageiro, ou nossos eleitos estão escondendo muito mais informações que a própria lei da confidencialidade pode sub julgar a nossa inteligencia.

benefícios para os associados:

a) Redução da Parcela Previ
b) Suspensão das contribuições
c) Aumento do teto de benefícios de 75% para 90%
d) Revisão da proporcionalidade da Parcela Previ
e) Criação do Benefício Especial Temporário (BET) de 20% sobre os complementos de aposentadoria e pensão.

Entre 2006 e 2010, o teto de concessão de empréstimos simples aumentou de R$ 25.000 para R$ 100.000 e o prazo máximo aumentou de 48 para 96 meses,na gestão do Marcel J.Barros passou para 145.000 em 120 meses, com a formula 170 que exclui os mais idosos de ter os mesmos direitos dos mais jovens, pode se verificar que para os que tem mais de 60 anos piorou as condições de contratação do empréstimo simples.

As propostas apresentadas até o momento não atende um segmento do PB-1 mais endividado, não resolve os problemas e cria insegurança jurídica, porque mais e mais aposentados e pensionistas vão buscar enquadramento na limitação dos 30%, garantidos na lei que é ignorada dentro da DIREÇÃO E DOS CONSELHOS DA PREVI.

Ainda estamos em tempo de consertar esta situação que vai aumentar a insatisfação dos assistidos da Previ.

Por fim sugiro mudanças urgentes, uma solução deve ser encontrada para os colegas em situação de penúria total, os eleitos nos deve uma solução imediata e conclusiva para por fim a esta situação criada com o voto favorável dos integrantes da chapa 3.

Atenciosamente

Rosalina de Souza
Pensionista
Matricula 18.161.320-4

Anônimo disse...

Se não vai modificar mais em novembro que pelo menos deixem os mesmos prazos para quem tem mais de 60 anos. Os caras estão pirados. Pior, estão querendo assassinar financeira e moralmente os que já estão entregues. Pisam na cabeça, o cara prende o fôlego até 29 de outubro para pegar uma merreca maiorzinha e aí outra bomba!!!
Arre égua!!! Vão ser burros assim no OHIO QUE O PARTA professor Ari, como disse um colega nosso que se meteu a besta ao chegar dos Estados Unidos, lá pelos idos dos anos 79 quando funcionário do BB era "otoridade"!!! Dividíamos a mesma mesa, com juiz, promotor, delegado diplomado, médico e prefeito. Hoje em dia, contam que um colega foi dizer ao guardinha de trânsito que era Gerente não sei o que lá do BB: o guarda olhou pro cabra e disse cinicamente: deveria ter estudado mais meu rapaz!!!

Anônimo disse...

Princípios de Transparência e de Confidencialidade

Transparência é a divulgação de informações a seus associados para indicar que a organização é bem administrada, que opera de forma ética e lida com suas finanças com eficiência e responsabilidade.

Confidencialidade é a obrigação e o direito de não divulgar informações aos seus associados se isso prejudicar a organização, seus relacionamentos de negócios.

Transparência constrói confiança e gera credibilidade.

Carlos - Rio Pardo(RS) disse...

Sr. Ari - ES.
Eu não consegui renovar meu ES, mas sempre acompanho o saldo devedor do meu.

Como entramos em agosto, o reajuste do ES se baseia no INPC de 2 meses anteriores, ou seja, junho.

Em junho o INPC foi de 0,26% perante 0,60 em maio.
Parece pouco, mas para nosso ES, significa muito.

Por exemplo, Tenho 90.000 de ES.
Até o final de julho, eu pagava R$ 1.250,00 e em torno de 975,00 de juros,,,

Hoje fui comparar o saldo devedor com o de ontem e a oscilação foi bem menor: R$ 12,06, ou seja, nesse mes os juros reduzirão drasticamente e reduz um pouco o prazo para que eu volte a ter margem para renovar.

Eu particularmente, tenho esperanças, não no retorno do BET nem no aumento do prazo do ES, mas na volta da suspensão da contribuição para a PREVI. Só não sei quando,,,daí sim poderei renovar e ver algum troco na conta.

