BANNER

Acesse aqui!
atendimento@anaplab.com.br
Joinville/SC: (47) 3026-3937
S.J. Pinhais/PR: (41) 3035-2095

domingo, 30 de junho de 2013

DEZ ESTRATÉGIAS DE MANIPULAÇÃO

     Uma lista de dez estratégias de manipulação dos princípios sociais e econômicos de forma a atrair o apoio inconsciente dos meios de comunicação para a manipulação.

01 - A estratégia da distração

Indispensável para impedir o público interessar-se pelos conhecimentos essenciais, nas áreas de: ciência, economia, psicologia, neurobiologia e da cibernética.
Manter a atenção do público distraída, longe dos verdadeiros problemas sociais, atraída por temas sem importância real. Fazer o público não ter tempo para pensar.
( exemplos brasileiros: futebol, novelas, fórmula 1, programa Sílvio Santos, etc.)

02 - Criar problemas para depois oferecer soluções

Cria-se uma situação prevista para causar certa reação no público, a fim de que seja o suplicante das medidas que se deseja implementar.
( exemplo na Previ/BB: distribuição do superávit em 2010.)

03 - A estratégia da gradualidade

Para fazer com que se aceite uma medida inadmissível, basta aplicá-la gradualmente, a conta-gotas, num prazo alargado. Assim, são aceitas sem provocar revoltas.
( caso da Resolução 26 e da Resolução 11 -retirada de patrocínio)

04 - A estratégia de adiar

Outra maneira de provocar a aceitação de uma decisão impopular é de adiá-la. É obter o consentimento no presente para uma aplicação futura. É mais fácil aceitar um compromisso futuro do que um sacrifício imediato.
( o projeto trem bala, menina do olhos de Dilma, não foi abandonado.)

05 - Dirigir-se ao público como criaturas de pouca idade.

Discurso dirigido ao público como se o espectador fosse uma criança ou deficiente mental. Quanto mais se tenta enganar, mais se tende a adotar um tom infantil. Por quê?
( exemplo: conteúdo no site da Previ )

06 - Utilizar o aspecto emocional muito mais que a reflexão:

Fazer uso do aspecto emocional é uma técnica clássica para curto-circuitar a análise racional e neutralizar o sentido crítico dos indivíduos.

07 - Manter o povo na ignorância e na mediocridade.

"A qualidade da educação dada às classes sociais inferiores deve ser mais pobre e medíocre possível, de forma que a distância entre estas e as classes altas permaneça inalterada no tempo e seja impossível alcançar uma autêntica igualdade de oportunidades para todos."

08 - Estimular o público a ser complacente com a mediocridade.

Fazer crer ao povo que está na moda a vulgaridade, a incultura, o ser mal falado ou admirar personagens sem talento ou mérito algum, o desprezo pelo intelectual, o exagero ao culto do corpo e a desvalorização do espírito de sacrifício e do esforço pessoal.
( tudo aplicado sob medida ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva )

09 - Reforçar o sentimento de culpa das pessoas.

Fazer crer ao indivíduo que ele é o único culpado de sua própria desgraça, por insuficiência de inteligência, de capacidade, de preparação ou de esforço. Com isso, sem reação, não há revolução.
( felizmente este não é o espírito das passeatas de protestos na ruas brasileiras.)

10 - Conhecer os indivíduos melhor do que eles próprios se conhecem.

Nos últimos 50 anos, os avanços da ciência geraram uma crescente brecha entre os conhecimentos do público e aqueles utilizados pelas elites dominantes.
O SISTEMA conseguiu conhecer melhor o indivíduo comum do que ele próprio se conhece.

Texto : Noam Chomsky - Visões Alternativas

Tradução : José Mauro Rodrigues

Leiam no link abaixo, a oportuna manifestação do Pedro Carlos de Mello sobre o Teto Previ:

http://www.anabb.org.br/mostraPagina.asp?codServico=635

sábado, 29 de junho de 2013

O MAL QUE NOS AFLIGE

     Podemos reclamar sobre os efeitos gerados pela Resolução 26 em segmentos do plano um, aqueles cujos salários são considerados baixos.
     Com efeito, esta perniciosa resolução afeta muito mais os minguados salários - aí incluídos os das pensionistas - posto que a reversão de valores nela contida deixa de efetuar a revisão obrigatória do plano, conforme preceitua a Lei Complementar 109/2001, em seu artigo 20.
E não apenas a reversão, mas também, o caráter temporário de benefícios, outra anomalia criada pela infeliz resolução.
     Toda a sociedade sabe qual é a nossa reivindicação: se estivéssemos nas ruas com faixas e cartazes, leríamos "abaixo a Res.26" e o "fora Pimentel" , autor intelectual e ardente batalhador pela sua continuidade. Não é segredo para ninguém que este senador foi eleito pelo uso da máquina do partido e pelo poder econômico de grupos ligados ao BB para que, no Senado da República, utilizasse de sua influência maléfica a favor do patrocinador.
     O Plano de Benefícios nº 1 da Previ atingiu o mais alto grau de sucesso financeiro a que um plano de previdência fechada pudesse alcançar.
Por consequência, o olho gordo, a cobiça e a inveja dos governantes fazem de tudo para miná-lo. Tiraram toda a nossa efetiva representatividade. Marionetes são eleitas na diretoria. Coisa para inglês ver. Aumentar as pensionistas para 100% do que ganhava o finado marido, não pode, vai quebrar o plano. Aumentar os diretores do Banco, quebrando, inclusive, seu regime trabalhista, dando-lhes duas vezes mais o teto da Previ, pode!
     É uma hipocrisia sem tamanho. E ainda não querem que nos debelemos! Insensatos! Logo terão o que merecem. Preparem-se.

