BANNER

Acesse aqui!
atendimento@anaplab.com.br
Joinville/SC: (47) 3026-3937
S.J. Pinhais/PR: (41) 3035-2095

quinta-feira, 31 de julho de 2014

ESFERA JUDICIAL

                   TERMO DE COMPROMISSO

O Banco do Brasil S.A., patrocinador da PREVI, de um lado, e de outro as entidades representativas dos associados da PREVI, Confederação Nacional dos Trabalhadores do Ramo Financeiro (CONTRAF-CUT), Associação Nacional dos Funcionários do Banco do Brasil (ANABB), Associação dos Antigos Funcionários do Banco do Brasil (AAFBB), Federação das Associações de Aposentados e Pensionistas do Banco do Brasil (FAABB) e os diretores da PREVI eleitos pelos associados, José Ricardo Sasseron, Vitor Paulo Camargo Gonçalves e Paulo Assunção de Souza, ajustam entre si, com a anuência do Ministro do Planejamento, Paulo Bernardo Silva, e do Secretário Executivo do Ministério da Fazenda, Nelson Machado, que em janeiro de 2011 será instalado processo negocial entre o Banco e as Entidades acima descritas para avaliar e adotar possíveis alterações no regulamento do Plano de Benefícios 1 da PREVI, prevendo como prazo para a conclusão dos trabalhos o período de 6 (seis) meses.

Brasília, 24 de novembro de 2010.

                   Banco do Brasil S.A.

Amauri Sebastião Niehues                     Sérgio Lunes Brito

Pela Contraf-Cut  - Eduardo Araújo de Souza

Pela AAFBB  -   Loreni  Senger  Correa

Pela ANABB  -  Valmir Marques Camilo

Pela FAABB   -  Isa Musa de Noronha

Pela PREVI    -  José Ricardo Sasseron  (SEGURIDADE)

                              -   Paulo Assunção de Souza  (ADMINISTRAÇÃO)

                               -   Vitor Paulo C. Gonçalves  (PLANEJAMENTO)

--------------------------------------------------------------------------------

     Recebo cobranças sobre a responsabilidade de quem assinou o documento. A questão primeira é: Quem rompeu o Acordo e não instalou o processo negocial entre as partes? O próprio Banco do Brasil, que é uma das partes, e sem a qual nada sai do papel. Eles firmaram o Acordo, com as assinaturas de Amauri Sebastião Niehues e Sérgio Lunes Brito COM A ANUÊNCIA DE UM MINISTRO DE GOVERNO (PAULO BERNARDO) E DO SECRETÁRIO EXECUTIVO DO MINISTÉRIO DA FAZENDA, NELSON MACHADO.
Ora, a parte que ignorou o Acordo, seja acionada na justiça, por quebra de contrato. Este acordo é mais do que um contrato. A meu ver, só não podem ser responsabilizados os nossos representantes. Afinal, eles estavam a postos. Quem não compareceu foi o patrocinador da PREVI.

DELENDA CARTHAGO - JUSTIÇA AINDA QUE TARDIA!

                                 O RÉU TEM QUE SER O NOSSO PATROCINADOR.

5 comentários:

Juarez Barbosa disse...

Prezados Ari e demais colegas,

A bem da verdade, existiu reunião entre o Patrocinador e nossos Representantes atendendo a este Termo de Compromisso. Só que não se chegou a consenso algum. Inclusive houve outra reunião com a PREVIC motivada pela citada acima.

Abaixo disponibilizo o link referente ao expediente da FAABB informando sobre o resultado da negociação.

https://drive.google.com/file/d/0B2apQ70fp3uSQU02UUJCWklnRWc/edit?usp=sharing

Um fraterno abraço a todos.

Anônimo disse...

Prof.Ari,
Muito bom o foco das matérias priorizando as mais graves e que beneficiam a maioria como a questão dos 360/360.E sem fofocas nem briguinhas.O Sr. realmente continua o mesmo.

Anônimo disse...

Vamos com calma Dr. Ari, eu acho que os diretores também são responsáveis, pois não fizeram nada para depois irem para cima do BB.

Então lhe pergunto: sua opinião está mudando? ou é o efeito do seu cargo?

Anônimo disse...

Nossa colega de 10:44, seu comentário tem nota 1000!!!!!

Anônimo disse...

O TERMO DE COMPROMISSO foi assinado pelos representantes das ASSOCIAÇÕES, da PREVI e pelos representantes do PATROCINADOR. São pessoas que REPRESENTAM DE FATO e não são, portanto, moleques escolhidos aleatóriamente. O assunto envolvia e envolve a vida financeira de milhares de famílias beneficiadas pelo Plano 1da PREVI. Por isso deve ser analisado com muita seriedade e levado para a esfera judiciária. Se esse documento não tem valor, o que terá valor então no futuro da Previ?