Uma boa viagem para o Sr. no dia 08.08.14,,,,e concordo que deve-se negociar com cautela com o Sr. Marcel. Acho que conversando a gente se entende e as vezes um pouco de humildade ajuda, já que greve não podemos fazer mais,,,,só se for de fome,,,

Abr a todos.
Carlos

Anônimo disse...

Lydio, mas uma vez concordo com você e sinto o mesmo desespero....
Por que tanta dificuldade de se fazer uma manifestação na porta da previ?
Agora não temos quem convocar para tal, caberia a nos mesmos pois o Medeiros como integrante da previ não vai se envolver.
O que podemos fazer para convencer o pessoal que esta sendo roubado dia a dia,passando necessidades,sendo humilhado e não levanta a bunda da cama e comparece para demonstrar toda insatisfação dos VERDADEROS DONOS da previ!!!!!!!!!
Meu DEUS, o que esta acontecendo?
So sabem reclamar nos blogs, cobrar ES e não enxergam para onde estamos caminhando.

Anônimo disse...

Atenção Eleitos da Previ Chapa 3.
Modelo a ser sugerido na Previ, em especial na área jurídica.

Controle e redução de despesas administrativas

18/07/2014

Relatório de GT referenda iniciativas tomadas desde o início de 2013 e indica novas medidas

A Diretoria Executiva da FUNCEF debateu e encaminhou na reunião de 10 de julho deste ano o relatório do Grupo de Trabalho (GT) criado por Portaria da Presidência, para avaliar o nível das despesas administrativas e contribuir para a redução dos gastos.
Dada a necessidade de aprimorar permanentemente as estratégias, calibrar foco e potencializar inteligência em busca de resultados nos investimentos compatíveis com as exigências dos planos de benefícios, os órgãos de gestão da Fundação entenderam que é igualmente importante envidar esforços em relação aos gastos administrativos, mesmo sem indicativos de que esses estivessem fora dos padrões recomendados.

Custos administrativos – Em dezembro de 2012, o Conselho Deliberativo havia recomendado às diretorias de Administração (DIATI) e de Planejamento e Controladoria (DIPEC) o desenvolvimento de programa de controle e redução de gastos e, em janeiro de 2013, solicitou à DIPEC a realização de estudo sobre o perfil do custo administrativo, com revisão de prioridades de investimentos e de despesas. A criação do GT é decorrência de tais orientações.

O grupo de trabalho contou com a participação de representantes de todas as diretorias da Fundação. A gestão das despesas administrativas foi discutida ao longo de um ano e meio, em reuniões internas e em visitas à CAIXA e a outras entidades de Previdência Complementar, notadamente a Petros e a Previ.

Nas reuniões internas, foram discutidos com diretores e gestores da Fundação diversos grupos de despesas, tais como: Pessoal e encargos; Treinamento; Viagens e estadias; Serviços de terceiros; Contratos de honorários advocatícios; Despesas gerais; e Tributos.

Além de analisar o nível das despesas e as medidas de redução já adotadas, o GT apresentou novas sugestões para melhoria da eficiência nos gastos e redução de custos.
Economia de recursos – O relatório apresentado pelo GT à Diretoria Executiva destaca as medidas para redução das Despesas Gerais, adotadas pela Coordenação de Processos e Administração (COPAD) desde o início de 2013, e lembra que só aí houve economia da ordem de R$ 343 mil nos nove primeiros meses do último exercício.

Entre as medidas para redução das despesas gerais consta, desde julho de 2013, o fim da impressão dos contracheques dos empregados da Fundação.

O relatório do GT sugere procedimento de inibição do envio de contracheques também para os assistidos da Fundação, o que se daria mediante incentivo ao registro de cancelamento de recebimento, pelo próprio assistido, na plataforma de autoatendimento.

Após debater o relatório, a Diretoria Executiva conferiu à Diretoria de Administração a coordenação dos desdobramentos relacionados às constatações do GT. A referida diretoria recebeu também a incumbência de apresentar bimestralmente relatório das ações desenvolvidas com base nas sugestões do grupo de trabalho.

Comunicação Social da FUNCEF

Cláudio Almeida disse...


Prof.

A revisão do ES de 15.07.2014, foi feita de última hora, para atender os reclamos pela volta do pagamento das prestações. Ajudou alguns.