sexta-feira, 28 de junho de 2013

REUNIÃO DE EMERGÊNCIA

     Uma reunião de emergência para contornar os recentes acontecimentos das ruas. O tema é subtrair 20% nos investimentos duvidosos. E por cima, temporário.
Confira o que rolou na reunião:

http://www.youtube.com/watch?v=__C90xZOmsQ&list=UUEWHPFNilsT0IfQfutVzsag

Delenda Cartago - Corrupção nunca mais. 

quinta-feira, 27 de junho de 2013

MAIS UM RECADO BEM DADO

Exma. Sra. Dra. Gleisi Hoffmann.
DD. Ministra Chefe da Casa Civil.
Brasília-DF.

Ilustríssima Ministra,

Sei que V.Excia tem ascendência dupla sobre o Ministro das Comunicações, Dr. Paulo Bernardo, a primeira por força da hierarquia profissional como Chefe da Casa Civil e a segunda, menos formal, na qualidade de esposa.
Neste contexto, ocupam cargos de relevância máxima no Governo da Presidenta Dilma e, obviamente, ambos recebem elevados e merecidos salários para desempenhar as complexas funções de extrema responsabilidade, daí é fácil inferir que os benefícios recebidos pelo seu marido junto a PREVI, em decorrência de sua aposentadoria no BB, são considerados insignificantes, irrisórios e ninharia, pouco agregando a essa família da alta elite que vive à moda de um “Midas”, fazendo virar ouro em tudo que toca.
Realmente não faz a mínima diferença caso essa fonte de renda seque, ou seja, a EFPC-PREVI vir a quebrar e deixar de pagar a aposentadoria vitalícia complementar do seu consorte.
Entrementes, essa linha de raciocínio serve para explicar, de forma inconteste, a inércia adotada pelo nosso colega aposentado do BB, Dr. Paulo Bernardo, de não mover um dedo sequer para defender a sua classe e o patrimônio da PREVI, nosso Fundo de Pensão, visto que não depende dele para manter o seu nababesco padrão de vida.
Essa abundância de dinheiro em que vivem à sombra do poder, no luxo das mansões, dos carrões, dos motoristas particulares, tudo de graça, vinte e quatro horas por dia, é privilégio de poucos e os 120 mil aposentados do BB, evidentemente alijados de tais benesses, foram obrigados a pagar contribuições mensais ao Fundo de Pensão (PREVI), em média, durante trinta anos da vida laboral para formar patrimônio com o escopo de garantir as suas aposentadorias.
Todos deram a juventude ao BB e o próprio sangue para o engrandecimento dessa empresa, uma vez que trabalharam em locais inóspitos para levar progresso a essas regiões pobres e isoladas, ajudando a construir um País melhor e, sobretudo, para, na velhice, terem aposentadoria condigna.
Contudo, na atual conjuntura fomos surpreendidos com a Caixa de Pandora do Lula e nos deparamos com manobras insidiosas que acabaram viabilizando o saque de R$ 7.5 bilhões, em 24/11/10, dos recursos da PREVI, caso concreto dessa Resolução MPS-CNPC-26/2008 cujo pai é o ex-presidente Lula, feita de encomenda e na medida para subtrair a poupança destinada ao pagamento das nossas aposentadorias e, efetivamente, logrou êxito no roubo branco.
O Lula tanto fez que o desvio foi orquestrado e autorizado arbitrariamente pelo ex-CGPC-MPS e atual CNPC-MPS, via dessa Resolução 26/2008, emprestando aparência de normalidade a um ato sub-reptício que enxovalha, macula e fulmina o princípio da legalidade. Como de praxe, prevaleceu a impunidade.
Todavia, é notória a falcatrua perpetrada e criou-se direitos não previstos no texto da Lei Federal Complementar 109/2001, artigo 20, com a fantasiosa inserção da “Reversão de Valores”, mediante o emprego da Resolução 26/2008, artigo 15, norma inferior e subalterna em relação ao Diploma Legal. Se lesar os idosos com documento jurídico desonesto, ilegal e imoral não for crime, é o que, então?
Com efeito, sobrevivemos, junto com os nossos dependentes, totalizando cerca de 600 mil pessoas, com os únicos e parcos proventos financeiros das aposentadorias, oriundos da PREVI, entidade sem fins lucrativos, criada com a finalidade exclusiva de gerir os recursos a ela confiados, na qualidade de fiel depositária, e de pagar os benefícios disciplinados na Lei Complementar 109/2001, motivo pelo qual defendemos com unhas e dentes os Ativos da PREVI, para não ficarmos na rua da amargura, consoante aconteceu com vários outros Fundos que quebraram e não tiveram condições financeiras de honrar os compromissos (benefícios dos planos) assumidos.
Notável Ministra, falaremos apenas dos fatos mais emblemáticos, omitindo muita coisa, tendo em vista que debaixo do seu teto existe uma testemunha – Dr. Paulo -- que conhece com extrema clareza e profundidade as ilegalidades, injustiças, roubos e desmandos contra a nossa Caixa de Previdência (PREVI), porquanto o Ministro Paulo Bernardo participou ativamente da negociação realizada em 24/11/2010, chancelando o acordo, oportunidade em que houve a destinação de R$15 bilhões da Reserva Especial da PREVI, onde o BB ficou com 50% dessa reserva (R$7.5 bilhões) por força da espúria e ilegal Resolução-MPS-CGPC-26/2008 e, de igual forma, coube 50% aos participantes e assistidos.
De acordo com o único e legítimo instrumento jurídico oficial e legal que disciplina a Previdência Fechada Complementar, que é a Lei Complementar 109/2001, editada por determinação do artigo 202 da CF/88 e EC 20/98, os 100% da Reserva Especial da PREVI, artigo 20 da LC 109/2001 sempre pertenceram aos associados e a destinação para melhoria dos planos de benefícios era feita sem contestações, em perfeita harmonia e normalidade, observados os ditames da lei, surgindo o conflito de normas (antinomia) com a astuciosa e imoral Resolução 26/2008 que impôs, na marra, na força, a “Reversão de Valores” para os patrocinadores, direitos inexistentes no texto da LC 109/2001.
Inobstante reze no artigo 5º, inciso II, da CF/88, que ninguém será obrigado a fazer ou deixar de fazer alguma coisa senão em virtude da lei, a PREVI desobedeceu a esse primado pétreo e cumpriu o que está na Resolução 26/2008 e depositou os R$ 7.5 bilhões à ordem do BB.
Por outro lado, como a “Reversão de Valores” não está prevista na LC 109/2001 o CNPC/PREVIC agiram ao arrepio da Constituição Federal e da lei, elaborando um instrumento, no qual cria, sem ter poderes para tal, DIREITOS para os patrocinadores sem respaldo legal, de forma totalmente dolosa e de má-fé, numa postura política para atender o Poder Executivo, destituída dos critérios técnicos para os quais foram criados.
Para facilitar o fechamento desse pacto, no ato, foi assinado pelo BB/PREVI e entidades representativas (CONTRAF-CUT, FAABB, ANABB, etc.) com assistência do DEST, Fazenda e PREVIC, um Termo de Compromisso ficando acertado que, num prazo de seis meses, o BB faria o realinhamento do Plano de Benefícios 1 para melhoria dos benefícios e até hoje nada foi feito e o BB quebrou a sua palavra e mandou às favas aquilo que prega aos seus devedores: “ Pacta sunt servanda”.
O Ministro Paulo Bernardo, pelo seu turno, não agiu com a lealdade própria de colega aposentado do BB e foi o primeiro a nos apunhalar pelas costas ao ajudar a sepultar o acordo referido no tópico precedente. Fomos ludibriados com as promessas de realinhamento, fato que serviu de base para aceitarmos a implementação da Resolução 26/2008.
A bem da verdade, a PREVIC, órgão fiscalizador e que deveria defender os nossos direitos, artigo 3º, inciso VI, da LC 109/2001 autora intelectual da resolução fez o contrário, advogou para os patrocinadores e forçou à aplicação da sua Resolução 26/2008, de sorte que o BB ficasse com a metade da Reserva Especial que estava sendo distribuída, isto como condição para autorizar o negócio.
A PREVIC, criada pela Lei 12.154/2009, deveria se envergonhar de exercer um papel parcial a favor dos patrocinadores e de algoz dos associados, atitude totalmente divorciada das suas atribuições institucionais. É muita sujeira debaixo do tapete.
Nobre Ministra, com toda a sua inteligência e notório conhecimento em Direito, é elementar que sabe que uma simples Resolução Administrativa não pode fazer inovação em uma Lei Complementar e tampouco CRIAR DIREITOS. A resolução deve cingir-se a sua condição de normatizar o que consta da lei, sem diminuir ou aumentar uma simples vírgula.
 Assim sendo, na hierarquia das normas jurídicas a Resolução 26/2008, artigo 15, não poderia criar a “Reversão de Valores” para os patrocinadores, invadindo as atribuições do Poder Legislativo, único que teria poderia poderes, via de Projeto de Lei, para fazer mudança no artigo 20 da Lei Complementar 109/2001.
De acordo com o artigo 20 da LC 109/2001 a Reserva Especial só pode ser utilizada para revisão do plano e melhoria dos benefícios e apenas no caso de redução ou isenção de contribuições o patrocinador faria jus à Reserva Especial. Em outras palavras, “Reversão de Valores” significa devolução de dinheiro aos patrocinadores, medida vedada por lei e configura enriquecimento sem causa. É claro que o BB não pode ser “Patrocinador” e “Beneficiário” do plano de benefício ao mesmo tempo.
Só para lembrar, o Ministro Celso de Mello, do STF, ao examinar a ADI-4644 impetrada pela ANAPAR e CONTRAF-CUT, elaborou o Despacho de 23/03/12, apenso aos autos, no qual determinou o arquivamento da ação sob a ótica da inconstitucionalidade, mas deixou consignado que a Resolução 26/2008 é eivada de irregularidades e ilegalidades, azo em que sugeriu que as correções das injustiças deveriam ser buscadas nas instâncias inferiores. Basta acessar o site do STF e rever o trabalho do Ministro Celso.
Portanto, Ministra, pela sua biografia, conduta ilibada e retidão de princípios, encarecemos que determine o cancelamento da Resolução 26/2008 e que o BB devolva os R$ 7.5 bilhões que o ex-CGPC e atual CNPC-MPS lhe concedeu indevidamente através da maligna e vilipendiosa “Reversão de Valores”.
Essa Resolução 26/2008 agride a Democracia, rouba os aposentados e afronta o Estado de Direito. Além de ter levado de roldão o artigo 20 LC 109/2001 a Resolução 26/2008, artigo 15, feriu de morte o artigo 102 da Lei 10.741/2003 (Estatuto do Idoso).
Seguramente esse tema será levado às ruas para conhecimento da população, salientando que é mais uma trapaça fraudulenta do ex-presidente Lula, que deu as ordens e comandou o golpe e o desfalque no dinheiro dos Fundos de Pensão, em especial na PREVI, maior EFPC da América latina.
Na certeza de que tomará as providências cabíveis para anular a Resolução CNPC-MPS-26/2008 e corrigir as injustiças praticadas levianamente, devolvendo os R$7.5 bilhões embolsados indevidamente pelo BB, valho-me do ensejo para renovar meus votos de admiração, consideração e elevado apreço. Gentileza acusar o recebimento.