Deixou muitas perguntas sem resposta.

Foi uma antecipação da revisão prevista para novembro/14?

Se foi uma antecipação, quando será a próxima revisão?

Dizer que só em 2015, é muito vago.

Se os novos parâmetros só vigoram até 29.10.2014, o que esperar a partir de 01.11.2014?

O que a Previ fará com os participantes que têm um saldo devedor de R$ 140.000,00 e capacidade de pagamento para R$ 133.000,00 ? Margem negativa?

Enfim, o ES é um produto rentável para a Previ e favorável para o tomador. Enquanto existir é possível melhorá-lo.

Não se trata de ser contra ou a favor do endividamento, mas de lidar com uma realidade que aí está.

Esperamos respostas objetivas, pois temos direito a elas. Marcel pode esclarecer.

Camboriú é uma oportunidade.

Abraços

Anônimo disse...

Pessoal vamos entrar com os 30% Justiça ja!!!!!

Ari Zanella disse...

TRISTEZA NÃO PAGA DÍVIDA

Nesta manhã estive nas instruções para equipe de fiscalização das provas para a PMJ - Prefeitura Municipal de Joinville, onde irei trabalhar como fiscal amanhã, dia 03 e no dia 17.08, recebendo para cada domingo trabalhado 160,00 + almoço grátis.
Alguns podem dizer, mas você não é presidente da ANAPLAB, uma Associação de aposentados?
Sou, porém nosso trabalho não é remunerado. Eu ainda preciso fazer alguns "bicos" para a sobrevivência. É a vida...

Ari Zanella disse...

Leiam o novo texto no BLOG DO MEDEIROS: "NÃO ESTÁ MORTO QUEM PELEIA" - Sensacional. Concordo plenamente!

Marco Orlando disse...

Ari,
Gostaria que fosse discutido na reunião de Camboriú, a reportagem abaixo, publicada no Valor Econômico.
Pelo visto a rentabilidade da PREVI no período deve ter sido excelente.

29/07/2014 às 05h00
Renda fixa garante meta de fundos de pensão no semestre



A maior parte dos fundos de pensão conseguiu bater suas metas de rentabilidade no primeiro semestre deste ano graças ao bom desempenho da renda fixa, que foi a vilã do setor em 2013. Cerca de 60% do patrimônio de R$ 640 bilhões das fundações estão aplicados em renda fixa, a maior parte em títulos do governo de prazos longos e indexados à inflação.


Leia mais em:
http://www.valor.com.br/financas/3629596/renda-fixa-garante-meta-de-fundos-de-pensao-no-semestre#ixzz39FZEDUsc

Anônimo disse...

O problema é que toda vez que acesso o blog do medeiros, entra virus

Anônimo disse...

Marco Orlando, segui sua orientação para a liquidação da ação 1/3 PREVI via Valores Incontroversos, mas a resposta foi bem diferente da sua; ou estou enganada?

Pergunta:
Ação 1/3 IR -PREVI - 200034000470496 - Advogado Ivo Evangelista de Avila - Solicito à ANABB que entre com um pedido em Juizo, para que a referida ação, (com jurisprudência firmada), seja liquidada via VALORES INCONTROVERSOS, evitando-se com isso diversos embargos que visam somente postergar a liquidação. Eventuais ganhos após a liquidação, seriam pagos quando da liquidação definitiva da ação. (Afinal, já são 14 anos aguardando solução, já possuo mais de 60 anos, e acredito que seja possível propor tal procedimento. ). Aguardo uma posição. Obrigada.

Resposta:
Prezada Rita, em atenção a seu contato, informamos que sua ação está na fase de execução (2008.34.00.015320-1), momento processual em que são realizados os cálculos para apuração do valor devido, não se discutindo mais o mérito, mas sim cálculos. Contudo, a Fazenda Nacional ajuizou a ação de Embargos à Execução (2008.34.00.023903-5), a qual se presta para discutir os cálculos, normalmente refere-se à aplicação de juros, correção monetária e compensação. A ação de Embargos está tramitando no TRF1 em sede de recurso de apelação, sendo o último andamento em 16/01/2014, quando o processo foi recebido no Gab. da Desembargadora Novély Vilanova. Dessa forma, a execução somente voltará a tramitar quando do julgamento definitivo da ação de Embargos à Execução. Salienta-se que não se está discutindo o mérito, o qual você já ganhou, mas os cálculos, qual índice utilizar para correção, juros e compensação. Portanto, orientamos aguardar. A ANABB agradece o seu contato.