Cordialmente.


João Rossi Neto – Matrícula BB/PREVI – 4.986.560-9 – aposentado a partir de 06/07/98 na PREVI. 

quarta-feira, 26 de junho de 2013

NOSSO QUINHÃO ESTÁ GUARDADO

     O poder público apressou-se em contornar a pressão das ruas. Ontem a sessão na Câmara foi produtiva - desaprovaram a PEC 37 e aprovaram projetos que amplia percentuais de aplicação em educação e saúde.
     Inobstante, nada respingou em nosso quintal, não choveu na nossa horta. Nada de aprovação do PDS 275/2012. Nada de queda da Resolução CNPC 26/2008. Nada que amedronte o senador Pimentel. Nada de fixação do teto por parte da Previ.
     Continuamos de pires nas mãos. Somos pacíficos, ordeiros, educados. Quem está recebendo atenção do governo e dos políticos são os baderneiros, os barulhentos, e desordeiros.
     Vamos continuar calados?

Estou retornando da manifestação de rua na noite desta quarta-feira, dia 26, na qual foram registradas estas fotos:







terça-feira, 25 de junho de 2013

IMAGENS QUE VALEM MIL PALAVRAS



 Manifesto em Brasília(18/06/2013)
“Guarde essa foto.
Senhoras e senhores vocês estão diante de uma imagem que vale mais que mil palavras
Uma imagem que vai fazer história .
Uma imagem que vai fazer os políticos corruptos arrepiarem.
Uma imagem que vai mostrar para o mundo que nós brasileiros estamos vivos e indignados.
O GIGANTE ACORDOU.”













domingo, 23 de junho de 2013

RONALDO FENÔMENO

     A Rede Record fez uma reportagem neste domingo à noite sobre uma crítica contundente feita por Alex Ribeiro, do Rio de Janeiro, onde contesta as declarações de Ronaldo fenômeno, feitas há três anos, nas quais afirma que "copa do mundo se faz com estádios, não com hospitais."

http://www.youtube.com/watch?v=uuUCxiC5SE8

     Ronaldo, que tem um patrimônio avaliado em 1 bilhão de reais, tem uma empresa cujo nome representa o seu número enquanto jogador, o nove (9ine), não deveria ter sido responsabilizado por esta façanha isoladamente. O ex-presidente do Brasil foi o principal responsável por trazer a copa para o Brasil. Como se diz, foi o pai da criança.
     O senhor Luiz Inácio Lula da Silva é que deve ser responsabilizado deste equívoco de ser país sede de copa do mundo. Ele lá esteve, junto de Pelé, Ronaldo, Paulo Coelho e grande elenco do partido estrela. Mas Lula é assim, não dá a cara a tapa, usa de peões como no jogo de xadrez. Saiu-se maravilhosamente bem no escândalo do mensalão, em que pese tudo saber sobre a matéria, tendo sido "preservado". Todos têm medo de contestá-lo. Até parece um famoso ditador de Cuba. Dilma o conhece muito bem, mas por ter sido eleita sob sua influência, se cala. A única providência que efetivamente tomou contra o sr. Lula, foi demitir a Sra. Rosemary e fechar o Escritório da presidência em São Paulo. E foi só.
     Conclui-se, meu caro Alex Ribeiro, que você está certíssimo ao criticar o Ronaldo. Se quisesse poderia até pegar mais gente na foto.

sexta-feira, 21 de junho de 2013

PROPOSTA DE EMENDA CONSTITUCIONAL - PEC

A Carta publicada no Globo:

· Voto facultativo? SIM!
· Apenas 2 Senadores por Estado? SIM!
· Reduzir para um terço os Deputados Federais e Estaduais e os Vereadores? SIM!
· Acesso a cargos públicos exclusivamente por concurso, e NÃO por nepotismo? SIM!
· Reduzir os 40 Ministérios para 12? SIM!
· Cláusula de bloqueio para partidos nanicos sem voto? SIM!
· Fidelidade partidária absoluta? SIM!
· Férias de apenas 30 dias para todos os políticos e juízes? SIM!
· Ampliação do Ficha-limpa? SIM!
· Fim de todas as mordomias de integrantes dos três poderes, nas três esferas? SIM!
· Cadeia imediata para quem desviar dinheiro público (elevando-se para a categoria de crime hediondo?) SIM!.
· Atualização dos códigos penal e processo penal? SIM!
· Fim dos suplentes de Senador sem votos? SIM!
· Redução dos 20.000 funcionários do Congresso para um quinto? SIM!
· Transparência e auditabilidade no sistema de votação e  apuração eletrônicas? SIM!

· Maioridade penal aos 16 anos ? SIM!
· Voto em lista fechada? NÃO!
· Financiamento público das campanhas? NÃO!
· Horário Eleitoral obrigatório? NÃO!
Um BASTA! na politicagem rasteira que se pratica no Brasil?  SIM !!!!!!!!!!!


Em três dias, a maioria das pessoas no Brasil terá esta mensagem. Esta é uma ideia que realmente deve ser considerada e repassada para o Povo.

Lei de Reforma do Congresso de 2013 (Emenda à Constituição) PEC de iniciativa popular: Lei de Reforma do Congresso (proposta de emenda à Constituição Federal)

1. Fica abolida qualquer sessão secreta e não-pública para qualquer deliberação efetiva de qualquer uma das duas Casas do Congresso Nacional. Todas as suas sessões passam a ser abertas ao público e à imprensa escrita, radiofônica e televisiva.

2. O congressista será assalariado somente durante o mandato. Não haverá ‘aposentadoria por tempo de parlamentar’, mas contará o prazo de mandato exercido para agregar ao seu tempo de serviço junto ao INSS referente à sua profissão civil.

3. O Congresso (congressistas e funcionários) contribui para o INSS. Toda a contribuição (passada, presente e futura) para o fundo atual de aposentadoria do Congresso passará para o regime do INSS imediatamente. Os senhores Congressistas participarão dos benefícios dentro do regime do INSS exatamente como todos outros brasileiros. O fundo de aposentadoria não pode ser usado para qualquer outra finalidade.


4. Os senhores congressistas e assessores devem pagar por seus planos de aposentadoria, assim como todos os brasileiros.

5. Aos Congressistas fica vetado aumentar seus próprios salários e gratificações fora dos padrões do crescimento de salários da população em geral, no mesmo período.



6. O Congresso e seus agregados perdem seus atuais seguros de saúde pagos pelos contribuintes e passam a participar do mesmo sistema de saúde do povo brasileiro.

7. O Congresso deve igualmente cumprir todas as leis que impõe ao povo brasileiro, sem qualquer imunidade que não aquela referente à total liberdade de expressão quando na tribuna do Congresso.

8. Exercer um mandato no Congresso é uma honra, um privilégio e uma responsabilidade, não uma carreira. Parlamentares não devem servir em mais de duas legislaturas consecutivas.


Se cada pessoa repassar esta mensagem para um mínimo de vinte pessoas, em três dias a maioria das pessoas no Brasil receberá esta mensagem. A hora para esta
PEC - Proposta de Emenda Constitucional - é AGORA!!!!

É ASSIM QUE VOCÊ PODE CONSERTAR O CONGRESSO.


Se você concorda com o exposto, REPASSE.  Caso contrário, basta apagar e dormir sossegado.

Por favor, mantenha esta mensagem CIRCULANDO para que possamos ajudar a reformar o Brasil.


Delenda Cartago - Reformas urgentes e muito necessárias!!!