Já a sua Resposta:
Prezado Marco, em atenção a seu contato, informamos que respondi seu mensagem de protocolo de nº 203885, com o seguinte teor"informamos que sua ação de IR 1/3 Previ, processo nº 200834000197007, já houve o trânsito em julgado da decisão do acórdão da apelação. Dessa forma, a ação entrou na fase de execução, momento processual em que são realizados os cálculos para apuração do valor e liquidação da sentença. Informamos ainda, que a União ajuizou a ação de Embargos à Execução, a qual se presta para discutir cálculos, como por exemplos os juros aplicados, o índice de correção, entre outros. Sendo assim, a execução será suspensa até o julgamento em definitivo dos Embargos. Por fim, esclarecemos que já enviamos solicitação ao advogado da ação para que analise a possibilidade de solicitar a liquidação provisória de valores incontroversos. Portanto, orientamos aguardar." Agradecemos seu contato.

Atenciosamente, Joyce Barbosa
Atendi mento ao Associado
ANABB/VIREF
??????????
Rita

Marco Orlando disse...

Prezada Rita (anônima de 02.08 as 22.12)
Peço-lhe entrar em contato com a ANABB por telefone e pedir explicação. pois no meu caso eu pedi para entrar com a ação em janeiro deste ano e em contato telefonico me foi informado que meu pedido já tinha sido encaminhado ao advogado. Reiterei agora em julho, por e-mail e por telefone e a resposta foi a que publiquei.
Bom domingo.
Marco Antonio Orlando

Anônimo disse...

Dr. Medeiros e Ari Zanella, sobre sua observação sobre o ES da Previ:
“As alterações feitas agora em julho foram emergenciais. Haverá novos parâmetros em novembro, isto foi o que ele me confidenciou. Aproveitei para pedir-lhe novamente que estendesse o prazo, com o intuito de diminuir o valor das prestações, para que assim sobre mais recursos no líquido dos tomadores.”
Volto a registrar que não é viável alongar o Prazo do ES para reduzir a Parcela Mensal (PMA), visto que a PMA deve ser superior a 1,10% do Capital Liberado, para que o Saldo Devedor do ES seja reduzido a cada mês.
Se os Juros são de 5%a.a. mais INPC de 6%a.a. capitalizados mensalmente, temos 0,92% de encargos mensais.
Não basta alongar o prazo para 130, 140 ou 150 meses.
É preciso reduzir os Juros e a forma de Capitalização do INPC, que deveria impactar o Saldo Devedor apenas em Janeiro (com paridade ao reajuste dos Benefícios).
Exemplos (equipes da ANAPLAB e Previ que analisem e aprimorem as fórmulas).
I) ES 160.000,00 / 120 meses:
160.000,00 x 0,0115 = R$ 1.840,00 (1,15%)
Parcelas 01 a 12: 1.840,00
Parcelas 13 a 24: 1.950,00 (+ 6% INPC)
Parcelas 25 a 36: 2.067,00 (+ 6% INPC)
PMA média: R$ 1.952,00.
A PMA média é SUPERIOR a PMA do meu ES atual:
II) ES atual (o meu):
130.000,00/108 meses: Parcelas de 1.916,80
(1,47% do Capital)
Observação:
Para ajustar a PMA ao valor adequado à redução do Saldo Devedor, basta reajustar a PMA em Janeiro, pelo INPC apurado desde a liberação do ES, e depois a cada 12 meses.
O Período de Carência deveria ser de no mínimo 12 meses, com renovação possível apenas depois de Janeiro
SE houvesse redução dos Juros de 5% para 4% a.a., o impacto do débito mensal do INPC seria atenuado.
Tendo como foco a contínua REDUÇÃO DO SALDO DEVEDOR, o Valor da Renovação Futura(mantida) e os Prazos(reduzidos) poderiam ser atualizados acompanhando a tábua de riscos (idade).

Marcelino Maus
F6752890