A FORÇA JOVEM

     A energia que vem das ruas tem a potência de uma hidrelétrica, aciona toda a mídia mundial e coloca na tela de milhares de computadores e aparelhos de TV uma estupenda arma de efeitos devastadores. A juventude brasileira é a nossa força motriz, devendo estar permanentemente mobilizada, em sintonia com o ditado "se queres paz, prepara-te para a guerra."
     Sem os nossos caras pintadas (painted faces) nas ruas, os mais velhos não têm mais tanto ânimo para o combate, seja por acomodação ou pela fragilidade de saúde. Assim, devemos ensiná-los de que, mais do que nunca, o futuro é deles e que passa, obrigatoriamente, por uma renovação total de nossa velha e contaminada política, de velhos viciados em práticas abomináveis. E somente os jovens podem, melhor do que ninguém, conduzir este expurgo, liderados por pessoas mais experientes, mas com passado exemplar. Políticos como José Sarney, Paulo Maluf, Fernando Collor, Valdemar da Costa Neto, José Dirceu, Renan Calheiros, etc devem ser extirpados do cenário nacional.
     Uma boa notícia para nossa seara. A vice-presidenta da AAFBB-RJ,  Conselheira Deliberativa da Previ, a dinâmica e atenciosa Célia Larichia, esteve em Brasília para pedir apoio ao senador Lindbergh Farias (PT-RJ), presidente da Comissão de Assuntos Econômicos (CAE) do Senado, ao PDS 275/2012 do senador Paulo Bauer. Como sabemos, o CAE tem como relator o odiado senador José Barroso Pimentel (PT-CE) mentor da Resolução 26 e ferrenho defensor da meação com o BB. Portanto, este apoio do presidente Lindbergh Farias ao projeto, daria o contraponto necessário para o equilíbrio de forças. Parabéns a Aafbb-RJ (30.000 associados). Bem que seu presidente poderia se empenhar mais, não é Gilberto Santiago?
     Em adendo ao tema desta postagem, segue a bela mensagem de Cora Rónai chegada a mim por e-mail do Edgardo Amorim Rego:
     
Cora Rónai 
Cora Rónai escreve às quintas-feiras
O inverno da nossa esperança
Quem pede foco aos manifestantes não entendeu que este é um movimento pela cidadania
O Brasil tem uma dívida de gratidão com o governador Geraldo Alckmin. Se ele não tivesse soltado a tropa de choque em cima dos manifestantes que protestavam em São Paulo contra o aumento do preço das passagens, é possível que o maior movimento social do país jamais tivesse chegado às ruas. A onda de indignação começou a se formar assim que as primeiras fotos e vídeos das agressões da polícia circularam pela internet; ela se transformou em tsunami quando, horas depois, o governador veio a público defender a polícia e atacar os manifestantes. Como assim? Quer dizer que o cidadão, que paga a conta, ainda tem que aguentar todos os desaforos do governo caladinho, fechado em casa?! É isso?!
Para quem estava nas redes sociais, o que aconteceu a partir daí rolou como um filminho. Subitamente, todos os outros assuntos retrocederam, como fez a maré na Ásia, e as timelines foram tomadas pela insatisfação geral. No sábado, o Twitter e o Facebook mal aguentavam o peso da comoção. Algo de grande e de inesperado estava se formando. No dia seguinte, tentei definir o que estava sentindo:
“Estou maravilhada com o que está acontecendo no país. Há quem se queixe que a população não se manifestou em relação ao mensalão, à PEC 37, à roubalheira em geral e à da Copa em particular, e que o preço da passagem seria uma causa ‘menor’; mas a gente nunca sabe qual é a gota d’água, qual é o estopim que faz com que todo mundo tenha vontade de gritar junto. O que no começo era só um protesto contra 20 centavos virou o protesto que todos queríamos, contra todas as desfeitas que nos vêm sendo feitas de todos os lados, por todos os partidos, por todos os poderes.
“É um protesto que, pelo menos à primeira vista, ‘pegou’.
“Ao longo dos últimos anos, fui chamada para ene manifestações diferentes, muitas das quais coincidiam com a minha opinião. Nenhuma, porém, tinha jeito de dar liga. Faltava sempre alguma coisa que não sei definir — e que talvez fosse até a polícia na rua, quem sabe? Faltava a empolgação geral, o arrepio na espinha, a massa crítica.
“Agora é diferente.
“Pela primeira vez em muitos anos — mais especificamente, desde o impeachment do Collor — dá para sentir uma tensão no ar, um alento, o brilho de uma esperança coletiva que não discrimina sexo, idade, classe social.
“As manifestações da semana que vem podem não dar em nada. A ideia dos panos brancos nas janelas pode — sem trocadilho — passar em branco. É possível até que o momento de indignação geral já tenha passado quando a quinta-feira chegar e for a nossa vez de, aqui no Rio, ir às ruas (eu estava mal informada, não sabia que já tínhamos protesto marcado para a segunda-feira). Penso muito nisso, para não dar corda demais às minhas expectativas e não me amargurar se nada acontecer.
“Mas também pode ser que estejamos diante de um grande momento. Que não será apenas um protesto contra o aumento das passagens, mas uma formidável manifestação de cidadania — algo de que nos orgulharemos no futuro, e que contaremos, cheios de saudades, aos nossos filhos e netos.”
Até agora, 2h12m de quarta-feira, não tenho motivo para amargura; ao contrário, estou feliz, orgulhosa do meu país e da minha cidade. Quem pede foco aos manifestantes ainda não entendeu que, antes de qualquer coisa, este é um movimento pela cidadania, um movimento que diz ao poder canalha que temos, que ele não nos representa.
“O povo unido protesta sem partido”, gritava a moçada em Porto Alegre. Eles me representam. A hashtag #ForaDilma disparou para o primeiro lugar nos TTs (trending topics) do Twitter na terça-feira à noite, logo após a burocrática e irrelevante declaração da presidente sobre as manifestações. Não tenho nenhuma simpatia por ela, muito antes pelo contrário, mas acho que definitivamente não é por aí — mesmo porque as alternativas para substituí-la, ao menos no momento, são Michel Temer e Renan Calheiros.
A meu ver, as manifestações não são contra A, B ou C, mas contra a classe política como um todo. Cansamos de ver o nosso dinheiro indo para o lixo, cansamos de ver Brasília transformada num balcão de negócios, cansamos da roubalheira e do deboche dos nossos governantes. Todos eles. De todos os partidos, de todos os poderes e de todas as esferas.
“O povo acordou, o povo decidiu, ou para a roubalheira ou paramos o Brasil”, entoavam os manifestantes em Juiz de Fora. Eles me representam.
Justo no meio disso tudo, a presidente — a “presidenta”, a chefona, a mandachuva, a über-faxineira, a mulher que só fala aos gritos com os seus comandados — deixou Brasília para ir a uma consulta urgente em São Paulo... com o seu marqueteiro!
Putz. Essa não entendeu nada mesmo. E não, ela não me representa.
Há pouco tempo, vi uma foto da Avenida Rio Branco muito parecida com a que vimos no dia da manifestação. Era a foto do desfile do Bola Preta no carnaval, lembram? A diferença é que naquela foto, segundo a polícia, havia um milhão de pessoas. Eu não sei como essas contas são feitas, mas eu gostaria muito que alguém me explicasse por que a avenida cheia no carnaval tem um milhão de pessoas, e a avenida cheia na manifestação tem cem mil. Aceito desenhos.

quinta-feira, 20 de junho de 2013

NAÇÃO INDIGNA OU INDIGNAÇÃO

     Todos presenciamos a uma sonora onda de protestos iniciadas na capital federal, Rio de Janeiro e São Paulo.
     Não se sabe bem porque o movimento eclodiu. Alguns explicam que tem sido o somatório de fatores desde as infelizes declarações homofóbicas do deputado/Pastor Feliciano até o aumento de passagens de ônibus, irrisórios vinte centavos, mas que no pano de fundo aparece o excessivo gasto com os estádios para a Copa do mundo.
     Certamente, tomando por base Brasília-DF, é inadmissível gastar 1,7 bilhão de reais num estádio para abrigar dois ou três jogos da Copa. Em contrapartida, a população sofre com hospitais em crise, uma educação em estado falimentar e a segurança pública perdendo sempre para a marginalidade.
     Hoje vê-se claramente que a "conquista" da sede da Copa do mundo, com dividendos políticos ao PT, nada mais foi do que um ledo engano, ou como dizem, um tiro no próprio pé.
Fôssemos um país rico, com atendimento de primeiro mundo, seria absolutamente compreensível. Porém, a situação é inversa. Os nossos governantes devem ter ciência disso. Quando não têm surgem as manifestações. Lembro-me que nestas proporções houve apenas o "Fora Collor" e o movimento das "Diretas-Já!".
     Por outro lado, tenta-se combater a fama brasileira da impunidade. Aqui, os crimes de colarinho branco, jamais são punidos. Políticos nunca são presos. Ao contrário, continuam exercendo suas funções quer no Congresso quer nos bastidores. 
     Tudo com reflexos na Previ e nos demais grandes fundos de pensão. Os indicados por Rosemary confirmam. Os sindicalistas também.

http://www.youtube.com/watch?v=PktG-jb8FXU&feature=youtu.be

Delenda Cartago - Assistam ao Luiz Carlos Prates no SBT Santa Catarina, no link acima.

Vejam, por último este vídeo: Não estamos nas ruas pelos 20 centavos.

http://www.youtube.com/watch?v=v9rgOwH99nc

terça-feira, 18 de junho de 2013

PROMETO SOLENEMENTE...

Chapa 6 - Promessas de Campanha

Plano 1

Legenda: (S) Cumprido (NC) Não Cumprido

01 - Aumentar teto de benefício para 100% (NC)

02- Reduzir a Parcela Previ (NC)

03 -Criar benefício com base na PLR (NC)

04 - Manter as contribuições suspensas (S)

05 -Incorporar o BET como benefício permanente (NC)

06 -Preservação automática do salário de participação (NC)

07 - Fixar teto de benefícios (NC)


CHAPA 6 - UNIDADE NA PREVI
CONSELHO DELIBERATIVO
NomeCargoMandato
Rafael Zanon Guerra de Araújo
Titular
1/6/2012 a 31/5/2016
José Ulisses de Oliveira
Suplente
1/6/2012 a 31/5/2016
Haroldo do Rosário Vieira
Titular
1/6/2012 a 31/5/2016
José Souza de Jesus
Suplente
1/6/2012 a 31/5/2016

CONSELHO FISCAL
NomeCargoMandato
Odali Dias Cardoso
Titular
1/6/2012 a 31/5/2016
Diusa Alves de Almeida
Suplente
1/6/2012 a 31/5/2016

DIRETORIA DE SEGURIDADE
NomeMandato
Marcel Juviniano Barros1/6/2012 a 31/5/2016

CONSELHO CONSULTIVO - PLANO DE BENEFÍCIOS 1
NomeCargoMandato
Waldenor Moreira Borges Filho
Titular
1/6/2012 a 31/5/2016
Luiz Roberto Alarcão
Suplente
1/6/2012 a 31/5/2016

CONSELHO CONSULTIVO - PREVI FUTURO
NomeCargoMandato
Deborah Negrão de Campos
Titular
1/6/2012 a 31/5/2016
Vênica Angelos de Melo
Suplente
1/6/2012 a 31/5/2016

     Tendo em vista o fabuloso movimento que se observa em terras tupiniquins, com protestos e cobranças de promessas com o intuito de alertar os políticos de que não suportamos nem toleramos mais a impunidade aliada à gigantesca corrupção reinante no país; adicionalmente ao bilionário gasto com obras em estádios de futebol em detrimento à aplicação em saúde, segurança e educação - que é ou deveria ser a preocupação primária de qualquer governo - enumeramos acima as promessas de campanha da chapa 6 - Unidade na Previ - a vencedora nas últimas eleições da Previ.
     Assim como nas promessas feitas por políticos nas eleições brasileiras, quase nunca cumpridas, também a nossa gloriosa chapa 6, até o momento, nada cumpriu, à exceção da manutenção das contribuições suspensas, feita sem nenhuma necessidade, posto a evidência que tal feito iria ocorrer naturalmente.
     Nos falta a mobilização e a força jovem que hoje invadem as ruas, pacífica e ordeiramente, nada obstante haja "infiltrados" para tumultuar e promover o quebra-quebra, com o fim específico de desvirtuar a verdadeira manifestação da maioria.
     De todo modo, esta é nossa forma de protesto. Na denúncia, nos blogues, com destaque para o blog Olhar de Coruja de nossa brava colega Leopoldina, e nas redes sociais.

Delenda Cartago - O mundo todo está ouvindo e vendo as injustiças cometidas no Brasil. Queremos de volta todos os nossos direitos. Com ou sem fair play.

DÉBITO AUTOMÁTICO AUTORIZADO

COMUNICADO IMPORTANTE

Hoje o BB implantou o débito automático das mensalidades dos caros associados da ANAPLAB.
Pedimos gentilmente que cada associado autorize o débito automático junto a sua Agência de relacionamento. As instruções para isso (tutorial) são dadas a seguir, ao tempo em que foram enviadas a cada um por e-mail:


DÉBITO AUTOMÁTICO ANAPLAB – CONVÊNIO 32.758
INSTRUÇÕES.

USUÁRIOS DO INTERNET BANKING (VERSÃO ANTIGA SITE BB)
       1 - Acesse normalmente sua conta corrente;
       2 – Escolha a opção CONTA CORRENTE E CONSULTAS;
       3 – DÉBITO AUTOMÁTICO;
       4 – CONFIRMAÇÃO DE AUTORIZAÇÃO.
SISBB - Sistema de Informações Banco do Brasil
18/06/2013
Auto-Atendimento BB
15:13:10
Confirmação de autorização de débito   
(Antes de continuar, MARQUE o Convênio abaixo)
 
Convênio
Cód.Pré Cad.
Identificação do Déb.
ASSOCIACAO NACIONAL DOS PARTI
1
0000000000000000000000004
Descrição:  Descrição:  Descrição:  Descrição:
        5 – CONTINUAR E CONFIRMAR.

******************************************************


USUÁRIOS DO INTERNET BANKING (VERSÃO NOVA SITE BB)
       1 – Acesse normalmente sua conta corrente;
       2 – Escolha a opção MAIS TRANSAÇÕES e vá até a opção;
       3 – DÉBITO AUTOMÁTICO;
       4 – CONFIRMAÇÃO DE AUTORIZAÇÃO.
 SISBB - Sistema de Informações Banco do Brasil
18/06/2013
Auto-Atendimento BB
15:13:10
Confirmação de autorização de débito   
Agência: 38490   Conta: 55290639

(Marcar o convênio abaixo)
 
Convênio
Cód.Pré Cad.
Identificação do Déb.
ASSOCIACAO NACIONAL DOS PARTI
1
0000000000000000000000004
Descrição:  Descrição:  Descrição:  Descrição:
           5 -  CONTINUAR E CONFIRMAR


******************************************************
       
USUÁRIOS DOS TERMINAIS DE AUTOATENDIMENTO.
INSTRUÇÕES.
       1 – INSERIR CARTÃO;
       2 – PAGAMENTO COM CÓDIGO DE BARRAS;
       3 - PAGAMENTOS/TRANSFERÊNCIAS;
       4 – DÉBITO AUTOMÁTICO;
       5 – CONFIRMAÇÃO DE CADASTRAMENTO;
       5 – SENHA(LETRAS) E CONFIRME;

       6 – SELECIONE CONVÊNIO 32.758 - ASSOCIAÇÃO NACIONAL DOS PARTI E IMPRIMA SEU COMPROVANTE.

Todos os membros da Equipe ANAPLAB agradecem penhoradamente este seu empenho que com toda a certeza irá assegurar à associação cumprir religiosamente com todos os seus compromissos traçados em seus Estatutos.

Um carinhoso agradecimento.

Equipe Anaplab